SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 35
Evolução em Dois Mundos
Pelo espírito de André Luiz
Psicografia de Chico Xavier e Waldo Vieira
Federação Espírita do Estado de Goiás – FEEGO
Goiânia (GO)
Primeira Parte - Capítulo XVIII
Sexo e Corpo Espiritual
07/08/2017
Federação Espírita do Estado de Goiás – FEEGO
Goiânia (GO)
Um ser ou animal que apresenta órgãos sexuais dos dois sexos, geralmente em
decorrência de processo teratológico, ou seja, por uma má formação
embrionária.
Molly passou por cirurgia
Foto: Pixabay/@NickTrumble
O ESTADO DE S. PAULO - 28/07/2017
Hermafrodito Dormindo
Museu de Louvre Paris
Autor Desconhecido
HERMAFRODITA
Examinando o instinto sexual, convêm lembrar que, por
milênios e milênios, o princípio inteligente se demorou no
hermafroditismo das plantas:
Fanerógamas, em cujas flores os estames e pistilos articulam,
respectivamente, elementos masculinos e femininos.
Criptógamas (celulares e vasculares), onde ensaiara
longamente a reprodução sexuada, com formação de gametas
(anterozóides e oosfera) que muito se aproximam aos dos
animais...
HERMAFRODITISMO E UNISSEXUALIDADE
CRIPTÓGAMAS (sem flores ou sementes)
 briófitas (musgos e hepáticas) – tamanho até 5 cm – avasculares.
 pteridófitas (samambaias)
Reprodução por alternância de geração
Sexuada  Em meio aquoso o gameta masculino (anterozóide)
busca o gameta feminino (oosfera), formando um zigoto (esporófito
jovem);
Assexuada  o zigoto torna-se esporófito maduro, liberando
esporos, que formarão novos gametófitos (masculino e feminino).
FANERÓGAMAS
gimnospermas – com sementes / sem frutos / sem flores -
(pinheiros...)
– árvores médias e grandes
angiospermas – com sementes e frutos (limoeiros, mangueiras...)
Longo tempo foi gasto na evolução do instinto sexual em vários tipos de animais
inferiores, alternando-se-lhe os estágios de hermafroditismo com os de
unissexualidade para que se lhe aperfeiçoassem as características na direção dos
vertebrados.
Depois de muitas metamorfoses, caminhou o elemento espiritual na
reprodução entre as vastas províncias dos protozoários e metazoários, com
a divisão e gemação entre os primeiros, correspondendo à cisão ou estrobilação
entre os segundos.
O indivíduo que nasce com dois órgãos genitais, tanto masculino
quanto feminino, ao mesmo tempo.
 Verdadeiro  (maioria meninas) nascem com os dois órgãos sexuais bem
formados, possuindo os órgãos sexuais internos e externos de ambos os sexos
(ovários, útero, vagina, testículos e pênis).
 Pseudo-masculino  nascem como masculino (cromossomos XY) embora
os órgãos sexuais externos não se desenvolvam completamente; é um
homem (XY) do ponto de vista genético, mas o pênis não se desenvolve
completamente.
 Pseudo-feminino  nasce feminino (cromossomos XX) embora o clitóris
desenvolva-se excessivamente adquirindo um formato semelhante a um
pênis; é mulher (XX) do ponto de vista genético, tem o aparelho reprodutor
feminino completo, mas durante a fase intrauterina sofre um processo de
virilização dos genitais.
HERMAFRODITA HUMANO
Gradativamente, aparecem novos fatores de diferenciação, guardando-se, no
entanto, os distintivos essenciais,
 O sapo macho adulto carrega na região do seu testículo um ovário
elementar (corpo de Bidder). Se extirparmos o testículo, o ovário atrofiado
começa a funcionar, por atuação da hipófise, convertendo-se num ovário adulto.
 Em 5% a 10% das galinhas adultas, se retirarmos o ovário esquerdo,
consideravelmente desenvolvido, o ovário direito, rudimentar, transubstancia-se
num testículo (era inibido por estrogênios ). Aumenta-se-lhes a crista, cantam
tipicamente à maneira do galo e adotam-lhe a conduta sexual masculina.
HERMAFRODITISMO POTENCIAL
... demonstrar que entre todos os vertebrados e muito
particularmente no homem, (...) nos domínios da reencarnação,
apenas os caracteres morfológicos dos implementos sexuais
estão submetidos aos princípios da genética.
REGISTRAMOS ESSES FATOS PARA...
Isso porque não é só a figuração das glândulas sexuais que
se mostra bipotencial até certo ponto, pois todo o cosmo
orgânico é suscetível de reagir aos hormônios do mesmo sexo
ou do sexo contrário, segundo as disposições psíquicas da
personalidade.
Atingindo inequívoco progresso em seus estímulos, o corpo espiritual (...),
conforme a posição da mente a que serve, determina mais ampla riqueza
hormonal.
AÇÃO DOS HORMÔNIOS
Hormônios Sexuais - Testosterona, produzida nos testículos, e progesterona e
estrógeno, produzidos nos ovários.
As glândulas sexuais que então mobiliza são mais complexas. Exercem a
própria ação pelos hormônios que segregam, arrojando-os no sangue,
hormônios esses, femininos ou masculinos.
AÇÃO DOS HORMÔNIOS
Hipotálamo  hipófise  FSH e LH
Homem
 FSH - maturação de SPTZ
 LH - estimula os testículos na produção de testosterona
Mulher
 FSH - estimula produção de estrógeno no ovário para desenvolver o
folículo ovariano.
 LH - quando o nível de estrógeno aumenta, o hipotálamo produz
LH que estimula a liberação do óvulo. O folículo ovariano passa a
produzir progesterona.
Os hormônios levam ao desenvolvimento da mucosa uterina –
endométrio (gestação). Não ocorrendo, os níveis hormonais vão
diminuindo, e vem a menstruação, reiniciando o ciclo.
AÇÃO DOS HORMÔNIOS
• Estrógenos  caracteres femininos secundários.
• Andrógenos  caracteres masculinos secundários.
 Produzem ações estimulantes e inibitórias e não se armazenam:
transformam-se rapidamente ou sofrem apressada expulsão nos
movimentos excretórios.
Todavia, como atendem as determinações da mente, por
intermédio do corpo espiritual, incentivam o
desenvolvimento ou a maneira de proceder da espécie, mas
não os origina.
Por isso, nenhum deles possui ação monopolizadora no
mundo orgânico, não obstante patentearem essa ou aquela
influência de modo mais amplo.
AÇÃO DOS HORMÔNIOS
O ovário e os hormônios femininos se responsabilizam pelos
distintivos sexuais femininos, mas podem desenvolver alguns deles no
macho...
... prevalecendo as mesmas diretrizes para o testículo e os hormônios
que lhe correspondem.
Isso é claramente demonstrável nos experimentos de castração, enxertos e
injeções hormonais.
(...) a gônada, REFLETINDO OS ESTADOS DA MENTE, herdeira direta
de experiências inumeráveis, eventualmente produz certa quantidade de
hormônios heterossexuais ...
... e, da mesma sorte, ainda que os hormônios sexuais se afirmem
com atividade específica intensa, em determinados acontecimentos
realizam essa ou aquela ação em órgãos do sexo oposto.
Esses são os efeitos heterossexuais ou bissexuais das glândulas
ou dos hormônios.
ORIGEM DO INSTINTO SEXUAL
A sede real do sexo não se acha [...] no veículo físico, mas sim
na entidade espiritual, em sua estrutura complexa.
E o instinto sexual [...] vem das profundezas [...]
ORIGEM DO INSTINTO SEXUAL
 Por ele, as criaturas
, adquirindo as qualidades de que necessitam;
 Com ele,
ou cumprindo instruções especiais com fins de
trabalho justo.
 O sexo é, portanto, em seus impulsos e
manifestações,
...
 ... não obstante reconhecermos que a
, em marcha para mais vasta
complexidade de conhecimento e emoção.
EVOLUÇÃO DO AMOR
Nos primeiros (virtude), cujos sentimentos se alteiam para as Esferas
Superiores, o amor se ilumina e purifica, mas ainda é instinto sexual nos
mais nobres aspectos, imanizando-se às forças com que se afina em radiante
ascensão para Deus.
(...) à medida que se nos dilata o afastamento da animalidade (...), o amor
assume dimensões mais elevadas, tanto para os que se verticalizam na virtude
como para os que se horizontalizam na inteligência.
Nos segundos (inteligência), cujas emoções se complicam, o amor se
requinta, transubstanciando-se o instinto sexual em constante exigência
de satisfação imoderada do “eu”.
EVOLUÇÃO DO AMOR
A energia natural do sexo, inerente à própria vida em si, gera cargas
magnéticas em todos os seres, pela função criadora de que se reveste...
...cargas que se caracterizam com potenciais nítidos de atração no sistema
psíquico de cada um e que, EM SE ACUMULANDO, invadem todos os campos
sensíveis da alma, como que a lhe obliterar os mecanismos outros de ação,
qual se estivéssemos diante de usina reclamando controle adequado.
Ao nível dos brutos ou daqueles que lhes renteiam a condição, a descarga
de semelhante energia se efetua, indiscriminadamente, através de
contatos, quase sempre desregrados e infelizes, que lhes carreiam, em
consequência, a exaustão e o sofrimento como processos educativos.
POLIGAMIA E MONOGAMIA
POLIGAMIA E MONOGAMIA
... (...) nesse binário de forças, [é] capaz de criar não apenas formas
físicas, para a encarnação de outras almas na Terra, mas também as
grandes obras do coração e da inteligência (...)
... a MONOGAMIA é o clima espontâneo do ser humano (...) vez
que realiza, com a alma eleita de suas aspirações, a união ideal do
raciocínio e do sentimento...
Há, por isso, consórcios de infinita gradação no Plano Terrestre
e no Plano Espiritual, nos quais os elementos sutis de comunhão
prevalecem (...), por se ajustarem ao sistema psíquico (...) em circuitos
substanciais de energia.
Contudo, até que o Espírito consiga purificar as próprias
impressões (...), numerosas reencarnações instrutivas e reparadoras se
lhe debitam no livro da vida(...) e toda vez que lesa alguém abre nova
conta resgatável em tempo certo.
Isso ocorre porque o instinto sexual (...), acima de tudo, é o
