As atividades de apoio da logística

4.296 visualizações

Publicada em

ghkhdhkghk

Publicada em: Internet
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.296
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
243
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

As atividades de apoio da logística

  1. 1. LogísticaeDistribuição Aula03-AsatividadesPrimáriasdaLogísticaEmpresarial 11Faculdade On-Line UVB Anotações do Aluno uvb Aula Nº 3 – As atividades de Apoio da Logística Empresarial Objetivos da aula: Conhecer as Atividades de Apoio da Logística Empresarial, como atividades adicionais (complementares) que dão suporte às Atividades Primárias da Logística Empresarial. Introdução Na aula anterior, conhecemos as Atividades Primárias da Logística Empresarial, ou seja, as atividades-chave para um perfeito desempenho da atividade logística de qualquer organização e que, juntas, formam o “ciclo crítico”. Quais são elas? Vamos recordá-las? Atividades primárias: • Transportes; • Manutenção de Estoques; • Processamento de Pedidos. FIGURA : O CICLO CRÍTICO DA LOGÍSTICA Fonte: COMETTI, 2001.
  2. 2. LogísticaeDistribuição Aula03-AsatividadesPrimáriasdaLogísticaEmpresarial 12Faculdade On-Line UVB Anotações do Aluno uvb Na aula de hoje, conheceremos as chamadas Atividades Logísticas de Apoio. Como o nome sugere, estas são as atividades que dão o suporte indispensável às atividades Primárias, para que seja atendido, na plenitude, o objetivo da redução de distâncias entre a demanda e a produção, para a perfeita satisfação dos clientes. FIGURA: RELACIONAMENTO ATIVIDADES DE APOIO X PRIMÁRIAS Fonte: COMETTI, 2001. 1. Atividades logísticas de Apoio • Armazenagem; • Manuseio de Materiais; • Embalagem de Proteção; • Obtenção;
  3. 3. LogísticaeDistribuição Aula03-AsatividadesPrimáriasdaLogísticaEmpresarial 13Faculdade On-Line UVB Anotações do Aluno uvb • Programação do Produto; • Manutenção da Informação. 2. Armazenagem Segundo Ronald Ballou (1993), “refere-se à administração do espaço necessário para manter estoques”. Tal administração de espaços busca a otimização, transitando, em conseqüência, em discussões que envolvem problemas de: localização, dimensionamento de área, arranjo físico, configuração de armazéns, entre outros. Com a antiga missão de “guardar estoques”, o que representava um custo a maisnonegócio,aarmazenagemdepara-secomsuanovaeimprescindível missão, que é ”gerenciar o fluxo físico e de informações”. Nessa nova missão, a armazenagem passa a representar um instrumento de grande importância no que diz respeito à competitividade. Os produtos passam a ser armazenados de maneira mais eficiente (redução de custos) e eficaz (qualidade), bem como fornecem as informações necessárias para a manutenção da informação que veremos logo a seguir. Como fatores que determinaram a mudança da missão da armazenagem, podem-se citar: exigências de qualidade, reduções de desperdício, entre outras. Os dois papéis da Armazenagem são: • O papel operacional (visão interna): conjunto de processos voltados para estocagem, movimentação e processamento de produtos e informações. • O papel estratégico (visão externa): Elo e coordenação no canal de distribuição: atender de forma eficaz mercados geograficamente distantes, procurando criar valor para os clientes.
  4. 4. LogísticaeDistribuição Aula03-AsatividadesPrimáriasdaLogísticaEmpresarial 14Faculdade On-Line UVB Anotações do Aluno uvb 3. Manuseio de Materiais De acordo com Hong Yuh Ching (2001), “refere-se à movimentação dos produtos no local da armazenagem”. O processo envolvido no manuseio de materiais vai desde o recebimento de mercadorias, no ponto de recebimento do depósito, sua movimentação até o local de armazenagem e, por fim, a movimentação do ponto de armazenagem até o ponto de despacho. 4. Embalagem de Proteção Como o nome diz, sua finalidade é a proteção dos produtos e das mercadorias. Um processo logístico, em nível de excelência, procurará utilizar-se de embalagens adequadas que possibilitem: • Movimentar produtos sem quebras ou danos; • Otimizar atividades de Manuseio e Armazenagem. 5. Obtenção É a atividade que trata do fluxo de entrada dos produtos, deixando-os disponíveis para o sistema logístico. Segundo Ronald H. Ballou (1993), “a obtenção trata da seleção das fontes de suprimento, das quantidades a serem adquiridas, da programação das compras e da forma pela qual o produto é comprado. 6. Programação do Produto Tal atividade de apoio abrange as ações presentes no “fluxo de saída” (distribuição), atentando para as quantidades que devem ser produzidas,
  5. 5. LogísticaeDistribuição Aula03-AsatividadesPrimáriasdaLogísticaEmpresarial 15Faculdade On-Line UVB Anotações do Aluno uvb quando e onde devem ser fabricadas. 7. Manutenção da Informação Conforme Hong Yuh Ching (2001), “é ter uma base de dados para o planejamento e o controle da logística”. Tal base de dados deve ser mantida na empresa e envolve, entre outros, os seguintes seguimentos: • Informação sobre clientes; • Volume de vendas; • Níveis de Estoque etc. Síntese As Atividades Logísticas de Apoio (Armazenagem, Manuseio de Materiais, EmbalagemdeProteção,Obtenção,ProgramaçãodoProdutoeManutenção da Informação) dão suporte indispensável às Atividades Primárias da Logística (Transportes, Manutenção de Estoques e Processamento de Pedidos). Trabalhando integradas, o bom desempenho de ambas é responsável pela excelência logística de qualquer organização. Em nossa próxima aula, estudaremos as atividades primárias da Logística Empresarial. Referências BALLOU, Ronald H. Logística Empresarial. São Paulo: Atlas, 1993. NOVAES, Antonio Galvão N. ; ALVARENGA, Antonio Carlos. Logística Aplicada: suprimento e distribuição física. São Paulo: Pioneira, 1994. VALENTE, M. G. Gerenciamento de transportes e frotas. São Paulo:
  6. 6. LogísticaeDistribuição Aula03-AsatividadesPrimáriasdaLogísticaEmpresarial 16Faculdade On-Line UVB Anotações do Aluno uvb Pioneira, 1997. Referências Complementares CHING, Hong Yuh. Gestão de estoques na cadeia de logística integrada. São Paulo: Atlas, 2001. DIAS, Marco Aurélio P. Transportes e distribuição física. São Paulo: Atlas, 1987. WIKIPÉDIA, a enciclopédia livre. Disponível em: http://pt.wikipedia.org.

×