SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
Avaliação do Desempenho dos Docentes Decreto Regulamentar n.º 2/2008 de 10 de Janeiro
Normativos da ADD Decreto-Lei n.º 15/2007 de 19 Janeiro (Estatuto da Carreira Docente) Decreto Regulamentar n.º 2/2008 de 10 Janeiro (Sistema de Avaliação do Pessoal Docente)
Princípios Orientadores da ADD   ( 1 de 2) Art. 3.º do Dec.-Reg. N.º 2/2008 ADD desenvolve -se de acordo com os princípios consagrados no artigo 39.º da Lei de Bases do Sistema Educativo e no respeito pelos princípios e objectivos que enformam o sistema integrado de avaliação de desempenho da Administração Pública. ADD visa a melhoria dos resultados escolares dos alunos e da qualidade das aprendizagens e proporcionar orientações para o desenvolvimento pessoal e profissional no quadro de um sistema de reconhecimento do mérito e da excelência, constituindo ainda seus objectivos os fixados no n.º 3 do artigo 40.º do ECD.
Princípios Orientadores da ADD  (2 de 2) A aplicação do sistema de avaliação de desempenho regulado no ECD e no presente decreto regulamentar deve ainda permitir: Identificar o potencial de evolução e desenvolvimento profissional do docente; Diagnosticar as respectivas necessidades de formação, devendo estas ser consideradas no plano de formação anual de cada agrupamento de escolas ou escola não agrupada, sem prejuízo do direito a auto-formação
Objectivos da ADD   (art.40.º ECD) Contribuir para a melhoria da prática pedagógica. Contribuir para a valorização e aperfeiçoamento  individual. Inventariar necessidades de formação. Facultar indicadores de gestão de pessoal. Detectar factores que influenciam o rendimento profissional. Distinguir os melhores profissionais. Promover a cooperação . Propor-se à melhoria dos resultados escolares. Promover a qualidade dos serviços.
Relevância  (art. 41.º ECD) Progressão na carreira; Conversão da nomeação provisória em nomeação definitiva no termo do período probatório; Renovação do contrato; Atribuição do prémio de desempenho.
Âmbito e Periodicidade da ADD  (1 de 4) (art.º 42.º do ECD) Docentes integrados na carreira No final de cada período de 2 anos lectivos, desde que tenham prestado serviço docente efectivo pelo menos durante metade do período de avaliação. Docentes em período probatório No final desse período e reporta-se à actividade desenvolvida no seu decurso. Docentes contratados No final do período de vigência do contrato e antes da sua eventual renovação, desde que tenham prestado pelo menos 6 meses de serviço consecutivo na mesma escola .
Âmbito e Periodicidade da ADD  (2 de 4) Docentes que exerçam outras funções em regime de mobilidade na Administração Pública  São avaliados nos termos do SIADAP. Docentes destacados para outra escola Os elementos informativos recolhidos acompanham o docente Docentes membros de Direcções Executivas e Directores de Centros de Formação Outras Situações Docentes integrados na carreira com menos de 1 ano escolar  de serviço lectivo efectivo: ,[object Object],Aguardam diploma próprio
Âmbito e Periodicidade da ADD  (3 de 4) Docentes em regime de licença sem vencimento;  Docentes em exercício de funções de ensino português no estrangeiro ; Docentes que exerçam cargos ou funções cujo seu estatuto salvaguarde o direito de progressão na carreira de origem e não tenham funções docentes distribuídas; Optam por uma das seguintes situações: Pela menção qualitativa que lhe foi atribuída na última avaliação de desempenho; OU Pela primeira avaliação de desempenho após regresso ao serviço docente efectivo.
Âmbito e Periodicidade da ADD  (4 de 4) Docentes sem actividade lectiva: São avaliados pelo Órgão de Gestão em função do serviço que lhes foi distribuído. Docentes Coordenadores de Departamento São avaliados p elo Presidente do Conselho Executivo, ou um membro da Direcção Executiva por ele designado e por um inspector com formação científica na área do departamento do avaliado, o qual é designado pelo Inspector -Geral da Educação.
Tipologias de Instrumentos de Registo Normalizado Fichas de registos: Fichas de auto avaliação e análise introspectiva; Grelhas de observação; Grelhas de análise documental; Dossier Pedagógico; Dossier do Docente/de Turma; Cadernos  de registo do Docente; Portefólios; Relatórios; Inquéritos e Entrevistas; Defesa de currículo ; Apresentação do projecto escolar.
