Apostila de Contabilidade Empresarial v 300

465 visualizações

Publicada em

Apostila de Contabilidade Empresarial V 3.00

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
465
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apostila de Contabilidade Empresarial v 300

  1. 1. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 1 Sumário 1 - LEGISLAÇÃO.............................................................................................................................. 2 2 - BALANÇO PATRIMONIAL.......................................................................................................... 3 2.1 CLASSIFICAÇÃO.................................................................................................................... 4 2.1.1 - ATIVO ......................................................................................................................... 4 2.1.2 - PASSIVO...................................................................................................................... 5 2.1.3 - PATRIMÔNIO LÍQUIDO - PL ........................................................................................ 6 3 - DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO - DRE ......................................................... 8 4 - DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS - DLPA...................................... 9 5 - DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO - DMPL ................................. 10 6 - CONCEITOS E TERMINOLOGIAS ............................................................................................. 10 CADERNO DE EXERCÍCIOS: .......................................................................................................... 15
  2. 2. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 2 1 - LEGISLAÇÃO LEI No 6.404, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1976. Dispõe sobre as Sociedades por Ações, possui 300 artigos. CAPÍTULO XV Exercício Social e Demonstrações Financeiras SEÇÃO I Exercício Social Art. 175. O exercício social terá duração de 1 (um) ano e a data do término será fixada no estatuto. Parágrafo único. Na constituição da companhia e nos casos de alteração estatutária o exercício social poderá ter duração diversa. SEÇÃO II Demonstrações Financeiras Disposições Gerais Art. 176. Ao fim de cada exercício social, a diretoria fará elaborar, com base na escrituração mercantil da companhia, as seguintes demonstrações financeiras, que deverão exprimir com clareza a situação do patrimônio da companhia e as mutações ocorridas no exercício: I - balanço patrimonial; II - demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados; III - demonstração do resultado do exercício; e IV - demonstração das origens e aplicações de recursos. IV – demonstração dos fluxos de caixa; e (Redação dada pela Lei nº 11.638,de 2007) V – se companhia aberta, demonstração do valor adicionado. (Incluído pela Lei nº 11.638,de 2007) Art. Art. 186. A demonstração de lucros ou prejuízos acumulados discriminará: § 2º A demonstração de lucros ou prejuízos acumulados deverá indicar o montante do dividendo por ação do capital social e poderá ser incluída na demonstração das mutações do patrimônio líquido, se elaborada e publicada pela companhia. Ainda no Artigo 176, em seu parágrafo 4º, fica determinado que as demonstrações serão complementadas por notas explicativas e outros quadros analíticos ou demonstrações contábeis necessários para esclarecimento da situação patrimonial e dos resultados da entidade. (grifo nosso)
  3. 3. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 3 2 - BALANÇO PATRIMONIAL LEI No 6.404, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1976. SEÇÃO III Balanço Patrimonial Grupo de Contas Art. 178. No balanço, as contas serão classificadas segundo os elementos do patrimônio que registrem, e agrupadas de modo a facilitar o conhecimento e a análise da situação financeira da companhia. § 1º No ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos nelas registrados, nos seguintes grupos: I – ativo circulante; e (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) II – ativo não circulante, composto por ativo realizável a longo prazo, investimentos, imobilizado e intangível. (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) § 2º No passivo, as contas serão classificadas nos seguintes grupos: I – passivo circulante; (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) II – passivo não circulante; e (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) III – patrimônio líquido, dividido em capital social, reservas de capital, ajustes de avaliação patrimonial, reservas de lucros, ações em tesouraria e prejuízos acumulados. (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) § 3º Os saldos devedores e credores que a companhia não tiver direito de compensar serão classificados separadamente. O balanço patrimonial tem por finalidade apresentar a posição financeira e patrimonial da empresa em determinada data, representando, portanto uma posição estática (foto). COMPOSIÇÃO O balanço patrimonial é composto de três grupos básicos (Fig.1): ATIVO - Compreende os recursos controlados por uma entidade e dos quais se esperam benefícios econômicos futuros (BENS e DIREITOS) PASSIVO - Compreende as exigibilidades (OBRIGAÇÕES) PATRIMÔNIO LÍQUIDO - Representa a diferença entre o Ativo e o Passivo, ou seja, o valor líquido da empresa.
