Adventistas do setimo dia

1.390 visualizações

Publicada em

Uma pequena parte da mensagem do terceiro anjo que deve ser vivida pelo povo de Deus.

Publicada em: Educação
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.390
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
52
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Adventistas do setimo dia

  1. 1. QUEM SÃO?O povo que observa os mandamentos de Deus é descritopelo profeta como "homens portentosos". Cumpre-nosser um povo diferente do mundo. Os olhos do mundo seencontram sobre nós, e somos observados por muitosde quem não temos conhecimento. Pessoas há queconhecem alguma coisa das doutrinas que professamoscrer, e estão notando o efeito de nossa crença sobrenosso próprio caráter. Esperam ver a espécie deinfluência que exercemos, e como nos comportamosdiante de um mundo destituído de fé. Os anjos do Céuestão nos contemplando. "Somos feitos espetáculo aomundo, aos anjos, e aos homens." I Cor. 4:9.Review and Herald, 18 de junho de 1889
  2. 2. QUEM SÃO?Somos adventistas do sétimo dia. Envergonhamo-nos,acaso, de nosso nome? Respondemos: "Não, não! Nãonos envergonhamos. É o nome que o Senhor nos deu.Esse nome indica a verdade que deve ser o teste dasigrejas." Carta 110, 1902.Somos adventistas do sétimo dia, e desse nome nuncanos devemos envergonhar. Cumpre-nos, como um povotomar firme posição ao lado da verdade e da justiça.Assim glorificaremos a Deus. Havemos de ser livradosde perigos, e não enredados nem corrompidos por eles.Para que isto aconteça, precisamos olhar sempre aJesus, Autor e Consumador de nossa fé.Carta 106, 1903.
  3. 3. A mensagem proclamada pelo anjo voando pelo meio do céu é oevangelho eterno, o mesmo evangelho que foi anunciado no Édenquando Deus disse à serpente: "Porei inimizade entre ti e a mulher, eentre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lheferirás o calcanhar." Gên. 3:15. Aí está a primeira promessa de umSalvador que havia de erguer-Se no campo de batalha para contestar opoder de Satanás e prevalecer contra ele. Cristo veio ao nosso mundo afim de representar o caráter de Deus assim como ele é representado emSua santa lei; pois esta é uma transcrição de Seu caráter. Cristo era tantoa lei como o evangelho. O anjo que proclama o evangelho eternoproclama a lei de Deus; pois o evangelho da salvação leva os homens àobediência da lei, pela qual seu caráter é formado segundo a semelhançadivina.Mensagens Escolhidas 2, 106
  4. 4. Os princípios do regime alimentar significam muito para nós,individualmente, e como povo. Quando pela primeira vez me veio amensagem da reforma alimentar, eu era fraca e muito débil, sujeita adesmaios frequentes. Roguei a Deus que me auxiliasse, e Ele meapresentou a grande questão da reforma da alimentação. Revelou-me queos que estão guardando seus mandamentos, deverão ser postos emrelação sagrada com Ele e, por meio da temperança observada no comer eno beber, conservar o espírito e o corpo nas condições mais favoráveispara o Seu serviço. Essa luz me foi grande bênção.Tomei posição como observadora da reforma do regime alimentar,sabendo que o Senhor me fortaleceria. Tenho hoje melhor saúde do quena juventude, apesar da minha idade.Houve quem alegasse que não tenho seguido os princípios da reformaalimentar, tais como os defendo com a pena; posso, entretanto, dizer quetenho sido fiel a essa reforma. Os membros da minha família sabem queisso é verdade.Conselhos Sobre Saúde, 133
  5. 5. O apóstolo exorta as mulheres cristãs a manterem vida pura e serem modestas notraje e no comportamento. "O enfeite delas", aconselhou, "não seja o exterior, nofrisado dos cabelos, no uso de joias de ouro; na compostura de vestidos; mas ohomem encoberto no coração; no incorruptível traje de um espírito manso equieto, que é precioso diante de Deus."A lição se aplica aos crentes em todas as eras. "Pelos seus frutos os conhecereis."Mat. 7:20. O adorno interior de um espírito manso e quieto é inestimável. Na vidado verdadeiro cristão o adorno externo está sempre em harmonia com a paz e asantidade internas. "Se alguém quiser vir após Mim", disse Jesus, "renuncie-se a simesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-Me." Mat. 16:24. O sacrifício e a negaçãodo eu assinalarão a vida do cristão. E a evidência de que o gosto está mudado serávista no vestuário de todo aquele que anda na vereda aberta para os redimidos doSenhor.É justo amar o belo e desejá-lo; mas Deus deseja que primeiro amemos ebusquemos a beleza do alto, que é imperecível. Nenhum adorno externo secompara em valor ou amabilidade com "um espírito manso e quieto", o "linho fino,branco e puro" (Apoc. 19:14), que todos os santos da Terra usarão. Essa veste osfará belos e amados aqui, e será depois sua senha para admissão ao palácio do Rei.Sua promessa é: "Comigo andarão de branco; porquanto são dignas disso." Apoc.3:4.Atos Dos Apóstolos, 524
  6. 6. Quão contrários aos princípios dados nas Escrituras são muitos dos modelos de vestidos prescritospor ela! Pensai nos feitios que têm dominado nos últimos cem anos, ou mesmo nas derradeirasdécadas. Quantos deles ... seriam ... julgados inadequados para uma senhora distinta, temente aDeus, e que se preza! ... Muita moça pobre, para ter um vestido de estilo, tem-se privado de roupaagasalhadora, pagando com a própria vida. Muitas outras, cobiçando a exibição e a elegância dosricos, têm sido incitadas a caminhos desonestos e à vergonha. Muitos lares se têm privado deconforto, muitos homens têm sido arrastados à fraude ou à bancarrota, para satisfazer àsextravagantes exigências da mulher e das filhas. A Ciência do Bom Viver, pág.290.Por toda a parte se manifesta o orgulho e a vaidade; mas os que são inclinados a olhar o espelho afim de admirar a si mesmos pouca inclinação terão para olhar à lei de Deus, o grande espelhomoral. Essa idolatria do vestuário destrói tudo o que é humilde, manso e amável no caráter.Consome as preciosas horas que deveriam ser usadas na meditação, para exame do coração, parao estudo, com oração, da Palavra de Deus. ... Nenhum cristão se pode conformar com as modasdesmoralizadoras do mundo, sem pôr em perigo a salvação de sua alma. Review and Herald, 31de março de 1891.Ajudadas pela graça de Cristo, as senhoras podem fazer um trabalho grande e sublime. Por essarazão Satanás trabalha com suas artimanhas para inventar roupas segundo a moda, para que o amorà ostentação absorva de tal maneira a mente e o coração e as afeições, mesmo de professas mãescristãs deste século, que estas não tenham tempo para empregar na educação e preparo dos filhosou no cultivo de sua própria mente e caráter, de modo que possam ser exemplos dos filhos,modelos de boas obras. Quando Satanás consegue o tempo e as afeições da mãe, está plenamenteciente de quanto ganhou. Em nove casos dentre dez, ele tem conseguido a dedicação de toda afamília ao vestuário e à ostentação frívola. Ele conta os filhos entre as suas presas, pois capturou amãe. Manuscrito 43,