Calendarização ADD – exemplo  (1 de 2) ACÇÃO PROCEDIMENTOS Até  ao final de Outubro  – Entrega da proposta de objectivos individuais por parte do avaliado Reunião com os avaliadores Até  ao final de Novembro  – Fixação de objectivos individuais Reunião com os avaliadores Meses  de Junho e Julho  - Preenchimento da ficha de auto-avaliação dos docentes contratados e docentes em condições de progredir na carreira Entrega ao seu Coordenador e no CE  Meses  de Junho e Julho  - Preenchimento das fichas de avaliação pelos avaliadores Preencher as Fichas de Avaliação
Calendarização ADD – exemplo  (2 de 2) ACÇÃO PROCEDIMENTOS Mês  de Julho  - Conferência e validação das propostas de avaliação com menção qualitativa de EX, MB ou Insuficiente /  Análise e validação das propostas de avaliação com menção qualitativa de Ex e MB, pela Comissão de Coordenação da Avaliação Reunião da Comissão de Coordenação da Avaliação do Desempenho Mês  de Julho   – Realização da entrevista individual dos avaliadores com o avaliado Calendarização a efectuar pelos avaliadores Mês  de Julho   – Realização da  reunião conjunta dos avaliadores para a atribuição da avaliação final Reunião para a avaliação final
Dimensões  dos Objectivos Individuais (Artigo 9.º Dec. Reg. n.º 2/2008) a) Melhoria dos resultados escolares; b)  Redução do abandono escolar; c) Apoio à aprendizagem dos alunos; d) Participação nas estruturas de orientação educativa e dos órgãos de gestão; e) Relação com a comunidade; f)  Formação continua adequada (2/3 na área  disciplinar de leccionação); g) Participação e dinamização: P.A.A.; P.C.T. ; actividades extracurriculares e outros projectos.
A Questão dos Resultados Escolares Importância do docente na melhoria dos resultados; Dependente do esforço dos discentes; Auto-avaliação como oportunidade de demonstrar o seu contributo.
Fases do Processo de ADD  (1 de 4) 1. Definição das metas e dos objectivos a atingir no P. E. e no P.A.A.  (Direcção Executiva).  2. Definição dos Indicadores de Medida - progresso dos resultados escolares esperados ; redução das taxas de abandono escolar. (Direcção Executiva) 3. Elaboração e aprovação dos instrumentos de registos normalizados de toda a informação relevante (Conselho Pedagógico).  4 . Elaboração e aprovação da metodologia e dos  documentos a adoptar para a apresentação dos objectivos individuais (Conselho Pedagógico)
Fases do Processo de ADD  (2 de 4) 5. Constituição da Comissão de Coordenação da Avaliação de Desempenho (Conselho Pedagógico). 6. Adequação do Regulamento Interno a esta legislação (Conselho Pedagógico e Conselho Geral). 7. Preenchimento da proposta de Objectivos Individuais (Docente Avaliado) 8. Recolha de informação relevante através dos instrumentos de registo (Docente Avaliado e Avaliadores)
Fases do Processo de ADD  (3 de 4) 9. Preenchimento das fichas de avaliação  (Coordenador de Departamento e Director Executivo) 10. Preenchimento da ficha de auto-avaliação (Docente Avaliado) 11. Conferência e validação das propostas de classificação com menções de Excelente, Muito Bom e Insuficiente (Comissão de Coordenação da Avaliação do Desempenho) 12. Entrevista individual ao Docente Avaliado.
Fases do processo de ADD  (4 de 4) 13. Reunião para atribuição da classificação final. (Avaliadores) 14. Comunicação da classificação final ao avaliado. (Avaliadores) 15. Reclamação no prazo de 10 dias úteis. (Docente Avaliado) 16. Decisão da reclamação no prazo de 15 dias úteis. (Comissão de Coordenação da Avaliação do Desempenho) 17. Recurso Administrativo no prazo de 10 dias úteis. (Docente Avaliado) 18. Decisão do Recurso no prazo de 10 dias úteis. (Director Regional de Educação)
Avaliadores  (art. 45.º do E.C.D. n.º1 e art. 17.º D.R. n.º 2/2008) Coordenador  de departamento Preparação e organização das Actividades lectivas Realização das  actividades lectivas Processo de avaliação das aprendizagens Relação Pedagógica com os alunos
Avaliadores  (art. 45.º do E.C.D. n.º 2 e art.18.º D.R. n.º2/2008) Participação na vida da escola  Progresso dos resultados escolares Presidente do Conselho Executivo Assiduidade Serviço  distribuído Acções de Formação Exercício  de  cargos Dinamização de projectos  de investigação