  4. 4. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 4 2.1 CLASSIFICAÇÃO Disposição das contas nos grupos: LEI No 6.404, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1976. SEÇÃO III Balanço Patrimonial Ativo Art. 179. As contas serão classificadas do seguinte modo: I - no ativo circulante: as disponibilidades, os direitos realizáveis no curso do exercício social subseqüente e as aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte; II - no ativo realizável a longo prazo: os direitos realizáveis após o término do exercício seguinte, assim como os derivados de vendas, adiantamentos ou empréstimos a sociedades coligadas ou controladas (artigo 243), diretores, acionistas ou participantes no lucro da companhia, que não constituírem negócios usuais na exploração do objeto da companhia; III - em investimentos: as participações permanentes em outras sociedades e os direitos de qualquer natureza, não classificáveis no ativo circulante, e que não se destinem à manutenção da atividade da companhia ou da empresa; IV – no ativo imobilizado: os direitos que tenham por objeto bens corpóreos destinados à manutenção das atividades da companhia ou da empresa ou exercidos com essa finalidade, inclusive os decorrentes de operações que transfiram à companhia os benefícios, riscos e controle desses bens; (Redação dada pela Lei nº 11.638,de 2007) VI – no intangível: os direitos que tenham por objeto bens incorpóreos destinados à manutenção da companhia ou exercidos com essa finalidade, inclusive o fundo de comércio adquirido. (Incluído pela Lei nº 11.638,de 2007) Parágrafo único. Na companhia em que o ciclo operacional da empresa tiver duração maior que o exercício social, a classificação no circulante ou longo prazo terá por base o prazo desse ciclo. 2.1.1 - ATIVO ATIVO - A classificação se dá em ordem decrescente de grau de liquidez (em primeiro lugar as contas mais rapidamente conversíveis em disponibilidades); iniciando com Caixa, Bancos, Contas a Receber, Estoques, etc. As contas no Ativo são dispostas em 2 grandes grupos: ATIVO CIRCULANTE e ATIVO NÃO CIRCULANTE; ATIVO CIRCULANTE: Valores realizáveis até o final do exercício seguinte; ATIVO NÃO CIRCULANTE: Valores realizáveis após o final do exercício seguinte; As contas do Ativo Não Circulante são dispostas nos grupos: Ativo Realizável a Longo Prazo; Investimentos; Imobilizado e Intangível.
  5. 5. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 5 ATIVO PASSIVO Ativo Circulante Passivo Circulante Ativo Não Circulante Passivo Não Circulante Realizável a Longo Prazo Investimentos Patrimônio Líquido Imobilizado Capital Social Intangível (-) Ações em Tesouraria Reservas de Capital Ajustes de Avaliação Patrimonial Reservas de Lucros Prejuízos Acumulados (Fig.1) LEI No 6.404, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1976. Passivo Exigível Art. 180. As obrigações da companhia, inclusive financiamentos para aquisição de direitos do ativo não circulante, serão classificadas no passivo circulante, quando se vencerem no exercício seguinte, e no passivo não circulante, se tiverem vencimento em prazo maior, observado o disposto no parágrafo único do art. 179 desta Lei. (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009) 2.1.2 - PASSIVO PASSIVO - A classificação se dá em ordem decrescente de prioridade de pagamento das exigibilidades (em primeiro lugar as contas cuja exigibilidade ocorre antes); Fornecedores, Contas a Pagar, Impostos, Salários, etc... As contas no Passivo são dispostas em 3 grandes grupos: PASSIVO CIRCULANTE; PASSIVO NÃO CIRCULANTE e PATRIMÔNIO LÍQUIDO; PASSIVO CIRCULANTE: Valores exigíveis até o final do exercício seguinte; PASSIVO NÃO CIRCULANTE: Valores exigíveis após o final do exercício seguinte; PATRIMÔNIO LÍQUIDO: É a diferença entre o valor do ATIVO e do PASSIVO, representa o Patrimônio Líquido pertencente aos sócios ou acionistas;
