O Meio Aquático

1.812 visualizações

Publicada em

Meio Aquático, usos da água, qualidade da água, tratamento de esgoto

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.812
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Existem fatores que alteram o esgoto quantitativamente e qualitativamente. É de extrema importância conhecer estes fatores, pois eles guiarão a tomada de medidas para o tratamento.
  • O Meio Aquático

    1. 1. 1 fonte: do autor AMANDA SOBRINHO NEVES DAMYSSON HENRIQUE BEZERRA DA SILVA DIAS GRAYSSIKEILA DE OLIVEIRA MEIRA JEFFERSON DE SOUZA MARIANA CAMPOS NUNES FREIRE PABLO AMÂNCIO DOS SANTOS
    2. 2. A ÁGUA NA 2 natureza fonte: do autor
    3. 3. A água na natureza A água é encontrada na natureza nos estados sólido, líquido e gasoso. 3Fonte: minhasaulasdefisica.blogspot.com
    4. 4. Por ser fonte de sobrevivência para os seres vivos, os recursos hídricos necessitam apresentar condições físicas e químicas adequadas à sua devida utilização. A água na natureza 4Fonte: cmfcps.arteblog.com.br
    5. 5. Os mares e os oceanos contêm cerca de 97,4% de toda essa massa, formada pela água salgada. 2% da água total estão estocadas sob a forma de neve ou gelo, no topo das grandes cadeias de montanhas ou nas zonas polares. A água na natureza 5
    6. 6. Mares e Oceanos 6 fonte: do autor fonte: do autor
    7. 7. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que 25 milhões de pessoas morrem por ano, no mundo, em decorrência do consumo inadequado de águas contaminadas. A qualidade da água 7Fonte: patosonline.com Fonte: sejagreen.wordpress.com Fonte: fundacaoverde.org.br
    8. 8. As características físicas mais comuns medidas são a temperatura, a cor, o gosto, o odor e a turbidez. As características físicas da água 8 Fonte: bloomberg.com Fonte: luz.mg.gov.br
    9. 9. Existem diversos fatores característicos da água como a temperatura, os sais, o calor específico da água, a luz. As características físicas da água 9 Fonte: media-cache-ec0.pinimg.com Fonte: http://travelforever.com.br/
    10. 10. O ferro e o manganês também dão coloração à água. As características físicas da água Fonte: panoramio.com 10 Fonte: noticias.uol.com.br
    11. 11. Descontração.... 11 Fonte:somusica10.com
    12. 12. A principal característica química da água é o seu poder solvente. A presença de gases dissolvidos na água, como o O e o CO2, permitem a ocorrência da fotossíntese... As características químicas da água 12 Fonte:slideshare.net
    13. 13. .......e da respiração aeróbia neste meio. Além das bactérias, alguns fungos também realizam a respiração anaeróbia. Um fungo muito conhecido, chamado de Saccharomyces cerevisae, é utilizado na produção de bebidas alcoólicas e também na produção de pães, bolos, biscoitos, etc. Esse fungo realiza tanto a respiração anaeróbia quanto a respiração aeróbia. As características químicas da água 13 Fonte:maisequilibrio.com.br Fonte:casasaudavel.uol.
