CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2

2.969 visualizações

Publicada em

CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2

Publicada em: Educação
1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.969
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
127
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2

  1. 1. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO DE OPERAÇÕES TERRESTRES Caderno de Instrução PISTA DE COMBATE DE GC 1ª Edição - 2005 Preço: R$ Experimental CARGA EM______________ NA DEFESA EXTERNA CI 21-76/2
  2. 2. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO DE OPERAÇÕES TERRESTRES PORTARIA Nº 003 COTER, DE 29 DE JULHO DE 2005. Caderno de Instrução CI 21-76/2 Pista de Combate de GC na Defesa Externa O COMANDANTE DE OPERAÇÕES TERRESTRES, no uso da delegação de competência conferida pela letra e), do item XI, Art. 1º da Portaria nº 761, de 2 de dezembro de 2003, do Gab Cmt Ex, resolve: ArtCI 21-76/1CI 21-76/2. 1º Aprovar, em caráter experimental, o Caderno de Instrução CI 21-76/2 Pista de Combate de GC. Art. 2º Estabelecer que a experimentação deste Caderno de Instrução seja realizada durante os anos de instrução de 2005, 2006 e 2007. Art. 3º Determinar que esta Portaria entre em vigor na data de sua publicação. Gen Ex ROBERTO JUGURTHA CAMARA SENNA Comandante de Operações Terrestres
  3. 3. ÍNDICE DE ASSUNTOS Pag ASSUNTOS 1. Apresentação ................................................................................. 1 2. Objetivos da pista ........................................................................... 1 3. Condições de execução ................................................................. 1 4. Avaliação ........................................................................................ 2 5. Relação dos incidentes .................................................................. 3 6. Prescrições diversas ...................................................................... 3 7. Esquematização............................................................................. 3 INCIDENTES 01 - Entrada tática .................................................................................. 4 02 - Transposição de pontos críticos ...................................................... 5 03 - Transposição de obstáculos ............................................................ 6 04 - Combate à baioneta ........................................................................ 7 05 - Emboscada ..................................................................................... 8 06 - Contra - emboscada ........................................................................ 9 07 - Ataque de uma instalação inimiga ................................................... 10 08 - Ataque a uma posição de Mtr inimiga .............................................. 12 09 - Pista de ação reflexa ....................................................................... 13 10 - Primeiros socorros e transporte de feridos ....................................... 14 FICHAS DE AVALIAÇÃO OFICINAS: Nr 01 - Entrada tática ............................................................................. 16 Nr 02 - Transposição de pontos críticos ................................................. 17 Nr 03 - Transposição de obstáculos ....................................................... 18 Nr 04 - Combate à baioneta.................................................................... 19 Nr 05 - Emboscada ................................................................................ 20 Nr 06 - Contra - emboscada ................................................................... 21 Nr 07 - Lançamento Gr mão ................................................................... 22 Nr 08 - Ataque de oportunidade a uma posição de Mtr inimiga ............... 23 Nr 09 - Pista de ação reflexa .................................................................. 24 Nr 10 - Primeiros socorros e transporte de feridos .................................. 25 O presente Caderno de Instrução tem caráter experimental. Portanto serão muito úteis as sugestões envidas para o COTER - 1a Subchefia. QG Ex - Bloco H - SMU 70630-901-Brasília-DF
  4. 4. 1 PISTA DE COMBATE DE GC 1. APRESENTAÇÃO O presente Caderno tem por finalidade regular as condições de execução da Pista de Combate de GC num ambiente de combate convencional (Defesa Externa), bem como a avaliação a ser realizada. Os conhecimentos para a execução da pista são os adquiridos na IIQ e no adestramento da fração elementar. 2. OBJETIVOS DA PISTA Manter os padrões de adestramento do Grupo de Combate. Desenvolver a autoconfiança necessária na execução das missões de combate. Desenvolver a confiança mútua entre todos os integrantes do Grupo. Desenvolver a liderança do Cmt GC. Elevar o grau de combatividade da fração. Desenvolver o espírito de equipe. Desenvolver qualidades individuais do combatente, habilitando o homem para atuar em equipe. Avaliar a capacidade física do combatente e desenvolver sua função dentro da fração na qual estiver enquadrado. Avaliar o Grupo de Combate. 3. CONDIÇÕES DE EXECUÇÃO A pista será composta por 10 (dez) oficinas, cada uma com um incidente, explorando basicamente assuntos relativos à Instrução Individual de Qualificação e o emprego do Grupo de Combate.
