Redações comentadas

5.409 visualizações

Publicada em

Exemplos de falhas em redações e observações

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Redações comentadas

  1. 1. Redações Comentadas Os exemplos foram retirados do livro “Como corrigir redação”, de Graciema Pires Therezo (editora Alínea). Para fins didáticos, foram mantidas algumas das observações do livro e acrescentadas outras. Alguns problemas com o texto
  2. 2. Falhas de coesão de e de coerência
  3. 3. A tirania da moda e da estética corporal São vários os casos, em sua grande maioria jovens em volta de 23 a 35 anos, que sofrem para manter-se esteticamente diante da sociedade, ou até mesmo para estar nos padrões de beleza estabelecidos pelos “tiranos da moda”. Tomemos como exemplo as modelos, ou melhor, uma modelo, Cláudia Liz: muito bem sucedida profissionalmente, com seu corpo invejável, após ter um filho, com dois quilos a mais, porém temos certeza, imperceptíveis (a não ser alguns centímetros a mais na fita métrica...) sofre pressão do mercado de trabalho para perdê-los. E sendo que ela já estava sem trabalho há muito tempo, lógico que ela optaria pelo método mais rápido: a lipoescultura; é uma lipoaspiração lateral do corpo que começa mais ou menos pouco abaixo às axilas até a altura dos joelhos. Seria perfeito, ela voltaria a ter as antigas e cobiçadas medidas, mas como nem tudo é perfeito... Ocorrem complicações durante a cirurgia, colocando em risco a saúde e até mesmo a vida de uma jovem, com um filho lindo para criar, quase ela não ficou aqui para vê-lo crescer... Mas que seja lembrado, cirurgia feita sem necessidade real. Como podemos ver o mundo da moda é muito concorrido, pois todos os dias acontecem muitos desfiles em vários lugares do país. Muitas modelos ganham um bom dinheiro, o qual ao invés de ajudar a renda da casa, alguns preferem se submeter a uma lipo, pois preferem o corpo perfeito à renda familiar.
  4. 4. A tirania da moda e da estética corporal São vários os casos, em sua grande maioria jovens em volta de 23 a 35 anos, que sofrem para manter-se esteticamente diante da sociedade, ou até mesmo para estar nos padrões de beleza estabelecidos pelos “tiranos da moda”. • Introdução superficial. É possível compreender a temática, mas não a tese e sua contextualização. • “Tiranos da moda” é um termo muito pouco específico e que não é explorado no restante do texto. • São vários os casos que sofrem. Os casos sofrem? Ou são vários os casos de jovens que sofrem? • Em volta de 23 a 35 anos. Jovens de 23 a 35 anos. • Em sua grande maioria: pleonasmo. Maioria já é grande. • Ou até mesmo, embora não seja uma expressão que mostre coisas necessariamente opostas, prevê entre elas alguma diferença (exemplo: até mesmo para estar nos padrões de beleza de grandes companhias da moda, agências de modelos ou para atender às exigências de beleza companheiros/as. Remover o até mesmo ajudaria.
  5. 5. Sugestão de reescritura do parágrafo A tirania da moda e da estética corporal São vários os casos de mulheres, em sua maioria jovens de 23 a 35 anos, que sofrem para manter-se esteticamente bem diante da sociedade e estar dentro dos padrões de beleza estabelecidos pela indústria da moda. *Para alcançar o corpo desejado, muitas dessas jovens submetem-se a situações de risco como cirurgias plásticas e lipoaspirações. • Obs: a frase colocada após o asterisco (*) não faz parte do texto original. Ela é apenas uma sugestão para tentar complementar melhor a introdução do texto e acrescentar melhor uma visão do que pode-se esperar do desenvolvimento.
  6. 6. Tomemos como exemplo as modelos, ou melhor, uma modelo, Cláudia Liz: muito bem sucedida profissionalmente, com seu corpo invejável, após ter um filho, com dois quilos a mais, porém temos certeza, imperceptíveis (a não ser alguns centímetros a mais na fita métrica...) sofre pressão do mercado de trabalho para perdê-los. • O exemplo fala apenas de uma modelo específica, portanto, citar as outras é desnecessário e incoerente. Além do mais, o exemplo não é citação ou aposto, descartando o uso dos dois pontos. “Tomemos como exemplo a modelo Cláudia Liz.”. • Com dois quilos a mais: a modelo ou o filho? • Temos certeza. Como ter tanta certeza? Se fossem, com certeza, imperceptíveis, uma fita métrica não acusaria isso. • Há uma falta de conexão entre as ideias da frase, tornando- a confusa.
  7. 7. Sugestão de reescritura do trecho Tomemos como exemplo a modelo Cláudia Liz. Muito bem sucedida profissionalmente, com seu corpo invejável, após ter um filho, passou a pesar dois quilos a mais. Embora imperceptíveis, ela começou a sofrer pressão do mercado para perdê-los. [...] • Observem a expressão destacada para compreender a incoerência comentada no próximo slide. • Atenção especial, também, aos tempos verbais. Se a pressão é causa de um evento que já passou (a lipoaspiração), então os verbos deverão ser empregados no pretérito. • A segunda frase ficaria mais clara com uma simples inversão: passou a pesar dois quilos a mais após ter um filho.
