SlideShare uma empresa Scribd logo

DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL III

1 de 151
Baixar para ler offline
1
MEDITAÇÕES: A DUREZA DA LEI NOS
DEIXA “SEM GRAÇA” – VOL III
2
Neli Cavalcante
Assessoria jurídica
Especialista em Leis Cristãs
R. Aureliano Coutinho, 228 / 04
Embaré – Santos- Cep: 11.040- 240
Tel. 32314759- 91780437
E-mail: nelicavalcante7@yahoo.com.br
“e te restituirei os teus juízes, como eram dantes, e os teus
conselheiros, como no princípio, então serás chamada cidade
de justiça, cidade fiel”.1
Dedicatória:
1
Isaías 1:26.
3
À Deus, pois justiça e juízo são a base do Seu trono.
1. Prefácio
4
Querida (o) amiga (o), sedenta (o) e faminta (o) de JUSTIÇA
Deixo aqui para sua reflexão, de maneira simples, alguns retalhos
escritos, algumas sementes, para que germinem e dêem frutos ao
seu coração, certamente inconformado com a injustiça, com a
hipocrisia e o desamor. Seja cada uma dessas sementes, água de
Deus para regar a sua alma.
Livres de cercas religiosas, encontramos Deus fora do status quo,
fora do padrão religioso estabelecido, que como revela o Apocalipse é
uma verdadeira prisão e uma astuta armadilha anti-Cristo.
Encontramos o Poderoso fora dos dogmas, dos rituais vazios, a
exemplo de Martinho Lutero e tantos outros que ousaram questionar
o que está pré-estabelecido, como ensinou Kant, como denunciou
Kierkegaard, e outros tantos filósofos, como também Sto Agostinho,
Aquino e outros, que explicaram a fé pela lógica, e aí descobrimos a
virtude, o que é santo e justo, e entendemos também o que falou
Sócrates: “Só sei que nada sei”. A exemplo de tantos mártires, nos
ocupamos em tornar os textos bíblicos populares, como é o propósito
de Deus em oposição à religião, esta que é umas das maiores
desgraças da humanidade (se não for a maior), e que divide os
homens que Jesus veio para unir. É impressionante como este nome,
que é acima de todo o nome que se nomeia, provoca tempestades e
escandaliza, pois veio testificar que as nossas obras são más.
Descobrimos enfim, de maneira maravilhosa, que este Jesus Bíblico,
que não pertence a nenhuma religião, mas ao que crê, este que
divide a humanidade em antes e depois, o Verbo que se fez carne, O
Homem que habitou entre nós, é também Deus (o único), de
eternidade à eternidade. Jesus não é religião, mas a única
oportunidade para o relacionamento do homem com Deus. A sua
ressurreição foi o fato mais extraordinário da humanidade e é
fartamente comprovado pela história.
Eis o nosso fundamento, a nossa Fonte Primeira: “Pois ninguém pode
pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus
Cristo”.2
Há outro que tenha ressuscitado?
Observemos para tirar as nossas conclusões: A Bíblia tem 40 livros
que foram escritos por 66 autores. Todos estes viveram em épocas
totalmente diferentes, eram pessoas de personalidade, cultura, idade,
sexo, nações diferentes totalmente uma da outra, porém falaram
sobre as mesmas coisas; uma coisa testifica da outra, se encaixa na
outra com uma exatidão espantosa. Qual o livro que demora séculos
para ser escrito? Qual livro é o best-seller do mundo? Qual livro que
2
I aos Cor 3:11.
5
termina de ser escrito hoje, sem estar já ultrapassado? Qual o livro
que fala com todos, nos quatro cantos do mundo da mesma maneira,
que desperta o rico e o pobre, o sábio e o iletrado, sem fazer
acepções? Quais as leis que estão inseridas em todos os seguimentos
das sociedades, em todos os tempos? Se assim é, como poderia
alguém imaginar que estas são palavras de homem? “Pois os seus
atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente
vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as
coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis;”.3
Escrevemos sob o comando de Deus, que certa feita me deu uma
caneta e um livro de ouro (visões espirituais), me instruindo para
escrever as coisas divinas que Ele me inspiraria. Recomendo que
antes de se expor à leitura, o leitor peça a Deus que lhe revele ao
espírito4
o que Ele quer dizer, já que os textos têm as Leis de Deus
como fundamento, pois a Bíblia não se interpreta, mas se recebe
revelação do Espírito Santo de Deus. E também não há segundo a
Bíblia5
interpretações sobre os textos, mas sim revelações, pois a
Palavra se renova a cada dia. Coloco aqui um trecho de um livro de
Ellen White6
para somar ao que acabamos de falar:
(p.8) A Bíblia aponta a Deus como seu autor; no entanto, foi escrita
por mãos humanas e, no variado estilo de seus diferentes livros,
apresenta as características dos diversos escritores. As verdades
reveladas são oferecidas por inspiração de Deus (“16 Toda Escritura
é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para
repreender, para corrigir, para instruir em justiça;7
”); acham-
se, contudo, expressas em palavras de homens. O Ser Infinito, por
meio de Seu Santo Espírito, derramou luz no entendimento e coração
de Seus servos. Deu sonhos e visões, símbolos e figuras; e aqueles a
quem a verdade foi assim revelada concretizaram os pensamentos
em linguagem humana. Escritos em diferentes épocas, por homens
3
Romanos 1:20.
4
Se o seu espírito ainda não está recriado, leia João I e vai entender que o que crê na obra da cruz de
Cristo, se torna filho depois da confissão dos lábios (Romanos 10:9,10) e o seu nome será escrito pelo
dedo de Deus no Livro da Vida (Apocalipse 21:27). Peça então perdão pelos pecados, para quebrar as
maldições sobre a sua vida, renuncie a todos os outros deuses (objetos de proteção ou de sorte,
imagens, ídolos, filosofias), passe a crer no único Deus e tenha então a partir daí a comunicação direta
com o Senhor dos Senhores através da recriação do seu espírito que foi morto no Jardim do Éden, onde
se seu a separação entre o homem e o seu Criador. Será então este, o seu novo nascimento como filho
de Deus, enfrentando a partir daí a pior guerra que alguém pode enfrentar que é contra o diabo (o
príncipe deste mundo). Também, a sua velha natureza que vai continuar morando dentro de você junto
com a outra que acabou de nascer, vai se opor a tudo o que vem de Deus, concordando também com o
mundo e todos os seus atrativos e tentações. Se perseverar e resistir até o fim, será salvo. Não podemos
deixar de frisar que Jesus passará a ser o seu advogado (Ele é invicto) e completará a sua força em cada
batalha (vai completar, e não fazer o que compete a você fazer). Eu oro para que você aproveite esta
extraordinária oportunidade que Jesus lhe deu, não se rendendo a nenhum suborno. O preço para o seu
resgate foi caríssimo e indizível, assim como a promessa de Deus para sua vida.
5
II a Pedro 1:20,21.
6
Ellen G. White; Tradução: Hélio L. grellmann; Casa Publicadora Brasileira; Tatuí/SP; 7ª Ed.
7
II Timóteo 3:16
6
que diferiam amplamente em posição e ocupação, tanto quanto em
capacitação mental e espiritual, os livros da Bíblia apresentam amplo
contraste quanto ao estilo, assim como diversidade no tocante à
natureza dos assuntos desvendados. Diferentes formas de expressão
foram empregadas por distintos escritores; muitas vezes a mesma
verdade é apresentada de modo mais marcante por um escritor do
que por outro. À medida que várias escritores apresentam o mesmo
tema sob variados aspectos e relações, poderá parecer, ao leitor
superficial, descuidado ou preconceituoso, que entre estes autores
existem discrepâncias ou contradições; ao mesmo tempo, porém, o
estudioso pensante e reverente. Com visão interior mais clara,
discernirá aí a harmonia subjacente.
A Bíblia é a fonte primeira, é a bússola, o endereço de Deus, onde
está impressa a PALAVRA DE DEUS, que é o Verbo que se fez carne e
habitou entre nós.8
Ele vai voltar para buscar os que creram: “Eu sou
o Alfa e o Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, e que era, e que
há de vir, o Todo-Poderoso”.9
Seria bom que cada um colocasse em ordem os seus “documentos”
para estarem prontos para partir com Ele para eternidade a qualquer
momento. Para isso, basta crer que Ele (Jesus) é o único caminho
para se chegar a Deus, confessar isto com a boca,10
arrependido dos
seus pecados e consciente que não é suficiente, mas dependente
deste que o criou (não deixe de observar que estamos falando do
Cristo Bíblico e não o das Igrejas): “Porque muitos virão em meu
nome, dizendo: Eu sou o Cristo; a muitos enganarão”.11
2. Oração:
Esta é a oração que Paulo fazia e que agora faremos por você: “17
Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos
dê em seu conhecimento o espírito de sabedoria e de revelação;
18
tendo iluminados os olhos do vosso entendimento, para que
saibais qual seja a esperança da sua vocação, e quais as riquezas da
glória da sua herança nos santos; 19
E qual a sobre excelente
grandeza do seu poder sobre nós, os que cremos, segundo a
operação da força do seu poder”. 12
E que a paz de Deus, que excede todo o entendimento possa reinar
em seu coração. Com amor, Neli.
8
João 1.
9
Apocalipse 1:8.
10
Romanos 10:8/13.
11
Mateus 24:5.
12
Efésios 1:17/19.

Recomendados

A MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZ
A MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZA MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZ
A MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZCristiane Patricio
 
ANTES SÓ DO QUE MAL ACOMPANHADO
ANTES SÓ DO QUE MAL ACOMPANHADOANTES SÓ DO QUE MAL ACOMPANHADO
ANTES SÓ DO QUE MAL ACOMPANHADOCristiane Patricio
 
DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL I
DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL IDUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL I
DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL ICristiane Patricio
 
DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL II
 DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL II DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL II
DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL IICristiane Patricio
 
Justificação, Somente Pela Fé em Jesus Cristo
Justificação, Somente Pela Fé em Jesus CristoJustificação, Somente Pela Fé em Jesus Cristo
Justificação, Somente Pela Fé em Jesus CristoMárcio Martins
 
Aula 1 e 2 A mensagem de Hebreus
Aula 1 e 2   A mensagem de HebreusAula 1 e 2   A mensagem de Hebreus
Aula 1 e 2 A mensagem de HebreusRicardo Gondim
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tabernáculo da fé e a maçonaria
Tabernáculo da fé e a maçonariaTabernáculo da fé e a maçonaria
Tabernáculo da fé e a maçonariaAKEL Edin
 
Jesus e a tradição dos anciãos
Jesus e a tradição dos anciãosJesus e a tradição dos anciãos
Jesus e a tradição dos anciãosRibamarCantanhede3
 
Os Beneficios da Justificação
Os Beneficios da JustificaçãoOs Beneficios da Justificação
Os Beneficios da JustificaçãoMárcio Martins
 
Lição 3 - Justificação, Somente Pela Fé Em Jesus Cristo
Lição 3 - Justificação, Somente Pela Fé Em Jesus CristoLição 3 - Justificação, Somente Pela Fé Em Jesus Cristo
Lição 3 - Justificação, Somente Pela Fé Em Jesus CristoAndrew Guimarães
 
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos Gerson G. Ramos
 
5º módulo 4ª aula
5º módulo   4ª aula5º módulo   4ª aula
5º módulo 4ª aulaJoel Silva
 
Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.
Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.
Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.Gerson G. Ramos
 
4º trimestre 2015 adolescentes lição 02
4º trimestre 2015 adolescentes lição 024º trimestre 2015 adolescentes lição 02
4º trimestre 2015 adolescentes lição 02Joel de Oliveira
 
A regeneração (j. c. ryle)
A regeneração (j. c. ryle)A regeneração (j. c. ryle)
A regeneração (j. c. ryle)Deusdete Soares
 
Lição 4 - OS BENEFÍCIOS DA JUSTIFICAÇÃO
Lição 4 -  OS BENEFÍCIOS DA JUSTIFICAÇÃOLição 4 -  OS BENEFÍCIOS DA JUSTIFICAÇÃO
Lição 4 - OS BENEFÍCIOS DA JUSTIFICAÇÃOAndrew Guimarães
 

Mais procurados (20)

O rico e o mendigo
O rico e o mendigoO rico e o mendigo
O rico e o mendigo
 
O lençol zoológico de pedro
O lençol zoológico de pedroO lençol zoológico de pedro
O lençol zoológico de pedro
 
Perguntas sobre a divindade
Perguntas sobre a divindadePerguntas sobre a divindade
Perguntas sobre a divindade
 
O rico e o mendigo
O rico e o mendigo   O rico e o mendigo
O rico e o mendigo
 
Tabernáculo da fé e a maçonaria
Tabernáculo da fé e a maçonariaTabernáculo da fé e a maçonaria
Tabernáculo da fé e a maçonaria
 
Romanos 2
Romanos   2Romanos   2
Romanos 2
 
Jesus e a tradição dos anciãos
Jesus e a tradição dos anciãosJesus e a tradição dos anciãos
Jesus e a tradição dos anciãos
 
Os Beneficios da Justificação
Os Beneficios da JustificaçãoOs Beneficios da Justificação
Os Beneficios da Justificação
 
Lição 3 - Justificação, Somente Pela Fé Em Jesus Cristo
Lição 3 - Justificação, Somente Pela Fé Em Jesus CristoLição 3 - Justificação, Somente Pela Fé Em Jesus Cristo
Lição 3 - Justificação, Somente Pela Fé Em Jesus Cristo
 
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
 
A Maravilhosa Graça
A Maravilhosa GraçaA Maravilhosa Graça
A Maravilhosa Graça
 
Textos Cristaos
Textos CristaosTextos Cristaos
Textos Cristaos
 
Lição 6 - Bênçaos da justificação
Lição 6 - Bênçaos da justificaçãoLição 6 - Bênçaos da justificação
Lição 6 - Bênçaos da justificação
 
5º módulo 4ª aula
5º módulo   4ª aula5º módulo   4ª aula
5º módulo 4ª aula
 
Descoberta final
Descoberta finalDescoberta final
Descoberta final
 
Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.
Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.
Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.
 