  6. 6. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 6 2.1.3 - PATRIMÔNIO LÍQUIDO - PL LEI No 6.404, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1976. Dispõe sobre as Sociedades por Ações, possui 300 artigos. Patrimônio Líquido Art. 182. A conta do capital social discriminará o montante subscrito e, por dedução, a parcela ainda não realizada. § 1º Serão classificadas como reservas de capital as contas que registrarem: a) a contribuição do subscritor de ações que ultrapassar o valor nominal e a parte do preço de emissão das ações sem valor nominal que ultrapassar a importância destinada à formação do capital social, inclusive nos casos de conversão em ações de debêntures ou partes beneficiárias; b) o produto da alienação de partes beneficiárias e bônus de subscrição; § 2° Será ainda registrado como reserva de capital o resultado da correção monetária do capital realizado, enquanto não-capitalizado. § 3o Serão classificadas como ajustes de avaliação patrimonial, enquanto não computadas no resultado do exercício em obediência ao regime de competência, as contrapartidas de aumentos ou diminuições de valor atribuídos a elementos do ativo e do passivo, em decorrência da sua avaliação a valor justo, nos casos previstos nesta Lei ou, em normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários, com base na competência conferida pelo § 3o do art. 177 desta Lei. (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009) § 4º Serão classificados como reservas de lucros as contas constituídas pela apropriação de lucros da companhia. § 5º As ações em tesouraria deverão ser destacadas no balanço como dedução da conta do patrimônio líquido que registrar a origem dos recursos aplicados na sua aquisição. O Patrimônio Líquido é dividido em: a) CAPITAL SOCIAL: São os valores investido pelos sócios na empresa; b) RESERVAS DE CAPITAL: São valores gerados que não transitam pelo resultado como receitas; c) AJUSTES DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL: Representam as contrapartidas de valores atribuídos a elementos do Ativo e do Passivo, em decorrência de sua avaliação a valor justo; d) RESERVAS DE LUCROS: Representam lucros retidos com finalidade específica. São classificadas em subcontas conforme sua finalidade. Reserva Legal; Reservas Estatutárias; Reservas para Contingências; Reservas de Lucros a Realizar; Reserva de Lucros para Expansão; Reservas de Incentivos Fiscais; Reserva Especial para Dividendo Obrigatório não Distribuído;
  7. 7. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 7 Reserva Legal: Esta reserva deverá ser constituída, obrigatoriamente pela companhia, com a destinação de 5% do lucro líquido do exercício, até que seu valor atinja 20% co Capital Social realizado, quando então deixará de ser acrescida. A critério da companhia poderá deixar de receber créditos, quando o saldo desta reserva, somado ao montante das Reservas de Capital, atingir 30% do Capital Social. A utilização da reserva legal está restrita à compensação de prejuízos e ao aumento do capital social. Reservas Estatutárias: Estas reservas são constituídas por determinação do estatuto da companhia. A empresa deverá criar subcontas conforme a natureza a que se refere, e com intitulação que indique sua finalidade. Ex.: Reserva para renovação de equipamentos; Reserva para pesquisas. Reserva para Contingências: Estas reserva tem como objetivo segregar uma parcela dos lucros, para cobrir prováveis perdas extraordinárias futuras, que influenciarão nos resultados. Garantindo a sociedade condições de fazer frente à situação prevista. Reservas de Lucros a Realizar: Estas reserva tem caráter opcional e seu objetivo é não distribuir dividendos obrigatórios sobre a parcela de lucros ainda não realizada financeiramente (apesar de contábil e economicamente realizada). Reservas de Lucros para Expansão: A critério da companhia esta pode reter parcela do lucro líquido do período para custear projetos de investimento e expansão. Esses projetos devem estar previsto no planejamento orçamentária da entidade e ser previamente aprovados. Conforme os projetos forem sendo executados ou se mostrarem inviáveis esta reserva deve ser revertida contra a reservas de lucros ou prejuízos acumulados. Reservas de Incentivos Fiscais: A companhia pode destinar para a reserva de incentivos fiscais a parcela do lucro líquido decorrente de doações ou subvenções governamentais para investimentos, que poderá ser excluída da base de cálculo do dividendo obrigatório. Reserva Especial para Dividendo Obrigatório não Distribuído: A administração pode destinar a reserva especial os dividendos obrigatórios que não puderem ser distribuído no exercício devido a situação financeira da companhia e assim que possível deverão ser pagos aos acionistas ou serem utilizados para absorver prejuízos dos exercícios subsequentes.