    14. 14. O pH, potencial hidrogeniônico, é um índice que indica a acidez, neutralidade ou alcalinidade de um meio qualquer. A escala do pH pode variar de 0 até 14, onde zero é a mais ácida, 7 é neutro e 14 é a mais alcalina (básica). As características químicas da água 14 Fonte: delta.com.br Fonte: piscinafacil.com.br
    15. 15. A água é um recurso natural de valor inestimável. É vital para a manutenção dos ciclos biológicos, geológicos e químicos que mantêm o equilíbrio dos ecossistemas. 15
    16. 16. A utilização da água pelo homem depende da sua disponibilidade, da realidade socioeconômica e cultural, das formas de captação, tratamento e distribuição. Organismos aquáticosAbastecimento humano 16 Fonte: t0.gstatic.com Fonte: crv.educacao.mg.gov.br
    17. 17. como matéria-prima, na produção de alimentos e produtos farmacêuticos, gelo e etc; em atividades industriais como na refrigeração, como na metalurgia, tecido, em abatedouros e matadouros, etc e em atividades em que é utilizada para fabricação de vapor, como na caldeiraria, entre outros. Abastecimento comercial 17 Fonte: R7.com Fonte: www.caldeirasimperatriz.com.br Fonte: http://commons.wikimedia.org/
    18. 18. Abastecimento Industrial Abastecimento comercial - em escritórios, oficinas, nos centros comerciais e lojas, em bares, restaurantes, sorveterias, etc. Abastecimento industrial 18 Fonte: http://www.alagoas24horas.com.br/ Fonte: vendasnaweb.com.br
    19. 19. Para produção de alimentos, para tratamento de animais, lavagem de instalações, máquinas e utensílios Irrigação 19
    20. 20. A irrigação representa o uso mais intenso de utilização hídrica, sendo responsável por 70% da utilização de água doce do mundo. Para o cultivo de vegetais e hortaliças que são consumidos crus a água deve estar isenta de organismos patogênicos. Abastecimento humano 20 Fonte: teraambiental.com.br
    21. 21. O transporte de carga e passageiros por via fluvial ainda é muito utilizado no Brasil, por ser ainda o meio mais econômico. Porém, a navegação pode perturbar o meio aquático ao despejar substâncias poluidoras das embarcações. Abastecimento humano 21 Fonte: www.flickr.com
    22. 22. É utilizada nas termoelétricas e nas usinas hidrelétricas. Geração de Energia 22 Fonte: http://www.noticiajato.com.br/ Fonte: http://polemicascmm.blogspot.com/
    23. 23. Aqüicultura Desempenha um papel econômico e social de grande importância, através da produção de alimento e geração de emprego e renda. Aquicultura 23 Fonte: 3.bp.blogspot.com Fonte: aquiacontece.com.br
    24. 24. Recreação Em atividades de lazer, turismo e socioeconômicas, nas piscinas, lagos, parques, rios, etc. Recreação 24 Fonte: www.sesc-pe.com.br Fonte: 2.bp.blogspot.comFonte: lh4.googleusercontent.com
    25. 25. Distribuição do consumo de água no BrasilDistribuição e consumo 25
    26. 26. Usos diversos da água e conflitos No último século, a população mundial cresceu 3 vezes e o consumo de água cresceu 6 vezes. Além disso, a distribuição de água no planeta não é igualitária. Usos e conflitos 26 Fonte: blog.diarinho.com.br Fonte: i704.photobucket.com
    27. 27. Usos diversos da água e conflitos • escassez de água... • desperdício de água... • deficiência técnica e administrativa dos serviços de abastecimento de água... Usos e conflitos 27 Fonte: comando190.com Fonte: eldigital.pe
    28. 28. Alteração da Qualidade das Águas 28fonte:dados do autor
