SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Carl Jung
Willian Reich
Sigmund Freud
Melanie Klein
Donald winnicott
Carl Rogers
LINHAS DA PSICOLOGIA /PSICANALISE
BLOG CLIQUE AQUI
• A clinica Lacan se apresenta como psicanalítica e rigorosamente freudiana. Porém com as
modificações do Psicanalista Lacan, segue o modelo de tratamento formativo ou seja de
formar tanto o tratamento em seu consultório como o analisa (paciente), e não seguindo
normas e regras da psicanalise ortodoxia. No que tange sua forma de tratamento clinico, o
tempo de sessão é variável e depende do que é dito e realizado entre os participantes da cena
analítica (paciente e terapeuta), A fala é o principal meio de tratamento Lacan aponta para a
analise e estudo das mensagens que estão por traz destas, e ou dos sintomas, sonhos,
desejos, recalques cada um com suas estruturas. (significado de cada estrutura)
Psicanálise Lacaniana - Jacques Lacan – 1901 - 1981
•Nossa percepção é influenciada não apenas por aquilo que vemos, mas também por fatores internos. O pelar da Gestalt – Terapia é o (awareness) ou seja tornar consciente.
Na clinica a Gsetalt - Terapia não presta atenção somente no que o paciente diz, mas sua postura, tom de voz, expressão do corpo, aos gestos, tudo que ajuda-lo a
compreender mais a fundo a experiencia daquele que o preocupa e indicar possíveis Gestalten inacabadas. Além disso busca-se favorecer o autosuporte do paciente.
Gestalt – terapia – significado Forma ou configuração Medico Alemão Frederik Perls ( 1893 – 1970 )
• O foco da situação terapêutica é entender a maneira como a pessoa existe , de que forma se relaciona consigo mesma, com
os outros e com tudo que se apresenta em seu mundo. Parte de um principio motivacional, entender a coisa como tal e esteja
determinado a fazer algo com isso. O motivo vem do apelo de que o futuro existe, ter que dar conta que existe e precisa
reagir para a vida. O fundamental é desvelar o sentido da experiencia, ( acontecimentos vividos) que causam dano ao SER em
questão, muitas vezes encoberto, que nem sempre se mostra de forma explícita.
Fenomenologia – Inicio no Brasil em 1974
• Busca a homeostase familiar ou seja o equilíbrio no âmbito familiar, a família adoece junto em alguns casos patológicos em
um membro da família. A forma de pensar sistêmico é implantada para o desenvolvimento e reestruturação da interação entre
os membros em família. Leva em conta o Pensamento ( circular)sistêmico que leva em conta o contexto ou as relações do
individuo, diferente do pensamento linear da época de causa e efeito. Pensar sistemicamente é ver uma situação sob
diferentes aspectos, buscando entender como o todo e as partes interagem e se mantêm.
Terapia Familiar Sistêmica – Pós – Guerra
Nos Estados Unidos
• Um dos grandes objetivos do psicodrama é o desenvolvimento espontaneidade-criativa ( atitudes criativas em situações
adversas ) o foco esta sempre na ação por meio das dramatizações, com diferentes linguagens, como a corporal e a verbal. o
psicodrama tem como inspiração o teatro. A dramatização e a espontaneidade dos participantes são o ponto crucial para os
desdobramentos que ocorrerão na psique do indivíduo. Seu criador, Jacob, definiu esta terapia como “a ciência que explora a
verdade por métodos dramáticos”.
Psicodrama – Jacob L. Moreno 1932 -
• A empatia como ação, o aparente esquecer-se de si mesmo e colocar-se no lugar do outro é
expressão de coragem no confronto das contradições constantes. Rogers afirma que quando
uma pessoa se sente compreendida de modo sensível , ela própria desenvolve um conjunto
de atitudes promotoras de crescimento em relação a si mesma e aos outros , não se sentindo
avaliada ou julgada pela situação o clima empático possibilita e ela assumir autoestima e
interesse ´por si mesma. O otimismo tanto para a psicologia como para o Ser Humano, de
que somos capazes e devemos sempre mudar para melhor do que somos e que é possível
sem sofrimento ou dor, mas com empatia do analisador e do próprio analisando para si
mesmo. Com amor tudo se transforma.
Abordagem Centrada na Pessoa – Terapia Humanista - Carl
Rogers - 1948
