Design e complexidade no mundo atual

1.069 visualizações

Publicada em

Seminário apresentado na disciplina de Fundamentos do Design, Tecnologia e Cultura no Programa de Pós-Graduação em Design da Universidade Federal de Pernambuco.

Publicada em: Design
1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.069
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Design e complexidade no mundo atual

  1. 1. Universidade Federal de Pernambuco Programa de Pós-Graduação em Design Design e complexidade no mundo atual Daniel Dutra contato@danieldutra.com.br Jimmy Leão jimmyleao@gmail.com Fundamentos do Design, Tecnologia e Cultura (MD 926) Profs. Kátia Araújo e Amilton Arruda Recife - Dezembro, 2014.
  2. 2. Apresentação Este trabalho tem como objetivo discutir a relação entre Design e Complexidade. Inicialmente, serão abordados os aspectos principais do discurso do mundo atual, compreendendo os efeitos da globalização e da teoria da complexidade nas sociedades contemporâneas. Por fim, pretende-se debater sobre os propósitos do design no cenário atual, refletindo sobre os novos valores e perspectivas que emergem nas múltiplos discursos da prática projetual, bem como, no próprio ensino do design.
  3. 3. Sumário O discurso do mundo atual • A globalização • A desestruturação do tempo e do espaço • O achatamento da diversidade • Novos valores para o consumo • A relação entre o homem e o trabalho Compreendendo a complexidade • Era uma vez a ciência clássica • A dialética do pensamento complexo O design no cenário atual • O designer e seus discursos • Design para um mundo complexo • Novos valores para o design
  4. 4. O discurso do mundo atual • A globalização • A desestruturação do tempo e do espaço • O achatamento da diversidade • Novos valores para o consumo • A relação entre o homem e o trabalho
  5. 5. Design e complexidade no mundo atual • 5 O discurso do mundo atual O final do século XX foi marcado por transformações políticas, socioeconômicas e culturais. A explosão digital desse período iniciou a denominada Era da Informação. A particularidade mais notória dessa nova era é, sem dúvidas, a ampliação da capacidade de armazenamento, recuperação e compartilhamento de informações, a superação dos limites de tempo e espaço que trouxe a aclamada globalização.
  6. 6. Design e complexidade no mundo atual • 6 A globalização A globalização é algo que vem se processando desde as Grandes Navegações mas que só se tornou aparente recentemente. Compreende o atual cenário de unificação dos sistemas comerciais, financeiros e jurídicos, dos sistemas de comunicações e da cultura - costumes, aparências e idéias.
  7. 7. Design e complexidade no mundo atual • 7 A globalização Esse processo de integração mundial trouxe transformações sobre as mais diversas práticas profissionais, haja vista que, via internet, pessoas do mundo inteiro estão interligadas, compartilhando informações, divulgando impressões e difundindo formas de cultura e saberes.
  8. 8. Automóvel da Fiat Atualmente, em média, apenas 2.000 componentes de um carro da Fiat são produzidas pela própria fábrica da empresa. Cerca de 2.000 peças são compradas de outros fornecedores na Itália e, ainda, 8.000 componentes são importados de outros países do continente europeu e do mundo. Design e complexidade no mundo atual • 8
  9. 9. Design e complexidade no mundo atual • 9 A globalização “A globalização representa o sucesso do instinto humano de explorar e depois colonizar todo o território que ele pensa que exista até construir uma única aldeia". Domenico de Masi, 2000.
  10. 10. Design e complexidade no mundo atual • 10 A globalização Em seu livro 'O ócio criativo', Domenico de Masi (2000) aponta alguns impulsos à globalização, a saber (adaptado): A curiosidade humana O impulso principal da globalização está na tendência humana em descobrir, conhecer e mapear o planeta e o universo.
