SlideShare uma empresa Scribd logo

Redes sociais

1 de 14
Baixar para ler offline
Redes Sociais
E Inovação Digital

“Você é o que você compartilha na rede; Nova economia com a
criação inicial da enciclopédia sem ter receita com a intenção
de ser colaborativa.”

Cristiane M. Ferle
1/12/2010
2

                                       Redes Sociais e Inovação Digital



 Introdução

  São pessoas interagindo segundo um padrão de organização de rede distribuída e de alguma forma está
  relacionada com as ações das pessoas no seu meio.
  A distinção entre a inovação de ruptura e incremental envolve aplicações e resultados também
  diferentes: a de ruptura envolve a introdução de um novo conceito e a incremental significa adição ou
  diferencial num conceito já existente e aceito. A possibilidade de emergência de inovações é diretamente
  proporcional ao grau de distribuição da rede.

  o   Orkut = “Há quanto tempo eu não o vejo, o que você tem feito?”
  o   Facebook = “O que você está fazendo agora?”
  o   Twitter = “O que está acontecendo com o que você se interessa?”
  o   Foursquare = “Onde você está agora?”


                          * “Você é o que você compartilha na rede; Nova economia com a criação inicial da
                          enciclopédia sem ter receita com a intenção de ser colaborativa.”



 Qual a motivação para estar nas redes sociais?
  o Biológica
  o Castigo e Crime
  o Coletiva




                          * “Objetivo Social = benefício de causa e propósito como disseminação da bondade
                          com resultados positivos. Para empresas: não permitir que a rede se torne o SAC,
                          antes disso, tirar o cliente da rede e solucionar em até 24 horas (solucionar de
                          verdade!).”



 Fator influência:

- 1 pessoa influenciavam 7 pessoas

- 1 pessoa + celular influenciavam 17 pessoas

- 1 pessoa + REDE influenciam 2.100 pessoas

Redes Sociais e Inovação Digital
Cristiane Marques Ferle
3

 Estamos mesmo na Era da Individualidade?
  o 150 Centuriões
  o 150 Conecções
  o 130 amigos no Facebook
Atualmente as pessoas tendem a buscar a homogamia (parecidos), criando a homofilia (atração afetiva), a
fim de amar um ser igual e geram as redes. Por exemplo, uma rede social somente para dentistas.



            * “Epidemia do Riso = Foi na Tanzânia em 1962. Desejaram criar o contágio emocional e ao
            mesmo tempo muitas pessoas falam mal ou expressam seus sentimentos via Twitter.”

            * “Open Source = (Open Source Initiative) refere-se a software também conhecido por software
            livre; Cultura que traz dinheiro e também traz coisas boas.”



 A quem você ajuda nas redes sociais:
  As redes são como uma locomotiva digital onde não se manipula e existe sim um patrulhamento, como
  por exemplo, o cancelamento do ENEM.


 Sai a Era Industrial e entra a Era Digital?
Entra com o valor da diversidade e da ciência da reputação, são coisas simples mas com grandes mudanças.
Ocorre a descentralização e entra o inconsciente coletivo com o empreendedorismo. Estamos na era das
grandes verdades. Por exemplo, hoje podemos saber quem realmente são preconceituosos, um crime
virtualmente aberto, mas ainda sim um crime.
Mais exemplos: Macumba Online; I Just make Love (ANVISA entra para pesquisa sobre o uso de
preservativos).


                          * “As crianças criam a mentalidade coletiva. Por exemplo, o menino que criou
                          aplicativos para celular.”

 Saem os 4 P´s e entram os 4 C´s:
  o Conteúdo
  o Colaboração
  o Comunidade
  o Comércio
Precisa-se produzir conteúdo nas redes, escrever com sensibilidade e total transparência. Para páginas de
empresas: ter fãs ao invés de amigos é mais profissional.



 Pilares das Redes Sociais:
  o Imagem = rejuvenescer a imagem da marca; sensibilizar (definir quais são os interesses); incentivo ao
      funcionário; ações de newsletter; criação da fan page simples no Facebook em JPG leve, linkar o
      Youtube, aderir ao Foursquare com promoções, ter espaço para críticas com análise social.
  o Visibilidade = buscar visibilidade da marca, criar influência com engajamento, criar a fidelização.
      Pensar em mínimo custo com altos valores e padronizar os tamanhos dos sites.
  o Planejamento = ter planejamento de inclusão das redes, pois 72% dos brasileiros são analfabetos,
      porém lêem-se muito mais e-mails e hoje não tem tempo para ler linha editorial. Buscar a diferença
      nas redes para ter relevância.
  o Sincronizar = Sincronização de comportamentos. Por exemplo, o vídeo do Red Bull na 5ª Anevida
      simulando equipe de F1 no Box e as pessoas foram ao delírio. Com objetivos bem feitos não cria o tal

Redes Sociais e Inovação Digital
Cristiane Marques Ferle
4

      “Bando de Dados”, verificar quanto tempo de permanência no blog. Hoje o banner não tem mais
      importância visual, conforme explicita no Eyetracking.

                          * “As redes possuem vida própria e dá valor para a neutralidade.”

 Empregos de ouro da Era Digital:
  o Evangelista de Redes Sociais e Estrategista de Redes Sociais. São facilitadores de laços interpessoais
    (sabem medir a qualidade da rede para o seu negócio), é capaz de organizar as semânticas e o seu real
    objetivo de estar “ali”.

Exemplos:

- Índios On Line  negociação

- Sessão Corujão nas Favelas  redução de roubos e inclusão

- Veia Sicial  rede para saúde

- Eu Lembro  mede atuação do político eleito

- Manuel Lemos  Blogblogs: Elaborava o seu blog depois do expediente, ele fazia o que gostava e elevava
a sua qualidade de vida, mas precisava conhecer e usar a cultura de risco. Pois estamos no fim da era da
carteira assinada.



 Separação do seu tempo por dia:
  - 8 horas para o trabalho
  - 8 horas para o descanso
  - 8 horas para diversão

                          * Por que estamos aqui?
                          Essa questão está direcionada para a nova era digital, comparada à Reforma
                          Luterana. A qual é similar com as Redes Sociais, com o principal fator de humanidade
                          coletiva.



 Redes Sociais X Custo:
  O cliente aceita pagar alto para fazer anúncios na televisão, mas ainda acha caro pagar para anunciar na
  WEB. Hoje só existem portais no Brasil, agora podem demorar a aceitação do novo modo de anúncios,
  mas em breve cederão. Em contra partida faltam profissionais qualificados para fazer e exercer métricas e
  planejamento.