    29. 29. Alteração da Qualidade das Águas Poluição  Alteração das características da água por quaisquer ações ou interferências, naturais ou antrópicas. Estéticos Fisiológicos EcológicosFonte:jornaldaparaiba Fonte:ideiaweb.org Fonte:www.infoescola.com 29
    30. 30. POLUIÇÃOCONTAMINAÇÃO  Transmissão de substâncias ou microrganismos nocivos à saúde pela água (Braga, 2005).  Poluição é uma alteração ecológica, ou seja, uma alteração na relação entre os seres vivos, provocada pelo ser humano.(Nass, 2002). Fonte:img.limao.com.br Fonte:static.panoramio.com Alteração da Qualidade das Águas 30
    31. 31. Poluentes  Os efeitos da introdução de um poluente na água depende: - Da natureza do Poluente; - Do caminho que ele irá percorrer; - Do uso que se faz da água.  Formas de introdução dos poluentes PONTUAL DIFUSA Alteração da Qualidade das Águas 31
    32. 32. Fonte:Braga,etal(2005). Alteração da Qualidade das Águas 32
    33. 33. Poluentes orgânicos Biodegradáveis  Matéria orgânica lançada na água que será degradada pelos organismos decompositores.  Impacto pelo excesso de matéria orgânica no meio. Decomposição Aeróbia Decomposição Anaeróbia  Oxigênio dissolvido no meio.  Bactérias Aeróbias.  Consumo excessivo de oxigênio.  Sem oxigênio dissolvido no meio.  Bactérias Anaeróbias.  Liberação de metano e gás sulfídrico. Alteração da Qualidade das Águas 33
    34. 34. Poluentes orgânicos Biodegradáveis Fonte:meioambiente.culturamix.com/ Fonte:www.arionaurocartuns.com.br Fonte:2.bp.blogspot.com Alteração da Qualidade das Águas 34
    35. 35. Poluentes orgânicos Recalcitrantes (Refratários)  Compostos orgânicos não biodegradáveis ou com uma taxa de biodegradação muito lenta.  Impacto pela toxidade dos compostos. Defensivos Agrícolas  Atinge rios, lagos, aquíferos e oceanos.  Correntes atmosféricas, despejo de restos de soluções, limpeza de acessórios e erosão pela chuva.  Produtos até na Antártica. Detergentes Sintéticos  Mais danos em águas doces.  Troca de gases ar-água.  Espumas com poluentes. Alteração da Qualidade das Águas 35
    36. 36. Petróleo  Substâncias com diferentes taxas de biodegrabilidade.  Película artificial na superfície da água.  Vedação dos estômatos das plantas e órgãos respiratórios dos animais.  Toxidade para os organismos. Poluentes orgânicos Recalcitrantes (Refratários) Alteração da Qualidade das Águas 36
    37. 37. Poluentes orgânicos Recalcitrantes (Refratários) Fonte:c1.staticflickr.com Fonte:www.portelaonline.com.br Fonte:4.bp.blogspot.com Alteração da Qualidade das Águas 37
    38. 38.  Todos os metais são solubilizados em água.  Toxidade e potencial carcinogênico, mutagênico e teratogênico.  Alguns organismos são sensíveis à ação tóxica dos metais.  Outros bioacumulam as toxinas e prejudicam a cadeia alimentar. Metais Tóxicos  Suas concentrações são intensificadas no meio pelas atividades Industriais, Agrícolas e de Mineração. Metais Pb As Cd Cr Hg Ba Alteração da Qualidade das Águas 38
    39. 39. Metais Fonte:acritica.uol.com.br Fonte:www.kunenerak.org Alteração da Qualidade das Águas 39
    40. 40. Metais Mal de Minamata (1956)  Corporação Chisso (1930)  Mais de 900 pessoas morreram com dores severas devido ao envenenamento por Mercúrio. Fonte:www.ahtabom.com.br Tomoko Uemura, de 17 anos, repousa no colo da mãe. Fonte:http://www.brasilescola.com/ Alteração da Qualidade das Águas 40