  5. 5. CI 21-76/2 A distância entre cada oficina de instrução será em média de 500 m, devendo a localização exata ser em função da sua adequação ao terreno. O tempo destinado à execução de cada oficina será de 45 minutos, incluindo o deslocamento entre os incidentes. a. Funcionamento 2 1) A pista será precedida de uma marcha a pé noturna de, no mínimo, 16 Km. 2) Do P Lib da marcha, os Cmt GC, por meio de orientação bússola – carta – terreno, deslocarão seus homens até o local de início da pista. 3) Todos as oficinas serão iniciadas simultaneamente (01 GC em cada oficina), ou sucessivamente, dependendo do número de GC que farão a pista. 4) A pista será executada num sistema de rodízio, sendo as oficinas numeradas de 01 a 10 e os Grupos de Combate identificados conforme o alfabeto fonético. 5) O deslocamento para a oficina seguinte deve ser feito sempre em situação. 6) O rodízio deverá ser executado no sentido horário. 7) O percurso total da pista deve ser de aproximadamente 5 Km, e o tempo de execução de 6 a 8 horas. 8) O militar responsável pela oficina deverá suspender as atividades quando o tempo destinado à execução do incidente se esgotar e determinar que o GC prossiga para a próxima oficina. 9) A montagem da pista é de responsabilidade da OM. 10) Uniforme 4º A2 (com capacete de aço e fibra ou fibra balístico) 11) Armamento O de dotação 12) Equipamento Fardo aberto e de combate (mochila com no mínimo 10 Kg). 4. AVALIAÇÃO a. Em cada oficina haverá 01 (um) militar, que será o responsável pela avaliação do desempenho do GC. b. O desempenho visará, exclusivamente, a ação do GC, como um todo, segun-do a Ficha de Avaliação, quando da execução do incidente. O avaliador deverá observar os itens previstos na Ficha de Avaliação de sua oficina.
  6. 6. CI 21-76/2 c. Caberá ao oficial coordenador do exercício (S3 ou outro designado pelo Cmt OM) consolidar as Fichas de Avaliação e apurar o resultado obtido pelas frações executantes. 5. RELAÇÃO DOS INCIDENTES 3 1. Entrada Tática 2. Transposição de pontos críticos 3. Transposição de Obstáculos 4. Combate à Baioneta 5. Emboscada 6. Contra-emboscada 7. Ataque a uma instalação inimiga guardada (defendida) 8. Ataque de oportunidade a uma posição de Mtr Ini 9. Pista de ação reflexa 10. Primeiros socorros 6. PRESCRIÇÕES DIVERSAS a. O exercício terá seu término após a execução da manutenção do armamento e do equipamento. b. Deverá ser conduzida uma APA com participação de todos os militares res-ponsáveis pelos incidentes. c. A pista deverá ser executada pelo Batalhão no início do Período de Adestramento Básico (Fase do GC). d. Poderá, ainda, ser realizada pelo Efetivo Profissional, quando da CTTEP. e. As oficinas 5 e 6 serão realizadas no mesmo local. Inicialmente um GC desembarca e embosca o GC que se desloca e este ao sair da área da emboscada prepara a contra-emboscada. 7. ESQUEMATIZAÇÃO
  7. 7. 4 CI 21-76/2