 Redes Sociais X Jornais:
  Debate sobre a qualidade da informação nos jornais e nas redes, com a preocupação do futuro da
  profissão dos jornalistas. Por exemplo, A Folha de SP se torna “A Falha de SP” versus Estadão que fica
  como aliado ao Serra. Os blogueiros do Irã são classificados como “mortes” versus blogueiros do NY
  Times. Somente os bons redatores e bons seres humanos sobreviverão.

                          * “Transmedia = É uma narrativa de histórias boas para se desdobrarem em várias
                          plataformas, que pode ser explorada não apenas em filme, mas também em qualquer
                          outro ambiente que gere novas informações acerca da história principal.”




Redes Sociais e Inovação Digital
Cristiane Marques Ferle
5




 Cases:
     Coca-Cola em Israel: Objetivo social da pulseirinha nas “coca vilas”, divulgada no Facebook, como a
         Farmville. Foi u sucesso e será disseminado no mundo;
     Volks: Teoria da diversão. Por que usar a escada rolante ao invés das tradicionais teclas de piano
         para sair do metrô? Foi a intenção de divertir as pessoas que no dia a dia não reparam em detalhes
         e podem se divertir;
     Macy´s: Divulgação de compras pela WEB com o Facebook. Foi outro sucesso porque os
         companheiros não têm paciência de esperar suas senhoras no provador e as mulheres gostam de
         mostras suas peças para amigas.


                          * “Utilizar os números ao seu favor:

                          O maior sucesso da rede é feita de casa. De nada adianta divulgar durante o dia, as
                          pessoas estão trabalhando e o seu produto não será visto. “Existe a Marplan, o
                          Ibope...”

 Métricas
  o Visibilidade: quais são as palavras que as pessoas usam na busca? Qual é o fator sentimento? A
    quantidade de seguidores aumenta ou não? E a quantidade de fãs? Qual a idade dos que vêem o seu
    negócio nas redes?
  o Engajamento: o que as pessoas falam a respeito do seu negócio? Bem ou mal?
  o Influência: é a capacidade de propagação no ato de influenciar os demais na rede.
  o Economia de custos: Qual a taxa de resolução dos problemas? Qual é o índice de satisfação? Quais os
    custos de treinamentos?


Redes Sociais e Inovação Digital
Cristiane Marques Ferle
6

  o Percepção e Valor: Como atuar? Como é a conversa da sua comunidade? Qual é a afinidade da marca?
     Qual a interação sobre o seu conteúdo?
  o Desenvolvimento de Negócios: Como aumentar o ciclo de Vendas? Qual é o custo real dos links
     patrocinados?
 o Inovação: Tendências e impactos de novos produtos. Antes uma revista podia ver e criar tendências,
    hoje as redes criam, inovam e até facilitam.



 Estratégia de motivação no PDV na WEB:
  o Inovação Coletiva: “Seja o produtor do filme”. Descobrir e trazer o “nó”, o rei. Por exemplo, o caso do
     Kevin Bacon (se tornou um diretor de filmes), hoje as pessoas são pontuadas e quanto mais estudos
     houver sobre o seu negócio, melhor será a quantidade de pontos em benefício da empresa. Quem é o
     nó no seu trabalho? Quem é o nó na sua família?

 Comportamento Corporativo:
  - Chamar as pessoas
  - Ter ferramentas fáceis para coisas novas
  - Cultura de participação
  - Novo comportamento, pois existem pessoas atrás das máquinas
  - Universo de Mídias Sociais barateado
  - Estrutura Social
  - Motivação Humana
  - Produção Social



 Responsabilidade Social:
  Por exemplo, a reação em ver um secretário do governo ao jogar lixo pela janela do carro. É uma ação que
  vai parar nas redes quase que instantaneamente.
  Natureza da reciprocidade: as empresas têm medo das redes por causa de problemas com a
  responsabilidade social tanto dos seus funcionários, quanto de clientes. Ter a consciência de valor social
  dentro e fora da rede.



 O Brasil e as Redes:
  A nossa relação é diferente, a rede é a sala de estar, mas fora do Brasil não funciona assim, por isso somos
  líderes no ranking nas redes.
  É preciso mensurar a reputação da marca, entender as métricas das barreiras versus a conectividade. A
  fim de buscar ser o facilitador com menos hierarquia e burocracia.



 Algumas ferramentas:
  Todo dia nasce uma ferramenta melhor, a questão é a sua empresa versus a usabilidade. Problemas de
  língua portuguesa, quais as ferramentas?
  - Relatórios
         - Booshaka: dentro do Facebook por segmentação
         - Whostalking: tudo o que é falado
         - Twittercounter: comparativo de várias marcas
         - Twieepz: perfil de pessoas na rede, como evangelistas, clientes do Itaú ou jornalistas
         - Twilert: recebe no celular tudo o que se fala na rede e pode determinar o modo de alerta em
         tempo real
         - Blogpulse: monitora os 10 principais concorrentes
Redes Sociais e Inovação Digital
Cristiane Marques Ferle
Anúncio

Recomendados

Livro Colaborativo de Redes Sociais
Livro Colaborativo de Redes SociaisLivro Colaborativo de Redes Sociais
Livro Colaborativo de Redes SociaisLadyshow
 
Planner Summit - Report oficial 2017
Planner Summit - Report oficial 2017Planner Summit - Report oficial 2017
Planner Summit - Report oficial 2017Media Education
 
Entrevista Juliano Spyer
Entrevista Juliano SpyerEntrevista Juliano Spyer
Entrevista Juliano SpyerBruna Mesquita
 
Curso cultura e midias sociais 01o encontro
Curso cultura e midias sociais 01o encontroCurso cultura e midias sociais 01o encontro
Curso cultura e midias sociais 01o encontroThiago Fraga
 
Mídias Sociais para organizações sem fins lucrativos
Mídias Sociais para organizações sem fins lucrativosMídias Sociais para organizações sem fins lucrativos
Mídias Sociais para organizações sem fins lucrativosClear Educação e Inovação
 
Redes Sociais nos Negócios, by Martha Gabriel no SimpoVIDRO 2011
Redes Sociais nos Negócios, by Martha Gabriel no SimpoVIDRO 2011Redes Sociais nos Negócios, by Martha Gabriel no SimpoVIDRO 2011
Redes Sociais nos Negócios, by Martha Gabriel no SimpoVIDRO 2011Martha Gabriel
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Jonathan Becker - Marketing Corporativo e Redes 2
Jonathan Becker - Marketing Corporativo e Redes 2Jonathan Becker - Marketing Corporativo e Redes 2
Jonathan Becker - Marketing Corporativo e Redes 2Jonathan Becker
 
