Breve História dosINCAS
TítuloO Império do SolBreve História dos IncasAutorEduardo AmaranteRevisãoIsabel NunesGrafismo, Paginação e Arte finalDivA...
apeirone d i ç õ e sBreve História dosINCASEduardo Amarante
O Império do SolIntroduçãoCapítuloISimbolismonaAméricapré-colombiana• TIAHUANACOArquitecturaCerâmica• CHAVINO culto do Jag...
Origens – Período Curacal (Incas lendários)O Dilúvio e a nova humanidadeO TahuantinsuyoCuzco, o Umbigo do MundoPeríodo Mon...
O Império do SolApeiron Edições | 9Declaro-me vivoChamalú, Índio QuechuaSaboreio cada momento.Antigamente preocupava-me qu...
Eduardo Amarante10 | Apeiron EdiçõesA melhor forma de despertar é deixar de questionar se asnossas acções incomodam aquele...
O Império do SolApeiron Edições | 11INTRODUÇÃO________________O Império Inca – que se destacou em plena Cordilheira dosAnd...
I sol extracto_miolo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

I sol extracto_miolo

193 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
193
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

I sol extracto_miolo

  1. 1. Breve História dosINCAS
  2. 2. TítuloO Império do SolBreve História dos IncasAutorEduardo AmaranteRevisãoIsabel NunesGrafismo, Paginação e Arte finalDivAlmeida Atelier Gráficowww.divalmeida.comTécnica da capaDivAlmeida Atelier Gráficowww.divalmeida.comImpressão e AcabamentoEspaço Gráfico, Lda.www.espacografico.ptDistribuiçãoProjecto Apeiron, Lda.apeiron.edicoes@gmail.com1ª edição – Maio 2013ISBN 978-989-8447-31-9Depósito Legal nº 358742/13©Apeiron EdiçõesReservados todos os direitos de reprodução, total ou parcial,por qualquer meio, seja mecânico, electrónico ou fotográficosem a prévia autorização do editor.Projecto Apeiron, Lda.www. Edicoes-apeiron.blogspot.comapeiron.edicoes@gmail.comPortimão – Algarve
  3. 3. apeirone d i ç õ e sBreve História dosINCASEduardo Amarante
  4. 4. O Império do SolIntroduçãoCapítuloISimbolismonaAméricapré-colombiana• TIAHUANACOArquitecturaCerâmica• CHAVINO culto do Jaguar em Chavin• PARACASA trepanação craniana• MOCHICAOrganização socialArquitecturaHidráulicaA vida para além da morteDeuses e cultos da cultura Mochica• NAZCAArquitecturaAsfigurasgigantesdeNazcaCerâmica• LAMBAYEQUE-CHIMUArquitecturaCerâmicaMetalurgiaSíntese das principais ideiasCapítuloIIOImpérioIncaIntrodução7Apeiron Edições |1113141417182122232425262626262828293131323333343535ÍNDICE
  5. 5. Origens – Período Curacal (Incas lendários)O Dilúvio e a nova humanidadeO TahuantinsuyoCuzco, o Umbigo do MundoPeríodo MonárquicoPeríodo ImperialA conquista e o fim do Império IncaO ExpansionismoAs vias terrestres incasOs TambosOs ChasquisOs QuipuA organização social do ImpérioA organização administrativaArquitecturaMachu PicchuConclusãoCapítulo IIIA Religião dos IncasSimbolismoeCosmogonia–cultossolareselunaresOs três mundosO Código de Moral entre os incasAlguns exemplos da sabedoria incaBibliografiaEduardo Amarante8 Apeiron Edições|3637394042424345464747484950545557616364656669
  6. 6. O Império do SolApeiron Edições | 9Declaro-me vivoChamalú, Índio QuechuaSaboreio cada momento.Antigamente preocupava-me quando os outros falavammal de mim.Então fazia o que os outros queriam e a minha consciên-cia censurava-me.Entretanto, apesar do meu esforço em ser bem-educado,havia sempre alguém que me difamava.Como agradeço a essas pessoas, que me ensinaram que avida é apenas um cenário. A partir desse momento, atrevo-me a ser como sou.A árvore anciã ensinou-me que somos todos iguais.Sou guerreiro: a minha espada é o amor; o meu escudo éhumor; o meu espaço é a coerência; o meu texto é a liberdade.Perdoem-me se a minha felicidade é insuportável, masnão escolhi o bom senso comum. Prefiro a imaginação dosíndios, que tem embutida a inocência.É possível que tenhamos de ser apenas humanos.Sem Amor nada tem sentido, sem Amor estamos perdi-dos, sem Amor corremos de novo o risco de estarmos a ca-minhar de costas voltadas para a Luz.Por esta razão é muito importante que apenas o Amorinspire as nossas acções.Anseio que descubras a mensagem por detrás das palavras;não sou um sábio, sou apenas um ser apaixonado pela vida.
  7. 7. Eduardo Amarante10 | Apeiron EdiçõesA melhor forma de despertar é deixar de questionar se asnossas acções incomodam aqueles que dormem ao nosso lado.A chegada não importa; o caminho e a meta são a mesmacoisa. Não precisamos correr para nenhum lugar, apenas darcada passo com plena consciência.Quando somos maiores do que aquilo que fazemos, nadanos pode desequilibrar. Porém, quando permitimos que ascoisas sejam maiores do que nós, o nosso desequilíbrio estágarantido.É possível que sejamos apenas água fluindo; o caminhoterá de ser feito por nós.Porém, não permitas que o leito escravize o rio; ou então,em vez de um caminho terás um cárcere.Amo a minha loucura que me vacina contra a estupidez.Amo o Amor que imuniza contra a infelicidade que prolifera,infectando almas e atrofiando corações.As pessoas estão tão acostumadas com a infelicidade quea sensação de felicidade lhes parece estranha.As pessoas estão tão reprimidas que a ternura espontâneaas incomoda e o amor lhes inspira desconfiança.A vida é um cântico à beleza, uma chamada à transparência.Peço-vos perdão, mas… DECLARO-ME VIVO!Luiz Espinosa (Chamalú),escritor boliviano que procura restauraros antigos conhecimentos esotéricos dos Incas.
  8. 8. O Império do SolApeiron Edições | 11INTRODUÇÃO________________O Império Inca – que se destacou em plena Cordilheira dosAndes entre os quechuas (povo do qual descendiam) – ocupavauma faixa superior a 4.500 kms ao longo da costa do Pacífico, ecompreendia terras hoje pertencentes ao Equador, Colômbia,Peru, Bolívia, Argentina e Chile.Os Incas constituíam um vasto império, integrado por povosde diferentes culturas, localizados nas mais variadas regiõesgeográficas: a costa, as montanhas e a selva.Para fazer a comunicação entre tãograndes distâncias, o império contavacom um eficiente sistema de estradas,que atravessavam os despenhadeirosdos Andes por meio de pontes pênseis.Corredores bem treinados – os chasquis–, revezavam-se na transmissão de in-formações. Por meio dos quipus, os In-cas mantinham registos detalhados dassuas populações, terras, economia, etc.Durante cerca de 400 anos, desde oseu início, no século XII, até à sua con-quista e aniquilamento por parte dosespanhóis chefiados por Francisco Pizar-ro, os Incas foram um modelo de orga-Os incas transmitiamas suas informaçõesatravés de quipus, umalfabeto de nós.

×