reconstituinte das forças espirituais, pelo qual as criaturas encarnadas
ou desencarnadas se alimentam mutuamente, na permuta de raios
psíquico-magnéticos que lhes são necessários ao progresso.
ALIMENTO ESPIRITUAL
[N]os espíritos santificados o instinto sexual se diviniza, estando
relativamente unidos aos Espíritos Glorificados (...), recolhendo de
semelhantes entidades as cargas magnéticas sublimadas, por eles
próprios liberadas no êxtase espiritual.
Entre os espíritos santificados e as almas primitivas, milhões de
criaturas (...) em muitas ocasiões se arrojam a experiências menos
dignas, privando a companheira ou o companheiro do alimento
psíquico a que nos reportamos....
...interrompendo a comunhão sexual que lhes alentava a euforia, e,
se as forças sexuais não se encontram suficientemente
controladas por valores morais nas vítimas, surgem,
frequentemente, longos processos de desespero ou de
delinquência.
ALIMENTO ESPIRITUAL
As cargas magnéticas do instinto, acumuladas e desbordantes (...),
à falta de sólido socorro íntimo para que se canalizem na direção do bem,
obliteram as faculdades, ainda vacilantes, do discernimento...
...(...) a criatura lesada em seu equilíbrio sexual costuma entregar-se à
rebelião e à loucura em síndromes espirituais de ciúme ou despeito.
À face das torturas genésicas a que se vê relegada, gera aflitivas
contas cármicas a lhe vergastarem e a lhe retardarem o progresso no
tempo.
ENFERMIDADES DO INSTINTO SEXUAL
Daí nascem as psiconeuroses, os colapsos nervosos decorrentes
do trauma nas sinergias do corpo espiritual, as fobias numerosas, a
“histeria de conversão”, a “histeria de angústia”, os “desvios da
libido”, a neurose obsessiva, as psicoses e as fixações mentais
diversas ...
... que originam na ciência de hoje as indagações e os conceitos da
psicologia de profundidade, na esfera da Psicanálise, que identifica as
enfermidades ou desajustes do instinto sexual ....
.... sem oferecer-lhes medicação adequada, porque apenas o
conhecimento superior, gravado na própria alma, pode opor barreiras
à extensão do conflito existente, traçando caminhos novos à energia
criadora do sexo, quando em perigoso desequilíbrio.
ENFERMIDADES DO INSTINTO SEXUAL
ENFERMIDADES DO INSTINTO SEXUAL
Desse modo (...) é que múltiplos sofrimentos são contraídos por nós
todos, no decurso dos séculos...
... se forjamos inquietações e problemas nos outros, com o instinto
sexual, é justo venhamos a solucioná-los em ocasião adequada...
... recebendo (...) entre as fronteiras domésticas, todos aqueles que
constituímos credores do nosso amor e da nossa renúncia, atravessando, muitas
vezes, padecimentos inomináveis para assegurar-lhes o refazimento preciso.
“(...) aprenderemos, gradualmente, a compreender que os conceitos de
normalidade e de anormalidade deixam a desejar quando se trate
simplesmente de sinais morfológicos, para se erguerem como agentes mais
elevados de definição da dignidade humana, de vez que a individualidade em si
exalta a vida comunitária pelo próprio comportamento na sustentação do bem
de todos ou a deprime pelo mal que causa com a parte que assume no jogo da
delinquência.”
Xavier, Francisco Cândido. Vida e Sexo, Rio de Janeiro: Ed. FEB, 1997, Cap.
“Homossexualidade”
“(...) as características sexuais dos Espíritos fogem do entendimento humano,
até porque são os mesmos os Espíritos que animam os corpos de homens e
as mulheres. Para o Espírito, (re)encarnar no corpo masculino ou feminino
pouco lhe importa. O que o guia na escolha são as provas por que haja de
passar.”
Kardec, Allan. O Livro dos Espíritos, Parte 2ª – Capítulo IV – DA
PLURALIDADE DAS EXISTÊNCIAS – “Sexo nos Espíritos”, questões 200, 201 e
202
REFERÊNCIAS DOUTRINÁRIAS
“Visto que lhes cumpre progredir em tudo, cada sexo [experiência masculina ou
feminina], como cada posição social, lhes proporciona provações e deveres
especiais e, com isso, ensejo de ganharem experiência. Aquele que só como
homem [ou mulher] encarnasse só saberia o que sabem os homens [as
mulheres].”
Kardec, Allan. O Livro dos Espíritos, Parte 2ª – Capítulo IV – DA
PLURALIDADE DAS EXISTÊNCIAS – “Sexo nos Espíritos”, questões 200, 201 e
202
REFERÊNCIAS DOUTRINÁRIAS
Hermafroditismo
“[...] De permeio, surge, no laboratório das transformações, a interferência das
mentes, produzindo constituições assinaladas pelos transtornos do
comportamento anterior do ser lúcido, que geram os tipos do
hermafroditismo e da bissexualidade, que passam a constituir organismo de
reeducação para os seus exploradores antigos, agora submetidos a provas de
correção entre fortes conflitos e áspera insegurança interior. [...].”
FRANCO, Divaldo P., Loucura e obsessão. Pelo Espírito Manoel P. de Miranda.
9ª ed. Rio de Janeiro: FEB, 2003. - capítulo 6
REFERÊNCIAS DOUTRINÁRIAS
“Através dos milênios, o Espírito passa por fileira imensa de
reencarnações, ora em posição de feminilidade, ora em condições de
masculinidade, o que sedimenta o fenômeno da bissexualidade, mais ou
menos pronunciado, em quase todas as criaturas. O homem e a mulher
serão, desse modo, de maneira respectiva, acentuadamente masculino
ou acentuadamente feminina, sem especificação psicológica absoluta. A face
disso, a individualidade em trânsito da experiência feminina para a masculina
ou vice versa, ao envergar o casulo físico, demonstrará fatalmente os
traços da feminilidade em que terá estagiado por muitos séculos, em que
pese ao corpo de formação masculina que o segregue, verificando-se
análogo processo com referência à mulher nas mesmas circunstâncias.”
Xavier, Francisco Cândido. Vida e Sexo, Rio de Janeiro: Ed. FEB, 1997, Cap.
“Homossexualidade”
REFERÊNCIAS DOUTRINÁRIAS
 Quais as causas da homossexualidade? Físicas ou espirituais? É considerada
uma patologia?
 Os geneticistas têm tentado encontrar genes que explicariam o problema da
homossexualidade, como sendo um desvio de comportamento sexual. A
psiquiatria tenta encontrar enzimas cerebrais, que influenciariam no
comportamento sexual. Os espíritos, no entanto, dizem-nos que o próprio
ser realiza experiências em quatro áreas da sexualidade:
 assexualidade - tem anatomia, mas a sua psicologia é tranquila, vive em muita paz
e não sente a presença da libido;
 heterossexualidade - tem a finalidade precípua de preservar a vida, de multiplicá-
la, de perpetuá-la;
 homossexualidade - indivíduo elege um parceiro do seu próprio sexo;
 bissexualidade - de alguma forma, não tem o carácter fisiológico. Enquanto que na
homossexualidade o indivíduo tem uma anatomia que não corresponde à sua
psicologia, na bissexualidade não encontraremos o indivíduo dotado dos dois sexos.
 hermafroditismo - uma anomalia biológica.
Seja porém, em que faixa se movimente o espírito, estamos diante de um processo de
evolução.
Divaldo Franco - Homossexualidade em Foco – 07/12/2009
REFERÊNCIAS DOUTRINÁRIAS
 uma vida promíscua, a pederastia, a entrega sem nenhum respeito por si
mesmo nem pelo próximo. Um indivíduo promíscuo na heterossexualidade não
passa de alguém que está indo contra a sua própria constituição física e
psíquica.
 O homossexualismo não é uma doença, não é uma patologia. (...) é uma
preferência sexual. (...) é uma experiência a que o espírito se impõe, ou que vai
imposto, por causa de uma conduta anterior na qual não soube manter o seu
equilíbrio.
 uma mulher que vive exclusivamente para o sexo, sem emoções, que perverte
homens, que destrói lares, numa próxima reencarnação retornará com a
anatomia masculina e, no entanto, com as tendências psicológicas femininas.
 um homossexual, um homem que de alguma forma se utilizou do sexo para
o prazer, para perverter, para levar à corrupção, reencarna-se com tendências
femininas e uma anatomia masculina.
 Cabe ao espírito, em reencarnando-se, respeitar o “vaso”, o corpo
físico. Então, pergunta-se se esse ser tem o direito de experimentar o amor, de
experimentar o sexo. É um problema de consciência.
Divaldo Franco - Homossexualidade em Foco – 07/12/2009
REFERÊNCIAS DOUTRINÁRIAS
1. http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL1301395-5603,00-
PRINCIPAL+CAUSA+DO+HERMAFRODITISMO+E+MUTACAO+GENETICA.html -
11/09/09 - 20h04
2. https://pt.wikipedia.org/wiki/Hermafrodita
3. http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Reinos4/plantas.php
4. http://www.portalsaofrancisco.com.br/biologia/reproducao-das-plantas
5. http://brasilescola.uol.com.br/biologia/protozoarios.htm
6. http://biomania.com.br/artigo/metazoarios
7. http://www.infoescola.com/anfibios/sapo-cururu/
8. http://hypescience.com/conheca-a-fascinante-historia-da-galinha-que-se-
transformou-em-um-galo/
9. http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/biologia/hormonios-sexuais.htm
10. https://educacao.uol.com.br/disciplinas/biologia/hormonios-e-reproducao-
hormonios-sexuais-menstruacao-e-pilula.htm
11. http://www.afh.bio.br/reprod/reprod3.asp
12. https://www.ufrgs.br/psicopatologia/wiki/index.php?title=Histeria_de_Convers%C3%
A3o
BIBLIOGRAFIA
BIBLIOGRAFIA
13. https://www.ufrgs.br/psicopatologia/wiki/index.php?title=Histeria_de_Ang%C3%BAst
ia
14. Kardec, Allan. O Livro dos Espíritos, Parte 2ª – Capítulo IV – DA PLURALIDADE DAS
EXISTÊNCIAS – Sexo nos Espíritos, p. 200, 201 e 202
15. Xavier, Francisco Cândido. Vida e Sexo, Rio de Janeiro: Ed. FEB, 1997, Cap.
Homossexualidade
16. http://artigosespiritaslucas.blogspot.com.br/2009/12/divaldo-franco-
homossexualidade-em-foco.html