Avaliadores  (art. 43.º do E.C.D. n.º 5 e 6 e art. 13.º do 2/2008) Regimento Interno Directivas Comissão de  Coordenação  da Avaliação do Desempenho Propõe reformulações do  processo Valida (Ex; Mt.Bome  e o Insuf.
Fases do Processo de ADD no Desenvolvimento Individual  ( art.15.º D.R. n.º2/2008) 1.ª Preenchimento da Ficha de auto-avaliação; 2.ª Preenchimento das fichas de avaliação pelos avaliadores; 3.ª Conferência e validação das propostas pela Comissão de Coordenação de Avaliação; 4.ª Entrevista individual dos avaliadores com o avaliado; 5.ª Reunião conjunta dos avaliadores.
Sistema de Classificação (Artigo 21.º Dec. Reg. n.º 2/2008) A avaliação de cada uma das componentes de classificação e respectivos subgrupos é feita nos termos do disposto no artigo 46.º do ECD . O resultado da avaliação do docente corresponde à classificação média das pontuações finais obtidas em cada uma das fichas de avaliação, e é expresso nas seguintes menções qualitativas: Excelente  – corresponde a avaliação final de 9 a 10 valores; Muito Bom  – de 8 a 8,9 valores; Bom  - de 6,5 a 7,9 valores; Regular  - de 5 a 6,4 valores; Insuficiente  - de 1 a 4,9 valores;
  Os Docentes que exercem a função de avaliadores têm uma hora semanal por cada quatro docentes a avaliar. As horas para avaliação de outros docentes, de acordo com o parágrafo anterior, estão incluídas na seguinte tabela: Exercício das Funções de Avaliador de Outros Docentes  (2.º, 3.º Ciclos e Secundário)  (1 de 4) Componente Lectiva (artigos 77.º e 79.º do ECD)   Tempos Lectivos (90 minutos)   Tempo para actividades de apoio educativo e de enriquecimento e complemento curricular (90 minutos) 1 2 3 22 Horas 11 1 20 Horas 10 1 18 Horas 9 1 16 Horas 8 0,5 14 Horas 7 0,5
Exercício das Funções de Avaliador de  Outros Docentes  (2.º, 3.º Ciclos e Secundário)  (2 de 4) O desempenho de funções de Avaliador pode dar lugar à redução efectiva da componente lectiva, se se encontrarem esgotadas as número de horas de redução ao abrigo do Artº 79º do ECD e da Componente Não Lectiva a nível de estabelecimento de que o Docente disponha .
  Os Docentes que exercem a função de avaliadores têm uma hora semanal por cada quatro docentes a avaliar. O número de horas da Componente Não Lectiva de Estabelecimento do avaliador  é utilizado prioritariamente na Avaliação de Desempenho . Sempre que o número de horas da Componente Não Lectiva de Estabelecimento do avaliador fique esgotado pelo número de docentes a avaliar, aplicam-se as seguintes regras:   Sempre que o Docente Avaliador tenha mais do que sete (7) Docentes a avaliar pode optar por ficar sem grupo ou turma atribuída;  Caso opte por ficar sem grupo ou turma, aplica-se o seguinte: Só pode delegar as suas competências de avaliador noutro Professor Titular do Departamento se o número de Docentes a avaliar for superior a 21. É o Docente avaliador que decide o número de Docentes a avaliar, nada impede que ele possa avaliar mais de 21 Docentes . Exercício das Funções de Avaliador de Outros Docentes  (Pré-escolar e 1.º Ciclo)  (3 de 4)
Exercício das Funções de Avaliador de Outros Docentes  (Pré-escolar e 1.º   Ciclo)  (4 de 4) Os docentes na situação anterior, isto é, que fiquem sem grupo ou turma atribuída, exercem as horas correspondentes à Componente Lectiva não utilizada, nas funções de avaliação de desempenho, da seguinte forma: Na Coordenação das Actividades da Componente de Apoio à Família da Educação Pré-Escolar e no Apoio Educativo e Apoio ao Estudo aos alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico, no caso do Pessoal Docente da Educação Pré-Escolar; No Apoio Educativo e apoio ao estudo aos alunos, no caso do Pessoal Docente do 1º Ciclo do Ensino Básico. Ao Pessoal Docente da Educação Pré-Escolar do 1º Ciclo do Ensino Básico que exerça as funções de avaliador e tenha grupo ou turma atribuída, não devem ser distribuídas as actividades de Apoio ao Estudo, referidas no n.º 11 do Despacho nº14460/2008, de 26 de Maio. Finalmente, apela-se  à leitura  do Decreto Regulamentar n.º11/2008 ,de 23 de Maio , que define o regime transitório de avaliação de desempenho do pessoal docente e respectivos efeitos durante o 1.º ciclo de avaliação, que se conclui no final do ano civil de 2009.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (16)

