SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Infecção do Trato Urinário 
Discente: Cristine Maia 
CESUPA - 2014
• CONCEITO 
“ Colonização bacteriana da urina que RESULTA em 
infecção das estruturas do aparelho urinário” 
Criança: complicações agudas e crônicas
• EPIDEMIOLOGIA 
- Primeiros meses de 
vida – ITU é 
infecção mais 
comum 
- 3,3% dos lactentes 
febris s/ outros 
sintomas – ITU? 
- 1 ano de vida: H 4:1 
- > 1 ano (5): M 10:1 
- Adultos: M>H 
- Gestantes 
- Idosos 1:1
• ETIOLOGIA 
- Hospitalar: Klebsiella spp., Proteus spp., Pseudomonas 
spp., Enterobacter spp., estafilococos e enterococos; 
- Cistite em mulheres sexualmente ativas: S. saprophyticus; 
- D.M , uso ATB amplo espectro e internados: fungos 
- SVF por >30 dias: Polimicrobiana e gram - atípicos
• PATOGÊNESE 
- Via Ascendente 
- Via Hematogênica (S. aureus) neonatal (bacteremia) 
- Via Linfática ( pressão vesical ) 
Fatores de defesa: “clearance bacteriano”, PH urinário 
(6), lisozimas, mucosa vesical, fagocitose... 
Fatores de risco: sexo F, atividade sexual, não 
circuncisão, anomalias anatômicas, gravidez, diabetes, 
RVU, bexiga neurogênica, uropatia obstrutiva...
• DETERMINANTES DA INFECÇÃO 
- Virulência do Agente (P fímbrias, hemolisinas, aerobactinas..)
RECÉM NASCIDO LACTENTES (1m – 2 anos) 
Quadro sepse e toxemia 
(HIPOTERMIA+ GANHO 
PONDERAL INSUF+ SUCÇÃO 
DÉBIL+ VÔMITOS+ DISTENSÃO 
ABD+ DIARRÉIA+ 
IRRITABILIDADE+ 
HIPOATIVIDADE+ CONVULSÓES 
Quadro inespecífico 
FEBRE (às vezes único sintoma) + 
GANHO POND-ESTAT INSUF + 
RECUSA ALIM + VOM + 
DIARRÉIA+ DOR ABOMINAL 
PRÉ-ESCOLARES E ESCOLARES ADOLESCENTE 
DISÚRIA+ POLACIÚRIA+ 
URGÊNCIA MICCIONAL+ 
INCONTINÊNCIA OU RETENÇÃO 
URINÁRIA+ ENURESE+ DOR 
SUPRA-PÚBICA+ URINA TURVA 
OU FÉTIDA – CISTITE 
FEBRE+ CALAFRIOS+ DL + 
VÔMITO - PIELONEFRITE 
DISÚRIA+ POLACIÚRIA+ 
URGÊNCIA MICCIONAL + 
HEMATÚRIA. 
Início das ativ. Sexuais nas M pode 
ser acompanhado de SURTOS ITU 
• QUADRO CLÍNICO
• QUADRO CLÍNICO 
ITU BAIXA (CISTITE / URETRITE) 
Sintomas restritos ao trato urinário: DISÚRIA+ POLACIÚRIA+ 
URGÊNCIA MICCIONAL+ INCONTINÊNCIA URINÁRIA+ 
TENESMO+ DOR SUPRA-PÚBICA+ ALTERAÇÃO COR, ODOR E 
VOLUME DA URINA 
SE FEBRE – FEBRE BAIXA 
BOM ESTADO GERAL, VHS E PCR NORMAIS 
ITU ALTA (PIELONEFRITE) 
ESTADO INFECCIOSO MAIS ACENTUADO 
TRÍADE: FEBRE ALTA + CALAFRIOS + DOR LOMBAR 
MAL ESTAR+ VÔMITOS+ SINTOMAS URINÁRIOS 
Mulheres: Ex ginecológico 
Homem: Ex genital e toque retal
• DIAGNÓSTICO 
1. Anamnese (USG morfológico fetal- hidronefrose, 
megaureter, rins policísticos, alteração SNC...) 
2. Exame físico: Inspeção (jato urinário/ anatomia/ 
descartar balanopostite e vulvovaginites) , Palpação, 
Percussão da loja renal,. 
