TéNix1

3.257 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Negócios
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.257
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
19
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
78
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

TéNix1

  1. 1. Ténis
  2. 2. Origem histórica do ténis <ul><li>A origem do ténis remonta ao século V a.C., no Egipto e na Pérsia, aparecendo mais tarde na Grécia. Este jogo consistia em bater com a mão na bola por cima de uma rede. Mais tarde, no século XI, nos mosteiros franceses praticava – se um desporto chamado jeu de paume , em recinto fechado que viria a dar origem ao ténis, tal como hoje é praticado. Inicialmente, a bola era batida com a mão; esta forma de jogar só foi alterada com o aparecimento da primeira raquete, uma invenção italiana que remonta ao século XIV. As primeiras raquetes eram de madeira e só em 1550 surgiu a raquete encordoada. </li></ul><ul><li>Em Portugal, o ténis foi introduzido pelos ingleses em 1880. è de realçar a acção de um jovem educado em Inglaterra, Guilherme Ferreira Pinto, que viria a ser o primeiro campeão português de ténis, em 1882. A 16 de Março de 1925, é fundada a Federação portuguesa de Lawn – Tennis e foi escolhido para presidente Guilherme Ferreira Pinto. </li></ul>
  3. 3. Identificação <ul><li>O Ténis pode ser praticado individualmente ou a pares e é considerado um desporto de raquete . </li></ul><ul><li>O objectivo do jogo é bater a bola por cima da rede, respeitando as regras do jogo, fazendo – a ressaltar no campo adversário e fora do alcance do jogador contrário. </li></ul><ul><li>A contagem de cada jogo é feita da seguinte maneira: </li></ul><ul><li>- o primeiro ponto equivale a 15, o segundo a 30, o terceiro a 40 e o quarto è jogo; </li></ul><ul><li>- quando a contagem é de 40 – 40 ou vantagem nula, um jogador tem de ganhar dois pontos seguidos para vencer o jogo. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Um encontro é disputado à melhor de três ou de cinco sets. Um set termina quando um jogador ganhar pelo menos 6 jogos, com dois de vantagem sobre o seu adversário . </li></ul><ul><li>No caso de o set atingir o 6 igual, joga – se o tie – break (quebra – empates). O primeiro jogador que conseguir obter os sete pontos, com dois de vantagem, vence o tie – break e o set . este sistema não é utilizado no set final de um encontro. </li></ul><ul><li>O campo é rectangular, dividido ao meio por uma rede e delimitado por duas linhas laterais e duas de fundo. </li></ul><ul><li>O comprimento do campo é de 23, 77 m; a largura para singulares é de 8,23 m e de pares de 10,97 m; a altura do poste é de 1,07 m e a da rede, no centro é de 0,91 m; a distância da linha lateral ao poste é de 0,91 m; o terreno de jogo dve estar livre de qualquer objecto até 6,40 m, a partir da linha de fundo, e até 3,66 m , a partir da linha lateral. </li></ul>
  5. 5. A B C D E F G <ul><li>Linha lateral de singulares </li></ul><ul><li>Linha lateral de pares </li></ul><ul><li>Linha de fundo </li></ul><ul><li>Linha de serviço </li></ul>E. Linha lateral de serviço F. Zona de serviço G. Marca central para o serviço Fig. 1 – legenda de um campo de ténis
  6. 6. Regras Juízes, início do jogo e ponto
  7. 7. Juízes <ul><li>O primeiro – árbitro encontra – se sentado numa cadeira colocada acima da rede. É responsável pela contagem e confirmação da pontuação dos jogadores e pelo controlo do jogo em campo; fig.2-A . </li></ul><ul><li>O juiz de linha tem por missão apoiar as decisões do primeiro – árbitro sobre as bolas fora ou dentro do campo; fig. 2-B . </li></ul><ul><li>O juiz de rede verifica se a bola toca na rede quando um jogador efectua o serviço; fig. 2-C . </li></ul><ul><li>Há ainda o juiz para falta de pés . </li></ul>Fig. 2 -Juízes
  8. 8. Início do jogo <ul><li>Antes do jogo começar, o árbitro efectua o sorteio , através de uma moeda ou de uma raquete, para escolher o campo e o direito de fazer o serviço ou recebê – lo. </li></ul><ul><li>O jogador que efectua o serviço pratica falta, sempre que: </li></ul><ul><li>- um dos pés toque na linha de fundo (falta de pés) no momento em que a raquete toca na bola; </li></ul><ul><li>- mude de posição; </li></ul><ul><li>- falhe o batimento na bola. </li></ul><ul><li>No início de cada novo jogo, o primeiro serviço é executado do lado direito do campo de quem faz o serviço e a bola tem de passar a rede em diagonal, para ressaltar no campo contrário, precisamente no rectângulo de serviço. Se a primeira tentativa não for válida, o jogador tem direito a uma segunda. Caso esta também não seja válida, o adversário ganha um ponto. </li></ul>Fig. 3 - sorteio Fig. 4 – falta de pés