Sistemaavaliacaoensinosecundario
SistemaavaliacaoensinosecundarioSistemaavaliacaoensinosecundario
Sistemaavaliacaoensinosecundario
 
Guia de elaboracao_%20_portugues_90527
Guia de elaboracao_%20_portugues_90527Guia de elaboracao_%20_portugues_90527
Guia de elaboracao_%20_portugues_90527
 
Directivas ccad 5
Directivas ccad 5Directivas ccad 5
Directivas ccad 5
 
Estagio c..[1]
Estagio c..[1]Estagio c..[1]
Estagio c..[1]
 
Dossie do professor
Dossie do professorDossie do professor
Dossie do professor
 
Portaria 15
Portaria 15Portaria 15
Portaria 15
 
Directivas ccad 6[1]
Directivas ccad 6[1]Directivas ccad 6[1]
Directivas ccad 6[1]
 
3
33
3
 
Regul pd
Regul pdRegul pd
Regul pd
 
Despacho normativo 24_2012
Despacho normativo 24_2012Despacho normativo 24_2012
Despacho normativo 24_2012
 
Tarefa 4 Guião
Tarefa 4 Guião Tarefa 4 Guião
Tarefa 4 Guião
 
Intro e-guia-aval-part ii-nov2010
Intro e-guia-aval-part ii-nov2010Intro e-guia-aval-part ii-nov2010
Intro e-guia-aval-part ii-nov2010
 
Instrução Normativa 02/2016
Instrução Normativa 02/2016Instrução Normativa 02/2016
Instrução Normativa 02/2016
 
Relatoriofinaljne2012
Relatoriofinaljne2012Relatoriofinaljne2012
Relatoriofinaljne2012
 
Avalia%c3%a7%c3%a3ode desempenho vers%c3%a3ode21%5b1%5d%5b1%5d.9.2007
Avalia%c3%a7%c3%a3ode desempenho vers%c3%a3ode21%5b1%5d%5b1%5d.9.2007Avalia%c3%a7%c3%a3ode desempenho vers%c3%a3ode21%5b1%5d%5b1%5d.9.2007
Avalia%c3%a7%c3%a3ode desempenho vers%c3%a3ode21%5b1%5d%5b1%5d.9.2007
 
Add 2011-09 set: O texto final
Add 2011-09 set: O texto finalAdd 2011-09 set: O texto final
Add 2011-09 set: O texto final
 

Destaque

Avaliação do bom professor
Avaliação do bom professorAvaliação do bom professor
Avaliação do bom professorrafaelj3d
 
Cumprimento do módulo ii
Cumprimento do módulo iiCumprimento do módulo ii
Cumprimento do módulo iiguestac9fd4
 
Ações do professor coordenador
Ações do professor coordenadorAções do professor coordenador
Ações do professor coordenadorsitedcoeste
 
Debate: namorar ou ficar?
Debate: namorar ou ficar?Debate: namorar ou ficar?
Debate: namorar ou ficar?Josiane Amaral
 
Ficha de avaliação (professor)
Ficha de avaliação (professor)Ficha de avaliação (professor)
Ficha de avaliação (professor)Péricles Penuel
 
Adolescência e identidade
Adolescência e identidadeAdolescência e identidade
Adolescência e identidadeJosiane Amaral
 
Projeto de leitura - proeti -
Projeto de leitura  - proeti -Projeto de leitura  - proeti -
Projeto de leitura - proeti -Josiane Amaral
 
Observação da sala de aula - Roteiro de obervação
Observação da sala de aula - Roteiro de obervaçãoObservação da sala de aula - Roteiro de obervação
Observação da sala de aula - Roteiro de obervaçãositedcoeste
 
Observacao coordenador-sala-de-aula
Observacao coordenador-sala-de-aulaObservacao coordenador-sala-de-aula
Observacao coordenador-sala-de-aulaCremilda Carmem
 
Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)
Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)
Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)Maria André
 

Destaque (15)

Avaliação do bom professor
Avaliação do bom professorAvaliação do bom professor
Avaliação do bom professor
 
Cumprimento do módulo ii
Cumprimento do módulo iiCumprimento do módulo ii
Cumprimento do módulo ii
 
Ações do professor coordenador
Ações do professor coordenadorAções do professor coordenador
Ações do professor coordenador
 
Texto sobre juventude
Texto sobre juventudeTexto sobre juventude
Texto sobre juventude
 
Menina bonita-do-lao-de-fita-1229378903108722-2
Menina bonita-do-lao-de-fita-1229378903108722-2Menina bonita-do-lao-de-fita-1229378903108722-2
Menina bonita-do-lao-de-fita-1229378903108722-2
 
Debate: namorar ou ficar?
Debate: namorar ou ficar?Debate: namorar ou ficar?
Debate: namorar ou ficar?
 
Filme "desenrola"
Filme "desenrola"Filme "desenrola"
Filme "desenrola"
 
Kids
KidsKids
Kids
 
Ficha de avaliação (professor)
Ficha de avaliação (professor)Ficha de avaliação (professor)
Ficha de avaliação (professor)
 
O vestido azul
O vestido azulO vestido azul
O vestido azul
 
Adolescência e identidade
Adolescência e identidadeAdolescência e identidade
Adolescência e identidade
 
Projeto de leitura - proeti -
Projeto de leitura  - proeti -Projeto de leitura  - proeti -
Projeto de leitura - proeti -
 
Observação da sala de aula - Roteiro de obervação
Observação da sala de aula - Roteiro de obervaçãoObservação da sala de aula - Roteiro de obervação
Observação da sala de aula - Roteiro de obervação
 
Observacao coordenador-sala-de-aula
Observacao coordenador-sala-de-aulaObservacao coordenador-sala-de-aula
Observacao coordenador-sala-de-aula
 
Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)
Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)
Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)
 

Semelhante a Avaliação Do Desempenho

AvaliaçãO De Desempenho
AvaliaçãO De DesempenhoAvaliaçãO De Desempenho
AvaliaçãO De DesempenhoClemenciaRego
 
As fichas despacho fichas-add novo com alteraçoes à inicial
As fichas   despacho fichas-add novo com alteraçoes à inicialAs fichas   despacho fichas-add novo com alteraçoes à inicial
As fichas despacho fichas-add novo com alteraçoes à inicialANA GRALHEIRO
 
Aval Des Pessoal Docente
Aval Des  Pessoal DocenteAval Des  Pessoal Docente
Aval Des Pessoal Docentek j
 
FICHAS DE AVALIAÇÃO GLOBAL - ADD
FICHAS DE AVALIAÇÃO GLOBAL - ADDFICHAS DE AVALIAÇÃO GLOBAL - ADD
FICHAS DE AVALIAÇÃO GLOBAL - ADDANA GRALHEIRO
 
Formação-Avaliados-RADD.pdf
Formação-Avaliados-RADD.pdfFormação-Avaliados-RADD.pdf
Formação-Avaliados-RADD.pdfcarla nabeiro
 
Despacho fichas avaliacao_ADD
Despacho fichas avaliacao_ADDDespacho fichas avaliacao_ADD
Despacho fichas avaliacao_ADDMaria André
 
Despacho fichas avaliacao_global
Despacho fichas avaliacao_globalDespacho fichas avaliacao_global
Despacho fichas avaliacao_globalMaria André
 
Despacho fichas avaliacao_global
Despacho fichas avaliacao_globalDespacho fichas avaliacao_global
Despacho fichas avaliacao_globalMaria André
 
Portifolio Tsope CBT2022.pdf
Portifolio Tsope CBT2022.pdfPortifolio Tsope CBT2022.pdf
Portifolio Tsope CBT2022.pdfSergioTsope
 
Avaliação de Desempenho Docente
Avaliação de Desempenho DocenteAvaliação de Desempenho Docente
Avaliação de Desempenho DocenteMaria André
 
Guiao avaliacao 2012
Guiao avaliacao 2012Guiao avaliacao 2012
Guiao avaliacao 2012Marvim2
 
(26.10.2011) Avaliação do Ensino de Administração | Diretoria de Avaliação da...
(26.10.2011) Avaliação do Ensino de Administração | Diretoria de Avaliação da...(26.10.2011) Avaliação do Ensino de Administração | Diretoria de Avaliação da...
(26.10.2011) Avaliação do Ensino de Administração | Diretoria de Avaliação da...ANGRAD
 