  11. 11. Design e complexidade no mundo atual • 11 A globalização Em seu livro 'O ócio criativo', Domenico de Masi (2000) aponta alguns impulsos à globalização, a saber (adaptado): A curiosidade humana O impulso principal da globalização está na tendência humana em descobrir, conhecer e mapear o planeta e o universo. 1. Curiosidade material: tendência humana em expandir suas relações comerciais - escambo e troca de mercadorias, construção de novos mercados, expansão da própria moeda - compartilhar novos processos de configuração, construção, novos materiais, formas e objetos;
  12. 12. Design e complexidade no mundo atual • 12 A globalização Em seu livro 'O ócio criativo', Domenico de Masi (2000) aponta alguns impulsos à globalização, a saber (adaptado): A curiosidade humana O impulso principal da globalização está na tendência humana em descobrir, conhecer e mapear o planeta e o universo. 2. Curiosidade imaterial: Impulso característico do psicológico humano de compartilhar ideias e informações, valores e comportamentos.
  13. 13. Design e complexidade no mundo atual • 13 A desestruturação do tempo e do espaço A sociedade rural não tinha outra saída senão localizar cada plantio no terreno mais apropriado. E o mesmo valia para o tempo. Cada estação do ano implicava um número determinado de atividades. As novas tecnologias permitiram fazer tudo em qualquer lugar.
  14. 14. Educação a Distância A Educação a Distância é uma modalidade de ensino configurada de maneira diferenciada quando comparada à Educação Presencial, uma vez que os processos de ensino-aprendizagem acontecem em tempos e espaços distintos. Na EaD, alunos e docentes não necessitam estar no mesmo tempo e espaço para que os processos educacionais ocorram. Design e complexidade no mundo atual • 14
  15. 15. O achatamento da diversidade A globalização achata a diversidade? Certamente. Das pelo menos 20.000 línguas que existiam, hoje temos apenas 7.000 e, além disso, criou-se uma hierarquia entre estas. Design e complexidade no mundo atual • 15
  16. 16. Design e complexidade no mundo atual • 16 O achatamento da diversidade As atuais circunstâncias tecnológicas e culturais colocam todos os indivíduos diante de uma crise de identidade: deixar-se carregar pela homogeneização massificadora da globalização ou aproveitar as oportunidades, que entretanto existem, para afirmar a própria subjetividade.
  17. 17. Design e complexidade no mundo atual • 17 Novos valores para o consumo Coloca-se à sociedade pós-industrial uma bifurcação entre a “noção de personalização” e a “homogeneização consequente do aperfeiçoamento técnico” dos produtos. Para minimizar os efeitos dessa crise, o valor estético passa a ser extremamente exaltado, ocorre a valorização da criatividade na concepção dos produtos. "You can put a lipstick on a pig, but it's still a pig".
  18. 18. Design e complexidade no mundo atual • 18 Novos valores para o consumo O pertencimento cultural x a individualidade A possibilidade de escolher entre produtos infinitamente variados alimenta o desejo de se sentir diferente dos outros. A sociedade industrial fundava-se na razão, equanto a nossa na emotividade.
  19. 19. A Coca-Cola Zero já era líder na categoria de bebidas light e diet, em 2012, quando a companhia lançou a campanha que incluiu nomes próprios nas embalagens para reposicionar a marca e expandir sua presença no mercado. Além de atingir o objetivo, a ideia, inspirada numa ação da Coca-Cola na Austrália, tornou-se sucesso nas redes sociais e deu às latinhas do refrigerante status de objeto de decoração. Design e complexidade no mundo atual • 19 Coca-Cola Zero
  20. 20. Design e complexidade no mundo atual • 20 Novos valores para o consumo Ainda queremos qualidade e queremos muito mais qualidade A globalização transformou as relações entre as empresas e os seus clientes, garantindo o cumprimento das exigências do consumidor moderno. Ocorre um processo de nivelamento no plano de comunicação entre, no qual cliente e empresa encontram-se, agora, num mesmo plano de voz.
  21. 21. United breaks guitar Na primavera de 2008, A banda Sons of Maxwell viajava para uma turnê pela companhia área United Airlines. No despacho das bagagens, Dave Carrol, músico da banda, percebeu que seu violão havia sido danificado. Durante noves meses, Dave tentou conversou com a United. Seu esforço foi em vão, a companhia aérea respondeu que o músico deveria assumir a responsabilidade com os danos do instrumento e não poderia fazer nada para compensar a perda. Design e complexidade no mundo atual • 21
  22. 22. Design e complexidade no mundo atual • 22 Novos valores para o consumo Podemos dizer que traçamos um rumo ao consumo consciente. Ocorre uma preocupação com o tempo para consumir o que temos e, além disso, adiciona-se a noção de responsabilidade ambiental.