  9. 9. <ul><li>O ponto seguinte começa do lado contrário da linha de fundo, alternando assim sucessivamente, após cada ponto, o lado onde se executa o serviço. </li></ul><ul><li>A mudança de serviço verifica – se no final de cada jogo e a mudança de campo após o primeiro terceiro e subsequentes jogos alternados de cada set. </li></ul>
  10. 10. Ponto <ul><li>Um jogador ganha ponto quando: </li></ul><ul><li>- executa o serviço correctamente e a bola toca no adversário; </li></ul><ul><li>-executa o serviço correctamente e a bola toca no adversário antes de ressaltar no solo; </li></ul><ul><li>-o adversário não consegue devolver a bola sobre a rede, depois de esta ter ressaltado no seu campo; </li></ul><ul><li>-a bola ressalta duas vezes seguidas, num lance, no campo adversário, antes de ser devolvida com êxito; </li></ul><ul><li>-o adversário bate a bola mais de uma vez só num lance; </li></ul><ul><li>-o jogador contrário executa o batimento em vólei com a bola do lado errado da rede; </li></ul><ul><li>-a bola, devolvida do contrário, ressaltar para além da linha, totalmente; é considerado bola fora; </li></ul><ul><li>-o jogador adversário toca na rede, na corda ou nos postes com qualquer parte do corpo ou com a raquete. </li></ul>Fig.5 -Bola fora (laranja) Fig.6 -Falta
  11. 11. Fundamentos técnicos Pega da raquete e serviço
  12. 12. <ul><li>Há aspectos técnicos essenciais que qualquer jogador deve ter sempre presentes durante o jogo: </li></ul><ul><li>-manter o olhar na bola; </li></ul><ul><li>-manter o equilíbrio corporal e o trabalho de pés, de acordo com as situações; </li></ul><ul><li>-assegurar um bom balanço, o controlo do movimento da raquete e a posição da sua face. </li></ul><ul><li>A pega continental ou universal pode ser utilizada em quase todos os batimentos; Fig.7-A . No entanto, obriga o praticante a um adequado posicionamento do corpo, posição lateral, de maneira que o batimento seja completamente executado. É um tipo de pega muito exigente para o pulso e o antebraço, isto é, há um maior desgaste do que nos outros tipos de pega. </li></ul>Fig.7 -Pega continental ou universal
  13. 13. <ul><li>A pega “eastern ” ou “ apertar as mãos ”, é muito utilizada no batimento com o ressalto da bola baixo do nível da cintura, à direita e à esquerda. </li></ul><ul><li>- a pega “eastern à direita” é utilizada nos batimentos do lado direito, confortável para o pulso e o braço; Fig.7-B , mas é um tipo de pega muito limitada no serviço e no smash e inútil nos batimentos do lado esquerdo. </li></ul><ul><li>- a pega “eastern à esquerda” é utilizada nos batimentos do lado esquerdo; Fig.7-C , no serviço e no smash. Também, este tipo de pega, permite um adequado suporte contra o impacto nas bolas altas, sem qualquer limitação de ordem técnica. </li></ul>Fig.7 - pega “eastern à direita” Fig.7 - pega “eastern à esquerda”
  14. 14. Serviço <ul><li>O serviço é executado para além da linha de fundo, do lado direito do campo do jogador que o executa. Assim deve – se: </li></ul><ul><li>-colocar os pés afastados um à frente do outro; </li></ul><ul><li>-apontar o pé da frente para o poste da rede e a raquete para o campo de serviço; fig.8-A ; </li></ul><ul><li>-lançar a bola para cima com a mão do lado do pé da frente; fig.8-B ; </li></ul><ul><li>-recuar a raquete simultaneamente com o movimento ascendente da bola e olhar para ela; fig.8-C ; </li></ul><ul><li>-fazer o contacto com a bola no ponto mais alto, quando esta começa a fase descendente, pela extensão completa do braço, e, finalmente, o movimento da balanço; fig.8-D . </li></ul>Fig.8 -Serviço
  15. 15. Batimentos À direita, à esquerda e com as duas mãos, smash e vólei
  16. 16. Batimento à direita <ul><li>Depois de determinado a velocidade e a trajectória da bola, devem fazer – se os deslocamentos necessários para tomar a posição conveniente na realização do batimento. Assim deve – se : </li></ul><ul><li>-rodar o pé direito, aproximando o esquerdo; </li></ul><ul><li>-movimentar a raquete para trás e para cima, com rotação do tronco. As pernas devem ficar flectidas; </li></ul><ul><li>Iniciar o balanço da raquete; o pé esquerdo avança à frente (um passo) e, com ele, o peso do corpo. Bater na bola com a face da raquete na vertical, o cotovelo ligeiramente flectido e o pulso firme; </li></ul><ul><li>-fazer o batimento com o movimento para cima e mantê – lo o mais longe possível, trazendo a raquete à frente. O balanço empurra o jogador para a frente. </li></ul>