Redes Sociais: Ameaças e Oportunidades, by Martha Gabriel
Redes Sociais: Ameaças e Oportunidades, by Martha GabrielRedes Sociais: Ameaças e Oportunidades, by Martha Gabriel
Redes Sociais: Ameaças e Oportunidades, by Martha GabrielMartha Gabriel
 
Curso Aba - Março 2010
Curso Aba - Março 2010Curso Aba - Março 2010
Curso Aba - Março 2010Elife Brasil
 
Mídias Sociais e Eleições 2010
Mídias Sociais e Eleições 2010Mídias Sociais e Eleições 2010
Mídias Sociais e Eleições 2010Tarcízio Silva
 
Marcas e Engajamento Digital: algumas considerações
Marcas e Engajamento Digital: algumas consideraçõesMarcas e Engajamento Digital: algumas considerações
Marcas e Engajamento Digital: algumas consideraçõesTarcízio Silva
 
Redes socais Uma Nova Ferramenta de Marketing
Redes socais  Uma Nova Ferramenta de MarketingRedes socais  Uma Nova Ferramenta de Marketing
Redes socais Uma Nova Ferramenta de MarketingAna Maria Magni Coelho
 
Oficina II: Redes Sociais, gestão da imagem e reputação online - Ciclo Comuni...
Oficina II: Redes Sociais, gestão da imagem e reputação online - Ciclo Comuni...Oficina II: Redes Sociais, gestão da imagem e reputação online - Ciclo Comuni...
Oficina II: Redes Sociais, gestão da imagem e reputação online - Ciclo Comuni...Pedro Cordier
 
Trabalho sobre o Artigo "Dez Razões para ter uma Rede Social em sua Empresa"
Trabalho sobre o Artigo "Dez Razões para ter uma Rede Social em sua Empresa"Trabalho sobre o Artigo "Dez Razões para ter uma Rede Social em sua Empresa"
Trabalho sobre o Artigo "Dez Razões para ter uma Rede Social em sua Empresa"Graziela Dias
 
Curso Gestão de Rede Sociais - Introdução e tendências das Redes Sociais
Curso Gestão de Rede Sociais - Introdução e tendências das Redes SociaisCurso Gestão de Rede Sociais - Introdução e tendências das Redes Sociais
Curso Gestão de Rede Sociais - Introdução e tendências das Redes SociaisFernando Souza
 
Visual Sensemaking | Ana Barroso
Visual Sensemaking | Ana BarrosoVisual Sensemaking | Ana Barroso
Visual Sensemaking | Ana BarrosoAna Barroso
 
Fgv Isae Webempreender
Fgv Isae WebempreenderFgv Isae Webempreender
Fgv Isae Webempreenderkleber.torres
 
Midia Boom Suprassumo
Midia Boom SuprassumoMidia Boom Suprassumo
Midia Boom Suprassumocluboutbox
 
Suprassumo Mídia Boom
Suprassumo Mídia BoomSuprassumo Mídia Boom
Suprassumo Mídia BoomBruno Cardoso
 

Mais procurados (18)

Conquiste a rede_podcast
Conquiste a rede_podcastConquiste a rede_podcast
Conquiste a rede_podcast
 
Jonathan Becker - Marketing Corporativo e Redes 2
Jonathan Becker - Marketing Corporativo e Redes 2Jonathan Becker - Marketing Corporativo e Redes 2
Jonathan Becker - Marketing Corporativo e Redes 2
 
Redes Sociais: Ameaças e Oportunidades, by Martha Gabriel
Redes Sociais: Ameaças e Oportunidades, by Martha GabrielRedes Sociais: Ameaças e Oportunidades, by Martha Gabriel
Redes Sociais: Ameaças e Oportunidades, by Martha Gabriel
 
Curso Aba - Março 2010
Curso Aba - Março 2010Curso Aba - Março 2010
Curso Aba - Março 2010
 
Midia Social
Midia SocialMidia Social
Midia Social
 
Mídias Sociais e Eleições 2010
Mídias Sociais e Eleições 2010Mídias Sociais e Eleições 2010
Mídias Sociais e Eleições 2010
 
Marcas e Engajamento Digital: algumas considerações
Marcas e Engajamento Digital: algumas consideraçõesMarcas e Engajamento Digital: algumas considerações
Marcas e Engajamento Digital: algumas considerações
 
Redes socais Uma Nova Ferramenta de Marketing
Redes socais  Uma Nova Ferramenta de MarketingRedes socais  Uma Nova Ferramenta de Marketing
Redes socais Uma Nova Ferramenta de Marketing
 
Oficina II: Redes Sociais, gestão da imagem e reputação online - Ciclo Comuni...
Oficina II: Redes Sociais, gestão da imagem e reputação online - Ciclo Comuni...Oficina II: Redes Sociais, gestão da imagem e reputação online - Ciclo Comuni...
Oficina II: Redes Sociais, gestão da imagem e reputação online - Ciclo Comuni...
 
Trabalho sobre o Artigo "Dez Razões para ter uma Rede Social em sua Empresa"
Trabalho sobre o Artigo "Dez Razões para ter uma Rede Social em sua Empresa"Trabalho sobre o Artigo "Dez Razões para ter uma Rede Social em sua Empresa"
Trabalho sobre o Artigo "Dez Razões para ter uma Rede Social em sua Empresa"
 
Viralização de Conteúdo
Viralização de ConteúdoViralização de Conteúdo
Viralização de Conteúdo
 
Curso Gestão de Rede Sociais - Introdução e tendências das Redes Sociais
Curso Gestão de Rede Sociais - Introdução e tendências das Redes SociaisCurso Gestão de Rede Sociais - Introdução e tendências das Redes Sociais
Curso Gestão de Rede Sociais - Introdução e tendências das Redes Sociais
 
Visual Sensemaking | Ana Barroso
Visual Sensemaking | Ana BarrosoVisual Sensemaking | Ana Barroso
Visual Sensemaking | Ana Barroso
 
REDES SOCIAIS
REDES SOCIAISREDES SOCIAIS
REDES SOCIAIS
 
Fgv Isae Webempreender
Fgv Isae WebempreenderFgv Isae Webempreender
Fgv Isae Webempreender
 
Curso de Marketing de Guerrilha - Gustavo Hollatz
Curso de Marketing de Guerrilha - Gustavo HollatzCurso de Marketing de Guerrilha - Gustavo Hollatz
Curso de Marketing de Guerrilha - Gustavo Hollatz
 
