MANUAL DE CAMPANHA SERVIÇO DA PEÇA DO EDT FILA 2º VOLUME C 44-61

439 visualizações

Publicada em

MANUAL DE CAMPANHA SERVIÇO DA PEÇA DO EDT FILA 2º VOLUME C 44-61

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
439
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

MANUAL DE CAMPANHA SERVIÇO DA PEÇA DO EDT FILA 2º VOLUME C 44-61

  1. 1. 2ª Edição 2003 C 44-61 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO Manual de Campanha SERVIÇO DA PEÇA DO EDT FILA 2º VOLUME å
  2. 2. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO Manual de Campanha SERVIÇO DA PEÇA DO EDT FILA 2º VOLUME 2ª Edição 2003 C 44-61 CARGA EM................. Preço: R$
  3. 3. PORTARIA Nº 122-EME, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003 Aprova o Manual de Campanha C 44-61 - Serviço da Peça do EDT FILA - 1º e 2º Volume, 2ª Edição, 2003. O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 113 das IG 10-42 - INSTRUÇÕES GERAIS PARA A CORRESPONDÊNCIA, AS PUBLICAÇÕES E OS ATOS ADMINISTRATIVOS NO ÂMBITO DO EXÉRCITO, aprovadas pela Portaria do Comandante do Exército Nr 041, de 18 de fevereiro de 2002, resolve: Art. 1º Aprovar o Manual de Campanha C 44-61 - SERVIÇO DA PEÇA DO EDT FILA - 1º e 2º Volume, 2ª Edição, 2003, que com esta baixa. Art. 2º Determinar que esta Portaria entre em vigor na data de sua publicação. Art. 3º Revogar as Instruções Provisórias IP 44-61 - SERVIÇO DA PEÇA DO EDT FILA, 1ª Edição, 1995, aprovadas pela Portaria Nr 117-EME, de 17 de outubro de 1995.
  4. 4. NOTA Solicita-se aos usuários deste manual de campanha a apresentação de sugestões que tenham por objetivo aperfeiçoá-lo ou que se destinem à supressão de eventuais incorreções. As observações apresentadas, mencionando a página, o parágrafo e a linha do texto a que se referem, devem conter comentários apropriados para seu entendimento ou sua justificação. A correspondência deve ser enviada diretamente ao EME, de acordo com o artigo 108 Parágrafo Único das IG 10-42 - INSTRUÇÕES GERAIS PARA A CORRESPONDÊNCIA, AS PUBLICAÇÕES E OS ATOS ADMINISTRATIVOS NO ÂMBITO DO EXÉRCITO, aprovadas pela Portaria do Comandante do Exército Nr 041, de 18 de fevereiro de 2002.
  5. 5. ÍNDICE DOS ASSUNTOS Prf Pag CAPÍTULO 1 - MEMENTO OPERACIONAL ARTIGO I - Descrição de Rotinas Operacionais ............................. 1-1 ARTIGO II - Seqüência das Rotinas Operacionais ................. 1-1 1-58 CAPÍTULO 2 - GUIA DE REFERÊNCIA ILUSTRADO.......................... 2-1 ANEXO A - FOLHA DE AVALIAÇÃO DO SIMULADOR DE TREI-NAMENTO -1............................................................... A-1 ANEXO B - TABELAS DE VALORES DA VO DECORRENTES DA USURA DO TUBO (Can 40 mm) ............................. B-1 ANEXO C - TABELAS DE VALORES DA VO DECORRENTES DA TEMPERATURA DA PÓLVORA (Can 40 mm) ........... C-1 ANEXO D - TABELA DE VALORES PADRÃO ............................... D-1 ANEXO E - TABELA DE DURAÇÃO DA RAJADA ......................... E-1 ANEXO F - FICHA DO CHEFE DO EDT ......................................... F-1
  6. 6. 1-1 C 44-61 CAPÍTULO 1 MEMENTO OPERACIONAL ARTIGO I DESCRIÇÃO DE ROTINAS OPERACIONAIS ROTINA 1: PEGAR NA PALAMENTA - GERADOR NO SEU ALOJAMENTO D1 D2 D3 D4 C oma nd a : ED T A T E N Ç Ã O : PEGAR NA PALA-MENTA! - GG EM SEU ALOJAMEN- TO. S o l t a o c a b o d e segurança dos bra- ços de nivelamento. Destrava o ferrolho do braço de nivela- mento esquerdo. Destrava o ferrolho do braço de nivela- mento direito. Abre o braço de ni velamento es- querdo para travá-lo na posição de operação. A b re o b ra ç o d e nivelamento direito p a ra t ra vá - lo na posição de opera- ção.
  7. 7. C 44-61 1-2 D1 D2 D3 D4 Enrola a proteção de lona do aloja-mento do GG e da entrada de ar exter- no do ar condicio- nado. Descobre o painel de conectores do AOA. Descobre o painel de conectores dos canhões. A b r e a t a m p a articulada lateral esquerda, deixan-do- a na posição de operação. A b re a s tamp a s la te ra i s d o la d o direito deixando-as na posição de ope- ração. Retira os tanques suplementares de s e u a lo jame nt o para posicioná-los junto ao braço de ni ve lame nto e s - querdo. Faz as verificações para ligar o GG. Informa: VERIFI- CAÇÕES TERMI- NADAS. Retira o dispositivo de abastecimento automático do seu alojamento para entregá-lo ao D4. Faz a conexão do tanque suplemen- tar. Conecta o cabo de energia. I n f o r m a : G G PRONTO PARA LIGAR. Comanda: LIGAR ENERGIA. Nivela o EDT (item 12-5) Liga o GG (item 12-3).
  8. 8. 1-3 C 44-61 D1 D2 D3 D4 Abre o teto. A ux i l i a o D 1 na abertura do teto. Eleva o RA (item 12-6). Coloca o banco na posição de opera- ção. F e c ha e t ra va o teto. Auxilia o D1 no fe- chamento e trava- mento do teto. Re t i ra a lo na d e proteção da mesa de operação para colocá-la no aloja-mento dos tanques suplementares A b a i xa a s e ç ã o articulada da mesa de operação. Info rma a o Cmt Sec: EDT PRON- TO PARA LIGAR. Comanda: LIGAR EDT (sfc). Liga o EDT (item 12-7) Liga o EDT (item 12-7) Determina o local para o posiciona- mento do AOA. Posiciona o AOA no local determi - nado com o auxílio do D4 (item 12-4) A uxi l i a o D 3 no posicionamento do AOA. Abaixa a tampa de proteção do siste- ma hidráulico. Faz a ligação de um intercom próxi- mo ao GG. Abre a porta es-querda e destrava o teto. Abre a porta direita e destrava o teto.
  9. 9. C 44-61 ROTINA 2: PEGAR NA PALAMENTA - GERADOR FORA DE SEU ALOJA-MENTO D1 D2 D3 D4 C oma nd a : ED T ATENÇÃO! PE- GA R NA PA L A - ME NTA GE RA - DOR EM (TAL) LU- GAR. So l ta o ca b o d e s e g ur a nç a d o s braços de nivela- mento. 1-4 Monta a rampa de serviço na posição inclinada. Auxilia na monta- gem da rampa. Destrava o ferrolho do braço de nivela- mento esquerdo. Destrava o ferrolho do braço de nivela- mento direito. Abre o braço de ni- velamento esquer-do para travá-lo na posiçãode opera- ção. Ab re o b ra ç o d e nivelamento direito p a ra t ra vá - lo na posição de opera- ção. Retira o comando do guincho elétrico de seu alojamento para conectá-lo no guincho. Reti ra a coi fa de insuflação superior para entregá-la ao D4. Apóia a rampa de s e r vi ç o em s e u encaixe no chassis do EDT. Auxilia o D3 na co-locação da rampa em seu encaixe. Enrola a proteção de lona do aloja-mento do GG e da entrada de ar exter- no do ar condicio- nado. Recebe a coifa de insuflação superior p a r a c o l o c á - l a próxima ao local de operação do GG. So l ta o ca b o d o guincho atuando no comando elétrico. Prende a ponta do c a b o d e a ç o n o c ha s s i s d o ED T (olhal para engate do guincho). Solta a trava do GG no lado direito. Solta a trava do GG no lado esquerdo.
  10. 10. 1-5 C 44-61 D1 D2 D3 D4 Retira o GG de seu a l o j a m e n t o , atuando no punho do chassi tubular do GG, até que os roletes atinjam o setor de descida da rampa de servi- ço. Retira as rodas do GG de seu suporte no EDT, entregan- do uma para o D3, e a outra aparafu-sando no chassi tubular do GG Aciona o comando do guincho elétrico para desenrolar o cabo, até que o GG ati nja o mei o da rampa. Recebe uma roda do D4 para apara-fusá- la no chassi tubular do GG. Continua o aciona-mento do guincho até que o GG atinja o solo. Solta a ponta do cabo do guincho do chassi do EDT, e mantendo-o estica- do. Retira a barra de tração em "T" de s e u a lo jame nto para entregá-la ao D4. Coloca a barra de tração em "T" em seu alojamento no chassi do GG. Enrola o cabo do g u i n c h o c o m o auxílio do D2. Guarda o comando elétrico do guincho. Posiciona o GG no local determinado pelo D1. A uxi l i a o D 2 no posicionamento do GG. Solta as presilhas do cabo de energia e prepara-se para desenrolá-lo. Descobre o painel de conectores do AOA. Descobre o painel de conectores dos canhões. Desenrola o cabo de energia com o auxílio do D4. Auxilia o D3 no de-senrolar do cabo de energia e faz a s ua c o ne xã o no GG. A b r e a t a m p a articulada lateral esquerda, deixan-do- a na posição de operação. A b re a s tamp a s articuladas laterais do lado direito, dei- xando-as na posi- ção de operação. Retira os tanques suplementares de s e u a lo jame nto para posicioná-los junto ao GG. Faz as verificações para li gar o GG. (item 12-3)
  11. 11. C 44-61 1-6 D1 D2 D3 D4 Levanta a tampa articulada do bloco hidráulico. Retira o dispositivo de reabastecimen-to para entregá-lo ao D4. Coloca a coifa de insuflação. Rebate o filtro de ar para a esquerda e nivela o EDT ( item 12-5). Faz a conexão do tanque suplementar e i n f o r m a : G G PRONTO PARA LI- GAR. Comanda: LIGAR GG. Liga o GG (item 12-3). Determina o local para o posiciona- mento do AOA. Abre a porta es-querda e destrava o teto. Abre a porta direita e destrava o teto. Posiciona o AOA no local determi - nado com o auxílio do D4. Abre o teto com o auxílio do D2 até que fique travado nessa posição. Faz a ligação de um intercom próxi- mo ao GG. Eleva o RA (item 12-6). Fecha o teto e a-ciona a alavanca de travamento. Auxilia o D1 no fe- chamento do teto, destravando-o da posição aberta, e posi ci ona a ala- vanca de travamen- to na posição fe- chada. Coloca o banco na posição de opera- ção.
  12. 12. 1-7 C 44-61 D1 D2 D3 D4 Re t i ra a lo na d e proteção da mesa de operação para colocá-la no aloja- mento dos cambu- rões reservas. A b a i xa a s e ç ã o articulada da mesa de operação. Info rma a o Cmt Sec: EDT PRON- TO PARA LIGAR. Comanda: LIGAR EDT (sfc). Liga o EDT (item 12-7) Liga o EDT (item 12-7) ROTINA 3: VERIFICAÇÕES E OPERAÇÕES PARA LIGAR O GG a. Verificações (1) Nível do óleo do motor. (2) Cabo de energia corretamente conectado. (3) Dispositivo de reabastecimento automático conectado. (4) Disjuntores das redes A e B 400Hz, conector de combustível e fonte de 12V armados. (5) Chave ENERGIA 400Hz na posição DSLG. (6) Coifa de insuflação no lugar. b. Operações para ligar o Grupo Gerador (1) Partida a frio: (a) liga a chave da bateria; (b) coloca a alavanca do acelerador na posição 1/4; (c) coloca a alavanca do afogador na posição PARTIDA; (d) dá a partida do motor por meio da chave geral do motor; (e) coloca a chave geral na posição OPERAÇÃO; (f) posiciona o acelerador para MÁXIMO; (g) posiciona o afogador para OPERAÇÃO. (2) Partida com o motor quente: (a) liga a chave de bateria; (b) coloca o afogador na posição OPERAÇÃO; (c) coloca o acelerador na posição 1/4; (d) dá a partida no motor por meio da chave geral do motor; (e) coloca a chave geral na posição OPERAÇÃO; (f) coloca o acelerador na posição MÁXIMO.
  13. 13. C 44-61 ROTINA 4: POSICIONAMENTO DO AOA D3 D4 Remove a tampa do AOA com o auxílio do D4. Auxilia o D3 na retirada da tampa do AOA Puxa a coluna ajustável e destrava as seções articuladas da coluna ajustável com o auxílio do D4. Auxilia o D3. Desenrola o cabo do AOA para conectá- lo no painel de conectores do AOA Conecta a outra extremidade do cabo no AOA. Ajusta a altura da coluna ajustável. Nivela o AOA. ROTINA 5: PROCEDIMENTO PARA O NIVELAMENTO GROSSEIRO (D2) 1-8 a. Coloca a alavanca de nivelamento GROSSEIRO/PRECISO, na posição GROSS. b. Liga o motor da bomba hidráulica e aguarda até que o sistema hidráulico fique em condições de realizar o acionamento dos macacos (o ruído do motor da bomba hidráulica mudará de tom). c. Atuando nas alavancas de extensão, distende os macacos de nivelamento até que as rodas estejam a mais ou menos 10 cm do chão. d. Nivela o EDT, observando o nível de bolha circular e combinando a ação das alavancas de extensão e retração dos macacos. e. Coloca a alavanca de nivelamento GROSSEIRO/PRECISO, na posição PREC. f. Desliga o motor da bomba hidráulica. ROTINA 6: PROCEDIMENTOS PARA ELEVAR O REPARO DE ACOMPANHA-MENTO (D2) a. Verificações preliminares (1) Chave principal do EDT na posição DESL ou PREAQUEC. (2) Teto articulado, aberto e travado. b. Operações (1) Liga o motor da bomba hidráulica e aguarda até que o sistema hidráulico fique em condições de realizar o acionamento dos macacos (o barulho do motor da bomba hidráulica ficará diferente).
