Projeto Educativo - PÓLO Nº III DE PONTA D ´ÁGUA – A

523 visualizações

Publicada em

PÓLO Nº III DE PONTA D ´ÁGUA – A

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Projeto Educativo - PÓLO Nº III DE PONTA D ´ÁGUA – A

  1. 1. PÓLO Nº III DE PONTA D ´ÁGUA – A PROJETO EDUCATIVO 2014/2017 Uma escola de referência e excelência
  2. 2. Praia, Abril de 2014
  3. 3. República de Cabo Verde MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DESPORTO DELEGAÇÃO DA PRAIA PROJETO EDUCATIVO PÓLO Nº III DE PONTA D´ÁGUA -A "Escolas que são asas não amam pássaros engaiolados. O que elas amam são pássaros em voo. Existem para dar aos pássaros coragem para voar. Ensinar o voo, isso elas não podem fazer, porque o voo já nasce dentro dos pássaros. O voo não pode ser ensinado. Só pode ser encorajado." (Rubem Alves) Praia, de Abril de 2014
  4. 4. INTRODUÇÃO “Projeto educativo é o documento que consagra a orientação educativa da escola. Elaborado e aprovado pelos seus órgãos de administração para um horizonte de três anos, no qual se explicam os princípios, valores, as metas e as estratégias segundo os quais a escola de propõe cumprir a sua função educativa. O Projeto da Pólo nº III de Ponta d´Água que aqui se apresenta, constitui-se como um instrumento de gestão estratégica ajustado à realidade, contendo uma ideia de futuro a ser abraçado por toda a comunidade educativa nos diversos momentos do deu desenvolvimento (concepção, implementação e monotorização/avaliação) Neste se apresentam as linhas mestras de expressão da sua identidade orientadoras das atividades educativas e o modo como se combinam com as orientações das politicas educativas nacional. Pretende ajudar a construir uma escola cada vez reflexiva que se pensa a si própria e se ajusta à mudança, apresentando um projeto identitário, condizente com as condições do seu próprio tempo e espaço em que se situa. Assim, o PE-EPA enquadra a realidade atual do EPA e explana as medidas educativas, que envolvem os diversos atores locais e parcerias, para a promoção e integração de todos os elementos da comunidade. O PE-EPA 2014-2017, tem por base reflexões internas e externas sobre a implementação e avaliação dos planos de acções anteriores, e ainda se suporta da identificação de novos desafios percecionados pelos diversos elementos e estruturas da comunidade realizada através de encontros com PEE e das Associações Comunitárias e da Comissão de auto- avaliação da escola (Fevereiro 2014) I. Contextualização O pólo educativo nº III de Ponta d’Água, mais conhecido por “Escola polivalente”, foi construída na década de noventa (1991) segundo as informações recolhidas junto da Delegação do Ministério da Educação e Desporto da Praia e dos mais antigos funcionários da escola. Por ter sido construída nesta época, a sua arquitectura não deferência das demais escolas da capital em particular e do pais em geral.
  5. 5. Situada junto de uma estrada, o acesso à mesma não apresenta dificuldades para a maioria dos educandos, excepto para os alunos que vem de outras zonas tais como Safende, Vila Nova, Castelão, etc. As actividadeslectivas tiveram o seu início no ano lectivo de 1992/1993. Inicialmente a escola contava apenas com 8 (oito) salas de aulas. Posteriormente foram construídos mais oito salas de aulas o que veio a fazer com que o número de alunos aumentasse significativamente. Até à presente data a escola conta com 17 (dezassete) salas, sendo: 15 salas de aulas em funcionamento, contabilizando um total de 30 (trinta) distribuídas pelos seis anos de escolaridade, sendo quinze no período de manhã e quinze turmas à tarde. A escola conta com um espaço verde de grande dimensão o que constitui uma mais valia em termos económicos visto que da sua produtividade a dieta alimentar será fortemente enriquecida. Graças a existência de uma cisterna com capacidade de 100 m cúbico, que armazena a água da chuva. O que sustenta a as culturas do horto durante o ano. Das plantações existentes, destacam-se a cebola, a couve, a mandioca, a beterraba, salsa, etc. Estes produtos têm feito com que as refeições dos alunos se tornem cada vez mais nutritivos e permitem a canalização das receitas arrecadadas ao longo do ano para outras necessidades do dia a dia. 1.2. Recursos físicos e materiais Escola de Ponta d´Água tem 17 (dezasseis) salas de aula, todas em boas condições para o seu normal funcionamento, o número de salas existenteé suficiente para todas as turmas, são de dimensões adequadas, o estado de conservação da pintura é razoável,têm energia eléctrica, têm boa iluminação e ventilação; 1 (uma) sala de