3. Exames complementares- Pediátricos (SEMPRE) e 
confirmação diagnóstica com UROCULTURA
• DIAGNÓSTICO 
 Exames Urinários 
- Espontâneo 
- Saco coletor (30/30 min) 
- Cateterismo vesical 
- Punção supra-púbica (coleta gerar dúvida) 
URINA EAS 
- Densidade urinária ; – pH (alcalino = ITU por Proteus); - Hematúria; - 
Nitrito + (bact gram -); - Piúria, -Cilindros piocitários (sugere fort pielo) 
BACTERIOSCOPIA URINÁRIA 
Corada pelo método de GRAM 
UROCULTURA c/ antibiograma 
Confirma diagnóstico de ITU
• DIAGNÓSTICO 
 Critérios de Bacteriúria (crianças/ adulto) 
Método de coleta ITU 
Jato médio ≥ 105 UFC/ml de um único patógeno = ITU confirmada 
≥ 104 de um único patógeno em cça sintom = ITU 
provável – solicitar nova amostra! 
ADULTO 
-Pacientes assintomáticos: > 105 UFC/ml (2 amostras); 
-Homens sintomáticos: ≥ 103 UFC/ml 
-Mulheres sintomáticas: ≥ 102 UFC/ml 
PSP Qualquer cresc bacteriano = ITU confirmada 
Cateterismo vesical ≥ 103 de um único patógeno = ITU confirmada 
≥ 102 adulto (ITU confirmada) 
>103 assintomático (2 amostras) 
Saco coletor (criança) Cultura (-) = ausência de ITU 
≥ 105 de um único patógeno = ITU provável
• DIAGNÓSTICO DE ITU SINTOMÁTICA 
- ITU baixa 
Mulher: SOMENTE quadro clínico 
Homem: Quadro clínico + urocultura 
- ITU alta: SEMPRE solicitar urocultura e Hemocultura (em caso 
de internação) 
- Pediatria: Exame de imagem 
 USR (fase aguda- de escolha p/ início investigação) 
 UCM c/ Rx simples de coluna (urina estéril – classifica o grau 
de RVU) 
 Urografia Excretora (utiliza muito contraste iodado) 
 Cintigrafia (Tc) – DMSA (estática) / DTPA (dinâmica) 
 Estudo Urodinâmico
• COMPLICAÇÕES 
- ITU baixa 
 Persistência (urocultura persistente +) 
 Recaída (mesmo agente) 
 Reinfecção (diferente agente) 
 Cistite enfisematosa (DM) 
- ITU alta 
 Sepse (lactentes, idosos, imunodeprimidos, DM) 
 Abscesso intra-renal 
 Abscesso perinefrético 
 Obstrução urinária 
 Necrose da papila renal 
 Pielonefrite crônica e xantogranulomatosa
• TRATAMENTO 
- Todos sintomáticos 
- Bacteriúria assintomática em alguns grupos: 
 Gestante 
 Pré-op cirurgia que irão precisar de cateterismo vesical 
 Transplante renal (prim 3 meses) 
 Infecção por Proteus mirabilis 
 Infecção por Proteus spp. ou Providencia spp. em 
pacientes com cateter vesical + B. neurogênica 
 Crianças
• TRATAMENTO 
- Agente etiológico mais prevalente e urocultura 
- Melhora em 24-48h 
- Resistência maior em 
 uso prévio de ATB 
 ITU hospitalar 
 ITU complicada 
- Bexiga neurogênica 
- IRC 
- Anemia falciforme 
- Doença policística renal 
- Gravidez
3 -5 dias 
Hipotensão arterial, vômitos intensos, febre 
com tremores,
Infecção do trato urinário
Infecção do trato urinário