• Para Freud é preciso entender como o psiquismo funciona, é preciso também entender como
ele é feito quais são suas partes como elas se formam, deste modo assim como na medicina
é o corpo humano é dividido em funções e é dado o nome de aparelho como Freud era
medico assim fez, criou o aparelho psíquico e suas funções ID, (Inconsciente) Superego
(Moral Juiz) e Ego (EU). Em consultório, o divã faz parte do cenário e a fala( associação livre).
• Freud o inventou em substituição ao hipnotismo no tratamento das neuroses. ...
A associação livre e os sonhos formam o que Freud chama de via régia para o inconsciente.
Psicanalise freudiana - Sigmund Freud – 1889 - A Interpretação dos
sonhos um grande marco de suas obras em psicanalise.
• Psicanálise da dialética. A pratica do dialogo em sessões de terapia, duas poltronas face a face
entre os membros sem o privilegio do divâ, é sustentada a levar o ,paciente a experienciar
seus afetos e emoções, mais que nomeá-los ou interpreta-los, racionalmente. Dois momentos
importantes que trás um resultados promissores ou até mesmo a cura de algumas patologias
psíquicas são, primeiro o paciente encontra um lugar seguro criando um ambiente
confessional relacionada a catarse de seus conflitos , medos e desejos, gerando um alívio das
tensões relacionadas ao segredos que quando não compartilhados, podem gerar sentimentos
de culpa, angústia e paralisação na vida. O segundo momento onde a terapia foca o
esclarecimento em que o terapeuta ajuda o paciente a buscar a causa do seu sofrimento
visando a elucidação dos aspectos obscuros e reprimidos de sua história pessoal que levaram
á formação de seus complexos a partir daí pode-se obter um retorno ao mundo social de
modo mais maduro , de forma que Jung entendia de mode de uma educação para o ser
social, quanto avançar para níveis mais profundos de transformação da personalidade que ele
associava mais especificamente ao ´processo de individuação.
Psicanalise Analítica – Carl Gustav Jung - 1900
• Klein e Winnicott – Psicanalise da criança – Klein, trabalhava com o desenvolvimento da criança como
técnica o brincar, hoje chamado lúdico, que desenhos, pinturas, brincadeiras. A analise ocorre na
observação da criança em suas atividades e as vezes com desenhos, brinquedos e jogos são estimuladas e
representam deixando surgir seus medos, dores, incômodos em quanto brincam.
Melanie Klein – 1914/ Psicanalise da criança
• A pratica pediátrica possibilitou a Winnicott adquirir profundo conhecimento sobre o desenvolvimento da
criança em relação á mãe. Winnicott levava em consideração em todo o processo terapêutico:
• 1ª O ambiente é importante e tem muita relevância para a formação do Self do bebê;
• 2º Falhas nos cuidados maternos; ou os cuidados influenciam do desenvolvimento da criança e ou
patologias psíquicas.
• 3ª O brincar o lúdico é importante para si mesmo ia além do imaginar, desejar, era o fazer, realizar.
• Winnicott trabalhava no ponto da urgência, e isso constituía a psicanálise segundo a demanda.
Donald Woods Winnicott – 1927 Psicanalise da criança
• As técnicas são voltadas para a mudança do comportamento. Seu objetivo central
identificar e modificar crenças irracionais, base dos transtornos psicológicos. Desfazer as
crenças ruins, mudança de pensamentos que influenciam em comportamentos.
Terapia Cognitivas - Desenvolvida na década de 60 - Aaron T, Beck
• A Origem teórica da terapia comportamental, dada do inicio do século XX, a partir do
manifesto behaviorista do psicólogo John B. Watson. Neste tipo de terapia
comportamento do cliente na sessão é visto como uma amostra dos padrões de interação
que ele estabelece com seu ambiente social. Acolhimento e entendimento e ao mesmo
tempo o profissional dispõe de recursos e estratégias terapêuticas para ajudar o cliente a
superar suas dificuldades e desenvolver-se, também faz parte do processo a intervenção do
terapeuta afim de proporcionar condições para a mudança comportamental.
Analítico – Comportamental – Início do século XX – Pós Guerra
Descubra mais sobre assuntos relacionados a Psicologia,
desenvolvimento pessoal e relacionamento
Clique aqui