informática equipada com dez computadores, Estes equipamentos informáticos constituem uma excelente oportunidade para queos alunos desenvolvam competências nos domínios das novas tecnologias de informação que lhes permitam fazer face aos desafios do mundo moderno. A escola tem ainda 1 (uma) secretaria onde se inclui o gabinete do gestor, 1 (uma) dispensa, 2 (duas) arrecadações, 1 (uma) cozinha, 1 (uma) cantina, 4 (quatro) casas de banho – sendo 2 (duas) para os alunos e 2 (duas) para professores. Conta ainda com dois espaços de lazer onde os alunos da escola brincam e assistem aulas de Expressão Física. Em relação aos mobiliários, existem na instituição mesas e cadeiras em estado de conservação razoável, suficientes para todos dos alunos. Contudo é necessário adquirir mais mesas e cadeiras, para dar cobertura nas salas com o intuito de facilitar o processo ensino aprendizagem dos alunos.
  6. 6. De referir que na escola funciona a catequese aos Sábados e Domingos, o que contribui para a degradação desses equipamentos. Não obstante as condições apresentadas, verificamos que a escola carece de melhoramento do piso apropriado para a prática de exercício físico, designadamente, uma placa desportiva para o desenvolvimento do programa de Expressão Física e outras actividades de carácter recreativo e cultural, contempladas no currículo escolar do Ensino Básico. 1.3 Recursos Humanos (2014/2015) 1.3.1 Corpo Discente: Total de alunos Sexo Número de turmas Feminino Masculino 30 425 460 1.3.2 Corpo Docente(professores com turmas) Habilitação académica/profissional: Número % 2ª Fase de FEPROF 5 14,2% Curso de Formação Professor do EB (Instituto Pedagógico) 25 77,3% 12º Ano 17 77,3%* Sem Formação 1 4,5% Total 30 100% * A maior parte dos professores tem o 12º ano de escolaridade. Como podemos verificar, 99 % do corpo docente que lecciona neste estabelecimento de ensino tem formação específica para leccionar no Ensino Básico. Mesmo assim, os professores enfrentaram dificuldades em responder às exigências das crianças com NEE (Necessidades Educativas Especiais)– vários casos, limitando-se apenas a garantir – lhes a socialização. A escola e os professores desses alunos têm solicitado apoio tanto da Delegação Escolar bem como de outras instituições, mas tal apoio não tem sido suficiente, pois essas crianças precisam e têm direito a um acompanhamento contínuo por pessoas com formação e experiência nessa matéria. Há 2 casos de crianças com NEE, sendo um com Sindrome de down e outro com autismo, por confirmar. Alguns alunos apresentam distúrbios de aprendizagem, outros com problemas familiares como por exemplo os que o ICCA veio matricular aqui na escola.
  7. 7. Queremos deixar claro que a nossa escola é a favor da inclusão, desde que os professores tenham acesso à formação para poderem ajudar essas crianças que tanto precisam ou ainda que haja um acompanhamento de perto a esses alunos para assegurar que o seu direito à educação está a ser observado.  A escola pede mais apoio no sentido de dar mais atenção a esses alunos. 1.3.4. Corpo Não Docente: (Direcção do Pólo e outros Funcionários) Designação Habilitação académica/ profissional Número Gestor Curso de Formação Professores do EB (IP) e Licenciatura em ECVP (estudante) 1 Auxiliares administrativos Com 12º Ano Contabilidade (estudante) 1 Ajudantes de Serviços Gerais 3* Cozinheiras 5 Guarda-nocturno 1 Segurança diurno 1* Total 10 * A Escola está a aguardar do MED a contratação de duasAjudantes de Serviços Gerais. Neste momento a escola está a pagar duas ASG com os próprios recursos, o que limita a canalização dos mesmos para outros fins. Uma que é paga pelo MED está já na idade da reforma sem poder dar muito de si ao serviço que lhe compete. 1.3.5. Gestão Administrativa Os Órgãos de Gestão e de Administração do Pólo Educativo funcionaram normalmente. Relativamente aos instrumentos fundamentais de gestão da Instituição Educativa, a Escola Básica de Ponta d´Água, funcionou com baseno Plano Anual de Actividades, elaborado no início do ano com a participação da sua comunidade educativa. 1.3.6 Gestão Pedagógica O acompanhamento pedagógico foi assegurado pelo Núcleo Pedagógicoe pelo Coordenador pedagógico, destacado pela Coordenação Pedagógica da Delegação do Ministério da Educação e Desporto – Praia, para colaborar com o Núcleo e acompanhar os aspectos pedagógicos da escola. Este órgão de gestão procurou cumprir as suas obrigações, seguindo um calendário de encontrosmensais, para planificação, discussão dos conteúdos, e outras preocupações ligadas ao processo ensino aprendizagem dos alunos.