  8. 8. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 8 e) AÇÕES ou QUOTAS em TESOURARIA (CAPITAL A INTEGRALIZAR): Representam as ações da companhia que são adquiridas por ela própria. Devem ser registradas em conta própria, redutora do Patrimônio Líquido. f) PREJUÍZOS ACUMULADOS: Representam os resultados negativos gerados pela empresa. Devem ser compensados nos próximos exercícios. 3 - DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO - DRE LEI No 6.404, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1976. Dispõe sobre as Sociedades por Ações, possui 300 artigos. SEÇÃO V Demonstração do Resultado do Exercício Art. 187. A demonstração do resultado do exercício discriminará: I - a receita bruta das vendas e serviços, as deduções das vendas, os abatimentos e os impostos; II - a receita líquida das vendas e serviços, o custo das mercadorias e serviços vendidos e o lucro bruto; III - as despesas com as vendas, as despesas financeiras, deduzidas das receitas, as despesas gerais e administrativas, e outras despesas operacionais; IV – o lucro ou prejuízo operacional, as outras receitas e as outras despesas; (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009) V - o resultado do exercício antes do Imposto sobre a Renda e a provisão para o imposto; VI – as participações de debêntures, empregados, administradores e partes beneficiárias, mesmo na forma de instrumentos financeiros, e de instituições ou fundos de assistência ou previdência de empregados, que não se caracterizem como despesa; (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009) VII - o lucro ou prejuízo líquido do exercício e o seu montante por ação do capital social. § 1º Na determinação do resultado do exercício serão computados: a) as receitas e os rendimentos ganhos no período, independentemente da sua realização em moeda; e b) os custos, despesas, encargos e perdas, pagos ou incorridos, correspondentes a essas receitas e rendimentos. DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO (DRE) O conteúdo da Demonstração do Resultado do Exercício deve ser apresentada de forma dedutiva, com os detalhes necessários das receitas, despesas,
  9. 9. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 9 ganhos e perdas e definindo claramente o lucro ou prejuízo líquido do exercício. A DRE é subdividida em tópicos: Receita Líquida; Resultado Operacional Bruto; Resultado Operacional antes do IR/CSL; Lucro Líquido Antes das Participações e o Resultado Líquido do Exercício. 4 - DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS - DLPA LEI No 6.404, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1976. Dispõe sobre as Sociedades por Ações, possui 300 artigos. SEÇÃO IV Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados Art. 186. A demonstração de lucros ou prejuízos acumulados discriminará: I - o saldo do início do período, os ajustes de exercícios anteriores e a correção monetária do saldo inicial; II - as reversões de reservas e o lucro líquido do exercício; III - as transferências para reservas, os dividendos, a parcela dos lucros incorporada ao capital e o saldo ao fim do período. § 1º Como ajustes de exercícios anteriores serão considerados apenas os decorrentes de efeitos da mudança de critério contábil, ou da retificação de erro imputável a determinado exercício anterior, e que não possam ser atribuídos a fatos subseqüentes. § 2º A demonstração de lucros ou prejuízos acumulados deverá indicar o montante do dividendo por ação do capital social e poderá ser incluída na demonstração das mutações do patrimônio líquido, se elaborada e publicada pela companhia. A DLPA destina-se a evidencia, num determinado período, as alterações nos resultados da entidade. Demonstra a movimentação ocorrida na conta Prejuízos Acumulados, revelando os eventos que influenciaram as alterações no seu saldo.
  10. 10. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 10 5 - DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO - DMPL DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO (DMPL) Evidencia a mutação do patrimônio líquido em termos gerais, ou seja, de todas as contas que o compõe. Demonstra a movimentação ocorrida em todas as contas do patrimônio líquido, revelando os eventos que influenciaram as alterações nos seus saldos. 6 - CONCEITOS E TERMINOLOGIAS DIVIDENDOS Uma empresa deve dividir os lucros com seus acionistas. Essa parcela direcionada aos detentores de ações é conhecida como dividendo. Ou seja, os dividendos correspondem à parcela de lucro distribuída aos acionistas, na proporção da quantidade de ações detida, apurado ao fim de cada exercício social. O estatuto social de uma companhia pode estabelecer o dividendo mínimo a ser distribuído, desde que não seja inferior a 25% de seu lucro líquido ajustado. Caso não haja previsão no estatuto social, o dividendo obrigatório deve corresponder, no mínimo, à metade do lucro líquido ajustado. Quando uma empresa vai bem, ela divide os lucros com quem tem suas ações. Isso são dividendos. Ações Preferenciais e distribuição de dividendos A Lei das S.A. permite que uma sociedade emita ações preferenciais, que podem ter seu direito de voto suprimido ou restrito, por disposição do estatuto social da companhia. Em contrapartida, tais ações deverão receber uma vantagem econômica em relação às ações ordinárias. A lei permite, ainda, que as companhias abertas tenham várias classes de ações preferenciais, que conferirão a seus titulares vantagens diferentes entre si.
  11. 11. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 11 Neste caso, os titulares de tais ações poderão comparecer às Assembleias Gerais da companhia, bem como opinar sobre as matérias objetos de deliberação, mas não poderão votar. As vantagens econômicas a serem conferidas às ações preferenciais em troca dos direitos políticos suprimidos, conforme dispõe a Lei, poderão consistir em prioridade de distribuição de dividendo, fixo ou mínimo, prioridade no reembolso do capital, com prêmio ou sem ele, ou a cumulação destas vantagens.