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estudo de caso psicologia clínica
Estudo de caso psicologia clínicaEstudo de caso psicologia clínica
Estudo de caso psicologia clínicaEndriely Teodoro
 
Teorias e técnicas psicoterápicas
Teorias e técnicas psicoterápicasTeorias e técnicas psicoterápicas
Teorias e técnicas psicoterápicasMarceloSantos887
 
Aula 6 14 abr - Refletindo a Alma
Aula 6    14 abr - Refletindo a AlmaAula 6    14 abr - Refletindo a Alma
Aula 6 14 abr - Refletindo a AlmaProf. Paulo Ratki
 
Psicologia contemporanea-articulacoes-teoricopraticas-psicanalise-psicoterapi...
Psicologia contemporanea-articulacoes-teoricopraticas-psicanalise-psicoterapi...Psicologia contemporanea-articulacoes-teoricopraticas-psicanalise-psicoterapi...
Psicologia contemporanea-articulacoes-teoricopraticas-psicanalise-psicoterapi...Lucas Coutinho
 
Psicoterapia de apoio
Psicoterapia de apoioPsicoterapia de apoio
Psicoterapia de apoiojoanadebarros
 
O Impacto Da Psicanálise Sobre O Setor
O Impacto Da Psicanálise Sobre O SetorO Impacto Da Psicanálise Sobre O Setor
O Impacto Da Psicanálise Sobre O Setorr6zvomo671
 
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem PsicanaliticaTeoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem PsicanaliticaDeisiane Cazaroto
 
Como conquistar sua própria felicidade, Terapia Racional Emotiva Comportament...
Como conquistar sua própria felicidade, Terapia Racional Emotiva Comportament...Como conquistar sua própria felicidade, Terapia Racional Emotiva Comportament...
Como conquistar sua própria felicidade, Terapia Racional Emotiva Comportament...Marcelo da Rocha Carvalho
 
A Práxis Grupal em Saúde Mental com Autistas
A Práxis Grupal em Saúde Mental com AutistasA Práxis Grupal em Saúde Mental com Autistas
A Práxis Grupal em Saúde Mental com AutistasMicaella Gomes
 
Slides de aula whitaker
Slides de aula   whitakerSlides de aula   whitaker
Slides de aula whitakerjdavidm
 

Mais procurados (19)

O caminho da cura
O caminho da curaO caminho da cura
O caminho da cura
 
Estudo de caso psicologia clínica
Estudo de caso psicologia clínicaEstudo de caso psicologia clínica
Estudo de caso psicologia clínica
 
Teorias e técnicas psicoterápicas
Teorias e técnicas psicoterápicasTeorias e técnicas psicoterápicas
Teorias e técnicas psicoterápicas
 
As atitudes facilitadoras
As atitudes facilitadorasAs atitudes facilitadoras
As atitudes facilitadoras
 
Tre1
Tre1Tre1
Tre1
 
Kurt goldstein
Kurt goldsteinKurt goldstein
Kurt goldstein
 
Humanismo Carl Rogers
Humanismo Carl RogersHumanismo Carl Rogers
Humanismo Carl Rogers
 
Terapia Cognitiva
Terapia CognitivaTerapia Cognitiva
Terapia Cognitiva
 
Aula 6 14 abr - Refletindo a Alma
Aula 6    14 abr - Refletindo a AlmaAula 6    14 abr - Refletindo a Alma
Aula 6 14 abr - Refletindo a Alma
 
Grupoterapias
GrupoterapiasGrupoterapias
Grupoterapias
 
Psicologia contemporanea-articulacoes-teoricopraticas-psicanalise-psicoterapi...
Psicologia contemporanea-articulacoes-teoricopraticas-psicanalise-psicoterapi...Psicologia contemporanea-articulacoes-teoricopraticas-psicanalise-psicoterapi...
Psicologia contemporanea-articulacoes-teoricopraticas-psicanalise-psicoterapi...
 