  7. 7. A moda governa o mundo; e é uma senhora tirana, compelindo frequentemente seusdevotos a submeter-se aos maiores inconvenientes e desconforto. A moda impõetributos sem razão e os recolhe sem misericórdia. Exerce fascinante poder e estápronta a criticar e a ridicularizar a todos os que não lhe seguem.Christian Temperance and Bible Hygiene, pág. 85.Satanás, o instigador e força motriz dos decretos sempre mutáveis e nunca satisfatóriosda moda, está sempre ocupado em inventar alguma coisa nova que se demonstreprejudicial à saúde física e moral; e triunfa por seus ardis terem tão bom êxito. A morteri de que a loucura destruidora da saúde e o zelo cego dos adoradores no altar damoda os ponham com tanta facilidade sob seu domínio. A felicidade e o favor de Deussão postos sobre o seu altar. Christian Temperance and Bible Hygiene, pág.85.A idolatria praticada em matéria de vestuário é enfermidade moral; não deve serintroduzida na nova vida. Na maioria dos casos, a submissão às reivindicações doevangelho requer uma mudança decisiva em matéria de vestuário.Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 393.Por toda a parte se manifesta o orgulho e a vaidade; mas os que são inclinados a olhar oespelho a fim de admirar a si mesmos pouca inclinação terão para olhar à lei de Deus, ogrande espelho moral. Essa idolatria do vestuário destrói tudo o que é humilde, mansoe amável no caráter. Consome as preciosas horas que deveriam ser usadas nameditação, para exame do coração, para o estudo, com oração, da Palavra de Deus. ...Nenhum cristão se pode conformar com as modas desmoralizadoras do mundo, sempôr em perigo a salvação de sua alma. Review and Herald, 31 de março
  8. 8. Muitos dos divertimentos populares do mundo hoje, mesmo entre aqueles quepretendem ser cristãos, propendem para os mesmos fins que os dos gentios,outrora. Poucos há na verdade entre eles, que Satanás não torne responsáveispela destruição de almas. Por meio do teatro ele tem operado durante séculospara despertar a paixão e glorificar o vício. A ópera com sua fascinadoraostentação e música sedutora, o baile de máscaras, a dança, o jogo, Satanásemprega para derribar as barreiras do princípio e abrir a porta à satisfaçãosensual. Em todo ajuntamento onde é alimentado o orgulho e satisfeito o apetite,onde a pessoa é levada a esquecer-se de Deus e perder de vista os interesseseternos, está Satanás atando suas correntes em redor da alma.Patriarcas e Profetas, págs. 459 e 460.A bênção de Deus não seria invocada sobre a hora passada no teatro ou na dança.Cristão algum desejaria encontrar a morte em tal lugar. Nenhum quereria serencontrado aí, quando Cristo viesse.Mensagens aos Jovens, 398Os únicos entretenimentos seguros são aqueles que não afugentam ospensamentos sérios e religiosos; os únicos lugares seguros de ajuntamento sãoaqueles a que podemos levar conosco a Jesus.Nossa Alta Vocação (Meditações Matinais, 1962), pág. 282.
  9. 9. É um fato alarmante que o amor ao mundo predomina no espírito dos jovens emgeral. Muitos se comportam como se as preciosas horas de graça, enquanto aindahá misericórdia, fossem um grande dia de festas, e eles estivessem no mundomeramente para sua própria diversão, para se alegrarem numa contínua sucessãode excitamentos. Encontram no mundo e nas coisas do mundo os seus prazeres, esão estranhos ao Pai e às graças de Seu Espírito. Muitos são negligentes em suaconversação. Tentam esquecer que, por suas palavras, hão de ser justificados oucondenados. Deus é desonrado pela frivolidade e as conversas e risos vazios evãos que caracterizam a vida de muitos dentre os nossos jovens.Satanás faz esforços especiais para levá-los a encontrar sua felicidade em diversõesprofanas, e justificar-se procurando mostrar que essas diversões são inofensivas,inocentes, e mesmo importantes para a saúde. Apresenta o caminho da santidadecomo sendo difícil, enquanto os caminhos do prazer mundano estão semeados deflores.Em cores falsas e lisonjeiras, apresenta diante da juventude o mundo com os seusprazeres. Mas os prazeres da Terra chegarão logo ao seu limite, e o que tiver sidosemeado isso se há de colher. São os atrativos, habilidades ou talentos pessoaisdemasiado valiosos para serem dedicados a Deus, o Autor de nosso ser, Aqueleque vigia sobre nós a todo momento? São nossas habilitações demasiado preciosaspara serem devotadas a Deus?Mensagens Aos Jovens, 367
  10. 10. Quando, posteriormente, os fariseus O interrogaram acerca da legalidadedo divórcio, Jesus apontou a Seus ouvintes a antiga instituição docasamento, segundo foi ordenada na criação. "Moisés", disse Ele, "porcausa da dureza do vosso coração, vos permitiu repudiar vossa mulher;mas, no princípio, não foi assim." Mat. 19:8. Ele lhes chamou a atençãopara os abençoados dias do Éden, quando Deus declarou tudo "muitobom". Gên. 1:31. Então tiveram origem o casamento e o sábado,instituições gêmeas para a glória de Deus no benefício da humanidade.Então, ao unir o Criador as mãos do santo par em matrimônio, dizendo:Um homem "deixará... o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, eserão ambos uma carne" (Gên. 2:24), enunciou a lei do matrimônio paratodos os filhos de Adão, até ao fim do tempo. Aquilo que o próprio PaiEterno declarou bom, era a lei da mais elevada bênção e desenvolvimentopara o homem.Como todas as outras boas dádivas de Deus concedidas para aconservação da humanidade, o casamento foi pervertido pelo pecado; masé o desígnio do evangelho restituir-lhe a pureza e a beleza.O Maior Discurso De Cristo, 64
  11. 11. Logo depois de nossa volta da assembleia, eu, juntamente com váriosoutros, fiz profissão de fé na igreja. Preocupava-me bastante o assunto dobatismo. Jovem como era, não podia ver senão uma única maneira debatismo autorizada nas Escrituras, e essa era a imersão. Algumas deminhas irmãs metodistas procuraram em vão convencer-me de que aaspersão era batismo bíblico.Finalmente, foi marcado o tempo em que receberíamos essa soleneordenança. Foi num dia ventoso que nós, em número de doze, fomos aomar para sermos batizados. As ondas encapelavam-se e batiam contra apraia; mas, em havendo eu tomado essa pesada cruz, minha paz erasemelhante a um rio. Quando saí da água, sentia-me quase sem forças,pois o poder do Senhor repousava sobre mim. Senti que dali em diantenão era deste mundo, mas surgia daquele como que túmulo líquido, parauma novidade de vida.VIDA E ENSINOS, 20