  12. 12. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 12 Exemplos de Contas Contábeis Contas Balanço Patrimonial DRE ATIVO PASSIVO DESPESA RECEITA Abatimentos de Vendas X Ações de Outras Empresas Investimentos Aplicações Financeiras de Longo Prazo Realizável a LP Banco c/Movimento Circulante Caixa Circulante Capital Social Patrimônio Líquido Clientes Circulante Contas a Receber de Longo Prazo Realizável a LP Custo das Mercadorias Vendidas X Custo dos Produtos Vendidos X Custo dos Serviços Prestados X Depreciação Acumulada Imobilizado Descontos Incondicionais s/Vendas X Despesa c/Provisão para CSLL X Despesa c/Provisão para Imposto de Renda X Despesa Financeira X Despesas com Combustível X Despesas com Energia Elétrica X Despesas com Material de Escritório X Despesas com Salários X Despesas com Telefone do Escritório X Despesas de Expedição X Despesas de Vendas X Despesas Pagas Antecipadamente Circulante Devolução de Vendas X Duplicata Descontada Circulante Duplicatas a Pagar Circulante Empréstimo Bancários de Curto Prazo Circulante Empréstimo Bancários de Longo Prazo Exigível a LP Estoques Circulante Financiamentos Bancários de Longo Prazo Exigível a LP
  13. 13. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 13 Contas Balanço Patrimonial DRE ATIVO PASSIVO DESPESA RECEITA Fornecedores Circulante Fretes s/Vendas de Mercadorias X ICMS a Recolher Circulante Imóvel Sede da Empresa Imobilizado Impostos a Pagar Circulante Impostos s/Serviços Prestados X Impostos s/Vendas X Lucros Acumulados Patrimônio Líquido Máquinas e Equipamentos Imobilizado Marcas e Patentes Intangível Movéis e Utensílios Imobilizado Outras Despesas X Outras Receitas X Provisão p/Devedores Duvidosos Circulante Provisão para CSLL a Pagar Circulante Provisão para Imposto de Renda a Pagar Circulante Receita com Prestação de Serviços X Receita Financeira X Reserva de Capital Patrimônio Líquido Reserva de Lucros Patrimônio Líquido Reserva para Contingências Patrimônio Líquido Salários a pagar Circulante Seguros a Vencer Circulante Veículos de Uso Imobilizado Venda de Imobilizado X Venda de Mercadorias X Venda de Produtos X
  14. 14. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 14 Fontes: http://www.bmfbovespa.com.br/Pdf/ConceitosFundamentais.pdf FIPECAFI - Manual de Contabilidade Societária, Ano 2010 http://www.portaldoinvestidor.gov.br/menu/Menu_Investidor/acionistas/participa cao_nos_resultados.html http://www.portaldecontabilidade.com.br/ LEI nº 6.404 de 15 de dezembro de 1976 - Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6404consol.htm
  15. 15. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 15 CADERNO DE EXERCÍCIOS: Com base nas informações apresentadas abaixo, elaborem o Balanço Patrimonial, a Demonstração de Resultados do Exercício (DRE), a DLPA e a DMPL : CONTAS VALOR Venda Bruta 12.000,00 Estoques 2.000,00 Móveis e Utensílios 1.500,00 Despesa Financeira 374,88 Impostos a Pagar 325,10 Fornecedores 1.831,90 Receita Financeira 35,20 Provisão p/Devedores Duvidosos 90,00 Devolução de Vendas 500,00 Outras Receitas 15,84 Custo dos Produtos Vendidos 6.800,00 Depreciação Acumulada 260,04 Empréstimo Bancários de Longo Prazo 254,76 Capital Social 5.000,00 Abatimentos de Vendas 120,00 Despesas com Telefone do Escritório 130,00 Despesas Pagas Antecipadamente 27,72 Lucros Acumulados 500,00 Caixa 254,50 Diferido 160,60 Despesas de Expedição 138,60 Outras Obrigações 231,00 Impostos s/Vendas 3.155,50 Aplicações Financeiras de Longo Prazo 170,28 Duplicata Descontada 384,12 Empréstimo Bancários de Curto Prazo 87,12 Investimentos 95,04 Outras Despesas 25,08 Clientes 5.380,72 Reserva de Lucros 147,84 Despesa c/Provisão de Imposto de Renda e CSLL 248,16 Financiamentos Bancários de Longo Prazo 244,20 Despesas de Vendas 326,04
