SlideShare uma empresa Scribd logo

Santana do Livramento - Ana Gládis Fernandes Romeiro

CursoTICs
CursoTICs
CursoTICsCursoTICs

Santana do Livramento - Ana Gládis Fernandes Romeiro

1 de 12
Baixar para ler offline
PÓLO: Santana do Livramento
                        DISCIPLINA: Elaboração de Artigo Científico
                        PROFESSOR ORIENTADOR: Marcos Cassal
                                       02/12/2010



                      Tecnologia: Um Meio Social na Aprendizagem

                      Technology: A Social Environment in Learning

                              ROMEIRO, Ana Gládis Fernandes
           Licenciatura Plena, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras – Santiago/RS

RESUMO
O presente artigo apresenta a tecnologia, não só como um instrumento de aplicação meramente
mecânico do conhecimento, mas como uma nova metodologia, de maneira que venha a contribuir
no desempenho da prática pedagógica do professor, mudando sua metodologia e buscando
novas alternativas. Tem por finalidade informar da grande importância que é a aplicação das TIC
em sala de aula, não só como um instrumento complementar, mas como uma nova prática
pedagógica algo de fundamental importância na apresentação do conteúdo e no seu
desenvolvimento, como um instrumento na transformação de uma nova visão de mundo, tendo
como foco a construção e a reafirmação de valores, incluindo a família e a comunidade como
parceiras, integradas no objetivo do sucesso da educação voltada por parâmetros dinâmicos,
sensíveis e abertos às condições de criar, conhecer, descobrir e refletir.

Palavras-chave: social, tecnologia, aprendizagem

ABSTRACT

This article presents the technology not only as a means of purely mechanical application of
knowledge, but as a way to apply the same way that will contribute in the performance of the
teacher's pedagogical practice, changing its methodology and seeking new alternative. Aims to
inform them of great importance is the application of ICT in the classroom, not only as a
complementary tool, but as a new pedagogical practice something fundamental importance in the
presentation of content and in its development, as an instrument in the transformation of a new
worldview, focusing on the construction and the reaffirmation of values, including the family and the
community as partners, integrated into the goal of the success of education focused by dynamic
parameters, sensitive and open conditions create, learn, discover and reflect.

Key-words: social, learning, technology


1. INTRODUÇÃO


       Este trabalho propõe um repensar na maneira com que é desenvolvida a prática do
docente no dia a dia, partindo do princípio que um planejamento prévio seja elaborado de
acordo com a necessidade apresentada a partir de um diagnóstico, convém ressaltar que
uma metodologia prática e de fácil aplicação sempre possibilita grandes resultados desde
que estes sejam eficientes e utilizados técnicas que enriqueçam as aulas teóricas e que o
uso do multimídia e outros recursos eletrônicos façam parte desse processo. Segundo
Freire (1996), ensinar é além da transmissão de conteúdos, é a submissão à dádiva do
processo de ensinar e aprender, pois quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende
ensina ao aprender.
       Ao professor, cabe proporcionar um ambiente onde se desenvolva esta nova
maneira de transmitir o conhecimento, em que o aluno trabalha com outros colegas, em
grupos, desenvolvendo através de projetos interdisciplinares os valores sociais, de
aceitação das diferenças, unindo de uma forma prazerosa a informatização como um
meio social. A partir do conhecimento adquirido, o aluno expande aos colegas e a outros
estudantes dos turnos inversos da escola e também, a comunidade de um modo geral,
através das feiras de ciências, artes e tecnologia, aplicando os recursos tecnológicos
utilizados. Além disso, incrementa o trabalho pedagógico do educador, a partir de um
planejamento adequado, de métodos e didática eficaz contribui para facilitar o trabalho do
dia a dia, dentro desse processo, o aprender dá-se de uma forma global, cabendo a todos
os segmentos do conhecimento.
       O trabalho é integral, coletivo e cultural e novas práticas fazem-se necessárias em
um mundo globalizado e informatizado, algumas muito bem apresentadas por estudiosos
como Anísio Teixeira, Paulo Freire, Piaget, Emília Ferreiro e outros, e são através delas,
sejam construtivistas, libertadoras ou baseadas nas relações humanas que vai se
construindo o mundo do saber. Assim uma nova maneira de pensar e construir o
conhecimento.
       Esse processo de construção do conhecimento significa assimilar o objeto a
esquemas mentais. Logo o sujeito aprende quando a estrutura cognitiva é reajustada pela
incorporação de um elemento novo. Desta forma, para que o resultado seja de qualidade,
uma vez que o papel fundamental da escola, não é só o de transmitir conhecimento,
sendo que, os meios de comunicações como TV, rádio, jornais e outros meios de
comunicações o fazem com qualidade, mas sim, o de fazer com que o aluno pense, reflita
e faça questionamentos como: para que serve? O que vai aprender? Qual é o seu papel?
         A escola é uma instituição social, onde alunos e professores buscam o
conhecimento sempre em um clima de cooperação, interagindo de forma que quanto mais
o aluno tiver oportunidade de expor seus conhecimentos, dúvidas e curiosidades, mais o
professor terá dados para intervir no processo ensino aprendizagem. Para Gouvêa,
(1999), o professor será mais importante do que nunca, pois ele precisa se apropriar
dessa tecnologia e introduzi-la na sala de aula, no seu dia a dia, da mesma forma que um
professor, que um dia, introduziu o primeiro livro numa escola e teve de começar a lidar
de modo diferente com o conhecimento, sem deixar as outras tecnologias de
comunicação de lado. O ensino deve continuar com a mesma forma, o aprender pela
palavra, pelo gesto, pela emoção, pela afetividade, pelos textos lidos e escritos, pela
televisão, mas agora também pelo computador e pela informação em tempo real.
         Atualmente, o mundo moderno requer cada vez mais pessoas qualificadas para
exercer determinadas funções, não seria diferente na área de educação partindo do
0princípio que tudo se inicia em um ambiente de aprendizagem, por isso, é necessário
que os profissionais dessa área, estejam atualizados para preparar os jovens de hoje com
condições de suprir as exigências do mercado de trabalho, hora apresentadas e com
oportunidades de desenvolver habilidades e competências que vão auxiliá-lo na sua
preparação para a vida e atender a nova demanda de mercado de trabalho. Fazer uso
dos recursos tecnológicos na escola é mais do que um fato, é algo que requer um
comprometimento por parte do professor, a partir do momento em que um plano de aula é
elaborado com o propósito de desenvolver o conhecimento, a criatividade e a reflexão do
aluno, esta se torna agradável e desperta o gosto pelo saber. Usufruir de recursos
midiáticos, é descobrir um caminho para socializar, é aprender e vencer desafios, pois
tanto professor quanto aluno vão perdendo esse medo tecnológico e redescobrindo o
saber.
         Neste estudo, destaca-se que algumas mudanças na prática pedagógica e na
metodologia, melhoram na qualidade do ensino e que problemas enfrentados como
dificuldades de aprendizagem, evasão, repetência e falta de interesse pelas aulas, são
causados, muitas vezes, por modelos educativos que não atendem as necessidades e
perspectivas dos jovens. Por isso, a qualificação contínua do professor, sua formação e
aperfeiçoamento, assim como o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC)
no seu dia a dia contribuem para a qualidade de ensino que todos buscam, visto que,
hoje, a proposta de educação não é mais aquela em que através de aulas expositivas, o
papel do professor era ensinar corrigir e manter a disciplina e ao aluno, de forma que o
mesmo deveria escutar, prestar atenção e ficar quieto.
         Desta forma, este artigo vem contribuir para um repensar na forma da construção
do conhecimento, uma vez que mudanças econômicas, sociais, políticas e tecnológicas
requerem uma educação significativa de acordo com o contexto atual, hoje, fala-se de
inclusão, aceitação das diferenças e outros conceitos que fizeram com que, atitudes
fossem tomadas, mudanças metodológicas educacionais sofressem uma atualização para
que consequentemente houvesse um repensar no contexto político-social da humanidade.