  23. 23. Design e complexidade no mundo atual • 23 A relação entre o homem e o trabalho “Quando trabalhamos, devemos trabalhar. Quando jogamos, devemos jogar. A nada serve tentar misturar as duas coisas. O único objetivo deve ser aquele de desempenhar um trabalho e de ser pago por isso. Quando o trabalho estiver terminado, pode então começar o jogo, mas não antes”. Henry Ford.
  24. 24. Design e complexidade no mundo atual • 24 A relação entre o homem e o trabalho Primeiro momento – Pré-Industrial O camponês e o artesão viviam no mesmo lugar em que trabalhavam, o tempo que dedicavam ao trabalho misturava-se ao das tarefas domésticas, ao dedicado a cantorias e outras distrações;
  25. 25. Design e complexidade no mundo atual • 25 A relação entre o homem e o trabalho Segundo momento – Industrial A indústria separou o lar do trabalho, a vida das mulheres da vida dos homens, o cansaço da diversão;
  26. 26. Design e complexidade no mundo atual • 26 A relação entre o homem e o trabalho Terceiro momento – Pós-Industrial Home-office, processo de liberdade tempo-espaço nas atividades profissionais.
  27. 27. Design e complexidade no mundo atual • 27 A relação entre o homem e o trabalho Qualquer um pode sentir-se pequeno diante da complexidade da conjuntura pós-industrial. Isso faz com que diversos profissionais se libertem do legado que estimula-os a trabalhar isoladamente. No mundo atual em que vivemos, as melhores soluções surgem do trabalho em redes. Isso tem relação direta com as possibilidades trazidas pela Internet e a Cultura Digital como um todo, que permitem que pessoas em tempos e lugares distintos possam estar conectadas trabalhando juntas.
  28. 28. Living Lab Habitat “A experiência do Living Lab Habitat ainda é muito recente, mas certamente já nos fez perceber, a todos os envolvidos com essa nova e ousada proposta de trabalho de redes de colaboração para inovação, que esse é um caminho difícil e promissor. Estamos convencidos de que uma rede de colaboração, ao aproximar tantas perspectivas, conhecimentos e habilidades diferentes e ao mesmo tempo, pessoas com atitudes em prol da coletividade e do bem comum pode fazer muito por um mundo sustentável” (Míriam Magdala, 2014). Design e complexidade no mundo atual • 28 www.labtar.net.br
  29. 29. Design e complexidade no mundo atual • 29 A relação entre o homem e o trabalho Outra característica importante da sociedade pós-industrial é a especialização. Como cada vez mais os indivíduos passam a trabalhar em grupo, é requerido que cada um seja especialista em uma parte do processo. Isso tem reflexos sobre as mais diversas profissões. Por outro lado, é importante se perceber que, com isso, cada vez mais se sabe menos sobre o todo, o que pode ser um caminho perigoso para a alienação do trabalho.
  30. 30. Design e complexidade no mundo atual • 30 A relação entre o homem e o trabalho Com o “boom!” da globalização, difundiu-se a consciência de que atividades cerebrais predominam em relação as manuais, que as atividades virtuais prevalecem sobre as tangíveis. Inicialmente, ocorreu um processo de intelectualização.
  31. 31. Design e complexidade no mundo atual • 31 A relação entre o homem e o trabalho Ainda nesse aspecto, é importante citar que já percebemos um processo de inversão, transição desses valores. Nos últimos anos, tem ocorrido um retorno da valorização das atividades manuais, seja por escassez da oferta desse tipo de trabalho ou pela recente valorização do conteúdo estético.
  32. 32. Compreendendo a complexidade • Era uma vez a ciência clássica • A dialética do pensamento complexo
  33. 33. Design e complexidade no mundo atual • 33 Compreendendo a complexidade “Pensar a complexidade. O maior desafio do pensamento contemporâneo, que necessita de uma reforma no nosso modo de pensar”. Edgar Morin.
