Apresentação surdez

112 visualizações

Publicada em

Educação Especial

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
112
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação surdez

  1. 1. Processo de Desenvolvimento e de Aprendizagem- Deficiência Auditiva Cris Kemer Pandolpho Pasquali Comunicação, linguagem e pensamento das crianças surdas
  2. 2. Os Parâmetros Curriculares Nacionais(Brasil,1999,p.8), define a deficiência auditiva como: (…) Perda total ou parcial, congênita ou adquirida, da capacidade de compreender a fala por intermédio do ouvido. Manifesta-se como surdez leve/moderada:perda auditiva de até 70 decibéis, que dificulta, mas não impede o indivíduo de se expressar oralmente, bem como de perceber a voz humana, com ou sem a utilização de um aparelho auditivo. Surdez severa/profunda:perda acima de 70 decibéis que impede o indivíduo de entender, com ou sem aparelho auditivo, a voz humana, bem como de adquirir, naturalmente, o código oral.
  3. 3. Surdez, Cognição e Linguagem -A influência da surdez sobre o individuo mostra características particulares no seu desenvolvimento biológico, psicológico e social. Sem duvida a comunicação é o alicerce da vida do indivíduo em todas as suas manifestações como ser social; -No caso de surdez pré linguística a aquisição de informações pelo sistema auditivo mostra-se prejudicada desde a fase inicial de aquisição da linguagem oral, que ocorre, para a maioria das crianças por volta dos 18 meses; -Para os profundamente surdos, a situação e mais grave, pois implica a perda linguagem .Nesse caso, se for dado ênfase só a linguagem oral, haverá muita dificuldade de se desenvolver a fala e a escrita; -A inteligência ou capacidade cognitiva é considerada normal nessa crianças. O que ocorre é um problema de aquisição de informações pelo sistema auditivo e a falta de desenvolvimento da linguagem, em casos de surdez pré linguística, ou seja manifestada antes do desenvolvimento da linguagem; -Vygotsky(1991), mostra a necessidade de interação com outras pessoas da cultura e de internalização dos significados da cultura por meio dessas interações;
  4. 4. -Exige-se do surdo um trânsito permanente da fronteira de um mundo que se constrói por meio de sua experiência visual, tátil, sinestésica, olfativa, gustativa para outra permanentemente traduzir, o que é mundo do ouvinte? -O mundo humano das excitações sonoras é determinado por fatores histórico- sociais. -As famílias com bebês portadores de deficiência auditiva e pais ouvintes são mais comuns do que as famílias com bebês e pais portadores de deficiência auditiva; -As crianças que passam a dominar melhor habilidades de linguagem oral, são chamadas de surdos oralizados; -Portanto, é a mãe quem primeiro dá significado para o gesto do bebê, que só mais tarde dele se apropriará, transformando o agarrar em apontar(Vygotski,1984);
  5. 5. -O desenvolvimento linguístico e a aprendizagem de uma língua são fundamentais para a formação da cognição. Embora a criança surda se depare com muitas dificuldades devido aos aspectos do desenvolvimento linguístico, suas potencialidades de desenvolvimento de estruturas e funções cognitivas são as mesmas que as das crianças ouvintes. Para compreender o desenvolvimento cognitivo da criança surda é interessante analisar os conceitos de desenvolvimento, linguagem e aprendizagem relacionando com o contexto da surdez. -A aquisição da linguagem se dá através de canais sensoriais, sendo a audição um canal sensorial de extrema importância. Por isso a perda auditiva interfere na aquisição da linguagem e em praticamente todas as dimensões do desenvolvimento da criança. Significa, então, que a criança surda apresentará dificuldades e déficits na sua aprendizagem e desenvolvimento cognitivo e por não adquirir a linguagem. -A linguagem pode ser percebida pelos diversos órgãos do sentido e por isso distinguimos linguagem oral e linguagem visual. A criança surda não pode adquirir uma linguagem oral, mas o sentido da visão lhe permite a aquisição de um tipo especifico de linguagem visual, a linguagem de sinais.
  6. 6. - A linguagem permite ao homem estruturar seu pensamento, traduzir o que sente, registrar o que conhece e comunicar-se com outros homens. Ela marca o ingresso do homem na cultura, construindo-o como sujeito capaz de produzir transformações nunca antes imaginadas; -A criança desenvolve sua linguagem, então,conforme as suas necessidades. Nesse aspecto, importa salientar que entre a mãe e a criança, esta comunicação é natural, pois mesmo através de gestos, do choro e às vezes,com o próprio olhar, a criança se faz entender; -A criança surda, por sua vez, não irá comunicar-se através do som das palavras. Assim, ela busca alternativas para atingir seus objetivos e começa a desenvolver sua língua natural, a língua de sinais; -A aprendizagem está associada ao ambiente social que a criança vive e por iniciar-se pelas relações interpessoais, necessita, na maioria das vezes, da linguagem;
  7. 7. - Através da linguagem, constituímos o mundo e nos construímos como sujeitos, e que, essa mesma linguagem é adquirida de forma espontânea, ou seja, a linguagem é o nosso meio de comunicação com o mundo; - Como em nossa sociedade há o predomínio da linguagem oral, visto que a grande maioria das pessoas se comunica através de palavras, muitas vezes a linguagem adquirida pelos surdos, a língua de sinais, não é reconhecida, e na maioria das vezes não é prestigiada como língua, ainda que possua características próprias, com estruturas diferenciadas; - O atraso na aquisição da linguagem causa atraso na aprendizagem e no desenvolvimento que é direcionado e impulsionado pela aprendizagem. Mais uma vez percebe-se a desvantagem do surdo que sofre atraso na aquisição da linguagem. Por não ter acesso a conceitos, sua aprendizagem é difícil e o seu desenvolvimento segue por caminhos diferentes das crianças ouvintes;
  8. 8. Com isso podemos perceber as relações que se estabelecem entre o surdo e a linguagem e com isso refletir, de forma ampla, sobre o papel da linguagem no desenvolvimento humano e que não há limites cognitivos intrínsecos a surdez quando se oferecem todas as possibilidades de acesso para a consolidação da linguagem. Portanto, a surdez deve ser diagnosticada o mais cedo possível e a língua de sinais, vivenciada pela criança desde os primeiros anos de vida para que possibilite, plenamente, a comunicação e o intercurso do pensamento. A linguagem deve desenvolver-se, considerando a criança ativamente envolvida no processo de comunicação de seu ambiente sócio cultural.
  9. 9. Tecnologias Assistivas:Surdez
  10. 10. Referências BOUTON, C.P.- Desenvolvimento da linguagem. São Paulo: Editora Morais, 1977. LURIA, Alberto. Pensamento e formas de linguagem. Porto Alegre: Arte e Científicos,1986. PEREIRA, M. Q.;MAROSTEGA, V. L. Perspectivas Pedagógicas na Escola de Surdos de Santa Maria. Revista do Centro de Educação. N 20. Disponível em:<>.Acesso em 28,out.2013. SILVA, Angela. Surdez e Bilinguismo. Porto Alegre: Mediação, 2005. SKLIAR. Carlos. (org.) A surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Editora Mediação, 1998. VYGOTSKY, Liev Semionovich. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1989a.

×