2. OS RECURSOS TECNOLÓGICOS USADOS NA ESCOLA


         Segundo Moran (2006), as atividades didáticas que contemplam a tecnologia da
informação permitem ao aluno ir além da tarefa proposta, em ritmos próprios e estilo de
aprendizagem. Os alunos são dotados de inteligência múltipla e podem ser despertados
para colocar suas habilidades e competências a serviço da produção do conhecimento
individual e coletivo.
         É indiscutível que o computador ocupa um lugar de destaque entre as ferramentas
mais disputadas para auxiliar no processo educacional, visto que ele dispõe de outras
condições que antes isoladamente também contribuíam nessa tarefa como: rádio,
retroprojetor, gravador e materiais impressos em geral como revistas ,jornais todos estes
disponibilizados sincronizadamente em um mesmo objeto, possibilitando ouvir música,
inserir fotos ou imagens e desenvolver uma conversa com alguém em um mesmo tempo
hábil.
         No âmbito educacional, assim como em muitas áreas, os instrumentos tecnológicos
têm tomando espaço significativo, constituindo um diferencial que pode operar saltos
qualitativos   no   processo   ensino-aprendizagem,   formando   cidadãos   competentes
tecnicamente, mas, acima de tudo humano e com valores éticos (BASTOS, 2000 citado
em BRITO, 2006, p. 18).
         A sociedade hoje está cada vez mais informatizada, principalmente no que se
refere às formas de comunicação e o acesso ao conhecimento. Desta forma, requer que a
educação seja objeto de reflexão sobre suas características e formas pelas quais possa
cada vez mais atingir seu objetivo.
      Brito (2006) salienta que: (...) Se o compromisso do professor competente é
realmente com o homem concreto, com a causa de sua humanização, de sua libertação,
ele não deve prescindir da ciência nem da tecnologia, com as quais deve instrumentalizar-
se para melhor lutar por sua causa. Há algum tempo acreditava-se que, quando o
profissional concluía sua graduação, estaria apto para exercer sua função o resto da vida,
hoje não cabe mais este conceito, principalmente para o docente, sua formação é
contínua. É necessário um conhecimento multidisciplinar, ou seja, um conhecimento em
diversas áreas, entre elas as relacionadas às novas tecnologias. Com aulas respaldadas
em materiais concretos, recursos tecnológicos que possibilitem aulas práticas.
       Domínio técnico e pedagógico de suas ferramentas, pois “o profissional
competente deve não apenas saber manipular as ferramentas tecnológicas, mas incluir
sempre em suas reflexões e ações didáticas a consciência de seu papel em uma
sociedade tecnológica” (BRITO, 2006, p. VII).
      Uma forma de utilizar o computador em sala de aula é através de projetos, que se
inicia na busca do aluno por um tema, algo que seja do seu interesse, que desperte seu
senso crítico, um conhecimento social e transformador. Social porque elevado é o número
de famílias que utiliza esse recurso em suas residências, torna-se fácil pesquisar qualquer
tema num clicar dos dedos. Transformador porque a informática não deve ser usada só
como uma forma de apresentar o conteúdo, mas usada como aquisição do conhecimento
na construção de indivíduos críticos, criativos e reflexivos.



3. O QUE MUDOU A PARTIR DO USO DAS TICs


      Conforme Moran (2009), as tecnologias nos ajudam a encontrar o que está
consolidado e a organizar o que está confuso, caótico, disperso. Por isso é tão importante
dominar ferramentas de busca da informação e saber interpretar o que se escolhe,
adaptá-lo ao contexto pessoal e regional e situar cada informação dentro do universo de
referências pessoais.
      O professor ainda é o principal mediador de seu grupo de alunos. Com sua ajuda, a
partir das atividades propostas numa metodologia adequada, criar situações em que terão
a oportunidade de pensar sobre o tema em questão, explicitando suas hipóteses e
transformando-as.    Assim,   os   discentes   irão   gradativamente,   internalizando   os
questionamentos que o docente for fazendo as pistas que vão descobrindo até o
momento em que faz sozinho. Portanto, hoje, ao professor não cabe mais o detentor do
conhecimento, vive num mundo globalizado e informatizado onde a escola é uma
instituição social, onde alunos e professores desenvolvem um processo cuja finalidade é o
acesso ao conhecimento; são seres humanos em constante relação e cooperação.
      Para Moran (2009), os processos de comunicação tendem a ser mais
participativos. A relação professor-aluno mais aberta, interativa. Haverá uma integração
profunda entre a sociedade e a escola, entre a aprendizagem e a vida. A aula não é um
espaço de fechado, mas tempo e espaço contínuos de aprendizagem. Os cursos serão
híbridos no estilo, presença, tecnologias, requisitos. Haverá muito mais flexibilidade em
todos os sentidos. Uma parte das matérias será predominantemente presencial e outra
predominantemente virtual. O importante é aprender e não impor um padrão único de
ensinar.
      É nessa dinâmica que se desenvolve o ensino e a aprendizagem. Quanto mais
oportunidades o aluno tiver de expor suas idéias, suas descobertas, reflexões e suas
dúvidas mais o professor terá oportunidade de intervir nesse processo. Toda troca de
informações com os colegas serão chances de enriquecimento cultural e de
aprimoramento.
      É necessário, ressignificar sua prática com base na participação coletiva, na
relação dialógica e na perspectiva multidisciplinar, disponibilizando estados potenciais do
conhecimento, de modo que o aluno experimente a aprendizagem quando participa,
dialoga e associa.
      Uma “boa” educação é aquela que ajuda o educando a criar-se na autonomia e a
independentizar-se, desenvolvendo nele a capacidade de agir livremente, mas sempre
lembrando que nossa opinião é uma crença com a consciência de ser insuficiente. E, por
saber-se insuficiente, muitas vezes, formula mais questões do que finaliza com respostas.
      Nesse sentido, é preciso que o professor crie um espaço de reflexão sobre sua
prática pedagógica, avaliar-se, usar de novas metodologias, e estar disposto a
atualizações, porque a educação hoje, tem por objetivo principal a formação do cidadão
consciente agente e responsável, capaz de solucionar problemas e viver no coletivo sem
perder a sensibilidade do ser humano.