  34. 34. Era uma vez a ciência clássica Design e complexidade no mundo atual • 34 A ciência clássica edificou 3 grandes pilares: • a ordem; • a separabilidade; • e a lógica. No mundo atual, essas bases encontram-se abaladas.
  35. 35. Era uma vez a ciência clássica Design e complexidade no mundo atual • 35 Ordem – Acreditava-se que existia uma ordem a ser descoberta por trás das coisas. A hipótese de Deus é descartada: a ordem funciona sozinha, é "autoconsolidada". A idéia de determinismo absoluto tornou-se objeto de uma crença quase religiosa entre os cientistas, que por isso se esqueceram de que ela não pode, de modo algum, ser demonstrada.
  36. 36. Era uma vez a ciência clássica Ordem – Essa idéia é substituída com o pensamento complexo. Não existe ordem! O que ocorre é que o homem visa colocar ordem sobre a desordem, organizá-la para compreendê-la. Design e complexidade no mundo atual • 36
  37. 37. Era uma vez a ciência clássica Design e complexidade no mundo atual • 37 Separabilidade – Conhecer é separar. Em face de um problema complicado, é preciso dividi-lo em pequenos fragmentos e trabalhá-los um após o outro. Esse princípio cartesiano do pensamento científico clássico é responsável pelo cenário atual de especializações disciplinares e nas mais diversas atividades do conhecimento.
  38. 38. Era uma vez a ciência clássica Design e complexidade no mundo atual • 38 Separabilidade – Nas ciências, a separação entre o observador e sua observação, ou seja, entre nós, humanos, que consideramos os fenômenos, e estes (os objetos de conhecimento), tinha valor de certeza absoluta. O conhecimento científico, objetivo, implicava a eliminação do indivíduo e da subjetividade. Se existisse um sujeito, ele causaria perturbação – seria um ruído.
  39. 39. Era uma vez a ciência clássica Design e complexidade no mundo atual • 39 Separabilidade – Hoje, desenvolve-se as ciências sistêmicas, cujo objetivo é juntar os elementos estudados em separados. O pensamento complexo não substitui a separabilidade pela inseparabilidade, mas convoca uma dialógica que utiliza o separável e o insere na inseparabilidade.
  40. 40. Era uma vez a ciência clássica Design e complexidade no mundo atual • 40 Lógica – A Razão clássica repousava sobre a lógica indutiva. Acreditava-se que era possível chegar a leis gerais por exemplos particulares, compreender o todo pela parte.
  41. 41. Era uma vez a ciência clássica Design e complexidade no mundo atual • 41 Lógica – O pensamento complexo coloca que nem o sistema completo é capaz de se auto-explicar a si próprio e, que portanto, a incerteza inevitável.
  42. 42. Design e complexidade no mundo atual • 42 A dialética do pensamento complexo Esses três desafios – a relação entre a ordem, a desordem; a questão da separabilidade ou inseparabilidade; e o problema da lógica – resumem o primeiro fundamento do pensamento complexo: Discutir sem dividir. A palavra complexus por definição é "o que é tecido junto". Pensar a complexidade é respeitar a tessitura comum, o complexo que ela forma para além de suas partes.
  43. 43. Design e complexidade no mundo atual • 43 A dialética do pensamento complexo A segunda linha fundamental do pensamento complexo é a imprevisibilidade. Um pensamento complexo deve ser capaz de não apenas religar, mas de adotar uma postura em relação à incerteza. As ciências físicas, que descobriram a incerteza, encontraram estratégias para lidar com ela, utilizando a estatística, por exemplo. A eletrônica permite alcançar resultados de grande precisão, em termos de conhecimento desse mundo flutuante. O pensamento capaz de lidar com a incerteza já existe no domínio das ciências exatas, mas ainda não nos âmbitos social, econômico, psicológico e histórico.