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Rins - Apresentação
Rins - ApresentaçãoRins - Apresentação
Rins - ApresentaçãoCíntia Costa
 
Infecção do Trato Urinário na Infância (ITU)
Infecção do Trato Urinário na Infância (ITU)Infecção do Trato Urinário na Infância (ITU)
Infecção do Trato Urinário na Infância (ITU)Laped Ufrn
 
Semiologia do aparelho urinário
Semiologia do aparelho urinárioSemiologia do aparelho urinário
Semiologia do aparelho urináriopauloalambert
 
Propedeutica abdominal l
Propedeutica abdominal lPropedeutica abdominal l
Propedeutica abdominal lpauloalambert
 
Sintomas e exame físico do aparelho urinário
Sintomas e exame físico do aparelho urinário Sintomas e exame físico do aparelho urinário
Sintomas e exame físico do aparelho urinário Paulo Alambert
 
Náuseas e vômitos-Prof.Alambert
Náuseas e vômitos-Prof.AlambertNáuseas e vômitos-Prof.Alambert
Náuseas e vômitos-Prof.Alambertpauloalambert
 
Porto exame clinico (roteiros) - 7 ª ed
Porto    exame clinico (roteiros) - 7 ª edPorto    exame clinico (roteiros) - 7 ª ed
Porto exame clinico (roteiros) - 7 ª edInglid Fontoura
 
Aparelho geniturinário e exame físico
Aparelho geniturinário e exame físicoAparelho geniturinário e exame físico
Aparelho geniturinário e exame físicoAlinny Cunha
 
A técnica citológica de papanicolaou
A técnica citológica de  papanicolaouA técnica citológica de  papanicolaou
A técnica citológica de papanicolaouJaqueline Almeida
 
Propedeutica das hemorragias digestivas
Propedeutica das hemorragias digestivasPropedeutica das hemorragias digestivas
Propedeutica das hemorragias digestivasPaulo Alambert
 

Mais procurados (20)

Rins - Apresentação
Rins - ApresentaçãoRins - Apresentação
Rins - Apresentação
 
Infecção do Trato Urinário na Infância (ITU)
Infecção do Trato Urinário na Infância (ITU)Infecção do Trato Urinário na Infância (ITU)
Infecção do Trato Urinário na Infância (ITU)
 
Ascite
Ascite Ascite
Ascite
 
Bioquímica
BioquímicaBioquímica
Bioquímica
 
Aula Litíase Renal
Aula Litíase Renal Aula Litíase Renal
Aula Litíase Renal
 
Itu de re..
Itu de re..Itu de re..
Itu de re..
 
Cateterismo vesical
Cateterismo vesicalCateterismo vesical
Cateterismo vesical
 
Semiologia do aparelho urinário
Semiologia do aparelho urinárioSemiologia do aparelho urinário
Semiologia do aparelho urinário
 
Abdome agudo
Abdome agudoAbdome agudo
Abdome agudo
 
Propedeutica abdominal l
Propedeutica abdominal lPropedeutica abdominal l
Propedeutica abdominal l
 
Sintomas e exame físico do aparelho urinário
Sintomas e exame físico do aparelho urinário Sintomas e exame físico do aparelho urinário
Sintomas e exame físico do aparelho urinário
 
Atenção às Mulheres com HIV no Parto e Puerpério
Atenção às Mulheres com HIV no Parto e PuerpérioAtenção às Mulheres com HIV no Parto e Puerpério
Atenção às Mulheres com HIV no Parto e Puerpério
 
Náuseas e vômitos-Prof.Alambert
Náuseas e vômitos-Prof.AlambertNáuseas e vômitos-Prof.Alambert
Náuseas e vômitos-Prof.Alambert
 
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo UterinoColeta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
 
Porto exame clinico (roteiros) - 7 ª ed
Porto    exame clinico (roteiros) - 7 ª edPorto    exame clinico (roteiros) - 7 ª ed
Porto exame clinico (roteiros) - 7 ª ed
 
Aparelho geniturinário e exame físico
Aparelho geniturinário e exame físicoAparelho geniturinário e exame físico
Aparelho geniturinário e exame físico
 