Recomendados

Aparecida texto
Aparecida textoAparecida texto
Aparecida textoambrosio26
 
Educação a distância o aluno como sujeito de sua própria aprendizagem na busc...
Educação a distância o aluno como sujeito de sua própria aprendizagem na busc...Educação a distância o aluno como sujeito de sua própria aprendizagem na busc...
Educação a distância o aluno como sujeito de sua própria aprendizagem na busc...cefaprodematupa
 
Santina todendi
Santina todendiSantina todendi
Santina todendiequipetics
 
As tecnologias da informação e comunicação e a prática docente
As tecnologias da informação e comunicação e a prática docenteAs tecnologias da informação e comunicação e a prática docente
As tecnologias da informação e comunicação e a prática docenteZeneide Cordeiro
 
A Sociedade Conectada - Caminhos para Formação de Professores
A Sociedade Conectada - Caminhos para Formação de ProfessoresA Sociedade Conectada - Caminhos para Formação de Professores
A Sociedade Conectada - Caminhos para Formação de Professorescidacandine
 
Texto preliminar eliana, alexsandra, humberto
Texto preliminar   eliana, alexsandra, humbertoTexto preliminar   eliana, alexsandra, humberto
Texto preliminar eliana, alexsandra, humbertoelianabraungorl
 
Tatiane de camargo rohrs
Tatiane de camargo rohrsTatiane de camargo rohrs
Tatiane de camargo rohrsequipetics
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

MÍDIAS E EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA NO PROJETO PIBID/UEPB: O USO DAS NOVAS TECNOLOGI...
MÍDIAS E EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA NO PROJETO PIBID/UEPB: O USO DAS NOVAS TECNOLOGI...MÍDIAS E EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA NO PROJETO PIBID/UEPB: O USO DAS NOVAS TECNOLOGI...
MÍDIAS E EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA NO PROJETO PIBID/UEPB: O USO DAS NOVAS TECNOLOGI...pibidgeo
 
Projeto Ti Cs 100h Palmitos
Projeto Ti Cs 100h PalmitosProjeto Ti Cs 100h Palmitos
Projeto Ti Cs 100h PalmitosNTE Palmitos
 
Novos metodos para uma nova educacao
Novos metodos para uma nova educacaoNovos metodos para uma nova educacao
Novos metodos para uma nova educacaoTHIAGO MACIEL
 
Educação e tecnologias : reflexão, inovação e práticas - Daniela Melaré
Educação e tecnologias : reflexão, inovação e práticas - Daniela MelaréEducação e tecnologias : reflexão, inovação e práticas - Daniela Melaré
Educação e tecnologias : reflexão, inovação e práticas - Daniela MelaréElizabeth Fantauzzi
 
Educomunicação e pedagogia de projetos
Educomunicação e pedagogia de projetosEducomunicação e pedagogia de projetos
Educomunicação e pedagogia de projetosFatima Costa
 
Eduvirtua mod 2 ppt1
Eduvirtua mod 2 ppt1Eduvirtua mod 2 ppt1
Eduvirtua mod 2 ppt1Sandra Andrea
 
Agudo - Leonila Nilse Kesseler
Agudo - Leonila Nilse KesselerAgudo - Leonila Nilse Kesseler
Agudo - Leonila Nilse KesselerCursoTICs
 
Ba01 grupoa-is-doc-proposta
Ba01 grupoa-is-doc-propostaBa01 grupoa-is-doc-proposta
Ba01 grupoa-is-doc-propostaAnguera Online
 
Tecnologia, Educação e Professor
Tecnologia, Educação e ProfessorTecnologia, Educação e Professor
Tecnologia, Educação e Professorncorrea17
 

Mais procurados (16)

@rca2010
@rca2010@rca2010
@rca2010
 
MÍDIAS E EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA NO PROJETO PIBID/UEPB: O USO DAS NOVAS TECNOLOGI...
MÍDIAS E EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA NO PROJETO PIBID/UEPB: O USO DAS NOVAS TECNOLOGI...MÍDIAS E EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA NO PROJETO PIBID/UEPB: O USO DAS NOVAS TECNOLOGI...
MÍDIAS E EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA NO PROJETO PIBID/UEPB: O USO DAS NOVAS TECNOLOGI...
 
Apres Sancho
Apres SanchoApres Sancho
Apres Sancho
 
Projeto Ti Cs 100h Palmitos
Projeto Ti Cs 100h PalmitosProjeto Ti Cs 100h Palmitos
Projeto Ti Cs 100h Palmitos
 
Novos metodos para uma nova educacao
Novos metodos para uma nova educacaoNovos metodos para uma nova educacao
Novos metodos para uma nova educacao
 
1ª aula de mídia
1ª aula de mídia1ª aula de mídia
1ª aula de mídia
 
Educação e tecnologias : reflexão, inovação e práticas - Daniela Melaré
Educação e tecnologias : reflexão, inovação e práticas - Daniela MelaréEducação e tecnologias : reflexão, inovação e práticas - Daniela Melaré
Educação e tecnologias : reflexão, inovação e práticas - Daniela Melaré
 
Educomunicação e pedagogia de projetos
Educomunicação e pedagogia de projetosEducomunicação e pedagogia de projetos
Educomunicação e pedagogia de projetos
 
Te e curriculo
Te e curriculo Te e curriculo
Te e curriculo
 
DidáTica Volume 1 2 e 3
DidáTica   Volume 1 2 e 3DidáTica   Volume 1 2 e 3
DidáTica Volume 1 2 e 3
 
Eduvirtua mod 2 ppt1
Eduvirtua mod 2 ppt1Eduvirtua mod 2 ppt1
Eduvirtua mod 2 ppt1
 
Agudo - Leonila Nilse Kesseler
Agudo - Leonila Nilse KesselerAgudo - Leonila Nilse Kesseler
Agudo - Leonila Nilse Kesseler
 
Ba01 grupoa-is-doc-proposta
Ba01 grupoa-is-doc-propostaBa01 grupoa-is-doc-proposta
Ba01 grupoa-is-doc-proposta
 
Tecnologia, Educação e Professor
Tecnologia, Educação e ProfessorTecnologia, Educação e Professor
Tecnologia, Educação e Professor
 
Masetto artigo
Masetto   artigoMasetto   artigo
Masetto artigo
 
Ad1 de ead
Ad1 de eadAd1 de ead
Ad1 de ead
 

Semelhante a Santana do Livramento - Ana Gládis Fernandes Romeiro

A informática está presente no quotidiano das pessoas
A informática está presente no quotidiano das pessoasA informática está presente no quotidiano das pessoas
A informática está presente no quotidiano das pessoasSamuel Orlando Nhantumbo
 