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIV - Simbiose Espiritual...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIV - Simbiose Espiritual...Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIV - Simbiose Espiritual...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIV - Simbiose Espiritual...Cynthia Castro
 
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIX - Alma e Reencarnação...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIX - Alma e Reencarnação...Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIX - Alma e Reencarnação...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIX - Alma e Reencarnação...Cynthia Castro
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo III - Evolução do Corpo E...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo III - Evolução do Corpo E...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo III - Evolução do Corpo E...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo III - Evolução do Corpo E...Cynthia Castro
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo V - Células e Corpo Espir...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo V - Células e Corpo Espir...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo V - Células e Corpo Espir...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo V - Células e Corpo Espir...Cynthia Castro
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo X - Palavra e Responsabil...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo X - Palavra e Responsabil...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo X - Palavra e Responsabil...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo X - Palavra e Responsabil...Cynthia Castro
 
Evolução Em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos V_VI_VII - Apresentação d...
Evolução Em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos V_VI_VII - Apresentação d...Evolução Em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos V_VI_VII - Apresentação d...
Evolução Em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos V_VI_VII - Apresentação d...Cynthia Castro
 
Aula 6 Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
Aula 6   Mecanismo das Comunicações MediúnicasAula 6   Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
Aula 6 Mecanismo das Comunicações MediúnicasEHMANA
 
Evolução Em Dois Mundos - Debate - Capítulos I ao XV - 24072017
Evolução Em Dois Mundos - Debate - Capítulos I ao XV - 24072017Evolução Em Dois Mundos - Debate - Capítulos I ao XV - 24072017
Evolução Em Dois Mundos - Debate - Capítulos I ao XV - 24072017Cynthia Castro
 
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VII - Evolução e Heredita...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VII - Evolução e Heredita...Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VII - Evolução e Heredita...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VII - Evolução e Heredita...Cynthia Castro
 