Aula sinais vitais
Aula sinais vitaisAula sinais vitais
Aula sinais vitais
 
Urgência e Incontinência Urinária
Urgência e Incontinência UrináriaUrgência e Incontinência Urinária
Urgência e Incontinência Urinária
 
A técnica citológica de papanicolaou
A técnica citológica de  papanicolaouA técnica citológica de  papanicolaou
A técnica citológica de papanicolaou
 
Propedeutica das hemorragias digestivas
Propedeutica das hemorragias digestivasPropedeutica das hemorragias digestivas
Propedeutica das hemorragias digestivas
 

Destaque

Infecções do trato urinário
Infecções do trato urinárioInfecções do trato urinário
Infecções do trato urinárioDiana Almeida
 
Infecção do trato urinário em uti
Infecção do trato urinário em utiInfecção do trato urinário em uti
Infecção do trato urinário em utiEduardo Tibali
 
Infecção do trato urinário
Infecção do trato urinárioInfecção do trato urinário
Infecção do trato urináriorodsilva2013
 
Infecção Urinária - Pediatria
Infecção Urinária - PediatriaInfecção Urinária - Pediatria
Infecção Urinária - PediatriaDany Romeira
 
Cuidados aos pacientes com distúbios urinários e renal
Cuidados aos pacientes com distúbios urinários e renalCuidados aos pacientes com distúbios urinários e renal
Cuidados aos pacientes com distúbios urinários e renalroberta55dantas
 
Infecção do Trato Urinário na Gravidez
Infecção do Trato Urinário na GravidezInfecção do Trato Urinário na Gravidez
Infecção do Trato Urinário na GravidezFrancisco Doria
 
Itu
ItuItu
Itutvf
 
DiagnóStico E Tratamento Das InfecçõEs Genito UrináRias
DiagnóStico E Tratamento Das InfecçõEs Genito UrináRiasDiagnóStico E Tratamento Das InfecçõEs Genito UrináRias
DiagnóStico E Tratamento Das InfecçõEs Genito UrináRiaschirlei ferreira
 
A insuficência renal e assistência de enfermagem
A insuficência renal e assistência de enfermagem A insuficência renal e assistência de enfermagem
A insuficência renal e assistência de enfermagem Cleiton Ribeiro Alves
 
7145859 tratamento-racional-da-itu
7145859 tratamento-racional-da-itu7145859 tratamento-racional-da-itu
7145859 tratamento-racional-da-ituidaval_1
 
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO HOSPITALAR DO TRATO URINÁRIO
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO HOSPITALAR DO TRATO URINÁRIOPREVENÇÃO DA INFECÇÃO HOSPITALAR DO TRATO URINÁRIO
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO HOSPITALAR DO TRATO URINÁRIOJonathan Sampaio
 
infecção urinária na gestação
infecção urinária na gestaçãoinfecção urinária na gestação
infecção urinária na gestaçãoAnderson Anisio
 
7605959 infeccao-urinaria-parte-1
7605959 infeccao-urinaria-parte-17605959 infeccao-urinaria-parte-1
7605959 infeccao-urinaria-parte-1idaval_1
 
Cistite Intersticial
Cistite Intersticial  Cistite Intersticial
Cistite Intersticial Urovideo.org
 
Insuficiencia Renal Aguda e Crônica - por Eduarda Gobbi
Insuficiencia Renal Aguda e Crônica - por Eduarda GobbiInsuficiencia Renal Aguda e Crônica - por Eduarda Gobbi
Insuficiencia Renal Aguda e Crônica - por Eduarda GobbiEduarda Gobbi
 
6 infeccoes do_tracto_urinario
6 infeccoes do_tracto_urinario6 infeccoes do_tracto_urinario
6 infeccoes do_tracto_urinarioDaniele Marchi
 
Apresentação Mirabilis, Private Condominium
Apresentação Mirabilis, Private CondominiumApresentação Mirabilis, Private Condominium
Apresentação Mirabilis, Private CondominiumPaulo Franco
 
