UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE
CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR
UNIDADE ACADÊMICA DE TECNOLOGIA DE AL...
1. INTRODUÇÃO
Na aula de campo elaborada pela Dra. Railene Hérica, vimos em prática como funciona
toda teoria vista e estu...
2. OBJETIVOS GERAIS
O objetivo principal dessa aula foi demonstrar o quanto é importante tudo aquilo que
aprendemos na teo...
3. METODOLOGIA GERAL
3.1 METODOLOGIA (I)
Primeiramente fomos visitar o projeto do Prof. Dr. Francisco Hevilásio F. Pereira...
3.2 METODOLOGIA (II)
O segundo projeto foi apresentado pelo aluno Odair Honorato também do grupo PET
que tem como orientad...
3.3 METODOLOGIA (III)
Aqui observamos outro projeto voltado para o programa PET Orientado pela Prof. Dra.
Railene Hérica C...
3.4 METODOLOGIA (IV)
O Quarto e último projeto que foi nos apresentado foi o do orientado e bolsista e Adaan
Sudário Dias ...
4. RESULTADOS E DISCUSSÕES
Percebe-se que a análise qualitativa e quantitativa dos dados apresentados é de suma
importânci...
5. CONCLUSÕES
A experimentação é um modo fundamental de produzir conhecimento no mundo
contemporâneo. Como resultado final...
6. BIBLIOGRAFÍA
o Experimentação Agrícola - 4ª Edição - Reimpressão 2013. Autor: David
Ariovaldo Banzatto e Sérgio do Nasc...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Relatório estatística experimental aula de campo UFCG/CCTA

574 visualizações

Publicada em

ESTATÍSTICA EXPERIMENTAL AULA DE CAMPO UFCG/CCTA

Publicada em: Dados e análise
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
574
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatório estatística experimental aula de campo UFCG/CCTA