  12. 12. A VINDA COMO LADRÃO"E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobreti virei." Apoc. 3:3. O advento de Cristo surpreenderá os falsos mestres. Eles estãodizendo: "Paz e segurança." Como os sacerdotes e mestres antes da queda deJerusalém, assim esperam eles que a igreja goze de prosperidade e glória terrenas.Os sinais dos tempos, eles interpretam como prognóstico dessas coisas. Mas, quediz a Palavra inspirada? - "Então lhes sobrevirá repentina destruição." I Tess. 5:3.Como um laço virá o dia de Deus sobre toda a Terra, sobre todos os que fazemdeste mundo sua pátria. Ele virá sobre eles como um ladrão.O mundo, cheio de rixas, repleto de ímpios prazeres, acha-se adormecido,adormecido em segurança carnal. Os homens estão retardando a vinda do Senhor.Riem das advertências. Ouve-se a arrogância: "Todas as coisas continuam comodesde o princípio da criação." II Ped. 3:4. "O dia de amanhã será como este, e aindamaior e mais famoso." Isa. 56:12. Aprofundar-nos-emos no amor do prazer. MasCristo diz: "Eis que venho como ladrão." Apoc. 16:15. Ao mesmo tempo que omundo está perguntando zombeteiramente: "Onde está a promessa da Sua vinda?"II Ped. 3:4. Estão-se cumprindo os sinais. Enquanto eles gritam: "Paz e segurança",aproxima-se repentina destruição. Quando o escarnecedor, o rejeitador daverdade, se tem tornado presunçoso; quando a rotina do trabalho nos váriosramos de ganhar dinheiro é prosseguida sem consideração para com princípios;quando o estudante está ansiosamente buscando o conhecimento de tudo menos aBíblia, Cristo vem como ladrão.O Desejado De Todas As Nações, 636
  13. 13. A VINDA EM GLÓRIACristo virá nas "nuvens do céu, com poder e grande glória". Quem O há de...receber em paz? Quem estará entre o número daqueles a quem se aplicam aspalavras: "Quando vier para ser glorificado nos Seus santos e para se fazeradmirável, naquele dia, em todos os que crêem?" II Tess. 1:10.Esse acontecimento é chamado a bem-aventurada esperança e o aparecimento daglória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo. Sua vinda ultrapassará emglória a tudo que os olhos já tenham contemplado. Em muito excedente a tudoque a imaginação já tenha concebido, será a Sua revelação em pessoa, nas nuvenscelestes. Mostrar-se-á então um contraste perfeito com a humildade quecondicionou Seu primeiro advento. Naquela ocasião veio como o Filho do Deusinfinito, mas Sua glória foi encoberta pelas vestes da humanidade. Veio daquela vezsem nenhuma distinção mundana de realeza, sem nenhuma visível manifestação deglória; mas ao aparecer pela segunda vez, virá com Sua própria glória e a glória doPai, e acompanhado pelos exércitos angelicais do Céu. Em lugar daquela coroa deespinhos que Lhe feriu a fronte, usará uma coroa de glória. Não mais Se veste comos trajes da humildade, com o velho manto real que Lhe impuseram osescarnecedores. Não: Virá envergando vestes mais brancas que o mais alvobranco. Em Suas vestes e na Sua coxa, está escrito este nome: "Rei dos reis eSenhor dos senhores." Apoc. 19:16.Nos Lugares Celestiais, MM 1968, 357
  14. 14. Encontram-se na Palavra de Deus deveres cujo cumprimento guardaria opovo de Deus humilde e separado do mundo, da apostasia, como as igrejasnominais. O lava-pés e a participação da Ceia do Senhor seriam maisfrequentemente praticados. Jesus deu-nos o exemplo e mandou-nos quefizéssemos como Ele fizera. Vi que Seu exemplo devia ser seguido tãoexatamente quanto possível; contudo os irmãos e irmãs nem sempre têmagido tão cuidadosamente quanto deviam na questão do lava-pés, e temhavido confusão. Isto devia ser introduzido em novos lugares com cuidadoe sabedoria, especialmente onde o povo não está informado quanto aoexemplo e ensinos de nosso Senhor sobre este ponto, e onde hajapreconceito contra. Muitas almas honestas, pela influência de antigosmestres em quem tinham confiança, estão muito carregadas depreconceitos contra este claro dever, e o assunto devia ser-lhesintroduzido no tempo e maneira apropriados.Primeiros Escritos, 117
  15. 15. Não há na Palavra nenhum exemplo para que irmãos lavemos pés de irmãs; mas há um exemplo para que irmãs lavem ospés a irmãos. Maria lavou os pés de Jesus com suas lágrimas eenxugou-os com os cabelos. (Ver também I Tim. 5:10.) Vi queo Senhor havia impressionado irmãs a lavar pés de irmãos, eque isto estava em harmonia com a ordem evangélica. Todosdevem agir compreensivamente, e não tornar tediosa acerimônia do lava-pés.Primeiros Escritos, 117
  16. 16. A santa saudação mencionada no evangelho de Jesus Cristopelo apóstolo Paulo deve ser considerada no seu verdadeirocaráter. Trata-se de um ósculo santo. Deve ser consideradacomo um sinal de amizade para cristãos amigos quandopartem, e quando se encontram de novo após semanas oumeses de separação. Paulo diz: "Saudai a todos os irmãoscom ósculo santo." I Tess. 5:26. No mesmo capítulo ele diz:"Abstende-vos de toda forma de mal." Pode não haveraparência de mal quando o ósculo santo é dado no tempo eem lugar próprios.Primeiros Escritos, 117
  17. 17. A crise vem chegando, gradual e furtivamente. O Sol brilha no firmamento,seguindo sua órbita usual, e os céus declaram ainda a glória de Deus. Os homensainda comem e bebem, plantam e constroem, casam e dão-se em casamento.Negociantes ainda compram e vendem. Os homens empurram-se ainda uns aosoutros, contendendo pelas posições mais altas. Amantes de prazeres enchem aindaos teatros, corridas de cavalo, antros de jogo. Prevalece o mais desenfreadoexcitamento, e no entanto a hora da terminação da graça apressa-se a chegar, etodos os casos estão prestes a ser decididos para a eternidade. Satanás vê que seutempo é curto. Pôs ele todos os seus agentes a trabalhar, para que os homenssejam enganados, iludidos, ocupados e enlevados, até que termine o tempo dagraça, e se feche para sempre a porta da misericórdia. Está iminente o tempo emque haverá aflição que bálsamo algum humano poderá curar. Anjos sentinelas estãoagora retendo os quatro ventos, para que não soprem antes que os servos deDeus sejam assinalados na fronte; mas quando Deus ordenar aos Seus anjos quesoltem os ventos, haverá uma cena de luta qual pena alguma pode descrever. ..."Virá o nosso Deus e não Se calará. ... Do alto, chamará os céus e a Terra, parajulgar o Seu povo. Congregai os Meus santos, aqueles que fizeram comigo umconcerto com sacrifícios. E os céus anunciarão a Sua justiça, pois Deus mesmo é oJuiz." Sal. 50:3-6.Review and Herald, 14 de março de 1912.
