A Estrutura Mercadológica da Atividade Petrolífera e
seus Seguros no Brasil
Daniel Mendes Lauro
História
Seguros:
1808: Abertura dos portos (leis portuguesas)
1850: Código Comercial Brasileiro (ED)
1916: Capítulo no Có...
Evolução: Seguros
Seguros:
Ano
Seguros
Especiais (234)
PIB
Produção
Nacional de
Petróleo
(bep)
Exportação
de Petróleo
(bep...
Evolução: Petróleo
“O Brasil representa em 2013, 2,4% da produção mundial”
Risco da atividade
BR
Concentração
“O índice Cr(k) expressa o volume da atividade das “k” maiores empresas do mercado, em relação à atividade
to...
Concentração
Ano 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012
Cr(4) 0,99 0,96 0,93 0,96 0,95 0,90 0,91 0,84 0,80...
Exemplo
Si² Cr(4) Cr(8) Si² Cr(4) Cr(8)
1 Petrobrás 104,98 88,96% 79,14% 94,13% 96,76% 1 Petrobrás 84,98 72,01% 51,86% 94,...
Referências
Os dados de Produção e Desenvolvimento são de Dezembro/2013
Os dados de Exploração são de Abril/2014.
Para med...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Concentração do mercado de seguros para a indústria do petróleo

164 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Concentração do mercado de seguros para a indústria do petróleo