Midia Boom Suprassumo
Midia Boom SuprassumoMidia Boom Suprassumo
Midia Boom Suprassumo
 
Suprassumo Mídia Boom
Suprassumo Mídia BoomSuprassumo Mídia Boom
Suprassumo Mídia Boom
 

Semelhante a Redes sociais

Palestra Redes Sociais na Formação Profissional
Palestra Redes Sociais na Formação ProfissionalPalestra Redes Sociais na Formação Profissional
Palestra Redes Sociais na Formação ProfissionalFernando Souza
 
Foco 2011 USCS - Redes Sociais na Formação Profissional
Foco 2011 USCS - Redes Sociais na Formação ProfissionalFoco 2011 USCS - Redes Sociais na Formação Profissional
Foco 2011 USCS - Redes Sociais na Formação ProfissionalFernando Souza
 
Conselho da Mulher Empresária junho 2011
Conselho da  Mulher Empresária junho 2011Conselho da  Mulher Empresária junho 2011
Conselho da Mulher Empresária junho 2011Fernanda Bornhausen Sá
 
Encontro de comunicação - Anhembi Morumbi - Redes Socias na formação de Ident...
Encontro de comunicação - Anhembi Morumbi - Redes Socias na formação de Ident...Encontro de comunicação - Anhembi Morumbi - Redes Socias na formação de Ident...
Encontro de comunicação - Anhembi Morumbi - Redes Socias na formação de Ident...Fernando Souza
 
Oportunidades para o Terceiro Setor no Mundo Digital
Oportunidades para o Terceiro Setor no Mundo DigitalOportunidades para o Terceiro Setor no Mundo Digital
Oportunidades para o Terceiro Setor no Mundo DigitalRede Brasil Voluntario
 
6 depoimentos sobre mídias sociais
6 depoimentos sobre mídias sociais6 depoimentos sobre mídias sociais
6 depoimentos sobre mídias sociaisKelly Nagaoka
 
Palestra para 15a Semana de Comunicação da FACOPP-Unoeste
Palestra para 15a Semana de Comunicação da FACOPP-UnoestePalestra para 15a Semana de Comunicação da FACOPP-Unoeste
Palestra para 15a Semana de Comunicação da FACOPP-UnoesteLuiz Yassuda
 
Midias Sociais - UNESP
Midias Sociais - UNESPMidias Sociais - UNESP
Midias Sociais - UNESPRafael Rez
 
Conexão digital Florianópolis Palestra Vanessa Aguiar de Jeus
Conexão digital Florianópolis Palestra Vanessa Aguiar de JeusConexão digital Florianópolis Palestra Vanessa Aguiar de Jeus
Conexão digital Florianópolis Palestra Vanessa Aguiar de JeusVanessa Aguiar
 
I-MBA Marcas No Mundo Colaborativo
I-MBA Marcas No Mundo ColaborativoI-MBA Marcas No Mundo Colaborativo
I-MBA Marcas No Mundo ColaborativoDaniel Miura
 
Vanessa Aguiar Oportunidades para o 3º Setor Mundo Digital
Vanessa Aguiar Oportunidades para o 3º Setor Mundo DigitalVanessa Aguiar Oportunidades para o 3º Setor Mundo Digital
Vanessa Aguiar Oportunidades para o 3º Setor Mundo DigitalPortal Social
 
Marketing Digital - ESAMC
Marketing Digital - ESAMCMarketing Digital - ESAMC
Marketing Digital - ESAMCLógica Digital
 
O criador internet
O criador internetO criador internet
O criador internetDavi Souza
 
Redes sociais seguir, compartilhar e curtir o bem
Redes sociais  seguir, compartilhar e curtir o bemRedes sociais  seguir, compartilhar e curtir o bem
Redes sociais seguir, compartilhar e curtir o bemSandro Alencar Fernandes
 
Mobilização nas Redes Sociais - 1º ETC Bahia - Pedro Cordier
Mobilização nas Redes Sociais - 1º ETC Bahia - Pedro CordierMobilização nas Redes Sociais - 1º ETC Bahia - Pedro Cordier
Mobilização nas Redes Sociais - 1º ETC Bahia - Pedro CordierPedro Cordier
 
Mktgdigitaleredessociais cafecomtom-godfather-20090926-090926000431-phpapp02
Mktgdigitaleredessociais cafecomtom-godfather-20090926-090926000431-phpapp02Mktgdigitaleredessociais cafecomtom-godfather-20090926-090926000431-phpapp02
Mktgdigitaleredessociais cafecomtom-godfather-20090926-090926000431-phpapp02Raquel Rayanni
 
Mktgdigitaleredessociais cafecomtom-godfather-20090926-090926000431-phpapp02
Mktgdigitaleredessociais cafecomtom-godfather-20090926-090926000431-phpapp02Mktgdigitaleredessociais cafecomtom-godfather-20090926-090926000431-phpapp02
Mktgdigitaleredessociais cafecomtom-godfather-20090926-090926000431-phpapp02Raquel Rayanni
 

Semelhante a Redes sociais (20)

Palestra Redes Sociais na Formação Profissional
Palestra Redes Sociais na Formação ProfissionalPalestra Redes Sociais na Formação Profissional
Palestra Redes Sociais na Formação Profissional
 
Foco 2011 USCS - Redes Sociais na Formação Profissional
Foco 2011 USCS - Redes Sociais na Formação ProfissionalFoco 2011 USCS - Redes Sociais na Formação Profissional
Foco 2011 USCS - Redes Sociais na Formação Profissional
 
Conselho da Mulher Empresária junho 2011
Conselho da  Mulher Empresária junho 2011Conselho da  Mulher Empresária junho 2011
Conselho da Mulher Empresária junho 2011
 
Encontro de comunicação - Anhembi Morumbi - Redes Socias na formação de Ident...
Encontro de comunicação - Anhembi Morumbi - Redes Socias na formação de Ident...Encontro de comunicação - Anhembi Morumbi - Redes Socias na formação de Ident...
Encontro de comunicação - Anhembi Morumbi - Redes Socias na formação de Ident...
 