  18. 18. Ao nos aproximarmos do fim do tempo, haverá maiores e sempremaiores demonstrações externas do poder pagão; deuses pagãosrevelarão seu assinalado poder e se exibirão diante das cidades do mundo.E este plano já começa a cumprir-se. Por uma variedade de imagensrepresentou o Senhor Jesus a João o caráter ímpio e a influência sedutorados que se têm distinguido por sua perseguição ao povo de Deus. Todoscarecem de sabedoria para pesquisar cuidadosamente o mistério dainiquidade que aparece tanto na finalização da história da Terra.No próprio tempo em que vivemos, o Senhor chamou Seu povo eencarregou-o de proclamar uma mensagem. Chamou-o para expor amaldade do homem do pecado que fez da lei dominical um poderdistintivo, que tem cuidado em mudar os tempos e a lei e em oprimir opovo de Deus que permanece firme para honrá-Lo pela observância doúnico sábado verdadeiro, o sábado da criação, como sendo santo aoSenhor.Testemunhos Para Ministros, págs. 117 e 118.
  19. 19. A obra da reforma do sábado a realizar-se nos últimos tempos acha-se predita naprofecia de Isaías: "Assim diz o Senhor: Mantende o juízo, e fazei justiça, porque aMinha salvação está prestes a vir, e a Minha justiça a manifestar-se. Bem-aventurado o homem que fizer isto, e o filho do homem que lançar mão disto; quese guarda de profanar o sábado, e guarda a sua mão de perpetrar algum mal." "Aosfilhos dos estrangeiros que se chegarem ao Senhor, para O servirem, e paraamarem o nome do Senhor, sendo deste modo servos Seus, todos os queguardarem o sábado, não o profanando, e os que abraçarem o Meu concerto,também os levarei ao Meu santo monte, e os festejarei na Minha casa de oração."Isa. 56:1, 2, 6 e 7.Estas palavras se aplicam à era cristã, como se vê pelo contexto: "Assim diz oSenhor Jeová, que ajunta os dispersos de Israel: Ainda ajuntarei outros aos que jáse lhe ajuntaram." Isa. 56:8. Aqui está prefigurado o ajuntamento dos gentios peloevangelho. E sobre os que então honram o sábado, é pronunciada uma bênção.Destarte, o dever relativo ao quarto mandamento estende-se através da crucifixão,ressurreição e ascensão de Cristo, até ao tempo em que os Seus servos deveriampregar a todas as nações a mensagem das alegres novas.O Grande Conflito, 451
  20. 20. Cristo não escolheu, para Seus representantes entre os homens, anjosque nunca pecaram, mas seres humanos, homens semelhantes em paixõesàqueles a quem buscavam salvar. Cristo tomou sobre Si a humanidade, afim de chegar à humanidade. A divindade necessitava da humanidade; poisera necessário tanto o divino como o humano para trazer salvação aomundo. A divindade necessitava da humanidade, a fim de que estaproporcionasse meio de comunicação entre Deus e o homem. O mesmose dá com os servos e mensageiros de Cristo. O homem necessita de umpoder fora e acima dele, para restaurá-lo à semelhança com Deus ehabilitá-lo a fazer Sua obra; isso, porém, não faz com que o instrumentohumano deixe de ser essencial. A humanidade apodera-se do poderdivino, Cristo habita no coração pela fé; e, por meio da cooperação como divino, o poder do homem torna-se eficiente para o bem.O Desejado De Todas As Nações, 297
  21. 21. Satanás começou com seu engano no Éden. Disse a Eva: "Certamente nãomorrereis." Gên. 3:4. Essa foi a primeira lição de Satanás sobre a imortalidade daalma, e ele tem prosseguido com este engano desde aquele tempo até o presente,e o conservará até que termine o cativeiro dos filhos de Deus. Foram-meindicados Adão e Eva no Éden. Participaram da árvore proibida, e então a espadainflamada foi colocada em redor da árvore da vida, e eles foram expulsos dojardim, para que não participassem da árvore da vida e fossem pecadores imortais.O fruto desta árvore deveria perpetuar a imortalidade. Ouvi um anjo perguntar:"Quem da família de Adão passou pela espada inflamada, e participou da árvore davida?" Ouvi outro anjo responder: "Nenhum da família de Adão passou por aquelaespada inflamada, e participou da árvore; portanto, não há pecador imortal." Aalma que pecar morrerá morte eterna, morte esta de que não haverá esperança deressurreição; e então se aplacará a ira de Deus.Foi-me coisa surpreendente haver Satanás conseguido tão bem fazer os homenscrerem que as palavras de Deus: "A alma que pecar, essa morrerá" (Ezeq. 18:4),significassem que a alma que pecar não morrerá, mas viverá eternamente emestado miserável.História Da Redenção, 388
  22. 22. Cristo ilustra as bênçãos espirituais do evangelho por meio de uma festa secular: oconvite para a Ceia. Ele pôs em destaque a maravilhosa condescendência de Deusno fervente convite do senhor para que viessem à festa todos que pudessem. Ochamado especial do evangelho a ser feito próximo do fim da história da Terra étambém apresentado.O convite devia ser feito primeiro aos das vias públicas, chamando todos para asbodas da ceia do Cordeiro. Esta mensagem ao povo tão altamente favorecido foirejeitada.Em seguida foi levada a mensagem aos da classe pobre - os aleijados, os cegos, oscoxos. Esses não estavam exaltados por ambiciosos projetos. Se aceitassem oconvite, podiam vir. Esta mensagem foi dada, e o servo trouxe o resultado:"Senhor, feito está como mandaste, e ainda há lugar." Luc. 14:22.Então o senhor disse ao servo: "Sai pelos caminhos e atalhos e força-os a entrar,para que a minha casa se encha." Luc. 14:23. Manuscrito 81, 1899."Sai pelos caminhos e atalhos, e força-os a entrar", ordena-nos Cristo, "para que aMinha casa se encha." Luc. 14:23. Em obediência a esta palavra, devemos ir aosnão-convertidos que se acham perto de nós, e aos que estão distantes. Os"publicanos e as meretrizes" (Mat. 21:31) devem ouvir o convite do Salvador.Beneficência Social, 245