  14. 14. 1-9 C 44-61 (2) Pressiona o botão ELEVAR O RA, até 7 (sete) segundos após a lâmpada do indicador CARREGAR ÓLEO RESERVA ter se apagado. (3) Desliga o motor da bomba hidráulica. (4) Puxa e gira a maçaneta de travamento do eixo de elevação do RA, para a posição OPERAÇÃO. (5) Puxa e gira a maçaneta de travamento da antena do radar de busca para a posição DESTRAVADA. (6) Posiciona a alavanca de travamento do eixo de azimute na posição AZ-DESTRAVADO. (7) Solta a alavanca de travamento do eixo do radar de acompanhamento. OBSERVAÇÃO: Só estará autorizada a entrada na cabina do EDT, quando a alavanca de travamento do eixo de elevação do RA estiver na posição OPERAÇÃO ROTINA 7: VERIFICAÇÕES E OPERAÇÕES PARA LIGAR O EDT D1 D2 Liga o sistema de ar condicionado, atuando nos controles do painel de controle esquerdo. Se necessário, liga e ajusta os evaporadores da cabina. - No painel de controle direito, coloca a chave principal na posição de PRE- AQUECIMENTO. - Após ouvir o acionamento do sistema de ar condicionado, passa a chave principal do EDT para ESPERA. - Após verificar que a lâmpada do campo SELEÇÃO (painel de Indicadores do Computador) acendeu, passa a chave principal do EDT para OPERAÇÃO. Li ga a i lumi nação da cabi na (lado esquerdo). Li ga a i lumi nação da cabi na (lado direito). Certifica-se de que o indicador RADAR SILÊNCIO está aceso. Coloca a chave rotati va do RA em NORMAL. P o s i c i o n a a c h a v e A L A R M E / LÂMPADAS em LÂMPADAS e verifica s e to d o s o s i nd i c a d o re s e te c la s acendem, exceto as azuis. Verifica no painel de controle superior: - se os ""leds"" verdes estão acesos; - se as chaves de alavanca INTERCOM, TWT, OPT, IFF, K, MOV Az, MOV ELV, MOV BUSCA e LASER estão ligadas; - se a chave de alavanca NIV está na posição AUTO; - se todas as indicações visuais de queima de fusíveis estão apagadas.
  15. 15. C 44-61 1-10 D1 D2 Verifica se no painel de supervisão todos os indicadores estão apagados, exceto COND EQP-RADAR NÃO PRONTO (este irá acender 5 (cinco) minutos após a chave principal ser colocada em OPERAÇÃO). No PPI, verifica se: - a varredura do radar de busca é visível ( a j u s t a c o m o p o t e n c i ô m e t r o INTENSIDADE, sfc); - as marcas de distância são visíveis (ajusta com o potenciômetro 4 Km, sfc); - os símbolos são visíveis (ajustar com o potenciômetro SÍMBOLOS, sfc); - move a MMD, atuando na esfera de designação; - pressiona a tecla DSG RDR e observa o símbolo E mover-se no PPI; e - aperta a tecla REINIC. No painel de controle RA/TV posiciona a chave rotativa em MANCHE. Informa ao D1: VERIFICAÇÃO DO PPI TERMINADA. Movimenta o RA por meio do manche (pressionando o anel do manche) até uma imagem aparecer no monitor de TV, e atuando na chave seletora ZOOM e na chave FOCO-PRÓXIMO / DISTANTE ajustá-la, sfc. Posiciona a chave RA em normal. Observa a imagem na tela do monitor de TV q ua nto a o c o nt r a s te , b r i lho e qualidade; se necessário, ajusta os potenciômetros BRILHO e CONTRASTE. Se a má qualidade das imagens persistir, verifica se a imagem na tela da TV está corretamente focalizada e se a lente da câmera está limpa. Observa se os retículos do monitor de TV estão presentes. Colocar o seletor DADOS DO MOSTRA-DOR em 8 (oito), para verificar se o programa de combate está presente.
  16. 16. 1-11 C 44-61 D1 D2 Solicita ao Cmt da U Tir a freqüência de operação.Na chave rotativa FREQÜÊN-CIA, posiciona as freqüências de 1 a 5 e verifica quais freqüências estão liberadas (LED aceso) e quais estão bloqueadas (LED apagado).Determina ao D2 que bloqueie as freqüências que não serão ut i l i za d a s e l i b e r e a f r e q üê nc i a determinada pelo Cmt UT. Solicita ao Cmt da U Tir a freqüência de operação.Na chave rotativa FREQÜÊN-CIA, posiciona as freqüências de 1 a 5 e verifica quais freqüências estão liberadas (LED aceso) e quais estão bloqueadas (LED apagado).Determina ao D2 que bloqueie as freqüências que não serão ut i l i za d a s e l i b e r e a f r e q üê nc i a determinada pelo Cmt UT. Pressiona a tecla ACESSO MATRIZ e seleciona o campo Nr FREQÜÊNCIA na máscara do programa de combate. Introduz por meio do teclado o número N d a f r e q üê nc i a a s e r l i b e r a d a o u bloqueada. Pressiona a tecla E/S.Para b lo q ue a r a f r e q üê nc i a , i nt r o d uz alternadamente o número da freqüência e o número zero (N0N0N0). Para liberar introduz o número da freqüência seis vezes (NNNNNN). Pressionar a tecla E/S.Obs.: somente 4 (quatro) das 5 ( c i nc o ) f r e q üê nc i a s p o d em s e r bloqueadas simultaneamente. Informa: FREQÜÊNCIAS INTRODU- ZIDAS. Verifica se as freqüências estão corretas. Coma nd a : AJUSTAR A TAXA DE FALSO ALARME (o radar deve estar emitindo e recebendo).
  17. 17. C 44-61 1-12 D1 D2 No MONITOR DE TV, ver i f i ca se o mostrador de dados está visível (a chave rotat i va TV deve estar na posi ção NORMAL). Certifica-se de que o botão RADAR SILÊNCIO está apagado. Certifica-se de que o indicador COND EQP -RADAR NÃO PRONTO e s tá apagado. Pressiona a tecla AJS FAR / MAS / BUSCA / ACOMP. Ajusta a taxa de falso alarme para 5 V (+/- 1V), atuando no botão AJUSTE FAR MAS. Informa: TAXA DE FALSO ALARME PARA MAS AJUSTADA. Pressiona novamente a tecla AJS FAR/ MAS / BUSCA / ACOMP. Ajusta a taxa de falso alarme para 5v (+/- 1) agindo no botão AJUSTE FAR BUS- CA. Informa: TAXA DE FALSO ALARME PARA BUSCA AJUSTADA. Pressiona novamente a tecla AJS FAR / MAS / BUSCA / ACOMP. Ajusta a taxa de falso alarme para 5V (+/-1V) agindo no botão AJUSTE FAR ACOMP. Informa: TAXA DE FALSO ALARME PARA ACOMPANHAMENTO AJUS- TADA. Pressiona a tecla REINIC. Informa que o ajuste da sensibilidade do receptor do radar de busca será exe- cutada. Certifica-se de que o radar está emitindo e coloca o zoom em AUTO. Posiciona o potenciômetro SEN RECEP para 0 Km e então o gira no sentido horário até que os ecos fixos mal sejam visíveis no PPI (não girar mais que o necessári o, se possível, não deve ultrapassar 4Km). Informa: AJUSTE DA SENSIBILIDADE DORECEPTORDORADARDE BUSCA AJUSTADO PARA ......Km. Introduzo mesmo valor informado pelo D2 para a sensibilidade do radar de acom-panhamento por meio do potenciômetro SEN RECP.
  18. 18. 1-13 C 44-61 D1 D2 Ajusta o fi ltro receptor da janela de aquisição pressionando a tecla JANELA - VÍDEO BRUTO (a tecla RADAR-SÓ RECEPÇÃO deverá estar acionada). Gira o potenciômetro VÍDEO BRUTO totalmente no sentido horário e depois o gira no sentido anti-horário até que os ecos na JANELA DE AQUISIÇÃO desa- pareçam. Desliga a tecla JANELA-VÍDEO BRUTO (indicador apaga). Informa que o ajuste da sensibilidade de recepção do radar K será e xe-cutado. Na matriz de lâmpadas seleciona a célula SEN RECP K, pressionando antes a tecla ACESSO MATRIZ. Pres-siona a tecla E/S. Introduz por meio do teclado o número 1. Pressiona a tecla E/S. Introduz o valor pa-ra ajuste (entre 0 e 1,27, valores dados em m2). Pressiona a tecla E/S. NOTA : se necessário, o ajuste da sensibilidade pode ser reajustado durante a operação. Verifica se: - o botão REINIC está aceso; - o indicador COND EQP-RADAR NÃO PRONTO está apagado; - o botão RADAR-SILÊNCIO está apagado; - o b o t ã o ZO OM MA N U A L e s t á apagado. Comanda: INICIAR TESTE RÁPIDO. Pressiona a tecla TESTE RÁPIDO (o teste dura aproximadamente 60 s). Quando o teste terminar ( tecla apaga), informa: FIM DO TESTE RÁPIDO. Analisa os erros do teste rápido, sana os erros ou solicita a turma de manutenção de 2ºescalão para solucioná-los.
  19. 19. C 44-61 D1 D2 Comanda: INICIAR TESTE RÁPIDO. Analisa os erros do teste rápido, sana os erros ou solicita a turma de manutenção de 2ºescalão para solucioná-los. ROTINA 8: AJUSTE DO EDRB 1-14 Pressiona a tecla TESTE RÁPIDO (o teste dura aproximadamente 60 s). Quando o teste terminar ( tecla apaga), informa: FIM DO TESTE RÁPIDO. a. Áreas com interferências naturais (Clutter) devido a alvos indesejados aparecem no PPI, atrapalhando a visualização do operador. Estas áreas devem, portanto, ser hachuradas no PPI. As hachuras permanecem mesmo após o EDT ser desligado e ligado novamente. b. O D1 comanda: AJUSTAR EDRB! c. O D2 toma as seguintes providências: (1) para hachurar áreas no PPI: (a) posiciona a chave rotativa EDRB para ESCREVE; (b) marca as áreas com interferências naturais, utilizando a MARCA MÓVEL DE DISTÂNCIA (por meio da ESFERA DE DESIGNAÇÃO) e simultane-amente mantém a chave de alavanca APAGA/GRAVA na posição LIG. Uma área sombreada irá aparecer neste local; e (c) posiciona a chave rotativa EDRB em NORMAL; (2) para apagar parcialmente as áreas hachuradas: (a) posiciona a chave rotativa EDRB em APAGA; (b) marca as áreas hachuradas a serem limpas, utilizando a marca móvel de distância (por meio da ESFERA DE DESIGNAÇÃO) e, simul-taneamente, mantém a chave de alavanca APAGA GRAV na posição LIG. O mascaramento designado (pela MARCA MÓVEL DE DISTÂNCIA) desaparece no PPI; e (c) posiciona a chave rotativa EDRB em NORMAL; (3) para apagar totalmente as áreas hachuradas: (a) posiciona a chave rotativa EDRB em APAGA TUDO; (b) posiciona a chave APAGA GRAV em LIG (todas as hachuras desaparecem no PPI); e (c) posiciona a chave rotativa EDRB em normal; (4) O EDRB está sobrecarregado, não podendo fazer uma avaliação definida da ameaça: (a) posiciona a chave de alavanca EDRB em MANUAL, inicializando novos acompanhamentos manualmente por meio da ESFERA DE DESIGNAÇÃO e da tecla ACOMP MANUAL EDRB-INICIA/APAGA; e (b) posiciona a chave rotativa EDRB em NORMAL;
  20. 20. 1-15 C 44-61 OBSERVAÇÃO: A inicialização automática do EDRB é interrompida quando a chave rotativa está na posição MANUAL. (5) para operar sem o EDRB posiciona a chave rotativa EDRB em DESL; (6) para inicialização manual de uma rota de um vôo: (a) traz a marca móvel de distância sobre o alvo a ser inicializado; (b) pressiona a tecla ACOMP MANUAL EDRB-INICIA/APAGA (o alvo será numerado no PPI); e (c) posiciona a chave rotativa EDRB em NORMAL; (7) para apagar manualmente a rota de um vôo: (a) traz a marca móvel de distância sobre o alvo com a rota de vôo a ser apagada; (b) pressiona a tecla ACOMP MANUAL EDRB-INICIA/APAGA (o número do alvo irá sumir); e (c) posiciona a chave rotativa EDRB em NORMAL. (8) Para soar um alarme acústico quando aparece o primeiro alvo no PPI, aciona a tecla ALARME EDRB AUTO. ROTINA 9: VERIFICAÇÃO DO SISTEMA IFF a. O D1 comanda: VERIFICAR FUNCIONAMENTO DO IFF. b. O D2 toma as seguintes providências: (1) coloca a chave rotativa TESTE (na UNIDADE DE CONTROLE DO IFF) em LED, todos os leds devem acender; (2) coloca a chave rotativa TESTE em MEM e verifica se uma espiral aparece no PPI a cada 3s; (3) coloca a chave rotativa TESTE em 0/7; (4) no tambor numérico CÓDIGO1, introduz o valor 0000; (5) no tambor numérico CÓDIGO2 , introduz 7777; (6) coloca a chave rotativa CÓDIGO em 1+2; (7) mantém a chave rotativa CHAMADA na posição MEM, verificando se aparece no PPI um círculo a 8 Km e outro a 12 Km; e (8) coloca a chave rotativa TESTE em OFF, a chave rotativa CHAMADA em AUTO e as chaves rotativas CÓDIGO, MODO e os tambores numéricos CODE1 e CODE2 na posição ordenada pelo CS. ROTINA 10: PREPARAÇÃO DO TELÊMETRO LASER a. O D1 executa as seguintes operações: (1) no painel de conectores do AOA, liga o cabo proveniente do módulo de chave de segurança do laser, no conector SEGURANÇA LASER. Liga a chave de segurança neste módulo; (2) pressiona a tecla SILÊNCIO LASER, a fim de assegurar que o laser não seja acidentalmente disparado; (3) no painel de controle superior, liga a chave de alavanca LASER; e (4) para utilizar o telêmetro laser, basta liberar a tecla SILÊNCIO LASER e dispará-la por meio da tecla LASER no painel de acompanhamento/designação.
