Especialista Isabela Mantovani apresenta números estatísticos a respeito do aborto

98 visualizações

Publicada em

Em audiência pública realizada na Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal, em maio de 2015 , a Especialista Isabela Mantovani apresenta os reais dados, números e estatísticas a respeito do aborto no mundo e no Brasil. Para saber mais sobre o assunto leia http://institutofloresdeaco.blogspot.com.br/2015/11/a-verdade-revelada-os-reais-interesses.html

#AprovaPL5069

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
98
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Especialista Isabela Mantovani apresenta números estatísticos a respeito do aborto

  1. 1. AUDIÊNCIA PÚBLICA Comissão de Direitos Humanos Senado Federal Estatísticas do Aborto 05 de maio de 2015
  2. 2. 5 equívocos sobre o aborto 1. Número de abortos: no Brasil há 1.000.000, 1.500.000 abortos/ano. 2. A legalização do aborto faz com que o número de abortos diminua. 3. Os países que legalizaram o aborto tem um menor número de abortos que o Brasil, onde o aborto é ilegal. 4. O número de abortos está aumentando no Brasil. 5. Quando o aborto é legalizado a mortalidade materna diminui.
  3. 3. 1o equívoco – número de abortos  Como se chegou ao número de 1.000.000?  Instituto Alan Guttmacher (IPPF):  Número de internações hospitalares x 5  IPAS  Número de internações hospitalares X 6  Qual a explicação para esse cálculo? Nunca houve.
  4. 4. SUS mostra como esse número é mentiroso  Em 2013 206.270 internações hospitalares devidas a aborto (espontâneo e provocado);  Em 2010 foi realizada a Pesquisa Nacional do Aborto (UnB com a ONG ANIS) 1 a cada 2 mulheres que abortam precisam de internação;  20-25% das internações hospitalares são por aborto provocado
  5. 5. Então...  206.270 x 0.25 = 51.567  51.567 x 2 = 103.134  No Brasil são realizados, aproximadamente, 100.000 abortos/ano
  6. 6. Exemplo dos Estados Unidos  Antes da legalização do aborto em todo o território nacional, estimava-se:  200-300 mortes de mulheres por ano  200.000 abortos ilegais  Os que militavam pela legalização do aborto afirmavam:  5.000 a 10.000 mortes de mulheres por ano  1.000.000 de abortos ilegais eram realizados
  7. 7. Exemplo dos Estados Unidos  “Eu confesso que sabia que os números eram totalmente falsos e suponho que os outros, se parassem para pensar sobre isso, também sabiam. Mas, na moralidade da nossa revolução, eram números úteis, amplamente aceitos, então por que não usá-los da nossa forma, por que corrigi-los com estatísticas honestas? A principal preocupação era eliminar as leis [contra o aborto] e qualquer coisa que pudesse ser feita para isso era permitida". Extraído do livro “América que Aborta”, Dr. Nathanson.
  8. 8.  Vamos analisar os números de alguns países:  EUA: 2o equívoco – número de abortos diminui com a legalização Ano No abortos População 1970 193.491 205 052 000 1975 1.034.170 215 973 000 1980 1.553.890 (626%) 227 225 000 1989 1.566.870 246 819 000 1998 1.319.000 275 854 000 2000 1.313.000 282 162 411 2008 1.212.350 (325%) 304 093 966
  9. 9. 0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 Ano 1970 Ano 1975 Ano 1980 Ano 1989 Ano 1998 Ano 2000 Ano 2008 EUA
  10. 10.  Suécia (aborto foi legalizado em 1939): 20 equívoco – número de abortos diminui com a legalização Ano No abortos População 1939 439 1949 5.503 1969 13.735 7 968 072 1999 30.712 8 857 874 2010 37.698 9 378 126
  11. 11. 0 0,05 0,1 0,15 0,2 0,25 0,3 0,35 0,4 0,45 Ano 1969 Ano 1999 Ano 2010 SUÉCIA
  12. 12. 20 equívoco – número de abortos diminui com a legalização  Espanha (legalizado em 1985): Ano No abortos População 1987 16.766 38 630 820 1990 37,231 38 850 435 1997 49,578 (190%) 39 582 413 2002 77.125 41 431 558 2007 112,138 45 226 803 2011 118,359 (488%) 46 742 697
  13. 13. 0 0,05 0,1 0,15 0,2 0,25 0,3 Ano 1987 Ano1990 Ano 1997 Ano 2002 Ano 2007 Ano 2011 Espanha
  14. 14. 2o equívoco – número de abortos diminui com a legalização  Inglaterra, desde a legalização, em 1967, o número de abortos só aumenta  2007, aumento de 4% em relação a 2006  Grupo que apresenta um aumento mais rápido durante os anos: adolescentes  Lord Steel  Ann Furedi (Serviço Britânico de Assistência à Gravidez)
  15. 15. URUGUAI: um exemplo concreto  A legalização do aborto no Uruguai, em dezembro de 2012, é um exemplo concreto de como essas mentiras são empregadas.  Os que militavam pela legalização do aborto diziam que havia, no Uruguai, 33.000 abortos por ano
  16. 16. URUGUAI: um exemplo concreto  No primeiro mês de legalização 200 abortos, nos meses subsequentes 300-400.  Ora, no ano de 2013 houveram, aproximadamente, 4.400 abortos. Onde estão os outros 29.000?  Em 2014,– aumento de 20%  Elard Koch, em 15 anos 30.000 a 35.ooo abortos no Uruguai.  No de abortos clandestinos 10x menor que o legal