  8. 8. 5 INCIDENTE 02 - TRANSPOSIÇÃO DE PONTOS CRÍTICOS Tempo Destinado: 20 min INSTRUÇÕES PRELIMINARES TAREFAS CONDIÇÕES PADRÃO MÍNIMO - Utilização do terreno. - Utilização de gestos e sinais conven- cionados. - Maneabilidade do GC. - Camuflagem. - Patrulhas. - Progredir por um itinerário, transpondo os pontos críticos utilizando a técnica correta. - em uma faixa de terreno variado previamente balizado, o Cmt GC deverá conduzir o seu grupo utilizando as diversas técnicas de progressão e transpor os diversos pontos críticos que se apresentarem cerca, estrada, curso d'água, campo minado, etc. - O GC deverá: - deslocar-se em formação adequada ao terreno e a segurança; - transpor a cerca homem-a-homem ou por esquadras, em segurança; - transpor a estrada por esquadras ou em linha, em segurança; - transpor o curso d'água homem-a-homem, em segurança; - realizar a segurança durante a transposição de cada ponto crítico; - realizar o reconhecimento do curso d'água, verificando e balizando o local de vau; - usar sinais e gestos convencionados para a comunicação entre seus homens. CI 21-76/2
  9. 9. 6 INCIDENTE 03 - TRANSPOSIÇÃO DE OBSTÁCULOS Tempo Destinado: 20 min INSTRUÇÕES PRELIMINARES TAREFAS CONDIÇÕES PADRÃO MÍNIMO - Técnicas Especiais - Nós e amarrações. - Progredir no terreno, transpondo os obstáculos utilizando cordas e a técnica correta. Em um trecho de terreno com vãos de 10 a 20 m de largura e paredão de até 12 m de altura, será instalada previamente uma falsa-baiana, um comando crawl, um rapel. - Todo o GC deverá confeccionar o assento americano; - deverá ser estabelecida a segurança para a abordagem e execução da transposição dos obstáculos; - o comando crawl, a falsa baiana e o rapel devem ser ultrapassados utilizando a técnica correta; - O Cmt do GC deverá reorganizar o seu Grupo e verificar o efetivo após a conclusão da pista. CI 21-76/2
  10. 10. 7 INCIDENTE 04 - COMBATE À BAIONETA Tempo Destinado: 20 min INSTRUÇÕES PRELIMINARES TAREFAS CONDIÇÕES PADRÃO MÍNIMO - Combate à baioneta. - Progredir utilizando as técnicas de combate à baioneta. - Numa pista de combate, o GC deverá, utilizando-se de técnicas de combate à baioneta, proceder de acordo com a situação apresentada pelo inimigo figurado. - Todos os integrantes do GC deverão aplicar os golpes adequados, demonstrando o domínio da técnica de execução e a seqüência dos golpes. CI 21-76/2
  11. 11. 8 INCIDENTE 05 - EMBOSCADA Tempo Destinado: 20 min INSTRUÇÕES PRELIMINARES TAREFAS CONDIÇÕES PADRÃO MÍNIMO - Tiro - Emboscada. - Técnicas de Ação Imediata. - Reorganização. - Patrulhas. - Emboscar um pequeno efetivo Ini. - Dada uma área no terreno, o Cmt GC deverá escolher o local, distribuir seus homens e cumprir a missão de emboscar um pequeno efetivo Ini que se desloca em direção e horário conhecidos. - O Cmt GC deverá: - selecionar o local adequado para execução da emboscada; - utilizar a forma de emboscada adequada ao terreno; - dividir o Grupo em equipes adequadas à forma de emboscada adotada; - distribuir os homens correta- mente no terreno; - manter o sigilo durante toda a espera; - estabelecer algum sinal, gesto ou som convencionados para a abertura do fogo no momento correto; - aguardar a maioria do inimigo atingir a área de distribuição para abrir fogo; - realizar a identificação e a revista no Ini; - registrar as Coor do local onde realizou a emboscada para posterior relatório; - A eqp de vigilância deverá identificar e dar o alerta oportuno da aproximação inimiga. CI 21-76/2