  21. 21. C 44-61 1-16 b. Para disparar o telêmetro laser, as seguintes condições devem ser satisfeitas: (1) o EDT deve estar acompanhando um alvo (em qualquer modo de acompanhamento); (2) o setor de segurança do laser deve estar delimitado (item 12-22); (3) o cabo do módulo de segurança do laser deve estar conectado e a chave de segurança deste módulo deve estar ligada; (4) a tecla SILÊNCIO LASER deve estar liberada; e (5) a tecla LASER deve ser pressionada. NOTA: As luzes brancas localizadas na base da antena do radar de busca devem ser ligadas somente em condições de teste ou exercícios. Para operações táticas, estas luzes devem permanecer desligadas. ROTINA 11: INTRODUÇÃO DE PONTOS DE REFERÊNCIA NO COMPUTADOR a. Os dados dos pontos de referência (armazenados no computador) permitem uma rápida verificação da orientação das UT, pois a qualquer momento, estes pontos de referência podem ser automaticamente observados. Os pontos de referência adequados devem ser selecionados e suas distâncias determinadas por meio de uma carta topográfica (distância recomendada: de 2 a 6 Km). b. A posição dos canhões também podem ser armazenadas. Neste caso, utiliza-se uma distância maior que 300 m. c. Deve-se utilizar a seguinte numeração: (1) 1, 2 e 3 - canhões; (2) 4 - GB (3) 5, 6, 7, 9, 10, e 13 - pontos de referência. (4) 8 - alvo fictício (5) 11 e 12 - limites do campo de tiro (6) 14 e 15 - limites do setor de emissão LASER.
  22. 22. 1-17 C 44-61 d. Os procedimentos adotados são os seguintes: D1 D2 Comanda : DETERMINAÇÃO DOS PONTOS DE REFERÊNCIA. Pressiona a tecla RADAR SILÊNCIO. Efetua a visualização grosseira do ponto como se segue: - posiciona a chave rotativa RA em MANCHE; - posiciona a chave rotativa TV em ORIENT; - pressiona a tecla ZOOM MANUAL; - posiciona a chave rotativa SELETOR ZOOM em 1; e - visualiza grosseiramente o ponto utilizando o manche. Efetua a visualização precisa do ponto como se segue: posi ciona a chave rotativa RA em NORMAL; posiciona a chave rotativa SELETOR ZOOM em 8; focal i za a imagem por mei o da alavanca FOCO- PRÓXIMO/DISTANTE; vi s ua l i za p re c i s ame nte o p o nto , colocando-o no centro do retículo. Informa: PONTO DE REFERÊNCIA VISADO. Pressiona a tecla ACESSO MATRIZ e seleciona a célula NR DO PONTO DE REFERÊNCIA. Introduz, por meio do teclado, o número do ponto de referência. P r e s s i o na o b o tã o E /S ( a c é lula 0=INDICA 1=TROCA acende). Introduz, por meio do teclado, a opção 1. P r e s s i o na a t e c l a E /S ( a c é l ul a DISTÂNCIA HORIZONTAL PARA O PONTO acende). Introduz, pormeio do teclado, a distância para o ponto de referência.
  23. 23. C 44-61 D1 D2 ROTINA 12: VERIFICAÇÕES PRELIMINARES 1-18 D1 D3 CP 01 / CP 02 Comanda: SEC AT! VERIFICAÇÃO DAS COMUNICAÇÕES. Informa: AOA RECEBENDO. Informa: 01/02 RECEBENDO. Comanda: SEC AT! VERIFICAÇÃO DA TRANSMISSÃO DE DADOS. Coteja e comanda: 01/02 LIGAR MOTOR. Quando pronto informa: 01/02 PRONTA. Coteja e pressiona a tecla ALARME CAN MANUAL 1 (uma) vez. Informa: ALARME CAN (NÃO) TOCOU. Coteja e pressiona a tecla ALARME CAN MANUAL 2 (duas) vezes. Informa: VERIFICAÇÕES TERMINADAS. Coteja. Coteja. Comanda: DESLIGAR MOTOR. Coteja e executa. Informa ao CS: VERIFICAÇÕES PRELIMINARES TERMINADAS. Pressiona a tecla E/S (a célula SÍTIO PARA O PONTO acende). Pressiona a tecla E/S (a célula DERIVA PARA O PONTO acende). Pressiona a tecla E/S.
  24. 24. Informa: PONTO DE REFERÊNCIA VISADO. 1-19 C 44-61 ROTINA 13: ORIENTAÇÃO DO AOA a. A orientação do AOA é feita utilizando-se um ponto de referência ou então, se nenhum ponto for visível, será executada por meio de visada recíproca. b. No caso de orientação por visada recíproca, tão logo um ponto seja visível, deve-se refazer a orientação do AOA. c. Orientação com ponto de referência: D1 D3 Comanda: AOA ATENÇÃO! ORIENTA-ÇÃO PELO PONTO DE REFERÊNCIA DESIGNADO. Posi ci ona a chave rotati va RA em ORIENT AOA PR. Verifica o nivelamento do AOA. Seleciona a posi ção adequada do ZOOM. Visa ao ponto de referência. Atua no potenciômetro ORIENT AOA até que o ponto coincida com o eixo vertical do retículo do moni tor de TV (o eixo horizontal não pode ser ajustado). Posiciona a chave RA em NORMAL e informa: ORIENTAÇÃO DO AOA COM PONTO DE REFERÊNCIA TERMINADA. d. Orientação com visada recíproca D1 D3 Comanda: ORIENTAÇÃO DO AOA COM VISADA RECÍPROCA . Posi ci ona a chave rotati va RA em ORIENT AOA VR. Verifica o nivelamento do AOA. Seleciona o ZOOM adequado. Visa à cruz branca da câmera de TV. Informa: EDT VISADO.
  25. 25. C 44-61 D1 D3 Atua no potenciômetro ORIENT AOA até que o colimador do AOA esteja no centro do retículo do monitor de TV (ajustar o ângulo de elevação utilizando o manche). Posiciona a chave RA em NORMAL e informa: ORIENTAÇÃO DO AOA COM VISADA RECÍPROCA TERMINADA. ROTINA 14: ORIENTAÇÃO DO EDT 1-20 D1 D2 D4 Comanda: ORIENTAÇÃO DO EDT. Estaciona o GB a apro-ximadamente 200 metros do EDT. Gira o RA na direção do GB. Orienta o GB com a linha 3200-0 para o norte ou ponto de referência. V i s a p r e c i s ame nt e a objetiva do GB. Visa precisamente à cruz de orientação da câmera de TV e sinaliza ao EDT. I n f o r m a a o D 2 : G B VISADO. Faz a leitura e informa ao D2: CONTRA AZIMUTE GB-EDT....MILÉSIMOS. P r e s s i o n a a t e c l a ACESSO MATRIZ. Seleciona a seqüência ORIENTAÇÃO NORTE. No campo C AZ DO GB PARA O EDT introduz, via teclado, o valor informado pelo D4. Pressiona a tecla E/S.
  26. 26. 1-21 C 44-61 D1 D2 D4 ROTINA 15: ORIENTAÇÃO DOS CANHÕES a. Orientação pelo processo direto - O CS comanda: SEC AT! ORIENTA-ÇÃO PELO PROCESSO DIRETO. D1 D2 CP 01 / CP 02 C1 Coteja. Coteja. Pressiona a tecla SILÊNCIO RADAR. Veri fica o nivela- mento do canhão. Gira o RA na dire-ção do canhão até vi s ua l i zá - l o no monitor de TV. Gira o canhão ma- nualmente na dire- ção do EDT. Visa precisamente à cruz de orienta-ção da câmera de T V e i n f o r m a : 01/02 VISANDO O EDT. Visa precisamente à cruz de orienta-ção do refletor do canhão. Inf o rma a o D 2 : CANHÃO 01/02 VISADO. Gira o limbo de azimute do PPIaté que o valormostra- do no INDICADOR NUMÉ-RICO es teja ac ima do triângulo de referência. Pressiona a tecla E/S. Informa: ORIENTAÇÃO DO EDT TERMINADA. Sinaliza o término da ope- ração ao D4. Informa ao CMT UT: ORI- ENTAÇÃO DO EDT TER- MINADA.
  27. 27. C 44-61 1-22 D1 D2 CP 01 / CP 02 C1 Pressiona a tecla ACESSO MATRIZ. S e le c i o na a s e - qüência MEDIDA DA DISTÂNCIA e a realiza para o ca- nhão 01/02. Pressiona a tecla E/S (o MOSTRA-DOR DE DADOS indicará a distância do canhão.) Pressiona a tecla ACESSO MATRIZ. S e le c i o na a s e - qüência ORIENTA- Ç Ã O D O S C A - NHÕES e a execu- ta. No campo DERIVA DO CANHÃO / GB comanda: 01 / 02 LIGAR MOTOR. b. Orientação pelo processo indireto - O CS comanda: SEC AT! ORIENTA-ÇÃO PELO PROCESSO INDIRETO. D1 D2 D4 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 Coteja. Coteja. Coteja. Pressiona a tecla RADAR SILÊNCIO. Estaciona o GB no local indicado an-teriormente p e l o C S , c o l o c a nd o sobre ele o refletor volta-d o p a r a o EDT. Veri fica o nive- lamento do ca- nhão.
  28. 28. 1-23 C 44-61 D1 D2 D4 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 C o ma n d a : CANHÃO 01 / 0 2 R E A L I - Z A R U M A T R E N A D A PARA O GB. Coteja e deter- mina ao C3 e C4 que reali zem a trenada. Gira o RA na d i r e ç ã o d o G B e v i s a precisamente à c r u z d e orientação do refletor. G i r a m a n u a l - mente o canhão na d i r e ç ã o d o GB. Inf o rma a o D2: REFLE-TOR DO GB VISADO. V i s a p r e c i s a - mente o cent ro ó t i c o d o G B e s i na l i za , i nfo r - mando ao D4. A p e r t a a tecla ACES- SO MATRIZ. Seleciona a s e q üê nc i a MEDIDA DA DISTÂNCIA e a re a l i za para o GB. Info rma a o D1: DISTÂN- C IA ME D I- DA .......m. Sinali za ao D4 o término da seqüên- cia.
  29. 29. C 44-61 1-24 D1 D2 D4 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 Retira o refle- tor. Visa precisa- mente à ob- jetiva do GB. Visa precisa-mente a cruz de orientação da câmera de TV, orientan-do o GB com o 0 no EDT. Info rma a o D 2 : GB V I- SADO. Aperta a tecla ACESSO MA- TRIZ. S e l e c i o n a a seqüência ORI-ENTAÇÃODOS C A NHÕE S e executa o pro-c e s s o d i r e t o para o GB. Sinaliza ao D4 o t é rmi n o d a seqüên-cia. P e l o mo v i - mento parti - c u l a r , v i s a precisamente à objetiva da luneta do ca-nhão, e anota os valores de sítio e deriva.
  30. 30. 1-25 C 44-61 D1 D2 D4 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 - Info rma a o D2 a distância GB / canhão, o s ít i o p a r a o c a n h ã o e a deriva para o canhão. R e c e b e o s dados do D4. - Pressiona a tecla ACESSO MATRIZ - Seleciona a s e q ü ê n c i a ORIENTAÇÃO D O S C A - NHÕES e es- c o lhe o p r o - cesso indireto para o canhão 01/02. - Introduz, nos c a m p o s respectivos, os d a d o s i nfo r - ma d o s p e l o D4. - N o c a m p o D E RIVA D O C A N / G B PARA O EDT, c o m a n d a : 01/02 LIGAR MOTOR. - Coteja. - Liga o motor. - Coteja.
  31. 31. C 44-61 1-26 D1 D2 D4 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 - Pressiona a tecla ALAR- ME CAN MA- NUAL 1 vez., C omut a p a r a remoto e auxi - l i a d o p e lo D3 zera o síncrono. Dá o pronto para o CP. Informa: SÍN- CRONO ZE- RADO. Pressi ona a tecla E/S. Pressiona a tecla ALAR- ME CAN MA- NUAL (duas) vezes. Comuta para lo- cal. I n f o r m a : 0 1 / 0 2 ORI - E N TA Ç Ã O TERMINADA. Sinaliza ao D4 o término da orientação Coteja. Cobre o GB e r e t o r n a a o EDT. C o ma n d a : 01/02 DES- L IGA R MO-TOR Coteja In f o rma a o CS: ORIEN-TA Ç Ã O D A SEÇÃO TER- MINADA. Desliga o motor.
  32. 32. 1-27 C 44-61 ROTINA 16: VERIFICAÇÃO DA TRANSMISSÃO ESTÁTICA D1 D2 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 Após a orientação, comanda: SEÇÃO AT! VERIFICAÇÃO DA TRANSMIS - SÃO ESTÁTICA. Pressiona a tecla RADAR SILÊNCIO Pressiona a tecla ACESSO MATRIZ. Coteja. Seleciona o ponto de referência por meio da seqüên- cia NR DO PONTO DE REFERÊNCIA. Info rma a o CP : PONTO DE REFE- RÊNCIA O INDICA-DO Coteja e identifica o ponto para o C1. In f o rma : 0 1 / 0 2 PRONTA. Coteja e coloca a c h a v e r o t a t i v a TESTE em VTE. Pressiona a tecla ALARME CAN MA- NUAL 1 (uma) vez. C o m u t a p a r a remoto e verifica o desvio do retículo d a l u n e t a e m relação ao ponto de referência, infor- mando ao CP. Solicita ao CP: IN- FORMAR O DES- VIO.
  33. 33. C 44-61 1-28 D1 D2 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 Informa: DR/ES....MILÉSI- MOS, AC/AB..... MILÉSIMOS Pressiona a tecla ALARME CAN MA- NUAL 2 (duas) ve- zes. Pressiona a tecla A L A RM E C A N MANUAL 2 (duas) ve-zes. Comuta para local. Co lo c a a c ha ve rotativa TESTE em NORMAL. I n f o r m a : VERIFICAÇÃO DA TRANSMISSÃO ESTÁTICATERMI- NADA. Coteja. ROTINA 17: VERIFICAÇÃO DA TRANSMISSÃO DINÂMICA D1 D2 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 Coma nd a : SEC ATENÇÃO! VERI- FICAÇÃO TRANS- MIS S ÃO D INÂ - MICA. Coteja e comanda: LIGAR MOTOR. Liga motor. Inf o rma : 0 1 / 0 2 PRONTA. Pressiona a tecla A L A R M E C A N MANUAL 1 (uma) vez.