4º trimestre 2015 adolescentes lição 02
4º trimestre 2015 adolescentes lição 024º trimestre 2015 adolescentes lição 02
4º trimestre 2015 adolescentes lição 02
 
A regeneração (j. c. ryle)
A regeneração (j. c. ryle)A regeneração (j. c. ryle)
A regeneração (j. c. ryle)
 
Apostasia
ApostasiaApostasia
Apostasia
 
Lição 4 - OS BENEFÍCIOS DA JUSTIFICAÇÃO
Lição 4 -  OS BENEFÍCIOS DA JUSTIFICAÇÃOLição 4 -  OS BENEFÍCIOS DA JUSTIFICAÇÃO
Lição 4 - OS BENEFÍCIOS DA JUSTIFICAÇÃO
 

Destaque

Aniversário de cascais
Aniversário de cascaisAniversário de cascais
Aniversário de cascaisJBaraona
 
Base de dathos tics III
Base de dathos tics IIIBase de dathos tics III
Base de dathos tics IIIwakeshiima
 
Administracion por procesos
Administracion por procesosAdministracion por procesos
Administracion por procesosJuan Rovayo
 
Aula 6 eclesiologia
Aula 6   eclesiologiaAula 6   eclesiologia
Aula 6 eclesiologiamagnao2
 
Suplemento Verde - Los Retos de la eficiencia eléctrica y Carbono a la peruana
Suplemento Verde - Los Retos de la eficiencia eléctrica y Carbono a la peruanaSuplemento Verde - Los Retos de la eficiencia eléctrica y Carbono a la peruana
Suplemento Verde - Los Retos de la eficiencia eléctrica y Carbono a la peruanaPerú 2021
 
A solicitude da vida mateus 6
A solicitude da vida   mateus 6A solicitude da vida   mateus 6
A solicitude da vida mateus 6Douglas Sborowski
 
~$Adiciones de veracruz
~$Adiciones de veracruz~$Adiciones de veracruz
~$Adiciones de veracruzGyna66
 
Princesa Prometida - flapa
Princesa Prometida - flapaPrincesa Prometida - flapa
Princesa Prometida - flapaestrellitakostra
 
Transformacion de funciones ii
Transformacion de funciones iiTransformacion de funciones ii
Transformacion de funciones iimframs
 
腾讯大讲堂42 数据库内核设计思路浅析
腾讯大讲堂42 数据库内核设计思路浅析腾讯大讲堂42 数据库内核设计思路浅析
腾讯大讲堂42 数据库内核设计思路浅析topgeek
 

Destaque (20)

Aniversário de cascais
Aniversário de cascaisAniversário de cascais
Aniversário de cascais
 
Colegionacionalnicolasesguerra
Colegionacionalnicolasesguerra Colegionacionalnicolasesguerra
Colegionacionalnicolasesguerra
 
Base de dathos tics III
Base de dathos tics IIIBase de dathos tics III
Base de dathos tics III
 
Administracion por procesos
Administracion por procesosAdministracion por procesos
Administracion por procesos
 
Vilassar argentona
Vilassar argentonaVilassar argentona
Vilassar argentona
 
Aula 6 eclesiologia
Aula 6   eclesiologiaAula 6   eclesiologia
Aula 6 eclesiologia
 
Suplemento Verde - Los Retos de la eficiencia eléctrica y Carbono a la peruana
Suplemento Verde - Los Retos de la eficiencia eléctrica y Carbono a la peruanaSuplemento Verde - Los Retos de la eficiencia eléctrica y Carbono a la peruana
Suplemento Verde - Los Retos de la eficiencia eléctrica y Carbono a la peruana
 
Ind eng-730-doc
Ind eng-730-docInd eng-730-doc
Ind eng-730-doc
 
A solicitude da vida mateus 6
A solicitude da vida   mateus 6A solicitude da vida   mateus 6
A solicitude da vida mateus 6
 
Excel
ExcelExcel
Excel
 
Ind eng-213-doc
Ind eng-213-docInd eng-213-doc
Ind eng-213-doc
 
Bol 30 12
Bol 30 12Bol 30 12
Bol 30 12
 
Sexto
SextoSexto
Sexto
 
Just dance 2
Just dance 2Just dance 2
Just dance 2
 
~$Adiciones de veracruz
~$Adiciones de veracruz~$Adiciones de veracruz
~$Adiciones de veracruz
 
Frontierville
FrontiervilleFrontierville
Frontierville
 
Princesa Prometida - flapa
Princesa Prometida - flapaPrincesa Prometida - flapa
Princesa Prometida - flapa
 
01-25-2010
01-25-201001-25-2010
01-25-2010
 
Transformacion de funciones ii
Transformacion de funciones iiTransformacion de funciones ii
Transformacion de funciones ii
 
腾讯大讲堂42 数据库内核设计思路浅析
腾讯大讲堂42 数据库内核设计思路浅析腾讯大讲堂42 数据库内核设计思路浅析
腾讯大讲堂42 数据库内核设计思路浅析
 

Semelhante a DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL III

O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL I
O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL IO OCULTO DO OCULTISMO - VÓL I
O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL ICristiane Patricio
 
Os discípulos e as Escrituras_Resumo_112014
Os discípulos e as Escrituras_Resumo_112014Os discípulos e as Escrituras_Resumo_112014
Os discípulos e as Escrituras_Resumo_112014Gerson G. Ramos
 
INSTRUMENTOS DO PECADO OU VASOS DE HONRA
INSTRUMENTOS DO PECADO OU VASOS DE HONRAINSTRUMENTOS DO PECADO OU VASOS DE HONRA
INSTRUMENTOS DO PECADO OU VASOS DE HONRAperymarques
 
Quem é a Terceira Pessoa da Trindade?
Quem é a Terceira Pessoa da Trindade?Quem é a Terceira Pessoa da Trindade?
Quem é a Terceira Pessoa da Trindade?ASD Remanescentes
 
As tres virtudes (devocionais) elbem cesar
As tres virtudes (devocionais)   elbem cesarAs tres virtudes (devocionais)   elbem cesar
As tres virtudes (devocionais) elbem cesarDeusdete Soares
 
A Corrupção dos Últimos Dias - Lição 9 - 3º Trimestre de 2015
A Corrupção dos Últimos Dias - Lição 9 - 3º Trimestre de 2015A Corrupção dos Últimos Dias - Lição 9 - 3º Trimestre de 2015
A Corrupção dos Últimos Dias - Lição 9 - 3º Trimestre de 2015Pr. Andre Luiz
 
A autoridade do crente kenneth e. hagin
A autoridade do crente   kenneth e. haginA autoridade do crente   kenneth e. hagin
A autoridade do crente kenneth e. haginprfavinho
 
A autoridade do crente kenneth e[1]. hagin
A autoridade do crente   kenneth e[1]. haginA autoridade do crente   kenneth e[1]. hagin
A autoridade do crente kenneth e[1]. haginleniogravacoes
 
As grandes doutrinas da bíblia raimundo de oliveira
As grandes doutrinas da bíblia   raimundo de oliveiraAs grandes doutrinas da bíblia   raimundo de oliveira
As grandes doutrinas da bíblia raimundo de oliveiraIvaneo Silva
 
Ebook o poder da palavra
Ebook o poder da palavraEbook o poder da palavra
Ebook o poder da palavraJulioSantos198
 
42. a oração
42. a oração42. a oração
42. a oraçãopohlos
 
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013Gerson G. Ramos
 

Semelhante a DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL III (20)

GUERRA
GUERRAGUERRA
GUERRA
 
O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL I
O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL IO OCULTO DO OCULTISMO - VÓL I
O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL I
 
Os discípulos e as Escrituras_Resumo_112014
Os discípulos e as Escrituras_Resumo_112014Os discípulos e as Escrituras_Resumo_112014
Os discípulos e as Escrituras_Resumo_112014
 
INSTRUMENTOS DO PECADO OU VASOS DE HONRA
INSTRUMENTOS DO PECADO OU VASOS DE HONRAINSTRUMENTOS DO PECADO OU VASOS DE HONRA
INSTRUMENTOS DO PECADO OU VASOS DE HONRA
 
Instrumentos do pecado ou vasos de honra
Instrumentos do pecado ou vasos de honraInstrumentos do pecado ou vasos de honra
Instrumentos do pecado ou vasos de honra
 
Port bhc
Port bhcPort bhc
Port bhc
 
Quem é a Terceira Pessoa da Trindade?
Quem é a Terceira Pessoa da Trindade?Quem é a Terceira Pessoa da Trindade?
Quem é a Terceira Pessoa da Trindade?
 
QUEM É A TERCEIRA PESSOA DA DIVINDADE?
QUEM É A TERCEIRA PESSOA DA DIVINDADE?QUEM É A TERCEIRA PESSOA DA DIVINDADE?
QUEM É A TERCEIRA PESSOA DA DIVINDADE?
 
Conselhos sobre jogos
Conselhos sobre jogosConselhos sobre jogos
Conselhos sobre jogos
 
As tres virtudes (devocionais) elbem cesar
As tres virtudes (devocionais)   elbem cesarAs tres virtudes (devocionais)   elbem cesar
As tres virtudes (devocionais) elbem cesar
 
A Corrupção dos Últimos Dias - Lição 9 - 3º Trimestre de 2015
A Corrupção dos Últimos Dias - Lição 9 - 3º Trimestre de 2015A Corrupção dos Últimos Dias - Lição 9 - 3º Trimestre de 2015
A Corrupção dos Últimos Dias - Lição 9 - 3º Trimestre de 2015
 
A autoridade do crente kenneth e. hagin
A autoridade do crente   kenneth e. haginA autoridade do crente   kenneth e. hagin
A autoridade do crente kenneth e. hagin
 
11 Hebreus.pptx
11 Hebreus.pptx11 Hebreus.pptx
11 Hebreus.pptx
 
LUZ MAIOR E LUZ MENOR
LUZ MAIOR E LUZ MENORLUZ MAIOR E LUZ MENOR
LUZ MAIOR E LUZ MENOR
 
A autoridade do crente kenneth e[1]. hagin
A autoridade do crente   kenneth e[1]. haginA autoridade do crente   kenneth e[1]. hagin
A autoridade do crente kenneth e[1]. hagin
 
As grandes doutrinas da bíblia raimundo de oliveira
As grandes doutrinas da bíblia   raimundo de oliveiraAs grandes doutrinas da bíblia   raimundo de oliveira
As grandes doutrinas da bíblia raimundo de oliveira
 
Ebook o poder da palavra
Ebook o poder da palavraEbook o poder da palavra
Ebook o poder da palavra
 
42. a oração
42. a oração42. a oração
42. a oração
 
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013
 
Quatro substantivos femininos
Quatro substantivos femininosQuatro substantivos femininos
Quatro substantivos femininos
 

Mais de Cristiane Patricio

OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL IV
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL IVOS PROTESTOS DE HOJE - VÓL IV
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL IVCristiane Patricio
 
O PONTO DE EQUILÍBRIO - VÓL II
O PONTO DE EQUILÍBRIO - VÓL IIO PONTO DE EQUILÍBRIO - VÓL II
O PONTO DE EQUILÍBRIO - VÓL IICristiane Patricio
 
O PONTO DE EQUILÍBRIO - VÓL I
O PONTO DE EQUILÍBRIO - VÓL IO PONTO DE EQUILÍBRIO - VÓL I
O PONTO DE EQUILÍBRIO - VÓL ICristiane Patricio
 
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL III UM PARCEIRO IDÔNEO
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL III UM PARCEIRO IDÔNEOOS PROTESTOS DE HOJE - VÓL III UM PARCEIRO IDÔNEO
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL III UM PARCEIRO IDÔNEOCristiane Patricio
 
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL II
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL IIOS PROTESTOS DE HOJE - VÓL II
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL IICristiane Patricio
 
O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL III
O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL IIIO OCULTO DO OCULTISMO - VÓL III
O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL IIICristiane Patricio
 
O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL II
O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL IIO OCULTO DO OCULTISMO - VÓL II
O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL IICristiane Patricio
 

Mais de Cristiane Patricio (9)

OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL IV
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL IVOS PROTESTOS DE HOJE - VÓL IV
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL IV
 
O PONTO DE EQUILÍBRIO - VÓL II
O PONTO DE EQUILÍBRIO - VÓL IIO PONTO DE EQUILÍBRIO - VÓL II
O PONTO DE EQUILÍBRIO - VÓL II
 
O PONTO DE EQUILÍBRIO - VÓL I
O PONTO DE EQUILÍBRIO - VÓL IO PONTO DE EQUILÍBRIO - VÓL I
O PONTO DE EQUILÍBRIO - VÓL I
 
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL III UM PARCEIRO IDÔNEO
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL III UM PARCEIRO IDÔNEOOS PROTESTOS DE HOJE - VÓL III UM PARCEIRO IDÔNEO
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL III UM PARCEIRO IDÔNEO
 
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL II
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL IIOS PROTESTOS DE HOJE - VÓL II
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL II
 
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL I
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL IOS PROTESTOS DE HOJE - VÓL I
OS PROTESTOS DE HOJE - VÓL I
 
O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL III
O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL IIIO OCULTO DO OCULTISMO - VÓL III
O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL III
 
O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL II
O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL IIO OCULTO DO OCULTISMO - VÓL II
O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL II
 