  23. 23. O anúncio: "Vinda é a hora do Seu juízo" (Apoc. 14:7) - aponta para a obrafinalizadora do ministério de Cristo para a salvação dos homens. Anuncia umaverdade que deve ser proclamada até que cesse a intercessão do Salvador, e Elevolte à Terra para receber o Seu povo. A obra do juízo que começou em 1844,deve continuar até que os casos de todos estejam decididos, tanto dos vivos comodos mortos; disso se conclui que ela se estenderá até ao final do tempo de graçapara a humanidade. A fim de que os homens possam preparar-se para estar em péno juízo, a mensagem lhes ordena temer a Deus e dar-Lhe glória, "e adorar Aqueleque fez o céu e a Terra, e o mar, e as fontes das águas". O resultado da aceitaçãodestas mensagens é dado nestas palavras: "Aqui estão os que guardam osmandamentos de Deus, e a fé de Jesus." A fim de se prepararem para o juízo, énecessário que os homens guardem a lei de Deus. Esta lei será a norma de caráterno juízo. Declara o apóstolo Paulo: "Todos os que sob a lei pecaram pela lei serãojulgados. ... No dia em que Deus há de julgar os segredos dos homens por JesusCristo." E ele diz que "os que praticam a lei hão de ser justificados". Rom. 2:12-16.A fé é essencial a fim de guardar-se a lei de Deus; pois "sem fé é impossívelagradar-Lhe". "E tudo que não é de fé, é pecado." Heb. 11:6; Rom. 14:23.O Grande Conflito, 436
  24. 24. O grande Criador convocou os exércitos celestiais para, na presença de todos osanjos, conferir honra especial a Seu Filho. O Filho estava assentado no trono com oPai, e a multidão celestial de santos anjos reunida ao redor. O Pai então fez saber que,por Sua própria decisão, Cristo, Seu Filho, devia ser considerado igual a Ele, assim queem qualquer lugar que estivesse presente Seu Filho, isto valeria pela Sua própriapresença. A palavra do Filho devia ser obedecida tão prontamente como a palavra doPai. Seu Filho foi por Ele investido com autoridade para comandar os exércitoscelestiais. Especialmente devia Seu Filho trabalhar em união com Ele na projetadacriação da Terra e de cada ser vivente que devia existir sobre ela. O Filho levaria acabo Sua vontade e Seus propósitos, mas nada faria por Si mesmo. A vontade do Paiseria realizada nEle.História Da Redenção. 14-15O humilde Nazareno afirma Sua real nobreza. Ergue-se acima da humanidade, atira deSi o disfarce do pecado e da injúria, e revela-Se - o Honrado dos anjos, o Filho deDeus, Um com o Criador do Universo. Seus ouvintes ficam fascinados. Homem algumjá falou palavras como as Suas, nem se portou com tão régia majestade. Seus discursossão claros e positivos, declarando plenamente Sua missão, e o dever do mundo: "O Paia ninguém julga, mas deu ao Filho todo o juízo; para que todos honrem o Filho, comohonram o Pai. Quem não honra o Filho, não honra o Pai que O enviou. ... Porque,como o Pai tem a vida em Si mesmo, assim deu também ao Filho ter a vida em Simesmo. E deu-Lhe o poder de exercer o juízo, porque é o Filho do homem." João5:22-27.O Desejado De Todas As Nações, 210
  25. 25. "E assentar-Se-á, e dominará no Seu trono, e será sacerdote no Seu trono." Agoranão está "no trono de Sua glória"; o reino de glória ainda não foi inaugurado. Sódepois que termine a Sua obra como mediador, Lhe dará Deus "o trono de Davi,Seu pai", reino que "não terá fim". Luc. 1:32 e 33. Como sacerdote, Cristo estáagora assentado com o Pai em Seu trono (Apoc. 3:21). No trono, com o Sereterno e existente por Si mesmo, é Ele o que "tomou sobre Si as nossasenfermidades, e as nossas dores levou sobre Si"; que "em tudo foi tentado, massem pecado"; para que possa "socorrer aos que são tentados". "Se alguém pecar,temos um Advogado para com o Pai." Isa. 53:4; Heb. 4:15; 2:18; I João 2:1. Suaintercessão é a de um corpo ferido e quebrantado, de uma vida imaculada. Asmãos feridas, o lado traspassado, os pés cravejados, pleiteiam pelo homemdecaído, cuja redenção foi comprada com tão infinito preço.E conselho de paz haverá entre Eles ambos." O amor do Pai, não menos que o doFilho, é o fundamento da salvação para a raça perdida. Disse Jesus aos discípulos,antes de Se retirar deles: "Não vos digo que Eu rogarei por vós ao Pai; pois omesmo Pai vos ama.” João 16:26 e 27. “Deus estava em Cristo reconciliandoconsigo o mundo.” II Cor. 5:19. E no ministério do santuário, no Céu, “conselhode paz haverá entre Eles ambos.” “Deus amou o mundo de tal maneira que deu oSeu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha avida eterna.” João 3:16.O Grande Conflito, 417
  26. 26. E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se Lhe abriram os Céus, e viuo Espírito de Deus descendo como pombao Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre Ele. E eis que uma vozdos Céus dizia: Este é o Meu Filho amado, em quem Me comprazo. Mat. 3:16e 17.Quando Cristo Se ajoelhou às margens do Jordão, após o batismo, os céus seabriram, e o Espírito desceu na forma de uma pombao Espírito desceu na forma de uma pomba, semelhante a ouro polido, ecercou-O com Sua glória; e a voz de Deus foi ouvida, das alturas dos Céus,dizendo: "Tu és o Meu Filho amado, em quem Me comprazo." Mar. 1:11.Minha Consagração Hoje, Mm 1953/1989, 260Os anjos nunca tinham ouvido uma oração como essa. Eles estavam ansiosos paralevar ao suplicante Redentor mensagens de certeza e amor. Mas não; o próprio Paiatenderá ao Filho. Diretamente do trono é enviada a luz da glória de Deus.Abrem-se os céus, e raios de luz e glóriaraios de luz e glória procedentes de lá assumem a forma deassumem a forma deuma pombauma pomba, como o aspecto de ouro polido. A forma semelhante a uma pombaera um emblema da mansidão e suavidade de Cristo.Exaltai-o, Mm 1992, 79A natureza do Espírito Santo é um mistério. Os homens não a podem explicar,porque o Senhor não lho revelou. Com fantasiosos pontos de vista, podem-sereunir passagens da Escritura e dar-lhes um significado humano; mas a aceitaçãodesses pontos de vista não fortalecerá a igreja. Com relação a tais mistérios -demasiado profundos para o entendimento humano - o silêncio é ouro.