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR UNIDADE ACADÊMICA DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS DISCIPLINA: ESTATÍSTICA EXPERIMENTAL CURSO: ENGENHARIA AMBIENTAL RELATÓRIO SOBRE: AULA DE CAMPO DISCENTE: CÉSAR LINCOLN O. DE SOUZA DOCENTE: RAILENE HÉRICA C. R. ARAÚJO POMBAL, PB 2014.
  2. 2. 1. INTRODUÇÃO Na aula de campo elaborada pela Dra. Railene Hérica, vimos em prática como funciona toda teoria vista e estudada no primeiro estágio da disciplina Estatística Experimental, a aula teve a participação dos alunos do curso de Agronomia que fazem parte do programa PET/UFCG (Programa de Educação Tutorial), destes são Pedro Jorge, Odair Honorato, Flávio Sarmento e Ivando Comandante, foi apresentado por cada um deles um projeto diferente, dentre eles há dois projetos submetidos ao Programa de Educação Tutorial (PET/UFCG), um PIBIC e o outro de um Mestrando do CCTA/UFCG, O aluno Pedro Jorge apresentou o projeto do Prof. Dr. Francisco Hevilásio F. Pereira “Produção e Partição de massa seca em alface do grupo crespa submetida a adubação orgânica e mineral” , logo depois vimos o Projeto submetido ao PET apresentado pelo aluno Odair Honorato que tem como orientador o Prof. Dr. Josinaldo Lopes Araújo, o projeto se trata avaliar “o efeito de extratos de nim sobre a inibição da nitrificação e sobre o crescimento, produção e nutrição nitrogenada da alface cultivadas sob doses de nitrogênio” , em seguida observamos outro projeto voltado para o programa PET Orientado pela Prof. Dra. Railene Hérica Carlos Rocha Araújo “Qualidade pós-colheita da alface ‘Elba’ cultivada sob pulverizações foliares à base de Spirulina platensis”, e por último vimos o projeto que faz parte do PIBIC (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica), do bolsista e orientado Adaan Sudário Dias com participação do Orientador Prof. D. Sc. Reginaldo Gomes Nobre Produção de Porta-enxertos de goiabera sob diferentes salinidades da água de irrigação e doses de nitrogênio”. .
  3. 3. 2. OBJETIVOS GERAIS O objetivo principal dessa aula foi demonstrar o quanto é importante tudo aquilo que aprendemos na teoria (Delineamentos Experimentais, ANOVA, Teste de Tukey, Shefé entre outros) e Regressão e Correlação Linear, e como funciona e é essencial na elaboração ou interpretação de diversos resultados estatísticos de projetos da vida acadêmica.
  4. 4. 3. METODOLOGIA GERAL 3.1 METODOLOGIA (I) Primeiramente fomos visitar o projeto do Prof. Dr. Francisco Hevilásio F. Pereira que tem como objetivo verificar a “Produção e Partição de massa seca em alface do grupo crespa submetida a adubação orgânica e mineral”, esse projeto foi apresentado por Pedro Jorge aluno do CCTA/UFCG e que participa do PET, segundo o mesmo o objetivo do trabalho é avaliar o desenvolvimento da alface submetido a avaliação orgânica e mineral. O Experimento foi conduzido no delineamento de blocos inteiramente casualizados e no esquema fatorial 4 x 2 , sendo 4 doses referentes aos diferentes combinações de adubos minerais e orgânicos (0%:100% ; 75%:100% ; 100%:75% ; 100%:0%) que são duas porcentagens referentes a necessidade de N e P (75% e 100% respectivamente) da cultura do alface do grupo crespa. Os dados serão submetidos a análise da variância (ANOVA) e Regressão, e Teste de Tukey a 5% de probabilidade, com o auxílio do software SISVAR.
  5. 5. 3.2 METODOLOGIA (II) O segundo projeto foi apresentado pelo aluno Odair Honorato também do grupo PET que tem como orientador o Prof. Dr. Josinaldo Lopes Araújo no presente projeto objetiva-se avaliar o efeito de extratos de nim sobre a inibição da nitrificação e sobre o crescimento, produção e nutrição nitrogenada da alface cultivada sob doses de nitrogênio. Os tratamentos serão constituídos por um arranjo fatorial 4 x 4, compreendendo 4 tratamentos de inibição da nitrificação (uréia apenas; uréia + mais extrato de folhas de nim; uréia + extrato de sementes de nim e folhas secas de nim aplicadas no solo) e 4 doses de nitrogênio (20, 200, 400 e 600 mg dm-3 ). O experimento será instalado em casa de vegetação do CCTA/UFCG, com amostras de um Neossolo Flúvico. Será empregado o delineamento experimental inteiramente casualizado com três repetições, totalizando 48 unidades experimentais. Para as doses de nitrogênio, não será utilizado a dose zero, mas sim uma dose mínima, tendo em vista a possibilidade das plantas não se desenvolverem e não produzirem material vegetal para análise. Será empregado o delineamento experimental inteiramente casualizado com três repetições, totalizando 48 unidades experimentais. Cada unidade experimental consistirá de um vaso de 3 L de solo, com um planta. Na matéria seca das folhas serão determinados os teores de nitrogênio total (N-total), nitrogênio nítrico (N-NO3 - ) e nitrogênio amoniacal (N-NH4 + ) como descrito em. Pela diferença entre os teores de N-total e N-mineral (N-NO3 - + N-NH4 + ) serão obtidos os teores de nitrogênio orgânico. Relacionando os dados de matéria seca da parte aérea com os teores das frações de nitrogênio, serão calculados os totais acumulados destas formas de nitrogênio nestes tecidos e a eficiência de utilização de nitrogênio.