NAMORO, NOIVADO E CASAMENTO
NAMORO, NOIVADO E CASAMENTONAMORO, NOIVADO E CASAMENTO
NAMORO, NOIVADO E CASAMENTO
 

DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL III

  • 1. 1 MEDITAÇÕES: A DUREZA DA LEI NOS DEIXA “SEM GRAÇA” – VOL III
  • 2. 2 Neli Cavalcante Assessoria jurídica Especialista em Leis Cristãs R. Aureliano Coutinho, 228 / 04 Embaré – Santos- Cep: 11.040- 240 Tel. 32314759- 91780437 E-mail: nelicavalcante7@yahoo.com.br “e te restituirei os teus juízes, como eram dantes, e os teus conselheiros, como no princípio, então serás chamada cidade de justiça, cidade fiel”.1 Dedicatória: 1 Isaías 1:26.
  • 3. 3 À Deus, pois justiça e juízo são a base do Seu trono. 1. Prefácio
  • 4. 4 Querida (o) amiga (o), sedenta (o) e faminta (o) de JUSTIÇA Deixo aqui para sua reflexão, de maneira simples, alguns retalhos escritos, algumas sementes, para que germinem e dêem frutos ao seu coração, certamente inconformado com a injustiça, com a hipocrisia e o desamor. Seja cada uma dessas sementes, água de Deus para regar a sua alma. Livres de cercas religiosas, encontramos Deus fora do status quo, fora do padrão religioso estabelecido, que como revela o Apocalipse é uma verdadeira prisão e uma astuta armadilha anti-Cristo. Encontramos o Poderoso fora dos dogmas, dos rituais vazios, a exemplo de Martinho Lutero e tantos outros que ousaram questionar o que está pré-estabelecido, como ensinou Kant, como denunciou Kierkegaard, e outros tantos filósofos, como também Sto Agostinho, Aquino e outros, que explicaram a fé pela lógica, e aí descobrimos a virtude, o que é santo e justo, e entendemos também o que falou Sócrates: “Só sei que nada sei”. A exemplo de tantos mártires, nos ocupamos em tornar os textos bíblicos populares, como é o propósito de Deus em oposição à religião, esta que é umas das maiores desgraças da humanidade (se não for a maior), e que divide os homens que Jesus veio para unir. É impressionante como este nome, que é acima de todo o nome que se nomeia, provoca tempestades e escandaliza, pois veio testificar que as nossas obras são más. Descobrimos enfim, de maneira maravilhosa, que este Jesus Bíblico, que não pertence a nenhuma religião, mas ao que crê, este que divide a humanidade em antes e depois, o Verbo que se fez carne, O Homem que habitou entre nós, é também Deus (o único), de eternidade à eternidade. Jesus não é religião, mas a única oportunidade para o relacionamento do homem com Deus. A sua ressurreição foi o fato mais extraordinário da humanidade e é fartamente comprovado pela história. Eis o nosso fundamento, a nossa Fonte Primeira: “Pois ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo”.2 Há outro que tenha ressuscitado? Observemos para tirar as nossas conclusões: A Bíblia tem 40 livros que foram escritos por 66 autores. Todos estes viveram em épocas totalmente diferentes, eram pessoas de personalidade, cultura, idade, sexo, nações diferentes totalmente uma da outra, porém falaram sobre as mesmas coisas; uma coisa testifica da outra, se encaixa na outra com uma exatidão espantosa. Qual o livro que demora séculos para ser escrito? Qual livro é o best-seller do mundo? Qual livro que 2 I aos Cor 3:11.
  • 5. 5 termina de ser escrito hoje, sem estar já ultrapassado? Qual o livro que fala com todos, nos quatro cantos do mundo da mesma maneira, que desperta o rico e o pobre, o sábio e o iletrado, sem fazer acepções? Quais as leis que estão inseridas em todos os seguimentos das sociedades, em todos os tempos? Se assim é, como poderia alguém imaginar que estas são palavras de homem? “Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis;”.3 Escrevemos sob o comando de Deus, que certa feita me deu uma caneta e um livro de ouro (visões espirituais), me instruindo para escrever as coisas divinas que Ele me inspiraria. Recomendo que antes de se expor à leitura, o leitor peça a Deus que lhe revele ao espírito4 o que Ele quer dizer, já que os textos têm as Leis de Deus como fundamento, pois a Bíblia não se interpreta, mas se recebe revelação do Espírito Santo de Deus. E também não há segundo a Bíblia5 interpretações sobre os textos, mas sim revelações, pois a Palavra se renova a cada dia. Coloco aqui um trecho de um livro de Ellen White6 para somar ao que acabamos de falar: (p.8) A Bíblia aponta a Deus como seu autor; no entanto, foi escrita por mãos humanas e, no variado estilo de seus diferentes livros, apresenta as características dos diversos escritores. As verdades reveladas são oferecidas por inspiração de Deus (“16 Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça;7 ”); acham- se, contudo, expressas em palavras de homens. O Ser Infinito, por meio de Seu Santo Espírito, derramou luz no entendimento e coração de Seus servos. Deu sonhos e visões, símbolos e figuras; e aqueles a quem a verdade foi assim revelada concretizaram os pensamentos em linguagem humana. Escritos em diferentes épocas, por homens 3 Romanos 1:20. 4 Se o seu espírito ainda não está recriado, leia João I e vai entender que o que crê na obra da cruz de Cristo, se torna filho depois da confissão dos lábios (Romanos 10:9,10) e o seu nome será escrito pelo dedo de Deus no Livro da Vida (Apocalipse 21:27). Peça então perdão pelos pecados, para quebrar as maldições sobre a sua vida, renuncie a todos os outros deuses (objetos de proteção ou de sorte, imagens, ídolos, filosofias), passe a crer no único Deus e tenha então a partir daí a comunicação direta com o Senhor dos Senhores através da recriação do seu espírito que foi morto no Jardim do Éden, onde se seu a separação entre o homem e o seu Criador. Será então este, o seu novo nascimento como filho de Deus, enfrentando a partir daí a pior guerra que alguém pode enfrentar que é contra o diabo (o príncipe deste mundo). Também, a sua velha natureza que vai continuar morando dentro de você junto com a outra que acabou de nascer, vai se opor a tudo o que vem de Deus, concordando também com o mundo e todos os seus atrativos e tentações. Se perseverar e resistir até o fim, será salvo. Não podemos deixar de frisar que Jesus passará a ser o seu advogado (Ele é invicto) e completará a sua força em cada batalha (vai completar, e não fazer o que compete a você fazer). Eu oro para que você aproveite esta extraordinária oportunidade que Jesus lhe deu, não se rendendo a nenhum suborno. O preço para o seu resgate foi caríssimo e indizível, assim como a promessa de Deus para sua vida. 5 II a Pedro 1:20,21. 6 Ellen G. White; Tradução: Hélio L. grellmann; Casa Publicadora Brasileira; Tatuí/SP; 7ª Ed. 7 II Timóteo 3:16
  • 6. 6 que diferiam amplamente em posição e ocupação, tanto quanto em capacitação mental e espiritual, os livros da Bíblia apresentam amplo contraste quanto ao estilo, assim como diversidade no tocante à natureza dos assuntos desvendados. Diferentes formas de expressão foram empregadas por distintos escritores; muitas vezes a mesma verdade é apresentada de modo mais marcante por um escritor do que por outro. À medida que várias escritores apresentam o mesmo tema sob variados aspectos e relações, poderá parecer, ao leitor superficial, descuidado ou preconceituoso, que entre estes autores existem discrepâncias ou contradições; ao mesmo tempo, porém, o estudioso pensante e reverente. Com visão interior mais clara, discernirá aí a harmonia subjacente. A Bíblia é a fonte primeira, é a bússola, o endereço de Deus, onde está impressa a PALAVRA DE DEUS, que é o Verbo que se fez carne e habitou entre nós.8 Ele vai voltar para buscar os que creram: “Eu sou o Alfa e o Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso”.9 Seria bom que cada um colocasse em ordem os seus “documentos” para estarem prontos para partir com Ele para eternidade a qualquer momento. Para isso, basta crer que Ele (Jesus) é o único caminho para se chegar a Deus, confessar isto com a boca,10 arrependido dos seus pecados e consciente que não é suficiente, mas dependente deste que o criou (não deixe de observar que estamos falando do Cristo Bíblico e não o das Igrejas): “Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; a muitos enganarão”.11 2. Oração: Esta é a oração que Paulo fazia e que agora faremos por você: “17 Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê em seu conhecimento o espírito de sabedoria e de revelação; 18 tendo iluminados os olhos do vosso entendimento, para que saibais qual seja a esperança da sua vocação, e quais as riquezas da glória da sua herança nos santos; 19 E qual a sobre excelente grandeza do seu poder sobre nós, os que cremos, segundo a operação da força do seu poder”. 12 E que a paz de Deus, que excede todo o entendimento possa reinar em seu coração. Com amor, Neli. 8 João 1. 9 Apocalipse 1:8. 10 Romanos 10:8/13. 11 Mateus 24:5. 12 Efésios 1:17/19.
  • 7. 7 3. O amor, segundo augusto Cury13 Continuamos a meditar sobre a Lei e a Graça. Já passamos nos volumes anteriores algumas experiências que Deus nos tem dado neste sentido: pelo legalismo, escravismo religioso, a raiz do farisaísmo, a sua essência, o zelo, o divisor de águas que separa o fim do zelo e o começo da opressão, quando a Lei nos faz ficar “sem graça”, quando a Lei que é a Autora da Vida se transforma em instrumento de morte, quando a ira, a dureza, é trigo e quando é joio, etc. Vamos prosseguir neste volume colocando mais algumas considerações antes de finalizar com o tempo em que fui oprimida pelos fariseus e quando oprimi como um deles. Precisamos aprender a amar. E MUITO, a Deus e ao nosso próximo. A cruz aponta pra o Vertical e para o horizontal, como bem sabemos. Sem estes dois mandamentos não poderemos receber nada de Deus, nem alcançar nada que não seja perecível, ou ilusório, não podemos andar em terra firme, mas estaremos sempre em terreno escorregadio, ou seja, agora está aqui e daqui a um minuto poderá estar lá embaixo. É escorregadio o terreno. “18 Certamente tu os pões em lugares escorregadios, tu os lanças para a ruína”.14 O amor apaga os pecados, pois Ele é Deus. “8 tendo antes de tudo ardente amor uns para com os outros, porque o amor cobre uma multidão de pecados”.15 13 Volume 5 “O Mestre Inesquecível”; Ed Sextante;2006;RJ; os.164 SS. 14 Salmo 73. 15 I Pedro 4.
  • 8. 8 E quando falamos em amor é quase que obrigatório colocar este texto já tão conhecido, mas tão pouco vivido ou entendido, que está na primeira carta de Paulo aos coríntios, o qual não é uma poesia, embora seja mais linda que qualquer uma, mas é o MANDAMENTO DE DEUS: “1 Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine. 2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, NADA SERIA. 3 E ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, NADA DISSO ME APROVEITARIA. 4 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece, 5 não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; 6 não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade; 7 tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 8 O amor jamais acaba; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; 9 porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos; 10 mas, quando vier o que é perfeito, então o que é em parte será aniquilado. 11 Quando eu era menino, pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. 12 Porque agora vemos como por espelho, em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, como também sou plenamente conhecido. 13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança, o amor, estes três; MAS O MAIOR DESTES É O AMOR”.16 Ou seja, sem amor, não poderemos jamais começar a entender o que significa Lei e Graça. E, falando deste tema temos que registrar 16 I aos Cor. 13.
  • 9. 9 também o resumo do capítulo 11 do livro indicado, para estimular o leitor a ler o capítulo, o livro inteiro, que é realmente uma jóia literária, como tantos que este autor, inspirado pelo amor de Deus, escreve. Observemos para aprender sobre perdão, compreensão, de como se colocar no lugar do outro. O Amor é o fenômeno mais procurado da história e o menos compreendido. Ele é procurado no poder, nos aplausos, na fortuna, nos versos, na ciência, mas nada disso compra o sentido da vida, muitos morrem sem poesia, solitários, pois o procuram de forma errada e nos lugares errados; acham que ele se esconde em grandes coisas, sem se darem conta que ele está presente nas coisas mais simples, diminutas, quase imperceptíveis, como no sorriso de uma criança, no beijo das mães, no consolo dos amigos, nas dádivas do Criador. O clima social da época de Jesus era o menos adequado para se falar de amor. A miséria física e emocional, as pressões políticas e a descriminação floresciam na alma dos judeus. Havia espaço só pra ódio, revolta contra o Império Romano. Falar de amor era um escândalo. O amor entre os discípulos de Jesus, transcendia a sensualidade e os interesses. Os pobres tornaram-se ricos, os desprezados ganharam status de seres humanos, os deprimidos encontraram alegria e os ansiosos beberam da fonte da tranqüilidade. Jesus não deixou qualquer marca, senha ou dogma religioso para identificar seus discípulos, mas somente o amor: “Nisto conhecereis que sois meus discípulos, se amardes uns aos outros”.17 O verdadeiro discípulo não era o que errava menos, o mais ético ou mais puro, mas aquele que amava. Uma pessoa podia fazer orações o dia inteiro, enaltecer Jesus e ser um pregador das suas Palavras, mas, se não amasse, não era um discípulo, apenas um mero admirador. Jesus sabia que somente o amor seria capaz de aproximar pessoas de culturas, religiões, personalidades, pontos de vista, raças e nacionalidades distintos, pois o amor destrói o individualismo, mas não a individualidade. Jesus não demonstrou qualquer preferência, mas amava as diferenças. O amor nos faz iguais, apesar de todas as diferenças. A unanimidade é estúpida, pois a beleza reside em amar as diferenças, em não exigir que os outros sejam iguais a nós para que possamos amá-los. Ele amava tanto as pessoas que jamais as pressionava em segui-lo. Não impunha suas idéias, mas convidava a que pensassem nelas. O amor respeita o livre arbítrio, a livre decisão. O amor torna um homem livre, mesmo quando está encarcerado. O Cristianismo está dividido em muitas religiões. Cada um segue a sua de acordo com a sua própria consciência, mas é raro perceber um amor ardente entre cristãos de religiões distintas. É raro encontrar expressões de afeto, reuniões sociais ou orações em comum entre aqueles que não comungam das mesmas idéias. Bilhões de pessoas se dizem cristãs. Ser um adepto de Jesus chega a ser um status 17 João 13:35.
  • 10. 10 social, mas quando o status está em primeiro lugar, o amor pode estar em último. O ódio prevalece e o amor tornou-se um delírio. As sociedades precisam de pessoas que amem. Exigimos muito porque amamos pouco. Jesus não impediu que Pedro o negasse e que Judas o traísse: os fracos controlam, os fortes libertam. A guerra hoje é dentro do homem, que é escravo dos seus próprios pensamentos. Jesus tinha tempo para jantar na casa dos amigos, contemplava as flores, as caminhadas, e para espanto de todos, ele parava uma multidão inteira para dar atenção a um cego, a um mendigo ou às crianças. Os que viviam à sombra da sociedade sentiram-se como príncipes ao conhecê-lo. Jamais a vida teve tanto valor. Era de se esperar que o acesso à tecnologia e aos bens materiais fizesse as pessoas disporem de mais tempo para si mesmas, mas raramente elas gastam tempo com aquilo que amam. O diálogo está morrendo. A solidão virou rotina. Os pais, os filhos, os amigos escondem as emoções uns dos outros. Os professores se escondem atrás do giz. Os profissionais da psicologia e da psiquiatria se frustram, pois esta matéria não poderá ser resolvida entre as quatro paredes de um consultório humano. Se Nietzsche, Karl Marx e Jean-Paul Sartre tivessem tido a oportunidade de estudar a personalidade de Jesus e a sua atuação nos bastidores da mente dos discípulos, provavelmente não figurariam, como aconteceu com tantos (inclusive com o autor), entre os maiores ateus que pisaram nesta terra. É possível que se colocassem entre os seus mais apaixonados seguidores. Jesus se apaixonou de tal forma pela humanidade que quis ser como nós, igual a cada um de nós. A grandeza da sua personalidade expôs as falhas da personalidade dos seus seguidores, que passaram então a sonhar os seus mais belos sonhos, e as suas vidas se tornaram um jardim de sonhos, mesmo diante dos pesadelos. Ele foi sepultado e então entendemos que o melhor favor que se pode fazer a uma semente é sepultá-la.