Psicoterapia de apoio
Psicoterapia de apoioPsicoterapia de apoio
Psicoterapia de apoio
 
Vivenciando a A.C.P. de Carl Rogers
Vivenciando a A.C.P. de Carl RogersVivenciando a A.C.P. de Carl Rogers
Vivenciando a A.C.P. de Carl Rogers
 
O Impacto Da Psicanálise Sobre O Setor
O Impacto Da Psicanálise Sobre O SetorO Impacto Da Psicanálise Sobre O Setor
O Impacto Da Psicanálise Sobre O Setor
 
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem PsicanaliticaTeoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
 
Como conquistar sua própria felicidade, Terapia Racional Emotiva Comportament...
Como conquistar sua própria felicidade, Terapia Racional Emotiva Comportament...Como conquistar sua própria felicidade, Terapia Racional Emotiva Comportament...
Como conquistar sua própria felicidade, Terapia Racional Emotiva Comportament...
 
A Práxis Grupal em Saúde Mental com Autistas
A Práxis Grupal em Saúde Mental com AutistasA Práxis Grupal em Saúde Mental com Autistas
A Práxis Grupal em Saúde Mental com Autistas
 
Slides de aula whitaker
Slides de aula   whitakerSlides de aula   whitaker
Slides de aula whitaker
 
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva InfantilTerapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
 

Semelhante a Organograma slid1

07psicologiaclnica trabalho-150102210503-conversion-gate02
07psicologiaclnica trabalho-150102210503-conversion-gate0207psicologiaclnica trabalho-150102210503-conversion-gate02
07psicologiaclnica trabalho-150102210503-conversion-gate02Ana Rodrigues
 
psicologia clínica07 psicologia clínica trabalho
psicologia clínica07 psicologia clínica trabalhopsicologia clínica07 psicologia clínica trabalho
psicologia clínica07 psicologia clínica trabalhoGraça Martins
 
07 psicologia clínica trabalho
07 psicologia clínica trabalho07 psicologia clínica trabalho
07 psicologia clínica trabalhoGraça Martins
 
WEBAULAS - Terapia Familiar Sistêmica - Cap 1.pdf
WEBAULAS - Terapia Familiar Sistêmica - Cap 1.pdfWEBAULAS - Terapia Familiar Sistêmica - Cap 1.pdf
WEBAULAS - Terapia Familiar Sistêmica - Cap 1.pdfMarciaCristine2
 
Formação em Psicanálise - Instituto Brasileiro
Formação em Psicanálise - Instituto BrasileiroFormação em Psicanálise - Instituto Brasileiro
Formação em Psicanálise - Instituto Brasileirolilsonasilva
 
O Potencial Terapêutico da Regressão e Vivências passadas
O Potencial Terapêutico da Regressão e Vivências passadasO Potencial Terapêutico da Regressão e Vivências passadas
O Potencial Terapêutico da Regressão e Vivências passadasGSArt Web Solutions
 
A psicologia e a sua importância no mundo (1)
A psicologia e a sua importância no mundo (1)A psicologia e a sua importância no mundo (1)
A psicologia e a sua importância no mundo (1)Filipe Leal
 
Psicoterapia - Terapêutica, VIEIRA MIGUEL MANUEL
Psicoterapia - Terapêutica, VIEIRA MIGUEL MANUELPsicoterapia - Terapêutica, VIEIRA MIGUEL MANUEL
Psicoterapia - Terapêutica, VIEIRA MIGUEL MANUELVieira Manuel
 
Psicologia Humanista - Apresentação.pdf
Psicologia Humanista - Apresentação.pdfPsicologia Humanista - Apresentação.pdf
Psicologia Humanista - Apresentação.pdfErickFelipe22
 
Uma visão ericksoniana da cura no transe hipnótico
Uma visão ericksoniana da cura no transe hipnóticoUma visão ericksoniana da cura no transe hipnótico
Uma visão ericksoniana da cura no transe hipnóticoMari Oldoni
 