  34. 34. 1-29 C 44-61 D1 D2 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 A p e r t a a t e c l a ACESSO MATRIZ. Seleciona o campo de veri ficação da transmissão dinâmi- ca. Pressiona a tecla E/S. Comanda: 01/02 VERIFICAR O AR- RASTO. Coteja. Zera o arrasto. I n f o r m a : A R - RASTO ZERADO Coteja. Seleciona o campo ACOMP ELEVA- ÇÃO 250'''/s . Alerta: 01/02 A- COMP EM ELE- VAÇÃO. Pressiona E/S. Informa: 01/02 A-COMPANHANDO EM ELEVAÇÃO. Seleciona o campo ACOMP SENTIDO HORÁRIO 500'''/s . A l e r t a : 0 1 / 0 2 ACOMP EM DIRE-Ç Ã O S E NTID O HORÁRIO. Pressiona E/S. In f o rma : 0 1 / 0 2 ACOMPANHANDO E M D I R E Ç Ã O S ENTIDO ANTI-HORÁRIO
  35. 35. C 44-61 1-30 D1 D2 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 Seleciona o campo ACOMP SENTIDO ANTI-HORÁRIO 500'''/s. A l e r t a : 0 1 / 0 2 ACOMP EM DIRE-Ç Ã O S E NTID O ANTI-HORÁRIO. Seleciona o campo SELEÇÃO e pres- siona E/S. Informa: VERIFI- CAÇÃO TERMI- NADA. Pressiona a tecla A L A R M E C A N MANUAL 2 (duas) vezes. C o m u t a p a r a remoto. Comanda: DESLIGAR MO- TOR. Coteja. Desliga o motor. Inf o rma a o C S : VTD TERMINADA.
  36. 36. 1-31 C 44-61 ROTINA 18: VERIFICAÇÃO DA TRANSMISSÃO COM ALVO MÓVEL D1 D2 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 C o m a n d a : U T ATENÇÃO VERI-F I C A Ç Ã O D A TRANSMISSÃO COM ALVO MÓ-VEL (veri ficando a nte s se a te c la ALARME CAN AU- TO está desacio- nada). Posiciona a chave rotativa TESTE em VTD. Apreende o alvo. Coteja e comanda: LIGAR MOTOR. A p e r t a a t e c l a A L A R M E C A N MANUAL 1 (uma) vez. Liga o motor. Comuta para re- moto. Verifica grosseira-mente, pelo visor de reflexão, se o c a n h ã o a c o m - p a nha c o r r e t a - mente o alvo. In f o rma : 0 1 / 0 2 ( N Ã O ) A C O M - PANHANDO O AL- VO. Pressiona a tecla ALARME CAN MA- NUA L 2 ( d u a s ) vezes. Posiciona a chave rotativa TESTE em NORMAL. Comuta para local.
  37. 37. C 44-61 ROTINA 19: VERIFICAÇÃO DO DISPARO ELÉTRICO 1-32 D1 D2 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 Informa: VERIFICA- ÇÃO DA TRANS-M I S S Ã O C O M A L V O M Ó V E L TERMINADA. Comanda: 01/02 DESLIGAR MO- TOR. Coteja. Desliga o motor. Inf o rma a o C S : VERIFICAÇÃO DA TRANSMISSÃO COM ALVO MÓ- VEL TERMINADA. D1 D2 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 C oma nd a : S EC AT! VERIFICAÇÃO D O D I S P A R O ELÉTRICO DOS CANHÕES Pressiona a tecla RADAR SILÊNCIO. Coteja e certifica-se de que o canhão não está carrega- do. Liga o motor. Posiciona a chave rotativa TESTE em ALVO SIMULADO. In f o rma : 0 1 / 0 2 PRONTA. Pressiona a tecla A L A R M E C A N MANUAL 1(uma) vez. C o m u t a p a r a remoto.
  38. 38. 1-33 C 44-61 D1 D2 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 Comanda: ATEN- ÇÃO! 3, 2, 1, FO-GO e pressiona o BOTÃO PRONTO P A R A O F O G O várias vezes. Informa: ÊMBOLO D E D I S P A R O ( N Ã O ) ACIONADO. Coteja. Pressiona a tecla A L A R M E C A N MANUAL 2 (duas) vezes. Comuta para local. Informa: VERIFI- CAÇÃO DO DIS-PARO ELÉTRICO TERMINADA. Posiciona a chave rotativa TESTE em NORMAL. Comanda 01/02 DESLIGAR MO- TOR. Coteja Inf o rma a o C S : VERIFICAÇÃODO D IS PARO E LÉ - TRICO TERMINA- DA. Desliga o motor. Obs: Os canhões d e v e m e s t a r apontados para uma área onde o tiro esteja liberado.
  39. 39. C 44-61 ROTINA 20: ABERTURA DE FOGO CONTRA ALVO FICTÍCIO 1-34 CS D1 D2 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 C o m a n d a : PREPARAR PARA O TIRO CONTRA AL- VO FICTÍCIO. V e r i f i c a o foco do mon- itor de TV. Pressiona a tecla ACES- SO MATRIZ. Coteja e coman- da: LIGAR MO- TOR. Posi ciona a chave rotativa T E S T E e m ALVO SIMU-L A D O e a chave rotativa P OTÊNC IA em 100%. Seleciona a s e q üê nc i a NR DO PON- TO D E RE - FERÊNCIA e introduz via teclado: - o número do ponto = 8. 1 = armazena d i s t â n c i a h o r i z o n t a l para o alvo = 1200 m - sítio = 400'''. Liga o motor. Coloca a cha- ve rotativa TV e m O B S PROJETIL. Seleciona a s e q üê nc i a D URA Ç ÃO DE RAJADA e introduz um v a l o r a d e - quado. Comanda: CAR- REGAR. V e r i f i c a / ajusta a taxa d e f a l s o a l a r m e d a JANELA DE AQUISIÇÃO. Informa: D2 PRONTO. Informa: 01/02 PRONTA. Pressiona a tecla PULSO ESTREITO.
  40. 40. 1-35 C 44-61 CS D1 D2 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 Posi ciona a chave rotativa S E L E T O R ZOOM em 6. Informa: D1 PRONTO. Pressi ona a tecla ALAR- ME CAN MA- NUAL 1 (uma) vez. C omuta p a r a remoto. C o l o c a a ALAVANCA DE R E G IM E D E TIROem AUTO. C o m a n d a : ATENÇÃO! 3, 2, 1, FOGO e pres s i ona o botão PRON-TO PA RA O FOGO. Observa, no monitor de TV, se os projetis são visíveis na janela TV. Observa, no mo n i t o r d e T V , s e o s ecos dos pro- jetis são visí-veis na janela de aquisição quando atingi- rem 1200 m. Pressi ona a tecla ALAR- ME CAN MA- N U A L 2 (duas) vezes. Coloca a ala- vanca de regi - me de tiro para SEGURANÇA e c omu t a p a r a local.
  41. 41. C 44-61 1-36 CS D1 D2 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 C o m a n d a : T I R O CONTRA AL-VO FICTÍCIO TERMINADO Re t o r na a s c h a v e s e teclas para a posição nor- mal de ope- ração. Coteja. C o m a n d a : 0 1 /0 2 DES- L IGA R MO- TOR. R e a l i z a a a ná l i s e d o s desvios. Coteja. Desliga o motor. ROTINA 21: LIMITAÇÃO DO SETOR DE TIRO CS D1 D2 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 Comanda: LI-MITAÇÃO DOS SETORES DE TIRO DOS CA- NHÕES. Coteja. P o s i c i o na a chave rotativa S E L D ADOS MOSTRADOR do monitor de TV em 6 (seis).
  42. 42. 1-37 C 44-61 CS D1 D2 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 Gi ra o RA até que o azimute d o l i m i t e esquerdo seja i n d i c a d o n o mostrador de dados, ou até s e r vi s a d o o ponto indi ca- dor do limite. Informa ao D2: L IM I T E E S - QUERDO VI- SADO. A rma ze na o limite esquerdo como um ponto de referência, e s c o l he nd o para este pon- to o número 11 e uma distân-cia de 12 Km P o s i c i o na a chave rotativa T E S T E e m VTE. Pressiona a te- c la ALARME CAN MANU- AL 1 (uma) vez. Informa: PEÇA N O L I M I T E ESQUERDO. Comuta para remoto. Determina que o C2 pressione o p i n o m a i s a b a i x o n o limitador.
  43. 43. C 44-61 1-38 CS D1 D2 CP 01 / CP 02 C1 01 / C1 02 Determina que o C5/C6 cravem a baliza à retaguar- da do canhão. Informa; 01/02 PRONTA. Coteja, colo- ca a chave ro- tativa TESTE em NORMAL e repete todo o p ro ce s so para o limite direito. Aperta a te- cla ALARME CAN MANU- AL 2 (d ua s ) vezes. Repete todo o procedimento para o limite direito, esco- lhendo o nú-mero 12 para o p o n t o d e referência. I n f o r m a : LIMITAÇÃO DOS SETO- RES DE TI- RO TERMI- NADA. C o ma n d a : DESL IGAR MOTOR. Coteja. Desliga o motor. Informa ao CS L IMITAÇ ÃO DOS SETO-RE S D E TI - RO TERMINA- DA.
  44. 44. 1-39 C 44-61 ROTINA 22: LIMITAÇÃO DO SETOR DE EMISSÃO DO TELÊMETRO LASER D1 D2 Comanda: LIMITAÇÃO DO SETOR DE EMISSÃO DO TELÊMETRO LASER. Posiciona a chave rotativa SEL DADOS MOSTRADOR do monitor de TV em 6 (seis). Gira o RA até que o azimute do limite esquerdo seja identificado no mostrador de dados ou até ser visado o ponto indicador do limite. Informa ao D2: LIMITE ESQUERDO VISADO. Pressiona a tecla ACESSO MATRIZ. Seleciona a seqüência NR DO PONTO DE REFERÊNCIA e introduz o número 14 como limite esquerdo, comuma distância convencionada de 2000 m. Informa ao D1: LIMITE ESQUERDO INTRODUZIDO. Gira o RA até que o limite direito esteja vi sível no moni tor de TV e repete a seqüência convencionada para o ponto esquerdo. Repete a seqüência, introduzindo o número 15 como limite direito. Informa ao CS: LIMITAÇÃO DO SETOR DE EMISSÃO DO TELÊMETRO LASER TERMINADA.
  45. 45. C 44-61 ROTINA 23: PROCEDIMENTO DA GUARNIÇÃO NA SONDAGEM 1-40 METEOROLÓGICA D1 D2 D3 D4 Comanda: EDTAT! SONDAGEM ME- TEOROLÓGICA. Posiciona a chave de alavanca COMP V E N T O L I G / ACOMP BALÃO e m A C O M P BALÃO. Pressiona a tecla DSG AOA MAN- CHE. Procura enquadrar o balão no colima- dor do AOA. Di rige-se com o balão, refletor e cronômetro para uma posição de no mínimo 3 0 m d o EDT e a favor do ve nto (d e mo d o q u e o b a l ã o s e afaste do EDT). Posiciona a chave rotativa POTÊNCIA em 100%. Pressiona a tecla RADAR SILÊNCIO. Q u a n d o o D 4 estiver corretamen-t e p o s i c i o na d o i n f o r m a : D 3 PRONTO. Pressiona a tecla ZOOM MANUAL. I n f o r m a : D 2 PRONTO. Posiciona a chave rotativa SELETOR ZOOM em 1. Posiciona a chave rotativa SEL DA- D OS MOS TRA - DOR em 6. Comanda: LAR- GAR.
  46. 46. 1-41 C 44-61 D1 D2 D3 D4 R e t r a n s mi t e o c oma nd o a o D4 por voz ou sinal. L a r g a o b a l ã o , acionando simulta- neamente o cronô-me t ro e re to rna para o EDT. L i b e r a a t e c l a RADAR SILÊNCIO. Visa e acompanha o balão com o AOA p re s s i o na nd o o b o t ã o A OA NO ALVO, até ouvir o tom doppler. Pressiona a tecla ACOMP MANCHE e a c omp a nha o refletor pelo man- che até uma distân-c i a d e c e r c a d e 300 m. L i b e r a o b o t ã o AOA NO ALVO e continua acompa- nhando o balão. Entra pela porta direita e posiciona-se no interior do EDT. Pressiona a tecla ACOMP RADAR. A c omp a nha no m o s t r a d o r d e dados a altura do a l v o ( H ) e a d i s t â n c i a d o r e f l e t o r ( D A ) . Quando faltar +/- 10m para atingir a a l t u r a d e c a d a camada (400, 800, e t c . ) c oma nd a : ATENÇÃO! A c o mp a n h a n o m o s t r a d o r d e dados os valores d e s í t i o ( S I ) e azimute do refletor (DR). Ao ser atingida a altura da camada p e l o r e f l e t o r , comanda: LEIA! e anota o valor da DA para cada cama- da. A o c oma nd o d e l e i a , a n o t a o s valores de SI e DR para cada camada. A o c oma nd o d e leia, anota o tempo para cada camada.
  47. 47. C 44-61 1-42 D1 D2 D3 D4 Comanda, após ser atingida a última c ama d a ( d e t e r - minada pelo CS): S O N D A G E M METEOROLÓGICA TERMINADA. Pressiona a tecla RADAR SILÊNCIO, c o l o c a a c h a v e C O M P V E N T O L I G / A C O M P BALÃO na posição ne ut r a , a c ha ve P O T ÊN C I A e m AUTO e l i b e ra a tec la ZOOM MA- NUAL. Cessa o acompa- nhamento do ba- lão. In f o rma a o C S : SONDAGEM ME-TEOROLÓGIC A TERMINADA. Tr a n s c r e v e o s dados obtidos na f i c h a d e d a d o s balísticos. Entrega os dados obtidos ao D1. Entrega os dados obtidos ao D1.