  • 11. 11 4. Se o sal se tornar insípido para nada mais serve Quando falamos desta dicotomia: Lei e Graça, não podemos deixar de comentar da correção e da subordinação, pois esses ingredientes nos trazem na pauta muitas incompreensões, confusões, divisões. É comum escutarmos pessoas argüirem que fulano é muito rígido, muito duro, um fariseu, mas, muitas vezes (não todas) a pessoa não é nada disso, mas um instrumento de Deus que exorta, segundo o Mandamento, que é “sabão”, o que realmente limpa, que se opõe muito à religiosidade, que é “espuma”, o que aparenta, mas não limpa e que sabe que isso deve ser feito TODOS OS DIAS, para que não se endureçam pelo engano do pecado. “13 antes exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado”.18 Este apenas ama, exerce o seu papel de Sal da terra, e mais nada. Acontece que não estamos mais acostumados a ser corrigidos e isso nos causa estranheza e dissabor. São sentimentos humanos que nos afastam do alvo, do pensamento divino, assim como aconteceu com Pedro, quando foi duramente repreendido pelo Mestre que o amava tanto como todos sabemos.19 Temos que aprender a amar. Não como nós amamos, mas COMO DEUS AMA. Ele é amor e fogo consumidor.20 Fala-nos Deus que o pai que ama, CORRIGE, e acrescenta que esta correção nos parece impossível de suportar tal a dimensão, mas que, depois, produz frutos excelentes de justiça para os que se submetem.21 Ou seja, uma correção é um acontecimento e não uma retórica, um “faz de conta”, um ritual, um passar de mãos, mas algo que não se esquece com facilidade, e é um recurso imprescindível para que alguém possa crescer e aparecer, não nas colunas dos crimes, mas nas colunas dos heróis. Os tolos não suportam a correção.22 São os “porcos”, os que não conhecem e não dão valor algum à pérolas e por isso as pisam e depois se arremetem contra os que as ofertam em lugar de lavagem.23 Muitos mais rebeldes ainda ficam,24 mas a Palavra nos ordena a falar mesmo que não queiram escutar.25 Fique-se o registro de que o tal foi advertido, pois o sangue deste não ficará na mão do repreendedor que ama a Deus e ao próximo e por isso fala. 18 Hebreus 3:13. 19 Mateus 16:23. 20 Hebreus 12:29. 21 Hebreus 12. 22 Eclesiastes 7:5. 23 Mateus 7:6. 24 Isaías 1:5. 25 Ezequiel 2,3.
  • 12. 12 4.a Doze regras para tornar seu filho um delinqüente...26 Temos um texto escrito com o título “Porque dos tais é o Reino dos Céus”, onde meditamos nesta matéria. Muitas são as reportagens para este tema que usamos para ilustrar a meditação indicada, e aqui vai uma delas: 1- Comece na infância a dar ao seu filho tudo o que ele quer. Deste modo ele crescerá crendo que o mundo tudo deve a ele. 2- Quando ele falar palavrões ou contar piadas sujas, dê risada. Isso vai fazê-lo sentir-se engraçadinho. E futuramente ele fará coisas que irão decepcionar e embaraçar você. 3- Nunca dê instrução espiritual até que ele chegue aos 18 anos. Depois então deixe que ele decida por conta própria. 4- Evite o uso da palavra errado, pois ele será capaz de desenvolver um complexo de culpa. Isto o condicionará a crer, quando adolescente, e quando for pego pela polícia por ter roubado um carro, que está sendo perseguido e que a sociedade está contra ele. 5- Em casa, faça tudo por ele: arrume seu quarto, guarde sapatos e roupas jogadas; porque assim fazendo, ele terá tendências de jogar as responsabilidades em cima dos outros. 6- Deixe-o ler qualquer literatura que possa adquirir. Mas tome cuidado ao máximo, para que os talheres que ele usa estejam sempre limpos enquanto a sua mente se alimenta de lixo. 7- Briguem freqüentemente entre si na presença do seu filho. Desta maneira seu filho não ficará chocado quando o lar for destruído mais tarde. 8- Dê a seu filho todo o dinheiro que ele deseja. Nunca o encoraje a conseguir seu próprio sustento. Porque ele tem de passar pelas coisas difíceis da vida como você passou? 9- Satisfaça todos os seus desejos de conforto, comida e bebida. Providencie meios para que ele se agrade dos seus desejos sensuais. Negação dessas coisas pode trazer frustração prejudicial. 10- Defenda sempre seu filho, mesmo que ele esteja errado, na frente do visinho, do professor, da polícia... 11- Não cumpra sua promessa em discipliná-lo por desobediência, porque assim ele pensa que não existe conseqüência para seu pecado ou desobediência. 12- Prepare-se para uma vida de dor, é bem provável tê-la. Oração: Ensina-nos os Teus pensamentos, os Teus caminhos, os Teus estatutos, os Teus decretos, as Tuas maravilhosas e justas leis e aí saberemos como Tu sabes (pois Tu és o Pai), corrigir o filho a quem amamos. Somos o sal da terra. Entre muitas coisas, o sal tempera, preserva, protege (corrupção, deterioração). Se nos enfraquecemos, perdemos a nossa força, paramos o testemunho público ou nos envolvemos 26 Internet.
  • 13. 13 com uma conduta que Deus desaprova, o sal se tornou insípido, deteriorou-se, degenerou-se. E para que serve mais? Observemos que o que repreende, o que exorta, o que é aparentemente rígido, austero mais da conta, talvez só esteja exercendo a sua função de ser áspero e picante como sal que é. Ou seja, a amor não é açúcar, mas é sal. “Vós sois o sal da terra; mas, se o sal perder a sua força, como se lhe restabelecerá a sua salinidade? Não presta mais para nada, senão para ser lançado fora, a fim de ser pisado pelos homens”. E este que é sal de Deus deve lutar muito para não ser subornado e se encolher diante das adversidades por que passa. “12 E na verdade todos os que querem viver piamente em Cristo Jesus padecerão perseguições”. 27 Muitas vezes, principalmente no caso de pessoas que amamos, ou dos nossos familiares, podemos nos embaraçar na nossa missão de falar e de com isso provocar a confusão que é peculiar à pregação, como está escrito. Como já colocamos, este “economizar a nossa carne” pode ser muito sutil e inconsciente e com isso vamos convivendo com situações que Deus desaprova, sem muitas vezes perceber que não estamos salgando mais. Uma comida espiritual sem sal é tragável? O que se faz então com esta comida intragável? O sal não aparece no alimento, é invisível, mas chega a ser quase que imprescindível. O sal também, como já vimos, é picante e áspero, e tem uma quantidade certa para ser colocado, porém, vai ser sempre áspero e picante, pois não é açúcar. O fato é que temos que ficar muito alertas no sentido de manter a nossa salinidade forte, empenhados no propósito divino, para que não venhamos a perder a nossa força espiritual nos tornando insípidos, monótonos, sem graça, enfadonhos, sem tempero, sem sabor. Para que serve um sal que não salga mais? 27 II a Timóteo 3.
  • 14. 14 O Bispo Inaldo Barreto28 nos fala que temos que ter muito cuidado com a inércia. Se alguém tem dotes culinários e não cozinha vai acontecer o que? Se alguém se separa muito para não arriscar a sua santidade não vai poder exercer as funções de um sal. O seu dom terá que alimentar os outros e a si mesmo. Este terá então que misturar-se, salgar, mesmo que corra o risco de agredir por ser picante e áspero. Errar também faz parte do estágio de aprendizado e nunca vai ser sinônimo de incapacidade. No caso, Deus capacita os que Ele chama, que são, normalmente, via de regra, segundo o que está escrito, os incapazes, os pequenos, os fracos e considerados desprezíveis.29 Alguns de nós amam mais o seu ministério, a sua função, o que fazem do que o próprio senhor que os mandou fazer. A nossa atividade só será legítima, só dará frutos quando for dirigida ao Senhor de todas as coisas. E este fruto permanecerá até a eternidade. Não nos enganemos: servimos a Deus, SENDO, seremos alguém SENDO. Exercer os dons de Deus é vital: “24 Chegando por fim o que recebera um talento, disse: Senhor, eu te conhecia, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste, e recolhes onde não joeiraste; 25 e, atemorizado, fui esconder na terra o teu talento; eis aqui tens o que é teu. 26 Ao que lhe respondeu o seu senhor: Servo mau e preguiçoso, sabias que ceifo onde não semeei, e recolho onde não joeirei? 27 Devias então entregar o meu dinheiro aos banqueiros e, vindo eu, tê-lo-ia recebido com juros. 28 Tirai- lhe, pois, o talento e dai ao que tem os dez talentos. 29 Porque a todo o que tem, dar-se-lhe-á, e terá em abundância; mas ao que não tem, até aquilo que tem ser-lhe-á tirado. 30 E lançai o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá choro e ranger de dentes”.30 O que é ser insípido? A pessoa se sente como morta ou apática em relação a ir e fazer discípulos, ou indolente em relação aos planos para o seu ministério, e isso a vai levando a uma fragilidade moral. Se não tomar uma posição imediata ou drástica, logo vai estar convivendo ou sendo conivente com o presente sistema mundial e todas as suas sutis armadilhas. Há uma grande diferença entre viver no meio dos perdidos para temperá-los e ser coniventes com as suas práticas. Se na família de alguém, por exemplo, existem casamentos adúlteros, como fará para conviver com eles sem ser conivente com a situação? O divisor de águas, o ponto de equilíbrio só Deus pode dar, como já colocamos. Ou seja, teremos que estar dando frutos, com o fogo aceso do altar para não cair em tentação, na acomodação, na inércia, e, no caso, em ser coniventes com os adúlteros, como está 28 Igreja Metodista Renovada de Londrina/ Google. 29 I aos Cor 1:26 e ss. 30 Mateus 25.
  • 15. 15 escrito no Salmo 50. Por si mesmo, o sal não vale nada! Misturado, vem a ser a alma do mundo! “6 Pois todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades, como o vento, nos arrebatam”.31 4.b Fala José Carlos Fragomeni32 (...) O sal em si não tem qualquer valor, não é alimento, não tem outra serventia que não a de ressaltar o sabor dos alimentos. O sal é indispensável à vida e, no entanto, em excesso é danoso. A água de dentro dos tecidos vivos movimenta-se pelas diferenças de concentração do sal. O corpo humano retém a água devido ao sal que contém; a célula preserva uma concentração de sal. O sal é uma substância que por si mesma não tem nenhuma qualidade. Por si mesmo não é um alimento, destrói o paladar. Colocado na terra, a esteriliza. Em contato prolongado com a pele, a destrói. Não tem cor. Não tem cheiro. Não tem forma. Desaparece nos líquidos. (...) O homem não vale nada por si mesmo; na medida em que se julgue importante vai se tornando como um monte de sal. Tem que encontrar seu sentido na vida, e não existir apenas para si mesmo — ele é o tempero. Neste mundo em que vivemos, somos o sal da terra. Cada um de nós em si nada vale, não temos outra serventia que não a de adicionarmos sabor à vida. E se adicionamos em excesso, somos danosos. Tudo o que existe no mundo não valeria nada, não teria finalidade, não teria sentido se não fosse o "sal da terra". 4.c Fala Anilton SCar33 (...) Deve usar da temperança, eis que em Colossenses está disposto: “A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um”. Perceba-se, quando alguém come de determinada comida e ela está salgada, ninguém vai dizer: como o sal é salgado! Ou, se alguém come determinada comida, jamais dirá que o sal está insípido! O emprego certamente será: falta colocar sal na comida, ou falta reduzir o sal na comida! Assim, amados, devemos “ser” sal da terra, para fazermos bom uso dele e “estarmos” em temperança para que entreguemos uma boa comida, temperada, para aqueles que estão famintos. 31 Isaías 64. 32 www.4c.com.br/cristianismo/jc_sal.htm. 33 Estudos bíblicos/ Google.
  • 16. 16 Observemos que se precisamos salgar o mundo é porque ele é INSÍPIDO. Normalmente se fala que viver o cristianismo é que é insípido, mas vemos que precisamos levar às pessoas a oportunidade de provar outra comida, com outro sabor, com o sal que tempera, dá sabor, sentido à vida. Não podemos nos conformar com o desperdício de sermos jogados fora com tantas pessoas precisando deste sal para preservar a sua vida. Portanto, fiquemos alertas a qualquer sintoma de desânimo. Lembremo-nos de Elias que era confronto para os seus dias, era solitário e OPONENTE, era SAL. Mas não podemos esquecer que logo depois da vitória entrou em depressão e na inércia. Se tornou insípido naquele momento. 4.d Fala Gary Fisher Ironicamente, um dos principais fatores que produziam o desânimo de Elias era a grande vitória que ele conseguira no Monte Carmelo contra os falsos profetas. Vitórias espirituais decisivas são momentos especialmente vulneráveis; somos mais suscetíveis nesses momentos tanto ao orgulho como ao desencorajamento. Neste caso, sem dúvida, Elias previu um reavivamento avassalador. Talvez ele esperasse que Acabe e Jezabel de algum modo conduzissem a nação inteira ao arrependimento. Assim, o desafio continuado de Jezabel foi uma decepção. A mesma coisa pode acontecer conosco. Quando as coisas vão bem, nossas expectativas são grandes. Então vem o revés, e ficamos desencorajados. Uma segunda coisa que causou a depressão de Elias foi seu fracasso em conseguir os resultados desejados. Depois de anos de fidelidade ao Senhor e depois da matança dos falsos profetas, nada tinha realmente mudado. Ou assim parecia. É extremamente desanimador trabalhar, trabalhar, trabalhar e mesmo assim não ver resultado positivo. Isto não é incomum. Noé, um pregador da justiça (2 Pedro 2:5), procurou salvar somente sua própria família. Jesus mesmo foi desprezado e rejeitado (Isaías 53:3; João 1:11). Muitos dos mais diligentes servos de Deus têm experimentado a
  • 17. 17 frustração de ver os pequenos resultados de seu labor. Quando vemos pouco ou nenhum fruto de nossas atividades no serviço do Senhor, precisamos ser pacientes (Gálatas 6:9) e confiar em que a colheita virá (1 Coríntios 15:58). Terceira coisa, Elias estava desanimado porque aqueles que deveriam estar servindo o Senhor se esqueciam dele. Acabe e Jezabel deveriam ter sido os guias espirituais daquela nação. A conduta deles era desmoralizante. Para nós, podem ser os irmãos que nos desapontam. A oposição do mundo não surpreende, mas quando vemos aqueles que declaram estar servindo o Senhor voltar suas costas a ele, isto se torna mais do que podemos suportar. Isto não é um problema novo. Josué e Calebe ficaram virtualmente sós (Números 14). Num momento crítico em sua vida, Paulo foi abandonado por todos os irmãos (2 Timóteo 4:16). Precisamos continuar servindo a Deus, independente da resposta dos outros (Habacuque 3:17-18). Uma quarta causa do desencorajamento de Elias foi a comiseração de si mesmo. Ele estava sentindo pena de si mesmo. Ele sentia que estava só, que todos os outros tinham abandonado o Senhor. É difícil ficar deprimido quando se está fixo na obra do Senhor, mas quando se está pensando principalmente em si mesmo, o desânimo quase sempre acontece. A culpa era uma causa final da depressão de Elias. Ele tinha abandonado sua responsabilidade e agido sem a orientação de Deus. Ele sabia que estava errado porque estava na defensiva quando o Senhor falou com ele. Precisava de perdão e necessitava voltar ao seu posto de serviço. A culpa freqüentemente produz depressão. Algumas vezes, quando estamos abatidos, não precisamos simplesmente arranjar um modo de sentir melhor, mas precisamos de arrepender. (...) Finalmente, o Senhor falou a Elias sobre os 7000 que jamais haviam se prostrado diante de Baal. Elias não tinha percebido aqueles que eram os verdadeiros servos do Senhor. Ele nunca tinha observado que não era realmente o único restante. Quando estamos desencorajados, nossa tendência é pensar que tudo e todos estão contra nós. Precisamos reconhecer as coisas boas como as más. Conquanto nossa tendência possa ser nos retirarmos daqueles que nos elevariam, os momentos de depressão são, muitas vezes, os próprios momentos em que precisamos mais da amizade de nossos irmãos.