  16. 16. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 16 1º Passo: Elabore um balancete de verificação e Identifique o que é conta patrimonial e o que é conta de resultado; CONTAS DÉBITO CRÉDITO TIPO DE CONTA Venda Bruta Estoques Móveis e Utensílios Despesa Financeira Impostos a Pagar Fornecedores Receita Financeira Provisão p/Devedores Duvidosos Devolução de Vendas Outras Receitas Custo dos Produtos Vendidos Depreciação Acumulada Empréstimo Bancários de Longo Prazo Capital Social Abatimentos de Vendas Despesas com Telefone do Escritório Despesas Pagas Antecipadamente Lucros Acumulados Caixa Intangível Despesas de Expedição Outras Obrigações Impostos s/Vendas Aplicações Financeiras de Longo Prazo Duplicata Descontada Empréstimo Bancários de Curto Prazo Investimentos Outras Despesas Clientes Reserva de Lucros Despesa c/Provisão de I.Renda e CSLL Financiamentos Bancários de Longo Prazo Despesas de Vendas TOTAIS
  17. 17. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 17 2º Passo: Elaborar a DRE com base nos dados levantados no 1º passo: DRE - DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO RECEITA OPERACIONAL BRUTA Vendas de Produtos (-) DEDUÇÕES DA RECEITA BRUTA Devoluções de Vendas Abatimentos Impostos e Contribuições Incidentes sobre Vendas = RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA (-) CUSTOS DAS VENDAS Custo dos Produtos (CPV) = RESULTADO OPERACIONAL BRUTO (-) DESPESAS OPERACIONAIS Despesas Com Vendas Despesas Administrativas (-) DESPESAS FINANCEIRAS LÍQUIDAS Despesas Financeiras (-) Receitas Financeiras OUTRAS RECEITAS E DESPESAS Outras Receitas/Despesas = RESULTADO OPERACIONAL antes do IR e da CSLL (-) Provisão para IR e CSLL = LUCRO LÍQUIDO ANTES DAS PARTICIPAÇÕES (=) RESULTADO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO
  18. 18. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 18 3º Passo: Elaborar o Balanço Patrimonial com base nos dados levantados: ATIVO PASSIVO
  19. 19. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 19 4º Passo: Elaborar a DLPA com base nos dados levantados: MODELO DEMONSTRAÇÃO DOS LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS EM 31/12/X2 DISCRIMINAÇÃO Valores Saldo de Lucros Acumulados do Exercício anterior (31/12/X1) (+/-) Ajustes de Exercícios Anteriores (+) Lucro líquido do exercício (=) Lucro Total Disponível (-) Destinação do Lucro: a. Reserva Legal b. Reserva Estatutária c. Reserva para Contingência d. Reserva Orçamentária e. Reserva de Lucros a Realizar (-) Dividendos a Distribuir Saldo de Lucros Acumulados do Final do Exercício (31/12/X2)
  20. 20. ARARUAMA Apostila:CONTABILIDADEEMPRESARIAL-Versão3.00Prof.:CÉSARVENTURA Pág.20 5ºPasso:ElaboraraDMPLcombasenosdadoslevantados: OscomponentesemlinhaverticalsãoosmesmosdaDLPA.Nalinhahorizontaldoquadroserãoconsignadososelementoscomponentesdopatrimôniolíquido. DEMONSTRAÇÃODASMUTAÇÕESDOPATRIMÔNIOLÍQUIDO DOEXERCÍCIOFINDOEM31.12.X2EMR$ Histórico Capital Realizado RESERVASDE CAPITAL RESERVASDELUCROSLucros Acumulados Total Ágiona Emissãode Ações Sub-venções paraInves- timentos ReservaPara Contingência Reserva Estatutária Reserva Legal Saldoem31.12.x1 AjustesdeExercíciosAnteriores: efeitosdemudançadecritérioscontábeis retificaçãodeerrosdeexercícios anteriores AumentodeCapital: comlucrosereservas porsubscriçãorealizada ReversõesdeReservas: decontingências delucrosarealizar LucroLíquidodoExercício: PropostadaAdministraçãode DestinaçãodoLucro: Transferênciasparareservas Reservalegal Reservaestatutária Reservadelucrosparaexpansão Reservadelucrosarealizar Dividendosadistribuir(R$...poração) Saldoem31.12.X2
  21. 21. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 21 Trabalho - Entregar em : 12/11 Pesquisar em Jornais, Internet ou qualquer outro tipo de publicação, um Balanço Patrimonial e DRE - Demonstração do Resultado do Exercício, do Período de 2013 ou 2014 de qualquer empresa ou instituição. (Balanço Real) Realizar comentário sobre todas as contas encontradas no Balanço e na DRE, detalhando de forma sucinta a sua função. CADERNO DE EXERCÍCIOS 1) Qual o tempo de duração do exercício social e quando inicia e termina? _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ 2) Quais as demonstrações financeiras devem ser apresentadas ao final de cada exercício? _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ 3) O que representam as contas do grupo do Ativo e em quais grupos e subgrupos estão divididas? _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