  44. 44. Design e complexidade no mundo atual • 44 A dialética do pensamento complexo A caminhada consiste em fazer um ir e vir incessante entre certezas e incertezas, entre o elementar e o global, entre o separável e o inseparável. Utilizamos a lógica clássica, mas conhecemos seus limites, sabemos que em certos casos é preciso transgredi-los. Não se trata, portanto de abandonar os princípios da ciência clássica – ordem, separabilidade e lógica - , mas de integrá-los num esquema que é, ao mesmo tempo, largo e mais rico.
  45. 45. Design e complexidade no mundo atual • 45 A dialética do pensamento complexo "O pensamento complexo reconhece o singular, o individual, o concreto e, ao mesmo tempo, é capaz de reunir de contextualizar, de globalizar". Edgar Morin.
  46. 46. Design e complexidade no mundo atual • 46 A dialética do pensamento complexo Vivemos em busca de novas abordagens para entender e lidar com uma realidade que se transforma cada vez mais rápido, impulsionada pelas mudanças ocorridas no discurso do mundo atual. Os 5 pontos: a globalização, a desestruturação do tempo e do espaço, o achatamento da diversidade, os novos valores para o consumo, as transformações na relação entre o homem e o trabalho fazem parte do quadro de muitas transformações desse novo mundo complexo.
  47. 47. Design e complexidade no mundo atual • 47 O design no cenário atual • O designer e seus discursos • Design para um mundo complexo • Novos valores para o design
  48. 48. Design e complexidade no mundo atual • 48 O designer e seus discursos O mundo atual está impetuosamente complexo e diferente mas, absurdamente, no campo do design, alguns profissionais insistem na concepção de que a atividade projetual equaciona os mesmos desafios e se ampara nos mesmos fundamentos.
  49. 49. Design e complexidade no mundo atual • 49 O designer e seus discursos Ao longo da história, ao mesmo tempo, em que nas universidades surgem pesquisas e discussões cada vez mais fundamentadas, ocorre no mercado, práticas tão variadas quanto díspares, reconheçamos ou não a legitimidade ou pertinência de tais usos do termo design. Nesse sentido, as tentativas de se definir a prática profissional do designer têm frequentemente suscitado reducionismos, dúvidas e polêmicas, e parecem mais destinadas a alimentar o debate do que a concluí-lo.
  50. 50. Design e complexidade no mundo atual • 50 Diagrama semiótico do Designer e seus discursos
  51. 51. Design e complexidade no mundo atual • 51 Diagrama semiótico do Designer e seus discursos Utópico Crítico Lúdico Prático
  52. 52. Design e complexidade no mundo atual • 52 Diagrama semiótico do Designer e seus discursos Prático A forma segue a função Eficiência Utilidade Desempenho Utópico Crítico Lúdico Prático
  53. 53. Design e complexidade no mundo atual • 53 Diagrama semiótico do Designer e seus discursos Lúdico Emoção Prazer Sensibilidade Sossego Utópico Crítico Lúdico Prático
  54. 54. Design e complexidade no mundo atual • 54 Diagrama semiótico do Designer e seus discursos Crítico Razão Questionamento Analítico Lógico Utópico Crítico Lúdico Prático
  55. 55. Design e complexidade no mundo atual • 55 Diagrama semiótico do Designer e seus discursos Utópico Futuro Bem-comum Democrático Responsabilidade ambiental Utópico Crítico Lúdico Prático
  56. 56. Design e complexidade no mundo atual • 56 Diagrama semiótico do Designer e seus discursos Utópico Crítico Lúdico Prático DESIGN DE ARTISTA DESIGN INDUSTRIAL DESIGN DE CIENTISTA DESIGN UTÓPICO
  57. 57. Design e complexidade no mundo atual • 57 Diagrama semiótico do Designer e seus discursos Gui Bonsiepe Victor Papaneck Rafael Cardoso Alexandre Wollner Karin Rashid Philippe Starck Elaine Ramos Irmãos Campana Christopher Alexander David Carson Jorge Frascara Marinna Chaccur Alexandre Hercovitch Paula Scher Guilherme Sebastiany John Ive
  58. 58. Design e complexidade no mundo atual • 58 Diagrama semiótico do Designer e seus discursos Utópico Crítico Lúdico Prático DESIGN DE ARTISTA DESIGN INDUSTRIAL DESIGN DE CIENTISTA DESIGN UTÓPICO DESIGN DA INFORMAÇÃO DESIGN DE ARTESÃO DESIGN PÓS-MODERNO
  59. 59. Design e complexidade no mundo atual • 59 Design para um mundo complexo Rafael Cardoso, escritor e historiador, se propõe a refletir sobre novos rumos para o design no cenário atual. Conhecido por inúmeros trabalhos que registram e analisam a história do design no Brasil, em seu livro Design para um mundo complexo, Cardoso põe em discussão as noções tradicionais do design e comenta quais seriam os passos futuros da profissão a partir da conjuntura em que vivemos.