    41. 41.  Segundo a OMS cerca de 28 mil pessoas ainda morrem no Brasil todos os anos por causa da água contaminada ou de doenças relacionadas com a falta de higiene.  Saneamento básico precário ou inexistente em regiões menos desenvolvidas Organismos Patógenos Bactérias Leptospira e Vibrio cholerae Vírus Vírus da Hepatite A e poliovírus Protozoários Entamoeba histolytica e Giardia lamblia Helmintos Schistosoma Mansoni e Ascaris lumbricoides Alteração da Qualidade das Águas 41
    42. 42. Comportamento dos poluentes no meio aquático  Os poluentes lançados na água sofrem ações de diversos mecanismos físicos, químicos e biológicos. Mecanismos Físicos  Diluição Fonte:4.bp.blogspot.com Alteração da Qualidade das Águas 42
    43. 43. Mecanismos Físicos Ação Hidrodinâmica  Corpos hídricos apresentam um movimento próprio que transporta os poluentes. Processos Difusos  Difusão Molecular: Resulta do movimento decorrente da agitação térmica das partículas do fluído. Sem interferência externa.  Difusão Turbulenta: Corpos com maior movimento e turbulência. Mistura mais rápida das substâncias. Alteração da Qualidade das Águas 43
    44. 44. Mecanismos Físicos  Difusão Molecular Fonte:1.bp.blogspot.com Fonte:4.bp.blogspot.com  Difusão Turbulenta Alteração da Qualidade das Águas 44
    45. 45. Processo de Autodepuração  Capacidade de um corpo de água de promover a estabilização de carga poluidora nele lançada.  Ocorre por meio de processos Físicos (Diluição e Sedimentação), Químicos (Oxidação) e Biológicos (Decomposição).Fonte:1.bp.blogspot.com Alteração da Qualidade das Águas 45 Fonte:www.fotolog.com
    46. 46. Processo de Autodepuração Etapa 1: Decomposição  DBO – Demanda Bioquímica de Oxigênio.  DBO de esgotos domésticos – 300 mg/L.  DBO da água a 20ºC – 9 mg/L. Etapa 2: Recuperação do oxigênio dissolvido ou reaeração  Fontes que adicionam O na água: Atmosfera e Fotossíntese. 5,20 5,20 2 Alteração da Qualidade das Águas 46
    47. 47. Alteração da Qualidade das Águas 2 47 Fonte:Braga,etal(2005).
    48. 48. O comportamento ambiental dos lagos 48 wikimedia.org
    49. 49. A ESTRATIFICAÇÃO TÉRMICA Em certas épocas do ano os lagos apresentam uma distrição entre as temperaturas das camadas superficial e profundas e, por isso, a densidade dessas duas. 49
    50. 50. Fonte: dern.ufes.br 50 A ESTRATIFICAÇÃO TÉRMICA
    51. 51. A eutrofização manifesta-se por meio do aumento da produtividade biológica do lago, com isso, podemos classificar os lagos em: • Oligotróficos: Lagos com baixa produtividade biológica e baixa concentração de nutrientes. • Eutróficos: lagos com produção vegetal excessiva e alta concentração de nutrientes. • Mesotróficos: Lagos com características intermediarias entre oligotróficos e eutróficos. 51 PROCESSO DE EUTROFIZAÇÃO
    52. 52. 52 PROCESSO DE EUTROFIZAÇÃO Fonte: http://cidta.usal.es/
    53. 53. • A eutrofização com intervenção humana • A eutrofização acelerada causa inúmeros efeitos negativos por impedir que as alterações morfológicas acompanhem o seu ritmo, como ocorre no processo natural 53 EUTROFIZAÇÃO CULTURAL OU ACELERADA
    54. 54. • Esgotos domésticos • Esgotos industriais • Fertilizantes agrícolas 54 CAUSAS Fonte: sapo.salvador.ba.gov.br Fonte: ornaldeprimaveradoleste.com.br Fonte: www.culturamix.com
    55. 55. 1. Impacto sobre o ecossistema e a qualidade da água: • Diversidade biológica diminui • Alteração das espécies de algas presentes no meio • Os baixos teores de oxigênio 55 CONSEQUÊNCIAS