  • 18. 18 5. A unção de João Batista Vamos meditar um pouco sobre o tema autoridade, começando por João Batista, pois ele é um ótimo exemplo de alguém rude na medida de Deus e que exercia tão grande autoridade. Era um grosseirão, mas foi denominado por Deus como sendo o maior homem nascido de mulher. Nos textos: “A Besta e suas marcas”, “Oculto do ocultismo” e “O maior homem nascido de mulher” abrangemos um pouco mais a meditação sobre este assunto deveras imprescindível para um cristão dos últimos dias. Vamos aqui só fazer um esboço para que fique grifado o valor deste homem tão considerado pelo Criador, criado no deserto, para que fosse talhado na medida para enfrentar principalmente os gigantes fariseus. Ele era áspero e picante como o sal, ingrediente presente nos valentes de Deus, que causa espanto, mas que é tão necessária. Os mensageiros desses últimos dias virão com a unção de João Batista, que é a mesma de Elias, outro grosseirão. Muitos se sentem atormentados quando a Palavra da Bíblia os alcança, pois, Deus atormenta os que ainda estão em maldade. Muitos também acham que “matando” o profeta, morrerá junto com ele, a Verdade, que é eterna. Os pregadores fiéis são odiados pelo mundo, assim como o seu Mestre o foi, porque testificam que as suas obras são más. Segundo Ellen White, a Bíblia tem muito a dizer sobre a tradição, mas pouca coisa é boa. De acordo com as declarações de Jesus, a tradição pode destruir a fé.34 Uma parte essencial da missão de João Batista era falar contra a tradição e apontar ao povo a Palavra revelada de Deus. Que tornou grande João Batista? Ele cerrou a mente à massa de tradições apresentada pelos mestres da nação judaica, abrindo-a à sabedoria que vem do alto. João Batista não estava preso à tradição nem aos costumes aceitos de se falar. Ele falava contra o pecado em todas as suas formas, desde o adultério até a injustiça social. Sempre que a mensagem de Deus 34 Mateus 15:3;Marcos 7:13.
  • 19. 19 é dada de forma clara, inequívoca, as pessoas reagem diferentemente. Alguns respondiam a João Batista acusando-o de ser possesso pelo demônio.35 Claro, exatamente a mesma coisa diziam de Jesus.36 Deus dera a João Batista instruções para habitar no deserto, a fim de protegê-lo contra a influência dos sacerdotes e rabis. João anunciava a sua vinda, e agora, outra vez este mesmo trabalho deverá ser feito, na mesma unção, para preparar a volta do Senhor. Tenho sido treinada por Deus todos estes anos para denunciar a hipocrisia e todos os crimes que acontecem dentro da igreja do status quo, como aconteceu no passado: isso é um preparo, uma função que executo na unção de João Batista ... “... irá adiante dele no espírito e poder de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à prudência dos justos, a fim de preparar para o Senhor um povo apercebido”.37 ... para anunciar as Boas Novas, que é a volta do Mestre para arrebatar os que creram. Temos que preparar este caminho, para estar em condições de fazer a viagem eterna ao lado do Pai, que é apertado, segundo a Lei de Deus, oposto ao que propõe o curso deste mundo, cheio de ilusões, tentações e armadilhas. A Porta de saída do caos, que é Jesus,38 é estreita e para entrar, (e isso dói), e depois temos que continuar nos espremendo para perseverar neste trajeto, que é, como nos fala a Bíblia, APERTADO. Ou seja, temos rever se as nossas atitudes estão pautadas na cultura, nos projetos humanos ou na vontade do Pai. Muitos oram roboticamente o Pai Nosso39 e ali declaram para que seja feita a Vontade de Deus, mas, FAZEM? “27 E, como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois o juízo, 28 assim também Cristo, oferecendo-se uma só vez para levar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação”.40 “21 Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus”.41 35 |Mateus 11:18. 36 João 7:20. 37 Lucas 1:17. 38 João 10. 39 Mateus 6. 40 Hebreus 27. 41 Mateus 7.
  • 20. 20 Estamos vivendo os últimos dias de oportunidade para a raça humana tomar posse da fortuna que Jesus deixou a cada um na cruz. “27 E, como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois o juízo, 28 assim também Cristo, oferecendo-se uma só vez para levar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação”.42 A ausência de informações reais sobre a humanidade De Cristo, do Seu lindíssimo e perfeito exemplo de vida, nos impede de, muitas vezes, caminhar na direção da sua deidade, e alcançar enfim o colo do Pai. A Bíblia, por conta outra vez da religião, é vista como algo intocável ou tocável apenas pelos “entendidos” e aí o povo perde mais uma vez, pois não A lê, e fica então sem aprender com o MESTRE DA VIDA, tanto sobre a Sua biografia que está impressa nos evangelhos, como os Seus métodos revolucionários que deixa todos os outros no “chinelo”, todos os conceitos de aprendizagem humana, na idade da pedra. Embora as palavras fortes de João ofendessem algumas pessoas, a Bíblia indica que grandes multidões se aglomeravam para ouvi-lo. O templo hoje não é um edifício feito com mãos, e sim uma casa espiritual43 feita de pedras que vivem44 , pois como já falamos,45 deste templo feito de pedras mortas, que se tornou em esconderijo de ladrões, não vai sobrar nada. João Batista pregou a mensagem de arrependimento e os princípios do Reino dos Céus. “16 converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus; 17 irá adiante dele no espírito e poder de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à prudência dos justos, a fim de preparar para o Senhor um povo apercebido”.46 Observemos que hoje, nesses dias que antecedem o dia terrível do Senhor, as famílias estão desagregadas como nunca estiveram. Pais matam filhos e filhos matam pais; crimes hediondos acontecem no seio familiar. A unção de João Batista trabalha nesta área, haja vista que ele morreu por exortar o rei e a rainha sobre o adultério que estavam vivendo e a implícita condenação.47 O diabo fica furioso com os que pregam sobre esse assunto, e usa inclusive os falsos mestres 42 Hebreus 27. 43 I a Timóteo 3:15. 44 I a Pedro 6:5,6. 45 Mateus 21:13. 46 Lucas 1:15/17. 47 Marcos 6.
  • 21. 21 com mentiras, garantindo que este homem, o mais importante nascido de mulher segundo Deus, morreu porque não respeitou a autoridade. Se alguém seguir este caminho vai se encontrar com a morte no final, pois Deus não terá por inocente aquele que O negar,48 não deixará de acertar as contas com os “Jonas” da vida, mas vai requerer da mão do rebelde mensageiro o sangue deste que não foi avisado e foi para o inferno.49 João foi decapitado, mas a VERDADE não morreu com ele como pretendiam que assim fosse, mas antes ele herdou o Reino Eterno como mártir, como um homem do qual o mundo não era digno.50 João Batista não fez nenhum milagre e era um grosseirão, um cara que realmente não desperta nada a atenção de religiosos que querem mais é milagre e “mão na cabeça”. “40 E retirou-se de novo para além do Jordão, para o lugar onde João batizava no princípio; e ali ficou. 41 Muitos foram ter com ele, e diziam: João, na verdade, não fez sinal algum, mas tudo quanto disse deste homem era verdadeiro. 42 E muitos ali creram nele”.51 Vamos então situar, com alguns elementos elucidativos, a pessoa de João Batista, que foi considerado por Jesus, dos nascidos de mulher, o maior.52 Por quê? O que havia neste homem de tão especial, para receber do Mestre tão grande honra, se durante o seu ministério não fez nenhum milagre? João nasceu numa pequena aldeia chamada Aim Karim, há cerca de seis quilômetros lineares de distância a oeste de Jerusalém.53 Segundo interpretações do Evangelho de Lucas, era um nazireu de nascimento, como Sansão, segundo os historiadores. Realmente vemos uma coerência nesta afirmação, pois João Batista era um homem muito especial, com recomendações especiais a cumprir como estes os tinham. 54 Ele era mesmo “esquisito” aos olhos comuns, pois se vestia, comia e falava de maneira peculiar. Outros documentos defendem que pertencia à facção nazarita da Palestina, integrando-a na puberdade, e era considerado, por muitos, um homem consagrado. João faz parte de um pequeno grupo de pessoas que, segundo a Bíblia, Deus escolheu antes do nascimento para uma 48 Mateus 10:33. 49 Ezequiel 2,3. 50 Hebreus 11:38. 51 João 10:40/42. 52 Pesquisa extra no Google (a maioria dos textos não havia nomes de autores); Estudos Bíblicos / estudosdabiblia.net; ©2008 Karl Hennecke, USA/ Grupo Adventista. Dennis Allan,, João Flávio Martinez, Robert H. Bunting, Luiz Carlos Batista. Que Deus capacite e abençoe a estes que escrevem e divulgam o Evangelho de Cristo. 53 Sem uma fonte precisa. 54 Como Sansão, segundo os historiadores. Realmente vemos uma coerência nesta afirmação, pois João Batista
  • 22. 22 missão especial: pessoas como Samuel e Sansão, e até o próprio Jesus. Centenas de anos antes, Isaías profetizou que o ministério de João seria como a “voz do que clama no deserto”55 , o que está registrado também em Lucas56 . O pai de João, Zacarias, também predisse que seu filho prepararia o caminho para o Senhor.57 O chamado e o ministério de João Batista o conduziram a um caminho difícil, que se encerrou de maneira quase tão trágica quanto o do seu primo, Jesus, porém, apesar das provações, sofrimentos e enganos, ele permaneceu fiel, cumprindo as profecias sobre sua vida. João é um exemplo do sofrimento que alguns de nós podemos enfrentar se permanecermos fiéis a Deus e ao chamado que Ele faz para nós. Pela maioria dos padrões, a vida de João Batista e especialmente sua morte não o tornaram alguém que o mundo considerasse bem-sucedido. Qual é a diferença entre os ideais de Deus e os do mundo? E entre os nossos ideais e os de Deus? O Senhor fez muitas predições sobre a vida de João, dizendo até antes que ele nascesse, o que ele poderia realizar. Uma coisa se sabe: João precisava de uma preparação especial para a obra que deveria empreender. Lucas58 diz que João seria cheio do Espírito Santo já do ventre materno, mas, mesmo com essa promessa especial, ele precisava da preparação encontrada na aspereza do deserto, como acontece com qualquer um que é chamado, para ser treinado, provado e aprovado, pois deserto é uma escola de disciplina e crescimento espiritual. Foi lá que a palavra de Deus veio a João.59 Certamente foi aí que João se tornou um homem de oração e depois mais tarde ensinou seus discípulos a orar60 e jejuar.61 Ele conhecia a importância vital de uma conexão espiritual com o Céu, assim como todos deveriam conhecer. Por tudo isso, o poder espiritual que João recebeu de Deus lhe permitiu proclamar sua mensagem com tanta força. Ele era a voz que clamava no deserto ou, de acordo com o grego literal, “mugia como um boi”. Como Jesus mais tarde sugeriu, as pessoas iam ver João não porque ele fosse algum tipo de fracote: “(...) um caniço agitado pelo vento”62 , ao contrário, eles iam ouvir um homem que falava a verdade com poder e convicção. 55 Isaías 40:3/5. 56 Lucas 3:4/6. 57 Lucas 1:76. 58 Lucas 1:15. 59 Lucas 3;2. 60 Lucas 11;1. 61 Marcos 2;18. 62 Mateus 11:7.
  • 23. 23 O povo de Deus no tempo do fim, os reformadores que pregam justificação pela fé chamam o povo para adorar a Deus, arrepender- se e obedecer aos Seus mandamentos. Eis a mensagem: “(...) é chegada a hora do Seu juízo”.63 Ou seja, a pregação prepara o povo para a segunda vinda de Jesus, avisa que chegou a hora de adorar em espírito e em verdade64 , de pregar para todos e aos reis, ensinar a diferença entre religiosidade e adoração, repetir sempre que temos um Pastor que é suficiente65 , que a morada de Deus é o coração do homem que crê,66 denunciar que destes templos de pedra não sobrará nada,67 pois hoje foram transformados em esconderijo de bandidos,68 denunciar a fraude, as indulgências, as abominações no santuário69 ; e anunciar a profecia de Isaías70 que o Senhor vai instituir os juízes, como eram dantes. Falar em dureza nos lembra também Chateaubriand que nos fala: As ciências explicam tudo para a inteligência e nada para o coração. No meio da guerra temos que muitas vezes acampar os cavalos, olhar as flores, a criação, tomar fôlego que vem do Verbo da Vida, tomar um copo de água fresca que muitas vezes vem de uma frase, de uma folha que se olhe ao vento... 63 Apoc 14:7. 64 João 4:20/24. 65 João 10:16. 66 Lucas 17:21. 67 Mateus 24:2. 68 Mateus 21:13. 69 Ezequiel 8. 70 Isaías 1:26.
  • 24. 24 5.a Fala Augusto Cury sobre João Batista71 O autor, um homem talhado por Deus para estudar a inteligência, o perfil, a personalidade dos homens de uma maneira como nunca vi, não só de vivos, mas de personagens que não estão mais entre nós, como os santos de Deus que se foram com Ele para a eternidade, tendo como fonte de referência basicamente só os Evangelhos, nos dá aqui uma análise deste homem também especialíssimo, que é João Batista. Há muitos séculos, um homem estranho viveu na terra seca e sem esperança, do deserto. Sua veste era bizarra, feita de pele de animal. Sua dieta, mais estranha ainda, compunha-se de insetos e da doçura do mel. Sua pele estava seca, desidratada, maltratada pelo sol, pelo vento e pela poeira. Os cabelos eram revoltos; a barba, longa e cheia de espículas. O vento era seu companheiro. Dera as costas à civilização desde a mais tenra infância. Estava preparado para morrer, e seus ossos seriam abandonados em um canto perdido. Mas o estranho homem do deserto sonhava como qualquer ser humano. Um sonho tão grande, que lhe roubava a tranqüilidade. Sonhava com alguém que não apenas conhecia os conflitos e as misérias sociais, mas que mudaria o mundo. Certo dia parou de sonhar e começou a agir. Saiu da secura do deserto e se aproximou da brisa de um rio. Em suas margens, ele começou a falar do homem dos seus sonhos e das mazelas humanas. Para surpresa de todos, era eloqüente e ousado. Falava aos gritos. As pessoas tremiam ao ouvi-lo. Suas palavras, no entanto, não aquietavam a alma, pois expunham as feridas. Ele criticava os erros, as injustiças, a manipulação dos pequenos pelos grandes, a hipocrisia religiosa. Os fariseus, famosos por serem moralistas e versados na lei de Deus, ficaram abalados com seu discurso. Esse homem bizarro julgava falsa a postura religiosa reinante. Ninguém jamais ousara tal coisa, mas o homem do deserto não tinha compromisso com a sociedade. Não sabia o que era status social, não possuía interesses subjacentes, queria apenas ser fiel aos seus sonhos. Dizia aos líderes religiosos que eles eram carrascos, pois aprisionavam as pessoas no mundo mesquinho das suas vaidades e verdades. Pela primeira vez na história, alguém chamou a casta mais nobre de religiosos de raça de víboras: belos por fora, mas venenosos por dentro72 . Eles não se importavam com as lágrimas dos menos favorecidos. Faltava-lhes amor por cada miserável da sociedade. Só amavam a si mesmos. O homem do deserto era tão ousado que não poupou nem mesmo o violento governador daquelas terras: Herodes Antipas. Tal ousadia lhe custou 71 71 O Mestre Inesquecível. 31ª ed. São Paulo: Academia da Inteligência, 2003. 72 Mateus 3:7.