Depois da morte - para onde vamos?
Depois da morte - para onde vamos?Depois da morte - para onde vamos?
Depois da morte - para onde vamos?Leonardo Pereira
 
Curso passes ( Leonardo Pereira),
Curso passes ( Leonardo Pereira), Curso passes ( Leonardo Pereira),
Curso passes ( Leonardo Pereira), Leonardo Pereira
 
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XII, XIII e XIV - Diferen...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XII, XIII e XIV - Diferen...Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XII, XIII e XIV - Diferen...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XII, XIII e XIV - Diferen...Cynthia Castro
 
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos III e IV - Corpo Espiritu...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos III e IV - Corpo Espiritu...Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos III e IV - Corpo Espiritu...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos III e IV - Corpo Espiritu...Cynthia Castro
 
3 palestra sobre transição planetaria
3 palestra sobre transição planetaria3 palestra sobre transição planetaria
3 palestra sobre transição planetariaumecamaqua
 
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...Cynthia Castro
 
Origem e natureza do Espirito parte 1
Origem e natureza do Espirito parte 1Origem e natureza do Espirito parte 1
Origem e natureza do Espirito parte 1Denise Aguiar
 
Evangeliza - Terra - Planeta de Provas e Expiações
Evangeliza - Terra - Planeta de Provas e ExpiaçõesEvangeliza - Terra - Planeta de Provas e Expiações
Evangeliza - Terra - Planeta de Provas e ExpiaçõesAntonino Silva
 
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espíritoRoteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espíritoBruno Cechinel Filho
 

Mais procurados (20)

Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIV - Simbiose Espiritual...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIV - Simbiose Espiritual...Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIV - Simbiose Espiritual...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIV - Simbiose Espiritual...
 
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIX - Alma e Reencarnação...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIX - Alma e Reencarnação...Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIX - Alma e Reencarnação...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIX - Alma e Reencarnação...
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo III - Evolução do Corpo E...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo III - Evolução do Corpo E...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo III - Evolução do Corpo E...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo III - Evolução do Corpo E...
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo V - Células e Corpo Espir...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo V - Células e Corpo Espir...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo V - Células e Corpo Espir...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo V - Células e Corpo Espir...
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo X - Palavra e Responsabil...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo X - Palavra e Responsabil...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo X - Palavra e Responsabil...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo X - Palavra e Responsabil...
 
Evolução Em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos V_VI_VII - Apresentação d...
Evolução Em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos V_VI_VII - Apresentação d...Evolução Em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos V_VI_VII - Apresentação d...
Evolução Em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos V_VI_VII - Apresentação d...
 
Aula 6 Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
Aula 6   Mecanismo das Comunicações MediúnicasAula 6   Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
Aula 6 Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
 
Evolução Em Dois Mundos - Debate - Capítulos I ao XV - 24072017
Evolução Em Dois Mundos - Debate - Capítulos I ao XV - 24072017Evolução Em Dois Mundos - Debate - Capítulos I ao XV - 24072017
Evolução Em Dois Mundos - Debate - Capítulos I ao XV - 24072017
 
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VII - Evolução e Heredita...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VII - Evolução e Heredita...Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VII - Evolução e Heredita...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VII - Evolução e Heredita...
 
Perispirito: formação, propriedades e funções.
Perispirito: formação, propriedades e funções.Perispirito: formação, propriedades e funções.
Perispirito: formação, propriedades e funções.
 
Depois da morte - para onde vamos?
Depois da morte - para onde vamos?Depois da morte - para onde vamos?
Depois da morte - para onde vamos?
 
Curso passes ( Leonardo Pereira),
Curso passes ( Leonardo Pereira), Curso passes ( Leonardo Pereira),
Curso passes ( Leonardo Pereira),
 
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XII, XIII e XIV - Diferen...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XII, XIII e XIV - Diferen...Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XII, XIII e XIV - Diferen...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XII, XIII e XIV - Diferen...
 
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos III e IV - Corpo Espiritu...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos III e IV - Corpo Espiritu...Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos III e IV - Corpo Espiritu...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos III e IV - Corpo Espiritu...
 
3 palestra sobre transição planetaria
3 palestra sobre transição planetaria3 palestra sobre transição planetaria
3 palestra sobre transição planetaria
 
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XIX e XX - Predisposições...
 
Origem e natureza do Espirito parte 1
Origem e natureza do Espirito parte 1Origem e natureza do Espirito parte 1
Origem e natureza do Espirito parte 1
 
Evangeliza - Terra - Planeta de Provas e Expiações
Evangeliza - Terra - Planeta de Provas e ExpiaçõesEvangeliza - Terra - Planeta de Provas e Expiações
Evangeliza - Terra - Planeta de Provas e Expiações
 
Transe mediúnico
Transe mediúnicoTranse mediúnico
Transe mediúnico
 
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espíritoRoteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
 

Destaque (14)

Dignidade E Diversidade Sexual Humana
Dignidade E Diversidade Sexual HumanaDignidade E Diversidade Sexual Humana
Dignidade E Diversidade Sexual Humana
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Aparelho genital masculino
Aparelho genital masculinoAparelho genital masculino
Aparelho genital masculino
 
Reprodução e bioética
Reprodução e bioética Reprodução e bioética
Reprodução e bioética
 
Trabalho de biologia
Trabalho de biologiaTrabalho de biologia
Trabalho de biologia
 
Malformações genitais
Malformações genitaisMalformações genitais
Malformações genitais
 
Reprodução assistida trabalho de bioetica oficial 2
Reprodução assistida trabalho de bioetica oficial 2Reprodução assistida trabalho de bioetica oficial 2
Reprodução assistida trabalho de bioetica oficial 2
 
Apres Embriol Sexualidade
Apres Embriol SexualidadeApres Embriol Sexualidade
Apres Embriol Sexualidade
 
Sistema reprodutor masculino e feminino
Sistema reprodutor masculino e femininoSistema reprodutor masculino e feminino
Sistema reprodutor masculino e feminino
 
Malformaciones congénitas de útero
Malformaciones congénitas de úteroMalformaciones congénitas de útero
Malformaciones congénitas de útero
 
Trabalho Hermafroditismo G2
Trabalho Hermafroditismo G2Trabalho Hermafroditismo G2
Trabalho Hermafroditismo G2
 
Hermafrodita
HermafroditaHermafrodita
Hermafrodita
 
Hermafroditismo verdadeiro
Hermafroditismo verdadeiroHermafroditismo verdadeiro
Hermafroditismo verdadeiro
 
Hermafroditismo
HermafroditismoHermafroditismo
Hermafroditismo
 

Semelhante a Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XVIII - Sexo e Corpo Espiritual - 07/08/2017

Visão espirita da sexualidade 2
Visão espirita da sexualidade 2Visão espirita da sexualidade 2
Visão espirita da sexualidade 2Prof. Paulo Ratki
 
Reencarnação e Patologia do Sexo - Homossexualismo
Reencarnação e Patologia do Sexo - HomossexualismoReencarnação e Patologia do Sexo - Homossexualismo
Reencarnação e Patologia do Sexo - HomossexualismoEduardo Henrique Marçal
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VI - Evolução e Sexo - 15...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VI - Evolução e Sexo - 15...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VI - Evolução e Sexo - 15...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VI - Evolução e Sexo - 15...Cynthia Castro
 
Energias sexuais alma ( fatima) 06 2010
Energias sexuais alma ( fatima) 06 2010Energias sexuais alma ( fatima) 06 2010
Energias sexuais alma ( fatima) 06 2010Fatima Carvalho
 