  22. 22. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 22 4) O que representam as contas do grupo do Passivo e em quais grupos e subgrupos estão divididas? _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ 5) Qual a finalidade do Balanço Patrimonial? _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ 6) Que tipo de contas são classificadas no grupo do Circulante? _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ 7) Que tipo de contas são classificadas no grupo do Não Circulante? _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________
  23. 23. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 23 8) Classifique as contas abaixo em (A) Ativo, (P) Passivo e (PL) Patrimônio Líquido: ( ) Duplicatas a Receber ( ) Financiamentos a pagar ( ) Reservas de lucro ( ) Intangível ( ) Fornecedores ( ) Aplicações Financeiras ( ) Estoques de Produtos ( ) Móveis e Utensílios ( ) Caixa ( ) Estoques de mercadoria ( ) Impostos a recolher ( ) Clientes ( ) Duplicatas a pagar ( ) Depreciação Acumulada ( ) Instalações ( ) Títulos a pagar ( ) Reservas de capital ( ) Salários a pagar ( ) Máquinas e Equipamentos ( ) Empréstimos a pagar ( ) Duplicatas Descontadas ( ) Provisão para Devedores Duvidosos ( ) Capital Social ( ) Bancos Conta Movimento 9) Elabore um Balancete de Verificação com as contas informadas abaixo: Descrição Valor Caixa 250.000,00 Salários a pagar 12.230,00 Depreciação Acumulada 3.254,00 Duplicatas a receber 14.452,00 Capital Social 110.000,00 Veículos para Uso da Empresa 65.000,00 Aplicação Financeira 15.000,00 Financiamentos a Pagar (Longo Prazo) 125.000,00 Reservas de Lucros 12.335,00 Bancos Conta Movimento 13.250,00 Títulos a Receber (Longo Prazo) 6.520,00 Fornecedores a Pagar 86.000,00 Estoques de Mercadorias 95.000,00 Máquinas e Equipamentos (Uso da Empresa) 32.000,00 Impostos a pagar 25.486,00 Duplicatas descontadas 5.000,00 Empréstimos a pagar 111.917,00
  24. 24. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 24 10) Monte um Balanço Patrimonial com os dados abaixo: Contas Patrimoniais Valores Capital Social 10.000,00 Investimetos 3.000,00 Fornecedores 1.200,00 Duplicatas a Receber 5.000,00 Intangível 2.000,00 Salários a Pagar 400,00 Prejuízos Acumulados 1.000,00 Empréstimos de Longo Prazo 8.000,00 Caixa 5.000,00 Bancos Conta Movimento 1.400,00 Móveis e Utensílios 6.000,00 Depreciação Acumulada 1.500,00 Impostos a Pagar 2.300,00 BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO
  25. 25. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 25 11) Elabore um Balancete de Verificação, o Balanço Patrimonial e a DRE - Demonstração do Resultado do Exercício com as contas informadas abaixo: CONTAS VALOR Aplicações Financeiras de Longo Prazo 1.145,00 Banco c/Movimento 7.944,64 Caixa 2.448,24 Capital Social 10.000,00 Clientes 8.680,30 Custo das Mercadorias Vendidas 8.350,00 Custo dos Serviços Prestados 652,00 Depreciação Acumulada 836,00 Descontos Incondicionais s/Vendas 350,00 Despesa c/Provisão de Imposto de Renda e CSLL 845,60 Despesa Financeira 154,32 Despesas com Energia Elétrica 856,30 Despesas com Telefone do Escritório 550,00 Despesas Pagas Antecipadamente 125,80 Devolução de Vendas de Mercadoria 450,00 Duplicata Descontada 845,00 Empréstimo Bancários de Curto Prazo 1.452,63 Empréstimo Bancários de Longo Prazo 1.548,30 Estoques de Mercadorias 5.500,00 Financiamentos Bancários de Longo Prazo 1.258,30 Fornecedores 5.336,10 Fretes s/Vendas de Mercadorias 485,60 ICMS a Pagar 1.236,20 Impostos s/Serviços Prestados 645,36 Impostos s/Vendas 4.523,63 Intangível 954,60 Investimentos 1.105,00 Móveis e Utensílios 3.500,00 Outras Despesas 125,00 Outras Receitas 366,20 Provisão p/Devedores Duvidosos 1.250,00 Receita com Prestação de Serviços 2.500,00 Receita com Venda de Mercadorias 18.500,00 Receita Financeira 324,36 Reserva de Capital 850,00 Reserva para Contingências 1.636,30 Salários a pagar 1.452,00