  17. 17. Batimento à esquerda <ul><li>Este batimento é idêntico à direita, excepto no movimento da batida na bola, que é feita mais à frente. Assim deve – se : </li></ul><ul><li>-rodar mais o corpo para conseguir mais força no balanço da raquete; </li></ul><ul><li>-manter o pulso firme; fig.9 . </li></ul>Fig.9 -Batimento de esquerda
  18. 18. Batimento com as duas mãos <ul><li>Este batimento é idêntico ao anterior. A mão esquerda deve ficar ligeiramente acima da direita. Contudo, é difícil manter o equilíbrio, sendo necessário dar mais um passo, com o apoio da retaguarda, após o batimento, ou retirar a mão esquerda, imediatamente a seguir ao batimento. </li></ul>Batimento com as duas mãos
  19. 19. Smash (remate) <ul><li>È utilizado como resposta à devolução da bolas com trajectória alta. O remate é idêntico ao serviço, mas exige coordenação de movimento. A mão livre é flectida a partir do pulso, com o cotovelo flectido. Na sua execução, deve – se : </li></ul><ul><li>-fixar o olhar na bola e segui – la com a mão livre; fig.10-A ; </li></ul><ul><li>-no momento do contacto, entre a raquete e a bola, ter os ombros em ângulo recto em relação à rede; </li></ul><ul><li>-Bater a bola acima do plano da cabeça, no ponto mais alto; fig.10-B . </li></ul>Fig.10 -Smash
  20. 20. Vólei <ul><li>È o batimento antes do ressalto da bola no solo. A mão é flectida a partir do pulso com o cotovelo flectido. No momento do contacto entre a raquete e a bola, deve – se : </li></ul><ul><li>-ter os ombros em ângulo recto em relação à rede; </li></ul><ul><li>-Simultaneamente ao movimento da “cabeça” da raquete, rodar o corpo e dar um passo em frente para bater na bola. </li></ul>Fig.11 -Vólei
  21. 21. Fundamentos tácticos Jogo individual
  22. 22. <ul><li>Antes de aplicar qualquer táctica, um jogador deve ter em atenção que: </li></ul><ul><li>-é importante manter a bola em jogo; </li></ul><ul><li>-o adversário não saia da linha de fundo, devendo procurar mantê – lo nesta situação defensiva; </li></ul><ul><li>-as variações na trajectória dos batimentos são essenciais. </li></ul><ul><li>Embora o ténis seja um jogo de força, esta, só por si, não é condição suficiente para vencer. È necessário inteligência para vencer ao adversário. </li></ul>
  23. 23. Jogo individual <ul><li>Colocação em campo </li></ul><ul><li>Para uma correcta técnica, é essencial pegar na raquete adequadamente. </li></ul><ul><li>O serviço é o batimento mais difícil do ténis; fig.12-A , mas com um serviço bem executado pode dominar – se o jogo. </li></ul><ul><li>Na preparação para a resposta ao serviço, o jogador deve colocar – se próximo da linha de fundo. Esta colocação deve ser ajustada à força do serviço do adversário; fig.12-B . </li></ul><ul><li>O início do jogo é feito com o serviço; contudo, é importante o batimento à direita e à esquerda , pois o jogo, em parte, é realizado a partir da linha de fundo. </li></ul><ul><li>A resposta ao adversário deve ser feita em função da trajectória e da posição do batimento do adversário. </li></ul>Fig.12 -Colocação em campo Fig.12 -Serviço
  24. 24. Posição de ataque e de defesa <ul><li>A devolução da bola para o campo contrário deve ser feita no sentido de dificultar a acção do oponente, colocando a bola em trajectórias: </li></ul><ul><li>-ao longo das linhas de fundo; </li></ul><ul><li>-cruzadas. </li></ul><ul><li>Depois de devolver a bola, o jogador deve deslocar – se para o meio do seu campo. Neste enquadramento, o jogador deve evitar, dentro do possível, a posição junto à linha de fundo – atitude defensiva – e tomar uma posição que lhe possibilite fazer o vólei quer á direita , quer à esquerda. Esta atitude ofensiva tem por objectivo forçar o adversário a recuar para alinha de fundo. </li></ul>Figs.13/14 -Tajectórias da bola
  25. 25. <ul><li>Nas devoluções de bolas com trajectória alta, é possível aplicar o smash , desde que o jogador esteja bem colocado no seu meio campo. </li></ul><ul><li>Contudo, estas disposições tácticas podem também alterar – se rapidamente , através de um batimento alto ( lob ). Esta acção vai permitir as mudanças tácticas nos jogadores. Faz recuar o jogador que estava junto à rede e o outro avança para ela. </li></ul>Fig.15 -Lob
  26. 26. Trabalho elaborado por: <ul><li>Beatriz Vieira Maia nº6 </li></ul><ul><li>8º A </li></ul>

×