  8. 8. E sendo que ela já estava sem trabalho há muito tempo, lógico que ela optaria pelo método mais rápido: a lipoescultura; é uma lipoaspiração lateral do corpo que começa mais ou menos pouco abaixo às axilas até a altura dos joelhos. Seria perfeito, ela voltaria a ter as antigas e cobiçadas medidas, mas como nem tudo é perfeito... Ocorrem complicações durante a cirurgia, colocando em risco a saúde e até mesmo a vida de uma jovem, com um filho lindo para criar, quase ela não ficou aqui para vê-lo crescer... • Se ela é muito bem sucedida profissionalmente, é incoerente dizer que ela já estava sem trabalho há muito tempo (notem, também, o excesso de “muitos”). • “Lógico” - juízo de valor que pode não condizer com lógica e “seria perfeito” - uma afirmação muito subjetiva. Mas como nem tudo é perfeito contradiz o “seria perfeito”. • Mais ou menos um pouco abaixo [...]: descrição confusa, imprecisa e incorreta de uma lipoescultura. • Ocorrem: mais uma vez, atenção ao tempo verbal. Ocorrem sempre, no tempo presente, ou ocorreram? • Aqui onde?
  9. 9. Sugestão de reescritura do trecho [...] Optou pelo método mais rápido, a lipoescultura. Contava voltar a ter as antigas e cobiçadas medidas, mas, como nem tudo é perfeito, ocorreram complicações durante a cirurgia, colocando em risco sua vida. Ela quase morreu devido a uma operação que, na verdade, foi feita sem necessidade real. • A reescritura já elimina, também, os apelos emocionais desnecessários e que devem ser evitados em uma dissertação. • Foi eliminada a descrição da lipoescultura. Na dúvida, é melhor não descrever, já que não é um procedimento tão incomum. • “Foi feita sem necessidade real” expressa melhor a intenção do exemplo do que a ideia de um filho que poderia ficar sem a mãe ou uma frase cheia de “quases” (quase ficou sem a vida, o filho quase ficou sem a mãe).
  10. 10. Mas que seja lembrado, cirurgia feita sem necessidade real. Como podemos ver o mundo da moda é muito concorrido, pois todos os dias acontecem muitos desfiles em vários lugares do país. Muitas modelos ganham um bom dinheiro, o qual ao invés de ajudar a renda da casa, alguns preferem se submeter a uma lipo, pois preferem o corpo perfeito à renda familiar. • A frase “Mas que...” não pode constituir um parágrafo. Ela ainda faz parte da ideia central desenvolvida pelo anterior. • Como podemos ver: além de não ter sido possível “ver”, a expressão indica uma conclusão direta do parágrafo anterior. Um único exemplo não é suficiente. • Em momento algum o texto falou sobre os desfiles pelo mundo, além de também não ser razão para concluir que o mundo da moda é concorrido. • Ao invés de ajudar a renda da casa: pode até ter sido a intenção do autor, mas o texto não desenvolve o fato das modelos preferirem o corpo à renda da família. Não é uma conclusão que possa ser tirada do texto.
  11. 11. Sugestão de reescritura do parágrafo O mundo da moda é muito concorrido, pois rende bom dinheiro, mas muitas modelos acabam gastando grandes quantias em cirurgias plásticas para manter sua beleza. • Importante: a reescritura é um exemplo de como o parágrafo ficaria melhor estruturado. Porém, a conclusão continua pouco desenvolvida. • O tema deveria ter sido melhor explorado, o desenvolvimento do texto e os argumentos ainda são fracos e deveriam ser melhor explorados.
  12. 12. Falta de adequação ao tema
  13. 13. As possibilidades de comunicação e a consciência política entre os jovens Os jovens no mundo atual têm acesso a muitas informações, desde Internet até estorinhas de gibi, mas, mesmo com todas essas vantagens, somos acusados de “alienados”, por uma simples razão: não nos mostramos tanto à sociedade. O mundo de hoje está muito diversificado, os que têm vontade precisam ler, não têm acesso à informação, e os que podem não têm vontade. O vocabulário na maioria das vezes é escasso, dificultando o raciocínio e a comunicação. Mesmo porque são infinitas as palavras no nosso vocabulário, que ninguém conseguiria saber todas. Já que só a elite têm condições ao acesso à Internet, a colégios bons, fica difícil que o mundo se alfabetize por inteiro. Pois, quando lemos, adquirimos argumentos para discutir, além de ficarmos a par do que se passa no mundo fora do espaço interno psicológico. Logo, lendo e se interessando por assuntos diversos adquirimos mais cultura nos tornando preparados para conviver com essa sociedade conservadora e ao mesmo tempo liberal.