  27. 27. A parábola das dez virgens de Mateus 25, ilustra também a experiência dopovo adventista. Em Mateus 24, em resposta à pergunta dos discípulosrelativa aos sinais de Sua vinda e do fim do mundo, Cristo indicara algunsdos acontecimentos mais importantes da história do mundo e da igreja,desde o Seu primeiro advento até ao segundo, a saber: a destruição deJerusalém, a grande tribulação da igreja sob a perseguição pagã e papal, oescurecimento do Sol e da Lua, e a queda de estrelas. Depois disto, falou arespeito de Sua vinda em Seu reino, e expôs a parábola que descreve asduas classes de servos que Lhe aguardam o aparecimento. O capítulo 25inicia-se com estas palavras: "Então o reino dos Céus será semelhante adez virgens." Aqui se faz referência à igreja que vive nos últimos dias, amesma que é indicada no fim do capítulo 24. Sua experiência é ilustradanessa parábola pelas cenas de um casamento oriental.O Grande Conflito, 393
  28. 28. PARÁBOLA DAS BODAS.A parábola das bodas [Mat. 22:1-14] apresenta-nos uma lição da mais elevadaimportância. ... Pela veste nupcial da parábola é representado o caráter puro eimaculado, que os verdadeiros seguidores de Cristo possuirão. ... O linho fino,diz a Escritura, "é a justiça dos santos". Apoc. 19:8. A justiça de Cristo e Seucaráter imaculado, é, pela fé, comunicada a todos os que O aceitam comoSalvador pessoal.A veste branca de inocência foi usada por nossos primeiros pais, quando forampostos por Deus no santo Éden. Viviam eles em perfeita conformidade com avontade de Deus. ... Luz bela e suave, a luz de Deus, envolvia o santo par. ...Ao entrar o pecado, porém, cortaram sua ligação com Deus, e desapareceu aluz que os cingia. Nus e envergonhados, procuraram suprir os vestidoscelestiais, cosendo folhas de figueira para uma cobertura.Parábolas de Jesus, págs. 307-311.Não podemos prover-nos de vestes de justiça por nós mesmos, pois diz oprofeta: "Todas as nossas justiças, são como trapo da imundícia." Isa. 64:6. Nãoexiste em nós coisa alguma com a qual possamos vestir o caráter, de modoque não apareça sua nudez. Temos de receber as vestes da justiça tecidas notear do Céu - com efeito, a pura veste da justiça de Cristo.Review and Herald, 19 de julho de 1892.
  29. 29. PARÁBOLA DA VINHAJesus Se dirigiu a todo o povo presente; mas os sacerdotes e principaisresponderam. "Dará afrontosa morte aos maus", disseram, "e arrendará a vinha aoutros lavradores, que a seu tempo lhe deem os frutos." Mat. 21:41. Os que assimfalavam não perceberam, a princípio, a aplicação da parábola, mas viram depoishaver proferido a própria condenação. Na parábola, o pai de família representavaDeus, a vinha a nação judaica, e o valado a lei divina que lhes servia de proteção. Atorre era um símbolo do templo. O dono da vinha fizera tudo que era paraprosperidade da mesma. "Que mais se podia fazer à Minha vinha", diz Ele, "que lhenão tenha feito?" Isa. 5:4. Assim foi representado o incessante cuidado de Deuspara com Israel. E como os lavradores deviam devolver ao pai de família a devidaproporção de frutos da vinha, assim o povo de Deus O devia honrar por uma vidaem correspondência com os sagrados privilégios que tinham. Mas, como oslavradores mataram os servos que o senhor lhes enviara em busca de frutos, assimos judeus fizeram morrer os profetas que Deus mandara para os chamar aoarrependimento. Mensageiro após mensageiro fora morto. Até aí a aplicação daparábola não podia ser posta em dúvida, e no que se seguiu não foi menos clara.No amado filho a quem o senhor da vinha afinal mandara a seus desobedientesservos, e de quem se apoderaram para matar, viram os sacerdotes e principais umadistinta figura de Jesus e a sorte que sobre Ele impendia. Já estavam planejandotirar a vida Àquele a quem o Pai lhes enviara em um derradeiro apelo. Naretribuição infligida aos ingratos lavradores, estava descrita a sorte dos que haviamde condenar Cristo à morte.O Desejado De Todas As Nações, 597
  30. 30. Logo ouvimos a voz de Deus, semelhante a muitas águas, a qual anunciou o dia e ahora da vinda de Jesus. Os santos vivos, em número de 144.000, reconheceram eentenderam a voz, ao passo que os ímpios julgaram fosse um trovão outerremoto.Primeiros Escritos, pág. 15.Falando Deus o dia e a hora da vinda de Jesus, e declarando o concerto eternocom o Seu povo, proferia uma sentença e então silenciava, enquanto as palavrasestavam a repercutir pela Terra. O Israel de Deus permanecia com os olhos fixospara cima, ouvindo as palavras enquanto elas vinham da boca de Jeová e ressoavampela Terra como estrondos do mais forte trovão. Era terrivelmente solene. No fimde cada sentença os anjos aclamavam: "Glória! Aleluia!" O rosto deles iluminava-secom a glória de Deus, e resplandeciam de glória como fazia o de Moisés quandodesceu do Sinai. Os ímpios não podiam olhar para eles por causa da glória. E,quando a interminável bênção foi pronunciada sobre os que haviam honrado aDeus santificando o Seu sábado, houve uma grande aclamação de vitória sobre abesta e sua imagem.Primeiros Escritos, págs. 285 e 286.
  31. 31. "Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nostúmulos ouvirão a Sua voz e sairão." João 5:28 e 29. Essa voz ressoará em brevepor todas as hostes dos mortos, e todo santo que dorme em Jesus despertará edeixará sua prisão.Manuscrito 137, 1897.Os preciosos mortos, desde Adão aos últimos santos que morrerem, hão de ouvira voz do Filho de Deus, e sairão dos sepulcros para a vida imortal.O Desejado de Todas as Nações, pág. 606.Por entre as vacilações da Terra, o clarão do relâmpago e o ribombo do trovão, avoz do Filho de Deus chama os santos que dormem. Ele olha para a sepultura dosjustos e, levantando as mãos para o céu, brada: "Despertai, despertai, despertai,vós que dormis no pó, e surgi!" Por todo o comprimento e largura da Terra, osmortos ouvirão aquela voz, e os que ouvirem viverão. E a Terra inteira ressoarácom o passar do exército extraordinariamente grande de toda nação, tribo, línguae povo. Do cárcere da morte vêm eles, revestidos de glória imortal, clamando:"Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória?" I Cor.15:55. E os vivos justos e os santos ressuscitados unem as vozes em prolongada ejubilosa aclamação de vitória.O Grande Conflito, pág. 644.