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO URINÁRIA ASSOCIADA AO CUIDADO DE SAÚDE
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO URINÁRIA ASSOCIADA AO CUIDADO DE SAÚDEPREVENÇÃO DA INFECÇÃO URINÁRIA ASSOCIADA AO CUIDADO DE SAÚDE
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO URINÁRIA ASSOCIADA AO CUIDADO DE SAÚDEYuri Assis
 

Destaque (20)

Infecções do trato urinário
Infecções do trato urinárioInfecções do trato urinário
Infecções do trato urinário
 
Infecção do trato urinário em uti
Infecção do trato urinário em utiInfecção do trato urinário em uti
Infecção do trato urinário em uti
 
Infecção do trato urinário
Infecção do trato urinárioInfecção do trato urinário
Infecção do trato urinário
 
Infecção Urinária - Pediatria
Infecção Urinária - PediatriaInfecção Urinária - Pediatria
Infecção Urinária - Pediatria
 
Cuidados aos pacientes com distúbios urinários e renal
Cuidados aos pacientes com distúbios urinários e renalCuidados aos pacientes com distúbios urinários e renal
Cuidados aos pacientes com distúbios urinários e renal
 
ITU recorrente nas gestantes
ITU recorrente nas gestantes  ITU recorrente nas gestantes
ITU recorrente nas gestantes
 
Infecção do Trato Urinário na Gravidez
Infecção do Trato Urinário na GravidezInfecção do Trato Urinário na Gravidez
Infecção do Trato Urinário na Gravidez
 
Itu
ItuItu
Itu
 
DiagnóStico E Tratamento Das InfecçõEs Genito UrináRias
DiagnóStico E Tratamento Das InfecçõEs Genito UrináRiasDiagnóStico E Tratamento Das InfecçõEs Genito UrináRias
DiagnóStico E Tratamento Das InfecçõEs Genito UrináRias
 
A insuficência renal e assistência de enfermagem
A insuficência renal e assistência de enfermagem A insuficência renal e assistência de enfermagem
A insuficência renal e assistência de enfermagem
 
7145859 tratamento-racional-da-itu
7145859 tratamento-racional-da-itu7145859 tratamento-racional-da-itu
7145859 tratamento-racional-da-itu
 
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO HOSPITALAR DO TRATO URINÁRIO
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO HOSPITALAR DO TRATO URINÁRIOPREVENÇÃO DA INFECÇÃO HOSPITALAR DO TRATO URINÁRIO
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO HOSPITALAR DO TRATO URINÁRIO
 
infecção urinária na gestação
infecção urinária na gestaçãoinfecção urinária na gestação
infecção urinária na gestação
 
7605959 infeccao-urinaria-parte-1
7605959 infeccao-urinaria-parte-17605959 infeccao-urinaria-parte-1
7605959 infeccao-urinaria-parte-1
 
Cistite
CistiteCistite
Cistite
 
Cistite Intersticial
Cistite Intersticial  Cistite Intersticial
Cistite Intersticial
 
Insuficiencia Renal Aguda e Crônica - por Eduarda Gobbi
Insuficiencia Renal Aguda e Crônica - por Eduarda GobbiInsuficiencia Renal Aguda e Crônica - por Eduarda Gobbi
Insuficiencia Renal Aguda e Crônica - por Eduarda Gobbi
 
6 infeccoes do_tracto_urinario
6 infeccoes do_tracto_urinario6 infeccoes do_tracto_urinario
6 infeccoes do_tracto_urinario
 
Apresentação Mirabilis, Private Condominium
Apresentação Mirabilis, Private CondominiumApresentação Mirabilis, Private Condominium
Apresentação Mirabilis, Private Condominium
 
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO URINÁRIA ASSOCIADA AO CUIDADO DE SAÚDE
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO URINÁRIA ASSOCIADA AO CUIDADO DE SAÚDEPREVENÇÃO DA INFECÇÃO URINÁRIA ASSOCIADA AO CUIDADO DE SAÚDE
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO URINÁRIA ASSOCIADA AO CUIDADO DE SAÚDE
 

Semelhante a Infecção do trato urinário

Caso Clínico infecção
Caso Clínico  infecçãoCaso Clínico  infecção
Caso Clínico infecçãokaheluis
 