  14. 14. Observações sobre a abordagem do tema • Em momento nenhum o texto trata de consciência política. • Além disso, o autor ou autora do texto não consegue esclarecer qual a relação entre a comunicação e essa consciência política, limitando-se a falar das dificuldades de acesso ao mundo da cultura. • O texto não acrescenta ideias novas ou argumentos convincentes, atendo-se ao óbvio e ao tema da leitura e suas consequências (ou seja, não se adéqua ao tema proposto). • A introdução começa bem, mas o desenvolvimento do texto não atende ao proposto por ela. • Existe, na conclusão, uma ideia que não é explorada no desenvolvimento, que é a de viver em uma sociedade conservadora e liberal ao mesmo tempo.
  15. 15. Observações sobre coerência e coesão • Os jovens no mundo [...] somos acusados. Embora o “nós” funcione, também, como uma terceira pessoa, a inclusão do autor fica clara. É importante evitar, mesmo que indiretamente, incluir-se dentro do texto dissertativo. • O vocabulário na maioria das vezes é escasso. Qual vocabulário? Da língua portuguesa de forma geral (seria incoerente, já que “são infinitas as palavras”)? Dos que não têm acesso à informação? Ou dos que não têm vontade? • Só a elite têm condições. Têm é plural e elite, singular. Só a elite tem condições. • Pois é uma explicação para o desenvolvimento do parágrafo anterior, mas não apresenta uma ideia independente. Deveria juntar-se ao outro. • Logo, lendo e NOS interessando [...], adquirimos mais cultura, tornando-nos preparados [...].
  16. 16. Texto composto apenas de julgamentos Proposta: A imprevisibilidade que o rápido progresso técnico e científico imprime ao mundo atual é causa de apreensão para o homem.
  17. 17. Atualmente, o homem vive muito apreensivo porque o progresso científico e tecnológico, que poderia levá-lo à compreensão e solução dos próprios problemas, pode levá-lo à destruição. As descobertas surgem rapidamente, propondo mudanças de comportamento, de ideia, de valores e, quando se começa a acostumar com estas mudanças vêm, em seguida, novas propostas. Isto gera grandes expectativas em relação à vida, ao trabalho, aos costumes, aos conceitos e preconceitos, a tudo enfim. Quando se começa a acostumar, é preciso questionar e adaptar-se outra vez. Os imprevistos que o rápido progresso técnico e científico imprimem, nos dias de hoje, são a principal fonte de angústia, de dúvida e de apreensão para o homem moderno. Não se sabe como ele vai conciliar tudo isso sem gerar problemas de ordem emocional e afetiva, que podem levá-lo à destruição da própria identidade. Na tentativa e na ânsia de tudo descobrir, produzir e usufruir, ele pode se embaralhar e se esquecer de ser ele mesmo, de viver em harmonia com o próprio corpo, a própria mente e com a natureza. Assim, pode chegar à autodestruição. Com o passar do tempo, poderemos avaliar o que o progresso nos trouxe; ou estaremos vivendo melhor ou estaremos destruídos por nossas próprias mãos.
  18. 18. Atualmente, o homem vive muito apreensivo porque o progresso científico e tecnológico, que poderia levá-lo à compreensão e solução dos próprios problemas, pode levá-lo à destruição. As descobertas surgem rapidamente, propondo mudanças de comportamento, de ideia, de valores e, quando se começa a acostumar com estas mudanças vêm, em seguida, novas propostas. Isto gera grandes expectativas em relação à vida, ao trabalho, aos costumes, aos conceitos e preconceitos, a tudo enfim. Quando se começa a acostumar, é preciso questionar e adaptar-se outra vez.
  19. 19. Os imprevistos que o rápido progresso técnico e científico imprimem, nos dias de hoje, são a principal fonte de angústia, de dúvida e de apreensão para o homem moderno. Não se sabe como ele vai conciliar tudo isso sem gerar problemas de ordem emocional e afetiva, que podem levá-lo à destruição da própria identidade. Na tentativa e na ânsia de tudo descobrir, produzir e usufruir, ele pode se embaralhar e se esquecer de ser ele mesmo, de viver em harmonia com o próprio corpo, a própria mente e com a natureza. Assim, pode chegar à autodestruição. Com o passar do tempo, poderemos avaliar o que o progresso nos trouxe; ou estaremos vivendo melhor ou estaremos destruídos por nossas próprias mãos.
  20. 20. Observações • Texto é bem articulado, apresenta coerência e clareza de linguagem. Porém, é composto apenas por julgamentos, ou seja, não há argumentação. • Não há fatos, dados, exemplos, argumentos que comprovem os julgamentos. • Que descobertas? Que mudanças? Que propostas? Que expectativas? Que imprevistos? Que problemas? • Se não há uma argumentação ao longo do texto, apenas julgamentos sem qualquer fundamentação, a conclusão fica prejudicada. Como fazer uma conclusão eficiente de um texto que não foi, de fato, desenvolvido e analisado?

×