  • 25. 25 caro. Não demorou muito, foi decapitado73 . Mas ele pouco se importava de morrer, queria apenas manter-se fiel à sua consciência. Seu nome era João, o batista. Por fora era mais um João; por dentro, um homem que queria virar o mundo de cabeça para baixo. Inaugurou a era da honestidade da consciência. Uma era que há muito se perdeu, mormente nos dias atuais, em que a aparência vale mais do que o conteúdo. O ser humano pode estar podre por dentro, mas, se tiver fama e dinheiro, é valorizado. Usando apenas a ferramenta das idéias, João afrontou o impermeável sistema religioso judaico e o intocável Império Romano. Suas idéias contagiaram muitos. Dos grandes aos pequenos, as pessoas de toda a Judéia, da Galiléia e de Jerusalém afluíam para ouvi-lo nas margens do rio Jordão. Suas palavras mudavam a mente das pessoas e abriam o leque dos seus pensamentos. O homem do deserto não tinha medo de nada e de ninguém. Este é um fraco, pequeno, louco, vil, desprezível e por isso, terrivelmente forte. Tão forte que se deixou plantar, e até hoje os frutos germinam desta semente deveras muito forte, tal a sua fragilidade. Este é João Batista, o maior homem nascido de mulher, segundo Jesus, embora não tenha feito nenhum milagre. Somos gratos a Deus pela vida deste homem, do qual tiramos muitos ensinamentos com o seu testemunho, quem vem nos capacitar então, com a força de Deus, a ser uma testemunha de Jesus dos últimos dias, que vem nos fazer entender, sob a ótica de Deus e segundo o critério da justiça do Seu Reino, quando alguém pode ser maior ou menos que o outro. “6 Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João. 7 Este veio como testemunha, a fim de dar testemunho da luz, para que todos cressem por meio dele. 8 Ele não era a luz, mas veio para dar testemunho da luz. 9 Pois a verdadeira luz, que alumia a todo homem, estava chegando ao mundo”.74 73 Mateus 14:10. 74 João 1:6/9.
  • 26. 26 6. Autoridade Toda esta reflexão sobre Lei e Graça envolve esta matéria. Meditemos então sobre este assunto deveras vital, segundo Deus, e vamos iniciar no livro de Tito: “1 Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina. 2 Exorta os velhos a que sejam temperantes, sérios, sóbrios, sãos na fé, no amor, e na constância; 3 as mulheres idosas, semelhantemente, que sejam reverentes no seu viver, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras do bem, 4 para que ensinem as mulheres novas a amarem aos seus maridos e filhos, 5 a serem moderadas, castas, operosas donas de casa, bondosas, submissas a seus maridos, para que a palavra de Deus não seja blasfemada. 6 Exorta semelhantemente os moços a que sejam moderados. 7 Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina mostra integridade, sobriedade, 8 linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se confunda, não tendo nenhum mal que dizer de nós. 9 Exorta os servos a que sejam submissos a seus senhores em tudo, sendo-lhes agradáveis, não os contradizendo. 10 nem defraudando, antes mostrando perfeita lealdade, para que em tudo sejam ornamento da doutrina de Deus nosso Salvador. 11 Porque a graça de Deus se manifestou, trazendo salvação a todos os homens, 12 ensinando-nos, para que, renunciando à impiedade e às paixões mundanas, vivamos no presente mundo sóbria, e justa, e piamente, 13 aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus, 14 que se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniqüidade, e purificar para si um povo todo seu, zeloso de boas obras. 15 Fala estas coisas, exorta e repreende com toda autoridade. Ninguém te despreze”.75 75 Tito 2.
  • 27. 27 “1 Adverte-lhes que estejam sujeitos aos governadores e autoridades, que sejam obedientes, e estejam preparados para toda boa obra, 2 que a ninguém infamem, nem sejam contenciosos, mas moderados, mostrando toda a mansidão para com todos os homens. 3 Porque também nós éramos outrora insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias paixões e deleites, vivendo em malícia e inveja odiosos e odiando-nos uns aos outros. 4 Mas quando apareceu a bondade de Deus, nosso Salvador e o seu amor para com os homens, 5 não em virtude de obras de justiça que nós houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou mediante o lavar da regeneração e renovação pelo Espírito Santo, 6 que ele derramou abundantemente sobre nós por Jesus Cristo, nosso Salvador; 7 para que, sendo justificados pela sua graça, fôssemos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna. 8 Fiel é esta palavra, e quero que a proclames com firmeza para que os que crêem em Deus procurem aplicar-se às boas obras. Essas coisas são boas e proveitosas aos homens. 9 Mas evita questões tolas, genealogias, contendas e debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs. 10 Ao homem faccioso, depois da primeira e segunda admoestação, evita-o, 11 sabendo que esse tal está pervertido, e vive pecando, e já por si mesmo está condenado”.76 Ao nos inteirar de tudo isso pensemos qual será a nossa atitude, o que nos cabe fazer, se optarmos por viver segundo as Leis de Deus. Tito nos remete a muitos outros textos quando fala sobre autoridade, submissão, exortação, ou seja, como, quando e com que intensidade devemos “pegar no pé”, cobrar, empurrar o amigo, ou este que é o nosso próximo. Qual o limite entre a indiferença e o controle, entre o amor e o jugo, entre a ajuda e a acusação? O ponto de equilíbrio não é uma matéria simplória, mas que só o amor, que se chama Espírito Santo de Deus77 pode dar a cada momento, para cada pessoa e para cada caso concreto. Autoridade implica também, e na prática, em que um se submeta ao outro, ou seja, que todos reconheçam a sua posição em determinado momento ou lugar. 76 Tito 3. 77 No texto enviado “O Ponto de equilíbrio”, tratamos deste assunto.
  • 28. 28 6.a Pegar no pé Vamos seguir então primeiro no tocante ao que as Leis Perfeitas nos direcionam quanto a “pegar no pé”. Isso, só por amor aceitamos: tanto para exercer a função como para submeter-se. É difícil para ambos. Porém, é mandamento, tanto para um como para outro. “12 Vede, irmãos, que nunca se ache em qualquer de vós um perverso coração de incredulidade, para se apartar do Deus vivo; 13 antes exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado; 14 porque nos temos tornado participantes de Cristo, se é que guardamos firme até o fim a nossa confiança inicial; 15 enquanto se diz: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações, como na provocação; 16 pois quais os que, tendo-a ouvido, o provocaram? Não foram, porventura, todos os que saíram do Egito por meio de Moisés? 17 E contra quem se indignou por quarenta anos? Não foi porventura contra os que pecaram, cujos corpos caíram no deserto? 18 E a quem jurou que não entrariam no seu descanso, senão aos que foram desobedientes? 19 E vemos que não puderam entrar por causa da incredulidade”.78 Para que a pessoa não se cauterize no erro, a ordem de Deus é falar, por mais que isso seja difícil para quem fala e para quem escuta. “1 Conjuro-te diante de Deus e de Cristo Jesus, que há de julgar os vivos e os mortos, pela sua vinda e pelo seu reino; 2 prega a palavra, insta a tempo e fora de tempo, admoesta, repreende, exorta, com toda longanimidade e ensino. 3 Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, 4 e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas. 5 Tu, porém, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério”.79 Não é fácil permanecer no “estreito”, e muitos preferem o alívio momentâneo, saindo então da sua posição, ou de comando ou de submissão, sem, contudo, analisar as conseqüências futuras, muitas vezes irreparáveis. Devemos então pregar, falar, exortar, mesmo nos custando muito (muitas vezes o rompimento da relação), mesmo sabendo, como nos adverte Deus, que muitos não vão querer escutar. Fala o Senhor do Universo aos que estão em posição de 78 Hebreus 3. 79 II a Timóteo 4.
  • 29. 29 autoridade, para que não sejam rebeldes como os rebeldes, e assim, falar, mesmo que por isso sintam-se no momento, entre escorpiões ou espinhos. É preciso que seja documentado (nos Livros de Deus) o interesse e a fidelidade de Deus por cada um, a chance que Ele dá a todos, e esta é a razão de precisar falar mesmo que alguns não queiram escutar como Ele adverte, pois no momento do julgamento final, as testemunhas e as acusações serão efetivas; as provas então, terão que estar presentes. “12 E vi os mortos, grandes e pequenos, em pé diante do trono; e abriram-se uns livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida; e os mortos (TODOS NÓS VAMOS UM DIA MORRER) foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras”.80 Percebemos, e isto nos enche de temor e zelo, que estamos em pleno julgamento, ou seja, tudo o que fazemos está sendo registrado: cada passo, cada idéia, cada pensamento, para ser argüido pelo Poderoso, no momento final, se é que não nos apercebemos antes do erro, nos arrependemos e nos desviamos, nos convertemos do mau caminho, recebendo, depois de provados e aprovados, a alforria vindo da parte do Justo. Os que sabem muito e os que sabem pouco serão julgados na medida de cada um, e, jamais, alguém poderá alegar desconhecimento da Lei, assim como rezam também os códigos humanos. Hoje os códigos estão à disposição de qualquer um, tantos os humanos quanto o DIVINO. “48 mas o que não a soube, e fez coisas que mereciam castigo, com poucos açoites será castigado. Daquele a quem muito é dado, muito se lhe requererá; e a quem muito é confiado, mais ainda se lhe pedirá.”.81 “27 E se alguém dentre a plebe pecar por ignorância, fazendo qualquer das coisas que o Senhor ordenou que não se fizessem, e assim se tornar culpado”.82 “17 Se alguém pecar, fazendo qualquer de todas as coisas que o Senhor ordenou que não se fizessem, ainda que não o soubesse, contudo será ele culpado, e levará a sua iniqüidade”.83 Não nos enganemos, pois segundo Deus, ninguém poderá se livrar do juízo, e o Espírito de Deus nos convence a cada instante deste.84 Deus não terá então, o culpado por inocente,85 e para isso, assim 80 Apocalipse 20. 81 Lucas 12:48. 82 Levítico 4:27. 83 Levítico 5:17. 84 João 16:8. 85 Números 14:18.
  • 30. 30 como para tudo, Deus não faz acepções,86 sendo este o grande motivo que vai nos servir de freio para muitos momentos em que a gota d’água transborda. Pode acontecer que percamos aí o fio da meada, advindo então o descontrole, o desequilíbrio, nos fazendo perder a justa posição, ou seja, o ponto de equilíbrio, o que nos colocará neste exato instante na condição de uma pessoa desequilibrada. Desequilibramo-nos, mas temos o socorro de Deus, se houver o arrependimento, não de boca, mas efetivo, e o perdão de Deus nos colocará novamente no prumo, se suportarmos as provas que virão, diante da multidão de testemunhas, para testificar se o perdão ou as desculpas que pedimos são realmente um ritual vazio ou partem de um coração contrito. Não nos enganemos: de Deus não se zomba, a sua escola é real, Ele forja soldados no meio da batalha e Ele não é homem. “4 Aquele que está sentado nos céus se rirá; o Senhor zombará deles”.87 “9 Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”.88 O julgamento de Deus não é uma opressão ou tirania, mas só a direção para que não nos percamos, para que nos livremos, para que possamos herdar o Seu Reino, como Ele quer que todos herdem. O livre arbítrio nos serve muitas vezes de laço para o nosso coração enganoso e desesperadamente corrupto como nos fala Jeremias, e a insanidade das nossas atitudes muitas vezes nos condenam irremediavelmente. Estejamos, pois, alertas. “48 Quem me rejeita, e não recebe as minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o julgará no último dia”.89 “16 no dia em que Deus há de julgar os segredos dos homens, por Cristo Jesus, segundo o meu evangelho”.90 “1 Conjuro-te diante de Deus e de Cristo Jesus, que há de julgar os vivos e os mortos, pela sua vinda e pelo seu reino”.91 “30 Pois conhecemos aquele que disse: Minha é a vingança, eu retribuirei. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo”.92 86 I Pedro 1:17. 87 Salmo 2. 88 I João 1. 89 João 12:48. 90 Romanos 2. 91 II a Timóteo 4. 92 Hebreus 10.
  • 31. 31 “5 os quais hão de dar conta ao que está preparado para julgar os vivos e os mortos”.93 “21 Estas coisas tens feito, e eu me calei; pensavas que na verdade eu era como tu; mas eu te argüirei, e tudo te porei à vista. 22 Considerai pois isto, vós que vos esqueceis de Deus, para que eu não vos despedace, sem que haja quem vos livre.”.94 “4 Então vi uns tronos; e aos que se assentaram sobre eles foi dado o poder de julgar; e vi as almas daqueles que foram degolados por causa do testemunho de Jesus e da palavra de Deus, e que não adoraram a besta nem a sua imagem, e não receberam o sinal na fronte nem nas mãos; e reviveram, e reinaram com Cristo durante mil anos”.95 O ponto de equilíbrio, como já vimos, é a matéria mais difícil para se aprender e entendi que este é um tema que não se esgota, pois a cada dia, a cada momento surgem fatos novos, e para cada um, teremos um ponto justo, que nos dará, se pedirmos, ao único EQUILIBRADO, e que se chama Espírito Santo de Deus. Observemos o que nos ordena Deus neste sentido: “16 Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e simples como as pombas”.96 Observe o leitor se esta não é uma proposta para se pensar durante toda uma vida, como o faço nesses tantos anos que vivo com Deus, sem a interferência de nenhuma religião, aliás, bem longe de cada uma delas. Como uma pessoa poderá aprender a ser mansa como uma pomba e astuta como uma cobra sem virar uma delas? Se equilibrando. É fácil entender que para se equilibrar nesta proposta teremos que ter o auxílio contínuo do Deus Trino, que é UNO, e todos os dias estaremos na Escola de Deus aprendendo, entre outras tantas coisas, como faremos para nos equilibrar em um mundo totalmente desequilibrado: “19 Sabemos que somos de Deus, e que o mundo inteiro jaz no Maligno”.97 “26 Jesus, fixando neles o olhar, respondeu: Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível”.98 93 I Pedro 4. 94 Salmo 50. 95 Apocalipse 20. 96 Mateus 10. 97 João 5:19. 98 Mateus 19.
  • 32. 32 Vamos então prosseguindo com o cerne da questão que é exatamente ter que falar para pessoas que normalmente não querem escutar, ou seja, “pegar no pé” é a ordem de Deus Pai, quer queiramos ou não: “4 E os filhos são de semblante duro e obstinados de coração. Eu te envio a eles, e lhes dirás: Assim diz o Senhor Deus. 5 E eles, quer ouçam quer deixem de ouvir (porque eles são casa rebelde), hão de saber que esteve no meio deles um profeta. 6 E tu, ó filho do homem, não os temas, nem temas as suas palavras; ainda que estejam contigo sarças e espinhos, e tu habites entre escorpiões; não temas as suas palavras, nem te assustes com os seus semblantes, ainda que são casa rebelde. 7 Mas tu lhes dirás as minhas palavras, quer ouçam quer deixem de ouvir, pois são rebeldes. 8 Mas tu, ó filho do homem, ouve o que te digo; não sejas rebelde como a casa rebelde; abre a tua boca, e come o que eu te dou”99 . “7 Mas a casa de Israel não te quererá ouvir; pois eles não me querem escutar a mim; porque toda a casa de Israel é de fronte obstinada e dura de coração. 8 Eis que fiz duro o teu rosto contra os seus rostos, e dura a tua fronte contra a sua fronte. 9 Fiz como esmeril a tua fronte, mais dura do que a pederneira. Não os temas pois, nem te assustes com os seus semblantes, ainda que são casa rebelde. 18 Quando eu disser ao ímpio: Certamente morrerás; se não o avisares, nem falares para avisar o ímpio acerca do seu mau caminho, a fim de salvares a sua vida, aquele ímpio morrerá na sua iniqüidade; mas o seu sangue, da tua mão o requererei: 19 Contudo se tu avisares o ímpio, e ele não se converter da sua impiedade e do seu mau caminho, ele morrerá na sua iniqüidade; mas tu livraste a tua alma. 20 Semelhantemente, quando o justo se desviar da sua justiça, e praticar a iniqüidade, e eu puser diante dele um tropeço, ele morrerá; porque não o avisaste, no seu pecado morrerá e não serão lembradas as suas ações de justiça que tiver praticado; mas o seu sangue, da tua mão o requererei. 21 Mas se tu avisares o justo, para que o justo não peque, e ele não pecar, certamente viverá, porque recebeu o aviso; e tu livraste a tua alma.100 “5 Por esta causa te deixei em Creta, para que pusesses em boa ordem o que ainda não o está, e que em cada cidade estabelecesses anciãos, como já te mandei; 6 alguém que seja irrepreensível, marido de uma só mulher, tendo filhos crentes que não sejam acusados de dissolução, nem sejam 99 Ezequiel 2. 100 Ezequiel 3.