Um primeiro-olhar-sobre-a-gestalt
Um primeiro-olhar-sobre-a-gestaltUm primeiro-olhar-sobre-a-gestalt
Um primeiro-olhar-sobre-a-gestaltFassis
 
Psicologia aplicada à saúde u4
Psicologia aplicada à saúde u4Psicologia aplicada à saúde u4
Psicologia aplicada à saúde u4Marlon Urban Flores
 
Terapias Cognitivas- compoortamentais
Terapias Cognitivas- compoortamentaisTerapias Cognitivas- compoortamentais
Terapias Cognitivas- compoortamentaisRodrigo Abreu
 
2013-03-13-Aula-Obsessão e Transtornos Psíquicos-Rosana De Rosa
2013-03-13-Aula-Obsessão e Transtornos Psíquicos-Rosana De Rosa2013-03-13-Aula-Obsessão e Transtornos Psíquicos-Rosana De Rosa
2013-03-13-Aula-Obsessão e Transtornos Psíquicos-Rosana De RosaRosana De Rosa
 
Princípios para a prática terapêutica
Princípios para a prática terapêuticaPrincípios para a prática terapêutica
Princípios para a prática terapêuticaBruno Carrasco
 
1-História da Terapia Cognitiva.pptx
1-História da Terapia Cognitiva.pptx1-História da Terapia Cognitiva.pptx
1-História da Terapia Cognitiva.pptxJulianamarciafonseca
 

Semelhante a Organograma slid1 (20)

07psicologiaclnica trabalho-150102210503-conversion-gate02
07psicologiaclnica trabalho-150102210503-conversion-gate0207psicologiaclnica trabalho-150102210503-conversion-gate02
07psicologiaclnica trabalho-150102210503-conversion-gate02
 
psicologia clínica07 psicologia clínica trabalho
psicologia clínica07 psicologia clínica trabalhopsicologia clínica07 psicologia clínica trabalho
psicologia clínica07 psicologia clínica trabalho
 
07 psicologia clínica trabalho
07 psicologia clínica trabalho07 psicologia clínica trabalho
07 psicologia clínica trabalho
 
Psicologia Aplicada
Psicologia AplicadaPsicologia Aplicada
Psicologia Aplicada
 
WEBAULAS - Terapia Familiar Sistêmica - Cap 1.pdf
WEBAULAS - Terapia Familiar Sistêmica - Cap 1.pdfWEBAULAS - Terapia Familiar Sistêmica - Cap 1.pdf
WEBAULAS - Terapia Familiar Sistêmica - Cap 1.pdf
 
Formação em Psicanálise - Instituto Brasileiro
Formação em Psicanálise - Instituto BrasileiroFormação em Psicanálise - Instituto Brasileiro
Formação em Psicanálise - Instituto Brasileiro
 
Gestalt-Terapia
Gestalt-TerapiaGestalt-Terapia
Gestalt-Terapia
 
Psicoterapias miriam
Psicoterapias miriamPsicoterapias miriam
Psicoterapias miriam
 
O Potencial Terapêutico da Regressão e Vivências passadas
O Potencial Terapêutico da Regressão e Vivências passadasO Potencial Terapêutico da Regressão e Vivências passadas
O Potencial Terapêutico da Regressão e Vivências passadas
 
A psicologia e a sua importância no mundo (1)
A psicologia e a sua importância no mundo (1)A psicologia e a sua importância no mundo (1)
A psicologia e a sua importância no mundo (1)
 
Psicoterapia - Terapêutica, VIEIRA MIGUEL MANUEL
Psicoterapia - Terapêutica, VIEIRA MIGUEL MANUELPsicoterapia - Terapêutica, VIEIRA MIGUEL MANUEL
Psicoterapia - Terapêutica, VIEIRA MIGUEL MANUEL
 
Psicologia Humanista - Apresentação.pdf
Psicologia Humanista - Apresentação.pdfPsicologia Humanista - Apresentação.pdf
Psicologia Humanista - Apresentação.pdf
 