Marketing Digital
Marketing DigitalMarketing Digital
Marketing Digital
 
Oportunidades para o Terceiro Setor no Mundo Digital
Oportunidades para o Terceiro Setor no Mundo DigitalOportunidades para o Terceiro Setor no Mundo Digital
Oportunidades para o Terceiro Setor no Mundo Digital
 
Vanessa Aguiar de Jesus
Vanessa Aguiar de JesusVanessa Aguiar de Jesus
Vanessa Aguiar de Jesus
 
6 depoimentos sobre mídias sociais
6 depoimentos sobre mídias sociais6 depoimentos sobre mídias sociais
6 depoimentos sobre mídias sociais
 
Palestra para 15a Semana de Comunicação da FACOPP-Unoeste
Palestra para 15a Semana de Comunicação da FACOPP-UnoestePalestra para 15a Semana de Comunicação da FACOPP-Unoeste
Palestra para 15a Semana de Comunicação da FACOPP-Unoeste
 
Midias Sociais - UNESP
Midias Sociais - UNESPMidias Sociais - UNESP
Midias Sociais - UNESP
 
Conexão digital Florianópolis Palestra Vanessa Aguiar de Jeus
Conexão digital Florianópolis Palestra Vanessa Aguiar de JeusConexão digital Florianópolis Palestra Vanessa Aguiar de Jeus
Conexão digital Florianópolis Palestra Vanessa Aguiar de Jeus
 
I-MBA Marcas No Mundo Colaborativo
I-MBA Marcas No Mundo ColaborativoI-MBA Marcas No Mundo Colaborativo
I-MBA Marcas No Mundo Colaborativo
 
Vanessa Aguiar Oportunidades para o 3º Setor Mundo Digital
Vanessa Aguiar Oportunidades para o 3º Setor Mundo DigitalVanessa Aguiar Oportunidades para o 3º Setor Mundo Digital
Vanessa Aguiar Oportunidades para o 3º Setor Mundo Digital
 
Marketing Digital - ESAMC
Marketing Digital - ESAMCMarketing Digital - ESAMC
Marketing Digital - ESAMC
 
O criador internet
O criador internetO criador internet
O criador internet
 
Redes sociais seguir, compartilhar e curtir o bem
Redes sociais  seguir, compartilhar e curtir o bemRedes sociais  seguir, compartilhar e curtir o bem
Redes sociais seguir, compartilhar e curtir o bem
 
Mobilização nas Redes Sociais - 1º ETC Bahia - Pedro Cordier
Mobilização nas Redes Sociais - 1º ETC Bahia - Pedro CordierMobilização nas Redes Sociais - 1º ETC Bahia - Pedro Cordier
Mobilização nas Redes Sociais - 1º ETC Bahia - Pedro Cordier
 
Mktgdigitaleredessociais cafecomtom-godfather-20090926-090926000431-phpapp02
Mktgdigitaleredessociais cafecomtom-godfather-20090926-090926000431-phpapp02Mktgdigitaleredessociais cafecomtom-godfather-20090926-090926000431-phpapp02
Mktgdigitaleredessociais cafecomtom-godfather-20090926-090926000431-phpapp02
 
Marketing e Estratégias Sociais
Marketing e Estratégias SociaisMarketing e Estratégias Sociais
Marketing e Estratégias Sociais
 
Mktgdigitaleredessociais cafecomtom-godfather-20090926-090926000431-phpapp02
Mktgdigitaleredessociais cafecomtom-godfather-20090926-090926000431-phpapp02Mktgdigitaleredessociais cafecomtom-godfather-20090926-090926000431-phpapp02
Mktgdigitaleredessociais cafecomtom-godfather-20090926-090926000431-phpapp02
 