  8. 8. Foram aplicados dois testes de avaliação em todas as turmas, cujas classificações foram expressas de forma qualitativa e quantitativa. Estes são elaborados em conjunto, pelos professores de cada classe. Caso particular para aturma Bilingue em que foram aplicados 3 (três) testes incluindo o do Crioulo. Quadro de avaliação dos alunos 1.3.8 Parceiros Contamos com alguns parceiros que apoiaram a escola desde da sua fase inicial, como por exemplo O MED (DG Património) a FICASE ,a Delegação do MDE Praia, a Citi Habitat e o Centro de Saúde da referida comunidade. Ainda constituem parceiros da escola: Forças Armadas, Relações dos Serviços Públicos da Embaixada dos EUA, o Serviço da Protecção Civil de CV, as associações comunitárias, nomeadamente: Abraços, Viver na Esperança, Fidjusdi Ponta d´Àgua, Escuteiros de CV, pais e encarregados de educação, ex alunos amigo da escola. 1.3.9 Oferta educativa Como oferta a escola começou por introduzir: O Inglês, o Francês e a Informática. Sem se esquecer do privilégio de sermos a escola de experiência piloto do ensino Bilingue. II Análise SWOT 2.1 A análise fofa ou Swot for feito com a base nos problemas que velam a escola. Forças  Professores capacitados;  Equipa com capacidade de inovar;  Sempre disponível;  Participação ativa dos pais na vida escolar dos seus filhos  Refeição quente diariamente;  Alunos c/potenciais;  Biblioteca/sala de leitura;  Sala de informática;  Mais de 50% dos alunos pagam caixa escolar;  Casas de banho equipadas.  Fraca taxa de abandono escolar; Fraquezas  Falta de pintura;  Melhor utilização do espaço;  Conservação do espaço;  Falta de segurança à noite;  Reabilitação da placa desportiva;  Necessidade de ligação à rede de esgoto;  Carência de Mobiliários e Equipamentos;  Passadeira à entrada da escola;  Nem todos os alunos pagam a caixa escolar;  Inexistência de um refeitório;  Cozinha com poucas condições;  Algumas salas sem energia elétrica; Oportunidades  APC;  Bilinguismo; Ameaças  Taxa de reprovação tende a aumentar;  Mobilidade dos alunos/transferência;
  9. 9.  Formação na área de Saúde e alimentação escolar;  Programa Mundo Novo  Jogos escolares;  Participação no concurso do Carnaval;  AIP (Associação Industrial Portuguesa) – Atelier Empreender Criança;  Avanço da tecnologia/aula de informática;  Diminuir a taxa de reprovação;  Aulas de Inglês, Francês, Karaté,  Capoeira e Culinária;  Implementação de estatuto do aluno;  Implementação de projetos em carteira;  Parceria com associações comunitárias;  Pedir apoio aos parceiros locais:  Citti Habitat;  Solmi; Outros parceiros: - Embaixada dos EUA; - Telecom; - Câmara Municipal.  Alunos com tendência para desvio de comportamento;  Conjuntura económica atual;  Falta de maisacções de formação sobre APC;  Necessidade de acompanhamento contínuo dos coordenadores;  Mais envolvimento dos professores, pais/encarregados de educação, no Carnaval;  Necessidade de um Professor formado na Educação Física;  Condições Económicas dos pais;  Passagem automática dos alunos; 2.2 Quadro lógico de programação Eixo I- Gestão e desenvolvimento Institucional Actividades Meios e recursos Cronograma Objectivos específicos Intervenientes Recursos financeiros e outros 2014/ 2015 2015/ 2016 2016/2017 Organização do: Livro de matrícula; Processo de matrícula; Dossier individual do aluno; Plano anual de actividades; Orçamento do pólo educativo; Livro de ponto; Ficha de controlo de assiduidade; Mapa de faltas Fichas de observação de aulas; Fichas de avaliação de desempenho do professor; Notas, correspondências recebidas e expedidas; Trabalhos de preparação metodológica e de Direcção do Pólo Núcleo pedagógico Comunidade Educativa MED