    56. 56. 2. Impactos sobre a utilização dos recursos hídricos • O uso recreacional do corpo de água • O uso do corpo de água para irrigação • Perda de valor comercial de propriedades 56 CONSEQUÊNCIAS
    57. 57. 57 CONSEQUÊNCIAS Fonte:www.infoescola.com Fonte:ambientesaudavelbiologia.files.wordpress.com
    58. 58. MEDIDAS PREVENTIVAS • FONTES PONTUAIS Retirada de nutriente através de tratamento terciário de esgoto domestico Tratamento de efluentes industriais • FONTES DIFUSAS Redução do uso de fertilizantes agrícolas Recomposição de matas ciliares Controle de drenagem urbana 58 EUTROFIZAÇÃO: CONTROLE
    59. 59. • MEDIDAS CORRETIVAS: Areação da camada inferior dos lagos para manter o fósforo na sua forma insolúvel Precipitação química do fósforo Redução da biomassa vegetal por meio da colheita de macrófitas Remoção de sedimento do fundo 59 EUTROFIZAÇÃO: CONTROLE
    60. 60. Para se ter conhecimento sobre a qualidade da água é necessário indicadores, e. 60 PARÂMETROS INDICADORES DE QUALIDADE Físicos Químicos Biológicos
    61. 61. • COR • TURBIDEZ • SABOR E ODOR 61 INDICADORES FÍSICOS
    62. 62. • SALINIDADES: Confere à água sabor salino e características incrustantes. • DUREZA: Ocorre pela falta de sais de metais alcalino-terrosos e de espuma desenvolvida pelo sabão. • ALCALINIDADE: Ocorre pela presença de metais alcalinos e alcalinos-terrosos. 62 INDICADORES QUÍMICOS
    63. 63. • CORROSIVIDADE: presença de ácidos minerais ou pela existência em solução de oxigênio, gás carbônico e gás sulfídrico. • FERRO E MANGANÊS: As águas ferruginosas mancham as roupas, mecanismos sanitários e pode fica dispostas nas tubulações. 63 INDICADORES QUÍMICOS
    64. 64. • IMPUREZAS ORGÂNICAS, NITROGÊNIO E CLORETOS: O nitrogênio permite analisar o grau e a distância de uma poluição pela quantia e forma de apresentação dos decorrente nitrogenados 64 INDICADORES QUÍMICOS Fonte: gravidezbebes.com
    65. 65. • COMPOSTOS TÓXICOS: Através de efluentes industriais, drenagem de áreas agrícolas ou atividades de mineração alguns elementos ou compostos químicos são liberados deixando que a água fique tóxica, como exemplo, o cobre, o zinco, o chumbo, os cianetos, o cádmio entre outros. 65 INDICADORES QUÍMICOS
    66. 66. • DETERGENTES: causam problemas à água, como sabor desagradável, formação de espuma em águas agitadas e problemas em estações de tratamento de água e de esgoto em atributo da espuma e da toxicidade. 66 INDICADORES QUÍMICOS
    67. 67. • Agrotóxicos: O uso dessas substâncias acarreta em mortandade de peixes e prejuízo ao abastecimento publico de água. 67 INDICADORES QUÍMICOS Fonte: sinpaf.org.br
    68. 68. • Algas: São importantes para o equilíbrio ecológico do meio aquático e são responsáveis por parte do oxigênio da água. • Microorganismos patogênicos: Por causa da grande variedade que pode estar contido na água é mais fácil descobrir sua existência a partir de indicadores de material fecal no meio liquido chamados coliformes fecais. 68 INDICADORES BIOLÓGICOS
    69. 69. ÍNDICE DA QUALIDADE DA ÁGUA • N é o numero de parâmetros utilizados no calculo do índice, qi é o valor do parâmetro i em uma escala de 0- 100 e wi é o peso atribuído ao parâmetro i. 69 ÍNDICE DA QUALIDADE DA ÁGUA
    70. 70. Água para beber ÁGUA E SISTEMAS BIOLÓGICOS, PADRÃO DE POTABILIDADE E DISPOSITIVOS LEGAIS fonte: ameliasdesalto.com 70