  48. 48. ROTINA 25: APREENSÃO E ENGAJAMENTO DO ALVO REBOCADO NO TIRO 1-43 C 44-61 ROTINA 24: ACOMPANHAMENTO DE ALVOS MODO DE ACOMPANHAMENTO D1 INDICAÇÃO DO MODO DE OPERAÇÃO 1. O acompanhamento radar é o primeiro modo de acompanhamento após uma designação (exceto na d e s i g na ç ã o AOA - ma nc he ) . O a c omp a - nhamento do alvo indepen- de das condições meteo- rológicas. Para mudar de um outro mo d o d e a comp a nha - mento para o acompanha-mento radar, pressiona a tecla ACOMP RADAR, seleciona a polarização adequada e seleciona o filtro adequado. Tecla ACOMP RADAR acende. 2. O acompanhamento TV é tão preci so quanto o acompanhamento radar K. Nes te modo, ocor re a mudança automática para o modo ACOMP RADAR quando o contraste alvo / cenário for insuficiente. Pressiona a tecla ACOMP TV quando o alvo estiver dentro da janela de TV e os retículos esti verem e s c uro s ( i nd i c a nd o a existência do contraste alvo / cenário). Tecla ACOMP TV acende. 3. O acompanhamento manche é o modo manual de acompanhamento, usado quando o alvo está visível e os outros modos de acompanhamento não são possíveis. S e l e c i o n a o f i l t r o adequado, pressiona a tecla ACOMP MANCHE e acompanha o alvo com o manche, enquadrando-o na ja ne la d e a c omp a - nhamento TV. Tecla ACOMP MANCHE acende. CS D1 D3 D2 Pressiona a tecla A LARME AUTO CAN DESL (Painel d e t i ro e Ind i ca - dores). Pressiona a tecla A O A M A N C H E (Pai nel de ti ro e Indicadores). Realiza a designa-ç ã o v i s a n d o a biruta pelo colima- dor e pressionan- do o botão de alar-m e ( P u n h o d o AOA). DE INSTRUÇÃO
  49. 49. C 44-61 1-44 CS D1 D3 D2 Observa a presen-ç a d a b i r ut a no moni tor TV, pres- siona a tecla MAN-C HE (P a i ne l d e D e s i g n a ç ã o e Acompanhamento) e, agindo no man-che sem pressionar o anel, enquadra o alvo na janela de acompanhamento T V a t é o u v i r a resposta do tom Doppler. Ao ouvir a resposta d o tom Do p p le r pelo alto-falante, p á r a d e p r e s - sionar o botão de alarme do AOA e continua acompa-nhando a biruta por meio do colima- dor. Informa a velocida- de do alvo reboca- do ao D2. Insere, no campo V A L O R IN V E L ALVOm/s, a veloci- dade do alvo rebo- cado que foi infor- mada pelo D1. Havendo contraste, p r e s s i o n a d e imedi ato a tecla ACOMP TV. Caso contrário, passa p a r a A C O M P RADAR até que o ACOMP TV seja possível. Somente poderá ser utilizado ACOMP MANCHE quando estritamen- te necessário. Pressiona a tecla REINIC(Painel de D e s i g n a ç ã o e Acompanhamento) sempre que não houver sucesso na apreensão ou em caso de demora no engajamento.
  50. 50. 1-45 C 44-61 ROTINA 26: ACOMPANHAMENTO CEGO CS D1 D3 D2 1. O D1 consegue anunciar, em tem-po, que o alvo irá desaparecer. Pressiona a tecla ACOMP CEGO até que o alvo reapa- reça. Tecla ACOMP RA-DAR, ou ACOMP T V , o u A C OMP MANCHE acesa. Indicador ACOMP CEGO PISCA. Quando o alvo rea-parece, li bera a t e c l a A C O M P CEGO. Indicador ACOMP CEGO apaga. 2. O D1 não age em tempo, ocor- rendo uma comu-tação automática para o acompa- nhamento cego. Q u a n d o o a l v o r e a p a r e c e r e o indicador ACOMP CEGO continuar piscando, inicia o programa de bus-ca em distância P r e s s i o n a mo - mentaneamente a tecla ACOMP CE- GO. Tecla ACOMP RA-DAR, ou ACOMP TV acesa (neste c a s o a t e c l a ACOMP TV p e r - manece acesa por 0.8 s e apaga, a-cendendo então a tecla ACOMP RA- DAR). Indicador ACOMP CEGO pisca. CONDIÇÕES D1 CONDIÇÃO DO EQUIPAMENTO INDICAÇÃO O computador cal- cula q ue a ve lo - cidade radial do a l vo e s tá mui to baixa. Tecla ACOMP RA-DAR, ou ACOMP TV, o u A C OMP MANCHE acesa. Indicador VEL RA- DIAL BAIXA pisca. ROTINA 27: VELOCIDADE RADIAL BAIXA
  51. 51. C 44-61 CONDIÇÕES D1 1-46 CONDIÇÃO DO EQUIPAMENTO INDICAÇÃO 2. Se o alvo não estiver voando à b a i x a a l t u r a , o computador des- liga o modo DOP-PLER do radar de acompanhamento, e n q u a n t o e s t e acompanhamento no modo doppler for impossível. Apenas observa o alvo no monitor de TV. Indicador VEL RA- DIAL BAIXA per- manece aceso. 3. Se o alvo estiver voando à baixa al-tura: (o computador também desliga o modo doppler). Pressiona a tecla janela vídeo bruto, observa os ecos fixos na JANELA DE AQUISIÇÃO e toma as seguintes providências:a. Se não há ecos fixos e o a c o m p a n h a - mento se processa n o r m a lm e n t e , apenas observa o alvo pelo monitor de TV. b. Se exis-tem mui tos ecos f i x o s , e e s t e s a t r a p a l h a m o acompanhamento, pressiona a tecla NÃO DOPPLER AUTO DESL. Te c l a J A N E L A V ÍD E O B RUTO acende.Tecla NÃO DOPPLER AUTO DESL acende.
  52. 52. 1-47 C 44-61 CONDIÇÕES D1 ROTINA 28: REAÇÃO A MÍSSIL AR-SOLO CONDIÇÕES D1 CONDIÇÃO DO EDT INDICAÇÃO D2 Alvo acompa-nhado lança míssil ar-solo. Tecla A COMP R A D A R , o u ACOMP TV, ou ACOMP MAN- CHE acesa. I n d i c a d o r ALARME MAS pisca e soa um alarme acús-tico. No PPI, o eco do segun- do alvo (míssil) mo ve - s e d o primei ro alvo para o centro. Imediatamen-te, pressiona a tecla MUDAN-ÇA DE ALVO P R Ó X I M O duas vezes. CONDIÇÃO DO EQUIPAMENTO INDICAÇÃO 4. Se, após toma- das as providên-cias acima, não for possível o acompa- nhamento, o D1de-ve r á i ni c i a r um acompanhamento cego. Se o D1 não d e s e nc a d e a r o acompanhamento c e g o , e o r a d a r p e rd e r o a lvo , o computador aciona automaticamente o acompanhamento cego. Pressiona a tecla A C OMP C E GO momentaneamen- te. Indicador ACOMP CEGO pisca.
  53. 53. C 44-61 CONDIÇÕES D1 ROTINA 29: MUDANÇA DE ALVO DENTRO DA FORMAÇÃO PELA JANELA DE 1-48 AQUISIÇÃO CONDIÇÃO DO EDT INDICAÇÃO D2 I n f o r m a : ACOMP MAS (quando con-seguir efetuar o acompanha- mento). Tecla ACOMP RADAR acen- de. P r e p a r a - s e para uma mu- dança de alvo, para a aero-nave (por meio d e um mo d o d e d e s i g na - ção). CONDIÇÕES D1 CONDIÇÃO DO EDT INDICAÇÃO CS O eco do se-g u n d o a l v o aparece na ja- nela de aqui- sição no moni- tor de TV. I n f o r m a : 2 ( d o i s ) A L - VOS. Tecla ACOMP R A D A R , o u ACOMP TV, ou ACOMP MAN- CHE acesa. Comanda: E- FETUAR MU-D A N Ç A D E A LVO P E L A JA NE L A D E AQUIS IÇÃO (em princípio, quando a aber-tura d e fo g o sobre o primei-ro alvo estiver finalizada). 1. O segundo alvo está aci-ma da oitava célula de aqui- sição. Pressiona a tecla MUDAN-ÇA DE ALVO DISTANTE. Tecla ACOMP RADAR acen- de. Indicador DIRE-ÇÃO AMBÍGUA acende.
  54. 54. 1-49 C 44-61 CONDIÇÕES D1 CONDIÇÃO DO EDT INDICAÇÃO CS 2. O segundo alvo está abai-xo da oi tava célula de aqui- sição. Pressiona a tecla MUDAN-ÇA DE ALVO PRÓXIMO. Tecla ACOMP RADAR acen- de. Indicador DIRE-ÇÃO AMBÍGUA acende. Informa: SE- GUNDO AL-VO ....s (por exemplo, se 4 (quatro) se-gundos, este tempo é refe- rente a dura-ção de trajeto p a r a o a l vo considerado). ROTINA 30: MUDANÇA DE ALVO DENTRO DA FORMAÇÃO PELO MONITOR DE TV CONDIÇÕES D1 CONDIÇÃO DO EDT INDICAÇÃO CS 1. Modo de a c omp a nha mento radar e o segundo alvo a p a r e c e n o monitor de TV. I n f o r m a : 2 (dois) ALVOS. Tecla ACOMP RADAR ace- sa.
  55. 55. C 44-61 CONDIÇÕES D1 1-50 CONDIÇÃO DO EDT INDICAÇÃO CS P r e s s i o n a para baixo o anel do man- che e, utilizan- do o mesmo, leva a janela d e a c omp a - nhamento pa- ra cima do se- gundo alvo e li-bera o anel do manche (a ja- nela de acom-panhamento p e rma ne c e sobre o alvo). Tecla ACOMP TV pisca. Pressi ona a tecla ACOMP TV (a mudan-ça de alvo ser efetuada). Tecla ACOMP TV acende. Informa: SE- GUNDO AL - VO ....s (por exemplo, se 4 (q ua t ro ) se - gundos, este tempo é refe- rente a dura-ção de trajeto p a r a o a l v o considerado). 2.Modo acom-panhamento TV oumanche, e o se g und o alvo aparece no monitor de TV. I n f o r m a : 2 (dois) ALVOS. Tecla ACOMP TV,ou ACOMP MANCHE ace- sa.
  56. 56. 1-51 C 44-61 CONDIÇÕES D1 CONDIÇÃO DO EDT INDICAÇÃO CS Comanda: MU-D A N Ç A D E ALVO PELA TV (em princípio, quando a aber-t u r a d e f o g o contra o segun-do alvo estiver concluída). Pressi ona a tecla ACOMP CEGO conti - nuamente. I n d i c a d o r ACOMP CEGO pisca. Leva a janela d e a c omp a - nhamento TV (por meio do manche) para c ima d o s e - gundo alvo. Libera a tecla ACOMP CE- GO. Informa: SE- GUNDO AL - VO ....s (por e x e m p l o 4 (quatro) seg, este tempo é r e f e r e n t e a d ur a ç ã o d e trajeto para o a l v o c o n s i - derado).
  57. 57. C 44-61 ROTINA 31: MUDANÇA DE ALVO PELO MODO DE DESIGNAÇÃO CONDIÇÕES D1 1-52 CONDIÇÃO DO EDT INDICAÇÃO D2 1. Eco do se-g u n d o a l v o a p a r e c e n o PPI. Tecla ACOMP R A D A R , o u ACOMP TV, ou ACOMP MAN- CHE acesa. I n f o r m a : 2 (dois) ALVOS. Para mudança de alvo, pres-siona a tecla D S G E D R B MAIS AMEA-Ç ADOR (em princípio, após a abertura de fogo sobre o primeiro alvo). Informa: MU-D A N Ç A D E A LVO P E LO RADAR. 2. O D3 acom-panha um alvo com o AOA e p r e s s i o na o botão AOA no a lvo a té q ue s o e o t o m doppler. Tecla ACOMP R A D A R , o u ACOMP TV, ou ACOMP MAN- CHE acesa. Tecla DSG AOA acende. Te c l a D S G AOA pisca e um vetor indi- cando a dire-ç ã o d o a lvo a p a r e c e no PPI. Para mudar de alvo, pressiona a t e c la D SG AOA. Informa: MU-D A N Ç A D E A LVO P E LO AOA.
  58. 58. Informa: INTER- FERÊNCIA. Ut i l i za nd o a esfera de de-signação, leva a MMD para o início do traço radial indicador da interferência no PPI. Para mudança de alvo, pres-s i ona a tec la D S G I N T F ATIVA. 1-53 C 44-61 CONDIÇÕES D1 CONDIÇÃO DO EDT INDICAÇÃO D2 3. Indicação de INTERFERÊN- CIA do segun- do alvo no PPI. Po s i c i o na a chave rotativa F RE QÜÊN-CIA em outro número (me- n o s n a p o - sição AUTO). Tecla ACOMP R A D A R , o u A C OMP TV, o u A C O M P MANCHE ace- sa. Po s i c i o na a chave rotativa F E E QÜÊN-CIA em outro número (me- nos na posi - ção AUTO). ROTINA 32: PROCEDIMENTOS PARA ABAIXAR O RA (D2) a. Verificações preliminares (1) Chave principal do EDT na posição DESL ou PRÉAQUEC. (2) Teto articulado aberto e travado. (3) Tampas dos painéis da mesa de operação fechadas. (4) Banco dos operadores na posição de marcha. (5) Seção articulada da mesa de operação na posição de marcha. (6) Alavanca de travamento em direção do RA, na posição DIR-TRAVADA. (7) Alavanca de travamento da antena do radar de busca na posição travada. (8) Alavanca de travamento em elevação da antena de acompanhamento na posição ELV-TRAVADA. (9) Chave rotativa do RA na posição ZERO. (10) Alavanca de segurança do movimento de articulação do RA na posição de marcha. b. Operações (1) Liga o motor da bomba hidráulica e aguarda até que o sistema hidráulico fique em condições de realizar o acionamento dos macacos (o barulho do motor da bomba hidráulica ficará diferente).
  59. 59. C 44-61 1-54 (2) Pressiona o botão abaixar o RA até que esteja apoiado sobre o painel de controle superior. (3) Desliga o motor da bomba hidráulica. ROTINA 33: PROCEDIMENTO PARA RECOLHER OS MACACOS DE NIVELAMENTO (D2) a. Coloca a alavanca de nivelamento GROSS/PREC, na posição GROSS. b. Liga o motor da bomba hidráulica. c. Atua nas alavancas da retração dos macacos, recolhendo-os completa-mente. d. Desliga o motor da bomba hidráulica. ROTINA 34: PROCEDIMENTOS PARA DESLIGAR O GRUPO GERADOR (D4) a. Coloca o acelerador na posição MIN. b. Desliga o GG na chave geral do motor. c. Desliga a chave de bateria. ROTINA 35: ATRACAR NA PALAMENTA - GERADOR EM SEU ALOJAMENTO D1 D2 D3 D4 C oma nd a : ED T ATENÇÃO! ATRA- CAR A PALAMEN- TA. Co lo c a a c ha ve r o t a t i v a R A n a posição ZERO. Co lo ca a cha ve principal do EDT em DESL. D o b r a a s e ç ã o articulada da mesa de operação. Coloca a lona de proteção da mesa de operação. Cobre o AOA com sua tampa. D e s c o n e c t a e recolhe o cabo do AOA. A b r e o t e t o , travando-o na posi- ção aberta. A ux i l i a o D 1 na abertura do teto.