Aproblematica_da_sexualidade2(1)
Aproblematica_da_sexualidade2(1)Aproblematica_da_sexualidade2(1)
Aproblematica_da_sexualidade2(1)Ari Carrasco
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Leonardo Pereira
 
Primeiro Módulo - Aula 12 - Pluralidade das existencias
Primeiro Módulo - Aula 12 - Pluralidade das existenciasPrimeiro Módulo - Aula 12 - Pluralidade das existencias
Primeiro Módulo - Aula 12 - Pluralidade das existenciasCeiClarencio
 
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VIII - Evolução e Metabol...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VIII - Evolução e Metabol...Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VIII - Evolução e Metabol...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VIII - Evolução e Metabol...Cynthia Castro
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Leonardo Pereira
 
Espiritismo e mediunidade 05
Espiritismo e mediunidade 05Espiritismo e mediunidade 05
Espiritismo e mediunidade 05Leonardo Pereira
 
Reproduçao humana
Reproduçao humanaReproduçao humana
Reproduçao humanaCarla Gomes
 
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - SexualidadeCurso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - SexualidadeCeile Bernardo
 
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - SexualidadeCurso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - SexualidadeCeile Maria Bernardo
 
Eae 96 - evolução animica i - até animal rev 03
Eae   96 - evolução animica i - até animal rev 03Eae   96 - evolução animica i - até animal rev 03
Eae 96 - evolução animica i - até animal rev 03Norberto Scavone Augusto
 
Livro dos Espirtos Q.353 ESE cap 28 item 15
Livro dos Espirtos Q.353 ESE cap 28 item 15Livro dos Espirtos Q.353 ESE cap 28 item 15
Livro dos Espirtos Q.353 ESE cap 28 item 15Patricia Farias
 

Semelhante a Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XVIII - Sexo e Corpo Espiritual - 07/08/2017 (20)

Visão espirita da sexualidade 2
Visão espirita da sexualidade 2Visão espirita da sexualidade 2
Visão espirita da sexualidade 2
 
# Américo domingos - sexualidade - [ espiritismo]
#   Américo domingos - sexualidade - [ espiritismo]#   Américo domingos - sexualidade - [ espiritismo]
# Américo domingos - sexualidade - [ espiritismo]
 
Reencarnação e Patologia do Sexo - Homossexualismo
Reencarnação e Patologia do Sexo - HomossexualismoReencarnação e Patologia do Sexo - Homossexualismo
Reencarnação e Patologia do Sexo - Homossexualismo
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VI - Evolução e Sexo - 15...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VI - Evolução e Sexo - 15...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VI - Evolução e Sexo - 15...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VI - Evolução e Sexo - 15...
 
Energias sexuais alma ( fatima) 06 2010
Energias sexuais alma ( fatima) 06 2010Energias sexuais alma ( fatima) 06 2010
Energias sexuais alma ( fatima) 06 2010
 
Aproblematica_da_sexualidade2(1)
Aproblematica_da_sexualidade2(1)Aproblematica_da_sexualidade2(1)
Aproblematica_da_sexualidade2(1)
 
Sexualidade à Luz Da Doutrina EspíRita
Sexualidade à Luz Da Doutrina EspíRitaSexualidade à Luz Da Doutrina EspíRita
Sexualidade à Luz Da Doutrina EspíRita
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Primeiro Módulo - Aula 12 - Pluralidade das existencias
Primeiro Módulo - Aula 12 - Pluralidade das existenciasPrimeiro Módulo - Aula 12 - Pluralidade das existencias
Primeiro Módulo - Aula 12 - Pluralidade das existencias
 
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VIII - Evolução e Metabol...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VIII - Evolução e Metabol...Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VIII - Evolução e Metabol...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo VIII - Evolução e Metabol...
 
Homossexualidade, na ótica espirita
Homossexualidade, na ótica espiritaHomossexualidade, na ótica espirita
Homossexualidade, na ótica espirita
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Homossexualismo
HomossexualismoHomossexualismo
Homossexualismo
 
Espiritismo e mediunidade 05
Espiritismo e mediunidade 05Espiritismo e mediunidade 05
Espiritismo e mediunidade 05
 
Reproduçao humana
Reproduçao humanaReproduçao humana
Reproduçao humana
 
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - SexualidadeCurso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
 
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - SexualidadeCurso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
 
Roteiro 4 os reinos da natureza
Roteiro 4   os reinos da naturezaRoteiro 4   os reinos da natureza
Roteiro 4 os reinos da natureza
 
Eae 96 - evolução animica i - até animal rev 03
Eae   96 - evolução animica i - até animal rev 03Eae   96 - evolução animica i - até animal rev 03
Eae 96 - evolução animica i - até animal rev 03
 
Livro dos Espirtos Q.353 ESE cap 28 item 15
Livro dos Espirtos Q.353 ESE cap 28 item 15Livro dos Espirtos Q.353 ESE cap 28 item 15
Livro dos Espirtos Q.353 ESE cap 28 item 15
 

Mais de Cynthia Castro

Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XVI, XVII e XVIII - Deter...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XVI, XVII e XVIII - Deter...Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XVI, XVII e XVIII - Deter...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XVI, XVII e XVIII - Deter...Cynthia Castro
 
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos I e II - Alimentação e Li...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos I e II - Alimentação e Li...Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos I e II - Alimentação e Li...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos I e II - Alimentação e Li...Cynthia Castro
 
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XX - Corpo e Espiritual e...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XX - Corpo e Espiritual e...Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XX - Corpo e Espiritual e...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XX - Corpo e Espiritual e...Cynthia Castro
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo IV - Automatismo e Corpo ...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo IV - Automatismo e Corpo ...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo IV - Automatismo e Corpo ...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo IV - Automatismo e Corpo ...Cynthia Castro
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo II - Corpo Espiritual - 1...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo II - Corpo Espiritual - 1...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo II - Corpo Espiritual - 1...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo II - Corpo Espiritual - 1...Cynthia Castro
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo I - Fluido Cósmico - 0304...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo I - Fluido Cósmico - 0304...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo I - Fluido Cósmico - 0304...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo I - Fluido Cósmico - 0304...Cynthia Castro
 
Evolução Em Dois Mundos - Metodologia - Objetivos - Apresentação - 27032017
Evolução Em Dois Mundos - Metodologia - Objetivos - Apresentação - 27032017Evolução Em Dois Mundos - Metodologia - Objetivos - Apresentação - 27032017
Evolução Em Dois Mundos - Metodologia - Objetivos - Apresentação - 27032017Cynthia Castro
 
Seminário Memórias de Um Suicida - Última Apresentação - Projeto Espiritual -...
Seminário Memórias de Um Suicida - Última Apresentação - Projeto Espiritual -...Seminário Memórias de Um Suicida - Última Apresentação - Projeto Espiritual -...
Seminário Memórias de Um Suicida - Última Apresentação - Projeto Espiritual -...Cynthia Castro
 
Seminário Memórias de Um Suicida - Terceira Parte - Capítulo VII - Últimos tr...
Seminário Memórias de Um Suicida - Terceira Parte - Capítulo VII - Últimos tr...Seminário Memórias de Um Suicida - Terceira Parte - Capítulo VII - Últimos tr...
Seminário Memórias de Um Suicida - Terceira Parte - Capítulo VII - Últimos tr...Cynthia Castro
 

Mais de Cynthia Castro (9)

Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XVI, XVII e XVIII - Deter...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XVI, XVII e XVIII - Deter...Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XVI, XVII e XVIII - Deter...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos XVI, XVII e XVIII - Deter...
 