  32. 32. O peneiramento de Deus sacode fora multidões, como folhas secas.Testemunhos Seletos, vol. 1, pág. 479.A palha, como nuvem, será levada pelo vento, mesmo de lugares onde só vemos ricoscampos de trigo.Serviço Cristão, pág. 49.Logo o povo de Deus será provado por ardentes provas, e a grande proporção dos queagora permanecem genuínos e verdadeiros, demonstrar-se-á metal vil. ...Quando a religião de Cristo for mais desprezada, quando Sua lei mais desprezada for,então deve nosso zelo ser mais ardoroso e nosso ânimo e firmeza mais inabaláveis.Permanecer em defesa da verdade e justiça quando a maioria nos abandona, ferir asbatalhas do Senhor quando são poucos os campeões - essa será nossa prova. Naqueletempo devemos tirar calor da frieza dos outros, coragem de sua covardia, e lealdade desua traição.Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 31.A igreja talvez pareça como prestes a cair, mas não cairá. Ela permanece, ao passo queos pecadores de Sião serão lançados fora na sacudidura - a palha separada do trigoprecioso. É esse um transe terrível, não obstante importa que tenha lugar.Mensagens Escolhidas, vol. 2, pág. 380.Ao aproximar-se a tempestade, uma classe numerosa que tem professado fé namensagem do terceiro anjo, mas não tem sido santificada pela obediência à verdade,abandona sua posição, passando para as fileiras do adversário.O Grande Conflito, pág. 608
  33. 33. A pergunta - Que é o santuário? - é claramente respondida nas Escrituras.O termo "santuário", conforme é empregado na Bíblia, refere-seprimeiramente, ao tabernáculo construído por Moisés, como figura dascoisas celestiais; e, em segundo lugar, ao "verdadeiro tabernáculo", noCéu, para o qual o santuário terrestre apontava. À morte de Cristo,terminou o serviço típico. O "verdadeiro tabernáculo", no Céu, é osantuário do novo concerto. E como a profecia de Daniel 8:14 se cumprenesta dispensação, o santuário a que ela se refere deve ser o santuário donovo concerto. Ao terminarem os 2.300 dias, em 1844, já por muitosséculos não havia santuário sobre a Terra. Destarte, a profecia - "Até duasmil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado", apontainquestionavelmente para o santuário do Céu.O Grande Conflito, 417
  34. 34. Como antigamente os pecados do povo eram transferidos, em figura, parao santuário terrestre mediante o sangue da oferta pelo pecado, assimnossos pecados são, de fato, transferidos para o santuário celestial,mediante o sangue de Cristo. E como a purificação típica do santuárioterrestre se efetuava mediante a remoção dos pecados pelos quais sepoluíra, consequentemente, a real purificação do santuário celeste deveefetuar-se pela remoção, ou apagamento, dos pecados que ali estãoregistrados. Isso necessita um exame dos livros de registro paradeterminar quem, pelo arrependimento dos pecados e fé em Cristo, temdireito aos benefícios de Sua expiação. A purificação do santuário,portanto, envolve uma obra de juízo investigativo. Isto deve efetuar-seantes da vinda de Cristo para resgatar Seu povo, pois quando vier, Suarecompensa estará com Ele para dar a cada um segundo as suas obras.Apoc. 22:12.História Da Redenção, 378
  35. 35. Qual é a condição para aqueles que guardam os mandamentosde Deus e têm a fé em Jesus? Se dentro das famílias houveraqueles que recusam obediência ao Senhor na guarda do Seusábado, então o selo não poderá ser colocado sobre eles. Oselo é a garantia de Deus quanto à perfeita segurança de Seusescolhidos. O selamento indica que vocês são os escolhidosde Deus. Ele os considera propriedade Sua. Como selados deDeus, somos a posse adquirida de Cristo, e ninguém nosarrancará de Suas mãos.Manuscrito 59, 1895 (Manuscript Releases, vol. 15, págs. 223-225).
  36. 36. Precisamos orar, mais do que nunca, pelo batismo do Espírito Santo, pois se jamais houve umtempo em que precisamos desse batismo, é agora. Não há nada que o Senhor nos tem faladocom mais frequência do que de Seu desejo em nos conceder esse batismo, e nada poderiaglorificar mais a Seu nome do que essa concessão. Quando partilharmos esse Espírito,homens e mulheres nascerão de novo. ... Pessoas outrora perdidas serão achadas e trazidasde volta. Carta 105, 1898.O batismo do Espírito Santo como no dia de Pentecoste levará a um reavivamento daverdadeira religião e à operação de muitas obras maravilhosas. Seres celestes entrarão emnosso meio, e homens falarão segundo forem movidos a fazê-lo pelo Espírito de Deus.Operasse, porém, o Senhor sobre homens como fez no dia de Pentecoste e posteriormente,muitos que hoje professam crer na verdade conheceriam tão pouco da operação do EspíritoSanto que haviam de clamar: "Acautelai-vos do fanatismo." Diriam dos que estivessem cheiosdo Espírito: "Estão cheios de mosto." Atos 2:13. Mensagens Escolhidas 1, 57Deus não Se agrada com a obra negligente feita nas igrejas. Ele espera que Seus mordomossejam leais e fiéis em reprovar e corrigir. Eles têm de expelir o erro segundo a regra queDeus deu em Sua Palavra, não segundo suas próprias idéias e impulsos. Não se devem usarmeios ásperos, não se faça nenhuma obra injusta, precipitada, impulsiva. Os esforços feitospara purificar a igreja da contaminação moral devem ser feitos ao modo de Deus. Não devehaver nenhuma parcialidade, nem hipocrisia. Não deve haver favoritos, cujos pecados sejamconsiderados como menos pecaminosos que os de outros. Oh, quanto necessitamos todosdo batismo do Espírito Santo! Então procederemos sempre no espírito de Cristo, combondade, compaixão e simpatia, mostrando amor pelo pecador ao mesmo tempo queaborrecemos o pecado com ódio perfeito. Manuscrito 8a, 1888.