  60. 60. Design e complexidade no mundo atual • 60 Design para um mundo complexo Consideramos que a análise feita pelo autor um tanto quanto exploratória e panorâmica, e em alguns momentos possivelmente rasa de alguns esclarecimentos, também é coerente, uma vez que o próprio Cardoso coloca que não é possível entender e resolver os problemas atuais sozinhos.
  61. 61. Novos valores para o design Design e complexidade no mundo atual • 61 Segundo Cardoso (2012), o processo de significação dos artefatos é determinado por quatro fatores: 1. a materialidade – construção, estrutura e forma – fator condicionado por processos de fabricação; 2. o ambiente – relacionado ao entorno, inserção social, contexto de uso do artefato;
  62. 62. Novos valores para o design Design e complexidade no mundo atual • 62 Segundo Cardoso (2012), o processo de significação dos artefatos é determinado por quatro fatores: 3. o usuário – seu repertório, gostos, comportamento, requisitos ergonômicos e intenções. O poder de ressignificar o artefato está nas mãos deste usuário que usa e, a partir do momento que se convenciona socialmente aceitar o significado novo, este pode ser extensível a toda uma comunidade de usuários. O atual dinamismo dessa dimensão imaterial explica como os artefatos adquirem e processam diferentes significados tão rapidamente. Essa discussão trazida pelo autor revela a urgente necessidade de se reconhecer e lidar com a densidade simbólica dos objetos que nos cercam.
  63. 63. Novos valores para o design Design e complexidade no mundo atual • 63 Segundo Cardoso (2012), o processo de significação dos artefatos é determinado por quatro fatores: 4. o tempo – compreende que os artefatos mudam com o tempo pelos limites suportados por sua configuração material, pelas mudanças do seu entorno e, principalmente, pela ação dos usuários (ciclo de vida do artefato).
  64. 64. Novos valores para o design Design e complexidade no mundo atual • 64 Em sua obra, Cardoso ainda aponta o que seriam, na sua opinião, alguns valores para o design no mundo complexo: 1. Pensamento sistêmico Maior e mais importante contribuição que o design tem a fazer para equacionar os desafios do nosso mundo complexo. Poucas áreas estão habituadas a considerar os problemas de modo tão integrado e comunicante. Em vez de fracionar o problema para reduzir as variáveis, o designer visa gerar alternativas únicas e totalizantes.
  65. 65. Novos valores para o design Design e complexidade no mundo atual • 65 2. Inventividade da linguagem Todo projeto envolve a conjugação de linguagens de ordem visual e plástica. Os melhores projetos são aqueles que combinam essa linguagens de maneira criativa e inovadora. Desde a Bauhaus, o racionalismo científico cristaliza padrões de combinação. A academia precisa ser um lugar que estimula o espírito criativo.
  66. 66. Novos valores para o design Design e complexidade no mundo atual • 66 3. Artesania Bons designers apresentam excelência na realização e no acabamento. Artesania significa um grau alto de atenção ao detalhe, cuidado na execução. A artesania pode ser uma maneira de rebater a alienação dos modos de produção - acompanhamento do ciclo de vida. Além disso, a força do trabalho manual reforça a valorizão da estética e da subjetividade, uma fuga da homogeneização.