Redes sociais

  • 1. Redes Sociais E Inovação Digital “Você é o que você compartilha na rede; Nova economia com a criação inicial da enciclopédia sem ter receita com a intenção de ser colaborativa.” Cristiane M. Ferle 1/12/2010
  • 2. 2 Redes Sociais e Inovação Digital  Introdução São pessoas interagindo segundo um padrão de organização de rede distribuída e de alguma forma está relacionada com as ações das pessoas no seu meio. A distinção entre a inovação de ruptura e incremental envolve aplicações e resultados também diferentes: a de ruptura envolve a introdução de um novo conceito e a incremental significa adição ou diferencial num conceito já existente e aceito. A possibilidade de emergência de inovações é diretamente proporcional ao grau de distribuição da rede. o Orkut = “Há quanto tempo eu não o vejo, o que você tem feito?” o Facebook = “O que você está fazendo agora?” o Twitter = “O que está acontecendo com o que você se interessa?” o Foursquare = “Onde você está agora?” * “Você é o que você compartilha na rede; Nova economia com a criação inicial da enciclopédia sem ter receita com a intenção de ser colaborativa.”  Qual a motivação para estar nas redes sociais? o Biológica o Castigo e Crime o Coletiva * “Objetivo Social = benefício de causa e propósito como disseminação da bondade com resultados positivos. Para empresas: não permitir que a rede se torne o SAC, antes disso, tirar o cliente da rede e solucionar em até 24 horas (solucionar de verdade!).”  Fator influência: - 1 pessoa influenciavam 7 pessoas - 1 pessoa + celular influenciavam 17 pessoas - 1 pessoa + REDE influenciam 2.100 pessoas Redes Sociais e Inovação Digital Cristiane Marques Ferle
  • 3. 3  Estamos mesmo na Era da Individualidade? o 150 Centuriões o 150 Conecções o 130 amigos no Facebook Atualmente as pessoas tendem a buscar a homogamia (parecidos), criando a homofilia (atração afetiva), a fim de amar um ser igual e geram as redes. Por exemplo, uma rede social somente para dentistas. * “Epidemia do Riso = Foi na Tanzânia em 1962. Desejaram criar o contágio emocional e ao mesmo tempo muitas pessoas falam mal ou expressam seus sentimentos via Twitter.” * “Open Source = (Open Source Initiative) refere-se a software também conhecido por software livre; Cultura que traz dinheiro e também traz coisas boas.”  A quem você ajuda nas redes sociais: As redes são como uma locomotiva digital onde não se manipula e existe sim um patrulhamento, como por exemplo, o cancelamento do ENEM.  Sai a Era Industrial e entra a Era Digital? Entra com o valor da diversidade e da ciência da reputação, são coisas simples mas com grandes mudanças. Ocorre a descentralização e entra o inconsciente coletivo com o empreendedorismo. Estamos na era das grandes verdades. Por exemplo, hoje podemos saber quem realmente são preconceituosos, um crime virtualmente aberto, mas ainda sim um crime. Mais exemplos: Macumba Online; I Just make Love (ANVISA entra para pesquisa sobre o uso de preservativos). * “As crianças criam a mentalidade coletiva. Por exemplo, o menino que criou aplicativos para celular.”  Saem os 4 P´s e entram os 4 C´s: o Conteúdo o Colaboração o Comunidade o Comércio Precisa-se produzir conteúdo nas redes, escrever com sensibilidade e total transparência. Para páginas de empresas: ter fãs ao invés de amigos é mais profissional.  Pilares das Redes Sociais: o Imagem = rejuvenescer a imagem da marca; sensibilizar (definir quais são os interesses); incentivo ao funcionário; ações de newsletter; criação da fan page simples no Facebook em JPG leve, linkar o Youtube, aderir ao Foursquare com promoções, ter espaço para críticas com análise social. o Visibilidade = buscar visibilidade da marca, criar influência com engajamento, criar a fidelização. Pensar em mínimo custo com altos valores e padronizar os tamanhos dos sites. o Planejamento = ter planejamento de inclusão das redes, pois 72% dos brasileiros são analfabetos, porém lêem-se muito mais e-mails e hoje não tem tempo para ler linha editorial. Buscar a diferença nas redes para ter relevância. o Sincronizar = Sincronização de comportamentos. Por exemplo, o vídeo do Red Bull na 5ª Anevida simulando equipe de F1 no Box e as pessoas foram ao delírio. Com objetivos bem feitos não cria o tal Redes Sociais e Inovação Digital Cristiane Marques Ferle
  • 4. 4 “Bando de Dados”, verificar quanto tempo de permanência no blog. Hoje o banner não tem mais importância visual, conforme explicita no Eyetracking. * “As redes possuem vida própria e dá valor para a neutralidade.”  Empregos de ouro da Era Digital: o Evangelista de Redes Sociais e Estrategista de Redes Sociais. São facilitadores de laços interpessoais (sabem medir a qualidade da rede para o seu negócio), é capaz de organizar as semânticas e o seu real objetivo de estar “ali”. Exemplos: - Índios On Line  negociação - Sessão Corujão nas Favelas  redução de roubos e inclusão - Veia Sicial  rede para saúde - Eu Lembro  mede atuação do político eleito - Manuel Lemos  Blogblogs: Elaborava o seu blog depois do expediente, ele fazia o que gostava e elevava a sua qualidade de vida, mas precisava conhecer e usar a cultura de risco. Pois estamos no fim da era da carteira assinada.  Separação do seu tempo por dia: - 8 horas para o trabalho - 8 horas para o descanso - 8 horas para diversão * Por que estamos aqui? Essa questão está direcionada para a nova era digital, comparada à Reforma Luterana. A qual é similar com as Redes Sociais, com o principal fator de humanidade coletiva.  Redes Sociais X Custo: O cliente aceita pagar alto para fazer anúncios na televisão, mas ainda acha caro pagar para anunciar na WEB. Hoje só existem portais no Brasil, agora podem demorar a aceitação do novo modo de anúncios, mas em breve cederão. Em contra partida faltam profissionais qualificados para fazer e exercer métricas e planejamento.  Redes Sociais X Jornais: Debate sobre a qualidade da informação nos jornais e nas redes, com a preocupação do futuro da profissão dos jornalistas. Por exemplo, A Folha de SP se torna “A Falha de SP” versus Estadão que fica como aliado ao Serra. Os blogueiros do Irã são classificados como “mortes” versus blogueiros do NY Times. Somente os bons redatores e bons seres humanos sobreviverão. * “Transmedia = É uma narrativa de histórias boas para se desdobrarem em várias plataformas, que pode ser explorada não apenas em filme, mas também em qualquer outro ambiente que gere novas informações acerca da história principal.” Redes Sociais e Inovação Digital Cristiane Marques Ferle
  • 5. 5  Cases:  Coca-Cola em Israel: Objetivo social da pulseirinha nas “coca vilas”, divulgada no Facebook, como a Farmville. Foi u sucesso e será disseminado no mundo;  Volks: Teoria da diversão. Por que usar a escada rolante ao invés das tradicionais teclas de piano para sair do metrô? Foi a intenção de divertir as pessoas que no dia a dia não reparam em detalhes e podem se divertir;  Macy´s: Divulgação de compras pela WEB com o Facebook. Foi outro sucesso porque os companheiros não têm paciência de esperar suas senhoras no provador e as mulheres gostam de mostras suas peças para amigas. * “Utilizar os números ao seu favor: O maior sucesso da rede é feita de casa. De nada adianta divulgar durante o dia, as pessoas estão trabalhando e o seu produto não será visto. “Existe a Marplan, o Ibope...”  Métricas o Visibilidade: quais são as palavras que as pessoas usam na busca? Qual é o fator sentimento? A quantidade de seguidores aumenta ou não? E a quantidade de fãs? Qual a idade dos que vêem o seu negócio nas redes? o Engajamento: o que as pessoas falam a respeito do seu negócio? Bem ou mal? o Influência: é a capacidade de propagação no ato de influenciar os demais na rede. o Economia de custos: Qual a taxa de resolução dos problemas? Qual é o índice de satisfação? Quais os custos de treinamentos? Redes Sociais e Inovação Digital Cristiane Marques Ferle