  60. 60. 1-55 C 44-61 D1 D2 D3 D4 Abaixa o RA (Roti- na 32). Fecha o teto. Auxilia o D1 no fe- chamento do teto. Levanta a tampa do bloco hidráulico, abre o filtro de ar e procede ao recolhi- mento dos maca- cos de nivelamen- to (Rotina 33). Comanda: DES- LIGAR ENERGIA, DESLIGAR GG. Fecha as tampas do lado esquerdo e cobre o painel de c o n e c t o r e s d o AOA. Fecha as tampas do lado di rei to e cobre o painel de c o ne c to re s d o s canhões. Retira os tanques suplementares e guarda-os em seu alojamento. Desliga o GG (Ro-tina 34) e retira o d i s p o s i t i v o d e reabastecimento automático, colo- cando-o no seu alo- jamento. Fecha a proteção de lona do GG e da entrada de ar. Fecha o braço de n i v e l a m e n t o esquerdo, travado-o na posi ção de marcha. Fecha o braço de nivelamento direito, travando-o na po- sição de marcha. Recolhe o intercom do D4. Prende o cabo de segurança dos bra- ços de nivelamen- to.
  61. 61. C 44-61 ROTINA 36: ATRACAR NA PALAMENTA - GERADOR FORA DE SEU ALOJA-MENTO 1-56 D1 D2 D3 D4 C oma nd a : E D T ATENÇÃO! ATRA- CAR A PALAMEN- TA. Coloca a chave ro- tativa RA na posi- ção ZERO. C o lo c a a c ha ve principal do EDT em DESL. Cobre o AOA com sua tampa, auxilia- do pelo D4. Desconecta e re-colhe o cabo do AOA. Dobra a seção arti-culada da mesa de operação. Abre o teto, travan-do- o na posi ção aberta. A uxi l i a o D 1 na abertura do teto. Abaixa o RA. Fecha o teto, tra-vando- o na posição de marcha. Levanta a tampa do bloco hidráulico, abre o filtro de ar e recolhe os maca- cos de nivelamen- to. Comanda: DES- LIGAR ENERGIA, DESLIGAR O GG. Fecha as tampas do lado esquerdo e cobre o painel de c o n e c t o r e s d o AOA. Fecha as tampas do lado di rei to e cobre o painel de c o ne c to re s d o s canhões. Desconecta o cabo de energia e en- rola-o em sua bo-bina, auxiliado pelo D4. Desliga a energia do EDT. Retira os tanques suplementares e coloca-os em seu alojamento. Reti ra a coi fa de insuflação e o dis- posi ti vo de rea- bastecimento auto-mático, colocando este em seu alo- jamento.
  62. 62. 1-57 C 44-61 D1 D2 D3 D4 Retira o comando elétrico do guin- cho de seu aloja-mento e conecta-o no guincho. Po s i c i o na o GG j u n t o à r a mp a , auxiliado pelo D4. Distende o cabo de aço, agindo no comando elétrico. Prende a ponta do c a b o d e a ç o no c ha s s i d o E D T, passando o cabo sob o GG. Aciona o comando elétrico do guincho p a r a e n r o l a r o cabo, até que o GG ati nja o mei o do curso da rampa de serviço. Auxilia o D1, posi-cionando os roletes do GG na rampa. Retira a ponta do cabo de seu encai- xe no GG para fixá- la no EDT. Retira a roda direi-ta para fixá-la no s e u s u p o r t e n o EDT. Reti ra a roda es-querda para fixá-la no seu suporte no EDT. Reinicia o enrola-mento do cabo de aço até que o GG entre em seu aloja- mento. Introduz comple-tamente o GG em seu alojamento e aciona a alavanca de segurança do lado direito. Auxilia o D3 a intro- d uzi r c omp le ta - me nt e o GG em seu alojamento e aciona a alavanca de segurança do lado esquerdo. Solta a ponta do c a b o d e a ç o d o chassi. Entrega a coifa de insuflação ao D2. Acaba de enrolar o cabo depois dele estar solto. Recebe a coifa de insuflação do D4 para colocá-la em seu suporte. Retira o comando elétrico do guincho e guarda-o em seu alojamento. Fecha a proteção de lona do GG. Retira a rampa de serviço para des- montá-la e guardá- la na viatura, auxi- liado pelo D4.
  63. 63. C 44-61 1-58 D1 D2 D3 D4 Recolhe o intercom do D4. Fecha o braço de ni velamento es-querdo, travando-o n a p o s i ç ã o d e marcha. Fecha o braço de nivelamento direito, t r a v a n d o - o n a posição de marcha. Prende o cabo de s e g u r a n ç a d o s braços de nivela- mento. ARTIGO II SEQÜÊNCIA DAS ROTINAS OPERACIONAIS 1-1. “CHECK LIST” As atividades listadas a seguir devem ser executadas na ordem em que são apresentadas, observando-se as rotinas operacionais respectivas: (1) ligar o GG (Rotina 3); (2) abrir as janelas laterais e a traseira (Rotina 3); (3) nivelar o EDT (Rotina 5); (4) elevar o RA (Rotina 6); (5) ligar o sistema de ventilação e ar condicionado e colocar a chave principal do EDT em OPERAÇÃO (Rotina 7); (6) acender as luzes da cabina (Rotina 7); (7) colocar a chave rotativa do RA em NORMAL (Rotina 7); (8) verificar o painel de controle superior (Rotina 7); (9) verificar a iluminação da mesa de operação (Rotina 7); (10) ajustar o volume do alarme de Míssil Ar Solo (Rotina 7); (11) verificar o painel de supervisão (Rotina 7); (12) verificar o contraste no monitor TV (Rotina 7); (13) verificar se a objetiva da câmera de TV está limpa e ajustar o brilho, contraste e foco da imagem (Rotina 7); (14) verificar a presença da janela de acompanhamento e do retículo eletrônico (Rotina 7); (15) verificar se o equipamento está em Programa de Combate (Rotina 7); (16) verificar a existência da coluna indicadora da janela de aquisição (Rotina 7);
  64. 64. 1-59 C 44-61 (17) verificar se o cursor do radar de busca, anéis de 4 Km e símbolos estão presentes na tela PPI e ajustar nos respectivos potenciômetros, se for o caso (Rotina 7); (18) ajustar o Vídeo Bruto e o Vídeo Tratado (Rotina 7); (19) mover a MMD por meio da Esfera de Designação (Rotina 7); (20) observar o movimento do símbolo E após o acionamento da tecla DSG RADAR (Rotina 7); (21) bloquear ou liberar os canais de freqüência (Rotina 7); (22) realizar o ajuste FAR MAS/BUSCA/ACOMP (Rotina 7); (23) ajustar a SEN RECEP para os radares de busca e acompanhamento da banda I (Rotina 7). (24) ajustar a SEN RECEP do radar da banda K (Rotina 7). (25) ajustar o filtro do receptor da coluna das células de aquisição (Rotina 7); (26) executar as verificações preliminares da Sec (Rotina 12); (27) realizar o ajuste do EDRB (Rotina 8); (28) fazer os testes de interrogação de memória do IFF e registrar o modo e os códigos que serão usados (Rotina 9); (29) executar o teste rápido (Rotina 7); (30) orientar o EDT (Rotina 14); (31) introduzir os pontos de referência (Rotina 11); (32) orientar o AOA (Rotina 13); (33) orientar os canhões (Rotina 15); (34) realizar a Verificação da Transmissão Estática (Rotina 16); (35) realizar a Verificação da Transmissão Dinâmica (Rotina 17); (36) delimitar o limite inferior do LASER (Rotina 22); (37) realizar o levantamento meteorológico (Rotina 23); (38) introduzir os seguintes dados no computador: (a) meteorológicos; (b) balísticos; (c) aquisição do alvo; (d) Vo do canhão; e (e) duração da rajada. (39) verificações finais quanto a visibilidade dos ecos na tela PPI.
  65. 65. Ajuste da taxa de falso alarme FAR. Pressionando-se a respectiva tecla no painel de operação/teclado, o receptor em questão é levado a condição do teste requerido para o alinhamento. A FAR é indicada como uma tensão no mostrador de dados do monitor de TV. POTENCIÔMETRO AJUSTE FAR MAS: - Chave AJS FAR/MAS/BUSCA/ACOMP pressionada (uma vez). - Indicação: FAA 5.00 V. - Alinhamento para 5V + 1V. ATENÇÃO: Reação muito lenta; observar indicação após 6 s. POTENCIÔMETRO AJUSTE FAR BUSCA: -Chave AJS FAR/MAS/BUSCA/ACOMP pressionada (duas vezes). - Indicação: FAS 5.00 V. - Alinhamento para 5V + 1V. ATENÇÃO: Reação lenta. POTENCIÔMETRO AJUSTE FAR ACOMP: - Chave AJS FAR/MAS/BUSCA/ACOMP pressionada (três vezes). - Indicação: FAT 5.00 V. - Alinhamento para 5V + 1V. CHAVE ROTATIVA: VTD - Testa todo o sistema e a precisão da orientação dos canhões (predição balística) através do acompanhamento de um alvo pela peça. NORMAL - Normal VTE - Testa a precisão da orientação dos canhões (sem predição dinâmica ou balística) através da orientação do canhão para um ponto pré-determinado. Os dados do ponto de referência são introduzidos no computador e são sempre acessíveis. ALVO SIMULADO - Dispara contra alvos fictícios para teste balístico (sem deflexão dinâmica). O ponto fictício é introduzido no computador e é sempre acessível. 2-1 C 44-61 CAPÍTULO 2 GUIA DE REFERÊNCIA ILUSTRADO CHAVE PPI - Liga a imagem de teste na tela PPI. CHAVE ALARME/LÂMPADAS ALARME - Testa o som do alarme LÂMPADAS - Testa todas as lâm-padas do controle. (POSIÇAO CENTRAL - neutra) CHAVE SET (1)/SET (Ø) - Utili-zada durante o teste funcional para teste da interface do com-putador Fig 2-1. Painel de controle de teste/radar de acompanhamento (folha 1 de 2)
  66. 66. C 44-61 Fig 2-2. Painel de controle de teste/radar de acompanhamento (folha 2 de 2) 2-2 POTENCIÔMETRO VOL DOPPLER: Ajusta a intensidade do VOL DOP-PLER. POTENCIÔMETRO VÍDEO BRUTO CMG: Ajusta o nível de ruído na janela de aqui-sição quando o vídeo é ligado (luz jane-las vídeo bruto acende). POTENCIÔMETRO VOL ALARME: Ajusta a intensidade do VOL de alarme. POTENCIÔMETRO SEN RECP: Estabelece o alcance funcional do radar de tiro; durante a fase de designação, o valor do eco da distância do alvo é interrogado e o ganho do receptor é ajustado de acordo com esta distância, e durante a fase de acompanhamento, somente o CAG é efetivo. CHAVE DE ALAVANCA COMP VENTO LIGADO/ACOMP BALÃO COMP VENTO LIGADO - Aciona a compensação do vento do receptor do radar de tiro. ACOMP BALÃO - Aciona o acompanhamento balão (para determinação de dados do vento balístico); o modo MTI do radar de acomp é automáticamente desligado. POSIÇÃO CENTRAL - Neutra. CHAVE SELETORA POTÊNCIA: Ajusta a distribuição de potência entre os radares de busca e tiro. AUTO – Posição normal, controle automático da distribuição de potência. 100 – 100% para radar de acomp. 50 – 50% para radar de acomp, 50% para radar de busca. 10 – 90% para radar de busca, 10% para radar de acomp. 0 – 100% para radar de busca.