Aplicações de Tecnologia em Ambiente Pré-Escolar - Algumas perguntas para nen...
Aplicações de Tecnologia em Ambiente Pré-Escolar - Algumas perguntas para nen...Aplicações de Tecnologia em Ambiente Pré-Escolar - Algumas perguntas para nen...
Aplicações de Tecnologia em Ambiente Pré-Escolar - Algumas perguntas para nen...Henrique Santos
 
Santana do Livramento - Nara Fátima Oliveira dos Santos
Santana do Livramento - Nara Fátima Oliveira dos SantosSantana do Livramento - Nara Fátima Oliveira dos Santos
Santana do Livramento - Nara Fátima Oliveira dos SantosCursoTICs
 
Texto exemplo
Texto exemploTexto exemplo
Texto exemplo231511
 
portfólio 3° semestre Poliana.docx
portfólio 3° semestre Poliana.docxportfólio 3° semestre Poliana.docx
portfólio 3° semestre Poliana.docxPolianaMartins29
 
Jussara gonçalves
Jussara gonçalvesJussara gonçalves
Jussara gonçalvesequipetics
 
Atividade 3.2 slide de apresentação unidade III
Atividade 3.2 slide de apresentação unidade IIIAtividade 3.2 slide de apresentação unidade III
Atividade 3.2 slide de apresentação unidade IIIRamaiany Marçal Tregnago
 
Marcia rozane b. pipper
Marcia rozane b. pipperMarcia rozane b. pipper
Marcia rozane b. pipperequipetics
 
Patricia rodrigues velloso
Patricia rodrigues vellosoPatricia rodrigues velloso
Patricia rodrigues vellosoequipetics
 
Andreia mainardi
Andreia mainardiAndreia mainardi
Andreia mainardiequipetics
 

Semelhante a Santana do Livramento - Ana Gládis Fernandes Romeiro (20)

O uso-das-midias-na-sala-de-aula-resistencias-e-aprendizagens
O uso-das-midias-na-sala-de-aula-resistencias-e-aprendizagensO uso-das-midias-na-sala-de-aula-resistencias-e-aprendizagens
O uso-das-midias-na-sala-de-aula-resistencias-e-aprendizagens
 
A informática está presente no quotidiano das pessoas
A informática está presente no quotidiano das pessoasA informática está presente no quotidiano das pessoas
A informática está presente no quotidiano das pessoas
 
Aplicações de Tecnologia em Ambiente Pré-Escolar - Algumas perguntas para nen...
Aplicações de Tecnologia em Ambiente Pré-Escolar - Algumas perguntas para nen...Aplicações de Tecnologia em Ambiente Pré-Escolar - Algumas perguntas para nen...
Aplicações de Tecnologia em Ambiente Pré-Escolar - Algumas perguntas para nen...
 
Maria Celia
Maria CeliaMaria Celia
Maria Celia
 
Santana do Livramento - Nara Fátima Oliveira dos Santos
Santana do Livramento - Nara Fátima Oliveira dos SantosSantana do Livramento - Nara Fátima Oliveira dos Santos
Santana do Livramento - Nara Fátima Oliveira dos Santos
 
Texto exemplo
Texto exemploTexto exemplo
Texto exemplo
 
portfólio 3° semestre Poliana.docx
portfólio 3° semestre Poliana.docxportfólio 3° semestre Poliana.docx
portfólio 3° semestre Poliana.docx
 
Jussara gonçalves
Jussara gonçalvesJussara gonçalves
Jussara gonçalves
 
Tecnologia o USO COTIDIANO ESCOLAR
Tecnologia o USO COTIDIANO ESCOLARTecnologia o USO COTIDIANO ESCOLAR
Tecnologia o USO COTIDIANO ESCOLAR
 
Ad1 de ead
Ad1 de eadAd1 de ead
Ad1 de ead
 
Ad1 de EAD
Ad1 de EADAd1 de EAD
Ad1 de EAD
 
Ad1 de ead
Ad1 de eadAd1 de ead
Ad1 de ead
 
Ad1 de ead
Ad1 de eadAd1 de ead
Ad1 de ead
 
Ad1 de ead
Ad1 de eadAd1 de ead
Ad1 de ead
 
Atividade 3.2 slide de apresentação unidade III
Atividade 3.2 slide de apresentação unidade IIIAtividade 3.2 slide de apresentação unidade III
Atividade 3.2 slide de apresentação unidade III
 
Marcia rozane b. pipper
Marcia rozane b. pipperMarcia rozane b. pipper
Marcia rozane b. pipper
 
Patricia rodrigues velloso
Patricia rodrigues vellosoPatricia rodrigues velloso
Patricia rodrigues velloso
 
Artigo de tecnologia
Artigo de tecnologiaArtigo de tecnologia
Artigo de tecnologia
 
Artigo de tecnologia
Artigo de tecnologiaArtigo de tecnologia
Artigo de tecnologia
 
Andreia mainardi
Andreia mainardiAndreia mainardi
Andreia mainardi
 

Mais de CursoTICs

Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiTrês de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiCursoTICs
 
Três de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesTrês de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesCursoTICs
 
Três de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel FrankTrês de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel FrankCursoTICs
 
Três de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannTrês de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannCursoTICs
 
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnTrês de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnCursoTICs
 
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelTrês de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelCursoTICs
 
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinTrês de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinCursoTICs
 
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello SipmannTrês de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello SipmannCursoTICs
 
Três de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana BackesTrês de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana BackesCursoTICs
 
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de MattosTrês de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de MattosCursoTICs
 
Três de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa EichelbergerTrês de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa EichelbergerCursoTICs
 
Três de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz GrizottiTrês de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz GrizottiCursoTICs
 
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat HamerskiTrês de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat HamerskiCursoTICs
 
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares ValdameriTrês de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares ValdameriCursoTICs
 
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm HermesSobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm HermesCursoTICs
 
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da SilvaSobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da SilvaCursoTICs
 
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da SilvaSobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da SilvaCursoTICs
 
Sobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele LazzariSobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele LazzariCursoTICs
 
Sobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano MachadoSobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano MachadoCursoTICs
 
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli RechSobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli RechCursoTICs
 

Mais de CursoTICs (20)

Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiTrês de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
 
Três de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesTrês de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange Backes
 
Três de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel FrankTrês de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel Frank
 
Três de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannTrês de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar Sipmann
 
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnTrês de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
 
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelTrês de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
 
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinTrês de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
 
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello SipmannTrês de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
 
Três de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana BackesTrês de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana Backes
 
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de MattosTrês de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
 
Três de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa EichelbergerTrês de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
 
Três de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz GrizottiTrês de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
 
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat HamerskiTrês de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
 
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares ValdameriTrês de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
 
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm HermesSobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
 
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da SilvaSobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
 
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da SilvaSobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
 
Sobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele LazzariSobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele Lazzari
 
Sobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano MachadoSobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano Machado
 