  • 33. 33 desobedientes. 7 Pois é necessário que o bispo seja irrepreensível, como despenseiro de Deus, não soberbo, nem irascível, nem dado ao vinho, nem espancador, nem cobiçoso de torpe ganância; 8 mas hospitaleiro, amigo do bem, sóbrio, justo, piedoso, temperante; 9 retendo firme a palavra fiel, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para exortar na sã doutrina como para convencer os contradizentes. 10 Porque há muitos insubordinados, faladores vãos, e enganadores, especialmente os da circuncisão, 11 aos quais é preciso tapar a boca; porque transtornam casas inteiras ensinando o que não convém, por torpe ganância. 12 Um dentre eles, seu próprio profeta, disse: Os cretenses são sempre mentirosos, bestas ruins, glutões preguiçosos. 13 Este testemunho é verdadeiro. Portanto repreende-os severamente, para que sejam são na fé”.101 6.a.1 Até quando? Porém, o tempo para se falar e para se escutar não é eterno, mas finito. Adverte-nos, portanto as Leis Sagradas no Livro de Isaías: “6 Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto”.102 Pois, haverá o momento terrível que Deus prende a língua do repreendedor, do chato, e a pessoa que está no erro fica a mercê de si mesmo, entregue as suas paixões infames: “20 Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis; 21 porquanto, tendo conhecido a Deus, contudo não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes nas suas especulações se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. 22 Dizendo-se sábios, tornaram-se estultos, loucos, (...) 24 Por isso Deus os entregou, nas concupiscências de seus corações, (...) 25 pois trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura antes que ao Criador, que é bendito eternamente. Amém. 26 Pelo que Deus os entregou a paixões infames. (...) 28 E assim como eles rejeitaram o conhecimento de Deus, Deus, por sua vez, os entregou a um sentimento (...)”.103 Realmente, é aterrador observar alguém andando resolutamente em direção ao abismo e não se poder fazer nada. O repreendedor, nesta 101 Tito 1. 102 Isaías 55. 103 Romanos 1.
  • 34. 34 hora em que Deus assim determina, surpreendentemente, não consegue falar uma palavra sequer: “25 E quanto a ti, ó filho do homem, eis que porão cordas sobre ti, e te ligarão com elas, e tu não sairás por entre eles. 26 E eu farei que a tua língua se pegue ao teu paladar, e ficarás mudo, e não lhes servirás de repreendedor; pois casa rebelde são eles. 27 Mas quando eu falar contigo, abrirei a tua boca, e lhes dirás: Assim diz o Senhor Deus: Quem ouvir, ouça, e quem deixar de ouvir, deixe; pois casa rebelde são eles.104 Neste momento, normalmente, a pessoa que está na estrada errada fica pensando que se a casa não caiu em cima dele é porque Deus não ligou muito, ou então que ele está certo, ou que as coisas não são tão drásticas assim, afinal, a “lei de Gerson” é que prevalece, a que comanda que se deve ser “esperto”, ou seja, passar por cima dos outros é a lei da sobrevivência e quem quiser que se dane, menos ele. Este nunca viu escrito pelo dedo de Deus o quanto o Seu juízo é PERFEITO. Observemos o que fala o Deus Onipresente, Onisciente e Onipotente, que tem os olhos em todos os lugares ao mesmo tempo: “16 Mas ao ímpio diz Deus: Que fazes tu em recitares os meus estatutos, e em tomares o meu pacto na tua boca, 17 visto que aborreces a correção, e lanças as minhas palavras para trás de ti? 18 Quando vês um ladrão, tu te comprazes nele; e tens parte com os adúlteros. 19 Soltas a tua boca para o mal, e a tua língua trama enganos. 20 Tu te sentas a falar contra teu irmão; difamas o filho de tua mãe. 21 Estas coisas tens feito, e eu me calei; pensavas que na verdade eu era como tu; mas eu te argüirei, e tudo te porei à vista. 22 Considerai pois isto, vós que vos esqueceis de Deus, para que eu não vos despedace, sem que haja quem vos livre”.105 Além deste lado da moeda, é preciso que se tenha o entendimento de que Deus é justo, e o homem frágil, e que Ele é o Salvador por excelência, é o Advogado invicto, o que prometeu que ninguém seria tentado além das suas forças. Nesta promessa repousa o coração do homem, sabendo que na hora da prova não há favoritismos para Deus, nem balas de festim, mas a justiça, sempre acompanhada da MISERICÓRDIA, que é sempre maior que a Sua ira. Porém, não é sem motivo que Ele nos adverte a não temer ao homem nem ao diabo, mas só a Ele. Certamente, de Deus não se zomba: “5 Mas eu vos mostrarei a quem é que deveis temer; temei aquele que, depois de matar, tem poder para lançar no inferno; sim, digo, a esse temei”. 104 Ezequiel 3. 105 Salmo 50.
  • 35. 35 Triste é o fim deste que não entende isso: “7 Agora, pois, filhos, dai-me ouvidos, e não vos desvieis das palavras da minha boca. (...) 11 e gemas no teu fim, quando se consumirem a tua carne e o teu corpo, 12 e digas: Como detestei a disciplina! e desprezou o meu coração a repreensão! 13 e não escutei a voz dos que me ensinavam, nem aos que me instruíam inclinei o meu ouvido! 14 Quase cheguei à ruína completa, (...)”.106 A ordem do Deus que é Amor e também, Fogo Consumidor,107 é para alertar com misericórdia, com firmeza, com convicção, com zelo e autoridade. Uma coisa difícil para alguém suportar é constatar, depois de descobrir a verdade de Deus, que alguém sabia das Boas Novas, ou muitos, e estes não lutaram, não se empenharam, ou mesmo não se importaram com o infortúnio deste que ignorava, que estava no engano, mas antes se acovardaram e seguiram após o seu lucro, ou seja, não ariscaram as suas vidas para tirar este da morte eterna. Eis as funções do que serve a Deus: “1 Eis aqui o meu servo, a quem sustenho; o meu escolhido, em quem se compraz a minha alma; pus o meu espírito sobre ele. ele trará justiça às nações. 2 Não clamará, não se exaltará, nem fará ouvir a sua voz na rua. 3 A cana trilhada, não a quebrará, nem apagará o pavio que fumega; em verdade trará a justiça; 4 não faltará nem será quebrantado, até que ponha na terra a justiça; e as ilhas aguardarão a sua lei. 5 Assim diz Deus, o Senhor, que criou os céus e os desenrolou, e estendeu a terra e o que dela procede; que dá a respiração ao povo que nela está, e o espírito aos que andam nela. 6 Eu o Senhor te chamei em justiça; tomei-te pela mão, e te guardei; e te dei por pacto ao povo, e para luz das nações; 7 para abrir os olhos dos cegos, para tirar da prisão os presos, e do cárcere os que jazem em trevas. 8 Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não a darei, nem o meu louvor às imagens esculpidas”.108 “18 e conheces a sua vontade e aprovas as coisas excelentes, sendo instruído na lei; 19 e confias que és guia dos cegos, luz dos que estão em trevas, 20 instruidor dos néscios, mestre de crianças, que tens na lei a forma da ciência e da verdade”.109 Eis aqui a herança e o respaldo deste que está engrossando as fileiras do Exército de Deus: 106 Provérbios 5. 107 Hebreus 12:29. 108 Isaías 42. 109 Romanos 2.
  • 36. 36 “8 Mas tu, ó Israel, servo meu, tu Jacó, a quem escolhi, descendência de Abraão, 9 tomei desde os confins da terra, e te chamei desde os seus cantos, e te disse: Tu és o meu servo, a ti te escolhi e não te rejeitei; 10 não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça. 11 Eis que envergonhados e confundidos serão todos os que se irritam contra ti; tornar-se-ão em nada; e os que contenderem contigo perecerão. 12 Quanto aos que pelejam contigo, buscá-los-ás, mas não os acharás; e os que guerreiam contigo tornar-se-ão em nada e perecerão. 13 Porque eu, o Senhor teu Deus, te seguro pela tua mão direita, e te digo: Não temas; eu te ajudarei. 14 Não temas, ó bichinho de Jacó, nem vós, povozinho de Israel; eu te ajudo, diz o Senhor, e o teu redentor é o Santo de Israel. 15 Eis que farei de ti um trilho novo, que tem dentes agudos; os montes trilharás e os moerás, e os outeiros tornarás como a pragana. 16 Tu os padejarás e o vento os levará, e o redemoinho os espalhará; e tu te alegrarás no Senhor e te gloriarás no Santo de Israel. 17 Os pobres e necessitados buscam água, e não há, e a sua língua se seca de sede; mas eu o Senhor os ouvirei, eu o Deus de Israel não os desampararei. 18 Abrirei rios nos altos desnudados, e fontes no meio dos vales; tornarei o deserto num lago d'água, e a terra seca em mananciais. 19 Plantarei no deserto o cedro, a acácia, a murta, e a oliveira; e porei no ermo juntamente a faia, o olmeiro e o buxo; 20 para que todos vejam, e saibam, e considerem, e juntamente entendam que a mão do Senhor fez isso, e o Santo de Israel o criou”.110 “17 Tu, pois, cinge os teus lombos, e levanta-te, e dêem-lhes tudo quanto eu te ordenar; não desanimes diante deles, para que eu não te desanime diante deles. 18 Eis que hoje te ponho como cidade fortificada, e como coluna de ferro e muros de bronze contra toda a terra, contra os reis de Judá, contra os seus príncipes, contra os seus sacerdotes, e contra o povo da terra. 19 E eles pelejarão contra ti, mas não prevalecerão; porque eu sou contigo, diz o Senhor, para te livrar”.111 “2 eu irei adiante de ti, e tornarei planos os lugares escabrosos; quebrarei as portas de bronze, e despedaçarei os ferrolhos de ferro”.112 “20 E eu te porei contra este povo como forte muro de bronze; eles pelejarão contra ti, mas não prevalecerão contra ti; porque eu sou contigo para te salvar, para te livrar, diz o 110 Isaías 41. 111 Jeremias 1 112 Isaías 45.
  • 37. 37 Senhor. 21 E arrebatar-te-ei da mão dos iníquos, e livrar-te-ei da mão dos cruéis”.113 Como vemos, Deus capacita e guarda a cada um que chama e estabelece como autoridade na terra. Como diz a música de Cassiane: “Bem guardado deste jeito, desistir por quê?” Constatamos que Deus garante a este que designou para falar e exercer autoridade, e isto porque sabe que para muitos é quase impossível cumprir a missão de exortar, falar, dar o recado, por vários motivos, como foi com Jeremias: “5 Antes que eu te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre te santifiquei; às nações te dei por profeta. 6 Então disse eu: Ah, Senhor Deus! Eis que não sei falar; porque sou um menino. 7 Mas o Senhor me respondeu: Não digas: Eu sou um menino; porque a todos a quem eu te enviar, irás; e tudo quanto te mandar dirás. 8 Não temas diante deles; pois eu seu contigo para te livrar, diz o Senhor”.114 Com Moisés: “10 Agora, pois, vem e eu te enviarei a Faraó, para que tireis do Egito o meu povo, os filhos de Israel. 11 Então Moisés disse a Deus: Quem sou eu, para que vá a Faraó e tire do Egito os filhos de Israel”.115 “1 Então respondeu Moisés: Mas eis que não me crerão, nem ouvirão a minha voz, pois dirão: O Senhor não te apareceu. 10 Então disse Moisés ao Senhor: Ah, Senhor! eu não sou eloqüente, nem o fui dantes, nem ainda depois que falaste ao teu servo; porque sou pesado de boca e pesado de língua. 11 Ao que lhe replicou o Senhor: Quem faz a boca do homem? ou quem faz o mudo, ou o surdo, ou o que vê, ou o cego?. Não sou eu, o Senhor? 12 Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar. 13 Ele, porém, respondeu: Ah, Senhor! envia, peço-te, por mão daquele a quem tu hás de enviar. 14 Então se acendeu contra Moisés a ira do Senhor, e disse ele: Não é Arão, o levita, teu irmão? eu sei que ele pode falar bem. Eis que ele também te sai ao encontro, e vendo-te, se alegrará em seu coração”.116 Como vemos, muitas vezes falamos porque não queremos a ira de Deus sobre nós, e, sobretudo porque O amamos mais que a própria vida. Realmente, não há como não temer falar se há a consciência do que significa a árdua missão, e muitos são os exemplos que poderíamos citar neste sentido, mas, estejamos certos de que não 113 Jeremias 15. 114 Jeremias 1. 115 Êxodo 3. 116 Êxodo 4.
  • 38. 38 poderemos nos furtar a ignorar uma ordem do Todo Poderoso, pois seria insanidade. “11 Quando, pois, vos levarem às sinagogas, aos magistrados e às autoridades, não estejais solícitos de como ou do que haveis de responder, nem do que haveis de dizer. 12 Porque o Espírito Santo vos ensinará na mesma hora o que deveis dizer”.117 E não só a este que vai escutar especificamente se estenderá o benefício, mas também aos que estão à sua volta: “20 Aos que vivem no pecado, repreende-os na presença de todos, para que também os outros tenham temor”.118 Deixa-nos claro, o Mestre, o Príncipe da Paz, a que veio: “34 Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada”.119 Ordens são ordens, e partindo de onde vem, certamente não há o que discutir: “11 Porque este mandamento, que eu hoje te ordeno, não te é difícil demais, nem tampouco está longe de ti. 12 Não está no céu para dizeres: Quem subirá por nós ao céu, e no-lo trará, e no-lo fará ouvir, para que o cumpramos? 13 Nem está além do mar, para dizeres: Quem passará por nós além do mar, e no-lo trará, e no-lo fará ouvir, para que o cumpramos? 14 Mas a palavra está mui perto de ti, na tua boca, e no teu coração, para a cumprires. 15 Vê que hoje te pus diante de ti a vida e o bem, a morte e o mal. 16 Se guardares o mandamento que eu hoje te ordeno de amar ao Senhor teu Deus, de andar nos seus caminhos, e de guardar os seus mandamentos, os seus estatutos e os seus preceitos, então viverás, e te multiplicarás, e o Senhor teu Deus te abençoará na terra em que estás entrando para a possuíres. 17 Mas se o teu coração se desviar, e não quiseres ouvir, e fores seduzido para adorares outros deuses, e os servires, 18 declaro-te hoje que certamente perecerás; não prolongarás os dias na terra para entrar na qual estás passando o Jordão, a fim de a possuíres. 19 O céu e a terra tomo hoje por testemunhas contra ti de que te pus diante de ti a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência,20 amando ao Senhor teu Deus, obedecendo à sua voz, e te apegando a ele; pois ele é a tua vida, e o prolongamento dos teus dias; e para que habites na terra que 117 Lucas 12. 118 I a Timóteo 5. 119 Mateus 10.
  • 39. 39 o Senhor prometeu com juramento a teus pais, a Abraão, a Isaque e a Jacó, que lhes havia de dar”.120 “7 Pelo que, como diz o Espírito Santo: Hoje, se ouvirdes a sua voz, 8 não endureçais os vossos corações, como na provocação, no dia da tentação no deserto, 9 onde vossos pais me tentaram, pondo-me à prova, e viram por quarenta anos as minhas obras. 10 Por isto me indignei contra essa geração, e disse: Estes sempre erram em seu coração, e não chegaram a conhecer os meus caminhos. 11 Assim jurei na minha ira: Não entrarão no meu descanso. 12 Vede, irmãos, que nunca se ache em qualquer de vós um perverso coração de incredulidade, para se apartar do Deus vivo; 13 antes exortai- vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado; 14 porque nos temos tornado participantes de Cristo, se é que guardamos firme até o fim a nossa confiança inicial; 15 enquanto se diz: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações, como na provocação; 16 pois quais os que, tendo-a ouvido, o provocaram? Não foram, porventura, todos os que saíram do Egito por meio de Moisés? 17 E contra quem se indignou por quarenta anos? Não foi porventura contra os que pecaram, cujos corpos caíram no deserto? 18 E a quem jurou que não entrariam no seu descanso, senão aos que foram desobedientes? 19 E vemos que não puderam entrar por causa da incredulidade”.121 6.b Quem estará com autoridade para repreender? Todos os que estiverem em autoridade: os pais, os professores, as autoridades públicas em geral, os que têm mais conhecimento em alguma matéria, os mais velhos na fé, os juízes (os de Deus e os da Terra), as crianças que porventura Deus usar, ou seja, qualquer pessoa. Todos nós estamos sujeitos a alguma autoridade: “21 sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo”.122 “2 com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor”.123 Os tímidos, os covardes, não herdarão o Reino de Deus.124 Espera-se então que as pessoas saibam colocar as suas perspectivas, os seus direitos, o direito do próximo, as suas convicções, com ordem e com decência, com zelo e amor, conquistando o Reino com a violência 120 Deuteronômio 30. 121 Hebreus 3. 122 Efésios 5. 123 Efésios 4. 124 Apocalipse 21:8.