    71. 71. A ÁGUA E OS SISTEMAS BIOLÓGICOS O monóxido de hidrogênio (ou simplesmente água) é um composto químico essencial para o funcionamento de todos os sistemas biológicos atualmente conhecidos. Praticamente todas as reações químicas que ocorrem em sistemas vivos dependem da presença da água. A ausência do composto (em humanos, por exemplo) inviabilizaria desde atividades vegetativas – de manutenção da vida –, como respiração e controle da temperatura, até processos extremamente complexos, como fala e cognição. 71
    72. 72. 8.6.1 A água e os sistemas biológicos A indispensabilidade do composto leva à sua ingestão diária por todos os humanos e demais sistemas vivos do planeta terra; e é aqui que aparece um problema: ao ingerir-se ‘água’, pode-se estar ingerindo, além do monóxido de hidrogênio, organismos patógenos e substâncias químicas que apresentam risco à saúde. A ÁGUA E OS SISTEMAS BIOLÓGICOS 72
    73. 73. 8.6.2 A água potável Monóxido de hidrogênio, água e água potável: quais as diferenças? São necessários estudos que determinem padrões de potabilidade, ou seja, “valores máximos permissíveis das características da qualidade da água destinada ao consumo humano (Ministério da Saúde, 2004) ”; como também, em caráter mais prático, a criação de dispositivos legais que sirvam de parâmetro para a implantação e fiscalização de todo e qualquer sistema de tratamento de água (cujo fim seja o consumo humano). ÁGUA POTÁVEL 73
    74. 74. A portaria n° 518 de 25/04/2004, do Ministério da Saúde (MS), define, no Brasil: 1. Padrões de potabilidade da água destinada ao consumo humano; 2. Procedimentos e responsabilidades quanto ao controle e à vigilância; 3. Indicadores físicos, químicos e biológicos (InFQB) da água potável. ÁGUA E PRÁXIS: A PORTARIA 518 74
    75. 75. Imagem 1. Padrão microbiológico. Fonte: BRAGA et al., 2005, p. 119. OS INFQB DA ÁGUA POTÁVEL 75
    76. 76. Imagem 2. Padrão para alguns inorgânicos. Fonte: BRAGA et al., 2005, p. 119. OS INFQB DA ÁGUA POTÁVEL 76
    77. 77. Imagem 3. Padrão para alguns orgânicos. Fonte: BRAGA et al., 2005, p. 120. OS INFQB DA ÁGUA POTÁVEL 77
    78. 78. Imagem 4. Padrão para alguns agrotóxicos: substâncias químicas que apresentam risco à saúde. Fonte: BRAGA et al., 2005, p. 120. OS INFQB DA ÁGUA POTÁVEL 78
    79. 79. Tratamento de esgoblogdopetcivil.com 79
    80. 80. 80 +80% +60% +40% +20% Até 20% IBGE, censo 2010
    81. 81. O termo designa “despejos provenientes dos diversos usos da água.” De acordo com o dicionário Priberam, define-se esgoto como “abertura ou cano por onde correm ou se esgotam líquidos ou dejetos.” Fonte: Jovemdefuturo 81 DEFINIÇÃO
    82. 82. De acordo com a NBR 9648, que dispõe sobre Estudo de concepção de sistemas de esgoto sanitário, define-se como esgoto sanitário “Despejo líquido constituído de esgotos doméstico e industrial, água de infiltração e a contribuição pluvial parasitária.” Fonte:ofertaslivres.com 82 DEFINIÇÃO
    83. 83. 83 Doméstico Industrial Pluvial Fonte: culturamix Fonte: globedia Fonte: geoconceição TIPO
    84. 84. 84 Fonte: tigre.com.br DEFINIÇÃO
    85. 85. 85 Os sistemas de esgoto sanitário são constituídos por canalizações divididas em: COLETORAS e INTERCEPTORAS CONSTITUIÇÃO
    86. 86. 86 Fonte: sabesp Coletores • Predial • Secundário • Tronco CONSTITUIÇÃO: COLETORES
    87. 87. 87 Emissário CONSTITUIÇÃO: INTERCEPTORES Fonte: sabesp
    88. 88. 88 Fonte: daem Estação elevatória CONSTITUIÇÃO: INTERCEPTORES