  10. 10. planificação; Inventário do pólo educativo; Listas de presenças e relatórios das actividades realizadas no pólo educativo; Processo de cantina (PNCE) Mapa de controlo da frequência diária à cantina; Mapa de controlo diário da saída dos géneros; Relatório mensal do funcionamento da cantina escolar; Mapa da contribuição dos pais; Balancete mensal. FICASE Associação de PEED Manutenção e conservação do espaço Pintura da escola Reabilitação de horto Eletricidade em todas as salas Eixo II- Desenvolvimento curricular e Acção Educativa Actividades Meios e recursos Cronograma Objectivos específicos Intervenientes Recursos financeiros e outros 2014/ 2015 2015/ 2016 2016/2017 Promove Acção  AIP (Associação Industrial Portuguesa) – Atelier Empreender Criança;  Avanço da tecnologia/aula de informática;  Diminuir a taxa de reprovação;  Aulas de Inglês, Francês, Karaté,  Capoeira e Culinária;
  11. 11. Eixo III Escola/Comunidade  Implementação de estatuto do aluno;  Implementação de projetosem carteira;  Parceria com associações comunitárias;  Pedir apoio aos parceiros locais:  Citti Habitat;  Solmi; Outros parceiros: - Embaixada dos EUA; - Telecom; - Câmara Municipal Eixo III– Resultados educativos Actividades Meios e recursos Cronograma Objectivos específicos Intervenientes Recursos financeiros e outros 2014/ 2015 2015/ 2016 2016/2017 Estimular o gosto pela leitura -Concurso de leitura na sala de leitura; -Visita permanente a sala de leitura Professores; Alunos Pais Livros, armários mesas cadeiras X X X Capacitação dos alunos com a TIC Ministrar aulas de Informática na escola Professores alunos Computadores X X X Despertar no aluno o senso critico com base no saber ouvir Assembleia dos alunos Professores Alunos Pais/comunidade Pátio da escola X X X Criação de uma sala de recurso -Reconto de histórias tradicionais - Maratona do
  12. 12. saber III. OBJETIVOS ESPECIFICOS  Promover a cidadania ativa, formando cidadãos críticos, intervenientes e solidários;  Proporcionar um ambiente educativo sem qualquer discriminação, com respeito pelas diferenças culturais, religiosas ou de outra natureza;  Privilegiar a interação escola-comunidade, escola-escola;  Oferecer oportunidades de prática de educação física e desportiva diversificada, favorecendo a adoção de estilo de vida ativo numa lógica de promoção de saúde.  Reforçar a interligação dos saberes, apresentados pela permanente atualização e adaptação às exigências do país e do mundo globalizado;  Projetar a imagem da escola, a nível local, nacional e internacional como uma Instituição de referência e qualidade;  Garantir que a avaliação interna e externa da escola funcionem como instrumento de formação e de autoregulação do trabalho desenvolvido;  Incentivar e valorizar o esforço individual e coletivo no empenhamento e busca da excelência;  Proporcionar a consolidação do ensino Bilingue;  Valorizar o domínio das línguas estrangeiras, em particular as faladas no território europeu;  Aumentar o bem estar e a qualidade do trabalho entre os membros da comunidade educativa;  Proporcionar as melhores condições de segurança, de ensino aprendizagem e de lazer no trabalho;  Promover ações que visem a preservação do meio ambiente;  Aumentar e mobilizar parceiros com vista à resolução dos problemas da comunidade educativa. IV . Os elementos ideológicos do projecto