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos I e II - Alimentação e Li...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos I e II - Alimentação e Li...Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos I e II - Alimentação e Li...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos I e II - Alimentação e Li...
 
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XX - Corpo e Espiritual e...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XX - Corpo e Espiritual e...Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XX - Corpo e Espiritual e...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XX - Corpo e Espiritual e...
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo IV - Automatismo e Corpo ...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo IV - Automatismo e Corpo ...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo IV - Automatismo e Corpo ...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo IV - Automatismo e Corpo ...
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo II - Corpo Espiritual - 1...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo II - Corpo Espiritual - 1...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo II - Corpo Espiritual - 1...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo II - Corpo Espiritual - 1...
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo I - Fluido Cósmico - 0304...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo I - Fluido Cósmico - 0304...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo I - Fluido Cósmico - 0304...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo I - Fluido Cósmico - 0304...
 
Evolução Em Dois Mundos - Metodologia - Objetivos - Apresentação - 27032017
Evolução Em Dois Mundos - Metodologia - Objetivos - Apresentação - 27032017Evolução Em Dois Mundos - Metodologia - Objetivos - Apresentação - 27032017
Evolução Em Dois Mundos - Metodologia - Objetivos - Apresentação - 27032017
 
Seminário Memórias de Um Suicida - Última Apresentação - Projeto Espiritual -...
Seminário Memórias de Um Suicida - Última Apresentação - Projeto Espiritual -...Seminário Memórias de Um Suicida - Última Apresentação - Projeto Espiritual -...
Seminário Memórias de Um Suicida - Última Apresentação - Projeto Espiritual -...
 
Seminário Memórias de Um Suicida - Terceira Parte - Capítulo VII - Últimos tr...
Seminário Memórias de Um Suicida - Terceira Parte - Capítulo VII - Últimos tr...Seminário Memórias de Um Suicida - Terceira Parte - Capítulo VII - Últimos tr...
Seminário Memórias de Um Suicida - Terceira Parte - Capítulo VII - Últimos tr...
 

Último

Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfDaddizinhaRodrigues
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxManoel Candido Pires Junior
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfFrancisco Baptista
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Nilson Almeida
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaRicardo Azevedo
 

Último (7)

Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
 

Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XVIII - Sexo e Corpo Espiritual - 07/08/2017