    89. 89. 89 Estação de Tratamento de esgoto CONSTITUIÇÃO: INTERCEPTORES Fonte: daem
    90. 90. 90 É importante conhecermos o esgoto sanitário quantitativamente e qualitativamente, pois muitos problemas podem ser causados em função do gerenciamento incorreto. Entre possíveis problemas podemos citar doenças e deterioração de corpos de água. Fonte:acritica.uol.com.br Fonte:produtosparalaboratorio ESGOTO E MEIO AMBIENTE
    91. 91. 91 • Hábitos e condições socioeconômicas da população. • Ligações clandestinas de águas pluviais na rede de esgoto. • Clima. • Construção, estado de conservação e manutenção de redes de esgoto. • Vazamento de torneiras. Quantitativamente ESGOTO E MEIO AMBIENTE
    92. 92. 92 • Composição da água de abastecimento. • Diversos usos da água. Qualitativamente ESGOTO E MEIO AMBIENTE
    93. 93. 93 Processos tratamento segundo o meio empregado: • Sólidos grosseiros em suspensão (crivos, grades, desintegradores). Fonte: tigre.com.brFonte: ciclovivo TRATAMENTO DE ESGOTO
    94. 94. 94 Processos tratamento segundo o meio empregado: • Sólidos grosseiros sedimentáveis (caixa de areia, centrifugadores). TRATAMENTO DE ESGOTO Fonte: sanmariana.com.br
    95. 95. 95 Processos tratamento segundo o meio empregado: • Óleos, graxa e substâncias flutuantes análogas (tranques de retenção, tranques de flotação, decantadores com remoção de espumas). • Miúdos em suspensão (tanques de flotação, tanque de precipitação química, filtro de areia). TRATAMENTO DE ESGOTO Fonte: sanmariana.com.br Fonte: sanmariana.com.br
    96. 96. 96 Processos tratamento segundo o meio empregado: • Substâncias orgânicas dissolvidas, semidissolvidas, e finalmente divididas (irrigação de grandes áreas, campo de nitrificação, filtros biológicos, lagoa de estabilização, tanque sépticos, tanque de lodo ativo, sistemas de oxidação). • Remoção de odores e controle de doenças (cloração, reagentes químicos e instalações biológicas). TRATAMENTO DE ESGOTO
    97. 97. 97 Processos tratamento segundo a eficiência das Unidades: • Preliminar (remoção de sólidos, gorduras e areia). • Primário (decantação, flotação, digestão do lodo, secagem do lodo). • Secundário (filtragem biológica, lodos ativados, decantação, lagoas de estabilização). • Avançado (remoção de nutrientes e complexos orgânicos). TRATAMENTO DE ESGOTO
    98. 98. Os curso de águas naturais, salinas ou salgadas, são classificados de acordo com seu uso. No Brasil, o Conselho Nacional do Meio Ambiente é o órgão responsável pela classificação e o estabelecimento de condições para o uso, através da Resolução Conama nº 357/2005. 98 CURSOS DE ÁGUAS NATURAIS: CLASSIFICAÇÃO
    99. 99. 99 CLASSE USO Fonte: BRAGA et al., 2005 CURSOS DE ÁGUAS NATURAIS: CLASSIFICAÇÃO
    100. 100. 100 CLASSE USO CURSOS DE ÁGUAS NATURAIS: CLASSIFICAÇÃO Fonte: BRAGA et al., 2005
    101. 101. 101 CLASSE USO CURSOS DE ÁGUAS NATURAIS: CLASSIFICAÇÃO Fonte: BRAGA et al., 2005
    102. 102.  BRAGA, B. et al. Introdução à Engenharia Ambiental: O desafio do desenvolvimento sustentável. ed. 2, São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005  http://www.cdcc.sc.usp.br/ciencia/artigos/art_13/poluicao.html  http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/noticia/2011-07-05/oms- pelo-menos-2-milhoes-de-pessoas-morrem-por-ano-no-mundo-por- causa-de-agua-contaminada  http://www.portelaonline.com.br/site/noticia.php?id=11250#  http://pt.wikipedia.org/ REFERÊNCIAS 102

    ×