  12. 12. 9 INCIDENTE 06 - CONTRA-EMBOSCADA Tempo Destinado: 20 min INSTRUÇÕES PRELIMINARES TAREFAS CONDIÇÕES PADRÃO MÍNIMO - Tiro - Contra-Emboscada. - Técnicas de Ação Imediata. - Reorganização. - Patrulhas. - Reconhecer um Itn em área vermelha. - Dado um trecho do terreno, o GC deverá realizar o reconhecimento de um itinerário em território sob controle do Ini. - Durante a progressão, o GC sofrerá uma emboscada, devendo empregar corretamente as Técnicas de Ação Imediata (TAI) - O GC deverá aplicar as técnicas de ação imediata, contra emboscando a força inimiga, empregando prontamente o armamento, passando à ação ofensiva e posterior reorganização. - O Cmt GC deverá: - deslocar o Grupo na formação adequada ao terreno; - manter a segurança do GC em todas as direções durante o deslocamento; - Ao ser emboscado: - os militares que se encontra-rem na área de destruição deverão responder de imediato ao fogo, buscar abrigo e fixar o Ini pelo fogo; - os demais integrantes do GC deverão flanquear o Ini para destruí-lo; - O GC deverá aplicar as técnicas de ação imediata, emboscando a força inimiga, reorganizando-se a seguir e informando ao Esc Sp. CI 21-76/2
  13. 13. 10 INCIDENTE 07 - ATAQUE A UMA INSTALAÇÃO INIMIGA Tempo Destinado: 20 min INSTRUÇÕES PRELIMINARES TAREFAS CONDIÇÕES PADRÃO MÍNIMO - Tiro (tiro de FAC e lançamento de granadas de mão). - Utilização do terreno. - Eliminação de sentinela. - Capturar uma instalação inimiga, eliminando sentinelas e utilizando granadas de mão. - Partindo de uma posição em que seja possível observar o objetivo, o Cmt do GC deverá emitir suas ordens para a aproximação, abordagem e captura de uma instalação inimiga (PC, Dep Sup ou ponte guarnecida). - a aproximação do GC deverá ser em sigilo e a ação de surpresa. - A instalação Ini possui a sua frente dois sentinelas (bonecos), os quais deverão ser eliminados com tiros de fuzil (FAC). - Deverá fazer uso, também, de granadas de mão de exercício para eliminar o inimigo abrigado em um espaldão (2 bonecos). - O Cmt GC deverá: - utilizar adequadamente o terreno para progredir em sigilo; - utilizar corretamente cobertas e abrigos para o lançamento das Gr M; - eliminar os alvos assinalados; - realizar os lançamentos de granada de mão com precisão; - após o assalto, estabelecer a segurança periférica, reorganizar, vasculhar o ambiente e revistar os mortos/feridos Ini; - informar ao Cmt Pel a situação atual. CI 21-76/2
  14. 14. 11 INCIDENTE 07 - ATAQUE A UMA INSTALAÇÃO INIMIGA (Continuação) Tempo Destinado: 20 min INSTRUÇÕES PRELIMINARES TAREFAS CONDIÇÕES PADRÃO MÍNIMO - Cada atirador receberá 03 (três) granadas, sendo necessário e suficiente apenas 01 (um) lançamento preciso de cada atirador. - O critério para a avaliação quanto à precisão dos lançamentos, será o de valorizar o acerto preciso com o menor número de lançamentos. Assim, obterá 03 (três) pontos, aquele que lançar a granada através de uma das janelas, atingindo o interior da instalação no primeiro lançamento; ou obterá apenas 01 (um) ponto caso só o consiga no terceiro lançamento. CI 21-76/2