  • 1. Evolução em Dois Mundos Pelo espírito de André Luiz Psicografia de Chico Xavier e Waldo Vieira Federação Espírita do Estado de Goiás – FEEGO Goiânia (GO)
  • 2. Primeira Parte - Capítulo XVIII Sexo e Corpo Espiritual 07/08/2017 Federação Espírita do Estado de Goiás – FEEGO Goiânia (GO)
  • 3. Um ser ou animal que apresenta órgãos sexuais dos dois sexos, geralmente em decorrência de processo teratológico, ou seja, por uma má formação embrionária. Molly passou por cirurgia Foto: Pixabay/@NickTrumble O ESTADO DE S. PAULO - 28/07/2017 Hermafrodito Dormindo Museu de Louvre Paris Autor Desconhecido HERMAFRODITA
  • 4. Examinando o instinto sexual, convêm lembrar que, por milênios e milênios, o princípio inteligente se demorou no hermafroditismo das plantas: Fanerógamas, em cujas flores os estames e pistilos articulam, respectivamente, elementos masculinos e femininos. Criptógamas (celulares e vasculares), onde ensaiara longamente a reprodução sexuada, com formação de gametas (anterozóides e oosfera) que muito se aproximam aos dos animais... HERMAFRODITISMO E UNISSEXUALIDADE
  • 5. CRIPTÓGAMAS (sem flores ou sementes)  briófitas (musgos e hepáticas) – tamanho até 5 cm – avasculares.  pteridófitas (samambaias) Reprodução por alternância de geração Sexuada  Em meio aquoso o gameta masculino (anterozóide) busca o gameta feminino (oosfera), formando um zigoto (esporófito jovem); Assexuada  o zigoto torna-se esporófito maduro, liberando esporos, que formarão novos gametófitos (masculino e feminino). FANERÓGAMAS gimnospermas – com sementes / sem frutos / sem flores - (pinheiros...) – árvores médias e grandes angiospermas – com sementes e frutos (limoeiros, mangueiras...)
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9. Longo tempo foi gasto na evolução do instinto sexual em vários tipos de animais inferiores, alternando-se-lhe os estágios de hermafroditismo com os de unissexualidade para que se lhe aperfeiçoassem as características na direção dos vertebrados. Depois de muitas metamorfoses, caminhou o elemento espiritual na reprodução entre as vastas províncias dos protozoários e metazoários, com a divisão e gemação entre os primeiros, correspondendo à cisão ou estrobilação entre os segundos.
  • 10. O indivíduo que nasce com dois órgãos genitais, tanto masculino quanto feminino, ao mesmo tempo.  Verdadeiro  (maioria meninas) nascem com os dois órgãos sexuais bem formados, possuindo os órgãos sexuais internos e externos de ambos os sexos (ovários, útero, vagina, testículos e pênis).  Pseudo-masculino  nascem como masculino (cromossomos XY) embora os órgãos sexuais externos não se desenvolvam completamente; é um homem (XY) do ponto de vista genético, mas o pênis não se desenvolve completamente.  Pseudo-feminino  nasce feminino (cromossomos XX) embora o clitóris desenvolva-se excessivamente adquirindo um formato semelhante a um pênis; é mulher (XX) do ponto de vista genético, tem o aparelho reprodutor feminino completo, mas durante a fase intrauterina sofre um processo de virilização dos genitais. HERMAFRODITA HUMANO
  • 11. Gradativamente, aparecem novos fatores de diferenciação, guardando-se, no entanto, os distintivos essenciais,  O sapo macho adulto carrega na região do seu testículo um ovário elementar (corpo de Bidder). Se extirparmos o testículo, o ovário atrofiado começa a funcionar, por atuação da hipófise, convertendo-se num ovário adulto.  Em 5% a 10% das galinhas adultas, se retirarmos o ovário esquerdo, consideravelmente desenvolvido, o ovário direito, rudimentar, transubstancia-se num testículo (era inibido por estrogênios ). Aumenta-se-lhes a crista, cantam tipicamente à maneira do galo e adotam-lhe a conduta sexual masculina. HERMAFRODITISMO POTENCIAL
  • 12. ... demonstrar que entre todos os vertebrados e muito particularmente no homem, (...) nos domínios da reencarnação, apenas os caracteres morfológicos dos implementos sexuais estão submetidos aos princípios da genética. REGISTRAMOS ESSES FATOS PARA... Isso porque não é só a figuração das glândulas sexuais que se mostra bipotencial até certo ponto, pois todo o cosmo orgânico é suscetível de reagir aos hormônios do mesmo sexo ou do sexo contrário, segundo as disposições psíquicas da personalidade.
  • 13. Atingindo inequívoco progresso em seus estímulos, o corpo espiritual (...), conforme a posição da mente a que serve, determina mais ampla riqueza hormonal. AÇÃO DOS HORMÔNIOS Hormônios Sexuais - Testosterona, produzida nos testículos, e progesterona e estrógeno, produzidos nos ovários. As glândulas sexuais que então mobiliza são mais complexas. Exercem a própria ação pelos hormônios que segregam, arrojando-os no sangue, hormônios esses, femininos ou masculinos.
  • 14. AÇÃO DOS HORMÔNIOS Hipotálamo  hipófise  FSH e LH Homem  FSH - maturação de SPTZ  LH - estimula os testículos na produção de testosterona Mulher  FSH - estimula produção de estrógeno no ovário para desenvolver o folículo ovariano.  LH - quando o nível de estrógeno aumenta, o hipotálamo produz LH que estimula a liberação do óvulo. O folículo ovariano passa a produzir progesterona. Os hormônios levam ao desenvolvimento da mucosa uterina – endométrio (gestação). Não ocorrendo, os níveis hormonais vão diminuindo, e vem a menstruação, reiniciando o ciclo.
  • 15. AÇÃO DOS HORMÔNIOS • Estrógenos  caracteres femininos secundários. • Andrógenos  caracteres masculinos secundários.  Produzem ações estimulantes e inibitórias e não se armazenam: transformam-se rapidamente ou sofrem apressada expulsão nos movimentos excretórios. Todavia, como atendem as determinações da mente, por intermédio do corpo espiritual, incentivam o desenvolvimento ou a maneira de proceder da espécie, mas não os origina. Por isso, nenhum deles possui ação monopolizadora no mundo orgânico, não obstante patentearem essa ou aquela influência de modo mais amplo.
  • 16. AÇÃO DOS HORMÔNIOS O ovário e os hormônios femininos se responsabilizam pelos distintivos sexuais femininos, mas podem desenvolver alguns deles no macho... ... prevalecendo as mesmas diretrizes para o testículo e os hormônios que lhe correspondem. Isso é claramente demonstrável nos experimentos de castração, enxertos e injeções hormonais. (...) a gônada, REFLETINDO OS ESTADOS DA MENTE, herdeira direta de experiências inumeráveis, eventualmente produz certa quantidade de hormônios heterossexuais ... ... e, da mesma sorte, ainda que os hormônios sexuais se afirmem com atividade específica intensa, em determinados acontecimentos realizam essa ou aquela ação em órgãos do sexo oposto. Esses são os efeitos heterossexuais ou bissexuais das glândulas ou dos hormônios.
  • 17. ORIGEM DO INSTINTO SEXUAL A sede real do sexo não se acha [...] no veículo físico, mas sim na entidade espiritual, em sua estrutura complexa. E o instinto sexual [...] vem das profundezas [...]
  • 18. ORIGEM DO INSTINTO SEXUAL  Por ele, as criaturas , adquirindo as qualidades de que necessitam;  Com ele, ou cumprindo instruções especiais com fins de trabalho justo.  O sexo é, portanto, em seus impulsos e manifestações, ...  ... não obstante reconhecermos que a , em marcha para mais vasta complexidade de conhecimento e emoção.
  • 19. EVOLUÇÃO DO AMOR Nos primeiros (virtude), cujos sentimentos se alteiam para as Esferas Superiores, o amor se ilumina e purifica, mas ainda é instinto sexual nos mais nobres aspectos, imanizando-se às forças com que se afina em radiante ascensão para Deus. (...) à medida que se nos dilata o afastamento da animalidade (...), o amor assume dimensões mais elevadas, tanto para os que se verticalizam na virtude como para os que se horizontalizam na inteligência. Nos segundos (inteligência), cujas emoções se complicam, o amor se requinta, transubstanciando-se o instinto sexual em constante exigência de satisfação imoderada do “eu”.
  • 20. EVOLUÇÃO DO AMOR A energia natural do sexo, inerente à própria vida em si, gera cargas magnéticas em todos os seres, pela função criadora de que se reveste... ...cargas que se caracterizam com potenciais nítidos de atração no sistema psíquico de cada um e que, EM SE ACUMULANDO, invadem todos os campos sensíveis da alma, como que a lhe obliterar os mecanismos outros de ação, qual se estivéssemos diante de usina reclamando controle adequado. Ao nível dos brutos ou daqueles que lhes renteiam a condição, a descarga de semelhante energia se efetua, indiscriminadamente, através de contatos, quase sempre desregrados e infelizes, que lhes carreiam, em consequência, a exaustão e o sofrimento como processos educativos.
  • 22. POLIGAMIA E MONOGAMIA ... (...) nesse binário de forças, [é] capaz de criar não apenas formas físicas, para a encarnação de outras almas na Terra, mas também as grandes obras do coração e da inteligência (...) ... a MONOGAMIA é o clima espontâneo do ser humano (...) vez que realiza, com a alma eleita de suas aspirações, a união ideal do raciocínio e do sentimento...
  • 23. Há, por isso, consórcios de infinita gradação no Plano Terrestre e no Plano Espiritual, nos quais os elementos sutis de comunhão prevalecem (...), por se ajustarem ao sistema psíquico (...) em circuitos substanciais de energia. Contudo, até que o Espírito consiga purificar as próprias impressões (...), numerosas reencarnações instrutivas e reparadoras se lhe debitam no livro da vida(...) e toda vez que lesa alguém abre nova conta resgatável em tempo certo. Isso ocorre porque o instinto sexual (...), acima de tudo, é o reconstituinte das forças espirituais, pelo qual as criaturas encarnadas ou desencarnadas se alimentam mutuamente, na permuta de raios psíquico-magnéticos que lhes são necessários ao progresso. ALIMENTO ESPIRITUAL