Uma visão ericksoniana da cura no transe hipnótico
Uma visão ericksoniana da cura no transe hipnóticoUma visão ericksoniana da cura no transe hipnótico
Uma visão ericksoniana da cura no transe hipnótico
 
Um primeiro-olhar-sobre-a-gestalt
Um primeiro-olhar-sobre-a-gestaltUm primeiro-olhar-sobre-a-gestalt
Um primeiro-olhar-sobre-a-gestalt
 
Psicologia aplicada à saúde u4
Psicologia aplicada à saúde u4Psicologia aplicada à saúde u4
Psicologia aplicada à saúde u4
 
TCC - Terapia Cognitivo Comportamental
TCC - Terapia Cognitivo ComportamentalTCC - Terapia Cognitivo Comportamental
TCC - Terapia Cognitivo Comportamental
 
Terapias Cognitivas- compoortamentais
Terapias Cognitivas- compoortamentaisTerapias Cognitivas- compoortamentais
Terapias Cognitivas- compoortamentais
 
2013-03-13-Aula-Obsessão e Transtornos Psíquicos-Rosana De Rosa
2013-03-13-Aula-Obsessão e Transtornos Psíquicos-Rosana De Rosa2013-03-13-Aula-Obsessão e Transtornos Psíquicos-Rosana De Rosa
2013-03-13-Aula-Obsessão e Transtornos Psíquicos-Rosana De Rosa
 
Princípios para a prática terapêutica
Princípios para a prática terapêuticaPrincípios para a prática terapêutica
Princípios para a prática terapêutica
 
1-História da Terapia Cognitiva.pptx
1-História da Terapia Cognitiva.pptx1-História da Terapia Cognitiva.pptx
1-História da Terapia Cognitiva.pptx
 

Mais de Cristiane Blanco

Mais de Cristiane Blanco (7)

Organograma slid1
Organograma slid1Organograma slid1
Organograma slid1
 
Escala Límbica blog
Escala Límbica blogEscala Límbica blog
Escala Límbica blog
 
Escala Límbica blog
Escala Límbica blogEscala Límbica blog
Escala Límbica blog
 
Fatores que potencializam a Depressão
Fatores que potencializam a DepressãoFatores que potencializam a Depressão
Fatores que potencializam a Depressão
 
Slidblog2
Slidblog2Slidblog2
Slidblog2
 
Slidblog
SlidblogSlidblog
Slidblog
 
Resumo o Ego
Resumo o EgoResumo o Ego
Resumo o Ego
 

Último

Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdfAula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdfGiza Carla Nitz
 
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfAula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfGiza Carla Nitz
 
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfAula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfmarrudo64
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfThiagoAlmeida458596
 
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para DownloadSlide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para DownloadJordanPrazeresFreita1
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfEduardoSilva185439
 
Primeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoPrimeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoDjalmadeAndrade2
 
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfControle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfRodrigoSimonato2
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAndersonMoreira538200
 
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfGlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfamaroalmeida74
 
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfAula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfGiza Carla Nitz
 
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdfAula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdfGiza Carla Nitz
 
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdfAula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdfGiza Carla Nitz
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfGiza Carla Nitz
 
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIASAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIAArtthurPereira2
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxEnfaVivianeCampos
 
Guia alimentar para a população brasileira .pdf
Guia alimentar para a população brasileira  .pdfGuia alimentar para a população brasileira  .pdf
Guia alimentar para a população brasileira .pdfThiagoAlmeida458596
 

Último (17)

Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdfAula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
 
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfAula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
 
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfAula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
 
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para DownloadSlide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
 
Primeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoPrimeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalho
 
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfControle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
 
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfGlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
 
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfAula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
 
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdfAula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
 
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdfAula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
 
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIASAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
 
Guia alimentar para a população brasileira .pdf
Guia alimentar para a população brasileira  .pdfGuia alimentar para a população brasileira  .pdf
Guia alimentar para a população brasileira .pdf
 