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli RechSobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
 

Último

CURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdfCURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdfdaniele690933
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfIntrodução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfssuser2af87a
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfalexandrerodriguespk
 
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!Psyc company
 
As relações entre empregador e empregado passaram por diversas transformações...
As relações entre empregador e empregado passaram por diversas transformações...As relações entre empregador e empregado passaram por diversas transformações...
As relações entre empregador e empregado passaram por diversas transformações...excellenceeducaciona
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOxogilo3990
 
Q20 - Reações fotoquímicas.pdf
Q20 - Reações fotoquímicas.pdfQ20 - Reações fotoquímicas.pdf
Q20 - Reações fotoquímicas.pdfPedroGual4
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIAHisrelBlog
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...manoelaarmani
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 
Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Baina
Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã BainaRelatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Baina
Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Bainaifacasie
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfkeiciany
 
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...pj989014
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 

Último (20)

CURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdfCURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdf
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfIntrodução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
 
As relações entre empregador e empregado passaram por diversas transformações...
As relações entre empregador e empregado passaram por diversas transformações...As relações entre empregador e empregado passaram por diversas transformações...
As relações entre empregador e empregado passaram por diversas transformações...
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
 
Q20 - Reações fotoquímicas.pdf
Q20 - Reações fotoquímicas.pdfQ20 - Reações fotoquímicas.pdf
Q20 - Reações fotoquímicas.pdf
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Baina
Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã BainaRelatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Baina
Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Baina
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
 
