Cultura Material e Cultura Imaterial

2.818 visualizações

Publicada em

Seminário sobre conceitos em Cultura Material e Cultura Imaterial. Apresentação desenvolvida por Daniel Dutra, Aura Celeste e Juliana Medeiros na Disciplina de Design e Cultura Material do Programa de Pós-Graduação em Design da Universidade Federal de Pernambuco.

Publicada em: Design
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.818
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
94
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cultura Material e Cultura Imaterial

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Programa de Pós-Graduação em Design Cultura Material e Cultura Imaterial DANIEL DUTRA TÓPICOS EM DESIGN TECNOLOGIA E CULTURA A DESIGN E CULTURA MATERIAL Profa. Virgínia Cavalcanti GRUPO Aura, Daniel e Juliana
  2. 2. Big Chill Modern made classics
  3. 3. Cultura Material De acordo com Rafael Cardoso (1998), esse termo originou-se no século XIX da etnologia e de estudos dos objetos de povos primitivos colonizados por europeus, ganhando no decorrer do tempo uma dimensão mais ampla. DENIS, Rafael Cardoso. Design, cultura material e o fetichismo do objeto. In: Arcos. Design, cultura material e visibilidade. Rio de Janeiro, v. 1., número único, outubro/1998. 11-28p DESIGN E CULTURA MATERIAL
  4. 4. Cultura Material Hoje, o termo cultura material é utilizado no sentido de promover uma comprensão maior do papel dos artefatos em um mundo em que o consumo de mercadorias e o consumismo constituem-se fenômenos da maior importância social e cultural. DESIGN E CULTURA MATERIAL
  5. 5. Cultura Material Ao observar um produto da cultura material de um povo, e/ou de um tempo, além de identificar a matéria-prima utilizada, seus processos construtivos e suas formas, é necessário, também, fazer uma leitura que se remete ao universos dos significados. DESIGN E CULTURA MATERIAL
  6. 6. Cultura Material Néstor Canclini (2005) explica que, em síntese, a cultura material seria cada vez menos conjuntos de sistemas de valores fixos e mais práticas de significação conectadas as estratégias de constituição das subjetividades e suas objetivações no desenrolar do tempo em um mundo vivido. Assim, o autor amplia o conceito de cultura material, deslocando-o do seu domínio objetual (estático). CANCLINI, Néstor Garcia. Diferentes, desiguais, desconectados: mapas da interculturalidade. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 2005. DESIGN E CULTURA MATERIAL
  7. 7. Cultura Material Maristela Ono Mitsuko (2006) define cultura material como o conjunto de artefatos produzidos e utilizados pelas culturas humanas ao longo do empo, sendo que, para cada sociedade, os objetos assumem significados particulares, refletindo seus valores e referências culturais. ONO, Maristela Mitsuko. Design e Cultura: sintonia essencial. Curitiba: Edição da autora. 2006. 132p. DESIGN E CULTURA MATERIAL
  8. 8. Cultura Imaterial “[...] tal como uma história, um artefato é um texto, uma maneira de exibir formas e um veículo de transmissão de significados”. A cultura imaterial abrange elementos intangíveis: valores, ideologias, crenças, mitos, símbolos, normas ritualizadas nos costumes e hábitos das sociedades humanas. GLASSIE, Henry. Material Culture. Indiana University Press, 1999. DESIGN E CULTURA MATERIAL
  9. 9. Maker Culture Enfatiza o “aprender-fazendo” (construtivismo) em um ambiente social. Valoriza o ambiente informal, em rede, liderado por pares no qual o processo de aprendizagem é compartilhado e motivado por diversão e auto-realização. Alguns autores afirmam que é uma reação à desvalorização da exploração física e da crescente sensação de desconexão com o mundo físico nas cidades modernas. DESIGN E CULTURA MATERIAL
  10. 10. Paradigmas CULTURA MATERIAL ⇒ os artefatos são produzidos independentemente da disponibilidade da indústria; ⇒ a experimentação material e a possibilidade de quebra de função mercadológica. CULTURA IMATERIAL ⇒ a personalização do desejo como representação simbólica; ⇒ extemporaneidade x inovação. DESIGN E CULTURA MATERIAL
  11. 11. Maker Culture Ampliação da Cultura ‘Do it Yourself!’, a partir das novas tecnologias
  12. 12. The Robot Lost in Space

×