  • 6. 6 o Percepção e Valor: Como atuar? Como é a conversa da sua comunidade? Qual é a afinidade da marca? Qual a interação sobre o seu conteúdo? o Desenvolvimento de Negócios: Como aumentar o ciclo de Vendas? Qual é o custo real dos links patrocinados? o Inovação: Tendências e impactos de novos produtos. Antes uma revista podia ver e criar tendências, hoje as redes criam, inovam e até facilitam.  Estratégia de motivação no PDV na WEB: o Inovação Coletiva: “Seja o produtor do filme”. Descobrir e trazer o “nó”, o rei. Por exemplo, o caso do Kevin Bacon (se tornou um diretor de filmes), hoje as pessoas são pontuadas e quanto mais estudos houver sobre o seu negócio, melhor será a quantidade de pontos em benefício da empresa. Quem é o nó no seu trabalho? Quem é o nó na sua família?  Comportamento Corporativo: - Chamar as pessoas - Ter ferramentas fáceis para coisas novas - Cultura de participação - Novo comportamento, pois existem pessoas atrás das máquinas - Universo de Mídias Sociais barateado - Estrutura Social - Motivação Humana - Produção Social  Responsabilidade Social: Por exemplo, a reação em ver um secretário do governo ao jogar lixo pela janela do carro. É uma ação que vai parar nas redes quase que instantaneamente. Natureza da reciprocidade: as empresas têm medo das redes por causa de problemas com a responsabilidade social tanto dos seus funcionários, quanto de clientes. Ter a consciência de valor social dentro e fora da rede.  O Brasil e as Redes: A nossa relação é diferente, a rede é a sala de estar, mas fora do Brasil não funciona assim, por isso somos líderes no ranking nas redes. É preciso mensurar a reputação da marca, entender as métricas das barreiras versus a conectividade. A fim de buscar ser o facilitador com menos hierarquia e burocracia.  Algumas ferramentas: Todo dia nasce uma ferramenta melhor, a questão é a sua empresa versus a usabilidade. Problemas de língua portuguesa, quais as ferramentas? - Relatórios - Booshaka: dentro do Facebook por segmentação - Whostalking: tudo o que é falado - Twittercounter: comparativo de várias marcas - Twieepz: perfil de pessoas na rede, como evangelistas, clientes do Itaú ou jornalistas - Twilert: recebe no celular tudo o que se fala na rede e pode determinar o modo de alerta em tempo real - Blogpulse: monitora os 10 principais concorrentes Redes Sociais e Inovação Digital Cristiane Marques Ferle
  • 7. 7 - Brandeyes: é pago e tem todas informações, mas precisa de um excelente profissional de métricas para criar uma database e uma série de relatórios, como um funil de engajamento - Eventfull: quem vai? Quem indicou? - Chomp: aplicativos do iPhone para o seu negócio - Pagebank: ranking de busca da palavra do seu negócio - Social Mention: Quem fala? Apontador – Juliana Lima (@julima) A) Reputação Digital Desde criança busca-se ser popular, desde “o saradão” até “a menina do cabelo mais liso”, estende-se para “o carro mais bonito”, “a roupa da tal marca”... E assim também acontece nas empresas, isso responde a pergunta: - Por que a sua empresa criou uma conta no Twitter? Mas será que é o core da sua empresa estar no Twitter? Diferente da Apple, que não está nas redes, mas existem pessoas que passaram apenas para criar a conta. B) Existem Likes e “likes” Existem o like da pessoa, existem os “web celeb”, existem para empresas (ter o perfil de amigos, não é bom), existe like e espaço para eventos na empresa, ter cuidado para não polui a rede. Engajar os usuários na rede é curtir e gera comentários naturalmente, evitar o e-mail marketing, já é considerado spam. C) Existem Followers e “followers” Não prometer para o cliente que ele terá 1 milhão de seguidores, isso é falta de ética, é preguiça de trabalhar e a empresa se queima. Ex.: Bradesco é bom X TAM é ruim. Também é necessário ver o perfil de quem posta a reclamação. D) Onde estamos e onde chegaremos? De Social Location, Facebook Places, Google Places para Fedex Express + Google + Nasa Redes Sociais e Inovação Digital Cristiane Marques Ferle
  • 8. 8 César Pallares “O primeiro twitteiro foi Jesus e teve 12 seguidores” A) Planejamento: O que você quer na sua empresa? Qual o alcance da sua campanha? Qual é o seu mercado? Como é o comportamento social antes e depois do clique? Qual a máscara que o seu negócio usa? B) Estilos de Vida: - Necessitados: são sobreviventes, esperançosos - Ajustados: são integrados e vencedores - Inovadores: são inquietos e transformadores, comunicadores, net workers, aspirantes. C) Estilo de Vida Digital: Apenas o clique não é tudo e a WEB não é a mesma em todos os lugares, assim como a legislação e as pessoas. O que as pessoas realmente fazer na WEB? Quanto tempo casa pessoa fica ON? Quando cada um procura e usa? Comportamento Consumo E E Atitude Envolvimento Redes Sociais e Inovação Digital Cristiane Marques Ferle
  • 9. 9 Novos hábitos: procura-se rapidez, comodidade, segurança, certa individualidade e simplicidade. Os consumos nos meios de comunicação hoje existem mais de 60 itens, 50 tipos de leite diferente e 200 informações por dia. “O consumidor quem decide se quer ou não o seu produto!” As pessoas não têm mais tempo nem paciência para escutar o que se fala sobre um determinado produto, as pessoas vão direto às redes para terem informações exatas. O poder dos buscadores: é onde se vê onde está o seu negócio. Precisa-se impactar o novo consumidor, criar tempo, selecionar as mídias, planejar e executar. Pergunte ao Urso - Marcelo Vitorino (@pergunteaourso) - Qual é o sistema de publicação dos blogs do UOL? O Wordpress é o melhor e o indicado - Blog de tecnologia: Como saber o que blogar? Quais são as palavras chave? Qual o ranking de cada uma? Não tem segredo, é puro Excel, divide no espaço e no tempo. Política editorial X Política Visual X Carga semanal - Google alertas – tem tempo para levantar todas as informações (ter equipe e dividir atividade). - Mkt de Guerrilha – é a contra informação para levantar novas questões - Ter anúncio bom, mas tem que ser sempre reduzido. Redes Sociais e Inovação Digital Cristiane Marques Ferle
  • 10. 10 Andrea Dietrich – Grupo Pão de Açúcar (@DidiDietrich)  A importância do Digital: O neo consumidor, como no varejo, só tende a crescer, entender o oceano digital. 50% dos internautas são das classes C D E, são eles quem criam e desenvolvem melhores experiências on line. 87% do tempo nas redes sociais são dos brasileiros. O GPA Digital é um núcleo de atividades digitais para cuidar da marca e o relacionamento dom oportunidades de negócios. Com um time escalonável, com investimentos contínuos e forte apoio executivo.  Relacionamento: - Monitoramento - Resposta / diálogo Redes Sociais e Inovação Digital Cristiane Marques Ferle