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 

Santana do Livramento - Ana Gládis Fernandes Romeiro

  • 1. PÓLO: Santana do Livramento DISCIPLINA: Elaboração de Artigo Científico PROFESSOR ORIENTADOR: Marcos Cassal 02/12/2010 Tecnologia: Um Meio Social na Aprendizagem Technology: A Social Environment in Learning ROMEIRO, Ana Gládis Fernandes Licenciatura Plena, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras – Santiago/RS RESUMO O presente artigo apresenta a tecnologia, não só como um instrumento de aplicação meramente mecânico do conhecimento, mas como uma nova metodologia, de maneira que venha a contribuir no desempenho da prática pedagógica do professor, mudando sua metodologia e buscando novas alternativas. Tem por finalidade informar da grande importância que é a aplicação das TIC em sala de aula, não só como um instrumento complementar, mas como uma nova prática pedagógica algo de fundamental importância na apresentação do conteúdo e no seu desenvolvimento, como um instrumento na transformação de uma nova visão de mundo, tendo como foco a construção e a reafirmação de valores, incluindo a família e a comunidade como parceiras, integradas no objetivo do sucesso da educação voltada por parâmetros dinâmicos, sensíveis e abertos às condições de criar, conhecer, descobrir e refletir. Palavras-chave: social, tecnologia, aprendizagem ABSTRACT This article presents the technology not only as a means of purely mechanical application of knowledge, but as a way to apply the same way that will contribute in the performance of the teacher's pedagogical practice, changing its methodology and seeking new alternative. Aims to inform them of great importance is the application of ICT in the classroom, not only as a complementary tool, but as a new pedagogical practice something fundamental importance in the presentation of content and in its development, as an instrument in the transformation of a new worldview, focusing on the construction and the reaffirmation of values, including the family and the community as partners, integrated into the goal of the success of education focused by dynamic
  • 2. parameters, sensitive and open conditions create, learn, discover and reflect. Key-words: social, learning, technology 1. INTRODUÇÃO Este trabalho propõe um repensar na maneira com que é desenvolvida a prática do docente no dia a dia, partindo do princípio que um planejamento prévio seja elaborado de acordo com a necessidade apresentada a partir de um diagnóstico, convém ressaltar que uma metodologia prática e de fácil aplicação sempre possibilita grandes resultados desde que estes sejam eficientes e utilizados técnicas que enriqueçam as aulas teóricas e que o uso do multimídia e outros recursos eletrônicos façam parte desse processo. Segundo Freire (1996), ensinar é além da transmissão de conteúdos, é a submissão à dádiva do processo de ensinar e aprender, pois quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender. Ao professor, cabe proporcionar um ambiente onde se desenvolva esta nova maneira de transmitir o conhecimento, em que o aluno trabalha com outros colegas, em grupos, desenvolvendo através de projetos interdisciplinares os valores sociais, de aceitação das diferenças, unindo de uma forma prazerosa a informatização como um meio social. A partir do conhecimento adquirido, o aluno expande aos colegas e a outros estudantes dos turnos inversos da escola e também, a comunidade de um modo geral, através das feiras de ciências, artes e tecnologia, aplicando os recursos tecnológicos utilizados. Além disso, incrementa o trabalho pedagógico do educador, a partir de um planejamento adequado, de métodos e didática eficaz contribui para facilitar o trabalho do dia a dia, dentro desse processo, o aprender dá-se de uma forma global, cabendo a todos os segmentos do conhecimento. O trabalho é integral, coletivo e cultural e novas práticas fazem-se necessárias em um mundo globalizado e informatizado, algumas muito bem apresentadas por estudiosos como Anísio Teixeira, Paulo Freire, Piaget, Emília Ferreiro e outros, e são através delas, sejam construtivistas, libertadoras ou baseadas nas relações humanas que vai se construindo o mundo do saber. Assim uma nova maneira de pensar e construir o conhecimento. Esse processo de construção do conhecimento significa assimilar o objeto a esquemas mentais. Logo o sujeito aprende quando a estrutura cognitiva é reajustada pela
  • 3. incorporação de um elemento novo. Desta forma, para que o resultado seja de qualidade, uma vez que o papel fundamental da escola, não é só o de transmitir conhecimento, sendo que, os meios de comunicações como TV, rádio, jornais e outros meios de comunicações o fazem com qualidade, mas sim, o de fazer com que o aluno pense, reflita e faça questionamentos como: para que serve? O que vai aprender? Qual é o seu papel? A escola é uma instituição social, onde alunos e professores buscam o conhecimento sempre em um clima de cooperação, interagindo de forma que quanto mais o aluno tiver oportunidade de expor seus conhecimentos, dúvidas e curiosidades, mais o professor terá dados para intervir no processo ensino aprendizagem. Para Gouvêa, (1999), o professor será mais importante do que nunca, pois ele precisa se apropriar dessa tecnologia e introduzi-la na sala de aula, no seu dia a dia, da mesma forma que um professor, que um dia, introduziu o primeiro livro numa escola e teve de começar a lidar de modo diferente com o conhecimento, sem deixar as outras tecnologias de comunicação de lado. O ensino deve continuar com a mesma forma, o aprender pela palavra, pelo gesto, pela emoção, pela afetividade, pelos textos lidos e escritos, pela televisão, mas agora também pelo computador e pela informação em tempo real. Atualmente, o mundo moderno requer cada vez mais pessoas qualificadas para exercer determinadas funções, não seria diferente na área de educação partindo do 0princípio que tudo se inicia em um ambiente de aprendizagem, por isso, é necessário que os profissionais dessa área, estejam atualizados para preparar os jovens de hoje com condições de suprir as exigências do mercado de trabalho, hora apresentadas e com oportunidades de desenvolver habilidades e competências que vão auxiliá-lo na sua preparação para a vida e atender a nova demanda de mercado de trabalho. Fazer uso dos recursos tecnológicos na escola é mais do que um fato, é algo que requer um comprometimento por parte do professor, a partir do momento em que um plano de aula é elaborado com o propósito de desenvolver o conhecimento, a criatividade e a reflexão do aluno, esta se torna agradável e desperta o gosto pelo saber. Usufruir de recursos midiáticos, é descobrir um caminho para socializar, é aprender e vencer desafios, pois tanto professor quanto aluno vão perdendo esse medo tecnológico e redescobrindo o saber. Neste estudo, destaca-se que algumas mudanças na prática pedagógica e na metodologia, melhoram na qualidade do ensino e que problemas enfrentados como dificuldades de aprendizagem, evasão, repetência e falta de interesse pelas aulas, são causados, muitas vezes, por modelos educativos que não atendem as necessidades e
  • 4. perspectivas dos jovens. Por isso, a qualificação contínua do professor, sua formação e aperfeiçoamento, assim como o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) no seu dia a dia contribuem para a qualidade de ensino que todos buscam, visto que, hoje, a proposta de educação não é mais aquela em que através de aulas expositivas, o papel do professor era ensinar corrigir e manter a disciplina e ao aluno, de forma que o mesmo deveria escutar, prestar atenção e ficar quieto. Desta forma, este artigo vem contribuir para um repensar na forma da construção do conhecimento, uma vez que mudanças econômicas, sociais, políticas e tecnológicas requerem uma educação significativa de acordo com o contexto atual, hoje, fala-se de inclusão, aceitação das diferenças e outros conceitos que fizeram com que, atitudes fossem tomadas, mudanças metodológicas educacionais sofressem uma atualização para que consequentemente houvesse um repensar no contexto político-social da humanidade. 2. OS RECURSOS TECNOLÓGICOS USADOS NA ESCOLA Segundo Moran (2006), as atividades didáticas que contemplam a tecnologia da informação permitem ao aluno ir além da tarefa proposta, em ritmos próprios e estilo de aprendizagem. Os alunos são dotados de inteligência múltipla e podem ser despertados para colocar suas habilidades e competências a serviço da produção do conhecimento individual e coletivo. É indiscutível que o computador ocupa um lugar de destaque entre as ferramentas mais disputadas para auxiliar no processo educacional, visto que ele dispõe de outras condições que antes isoladamente também contribuíam nessa tarefa como: rádio, retroprojetor, gravador e materiais impressos em geral como revistas ,jornais todos estes disponibilizados sincronizadamente em um mesmo objeto, possibilitando ouvir música, inserir fotos ou imagens e desenvolver uma conversa com alguém em um mesmo tempo hábil. No âmbito educacional, assim como em muitas áreas, os instrumentos tecnológicos têm tomando espaço significativo, constituindo um diferencial que pode operar saltos qualitativos no processo ensino-aprendizagem, formando cidadãos competentes tecnicamente, mas, acima de tudo humano e com valores éticos (BASTOS, 2000 citado em BRITO, 2006, p. 18). A sociedade hoje está cada vez mais informatizada, principalmente no que se