Organograma slid1

  • 1. Carl Jung Willian Reich Sigmund Freud Melanie Klein Donald winnicott Carl Rogers
  • 2. LINHAS DA PSICOLOGIA /PSICANALISE BLOG CLIQUE AQUI • A clinica Lacan se apresenta como psicanalítica e rigorosamente freudiana. Porém com as modificações do Psicanalista Lacan, segue o modelo de tratamento formativo ou seja de formar tanto o tratamento em seu consultório como o analisa (paciente), e não seguindo normas e regras da psicanalise ortodoxia. No que tange sua forma de tratamento clinico, o tempo de sessão é variável e depende do que é dito e realizado entre os participantes da cena analítica (paciente e terapeuta), A fala é o principal meio de tratamento Lacan aponta para a analise e estudo das mensagens que estão por traz destas, e ou dos sintomas, sonhos, desejos, recalques cada um com suas estruturas. (significado de cada estrutura) Psicanálise Lacaniana - Jacques Lacan – 1901 - 1981 •Nossa percepção é influenciada não apenas por aquilo que vemos, mas também por fatores internos. O pelar da Gestalt – Terapia é o (awareness) ou seja tornar consciente. Na clinica a Gsetalt - Terapia não presta atenção somente no que o paciente diz, mas sua postura, tom de voz, expressão do corpo, aos gestos, tudo que ajuda-lo a compreender mais a fundo a experiencia daquele que o preocupa e indicar possíveis Gestalten inacabadas. Além disso busca-se favorecer o autosuporte do paciente. Gestalt – terapia – significado Forma ou configuração Medico Alemão Frederik Perls ( 1893 – 1970 )
  • 3. • O foco da situação terapêutica é entender a maneira como a pessoa existe , de que forma se relaciona consigo mesma, com os outros e com tudo que se apresenta em seu mundo. Parte de um principio motivacional, entender a coisa como tal e esteja determinado a fazer algo com isso. O motivo vem do apelo de que o futuro existe, ter que dar conta que existe e precisa reagir para a vida. O fundamental é desvelar o sentido da experiencia, ( acontecimentos vividos) que causam dano ao SER em questão, muitas vezes encoberto, que nem sempre se mostra de forma explícita. Fenomenologia – Inicio no Brasil em 1974 • Busca a homeostase familiar ou seja o equilíbrio no âmbito familiar, a família adoece junto em alguns casos patológicos em um membro da família. A forma de pensar sistêmico é implantada para o desenvolvimento e reestruturação da interação entre os membros em família. Leva em conta o Pensamento ( circular)sistêmico que leva em conta o contexto ou as relações do individuo, diferente do pensamento linear da época de causa e efeito. Pensar sistemicamente é ver uma situação sob diferentes aspectos, buscando entender como o todo e as partes interagem e se mantêm. Terapia Familiar Sistêmica – Pós – Guerra Nos Estados Unidos • Um dos grandes objetivos do psicodrama é o desenvolvimento espontaneidade-criativa ( atitudes criativas em situações adversas ) o foco esta sempre na ação por meio das dramatizações, com diferentes linguagens, como a corporal e a verbal. o psicodrama tem como inspiração o teatro. A dramatização e a espontaneidade dos participantes são o ponto crucial para os desdobramentos que ocorrerão na psique do indivíduo. Seu criador, Jacob, definiu esta terapia como “a ciência que explora a verdade por métodos dramáticos”. Psicodrama – Jacob L. Moreno 1932 -
  • 4. • A empatia como ação, o aparente esquecer-se de si mesmo e colocar-se no lugar do outro é expressão de coragem no confronto das contradições constantes. Rogers afirma que quando uma pessoa se sente compreendida de modo sensível , ela própria desenvolve um conjunto de atitudes promotoras de crescimento em relação a si mesma e aos outros , não se sentindo avaliada ou julgada pela situação o clima empático possibilita e ela assumir autoestima e interesse ´por si mesma. O otimismo tanto para a psicologia como para o Ser Humano, de que somos capazes e devemos sempre mudar para melhor do que somos e que é possível sem sofrimento ou dor, mas com empatia do analisador e do próprio analisando para si mesmo. Com amor tudo se transforma. Abordagem Centrada na Pessoa – Terapia Humanista - Carl Rogers - 1948 • Para Freud é preciso