0010_ITU NA INFANCIA.pdf fornecido pelo professor
0010_ITU NA INFANCIA.pdf fornecido pelo professor0010_ITU NA INFANCIA.pdf fornecido pelo professor
0010_ITU NA INFANCIA.pdf fornecido pelo professorLayanneStephanneFigu
 
ITU.pptx
ITU.pptxITU.pptx
ITU.pptxketecah
 
Linfadenopatias cervicais na infância
Linfadenopatias cervicais na infânciaLinfadenopatias cervicais na infância
Linfadenopatias cervicais na infânciaDario Hart
 
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEISDOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEISUrovideo.org
 
Abdome agudo em ginecologia 3
Abdome agudo em ginecologia 3Abdome agudo em ginecologia 3
Abdome agudo em ginecologia 3Vicente Santos
 
Criação de bezerras de leite
Criação de bezerras de leiteCriação de bezerras de leite
Criação de bezerras de leiteMarília Gomes
 
Exames Infecção Trato Urinário
Exames Infecção Trato UrinárioExames Infecção Trato Urinário
Exames Infecção Trato UrinárioJucie Vasconcelos
 
Apresentação tracoma atualizado
Apresentação  tracoma   atualizadoApresentação  tracoma   atualizado
Apresentação tracoma atualizadoJuracir Bezerra
 
Formas de contágios de doenças infeciosas
Formas de contágios de doenças infeciosasFormas de contágios de doenças infeciosas
Formas de contágios de doenças infeciosassalgadokk
 
SESSÃOCLÍNICAANDRÉ.pptx
SESSÃOCLÍNICAANDRÉ.pptxSESSÃOCLÍNICAANDRÉ.pptx
SESSÃOCLÍNICAANDRÉ.pptxAndrMarinho41
 

Semelhante a Infecção do trato urinário (20)

Caso Clínico infecção
Caso Clínico  infecçãoCaso Clínico  infecção
Caso Clínico infecção
 
0010_ITU NA INFANCIA.pdf fornecido pelo professor
0010_ITU NA INFANCIA.pdf fornecido pelo professor0010_ITU NA INFANCIA.pdf fornecido pelo professor
0010_ITU NA INFANCIA.pdf fornecido pelo professor
 
Publicacao 107
Publicacao 107Publicacao 107
Publicacao 107
 
ITU.pptx
ITU.pptxITU.pptx
ITU.pptx
 
Infeccoes perinatais torch
Infeccoes perinatais torchInfeccoes perinatais torch
Infeccoes perinatais torch
 
Linfadenopatias cervicais na infância
Linfadenopatias cervicais na infânciaLinfadenopatias cervicais na infância
Linfadenopatias cervicais na infância
 
Válvula de uretra posterior
Válvula de uretra posteriorVálvula de uretra posterior
Válvula de uretra posterior
 
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEISDOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS
 
IST ESCS
IST ESCSIST ESCS
IST ESCS
 
Abdome agudo em ginecologia 3
Abdome agudo em ginecologia 3Abdome agudo em ginecologia 3
Abdome agudo em ginecologia 3
 
Infec
InfecInfec
Infec
 
ITU tratamento
ITU tratamentoITU tratamento
ITU tratamento
 
Criação de bezerras de leite
Criação de bezerras de leiteCriação de bezerras de leite
Criação de bezerras de leite
 
Exames Infecção Trato Urinário
Exames Infecção Trato UrinárioExames Infecção Trato Urinário
Exames Infecção Trato Urinário
 
Infecções Osteoarticulares
Infecções OsteoarticularesInfecções Osteoarticulares
Infecções Osteoarticulares
 
Apresentação tracoma atualizado
Apresentação  tracoma   atualizadoApresentação  tracoma   atualizado
Apresentação tracoma atualizado
 
Aula 10: Dr. Mário de Paula (Oncologista Pediátrico)
 Aula 10: Dr. Mário de Paula (Oncologista Pediátrico)  Aula 10: Dr. Mário de Paula (Oncologista Pediátrico)
Aula 10: Dr. Mário de Paula (Oncologista Pediátrico)
 