  37. 37. Visto que Satanás é o originador do pecado, o instigador direto de todosos pecados que ocasionaram a morte do Filho de Deus, exige a justiça queSatanás sofra a punição final. A obra de Cristo para a redenção doshomens e purificação do Universo da contaminação do pecado, encerrar-se-á pela remoção dos pecados do santuário celestial e deposição dosmesmos sobre Satanás, que cumprirá a pena final. Assim no cerimonialtípico, o ciclo anual do ministério encerrava-se com a purificação dosantuário e confissão dos pecados sobre a cabeça do bode emissário. Emtais condições, no ministério do tabernáculo e do templo que mais tardetomou o seu lugar, ensinavam-se ao povo cada dia as grandes verdadesrelativas à morte e ministério de Cristo, e uma vez ao ano sua mente eratransportada para os acontecimentos finais do grande conflito entreCristo e Satanás, e para a final purificação do Universo, de pecado epecadores.Patriarcas e Profetas, págs. 343-358.
  38. 38. 144 MILNo mar cristalino diante do trono, naquele mar como que de vidro misturado com fogo - tãoresplendente é ele pela glória de Deus - está reunida a multidão dos que "saíram vitoriososda besta, e da sua imagem, e do seu sinal, e do número do seu nome". Apoc. 15:2. Com oCordeiro, sobre o Monte Sião, "tendo harpas de Deus", estão os cento e quarenta e quatromil que foram remidos dentre os homens; e ouve-se, como o som de muitas águas, e degrande trovão, "uma voz de harpistas, que tocavam com as suas harpas". E cantavam um"cântico novo diante do trono - cântico que ninguém podia aprender senão os cento equarenta e quatro mil. É o hino de Moisés e do Cordeiro - hino de livramento. Ninguém, anão ser os cento e quarenta e quatro mil, pode aprender aquele canto, pois é o de suaexperiência - e nunca ninguém teve experiência semelhante. "Estes são os que seguem oCordeiro para onde quer que vai." "Estes, tendo sido trasladados da Terra, dentre os vivos,são tidos como as primícias para Deus e para o Cordeiro." Apoc. 14:1-5; 15:3. "Estes são osque vieram de grande tribulação" (Apoc. 7:14); passaram pelo tempo de angústia tal comonunca houve desde que houve nação; suportaram a aflição do tempo da angústia de Jacó;permaneceram sem intercessor durante o derramamento final dos juízos de Deus. Mas foramlivres, pois "lavaram os seus vestidos, e os branquearam no sangue do Cordeiro". "Na suaboca não se achou engano; porque são irrepreensíveis" diante de Deus. "Por isso estão diantedo trono de Deus, e O servem de dia e de noite no Seu templo; e Aquele que está assentadosobre o trono os cobrirá com a Sua sombra." Apoc. 7:15. Viram a Terra devastada pela fomee pestilência, o Sol com poder para abrasar os homens com grandes calores, e eles própriossuportaram o sofrimento, a fome e a sede. Mas "nunca mais terão fome, nunca mais terãosede; nem Sol nem calma alguma cairá sobre eles".O Grande Conflito, págs. 648 e 649.
  39. 39. MILÊNIO IMinha atenção foi de novo dirigida à Terra. Os ímpios tinham sido destruídos e seus corposmortos jaziam em sua superfície. A ira de Deus, nas sete últimas pragas, fora derramadasobre os habitantes da Terra, fazendo-os morder a língua de dor e amaldiçoar a Deus. Osfalsos pastores foram objeto especial da ira de Jeová. Os olhos se lhes consumiram nasórbitas, e a língua na sua boca, enquanto estavam em pé. Depois que os santos tiveramlivramento pela voz de Deus, a multidão dos ímpios volveu sua ira, de uns contra os outros.A Terra parecia ser inundada com sangue, e havia cadáveres de uma extremidade dela aoutra.A Terra tinha a aparência de um deserto solitário. Cidades e vilas, derrubadas peloterremoto, jaziam em montões. Montanhas tinham sido removidas de seus lugares, deixandograndes cavernas. Enormes pedras, lançadas pelo mar, ou arrancadas da própria terra,estavam espalhadas por toda a sua superfície. Grandes árvores tinham sido desarraigadas, ese espalhavam pela terra. Aqui deve ser a morada de Satanás com seus anjos maus, durantemil anos. Aqui estará ele circunscrito, para errar para cá e acolá, sobre a revolvida superfícieda Terra, e para ver os efeitos de sua rebelião contra a lei de Deus. Durante mil anos, elepoderá consumir o fruto da maldição, que ele determinou.Restrito apenas à Terra, Satanás não terá o privilégio de percorrer outros planetas paratentar e molestar os que não caíram. Durante esse tempo, Satanás sofre extremamente.Desde a queda, suas más características têm estado em constante exercício. Mas deve eleentão ser despojado de seu poder e deixado a refletir na parte que desempenhou desde suaqueda, e aguardar com tremor e terror o terrível futuro, em que deverá sofrer por todo omal que perpetrou, e ser castigado por todos os pecados que fez com que fossem cometidos.Historia Da Redenção, 416-417
  40. 40. MILÊNIO IIOuvi aclamações de vitória dos anjos e dos santos remidos, ressoando como dez milhares deinstrumentos musicais, porque não mais deveriam ser molestados e tentados por Satanás, eporque os habitantes de outros mundos estavam livres de sua presença e tentações.Vi então tronos, e Jesus e os santos remidos sentarem-se sobre eles; e os santos reinaramcomo reis e sacerdotes para Deus. Cristo, em união com o Seu povo, julgou os ímpiosmortos, comparando seus atos com o código - a Palavra de Deus - e decidindo cada casosegundo as obras feitas no corpo. Então designaram aos ímpios a parte que deverão sofrer,segundo suas obras; e isto foi escrito defronte de seus nomes no livro da morte. Satanástambém foi julgado por Jesus e os santos, juntamente com seus anjos. O castigo de Satanásdeveria ser muito maior do que o daqueles a quem ele enganara. Seu sofrimento excederiaaos deles a ponto de não haver comparação. Depois que todos aqueles a quem ele enganarahouverem perecido, Satanás deverá ainda viver e sofrer muito mais tempo.Depois que se concluiu o juízo dos ímpios, no fim dos mil anos, Jesus deixou a cidade; e ossantos, bem como um cortejo do exército angélico, O acompanharam. Jesus desceu sobreuma grande montanha, a qual se abriu de alto a baixo, tão logo Seus pés a tocaram, e setornou uma grande planície. Então, olhamos para cima e vimos a grande e bela cidade, comdoze fundamentos e doze portas, três de cada lado e um anjo em cada porta. Exclamamos: "Acidade! a grande cidade! vem descendo de Deus, do Céu!" E ela desceu em todo o seuesplendor e deslumbrante glória, e fixou-se na grande planície que, para ela, Jesus haviapreparado.Historia Da Redenção, 417

×