  • 5. refere às formas de comunicação e o acesso ao conhecimento. Desta forma, requer que a educação seja objeto de reflexão sobre suas características e formas pelas quais possa cada vez mais atingir seu objetivo. Brito (2006) salienta que: (...) Se o compromisso do professor competente é realmente com o homem concreto, com a causa de sua humanização, de sua libertação, ele não deve prescindir da ciência nem da tecnologia, com as quais deve instrumentalizar- se para melhor lutar por sua causa. Há algum tempo acreditava-se que, quando o profissional concluía sua graduação, estaria apto para exercer sua função o resto da vida, hoje não cabe mais este conceito, principalmente para o docente, sua formação é contínua. É necessário um conhecimento multidisciplinar, ou seja, um conhecimento em diversas áreas, entre elas as relacionadas às novas tecnologias. Com aulas respaldadas em materiais concretos, recursos tecnológicos que possibilitem aulas práticas. Domínio técnico e pedagógico de suas ferramentas, pois “o profissional competente deve não apenas saber manipular as ferramentas tecnológicas, mas incluir sempre em suas reflexões e ações didáticas a consciência de seu papel em uma sociedade tecnológica” (BRITO, 2006, p. VII). Uma forma de utilizar o computador em sala de aula é através de projetos, que se inicia na busca do aluno por um tema, algo que seja do seu interesse, que desperte seu senso crítico, um conhecimento social e transformador. Social porque elevado é o número de famílias que utiliza esse recurso em suas residências, torna-se fácil pesquisar qualquer tema num clicar dos dedos. Transformador porque a informática não deve ser usada só como uma forma de apresentar o conteúdo, mas usada como aquisição do conhecimento na construção de indivíduos críticos, criativos e reflexivos. 3. O QUE MUDOU A PARTIR DO USO DAS TICs Conforme Moran (2009), as tecnologias nos ajudam a encontrar o que está consolidado e a organizar o que está confuso, caótico, disperso. Por isso é tão importante dominar ferramentas de busca da informação e saber interpretar o que se escolhe, adaptá-lo ao contexto pessoal e regional e situar cada informação dentro do universo de referências pessoais. O professor ainda é o principal mediador de seu grupo de alunos. Com sua ajuda, a partir das atividades propostas numa metodologia adequada, criar situações em que terão
  • 6. a oportunidade de pensar sobre o tema em questão, explicitando suas hipóteses e transformando-as. Assim, os discentes irão gradativamente, internalizando os questionamentos que o docente for fazendo as pistas que vão descobrindo até o momento em que faz sozinho. Portanto, hoje, ao professor não cabe mais o detentor do conhecimento, vive num mundo globalizado e informatizado onde a escola é uma instituição social, onde alunos e professores desenvolvem um processo cuja finalidade é o acesso ao conhecimento; são seres humanos em constante relação e cooperação. Para Moran (2009), os processos de comunicação tendem a ser mais participativos. A relação professor-aluno mais aberta, interativa. Haverá uma integração profunda entre a sociedade e a escola, entre a aprendizagem e a vida. A aula não é um espaço de fechado, mas tempo e espaço contínuos de aprendizagem. Os cursos serão híbridos no estilo, presença, tecnologias, requisitos. Haverá muito mais flexibilidade em todos os sentidos. Uma parte das matérias será predominantemente presencial e outra predominantemente virtual. O importante é aprender e não impor um padrão único de ensinar. É nessa dinâmica que se desenvolve o ensino e a aprendizagem. Quanto mais oportunidades o aluno tiver de expor suas idéias, suas descobertas, reflexões e suas dúvidas mais o professor terá oportunidade de intervir nesse processo. Toda troca de informações com os colegas serão chances de enriquecimento cultural e de aprimoramento. É necessário, ressignificar sua prática com base na participação coletiva, na relação dialógica e na perspectiva multidisciplinar, disponibilizando estados potenciais do conhecimento, de modo que o aluno experimente a aprendizagem quando participa, dialoga e associa. Uma “boa” educação é aquela que ajuda o educando a criar-se na autonomia e a independentizar-se, desenvolvendo nele a capacidade de agir livremente, mas sempre lembrando que nossa opinião é uma crença com a consciência de ser insuficiente. E, por saber-se insuficiente, muitas vezes, formula mais questões do que finaliza com respostas. Nesse sentido, é preciso que o professor crie um espaço de reflexão sobre sua prática pedagógica, avaliar-se, usar de novas metodologias, e estar disposto a atualizações, porque a educação hoje, tem por objetivo principal a formação do cidadão consciente agente e responsável, capaz de solucionar problemas e viver no coletivo sem perder a sensibilidade do ser humano.
  • 7. 4. METODOLOGIA UTILIZADA EM LÍNGUA PORTUGUESA Para Alvarez (1996), a Pedagogia de Projetos visa à re-significação desse espaço escolar, transformando-o em um espaço vivo de interações, aberto ao real e às suas múltiplas dimensões. O trabalho com projetos traz uma nova perspectiva para entendermos o processo de ensino/ aprendizagem. Aprender deixa de ser um simples ato de memorização e ensinar não significa mais repassar conteúdos prontos. Tal como Fagundes (1999) nos aponta, “aprender por projetos é uma forma inovadora de romper com as tradições educacionais”. Para alcançar os objetivos de propiciar uma mediação pedagógica com princípios tecnológicos educacionais, durante o mês de novembro, em um estabelecimento de ensino fundamental e médio na cidade de Quarai – RS, foi desenvolvido um projeto para comemorar o Dia da Consciência Negra, nele, alunos da oitava série, com faixa etária entre 13 e 14 anos, desenvolveram habilidades que possibilitaram construir seu próprio conhecimento como nos diz: Segundo o educador Hernández (1998), o professor deve deixar o papel de “transmissor de conteúdos” para se transformar em um pesquisador e o aluno por sua vez passa a ser o sujeito do processo ensino aprendizagem. Em um projeto “todas as coisas podem ser ensinadas por meio de projetos, basta que se tenha uma dúvida inicial e que se comece a pesquisar e buscar evidências sobre o assunto”, e dentro desse contexto, foram usados os seguintes passos: - Busca do tema (interesse dos alunos); - A partir da problematização, investigar, através de pesquisas, entrevistas e levantamento de hipóteses, o aprimorando do conhecimento sobre o assunto; - Montagem do relatório, objetivos, justificativa, cronograma de atividades, slides, cartazes, apresentação para colegas, apresentação em turno inverso; - A interação entre professor/alunos e alunos/alunos; - A construção de conceitos através de imagens conceituais e de fluxos abordados; - A pesquisa individual e em grupo através de sites relacionados à temática; - A partir desses critérios, criação de vídeos disponibilizados no site do youtube. Convém destacar, que durante o desenvolvimento do projeto, tanto o professor da aula de Língua Portuguesa, quanto os alunos mostraram-se entusiasmados na montagem dos vídeos, pois pesquisaram métodos e novas técnicas nessa montagem, acharam interessante criar seus próprios vídeos para expor seus trabalhos no youtube e seus
  • 8. resultados, com isso interagiram com a máquina e com outros sujeitos, a sala de informática da escola pode ser de grande utilidade, pois conta com um número relevante de computadores ,onde alunos confortavelmente usufruem dos mesmos, interligados em uma TV de 45 polegadas e um datashow, sendo que com essa metodologia, os alunos da 8ª série com idade entre 13 e 14 anos, sentiram-se agentes de seu próprio conhecimento no decorrer de todo o trabalho, que finalizou com apresentação a toda comunidade escolar em um auditório na própria escola, convém acrescentar que em virtude da grande maioria possuir um computador em casa, assim como outros recursos tecnológicos ,tornou-se facilitado o acesso aos mesmos, assim como fazer uso de ferramentas como youtube, Google, orkut. Segundo Álvares (1996): Pensar uma prática pedagógica a partir dos projetos traz mudanças significativas para o processo de ensino/ aprendizagem. Toda essa mudança metodológica com o uso e aplicação das TICs em sala de aula, motivou e melhorou não só o desempenho profissional das aulas de Língua Portuguesa, que é a área específica mostrada nesta experiência de trabalho , mas um envolvimento com as demais áreas, como matemática, artes, história e outras disciplinas envolvidas, onde os alunos recorreram aos recursos tecnológicos, havendo uma mudança valiosa com a capacitação através da qualificação profissional do professor em TICs. Outra atividade em que também foi usado as TICs, ocorreu na mesma escola, também nas aulas de Português, só que desta vez durante os jogos mundiais da copa, onde a África pode ser estudada nos seus mínimos detalhes,como sua influência sobre a cultura brasileira, assim como localização, espaço geográfico, distância em relação a cidades brasileiras e o mais importante acontecimento que marcou aquele povo o APARTAIT, alunos puderam ter uma melhor compreensão da cultura daquele povo, com imagens emocionantes pesquisadas na internet assim como a bravura e o heroísmo de lideres como NELSON MANDELA, danças e coreografias perfeitas foram apresentadas após pesquisadas em vídeos do youtube, logo em seguida seus próprios trabalhos também foram disponibilizados no youtube através de seu vídeos. Foi utilizado também a webquest, com alunos da oitava série com todo o seu procedimento de clientela, introdução, tarefa, processo, recurso, avaliação e conclusão, e foi desenvolvido o projeto: Músicas, Artes e Poesias Sobem ao Palco. Como a poesia faz parte da vida das pessoas que apreciam o belo e têm imaginação fértil, despertar a sensibilidade e a valorização do ser humano é um comprometimento educacional de todos.