  17. 17. 30 equívoco – Brasil tem maior número de abortos que os países que o legalizaram  Brasil 100.000 abortos/ano População: 200.000.000  França 200.000 abortos/ano (10 vezes mais Brasil) População: 50.000.000  Suécia 40.000 (8 vezes mais) População: 10.000.000
  18. 18. 30 equívoco – Brasil tem maior número de abortos que os países que o legalizaram  Brasil 100.000 abortos População: 200.000.000  Inglaterra 100.000 (4 vezes mais que o Brasil) População: 50.000.000  Japão 200.000 (4 vezes mais que o Brasil) População: 100.000.000
  19. 19. 4º equívoco – no abortos está aumentando no Brasil  Não é verdade.  O número de abortos está diminuindo no Brasil.  O número de curetagens diminui ano após ano, chegando a 12% de queda de 2008 para 2009.
  20. 20.  Esse dado é coerente com as pesquisas:  IBOPE 2003 – 90% da população era contrária ao aborto  IBOPE 2005 – a aprovação ao aborto de 2003 para 2005 diminuiu de 10% para 3%  Data Folha 2007 – o percentual dos que achavam a prática do aborto muito grave foi de 61% em 1998 para 71% em 2007. Só 3% consideraram ‘moralmente aceitável’ fazer um aborto 4º equívoco – no abortos está aumentando no Brasil
  21. 21.  Aqui vale a reflexão: Eles afirmam que para diminuir o número de abortos é necessário legalizá-lo! Observamos que é exatamente o contrário que acontece! E no Brasil, onde o aborto é ilegal, é que ele diminui! 4º equívoco – no abortos está aumentando no Brasil
  22. 22. 5º equívoco – legalizar o aborto diminui a mortalidade materna  Não há relação entre legalização do aborto e diminuição da mortalidade materna;  Há países com leis extremamente restritas em relação ao aborto, como o Chile, com mortalidade materna baixa. Diminuiu de 275 mortes maternas por 100.000 NV em 1960 para 18,7 em 2000, a maior redução da América Latina inteira.
  23. 23.  Há países onde o aborto é legal e tem mortalidade materna alta, como a Índia, 200 em 2010.  Há países onde o aborto era legalizado, foi proibido (com restrições) e a mortalidade materna diminuiu como a Polônia, 11 em 1993 para 2 em 2010.  Os dados mostram que não há relação entre legalização do aborto e diminuição da mortalidade materna. 5º equívoco – legalizar o aborto diminui a mortalidade materna
  24. 24. 5º equívoco – legalizar o aborto diminui a mortalidade materna  O que diminui mortalidade materna é investir na assistência no pré-natal, parto e puerpério.  As mulheres nesse país morrem por falta de acesso ao sistema de saúde no momento oportuno.  Vejamos os dados:
  25. 25. 1542 (96%) 68 (4%) 2011 mortes maternas mortes maternas por aborto provocado Total: 1610 mulheres
  26. 26. Calculando o indicador: RMM  Real 1610 / 2.913.160 X 100.000 = 55  Caso as mulheres não tivessem morrido por aborto provocado:  1542 / 2.913.100.000 = 53
  27. 27.  Se legalizar o aborto não interfere em nada na diminuição da mortalidade materna,  O aborto é uma questão de saúde pública?  O aborto é uma questão de interesses internacionais de controle populacional! 5º equívoco – legalizar o aborto diminui a mortalidade materna
  28. 28. REFERÊNCIAS 1. tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sih/cnv/qiuf.def 2. tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sih/cnv/niuf.def 3. http://www.ipas.org.br/arquivos/factsh_mag.pdf 4. www.johnstonsarchive.net/policy/abortion/ab-sweden.html 5. http://news.bbc.co.uk/2/hi/health/6765953.stm 6. www.guardian.co.uk/uk/2007/oct/24/politics.topstories3 7. www.forumlibertas.com/frontend/forumlibertas/noticia.php?id_not icia=7071&id_seccion=8 8. www.cdc.gov/mmwr/preview/mmwrhtml/ss5103a1.htm#fig1 9. www.elpais.com.uy/informacion/despenalizacion-aumentaran- abortos-entrevista-elard-koch.html 10. www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff2301200921.htm 11. www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff2205201001.htm 12. www.theinterim.com/issues/abortion/q-and-a-with-dr-bernard-n- nathanson
  29. 29. 13. Bernard Nathanson, M.D., Aborting America (New York: Doubleday, 1979), 193 14. www.roevwade.org/myths2.html 15. http://www.scielo.br/pdf/csc/v15s1/002.pdf 16. http://www.espectador.com/noticias/256208/hubo-200-abortos-en- primer-mes-de-aplicacion-de-la-ley 17. http://www.telam.com.ar/notas/201301/4353-uruguay-200- abortos-en-el-primer-mes-desde-su-despenalizacion.html 18. http://www.elobservador.com.uy/noticia/246829/segun-briozzo-se- realizan-en-uruguay-entre-300-y-400-abortos-legales-por-mes- 19. http://www.espectador.com/noticias/267270/se-realizan-unos-400- abortos-por-mes-en-uruguay 20. http://www.catholicsforchoice.org/conscience/current/c2006winter _shouldabortionbeprevented.asp 21. http://www.clam.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?User ActiveTemplate=_BR&infoid=6799&sid=7&gt REFERÊNCIAS
  30. 30. 22. http://countrymeters.info/pt/Spain 23. http://countrymeters.info/pt/Sweden 24. http://countrymeters.info/pt/United_States_of_America_%28USA%29 25. http://www.johnstonsarchive.net/policy/abortion/ab-spain.html 26. http://www.johnstonsarchive.net/policy/abortion/ab-unitedstates.html REFERÊNCIAS

×