  • 24. [N]os espíritos santificados o instinto sexual se diviniza, estando relativamente unidos aos Espíritos Glorificados (...), recolhendo de semelhantes entidades as cargas magnéticas sublimadas, por eles próprios liberadas no êxtase espiritual. Entre os espíritos santificados e as almas primitivas, milhões de criaturas (...) em muitas ocasiões se arrojam a experiências menos dignas, privando a companheira ou o companheiro do alimento psíquico a que nos reportamos.... ...interrompendo a comunhão sexual que lhes alentava a euforia, e, se as forças sexuais não se encontram suficientemente controladas por valores morais nas vítimas, surgem, frequentemente, longos processos de desespero ou de delinquência. ALIMENTO ESPIRITUAL
  • 25. As cargas magnéticas do instinto, acumuladas e desbordantes (...), à falta de sólido socorro íntimo para que se canalizem na direção do bem, obliteram as faculdades, ainda vacilantes, do discernimento... ...(...) a criatura lesada em seu equilíbrio sexual costuma entregar-se à rebelião e à loucura em síndromes espirituais de ciúme ou despeito. À face das torturas genésicas a que se vê relegada, gera aflitivas contas cármicas a lhe vergastarem e a lhe retardarem o progresso no tempo. ENFERMIDADES DO INSTINTO SEXUAL
  • 26. Daí nascem as psiconeuroses, os colapsos nervosos decorrentes do trauma nas sinergias do corpo espiritual, as fobias numerosas, a “histeria de conversão”, a “histeria de angústia”, os “desvios da libido”, a neurose obsessiva, as psicoses e as fixações mentais diversas ... ... que originam na ciência de hoje as indagações e os conceitos da psicologia de profundidade, na esfera da Psicanálise, que identifica as enfermidades ou desajustes do instinto sexual .... .... sem oferecer-lhes medicação adequada, porque apenas o conhecimento superior, gravado na própria alma, pode opor barreiras à extensão do conflito existente, traçando caminhos novos à energia criadora do sexo, quando em perigoso desequilíbrio. ENFERMIDADES DO INSTINTO SEXUAL
  • 27. ENFERMIDADES DO INSTINTO SEXUAL Desse modo (...) é que múltiplos sofrimentos são contraídos por nós todos, no decurso dos séculos... ... se forjamos inquietações e problemas nos outros, com o instinto sexual, é justo venhamos a solucioná-los em ocasião adequada... ... recebendo (...) entre as fronteiras domésticas, todos aqueles que constituímos credores do nosso amor e da nossa renúncia, atravessando, muitas vezes, padecimentos inomináveis para assegurar-lhes o refazimento preciso.
  • 28. “(...) aprenderemos, gradualmente, a compreender que os conceitos de normalidade e de anormalidade deixam a desejar quando se trate simplesmente de sinais morfológicos, para se erguerem como agentes mais elevados de definição da dignidade humana, de vez que a individualidade em si exalta a vida comunitária pelo próprio comportamento na sustentação do bem de todos ou a deprime pelo mal que causa com a parte que assume no jogo da delinquência.” Xavier, Francisco Cândido. Vida e Sexo, Rio de Janeiro: Ed. FEB, 1997, Cap. “Homossexualidade” “(...) as características sexuais dos Espíritos fogem do entendimento humano, até porque são os mesmos os Espíritos que animam os corpos de homens e as mulheres. Para o Espírito, (re)encarnar no corpo masculino ou feminino pouco lhe importa. O que o guia na escolha são as provas por que haja de passar.” Kardec, Allan. O Livro dos Espíritos, Parte 2ª – Capítulo IV – DA PLURALIDADE DAS EXISTÊNCIAS – “Sexo nos Espíritos”, questões 200, 201 e 202 REFERÊNCIAS DOUTRINÁRIAS
  • 29. “Visto que lhes cumpre progredir em tudo, cada sexo [experiência masculina ou feminina], como cada posição social, lhes proporciona provações e deveres especiais e, com isso, ensejo de ganharem experiência. Aquele que só como homem [ou mulher] encarnasse só saberia o que sabem os homens [as mulheres].” Kardec, Allan. O Livro dos Espíritos, Parte 2ª – Capítulo IV – DA PLURALIDADE DAS EXISTÊNCIAS – “Sexo nos Espíritos”, questões 200, 201 e 202 REFERÊNCIAS DOUTRINÁRIAS
  • 30. Hermafroditismo “[...] De permeio, surge, no laboratório das transformações, a interferência das mentes, produzindo constituições assinaladas pelos transtornos do comportamento anterior do ser lúcido, que geram os tipos do hermafroditismo e da bissexualidade, que passam a constituir organismo de reeducação para os seus exploradores antigos, agora submetidos a provas de correção entre fortes conflitos e áspera insegurança interior. [...].” FRANCO, Divaldo P., Loucura e obsessão. Pelo Espírito Manoel P. de Miranda. 9ª ed. Rio de Janeiro: FEB, 2003. - capítulo 6 REFERÊNCIAS DOUTRINÁRIAS
  • 31. “Através dos milênios, o Espírito passa por fileira imensa de reencarnações, ora em posição de feminilidade, ora em condições de masculinidade, o que sedimenta o fenômeno da bissexualidade, mais ou menos pronunciado, em quase todas as criaturas. O homem e a mulher serão, desse modo, de maneira respectiva, acentuadamente masculino ou acentuadamente feminina, sem especificação psicológica absoluta. A face disso, a individualidade em trânsito da experiência feminina para a masculina ou vice versa, ao envergar o casulo físico, demonstrará fatalmente os traços da feminilidade em que terá estagiado por muitos séculos, em que pese ao corpo de formação masculina que o segregue, verificando-se análogo processo com referência à mulher nas mesmas circunstâncias.” Xavier, Francisco Cândido. Vida e Sexo, Rio de Janeiro: Ed. FEB, 1997, Cap. “Homossexualidade” REFERÊNCIAS DOUTRINÁRIAS
  • 32.  Quais as causas da homossexualidade? Físicas ou espirituais? É considerada uma patologia?  Os geneticistas têm tentado encontrar genes que explicariam o problema da homossexualidade, como sendo um desvio de comportamento sexual. A psiquiatria tenta encontrar enzimas cerebrais, que influenciariam no comportamento sexual. Os espíritos, no entanto, dizem-nos que o próprio ser realiza experiências em quatro áreas da sexualidade:  assexualidade - tem anatomia, mas a sua psicologia é tranquila, vive em muita paz e não sente a presença da libido;  heterossexualidade - tem a finalidade precípua de preservar a vida, de multiplicá- la, de perpetuá-la;  homossexualidade - indivíduo elege um parceiro do seu próprio sexo;  bissexualidade - de alguma forma, não tem o carácter fisiológico. Enquanto que na homossexualidade o indivíduo tem uma anatomia que não corresponde à sua psicologia, na bissexualidade não encontraremos o indivíduo dotado dos dois sexos.  hermafroditismo - uma anomalia biológica. Seja porém, em que faixa se movimente o espírito, estamos diante de um processo de evolução. Divaldo Franco - Homossexualidade em Foco – 07/12/2009 REFERÊNCIAS DOUTRINÁRIAS
  • 33.  uma vida promíscua, a pederastia, a entrega sem nenhum respeito por si mesmo nem pelo próximo. Um indivíduo promíscuo na heterossexualidade não passa de alguém que está indo contra a sua própria constituição física e psíquica.  O homossexualismo não é uma doença, não é uma patologia. (...) é uma preferência sexual. (...) é uma experiência a que o espírito se impõe, ou que vai imposto, por causa de uma conduta anterior na qual não soube manter o seu equilíbrio.  uma mulher que vive exclusivamente para o sexo, sem emoções, que perverte homens, que destrói lares, numa próxima reencarnação retornará com a anatomia masculina e, no entanto, com as tendências psicológicas femininas.  um homossexual, um homem que de alguma forma se utilizou do sexo para o prazer, para perverter, para levar à corrupção, reencarna-se com tendências femininas e uma anatomia masculina.  Cabe ao espírito, em reencarnando-se, respeitar o “vaso”, o corpo físico. Então, pergunta-se se esse ser tem o direito de experimentar o amor, de experimentar o sexo. É um problema de consciência. Divaldo Franco - Homossexualidade em Foco – 07/12/2009 REFERÊNCIAS DOUTRINÁRIAS
  • 34. 1. http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL1301395-5603,00- PRINCIPAL+CAUSA+DO+HERMAFRODITISMO+E+MUTACAO+GENETICA.html - 11/09/09 - 20h04 2. https://pt.wikipedia.org/wiki/Hermafrodita 3. http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Reinos4/plantas.php 4. http://www.portalsaofrancisco.com.br/biologia/reproducao-das-plantas 5. http://brasilescola.uol.com.br/biologia/protozoarios.htm 6. http://biomania.com.br/artigo/metazoarios 7. http://www.infoescola.com/anfibios/sapo-cururu/ 8. http://hypescience.com/conheca-a-fascinante-historia-da-galinha-que-se- transformou-em-um-galo/ 9. http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/biologia/hormonios-sexuais.htm 10. https://educacao.uol.com.br/disciplinas/biologia/hormonios-e-reproducao- hormonios-sexuais-menstruacao-e-pilula.htm 11. http://www.afh.bio.br/reprod/reprod3.asp 12. https://www.ufrgs.br/psicopatologia/wiki/index.php?title=Histeria_de_Convers%C3% A3o BIBLIOGRAFIA
  • 35. BIBLIOGRAFIA 13. https://www.ufrgs.br/psicopatologia/wiki/index.php?title=Histeria_de_Ang%C3%BAst ia 14. Kardec, Allan. O Livro dos Espíritos, Parte 2ª – Capítulo IV – DA PLURALIDADE DAS EXISTÊNCIAS – Sexo nos Espíritos, p. 200, 201 e 202 15. Xavier, Francisco Cândido. Vida e Sexo, Rio de Janeiro: Ed. FEB, 1997, Cap. Homossexualidade 16. http://artigosespiritaslucas.blogspot.com.br/2009/12/divaldo-franco- homossexualidade-em-foco.html