  • 11. 11 - Avaliação dos Canais - Pesquisas - Ações de marketing para a marca - Fidelização  Pesquisa Surge espontaneamente nas redes, é como um fórum direto com o cliente (TWELP FORCE – atendimento específico via twiter para responder dúvidas on line) de forma transparente e assumir o erro. Fidelização com promoções, geolocalização e trabalhos off line.  Mobilidade M-Commerce traz mais oportunidades, as lojas estão mais próximas, existe conteúdo relevante na WEB a fim de fidelizar. “Share of hardware”, ofertas do dia. Remember: tira a foto do produto e já vê se tem no estoque; Localização de lojas mais próximas, melhor espaço para cada ambiente. * “A vida está no celular!” Conteúdo otimizado, inovar, integrar ao site, com a busca, com jogos, ter aplicativos para Android. Adaptar o conteúdo ao consumidor de móbile. * “Deve ser um navio e não um barco!” Não existe clientes mais ON e OFF, é preciso traduzir o PDV e o consumidor estará em qualquer lugar; Conhecer o terreno, onde estão os clientes para o seu negócio? Qual é o objetivo? Por quê? Onde? Quando? É preciso dedicar pessoas e recursos, dialogar a marca, ter interação, escutar o seu cliente e responder. * “Não é campanha, é compromisso!” Precisa-se ser relevante, ter muito respeito com o consumidor e ter conteúdo; Saber mensurar os resultados, ter métricas para avaliar se os objetivos foram alcançados com os sentimentos bons ou ruins.  Tendências Digitais: Busca em tempo real, em movimento (mobile), possui novo ritmo, inovação de conteúdo - HTML 5 - 3D - Touch screen - Geolocalização - Facebook Places - Mobile Banking  Como é no Grupo Pão de Açúcar: São 15 pessoas, 5 de TI e 10 de marketing. 5 pessoas estão separadas por bandeira do grupo, com relatórios semanais, mensais e trimestrais. Foi investido R$ 10 milhões com foco no relacionamento sem venda, sem retorno, com sustentabilidade, formação de branding, qualidade da interação, tendo um canal fundamental de priorizar o ON. Redes Sociais e Inovação Digital Cristiane Marques Ferle
  • 12. 12 Esse projeto começou em 2008, sem agência de publicidade, tem controle do social commerce, sem campanha na mídia OFF, o cliente está na rede o tempo todo. Se o cliente reclama, entramos em contato para tirá-lo da rede e o SAC cuida, levando a sério cada problema dentro do prazo máximo de 48 horas. _________________________________________________________________________________ Ninguém muda se não muda o seu viver. Nenhuma organização muda se não muda o seu conviver Não é o conhecimento que vai conseguir transformar a organização hierárquica em uma organização em rede e sim a maneira como as pessoas vão passar a se relacionar dentro da organização. Glossário com termos da internet e redes sociais Frequentemente nos deparamos com uma série de termos específicos sobre redes sociais e internet que, embora nem sempre saibamos o seu significado, passam a fazer parte de nossa rotina. Pensando nisso, separamos um glossário de termos com explicações curtas e linguagem acessível, para uma leitura rápida e útil. APIs são os códigos usados para criar programas em um site. APIs abertas permitem que os programadores modifiquem os programas, criando novas funções. Aplicativos ou APPs são os programas que você instala no seu computador ou os que instalam dentro das redes sociais. Beta é um termo usado para informar que um programa, site ou aplicativo está em versão de teste. Bookmarks é uma lista online de seus sites, blogs e notícias favoritas em um site como delicious ou o digg. Browser é mesmo que navegador. São os programas utilizados para acessar as páginas de Internet. Redes Sociais e Inovação Digital Cristiane Marques Ferle
  • 13. 13 Crack são programas usados para quebrar a segurança de outros programas. Dial significa conectar-se usando um provedor. Domain ou Domínio é o nome que vem após a @ dos e-mails. Designa também o próprio endereço de um site. Feed é o que você vê na home das redes sociais, o conteúdo que “alimenta” o tempo inteiro a rede. O feed também pode “alimentar” seu email ou gadget no browser (Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome). Freeware são programas de uso livre e gratuito. Gadget é uma gíria para uma geringonça eletrônica. Pode ser um mini-aplicativo, um PDA, um Celular, um Giroprigles, um módulo para blog, um dispositivo RSS que extrai seus feeds. Hiperlink é a ligação entre páginas de Internet. Hit é a unidade que mede o número de visitações em páginas de Internet. Cada hit corresponde a uma visitação. Interface é o rosto de um programa. Mash-up ou brend é a “mistura” de aplicativos de diferentes sites em um só. Mixar duas músicas é um tipo de Mash-up. Mídias sociais são as redes sociais e blogs entendidos como veículos de comunicação em rede, onde o princípio básico é o de compartilhamento de conteúdo na internet. Multimídia é a combinação de diferentes mídias em uma interface: texto, foto, vídeo, voz, música, animação. Open Source é o código fonte aberto. Qualquer pessoa que entenda de HTML, o “idioma da Internet”, pode fazer um Mash-up de programas Open Source. P2P é uma rede que troca arquivos entre computadores sem a relação cliente/servidor. É muito usada para pirataria, mas em muitos casos serve para viralizar um produto novo (música, filme ou programa) que depois de fazer sucesso pode ser comprado de forma legal. Podcast é um post em áudio. Você pode fazer um, por exemplo, na rede social Gengibre. Redes sociais são sites de relacionamento online e compartilhamento de conteúdo multimídia. RSS é um agregador de conteúdo, que dispara feeds cada vez que um site onde o usuário se inscreveu faz atualizações. Os leitores RSS para web não requerem nenhum software e trazem os feeds dos utilizadores para qualquer computador com acesso web disponível. RSS feeds são uma forma de “leitura limpa” de blogs e sites. Assinando RSS feeds você pode receber o conteúdo de um blog ou site no seu email ou em um gadget do seu navegador. SEO são técnicas para melhorar a colocação de determinado site nos resultados de buscadores como o Google, usando ferramentas como tags relevantes e URLs amigáveis. Redes Sociais e Inovação Digital Cristiane Marques Ferle
  • 14. 14 Tags são palavras-chaves, etiquetas ou marcadores usados para classificar um conteúdo e facilitar que outros usuários o encontrem. Tag cloud é um tipo de gadget, uma nuvem de palavras-chave de um blog ou site. Trackback é um post em resposta a outro post de outro blog. Worldpress e Blogger têm ferramentas para envio e recebimento de trackbacks em que o post resposta aparece como comentário do post original. É uma ótima ferramenta para novos blogueiros conquistarem espaço na blogsfera. Twitter é uma rede social e servidor para microblogging que permite aos usuários enviar e receber atualizações pessoais de outros contatos (em textos de até 140 caracteres, conhecidos como "tweets"), por meio do website do serviço, SMS ou softwares específicos de gerenciamento. Tweetups são encontros presenciais organizados via Twitter. Unfollow é quando você para de seguir algum perfil no Twitter. URLs amigáveis são aquelas que não contém símbolos do tipo #@%¨&**$%#, mas palavras que se relacionam ao conteúdo da página a que se refere a URL. Viralizar é quando algum conteúdo gera aumentos exponenciais em conhecimento, com processos similares à extensão de uma epidemia, gerada através do compartilhamento do conteúdo entre as pessoas, seja por meios presenciais ou na web. Widget pode ser uma janela, menu, ícone ou barra de rolagem. Outro emprego do termo são os widgets da área de trabalho, pequenos aplicativos que flutuam pela área de trabalho e fornecem funcionalidade específicas ao utilizador (previsão do tempo, cotação de moedas, relógio, etc). Wiki é um software que permite a edição coletiva de documentos na Internet. A palavra é de origem havaiana e significa “rápido”. É também uma abreviação para “what I know is” (“o que eu sei é”). Redes Sociais e Inovação Digital Cristiane Marques Ferle