Dengue na Infância
Dengue na InfânciaDengue na Infância
Dengue na Infância
 
Formas de contágios de doenças infeciosas
Formas de contágios de doenças infeciosasFormas de contágios de doenças infeciosas
Formas de contágios de doenças infeciosas
 
SESSÃOCLÍNICAANDRÉ.pptx
SESSÃOCLÍNICAANDRÉ.pptxSESSÃOCLÍNICAANDRÉ.pptx
SESSÃOCLÍNICAANDRÉ.pptx
 

Último

AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptAlberto205764
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptAlberto205764
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfNelmo Pinto
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaCristianodaRosa5
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoMarianaAnglicaMirand
 

Último (9)

AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãosAplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
 

Infecção do trato urinário

  • 1. Infecção do Trato Urinário Discente: Cristine Maia CESUPA - 2014
  • 2. • CONCEITO “ Colonização bacteriana da urina que RESULTA em infecção das estruturas do aparelho urinário” Criança: complicações agudas e crônicas
  • 3. • EPIDEMIOLOGIA - Primeiros meses de vida – ITU é infecção mais comum - 3,3% dos lactentes febris s/ outros sintomas – ITU? - 1 ano de vida: H 4:1 - > 1 ano (5): M 10:1 - Adultos: M>H - Gestantes - Idosos 1:1
  • 4. • ETIOLOGIA - Hospitalar: Klebsiella spp., Proteus spp., Pseudomonas spp., Enterobacter spp., estafilococos e enterococos; - Cistite em mulheres sexualmente ativas: S. saprophyticus; - D.M , uso ATB amplo espectro e internados: fungos - SVF por >30 dias: Polimicrobiana e gram - atípicos
  • 5. • PATOGÊNESE - Via Ascendente - Via Hematogênica (S. aureus) neonatal (bacteremia) - Via Linfática ( pressão vesical ) Fatores de defesa: “clearance bacteriano”, PH urinário (6), lisozimas, mucosa vesical, fagocitose... Fatores de risco: sexo F, atividade sexual, não circuncisão, anomalias anatômicas, gravidez, diabetes, RVU, bexiga neurogênica, uropatia obstrutiva...
  • 6. • DETERMINANTES DA INFECÇÃO - Virulência do Agente (P fímbrias, hemolisinas, aerobactinas..)
  • 7. RECÉM NASCIDO LACTENTES (1m – 2 anos) Quadro sepse e toxemia (HIPOTERMIA+ GANHO PONDERAL INSUF+ SUCÇÃO DÉBIL+ VÔMITOS+ DISTENSÃO ABD+ DIARRÉIA+ IRRITABILIDADE+ HIPOATIVIDADE+ CONVULSÓES Quadro inespecífico FEBRE (às vezes único sintoma) + GANHO POND-ESTAT INSUF + RECUSA ALIM + VOM + DIARRÉIA+ DOR ABOMINAL PRÉ-ESCOLARES E ESCOLARES ADOLESCENTE DISÚRIA+ POLACIÚRIA+ URGÊNCIA MICCIONAL+ INCONTINÊNCIA OU RETENÇÃO URINÁRIA+ ENURESE+ DOR SUPRA-PÚBICA+ URINA TURVA OU FÉTIDA – CISTITE FEBRE+ CALAFRIOS+ DL + VÔMITO - PIELONEFRITE DISÚRIA+ POLACIÚRIA+ URGÊNCIA MICCIONAL + HEMATÚRIA. Início das ativ. Sexuais nas M pode ser acompanhado de SURTOS ITU • QUADRO CLÍNICO
  • 8. • QUADRO CLÍNICO ITU BAIXA (CISTITE / URETRITE) Sintomas restritos ao trato urinário: DISÚRIA+ POLACIÚRIA+ URGÊNCIA MICCIONAL+ INCONTINÊNCIA URINÁRIA+ TENESMO+ DOR SUPRA-PÚBICA+ ALTERAÇÃO COR, ODOR E VOLUME DA URINA SE FEBRE – FEBRE BAIXA BOM ESTADO GERAL, VHS E PCR NORMAIS ITU ALTA (PIELONEFRITE) ESTADO INFECCIOSO MAIS ACENTUADO TRÍADE: FEBRE ALTA + CALAFRIOS + DOR LOMBAR MAL ESTAR+ VÔMITOS+ SINTOMAS URINÁRIOS Mulheres: Ex ginecológico Homem: Ex genital e toque retal