  6. 6. 3.3 METODOLOGIA (III) Aqui observamos outro projeto voltado para o programa PET Orientado pela Prof. Dra. Railene Hérica Carlos Rocha Araújo “Qualidade pós-colheita da alface ‘Elba’ cultivada sob pulverizações foliares à base de Spirulina platensis”, e que tem como Orientado o aluno Jackson Silva Nóbrega , e quem nos apresentou o projeto foi o aluno Flávio Sarmento. No campo observou-se que, o experimento foi instalado em delineamento em blocos ao acaso (DBC), sendo constituído por seis tratamentos e seis blocos. As parcelas foram constituídas por 32 plantas, considerando-se 12 plantas na parcela útil, desprezando-se as bordaduras, das quais quatro serão destinadas para análise de qualidade pós-colheita, totalizando-se 24 plantas por tratamento. O plantio será feito no espaçamento 0,25 x 0,25 m, em canteiros sombreados por sombrite 50%, suspensos a altura de 1,20m do solo. Os tratamentos serão constituídos pelas concentrações 0%, 1,5%, 3%, 4,5%, 6%, e 7,5% de Spirufert, aplicadas via pulverização foliar a 1, 7, 14, 21 e 28 dias após o transplantio das mudas para o campo, considerando-se o ponto de escorrimento do produto na planta, como referência ao volume da calda. O manejo de condução da cultura será feito conforme as recomendações da legislação vigente para o cultivo de alface orgânico. Será adotado o sistema de irrigação por gotejamento, com freqüência de quatro regas diárias e duração de 15 min/rega, reduzindo-se a freqüência de irrigação em dias em dias de chuva. As análises de qualidade serão realizadas A qualidade da alface será avaliada por ocasião da colheita. Serão analisados o teor de proteína, clorofila total, acidez titulável (AT), pH, açúcares totais, sólidos solúveis (SS) e a reação SS/AT.
  7. 7. 3.4 METODOLOGIA (IV) O Quarto e último projeto que foi nos apresentado foi o do orientado e bolsista e Adaan Sudário Dias com participação do Orientador Prof. D. Sc. Reginaldo Gomes Nobre e tem como principal objetivo avaliar a “Produção de Porta-enxertos de goiabeira sob diferentes salinidades da água de irrigação e doses de nitrogênio” No presente trabalho está sendo adotado o delineamento em blocos inteiramente casualizado, arranjados em esquema fatorial 5 x 4 x 2, com quatro repetições e três plantas por parcela. Os tratamentos consistem da combinação do fator condutividade elétrica da água de irrigação (CEa), sendo estas S1 - 0,3, S2 - 1,3, S3 - 2,3, S4 - 3,3 e S5 - 4,3 dS m-1 , selecionados com base em citações de Ayers & Westcot (1999) e Cavalcante et al. (2005) e preparados mediante adição de cloreto de Na, Ca e Mg, mantendo-se uma proporção equivalente igual a 7:2:1, resp ectivamente, à água do sistema de abastecimento local. Esta proporção é comumente encontrada nas águas da região Nordeste (MEDEIROS, 1992). O fator doses de nitrogênio conforme recomendação para a cultura, identificada como N2 (100%); a primeira dose (N1) será 30% inferior a N2 e as outras doses (N3 e N4) serão, respectivamente, 30 e 60% superior a N2; e o fator genótipo onde serão estudados o ‘Crioula’ e o ‘Paluma’.
  8. 8. 4. RESULTADOS E DISCUSSÕES Percebe-se que a análise qualitativa e quantitativa dos dados apresentados é de suma importância para cada projeto, todos os projetos terão o auxílio do software SISVAR , pois a essa altura não podem haver erros de cálculo (calculadora ou humano), o uso desse software não é só essencial mas também é normalmente aceito por toda comunidade acadêmica.
  9. 9. 5. CONCLUSÕES A experimentação é um modo fundamental de produzir conhecimento no mundo contemporâneo. Como resultado final deste relatório, procurou-se enfatizar toda importância da metodologia estatística em cada projeto, percebemos que há vários tipos delineamentos nos projetos apresentados, diferenças entre testes, etc, mas vimos que independentemente do método adotado todos eles vão avaliar os dados em cima de estatísticas experimentais, logo vimos o quão a disciplina é importante na vida acadêmica. Também vimos a importância de cada delineamento experimental e entedemos que delineamento experimental é o plano utilizado para realizar o experimento. Esse plano implica na maneira como os diferentes tratamentos deverão ser distribuídos nas parcelas experimentais, e como serão analisados os dados a serem obtidos.
  10. 10. 6. BIBLIOGRAFÍA o Experimentação Agrícola - 4ª Edição - Reimpressão 2013. Autor: David Ariovaldo Banzatto e Sérgio do Nascimento Kronka Editora: Funep ISBN o Curso de Estatística Experimental Editora: FEALQAutor: Frederico Pimentel Gomes. o http://www.infoescola.com/estatistica/delineamento-em-blocos-casualizados- dbc/

×