  67. 67. SIST HIDR - Indica que no sistema hidráulico, a temperatura ou o nível do óleo atingiu valores inadequados. LASER - Indica que há falha no laser. 2-3 C 44-61 INDICADORES PANE PANE SIST RADAR IFF SIST RADAR - Indica pane funcional nos radares. IFF - Indica falha no sistema de IFF. CIRC DIG FORA TEMP - Indica que a temperatura no computador, interface ou transmissor de dados excedeu o limite especificado (70º C). CÂMERA FORA TEMP - Indica que a temperatura na câmera de TV exce- deu os limites especificado. Fig 2-3. Painel de supervisão (folha 1 de 4) CIRC DIG FORA TEMP SIST HIDR CÂMERA FORA TEMP LASER
  68. 68. C 44-61 PANE DE ALIMENTAÇÃO CIRCUITO DIGITAL PPI RA TV IFV GG CIRC AUX CIRCUITO DIGITAL - Indica falha na ali-mentação transmissor de dados. PPI - Indica falha na alimentação da PPI. RA - Indica que algum dos disjuntores do RA desarmou (radar de busca, eletrônica do codificador, ventilação/aquecimento, etc). 2-4 INDICADORES PANE DE ALIMENTAÇÃO do computador, interface ou TV IFV - Indica falha na alimentação da câmera de TV, monitor de TV, eletrônica de TV ou IFV. GG - Indica que algum dos sensores de falha do GG foi ativado e deve ser veri- ficada (combustível, gerador, temperat- ura do óleo, etc). CIRC AUX - Indica falha na alimentação do circ aux. Fig 2-4. Painel de supervisão (folha 2 de 4)
  69. 69. VERIFICAÇÃO RADAR X CPTD CPTD EM PANE EDRB RA TESTE CPTD - Indica que outro programa que não é o de combate está sendo proces-sado ou que a chave rotativa TEST não está EDRB - Indica que a chave SRDE não está na posição DESL ou NORMAL. TESTE - Indica que o teste rápido deve ser feito. Após o teste rápido: - luz acesa indica falha no EDT. - luz piscante indica falha na conexão dos canhões. A indicação da falha é apresentada no mostrador numérico (painel de indicação). 2-5 C 44-61 INDICADORES MODO AUX RADAR X - Indica que a chave rotativa RADAR DE BUSCA não está posicionada em NORMAL; A CHAVE potência não está em AUTO; ou a chave da alavanca COMP VENTO LIGADO/ACOMP BALÃO está na posição ACOMP BALÃO. na posição normal. CPTD EM PANE - Indica falha no proces-samento dos dados do computador, sendo que essa falha pode ser eliminada pelo acionamento da tecla REINIC CPTD. RA - Indica que a chave rotativa RA não está na posição NORMAL. Fig 2-5. Painel de supervisão (folha 3 de 4)
  70. 70. C 44-61 FORA DE NÍVEL - Indica que o EDT está insuficientemente nivelado. SISTEMA - Indica que um (ou mais) sub-sistemas chave correspondente LIGA/DESLIGA no painel de controle superior. RADAR NÃO PRONTO - Indica que o ra- dar está sendo iniciado através de um pro- grama de comutação (com duração apro- ximada de 5 (cinco) minutos). 2-6 INDICADORES COND EQUIP COND EQP FORA DE NÍVEL SISTEMA RADAR NÃO PRONTO HOMEM NO TETO - Indica que a chave de segurança RA está na posição DESL. está(ão) desligado(s) através da TRAVA RA - Indica que o RA não está travado. PRESSÃO SIST HIDR - Indica que a pres- são nos acumuladores do sistema hidrá- ulico está demasiadamente baixa. Fig 2-6. Painel de supervisão (folha 4 de 4) HOMEM NO TETO TRAVA RA PRESSÃO SIST HIDR
  71. 71. TECLA FILTRO VERMELHO: Aciona (luz acende) o filtro vermelho da câmera de TV (este filtro é automaticamente selecionado se a chave rotativa TV estiver em OBS PROJETIL, ou se uma medida de distância é realizada). TECLA FILTRO AMARELO: Aciona (luz acende) o filtro amarelo da câmera de TV. NOTA - Se os FILTROS VERMELHO E AMARELO forem acionados simultaneamente, um filtro cinza adicional é acionado. TECLA JANELA - VÍDEO BRUTO: Quando acionada (luz acende) o vídeo bruto do radar de acomp é mostrado na janela de aquisição no monitor de TV. 2-7 C 44-61 TECLA ZOOM-MANUAL: Quando acionada (luz acende), este botão desliga o controle automático de zoom, transferindo o controle manual (ajuste) para a chave rotativa SEL ZOOM. Fig 2-7. Painel de TV
  72. 72. C 44-61 2-8 TECLA MUDANÇA DE ALVO-DISTANTE/PRÓXIMO: Estas teclas são usadas para mudança rápida de alvo dentro da mesma formação. No modo ACOMP RADAR - Salto em distância para mais perto (PRÓXIMO) ou mais longe (DISTANTE) pode ser realizado arbitrariamente, ou seja, quantas vezes necessário. No modo ACOMP TV ou ACOMP MANCHE - Salto em distância para o mais perto ou mais longe e transferência automática para ACOMP RADAR. TECLA ACOMP CEGO: Se esta tecla é continuamente pressionada, o computador extrapola a rota de vôo do alvo, baseado nos últimos dados armazenados (esta tecla deve ser pressionada antes do alvo desaparecer devido a sua dissimulação). Quando esta tecla é liberada, a distância é determinada novamente pelo programa de exploração de distância. Fig 2-8. Painel de mudança de alvo/acompanhamento cego
  73. 73. 2-9 C 44-61 CHAVE ROTATIVA RA ORIENT AOA VR – O AOA é orientado por visada recíproca AOA-RA, com auxílio do botão ORIENT AOA. ORIENTE AOA PR – É utilizada para a verificação da orientação do AOA com ponto de referência. É feita com auxílio do botão ORIENT AOA. NORMAL – Posição normal. MANCHE – O RA é controlado pelo manche, com maior velocidade (posicionamento rápido). POS ZERO – O RA é colocado em posição de travamento, isto é, o RA (elevado) fico pronto para ser abaixado. Botão ORIENTAÇÃO AOA - Permite a orientação do AOA com o EDT Fig 2-9. Painel de controle RA/TV(folha 1 de 2)
  74. 74. C 44-61 CHAVE ROTATIVA CAL - Calibra os retículos eletrônicos, que são avivados juntamente com os retículos óticos. NORMAL - Posição normal; todas as avivações de imagens necessárias à operação tática estão disponíveis. ORIENT - Os retículos óticos são ativados (para serem utilizados em: armazenamento de pontos de referência, orientação de canhões, orientação do AOA). OBS PROJETIL - Para abertura de fogo contra alvos fictícios, todas as avivações de imagens necessárias à operação tática estão disponíveis. A fim de melhorar a observação do projetil, o filtro vermelho, o vídeo bruto da janela de aquisição e o pulso estreito (para fornecer uma subdivisão mais precisa da janela de aquisição) são acionados. 2-10 POTENCIÔMETRO RETÍCULO-BRILHO: Ajuste do brilho dos retículos óticos no monitor de TV, desde que a chave rotativa TV esteja em CAL ou ORIENT. CHAVE DE ALAVANCA FOCO-PRÓXIMO/ DISTANTE: Posiciona o foco da câmera de TV para objetos próximos ou distantes (necessário durante a orientação). Fig 2-10. Painel de controle RA/TV(folha 2 de 2)
  75. 75. 2-11 C 44-61 INDICADOR DIST PARALAXE MEDINDO: Indica (led acende) que é possível fazer a medida de paralaxe. INDICADOR OBTURADOR LUZ-LIGADO: Indica (led acende) que o obturador da câmera de TV está fechado. O fechamento ocorre automaticamente quando o brilho excede a faixa normal de operação. CHAVE ROTATIVA SELETOR ZOOM: Seleciona (manualmente) e indica a posição do zoom, quando o botão ZOOM MANUAL é acionado (posições 1 a 8). 1 - Retículos eletrônicos. 2 - Janela de TV. 3 - Janela adicional. 4 - Janela de aquisição. 5 - Coluna indicadora da DT. 6 - Coluna indicadora da altura do alvo. 7 - Mostrador de dados. BOTÃO BRILHO: Ajusta o brilho da imagem de TV. BOTÃO CONTRASTE: Ajusta o contraste da imagem de TV. CHAVE ROTATIVA SEL DADOS MOS-TRADOR: Seleciona a apresentação no mostrador de dados, em função do programa do computador - PARA PROGRAMA DE COMBATE - 1 - Modo de suavização. 2 - Distância do alvo. 3 - Distância futura do alvo. 4 - Tempo de vôo do projetil. 5 - Altura do alvo. 6 - Dados para acompanhamento balão. 7 - Vago. 8 - Tipo de programa armazenado. Fig 2-11. Painel do monitor TV
  76. 76. C 44-61 ÂNGULO DE DIREÇÃO ÂNGULO DE SÍTIO 2-12 ANEL DO MANCHE ANEL DO MANCHE CONDIÇÕES (Painel de acompanhamento/designação) TECLA REINIC ACESA: (desde que a MMD não tenha sido ainda movida pela esfera de designação) pressionando-se o anel do manche, a janela de TV é controlável e o RA segue a mesma em direção e elevação. NO MODO ACOMP RADAR: Pressionando-se o anel do manche, a janela de TV é controlável para mudança de alvo pela TV (acompanhamento pelo radar não é influenciado), liberando-se o anel (tecla ACOMP TV pisca) é possível o acompanhamento pela TV de um segundo alvo pressionando-se a tecla ACOMP-TV. NO MODO ACOMP MANCHE: Com o acionamento do manche a janela de acomp TV é controlável em direção e sítio, o RA segue em direção e sítio e o computador auxilia o controle ACOMP S PELO MANCHE (NO MODO ACOMP RADAR): Com o acionamento do manche a janela é controlável em sítio, o RA segue em sítio e o computador auxilia o controle. Fig 2-12. Painel do manche
  77. 77. 2-13 C 44-61 INDICADOR CANHÃO 1: Indica (luz acende) que o canhão 1 está acompanhando o alvo conforme os dados fornecidos pelo EDT. INDICADOR CANHÃO 2: Indica (luz acende) que o canhão 2 está acompanhando o alvo conforme os dados fornecidos pelo EDT. INDICADOR CANHÃO 3: Indica (luz acende) que o canhão 3 está acompanhando o alvo conforme os dados fornecidos pelo EDT. INDICADOR IFF AMIGO: Indica (luz acende) que o alvo acompanhado é amigo. TECLA DE SEGURANÇA SILÊNCIO LASER: Quando acionada (luz acende) inibe o disparo do telêmetro laser. BOTÃO FOGO / INDICADOR PRONTO P/ FOGO: Quando o indicador PRONTO P/ FOGO acende, isto indica que o alvo está localizado dentro do alcance efetivo dos canhões e a permissão de fogo foi dada pelo computador para pelo menos um canhão. O botão FOGO fornece o comando para o canhão designado efetuar uma rajada. TECLA FOGO CONTÍNUO: Fornece o comando de fogo contínuo aos canhões (luz acende) sobrepondo-se ao bloqueio de fogo dado pelo computador (sobrepõe-se a indicação IFF amigo). Esta tecla deve ser utilizada em casos de emergência (por exemplo, quando um míssil é lançado pelo vetor hostil). Fig 2-13. Painel de comando de tiro e indicadores (folha 1 de 3)
  78. 78. C 44-61 INDICADOR ACOMP CEGO: Pisca indicando que o acompanhamento do alvo está sendo baseadonosdadosdevôo armazenados no computador. TECLA ALARME AUTO CAN DESL: Quando acionado (luz acende) esta tecla inibe o alarme automático dado aos canhões. TECLA NÃO DOPPLER AUTO DESL: Quando acionado (luz acende) bloqueia a comutação automática para o modo “não doppler”. Esta tecla é utilizada em caso de alvos voando a baixa altura, quando há perigo do radar confundir este alvo com ecos indesejáveis. 2-14 INDICADOR ALARME MAS: Pisca e um som intermitente é emitido pelo alto falante, indicando que o radar de acompanhamento detectou a presença de míssei ar-solo. Este alarme é desligado somente quando o modo de acompanhamento é interrompido. INDICADOR VEL RADIAL BAIXA: Pisca quando a velocidade radial do alvo diminui e o modo “não doppler”encontra-se bloqueado ou desligado. INDICADOR D AMBÍGUA: Pisca indicando que o eco recebido é impreciso. INDICADOR INTF ATIVA: Pisca quando o radar está acompanhando interfe-rência. TECLA AQUISIÇÃO-JANELA PEQUENA: Quando acionado (luz acende), pré-seleciona a janela pequena de aquisição durante o modo DSG RADAR (no caso de interferência no radar). TECLA DSG EDRB-AUTO: Quando acionado (luz acende) as coordenadas do primeiro alvo inimigo, penetrando no espaço aéreo monitorado pelo radar de busca, são enviadas ao computador, comutando a designação automática do alvo mais ameaçador para apreensão automática. Um alame sonoro é ligado automaticamente, mesmo quando a tecla ALARME EDRB AUTO não tenha sido acionada. TECLA ALARME EDRB-AUTO: Quando acionado (luz acende) faz com queoalvomaisameaçadorqueaparece no espaço aéreo monitorado pelo radar de busca, acione um alarme sonoro. TECLA DSG AOA-MANCHE: Quando acionada (luz acende) efetua pré-seleção da transição de DSG AOA para ACOMP MANCHE, quando o acompanhamento pelo radar torna-se impossível (poe exemplo: quando a posição do alvo é virtual. TECLA ALARME MAS REINIC: Quando acionada, desativa o alarme MAS presente, deixando o alarme em condições de ser acionado por outro míssil. Fig 2-14. Painel de comando de tiro e indicadores (folha 2 de 3)
  79. 79. 2-15 C 44-61 TECLA RADAR-PC LIG: Aciona a polirização circular do radar de busca (luz acende), a fim de obter maior precisão em condições climáticas adversas. CHAVE SELETOR FRP: FRP ESCALONADA - Transferência escalonada (com seqüência pré-determinada) dos pares de FRP, para eliminação das faixas de velocidade cega ocorridas nas freqüências normais de repetição de pulso. 1 a 5 - Permite selecionar 5 (cinco) diferentes pares de FRP, a fim de obter TECLA RADAR-PULSO ESTREITO: melhor supressão de interferências no PPI. Seleciona a transmissão com pulsos de curta duração (luz acende) possibilitando maior resolução de distância, com alcance reduzido. TECLA RADAR-SÓ RECEPÇÃO: Seleciona o modo “só recepção” (luz acende), inibindo a transmissão e só permitindo a recepção. TECLA RADAR-SILÊNCIO: Seleciona o modo “silêncio radar” (luz acende), mantendo o transmissor e o receptor inibidos. CHAVE ROTATIVA FREQÜÊNCIA: AUTO - Transferência automática de freqüência (entre 1 e 5), controlada pelo computador no caso de “jammer”. 1 a 5 - Freqüência preestabelecidas (normal). MACF - Transferência aleatória e contínua de freqüência (a cada 40 ms); usada no caso de “jammer” (mudança aleatória e contínua de freqüência). Fig 2-15. Painel de comando de tiro/indicadores (folha 3 de 3)