  1. 1. A Estrutura Mercadológica da Atividade Petrolífera e seus Seguros no Brasil Daniel Mendes Lauro
  2. 2. História Seguros: 1808: Abertura dos portos (leis portuguesas) 1850: Código Comercial Brasileiro (ED) 1916: Capítulo no Código Civil Brasileiro 1937: Constituição de 37 (PNS) 1939: Criação do IRB 1987: Circular Susep nº 19 (RP atrelado a Cascos Marítimos) 2013: Circular Susep nº 470 (RP) Petróleo: Década de 30: Getúlio Vargas 1938: CNP 38-60, após MME 1953: Criação da Petrobrás 1997: FHC, quebra do monopólio 2007: Pré-Sal O mercado de seguros do ramo 234, riscos de petróleo, ainda é muito jovem, se comparado com o mercado internacional. Passaram-se apenas 18 anos desde que houve a quebra do monopólio estatal da Petrobrás.
  3. 3. Evolução: Seguros Seguros: Ano Seguros Especiais (234) PIB Produção Nacional de Petróleo (bep) Exportação de Petróleo (bep) 2002 - - - - 2003 1,63% 1,15% 3,03% 3,42% 2004 18,31% 5,71% -0,98% -4,53% 2005 31,14% 3,16% 10,27% 18,92% 2006 -8,39% 3,96% 5,46% 34,08% 2007 -22,50% 6,09% 1,47% 14,50% 2008 44,96% 5,17% 3,96% 2,79% 2009 7,04% -0,33% 7,33% 21,34% 2010 -28,86% 7,53% 5,35% 20,14% 2011 160,07% 2,73% 2,47% -4,27% 2012 11,48% 1,03% -1,83% -9,12% Média 21,49% 3,62% 3,65% 9,73% TAXAS DE CRESCIMENTO (ANO) Sinistralidade: 2008: 24% 2010: 145% 2012: 45% Precaução Fortalecimento da Cultura Corretores: AON MARSH JLT WILLIS Maiores Perdas: 1988: USD 1,8 Bi – Plataforma RU 1988: USD 0,5 Bi – Plataforma RJ (BR) 2001: BRL 1,254 Bi – Plataforma RJ (BR) 2009: USD 0,83 Bi – Plataforma NOR
  4. 4. Evolução: Petróleo “O Brasil representa em 2013, 2,4% da produção mundial” Risco da atividade BR
  5. 5. Concentração “O índice Cr(k) expressa o volume da atividade das “k” maiores empresas do mercado, em relação à atividade total deste mesmo mercado.” O método HH passou a ser mais utilizado do que o Cr(k), pois ele consegue perceber diferença quando há alguma mudança na posição de “marketshare” entre as maiores empresas, expressando, portanto, um índice mais realista da estrutura do mercado ao longo do tempo. Período entre 2002 e 2012 Seguradora Prêmio (Milhões R$) Sinistros (Milhões R$) ITAU 1.048,49 44,6% 182,46 36,4% BRADESCO 481,18 20,5% 172,58 34,5% AIG 294,39 12,5% 3,64 0,7% SUL AMÉRICA 194,41 8,3% 23,96 4,8% TOKIO MARINE 109,77 4,7% 0,00 0,0% MAPFRE 87,58 3,7% 9,20 1,8% MITSUI 48,22 2,1% 0,00 0,0% Totais do período 2.351,51 96,3% 500,65 78,3% Si² Cr(4) 1 Petrobrás 104,98 88,96% 79,14% 94,13% 2 Shell Brasil 3,10 2,63% 0,07% 3 Central Resources 2,00 1,69% 0,03% HH 4 OGX 1,00 0,85% 0,01% 0,79 5 Cheim 1,00 0,85% 0,01% 6 ONGC Campos 0,81 0,69% 0,00% n 7 BC-10 Petróleo Ltda. 0,69 0,58% 0,00% 18 8 Statoil Brasil 0,60 0,51% 0,00% 9 HRT O&G 0,60 0,51% 0,00% 1/n 10 BG Brasil 0,55 0,47% 0,00% 0,05555556 EMPRESAS PRODUÇÃO
  6. 6. Concentração Ano 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Cr(4) 0,99 0,96 0,93 0,96 0,95 0,90 0,91 0,84 0,80 0,87 0,95 HH 0,75 0,52 0,36 0,30 0,36 0,36 0,28 0,31 0,25 0,46 0,62 O “HH” percebe as movimentações na participação de mercado das maiores empresas ao longo do tempo, diferentemente do índice Cr.
  7. 7. Exemplo Si² Cr(4) Cr(8) Si² Cr(4) Cr(8) 1 Petrobrás 104,98 88,96% 79,14% 94,13% 96,76% 1 Petrobrás 84,98 72,01% 51,86% 94,13% 96,76% 2 Shell Brasil 3,10 2,63% 0,07% 2 Shell Brasil 23,10 19,58% 3,83% 3 Central Resources2,00 1,69% 0,03% HH 3 Central Resources2,00 1,69% 0,03% HH 4 OGX 1,00 0,85% 0,01% 0,793 4 OGX 1,00 0,85% 0,01% 0,558 5 Cheim 1,00 0,85% 0,01% 5 Cheim 1,00 0,85% 0,01% 6 ONGC Campos 0,81 0,69% 0,00% n 6 ONGC Campos 0,81 0,69% 0,00% n 7 BC-10 Petróleo Ltda.0,69 0,58% 0,00% 18 7 BC-10 Petróleo Ltda.0,69 0,58% 0,00% 18 8 Statoil Brasil 0,60 0,51% 0,00% 8 Statoil Brasil 0,60 0,51% 0,00% 9 HRT O&G 0,60 0,51% 0,00% 1/n 9 HRT O&G 0,60 0,51% 0,00% 1/n 10 BG Brasil 0,55 0,47% 0,00% 0,0555556 10 BG Brasil 0,55 0,47% 0,00% 0,0555556 11 Chevron Frade 0,52 0,44% 0,00% 11 Chevron Frade 0,52 0,44% 0,00% 12 Sinochem Petróleo0,40 0,34% 0,00% 12 Sinochem Petróleo0,40 0,34% 0,00% 13 Maersk Energia0,40 0,34% 0,00% 13 Maersk Energia0,40 0,34% 0,00% 14 Chevron Brasil 0,38 0,32% 0,00% 14 Chevron Brasil 0,38 0,32% 0,00% 15 Repsol Sinopec0,35 0,30% 0,00% 15 Repsol Sinopec0,35 0,30% 0,00% 16 EP Energy 0,35 0,30% 0,00% 16 EP Energy 0,35 0,30% 0,00% 17 Frade 0,18 0,15% 0,00% 17 Frade 0,18 0,15% 0,00% 18 Petrogal Brasil 0,10 0,08% 0,00% 18 Petrogal Brasil 0,10 0,08% 0,00% 118 100% 79% 118 100% 56% EMPRESAS PRODUÇÃO TOTAL EMPRESAS PRODUÇÃO TOTAL SUPOSIÇÃOREAL Receita Líquida Lucro Líquido Ativo Total Patrimônio Líquido 1 Petrobrás (1º) 104,98 89,0% 17,49 60,3% 29,50 54,9% 304.890,0 23.007,0 752.967,0 349.334,0 2 Shell Brasil 3,10 2,6% 0,50 1,7% 1,00 1,9% - - - - 3 Central Resources 2,00 1,7% - - - - - - - - 4 OGX 1,00 0,8% 5,80 20,0% 2,50 4,7% - - - - 5 Cheim 1,00 0,8% - - - - - - - - 6 ONGC Campos 0,81 0,7% 0,27 0,9% - - - - - - 7 BC-10 Petróleo Ltda. 0,69 0,6% 0,23 0,8% - - - - - - 8 Statoil Brasil (145ª) 0,60 0,5% 0,60 2,1% 3,80 7,1% 3.272,1 -21,4 7.382,4 2.184,9 9 HRT O&G 0,60 0,5% - - - - - - - - 10 BGBrasil (174º) 0,55 0,5% 0,30 1,0% 0,45 0,8% 2.746,7 - - - 11 Chevron Frade 0,52 0,4% - - - - - - - - 12 Sinochem Petróleo 0,40 0,3% 0,40 1,4% 0,40 0,7% - - - - 13 Maersk Energia 0,40 0,3% - - 0,20 0,4% - - - - 14 Chevron Brasil 0,38 0,3% 0,30 1,0% - - - - - - 15 Repsol Sinopec (462º) 0,35 0,3% 0,62 2,1% 0,66 1,2% 951,3 -451,0 20.951,4 19.231,0 16 EP Energy 0,35 0,3% - - - - - - - - 17 Frade 0,18 0,2% - - - - - - - - 18 Petrogal Brasil (467º) 0,10 0,1% - - 0,64 1,2% 936,7 9,9 4.104,0 1.754,4 118 100,0% 27 91,4% 39 72,9% 312.796,8 22.544,5 785.404,8 372.504,3 De um total de: 118 100,0% 29 100,0% 54 100,0% Quantidade de blocos (ranking valor 1000) EMPRESAS Produção TOTAL Milhões (R$)Desenvolvimento Exploração A receita líquida acompanha o quantidade que cada empresa tem de blocos em produção. O índice HH é alterado de acordo com as movimentações das participações entre as maiores empresas, enquanto o Cr(k) se mantém constante.
  8. 8. Referências Os dados de Produção e Desenvolvimento são de Dezembro/2013 Os dados de Exploração são de Abril/2014. Para medir a “força” de cada petrolífera no mercado, foram utilizados os dados disponibilizados pela ANP de todos os blocos distribuídos antes do contrato de partilha do pré-sal, fracionados e divididos entre todas as empresas de acordo com as suas participações e interesses em cada um, distinguindo-se as fases de Exploração, Desenvolvimento e Produção, e considerando apenas as reservas de Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo localizadas em mar, pelo fato de apenas esses três estados possuírem em conjunto aproximadamente 98% das reservas marítimas, que por sua vez, representam 94% do total de reservas provadas do país.

×