entender como o psiquismo funciona, é preciso também entender como ele é feito quais são suas partes como elas se formam, deste modo assim como na medicina é o corpo humano é dividido em funções e é dado o nome de aparelho como Freud era medico assim fez, criou o aparelho psíquico e suas funções ID, (Inconsciente) Superego (Moral Juiz) e Ego (EU). Em consultório, o divã faz parte do cenário e a fala( associação livre). • Freud o inventou em substituição ao hipnotismo no tratamento das neuroses. ... A associação livre e os sonhos formam o que Freud chama de via régia para o inconsciente. Psicanalise freudiana - Sigmund Freud – 1889 - A Interpretação dos sonhos um grande marco de suas obras em psicanalise.
  • 5. • Psicanálise da dialética. A pratica do dialogo em sessões de terapia, duas poltronas face a face entre os membros sem o privilegio do divâ, é sustentada a levar o ,paciente a experienciar seus afetos e emoções, mais que nomeá-los ou interpreta-los, racionalmente. Dois momentos importantes que trás um resultados promissores ou até mesmo a cura de algumas patologias psíquicas são, primeiro o paciente encontra um lugar seguro criando um ambiente confessional relacionada a catarse de seus conflitos , medos e desejos, gerando um alívio das tensões relacionadas ao segredos que quando não compartilhados, podem gerar sentimentos de culpa, angústia e paralisação na vida. O segundo momento onde a terapia foca o esclarecimento em que o terapeuta ajuda o paciente a buscar a causa do seu sofrimento visando a elucidação dos aspectos obscuros e reprimidos de sua história pessoal que levaram á formação de seus complexos a partir daí pode-se obter um retorno ao mundo social de modo mais maduro , de forma que Jung entendia de mode de uma educação para o ser social, quanto avançar para níveis mais profundos de transformação da personalidade que ele associava mais especificamente ao ´processo de individuação. Psicanalise Analítica – Carl Gustav Jung - 1900
  • 6. • Klein e Winnicott – Psicanalise da criança – Klein, trabalhava com o desenvolvimento da criança como técnica o brincar, hoje chamado lúdico, que desenhos, pinturas, brincadeiras. A analise ocorre na observação da criança em suas atividades e as vezes com desenhos, brinquedos e jogos são estimuladas e representam deixando surgir seus medos, dores, incômodos em quanto brincam. Melanie Klein – 1914/ Psicanalise da criança • A pratica pediátrica possibilitou a Winnicott adquirir profundo conhecimento sobre o desenvolvimento da criança em relação á mãe. Winnicott levava em consideração em todo o processo terapêutico: • 1ª O ambiente é importante e tem muita relevância para a formação do Self do bebê; • 2º Falhas nos cuidados maternos; ou os cuidados influenciam do desenvolvimento da criança e ou patologias psíquicas. • 3ª O brincar o lúdico é importante para si mesmo ia além do imaginar, desejar, era o fazer, realizar. • Winnicott trabalhava no ponto da urgência, e isso constituía a psicanálise segundo a demanda. Donald Woods Winnicott – 1927 Psicanalise da criança
  • 7. • As técnicas são voltadas para a mudança do comportamento. Seu objetivo central identificar e modificar crenças irracionais, base dos transtornos psicológicos. Desfazer as crenças ruins, mudança de pensamentos que influenciam em comportamentos. Terapia Cognitivas - Desenvolvida na década de 60 - Aaron T, Beck • A Origem teórica da terapia comportamental, dada do inicio do século XX, a partir do manifesto behaviorista do psicólogo John B. Watson. Neste tipo de terapia comportamento do cliente na sessão é visto como uma amostra dos padrões de interação que ele estabelece com seu ambiente social. Acolhimento e entendimento e ao mesmo tempo o profissional dispõe de recursos e estratégias terapêuticas para ajudar o cliente a superar suas dificuldades e desenvolver-se, também faz parte do processo a intervenção do terapeuta afim de proporcionar condições para a mudança comportamental. Analítico – Comportamental – Início do século XX – Pós Guerra
  • 8. Descubra mais sobre assuntos relacionados a Psicologia, desenvolvimento pessoal e relacionamento Clique aqui