  15. 15. 12 INCIDENTE 08 - ATAQUE A UMA POSIÇÃO DE Mtr INIMIGA Tempo Destinado: 20 min INSTRUÇÕES PRELIMINARES TAREFAS CONDIÇÕES PADRÃO MÍNIMO - Maneabilidade. - Utilização do terreno. - Atacar uma posição de Mtr inimiga em uma Posição de Retardamento. - O GC ataca como ponta numa M Cmb. - A metralhadora estará em um espaldão e guarnecida por 2 a 3 homens da figuração inimiga. No momento da ação, a Mtr estará realizando rajadas de festim sobre o GC ponta que se desloca pela estrada. - O GC buscará manobrar sob fogos para neutralizar a Mtr Inimiga. - Após receber a Ordem do Cmt Pel, o Cmt GC faz seu estudo de situação, reconhece o local da Mtr inimiga e planeja a ação no objetivo visando neutralizá-la. - O Cmt GC deverá: - Reconhecer o local da arma inimiga, sem ser observado; - Planejar o movimento de todo o grupo até próximo à posição da arma inimiga; - Informar ao Cmt Pel como cumprirá a missão; - Transmitir a Ordem ao GC; - Desenvolver-se no terreno e agir sobre a arma inimiga, de surpresa, empregando o fogo e movimento. CI 21-76/2
  16. 16. 13 CI 21-76/2
  17. 17. 14 INCIDENTE 10 - PRIMEIROS SOCORROS E TRANSPORTE DE FERIDOS Tempo Destinado: 20 min INSTRUÇÕES PRELIMINARES TAREFAS CONDIÇÕES PADRÃO MÍNIMO - Primeiros socorros. - Medidas salva-vidas. - Imobilizações. - Construção de macas improvisadas. - Prestar os primeiros socorros a ferido amigo evacuando-o ao refúgio de feridos da SU, utilizando o processo mais adequado. - O GC receberá a missão de realizar um Rec Itn em território inimigo sendo informado da existência de outras patrulhas amigas na área. - Durante o Dsl do GC será acionado um dispositivo caracterizando a passagem de uma patrulha amiga em área armadilhada próxima. - 02 (dois) integrantes do GC, designados pelo Cmt deverão aplicar as medidas salva-vidas e adotar os procedimentos corretos para socorrer o ferido. - 02 (dois) integrantes do GC, designados pelo Cmt deverão aplicar as medidas salva-vidas e adotar os procedimentos corretos para socorrer o ferido. - O GC deverá estabelecer as medidas de segurança para realizar os primeiros socorros. - Os combatentes deverão estancar a hemorragia, proteger o ferimento e prevenir o choque. - Comprimir o abdômem do ferido utilizando cinto ou outra técnica qualquer. - Aplicar o torniquete para estancar a hemorragia, proteger o ferimento e prevenir o choque. - Deverão ser registradas as coordenadas da posição do morto e a sua identificação. - Colocar uma tala e imobilizar o membro atingido. - O GC deverá confeccionar corretamente as macas improvisadas. - Os feridos que não puderem se locomover por si deverão ser conduzidos, em segurança, em macas improvisadas, e/ou outros processos. CI 21-76/2
  18. 18. 15 INCIDENTE 10 - PRIMEIROS SOCORROS E TRANSPORTE DE FERIDOS (Continuação) Tempo Destinado: 20 min INSTRUÇÕES PRELIMINARES TAREFAS CONDIÇÕES PADRÃO MÍNIMO - Este ferido falecerá e deverá ser o local do corpo balizado, registrado e recolhidas uma via da plaqueta identificadora do morto. - 02 (dois) integrantes do GC, designados pelo Cmt, deverão adotar os procedimentos corretos para socorrer o ferido. - O Cmt GC deverá dividir o grupo a fim de serem confeccionadas macas improvisadas e os feridos transportados em segurança até o Refúgio de Feridos da SU. CI 21-76/2
  19. 19. 16 CI 21-76/2
  20. 20. 17 CI 21-76/2
  21. 21. 18 CI 21-76/2
  22. 22. 19 CI 21-76/2
  23. 23. 20 CI 21-76/2
  24. 24. 21 CI 21-76/2
  25. 25. 22 CI 21-76/2
  26. 26. 23 CI 21-76/2
  27. 27. 24 CI 21-76/2
  28. 28. 25 CI 21-76/2
  29. 29. 26 Mais uma realização da Sala de Editoração Gráfica do COTER

×