  • 40. 40 devida, porém não por força e nem por poder, mas pelo Espírito do Senhor, como está escrito,125 para que então seja manifesta a VERDADE de Deus: “19 E até importa que haja entre vós facções, para que os aprovados se tornem manifestos entre vós”.126 “21 Apresentai a vossa demanda, diz o Senhor; trazei as vossas firmes razões, diz o Rei de Jacó”.127 “26 Procura lembrar-me; entremos juntos em juízo; apresenta as tuas razões, para que te possas justificar!”.128 “6 e Jerusalém, sobre os teus muros pus atalaias, que não se calarão nem de dia, nem de noite; ó vós, os que fazeis lembrar ao Senhor, não descanseis, 7 e não lhe deis a ele descanso até que estabeleça Jerusalém e a ponha por objeto de louvor na terra”.129 Isto terá que ser feito não por vanglória, nem por soberba, nem pelo prazer de ganhar a discussão, mas com o pensamento no Reino de Deus e na Sua justiça, considerando os outros e com o firme propósito de deixar Cristo crescer no seu interior, e a si mesmo diminuir,130 não mais viver, mas Cristo viver em si,131 esvaziando-se então dos seus achômetros: “3 nada façais por contenda ou por vanglória, mas com humildade cada um considere os outros superiores a si mesmo; 4 não olhe cada um somente para o que é seu, mas cada qual também para o que é dos outros. 5 Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus, 6 o qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar, 7 mas esvaziou- se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens; 8 e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz. 9 Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome; 10 para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, 11 e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai”.132 125 Zacarias 4:6. 126 I aos Cor 11. 127 Isaías 41. 128 Isaías 53. 129 Isaías 62. 130 João 3:30. 131 Gálatas 2:20. 132 Filipenses 2.
  • 41. 41 Fala o Apóstolo Paulo, com autoridade sobre a matéria, pois foi provado e aprovado nela: “6 Ora, irmãos, estas coisas eu as apliquei figuradamente a mim e a Apolo, por amor de vós; para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito, de modo que nenhum de vós se ensoberbeça a favor de um contra outro. 7 Pois, quem te diferença? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te glorias, como se não o houveras recebido? 8 Já estais fartos! já estais ricos! sem nós já chegastes a reinar! e oxalá reinásseis de fato, para que também nós reinássemos convosco! 9 Porque tenho para mim, que Deus a nós, apóstolos, nos pôs por últimos, como condenados à morte; pois somos feitos espetáculo ao mundo, tanto a anjos como a homens. 10 Nós somos loucos por amor de Cristo, e vós sábios em Cristo; nós fracos, e vós fortes; vós ilustres, e nós desprezíveis. 11 Até a presente hora padecemos fome, e sede; estamos nus, e recebemos bofetadas, e não temos pousada certa, 12 e nos afadigamos, trabalhando com nossas próprias mãos; somos injuriados, e bendizemos; somos perseguidos, e o suportamos; 13 somos difamados, e exortamos; até o presente somos considerados como o refugo do mundo, e como a escória de tudo. 14 Não escrevo estas coisas para vos envergonhar, mas para vos admoestar, como a filhos meus amados. 15 Porque ainda que tenhais dez mil aios em Cristo, não tendes contudo muitos pais; pois eu pelo evangelho vos gerei em Cristo Jesus. 16 Rogo-vos, portanto, que sejais meus imitadores. 17 Por isso mesmo vos enviei Timóteo, que é meu filho amado, e fiel no Senhor; o qual vos lembrará os meus caminhos em Cristo, como por toda parte eu ensino em cada igreja. 18 Mas alguns andam inchados, como se eu não houvesse de ir ter convosco. 19 Em breve, porém, irei ter convosco, se o Senhor quiser, e então conhecerei, não as palavras dos que andam inchados, mas o poder. 20 Porque o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder. 21 Que quereis? Irei a vós com vara, ou com amor e espírito de mansidão?”.133 133 I aos Cor 4.
  • 42. 42 6.c O outro lado da moeda Exortar é o recurso de Deus para libertar o rebelde, mas, teremos que observar o outro lado da moeda, o outro extremo, o que Deus nos fala quando escreve: “9 Não te apresses no teu espírito a irar-te, porque a ira abriga-se no seio dos tolos”.134 “16 Não sejas demasiadamente justo, nem demasiadamente sábio; por que te destruirias a ti mesmo”.135 Ou seja, não passe da medida do justo, nem para menos e nem para mais, para que não se torne injusta a tua atitude, pois cada um tem uma medida e isto deve ser respeitado na exata medida da desigualdade de cada um. O príncipe da Paz recomenda aos seus instrumentos, a cautela na autoridade, apesar do rigor em que deverá ser aplicada a reprimenda: “10 Portanto, escrevo estas coisas estando ausente, para que, quando estiver presente, não use de rigor, segundo a autoridade que o Senhor me deu para edificação, e não para destruição”.136 Marília de Camargo Cézar, em seu livro “Feridos em nome de Deus”137 , faz algumas colocações que nos fazem pensar muito da responsabilidade deste que terá que exortar. O tema do livro versa sobre o abuso espiritual desses que estão na liderança dessas igrejas que se dizem cristãs, que é um verdadeiro absurdo, ou seja, não se tem como medir o tamanho do abuso e nem a intensidade das lesões ao abusado,138 porém, cita a autora também que muitos desses abusadores, são, na verdade, tão vítimas quanto os abusados: vítimas do esquema religioso, que é mortífero e falido. Observemos alguns pequenos trechos do livro para que possamos meditar sobre o fato de que muitas autoridades entraram pelo caminho do engano. Neste embrolho, excluindo os mercenários, todos são vítimas. Queremos ressaltar também que a autora não é teóloga, mas uma jornalista que se propôs a fazer uma reportagem sobre os abusados dentro das igrejas. Ela relata as experiências dos seus entrevistados e coloca a visão de muitos homens de Deus que saem, vamos dizer assim, do lugar comum e se indispõem contra o sistema do status quo. Durante a leitura que considerei, apesar de algumas 134 Eclesiastes 7. 135 Eclesiastes 7. 136 II aos Cor 13:10. 137 Mc Mundo Cristão; 2009;SP. 138 Tratamos deste assunto no texto “Os Protestos de Hoje”.
  • 43. 43 ressalvas, de grande valia, como mais um documento sobre o assunto ainda não tão considerado como deveria e também um grande alerta àquela liderança que está imbuída no sistema que ainda admite a igreja como sendo a Casa de Deus, se contrapondo às Escrituras que fartamente nos fala que Deus não habita em templos feitos por mãos de homens,139 e que não estão no rol dos considerados mercenários. Aliás, diagnosticar aí o joio e o trigo, se torna quase impossível, diante da “doença” que se instala em todos os que ainda participam e estão ainda inseridos na Babilônia, a prostituta do apocalipse, esta que faz comércio até com alma de homens.140 No texto por nós escrito “Os Protestos de hoje” fundamentamos mais amplamente a questão, mas quero registrar aqui o que Deus nos fala em Apocalipse: “Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos sete pecados, e para que não incorras nas suas pragas”.141 O fato de alguém ainda estar inserido neste contexto falido dá margem para que um líder bem intencionado mergulhe no engano e acabe sendo um instrumento de destruição. Achei bastante útil a “reportagem” que se transformou em um livro para que todo e qualquer líder se analise, se reveja, considere e, porventura encontre a libertação para situações dentro da sua alma que se opõem ao evangelho do Cristo Bíblico. Certamente muitos serão beneficiados com a leitura deste livro. Eu, que exerço uma liderança, embora trabalhando para Deus “fora da porta”142 , me senti cobrada, e a leitura me levou a uma reflexão, a uma auto-análise, a me julgar a mim mesma para que eu não tenha que sofrer a desventura de ver a “Rocha” caindo sobre mim. Fala a Sabedoria Divina, que será necessário que nos façamos em pedaços e caiamos sobre a Rocha, para que Ela não venha, caindo sobre nós, nos fazer virar pó.143 Achei provocativa a leitura e bastante útil para todos os que receberam de Deus uma incumbência de liderança, que, como já vimos, ninguém escapa. Que Deus tenha misericórdia de todos nós, pois representar a Deus é a mais difícil tarefa que um homem pode receber. Uma das primeiras passagens bíblicas que fui levada pelo Espírito de Deus para ler foi Ezequiel 34, onde está ali a ira de Deus sobre os pastores que apascentam-se a si mesmos e se engordam às custas das ovelhas. Fiquei estarrecida e naquele momento, primeiro senti um grande alívio de não ser isso (na época eu ainda não havia entendido o meu 139 Atos, 7:48; 17:24, etc. 140 Apocalipse 18:13. 141 Apocalipse 18:4. 142 Hebreus 13:12. 143 Mateus 21:44.
  • 44. 44 chamado), pensei comigo que jamais iria querer ser um líder e depois senti uma grande compaixão por essas pessoas. Hoje, entre outras coisas, tenho a incumbência de, exatamente, fora da porta,144 como Jesus trabalhava, denunciar os abusos dentro dessas igrejas e os mercenários que se sentam no lugar de Deus145 escravizando as pessoas, mas também sou um líder espiritual, e como tal, necessitada da grande misericórdia de Deus, que sem a qual seríamos consumidos. Sou muito grata a Deus por toda a edificação que me trouxe este trabalho. Porém, quero fazer uma ressalva. A maneira como está colocada as questões, dá margem a que as pessoas, e principalmente, os independentes, os rebeldes, se arvorem a levantar mais ainda as suas bandeiras molhadas com o sangue de Lúcifer (ele tem sangue?) e se percam mais ainda. Segundo Deus, seremos alforriados desta liderança mercenária que no passado pedimos a Deus, rejeitando-O como Rei,146 pois, assim como Ele havia alertado ela nos trouxe vergonha e jugo. Jesus nos fala que, enfim, “haverá um só pastor e um só rebanho”,147 e nos mostra que não há mais lugar específico para se adorar a Deus,148 e que esta casa, que Ele consentiu com o homem que fosse erguido,149 não porque fora idéia Sua, mas para que o homem percebesse aonde tudo isso iria nos levar, desta, não vai sobrar pedra sobre pedra que não seja derrubada,150 pois foi transformada por nós em covil de ladrões, quebrando assim o pacto que fizemos com Deus quando nos fez a concessão para permitir construí-la.151 Esses templos do status quo vão ser destruídos assim como o foram os outros, e no lugar dela será erguido o tempo que Jesus construiu, que é o coração do homem, o lugar mais sublime e de mais difícil acesso, casa esta que não foi feita por mãos humanas. Estes templos se proliferam a cada dia, pois mais e mais pessoas decidem transformarem-se em santuários do Deus vivo, ser uma arca que anda, decidem morrer para nascer de novo, desta vez como filho de Deus, tendo então os seus nomes escritos no Livro da Vida. Fala também que nos últimos dias Ele vai colocar os juízes como eram dantes.152 Porém, mesmo sabendo que esta liderança não tem mais respaldo, sabemos também que todos são liderados de alguma maneira. 144 Hebreus 13. 145 Mateus 23. 146 I Samuel 8 e SS. 147 João 10:16. 148 João 4:20/24. 149 Isaías 66; II Crônicas 7. 150 Mateus 24:2. 151 II Crônicas 7. 152 Isaías 1:26.
  • 45. 45 Haverá momentos em que teremos que escutar de uma mula falando, pois o Vento Veemente sopra quando quer, onde quer e por quem quiser.153 Teremos sempre então alguém a quem prestar contas das nossas atitudes, e toda autoridade foi instituída por Deus e O representa. Deus trabalha com a autoridade delegada. A reação de Deus a uma rebeldia, à uma afronta à Sua autoridade na Bíblia é sempre drástica, pois este é o princípio maldito que teve origem em Lúcifer, um anjo perfeito, que por este motivo se transformou em satanás, o requinte da imperfeição. Não há no livro uma conclusão, um direcionamento a esta questão. A autora nos dá um documento muito importante em relação a alertar a que se saia da Babilônia, mas as ovelhas de Deus não encontram um respaldo bíblico para uma sujeição fora da porta, para que pratiquem a submissão e a humildade, sem os quais não poderão ser refinados, lixados e transformados em líderes, autoridades e dignos representantes do Deus Vivo. Mesmo, como já citamos, que o trabalho seja uma reportagem específica, eu percebi um perigo muito grande neste sentido, e é uma pena que neste trabalho nos falte este quesito, para que o equilíbrio tome o seu lugar e não seja o leitor induzido a ir para o outro extremo, que seria uma desgraça igual ou pior. 6.d Trechos do livro “Feridos em nome de Deus” Volto a afirmar que a autora é uma jornalista e o livro cumpre a sua função de informar no sentido do abuso, mas, senti de fazer um alerta aos leitores neste sentido para que não saiam de um engano e entrem em outro. (...) Caminhar sobre o solo do tema abuso espiritual exige cuidado e afeto. O solo é sagrado. Não é outro senão o coração das vítimas. (...) Mas aos poucos fui percebendo e discernindo que na ciranda do abuso espiritual não existem algozes e vítimas, mas apenas vítimas, cada qual à sua maneira e própria dimensão. 153 João 3:8.
  • 46. 46 (...) Não foi fácil ver tantas vidas abaladas justamente num lugar que deveria ser sinônimo de amparo e solidariedade: a igreja de Jesus Cristo. Um lugar que, a exemplo de um hospital de guerra, deveria oferecer enfermeiros preparados para fazer curativos, ministrar medicamentos, alimentar os feridos e escondê-los dos olhos do inimigo. Acima de tudo, reunir pessoas prontas para levar aos cansados e sobrecarregados uma palavra de esperança. (...) Com isso em mente, segue-se a Cristo para ficar rico, pois somos todos filhos de um Rei, herdeiros de toda sorte de privilégios. Segui-Lo é sair da miséria, é conseguir o emprego, a promoção ou então evitar o câncer, a paralisia, o desastre. Ninguém quer diminuir. Todos querem crescer e, se possível, viver uma vida hollywoodiana. ‘Deus é um bom negócio’.154 (...) Os evangélicos estão sendo encantados pela idolatria de imagens baratas. (...) O poder é uma espada que poucos manejam com graça. É fácil errar a mão. É fácil cair na tentação de manipular. (...) Como explica o sociólogo da religião Antônio Flávio Pierucci, o pentecostalismo traz muito poder ao culto porque é ali que se manifestam os dons do Espírito Santo, as profecias, o falar em línguas estranhas, o que leva as pessoas a sentirem que Deus se agrada delas. E isso já basta. Não é como no protestantismo original, em que a salvação precisava ser demonstrada na prática, por meio de uma vida íntegra. (...) A confiança excessiva depositada em seres humanos falíveis, a necessidade de construir bezerros de ouro, a idealização da imagem do pastor e a conseqüente decepção, as más ideologias, cheias de sutileza sobre a necessidade de obedecer à figura da autoridade e honrá-la, todos esses elementos deixaram marcas profundas na vida dessas pessoas. Não foram ensinamentos de púlpito, mas recados sutis transmitidos no convívio diário das ovelhas com seus líderes. Os mais feridos foram justamente os mais próximos. (...) o seu contato com Deus no culto é mais importante do que na vida civil. (...) “Bruxo” também era um substantivo muito usado, principalmente para quem ousasse discordar da visão “profética” do pastor ou da liderança. A passagem de I Samuel 15:23 era citada para justificar esse rótulo: a rebelião é como o pecado de feitiçaria. (...) “O pastor ensinava que quem desejasse trabalhar para o reino não poderia almejar riqueza; mas ele ostentava uma vida de 154 Frase de Ricardo Barbosa, segundo a autora.