  • 9. • DIAGNÓSTICO 1. Anamnese (USG morfológico fetal- hidronefrose, megaureter, rins policísticos, alteração SNC...) 2. Exame físico: Inspeção (jato urinário/ anatomia/ descartar balanopostite e vulvovaginites) , Palpação, Percussão da loja renal,. 3. Exames complementares- Pediátricos (SEMPRE) e confirmação diagnóstica com UROCULTURA
  • 10. • DIAGNÓSTICO  Exames Urinários - Espontâneo - Saco coletor (30/30 min) - Cateterismo vesical - Punção supra-púbica (coleta gerar dúvida) URINA EAS - Densidade urinária ; – pH (alcalino = ITU por Proteus); - Hematúria; - Nitrito + (bact gram -); - Piúria, -Cilindros piocitários (sugere fort pielo) BACTERIOSCOPIA URINÁRIA Corada pelo método de GRAM UROCULTURA c/ antibiograma Confirma diagnóstico de ITU
  • 11. • DIAGNÓSTICO  Critérios de Bacteriúria (crianças/ adulto) Método de coleta ITU Jato médio ≥ 105 UFC/ml de um único patógeno = ITU confirmada ≥ 104 de um único patógeno em cça sintom = ITU provável – solicitar nova amostra! ADULTO -Pacientes assintomáticos: > 105 UFC/ml (2 amostras); -Homens sintomáticos: ≥ 103 UFC/ml -Mulheres sintomáticas: ≥ 102 UFC/ml PSP Qualquer cresc bacteriano = ITU confirmada Cateterismo vesical ≥ 103 de um único patógeno = ITU confirmada ≥ 102 adulto (ITU confirmada) >103 assintomático (2 amostras) Saco coletor (criança) Cultura (-) = ausência de ITU ≥ 105 de um único patógeno = ITU provável
  • 12. • DIAGNÓSTICO DE ITU SINTOMÁTICA - ITU baixa Mulher: SOMENTE quadro clínico Homem: Quadro clínico + urocultura - ITU alta: SEMPRE solicitar urocultura e Hemocultura (em caso de internação) - Pediatria: Exame de imagem  USR (fase aguda- de escolha p/ início investigação)  UCM c/ Rx simples de coluna (urina estéril – classifica o grau de RVU)  Urografia Excretora (utiliza muito contraste iodado)  Cintigrafia (Tc) – DMSA (estática) / DTPA (dinâmica)  Estudo Urodinâmico
  • 13.
  • 14. • COMPLICAÇÕES - ITU baixa  Persistência (urocultura persistente +)  Recaída (mesmo agente)  Reinfecção (diferente agente)  Cistite enfisematosa (DM) - ITU alta  Sepse (lactentes, idosos, imunodeprimidos, DM)  Abscesso intra-renal  Abscesso perinefrético  Obstrução urinária  Necrose da papila renal  Pielonefrite crônica e xantogranulomatosa
  • 15. • TRATAMENTO - Todos sintomáticos - Bacteriúria assintomática em alguns grupos:  Gestante  Pré-op cirurgia que irão precisar de cateterismo vesical  Transplante renal (prim 3 meses)  Infecção por Proteus mirabilis  Infecção por Proteus spp. ou Providencia spp. em pacientes com cateter vesical + B. neurogênica  Crianças
  • 16. • TRATAMENTO - Agente etiológico mais prevalente e urocultura - Melhora em 24-48h - Resistência maior em  uso prévio de ATB  ITU hospitalar  ITU complicada - Bexiga neurogênica - IRC - Anemia falciforme - Doença policística renal - Gravidez
  • 17. 3 -5 dias Hipotensão arterial, vômitos intensos, febre com tremores,