  • 9. O uso de recursos tecnológicos deu-se, além do requerido na tarefa disponibilizada através de e-mail, com sugestões de pesquisas em diversos links de letras e músicas de compositores brasileiros, suas influências, assim como, a quem influenciaram. Exemplos foram mostrados como Vinícius de Morais, Tom Jobim, Caetano Veloso, Chico Buarque, Paulo Coelho, Raul Seixas, também como a observação da estrutura de uma Poesia, Rima, Ritmo, Estrofes, Versos a serem observados dentro do processo avaliativo. Também, um deles era o uso de um recurso tecnológico, que foi explorado com criatividade e desenvolvido nos programas movie maker e Power Point. Dessa forma os objetivos foram alcançados, que era despertar o interesse pelas aulas, incentivar a socialização do conhecimento, além de integrar, interagir e tornar o aprendizado mais significativo, pois só a avaliação tradicional na maioria das vezes, torna o estudo decorativo e de pouca importância. Sempre com o mesmo objetivo na busca de aulas inovadoras e prazerosas, outros recursos usados foram às atividades que fizessem com que a classe assimilasse o conteúdo através de gincanas educativas em sala de aula, mobilizando competências e habilidades para solucionar problemas e capacitá-lo para o exercício da cidadania. Temas do interesse deles foram usados para pesquisas, também o uso das TICs na apresentação dos mesmos. Niskier (1993 apud BRITO, 2006, p. 31) conceitua tecnologia como: (...) a tecnologia educacional, sabiamente, não se reduz à utilização de meios. Ela precisa necessariamente ser um instrumento mediador entre o homem e o mundo, o homem e a educação, servindo de mecanismo pelo qual o educando se apropria de um saber, redescobrindo e reconstruindo o conhecimento. A utilização desses computadores nos ambientes escolares requer mudanças no currículo, na estrutura da escola e até mesmo na formação de professores, embora muitas vezes os alunos demonstrem ter maior conhecimento em informática do que os professores, isso não faz com que o papel do educador tenha menos importância no desenvolvimento da aprendizagem. O papel do professor nestas atividades onde o computador é utilizado como meio de informatizar os processos de ensino é orientar e propiciar a vivência de uma experiência, através de sua intervenção pedagógica ele age de forma a tornar o conhecimento significativo e o saber é construído pelos alunos na escola, no cotidiano familiar e social.
  • 10. Moran (2007, p. 119) ressalta que: “Aprender a ensinar e a aprender, integrando ambientes presenciais e virtuais, e um dos grandes desafios que estamos enfrentando atualmente na educação no mundo inteiro”. Com esta nova maneira de ensinar e aprender, fazendo o uso das TICs em sala de aula, inovando a metodologia, tornando as aulas mais contextualizadas com o mundo, os objetivos de informar o aluno, prepará-lo para o mundo, para que conscientemente possam exercer a sua cidadania, que possa de uma forma harmônica se relacionar bem, com ele mesmo, com o mundo e com Deus, se desenvolveu num ambiente prazeroso, com desinibição de alguns alunos, o estímulo à socialização do conhecimento e o mais importante a oportunidade de o professor conhecer outros caminhos através dessa tecnologia, professor e aluno interagem com diferentes fontes de informações, tudo isso abre novas propostas e rompe paradigmas e conceitos ultrapassados. 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS É necessário que a escola proporcione um espaço onde situações coletivas possam ser desenvolvidas, e que as tecnologias façam parte desse novo contexto educacional no processo ensino-aprendizagem. Algumas situações relacionadas ao dia a dia do professor foram mostradas nesse trabalho, assim como o uso das TICs e experiências relacionadas à metodologia e a prática pedagógica do professor. Para Vesentine, (2002:24), o educador deve estar preocupado com a conquista da cidadania e contribuir com os crescimentos intelectuais, cognitivos e afetivos do educando na formação criativa do senso crítico. As práticas dos professores precisam evoluir pouco a pouco, desenvolvendo uma metodologia que propicie aos alunos ampliar conhecimentos, comunicações, além de uma compreensão dos conteúdos escolares, fora da rotina nas salas de aula. Os recursos tecnológicos estão sendo utilizados para inovar a sala de aula, trazendo informações atualizadas, onde a internet abre um horizonte de opções para implementação do ensinar e do aprender, visando a qualidade do ensino. Kaercher, (2002:228) diz que “Não adianta se iludir, achando que dá para ser um bom professor com pouca leitura, pouca bibliografia e estudando os assuntos em cima da hora”. Muito ainda tem que ser feito, uma vez que há uma resistência a novas práticas
  • 11. pedagógicas e métodos inovadores, todavia, a escola está inserida em um contexto complexo de relações. Promover mudanças na escola, a partir da introdução das tecnologias, depende de inúmeros fatores, que ultrapassam a pura aquisição de equipamentos ou a capacitação dos professores é preciso que toda a comunidade acredite que mudar é necessário e que a tecnologia está aí para contribuir com a melhoria educacional. Fazer uso dessa tecnologia fez com as aulas de Português se tornassem uma expectativa para os alunos, a credibilidade e o relacionamento aumentam entre professor e aluno em fim, a tecnologia também socializa todo o processo educacional. Todo aquele que ensina, é, portanto um crente e um apostador: ele sabe o que ensina, mas, além disso, precisa acreditar no que ensina. Precisa crer, também, que é capaz de fazê-lo e, sumamente importante, que tenha vontade de fazê-lo. Veremos que a falta de vontade de educar constitui um importante obstáculo epistemológico na busca de uma educação mais atrativa ao educando. Falta despertar desafios cognitivos para os alunos, falta relacionar escola e vida, a fim de que o aluno perceba o vínculo dos assuntos trabalhados com sua vida extra-escolar. Sonhar: é preciso despertar o ‘potencial adormecido’ nos alunos. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS FAGUNDES, Léa et al. Aprendizes do Futuro: as inovações começaram! Coleção Informática para a Mudança na Educação. Ministério da Educação. Secretaria da Educação a Distância. Programa Nacional de Informática na Educação, 1999. FREIRE, Fernanda Maria Pereira, PRADO, Maria Elízabette Brisola Brito. Projeto Pedagógico: pano de fundo para escolha de um software educacional, In. O Computador na Sociedade do Conhecimento - organizado por José Armando Valente - Campinas: UNICAMP/NIED, 1996. GOUVÊA, Sylvia Figueiredo. Os caminhos do professor na Era da Tecnologia – Acesso Revista de Educação e Informática, Ano 9 – número 13 – abril 1999. MORAN,José Manuel. Novos desafios e como chegar lá (4ª ed, Papirus, 2009, p. 101- 111) MORAN, José Manuel, MASETTO, Marcos & BEHRENS, Marilda. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 15a ed. São Paulo: Papirus, 2008. ALVAREZ LEITE, Lúcia Helena, Pedagogia de Projetos: intervenção no presente.
  • 12. Presença Pedagógica, Belo Horizonte: Dimensão, 1996. pp. 24-33 KAERCHER, Nestor André.Quando a Geografia Crítica é um Pastel de Vento e Nós, Seus Professores, Midas HERNÁNDEZ, Fernando.; VENTURA, Montserrat. A organização do currículo por projetos de trabalho: o conhecimento é um caleidoscópio. 5ed., Porto Alegre: Artmed, 1998. VESENTINI, José Willian. A formação do professor de geografia – algumas reflexões. In: OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino de & PONTUSCHKA, Nidia Nacib Geografia em Perspectiva. SP, Contexto, 2002. P, 231 a 240 BRITO, Gláucia da Silva e Purificação, Ivonélia da. Educação e Novas Tecnologias – Um Repensar. Curitiba: Ibpex, 2006. ROMEIRO, Ana Gládis Fernandes, anagladisromeiro@hotmail.com. CASSAL, Marcos, marcos.cassal@gmail.com.