  80. 80. C 44-61 TECLA ACOMP-RADAR: Aciona e indica (luz acesa) que o EDT está operando no modo ACOMP RADAR (em banda I e K). O alvo é acompanhado em todas as três coordenadas pelo radar de tiro banda I e K (auxílio de controle é dado pelo computador, pois a janela de acomp TV segue a tensão de erro do radar). Esta tecla permite a mudança ACOMP MANCHE, ACOMP TV para ACOMP RADAR (banda I e K). 2-16 TECLA SILÊNCIO: Inibe a emissão do radar K TECLA ACOMP-MANCHE: Aciona e indica (luz acesa) que o EDT está operando no modo ACOMP MANCHE. O manche controla a janela de ACOMP TV e o RA; a distância é dada pelo radar e o auxílio de controle pelo computador. Esta tecla permite a mudança ACOMP RADAR, ACOMP TV para ACOMP MANCHE. TECLA S PELO MANCHE: Aciona e indica (luz acesa) um modo de acompanhamento misto, onde o sítio é dado no modo ACOMP MANCHE, azimute e distância são dados no modo ACOMP RADAR. Pressionar esta tecla quando o sítio do alvo não puder ser acompanhado pelo radar devido ao efeito espelho TECLA ACOMP TV: Aciona e indica (luz acesa) que o EDT está no modo ACOMP TV. O processador de TV controla a janela de TV e o RA, a distância é dada pelo radar e o auxílio de controle pelo computador. Esta tecla permite a mudança ACOMP RADAR ou ACOMP MANCHE para ACOMP TV. TECLA LASER: Quando acionada (luz acende), esta tecla permite o disparo do telêmetro laser, desde que as condições de segurança básica estejam atendidas. CONDIÇÕES DE SEGURANÇA: - TECLA SILÊNCIO LASER liberada. - Cabo de segurança (com chave liga/desliga) conectado ao conector SEGURANÇA/LASER (e chave ligada). - Chave de alimentação LASER ligada. - EDT está executando um acompanhamento. - O alvo está dentro do alcance do laser. NOTA - Para efetuar a mudança de alvo durante o modo ACOMP RADAR (I e K): - utilizando o manche (anel pressionado), a janela de acomp TV é movida para o segundo alvo; - liberando o anel do manche (Tecla ACOMP TV pisca), o processador de TV direciona a janela de TV para o segundo alvo. Pressionando-se o botão ACOMP TV, a mudança para o segundo alvo é então realizada (botão acende). Então, o segundo alvo é acompanhado em ângulos pelo processador de TV e a distância é determinada por um programa de exploração em distância. Fig 2-16. Painel de acompanhamento/designação (folha 1 de 2)
  81. 81. TECLA ATEN RB - INTF ATIVA: Se esta tecla é pressionada continuamente durante uma DSG INTF ATIVA em uma interfência” muito forte, o indicador de interferência (feuxe radial) no PPI torna-se mais estreito e atenua em 30 dB o receptor de busca permitindo um posicionamento mais exato da marca móvel de distância. TECLA REINIC: Quando acionada (luz acende), interrompe um acom-panhamento ou uma designação existente pois o modo REINIC é executado. 2-17 C 44-61 TECLA ALARME CAN MANUAL: Pressionando-se esta tecla, um alarme acústico é dado para as guarnições dos canhões. BOTÃO DSG EXT: Vago TECLA INTERCOM: Permite a comunicação externa do EDT, em controle remoto. Pressionar para falar, soltar para ouvir. TECLA DSG-AOA: Aciona e indica (luz acesa) que o EDT está no modo DSG-AOA. O RA segue o AOA com valores de azimute e sítio; o programa de exploração em distância é completado e após a aquisição do alvo, a mudança para ACOMP RADAR é efetuada. No modo REINIC, a DSG AOA é iniciada somente pelo AOA. Em qualquer modo de acompanhamento ou em qualquer outro modo de designação, este botão pisca quando o alvo é designado pelo AOA e a DSG AOA é iniciada pressionando-se este botão (resultando-se em uma mudança para o alvo acompanhado pelo AOA). Fig 10-17. Painel de acompanhamento/designação (folha 2 de 2)
  82. 82. C 44-61 POTENCIÔMETRO PPI VÍDEO TRATADO: Ajusta a intensidade do vídeo MTI do radar de busca e do indicador de interferência ativa, na PPI. POTENCIÔMETROSÍMBOLOS: Ajusta a intensidade do brilho dos símbolos (marcas) na PPI. POTENCIÔMETRO INTENSIDADE: Ajusta a intensidade do brilho de fundo de toda tela da PPI. 2-18 POTENCIÔMETRO VÍDEO BRUTO CMG: Ajusta a intensidade do brilho do vídeo bruto do radar de busca na PPI. POTENCIÔMETRO 4 Km: Ajusta a intensidade do brilho das marcas (circulares) de distância de 4 Km. CHAVE 12 Km-20 Km: Seleciona as marcas de distância de 20 Km para 12 Km na PPI. Fig 2-18. Painel de controle PPI/radar de busca/EDRB (folha 1 de 4)
  83. 83. 2-19 C 44-61 POTENCIÔMETRO RADAR DE BUSCA SEM RECP: Ajusta a amplitude do sinal recebido (eco) do radar de busca em função da distância; sua principal função é atenuar os ecos fixos de obstáculos próximos, para uma boa sensibilidade na busca é recomendável que o ajuste não superior a 4 Km. CHAVE RADAR DE BUSCA-COMP VENTO LIGADO: Liga a compensação de vento do receptor do radar de busca. CHAVE ROTATIVA - RADAR DE BUSCA INDIC INTF DESL - Desliga a indicação automática de “interfência”. A indicação automática de interferência fornece na PPI, quando uma interferência é detectada, o azimute da interferência na forma de um feixe radial de no mínimo 5 Km. Desta forma, a interferência pode ser apreendida pressionando-se a tecla DSG INTF ATIVA. VÍDEO ACOMP VÍDEO - Liga o vídeo do radar de acomp I na PPI (por exemplo: para verificação total do vídeo do radar de acomp I) o vídeo MTI do radar de busca é simultaneamente desligado. NORMA - Posição normal. REINIC CPTD - Reinicia todo o processamento do computador. Fig 2-19. Painel de controle PPI/radar de busca/EDRB (folha 2 de 4)
  84. 84. C 44-61 2-20 POTENCIÔMETRO COMP VENTO-DIREÇÃO: Compensação (em direção) da velocidade de ecos indesejáveis. POTENCIÔMETRO COMP VENTO-VELOCIDADE: Compensação (em amplitude) da velocidade dos ecos indesejáveis. Fig 2-20. Painel de controle PPI/radar de busca/EDRB (folha 3 de 4)
  85. 85. 2-21 C 44-61 POTENCIÔMETRO VÍDEO BRUTO CMG: Ajusta a intensidade do brilho do vídeo bruto do radar de busca na PPI. CHAVE ROTATIVA EDRB: DESL - EDRB não fornece qualquer dado de alvo ao computador. Todos os demais controles do EDRB ficam inoperantes. MÁSCARA - Áreas de interferência mascaradas são apresentadas na PPI. Demais funções do EDRB são inibidas. Inibe o IFF quando o alvo (ACOMP 2D) estiver atravessando a área mascarada com exceção no caso de acompanhamento 3D. NORMAL - Os traços de vôo são automática ou manualmente inicializados e apresentados na PPI. Avaliação de ameaça é realizado. Áreas mascaradas são presentadas na PPI. ESCREVE - (chave de alavanca EDRB - APAGA GRAVA deve estar na posição LIG) Escreve as áreas de interferência na PPI, com a esfera de designação e marca de disgnação de alvo. APAGA - (chave de alavanca EDRB - APAGA GRAVA deve estar na posição LIG) Apaga as áreas de interferência, com o auxílio da esfera de designação e marca de designação de alvo. APAGA TUDO - (chave de alavanca EDRB - APAGA GRAVA deve estar na posição LIG) durante uma rotação da antena de busca, todas as áreas mascaradas são apagadas. CHAVE EDRB-MANUAL-AUTO: Liga a inicialização manual ou apagamento dos traços de vôo no EDRB. CHAVE EDRB-APAGA GRAVA/LIG: Utilizada em conjunto com a chave rotativa EDRB, para gravar e apagar máscaras. Fig 2-21. Painel de controle PPI/radar de busca/EDRB (folha 4 de 4)
  86. 86. C 44-61 2-22 SIGNIFICADO DAS MARCAS 1. ECO DO ALVO COM SINAL AMIGO. 2. MARCA DE CONFIRMAÇÃO DE ACOMPANHAMENTO BEM SUCEDIDO. 3. MARCA DO PONTO FUTURO. 4. MARCA MÓVEL DE DISTÂNCIA. 5. MARCA DE ALTURA DO ALVO. 6. MARCA DE SÍTIO DA ANTENA DO RA. 7. VETOR AOA. 8. INDICAÇÃO DE “INTERFERÊNCIA ATIVA”. 9. MARCA DE DISTÂNCIA DE 4 (quatro) Km. 10. LIMBO DE AZIMUTE MÓVEL. 11. ALVOS TWS (NUMERADOS DE 1 ATÉ 8). 12. ALVO MAIS AMEAÇADOR (NÚMERO PISCANDO). 13. ECO DO ALVO NO VÍDEO MTI. 14. VÍDEO “CLUTTER”. 15. LINHA DE VARREDURA DO RADAR DE BUSCA. 16. ÁREA MASCARADA . Fig 2-22. Tela PPI
  87. 87. 2-23 C 44-61 TECLA DSG EDRB-MAIS AMEAÇADOR: Pressionando-se momentaneamente este botão, uma seleção de alvos é realizada. Os alvos mais ameaçadores são numerados de 1 a 8 na PPI, o alvo mais ameaçador (podendo ser qualquer um numerado de 1 a 8) é também apresentado na PPI com o número correspondente piscante (o RA move-se para este alvo). Quando este alvo mais ameaçador é apreendido, o número correspondente desaparece da tela PPI e o número piscando será o do próximo alvo mais ameaçador. O número desaparecido volta a tela PPI quando um novo alvo entra no espaço aéreo coberto pelo radar de busca. TECLA DSG INTF ATIVA: Pressionando-se esta tecla, o modo DSG INTF ATIVA é iniciado. O RA segue a MMD em direção e executa o programa de exploração em elevação. A distância é posicionada em um valor (fixo) inicial; logo após, um programa específico de busca em alcance é iniciado. TECLA DSG RADAR: Pressio-nando- se momentaneamente esta tecla, o modo DSG RADAR é iniciado. O programa de exploração em sítio é iniciado e, após o alvo ser adquirido, o sistema muda para o modo ACOMP RADAR. DSG INTF ATIVA DSG RADAR INICIA APAGA TECLA ACOMP MANUAL EDRB-INICIA/APAGA: Quando pressionada, inicia ou apaga uma rota de vôo no EDRB da seguinte maneira: - quando a rota de vôo designada está em andamento, ele apaga; caso contrário, inicializa. - a chave EDRB-MANUAL/AUTO deve estar posicionada em manual. ESFERA DE DESIGNAÇÃO: Controla a MMD da PPI. Nos modos DSG RADAR ou REINIC, o sistema de acompanhamento segue em direção e distância a MMD. No modo DSG INTF ATIVA o sistema de acompanhamento segue em direção a MMD. Fig 2-23. Painel da esfera de designação MAIS AMEA-ÇADOR ACOMP MANUAL EDRB DSG EDRB
  88. 88. C 44-61 MATRIZ DE LÂMPADAS: Indicação com 64 campos (lâmpadas), cujas inscrições variam de acordo com o programa introduzido no computador. A célula iluminada define o dado para entrada ou saída através do teclado ou mostrador numérico. Após a seleção da célula inicial de uma seqüência, as demais células são automaticamente selecionadas. Ao findar uma seqüência, o campo seleção acende (este é o campo de descanso e deve estar aceso quando não há intercâmbio de dados). INDICAÇÃO DE SELEÇÃO DE DADOS: Indica (luz pisca) que o computador selecionou uma célula na matriz de lâmpadas, ou indica (luz acesa) que um campo pode ser escolhido pelo computador. INDICAÇÃO DE INTERCÂMBIO DE DADOS: Indica (luz piscante) que o valor exibido pelo computador necessita de reconhecimento, ou indica (luz acesa) que o sistema está pronto para entrada de dados. 2-24 FILEIRAS DE TECLAS DE SELEÇÃO: Duas fileiras de oito teclas cada (uma vertical e outra horizontal) para seleção de um determinado campo na matriz de lâmpadas. INDICADOR NUMÉRICO: Mostrador númerico de sete dígitos para apresentar os dados introduzidos no computador (através do teclado) ou exibir os dados de saída. Fig 2-24. Painel de indicação do computador
  89. 89. 2-25 C 44-61 Fig 2-25. Máscara do programa de combate
  90. 90. C 44-61 2-26 Fig 2-26. Máscara do teste funcional
  91. 91. 2-27 C 44-61 NOTA: Testes de falso alarme e teste rápido podem ser ligados somente no modo REINIC (tecla REINIC acesa). Quando a esfera de designação se movimenta ou a tecla REINIC é pressionada o teste rápido é interrompido. TECLADO DECIMAL: Para a entrada de dados númericos em forma decimal no computador. Os dados introduzidos devem ser verificados no indicador numérico, antes de serem registrados através do botão E/S. O tipo de dado é determinado pela célula selecionada no painel de indicação. Para limpar o indicador numérico, basta pressionar a tecla APAGA. TECLADO DECIMAL: Para a entrada de dados númericos em forma decimal no computador. Os dados introduzidos devem ser verificados no indicador númerico, antes de serem registrados através do botão E/S. O tipo de dado é determinado pela célula selecionada no painel de indicação. Para limpar o indicador numérico, basta pressionar a tecla APAGA. TECLA ACESSO MATRIZ: Quando pressionada (luz acende), permite que a matriz de lâmpadas seja operada (para verificação ou entrada de dados); quando liberada (luz apagada) a matriz de lâmpadas é inoperante. BOTÃO AJS FAR BUSCA/ACOMP/ MAS-LIGA: Quando pressionado uma vez (luz acende), permite o teste de falso alarme no receptor do radar de busca; pressionando duas vezes, permite o teste de falso alarme no receptor do radar de acompanha-mento; pressionado três vezes, permite o teste de falso alarme no receptor do radar MAS. Este botão opera em conjunto com os respectivos potenciômetros no painel de controle de teste/radar de tiro. TECLA E/S: Permite, quando pressionada, a entrada de dados, através do painel de indicação e indicador numérico. TECLA TESTE RÁPIDO: Aciona (luz acende) o teste rápido, que é executado automaticamente. Após a execução, se a luz TESTE RÁPIDO pisca juntamente com a luz VERIFICAÇÃO TESTE há falha na conexão dos canhões; se a luz TESTE RÁPIDO pisca e a luz VERIFICAÇÃO-TESTE permanece acesa, há falha do EDT. Fig 2-27. Painel de operação teclado
  92. 92. C 44-61 2-28 Fig 2-28. Mesa de operção PAINEL DE CONTROLE DE TESTE/RADAR DE ACOMP PAINEL DE TV PAINEL DO MONITOR PAINEL DE MUDANÇA DE ALVO/ ACOMPANHAMENTO CEGO DE TV PAINEL DE ACOMPANHAMENTO/ DESIGNAÇÃO PAINEL DE OPERAÇÃO/TECLADO PAINEL DA ESFERA DE DESIGNAÇÃO MANCHE PAINEL DE SUPERVISÃO PAINEL DE CONTROLE RA/TV PAINEL DE COMANDO DE TIRO/ INDICADORES PAINEL DE CONTROLE TELA PPI/ RADAR DE BUSCA EDRB PAINEL DE INDICAÇÃO DO COMPUTADOR PPI MÁSCARA P/ PROGRAMA DE COMBATE
  93. 93. 2-29 C 44-61 FERROLHO DO BRAÇO DE NIVELAMENTO CILINDRO DE NIVELAMENTO POSIÇÃO DE MARCHA TRAVA DO BRAÇO DE POSIÇÃO DE OPERAÇÃO NIVELAMENTO Fig 2-29. Sistema de nivelamento

×