  67. 67. Novos valores para o design Design e complexidade no mundo atual • 67 4. Empreendedorismo Compreensão do mercado e as novas políticas de consumo: horizontalidade na relação entre empresa e consumidor; desejo pela qualidade – consumidor exigente; bifurcação entre a “noção de personalização” e a “homogeneização consequente do aperfeiçoamento técnico” dos produtos; O pertencimento cultural x a individualidade.
  68. 68. Novos valores para o design Design e complexidade no mundo atual • 68 5. Responsabilidade ambiental e inclusão social Termos em voga no discurso político de diversas organizações, é preciso sair do âmbito do discurso e responder a esses anseios.
  69. 69. Novos valores para o design Design e complexidade no mundo atual • 69 6. Trabalho Colaborativo As melhores soluções surgem do trabalho em redes. Isso tem relação direta com as possibilidades trazidas pela Internet e a Cultura Digital como um todo, que permitem que pessoas em tempos e lugares distintos possam estar conectadas trabalhando juntas, reforça a ideia da especialização. O design é um campo essencialmente híbrido, que opera na junção entre artefato, usuário e tarefa. É imprescindível ao design se articular a outras áreas do conhecimento para propor soluções efetivas.
  70. 70. Novos valores para o design Design e complexidade no mundo atual • 70 7. Intelectualização Por muito tempo a atividade do designer enfatizou o saber instrumental e técnico. Trabalhador capaz de pensar o próprio trabalho, garantir liberdade e originalidade. Felizmente, no Brasil, as últimas cinco décadas se configuram como um período de amadurecimento da pesquisa em design. O surgimento e consolidação de cursos de pós-graduação em design demonstram que as faculdades estão avançando suas reflexões e discussões sobre a prática profissional.
  71. 71. Perguntas complexas Design e complexidade no mundo atual • 71
  72. 72. Perguntas complexas 1. Achatamento da diversidade, novos valores para o consumo e a consequente crise de identidade no design Como encarar o conflito entre a personalização” (afirmação da subjetividade dos indivíduos e de pertencimento cultural) e a “homogeneização” (consequente do aperfeiçoamento técnico e da globalização)? Design e complexidade no mundo atual • 72
  73. 73. Perguntas complexas 2. A desestruturação do tempo e do espaço e a relação entre o homem e o trabalho Quais são as implicações dessas novas condições de trabalho - co-working, fablabs, estúdios virtuais - para o designer e o mercado? Design e complexidade no mundo atual • 73
  74. 74. Design e complexidade no mundo atual • 74 Perguntas complexas 3. A intelectualização x o trabalho manual Quanto tempo será que dura este retorno da valorização dos trabalhos manuais? Podemos dizer que seria até a humanização das tecnologias?
  75. 75. Design e complexidade no mundo atual • 75 Perguntas complexas 4. O pensamento sistêmico no design x a segmentação da área É no mínimo contraditório, perceber o ensino do design que é uma área essencialmente sistêmica, encontra-se esfacelado nas especializações: design gráfico, design de moda, design de jogos. Nesse sistema que já está instalado no ensino do design no mundo inteiro, os diferentes discursos são embutidos de maneira consciente?
  76. 76. Perguntas complexas 5. Os conflitos entre os diferentes discursos no design e sua incompreensão na sociedade Este embate percebido nos diferentes discursos no design estaria relacionado com o fato da profissão ser muitas vezes incompreendida, ou não reconhecida enquanto área (cerco) profissional ou científica? Quem é responsável pela legitimação dos diferentes discursos no design? A academia - enquanto instância de legitimação - tenta transplantar os diferentes discursos, um sobre os outros, ou permite a promoção do design sistêmico e híbrido? Design e complexidade no mundo atual • 76
  77. 77. Referências CARDOSO, Rafael. Design para um mundo complexo. São Paulo: Cosac Naify, 2012. MASI, Dômenico de. O ócio criativo. Rio de Janeiro: Editora Sextante, 2011. MORIN, Edgar; LE MOIGNE, Jean-Louis. A Inteligência da Complexidade. São Paulo: Petrópolis, 2000.
  78. 78. Muito obrigado! Daniel Dutra contato@danieldutra.com.br Jimmy Leão jimmyleao@gmail.com Recife - Dezembro, 2014.

×