  26. 26. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 26 12) Elabore a DLPA - Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados do exercício encerrado em 31/12/2013, a partir das informações abaixo: Patrimônio Líquido da ABC Exemplo Ltda em 31/12/2012 Capital Social 11.800,00 Reserva Legal 2.155,00 Reserva Estatutária 1.000,00 Reserva de Contingência 500,00 Reserva Orçamentária 400,00 Reserva de Lucros à Realizar 600,00 Reserva de Lucros 800,00 Total do PL: 17.255,00 a) O lucro líquido apurado na DRE - Demonstração do Resultado do Exercício de 31/12/2013 foi de R$ 6.500,00; b) Foi detectado um erro na escrituração contábil do exercício de 2012, quando deixou de ser considerado uma despesa de Material de Consumo no valor de R$ 150,00; c) O Estatuto da entidade determina que seja apropriado anualmente 10% do lucro líquido para fins de Pesquisa de Novos Produtos; d) Uma proposta da administração, aprovada, prevê que seja apropriado 7% do lucro líquido para fins de Reserva, com a finalidade de cobrir futuros gastos com o fechamento da Filial do Japão; e) Uma proposta da administração, aprovada, prevê que seja apropriado 6% do lucro líquido para fins de Reserva, com a finalidade de sustentar o ciclo operacional da empresa no próximo exercício, conforme orçamento a ser executado; f) As operações de vendas, ocorridas no exercício de 2013, cujo efetivo recebimento só se dará a longo prazo, verificou-se o montante do lucro de R$ 1.300,00; g) Embora não haja menção no Estatuto da entidade sobre a parcela do lucro a ser distribuído a administração determinou que fosse realizada a distribuição da importância de R$ 1.200,00; h) Faça a demonstração dos saldos das contas do Patrimônio Líquido em 31/12/2013;
  27. 27. A R A R U A M A Apostila : CONTABILIDADE EMPRESARIAL - Versão 3.00 Prof.: CÉSAR VENTURA Pág. 27 13) Elabore a DLPA - Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados do exercício encerrado em 31/12/2014, a partir das informações abaixo: Patrimônio Líquido da XYZ Exemplo Ltda em 31/12/2013 Capital Social 20.000,00 Reserva Legal 3.000,00 Reserva Estatutária 1.000,00 Reserva de Contingência 500,00 Reserva Orçamentária 400,00 Reserva de Lucros 1.000,00 Total do PL: 25.900,00 a) O lucro líquido apurado na DRE - Demonstração do Resultado do Exercício de 31/12/2013 foi de R$ 25.500,00; b) Foi detectado um erro na escrituração contábil do exercício de 2012, quando deixou de ser considerado uma receita líquida no valor de R$ 500,00; c) O Estatuto da entidade determina que seja apropriado anualmente 5% do lucro líquido para fins de Pesquisa de Novos Produtos; d) Uma proposta da administração, aprovada, prevê que seja apropriado 2% do lucro líquido para fins de Reserva, com a finalidade de cobrir futuros gastos com Processos Judiciais; e) Uma proposta da administração, aprovada, prevê que seja apropriado 3% do lucro líquido para fins de Reserva, com a finalidade de sustentar o ciclo operacional da empresa no próximo exercício, conforme orçamento a ser executado; f) As operações de vendas, ocorridas no exercício de 2014, cujo efetivo recebimento só se dará a longo prazo, verificou-se o montante do lucro de R$ 1.500,00; g) Existe menção no Estatuto da entidade que a parcela do lucro a ser distribuído será de no mínimo 40% do Lucro Líquido, já deduzido as reservas. A administração determinou que, neste exercício, fosse realizada a distribuição da importância de R$ 9.200,00; h) Faça a demonstração dos saldos das contas do Patrimônio Líquido em 31/12/2014;

×