  13. 13. 4.1 Missão A nossa missão enquanto escola, é apresentar a comunidade um serviço de qualidade e uma educação de excelência. Contribuindo para a formação de cidadãos responsáveis, atentos no saber fazer, saber ser e saber estar. Ser reconhecida pela comunidade como uma escola de excelência, que promove uma educação com base nos valores de uma sociedade aberta e integradora. O Projeto Educativo” foi elaborado pela equipa de projetos sob proposta da Direção desta escola, ouvidos os representantes dos núcleos pedagógicocoordenadores e professores apresentado, de seguida, a Direção do Pólo, obteve a sua validação, tendo sido aprovado, por unanimidade, pelo Conselho do Pólo , reunido em 4.2 Metas Com este projeto educativo a escola pretende valorizar o seu espaço de forma a motivar os PEE da comunidade a procurem este espaço de orientação/edução para os seus filhos. Sem se esquecer de reduzir a taxa de reprovação para 3%. V. Metodologia Para realizar este trabalho de projecto constitui-se equipa, que elaboraram os respetivos instrumentos de colheitas de dados, nomeadamente questionário. Para a colheita de dados necessários a elaboração do projeto fez-se a observação direta bem como uma reunião com os Pais e encarregados de educação dos alunos que frequentam a escola. Fez-se vários encontros com os professores para análise e reflexão das problemáticas que assolam o referido Pólo. Elementos envolvidos na realização do projeto educativo Filomena Vaz Gestora do Pólo Edna Tavares – Coordenadora do Pólo/Anita Silveira Claudino Fernandes – Coordenador da Delegação do MED/PEE/Amigo da Escola Adilson Gomes – Professor do Pólo Madalena Andrade – Professora do Pólo Fernando Jorge Martins – Professor do Pólo
  14. 14. Aristides Delgado – Professor do Pólo Helder Semedo – Representante de PEE Albertina e Joelma – Representante dos alunos Mª de Lourdes - Cozinheira da escola ANEXOS Organograma do Pólo
  15. 15. Questionário aplicado a Comunidade educativa de Ponta d´Àgua A
  16. 16. PÓLO Nº III DE PONTA D´Á GUA Telefone: 2642466 VAMOS FAZER O NOSSO PROJETO EDUCATIVO Questionário 1 1.Em que contexto global vivemos? Levando em conta os pontos de vista social, económico, religioso, político, tecnológico, etc. 2.Qual é a realidade local, onde você convive no dia a dia? Levando em conta os pontos de vista social, económico, religioso, político, tecnológico, etc. 3.Quem é o ser humano atual? Que potencialidades ele tem? O que a sociedade tem exigido dele? 4.Qual educação precisamos desenvolver para este ser humano atual? 5.Conforme as potencialidades do ser humano e a realidade em que estamos inseridos, qual deve ser o perfil do aluno da nossa escola? 6.Para que alcancemos este perfil de aluno, qual é o perfil que precisamos desenvolver no professor, sabendo que ele é o condutor do processo de aprendizagem? 7. Que práticas pedagógicas são necessárias a serem desenvolvidas pela nossa escola, conforme o perfil de aluno que precisamos desenvolver.
  17. 17. Algumas fotos das atividades realizadas durante o ano letivo 2013/14
  18. 18. QUADRO Do pessoal docente da escola ponta d água - a DEOLINDA FREIRE ANA ISABEL SEMEDO DULCE RAMOS FILOMENA GONÇALVES MARIA PEREIRA AGUINALDA PEREIRA JOSÉ GONÇALVES ROSA MOREIRA
  19. 19. QUADRO Do pessoal docente da escola ponta d água - a FILOMENA CABRAL CLARICE VARELA FERNANDA CABRAL JANICE LEAL ADELISA LOPES ERMELINDA CABRAL JOSÉ FERNANDES ALEXANDRE MOREIRA
  20. 20. QUADRO Do pessoal docente da escola ponta d água - a INÊS RODRIGUES ADILSON GOMES MARIA ANDRADE MARIA TAVARES NOZALINA TAVARES FERNANDO MARTINS JACQUELINE RIBEIRO CELESTINA FREIRE ARISTIDES CABRAL
  21. 21. QUADRO Do pessoal não docente da escola ponta d água - a LUZIA BAESSA ASG DULCENEIA FERREIRA ASG MARIA GONÇALVES Cozinheira PEDRO MOREIRA Guarda Noturno INEIDA DE PINA ASG CIPRIANA DE PINA ASG JOSEFA DA VEIGA Cozinheira ANGELINA FERNANDES Cozinheira ROMANA MOREIRA Cozinheira

×