Novo Sistema de Avaliação.pptx
Novo Sistema de Avaliação.pptxNovo Sistema de Avaliação.pptx
Novo Sistema de Avaliação.pptxIura Miranda
 
Despacho normativo 24_2012
Despacho normativo 24_2012Despacho normativo 24_2012
Despacho normativo 24_2012mariacarmcorreia
 

Semelhante a Avaliação Do Desempenho (20)

AvaliaçãO De Desempenho
AvaliaçãO De DesempenhoAvaliaçãO De Desempenho
AvaliaçãO De Desempenho
 
As fichas despacho fichas-add novo com alteraçoes à inicial
As fichas   despacho fichas-add novo com alteraçoes à inicialAs fichas   despacho fichas-add novo com alteraçoes à inicial
As fichas despacho fichas-add novo com alteraçoes à inicial
 
Despacho fichas-add
Despacho fichas-addDespacho fichas-add
Despacho fichas-add
 
Aval Des Pessoal Docente
Aval Des  Pessoal DocenteAval Des  Pessoal Docente
Aval Des Pessoal Docente
 
FICHAS DE AVALIAÇÃO GLOBAL - ADD
FICHAS DE AVALIAÇÃO GLOBAL - ADDFICHAS DE AVALIAÇÃO GLOBAL - ADD
FICHAS DE AVALIAÇÃO GLOBAL - ADD
 
Formação-Avaliados-RADD.pdf
Formação-Avaliados-RADD.pdfFormação-Avaliados-RADD.pdf
Formação-Avaliados-RADD.pdf
 
Despacho fichas avaliacao_ADD
Despacho fichas avaliacao_ADDDespacho fichas avaliacao_ADD
Despacho fichas avaliacao_ADD
 
Despacho fichas avaliacao_global
Despacho fichas avaliacao_globalDespacho fichas avaliacao_global
Despacho fichas avaliacao_global
 
Despacho fichas avaliacao_global
Despacho fichas avaliacao_globalDespacho fichas avaliacao_global
Despacho fichas avaliacao_global
 
Portifolio Tsope CBT2022.pdf
Portifolio Tsope CBT2022.pdfPortifolio Tsope CBT2022.pdf
Portifolio Tsope CBT2022.pdf
 
Avaliaçãodesempenho 09-10
Avaliaçãodesempenho 09-10 Avaliaçãodesempenho 09-10
Avaliaçãodesempenho 09-10
 
Avaliação de Desempenho Docente
Avaliação de Desempenho DocenteAvaliação de Desempenho Docente
Avaliação de Desempenho Docente
 
Guiao avaliacao 2012
Guiao avaliacao 2012Guiao avaliacao 2012
Guiao avaliacao 2012
 
Avaliacao Desempenho
Avaliacao DesempenhoAvaliacao Desempenho
Avaliacao Desempenho
 
(26.10.2011) Avaliação do Ensino de Administração | Diretoria de Avaliação da...
(26.10.2011) Avaliação do Ensino de Administração | Diretoria de Avaliação da...(26.10.2011) Avaliação do Ensino de Administração | Diretoria de Avaliação da...
(26.10.2011) Avaliação do Ensino de Administração | Diretoria de Avaliação da...
 
Novo Sistema de Avaliação.pptx
Novo Sistema de Avaliação.pptxNovo Sistema de Avaliação.pptx
Novo Sistema de Avaliação.pptx
 
Despacho normativo 24_2012
Despacho normativo 24_2012Despacho normativo 24_2012
Despacho normativo 24_2012
 
referencial detalhado do curso de pós-graduação gestao coordenação da formação
referencial detalhado do curso de pós-graduação gestao coordenação da formaçãoreferencial detalhado do curso de pós-graduação gestao coordenação da formação
referencial detalhado do curso de pós-graduação gestao coordenação da formação
 
Decreto - Lei
Decreto - LeiDecreto - Lei
Decreto - Lei
 
AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOCENTE_Comunicado-1
AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOCENTE_Comunicado-1AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOCENTE_Comunicado-1
AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOCENTE_Comunicado-1
 

Último

Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...GisellySobral
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdflbgsouza
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 

Último (20)

Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 

Avaliação Do Desempenho

  • 1. Avaliação do Desempenho dos Docentes Decreto Regulamentar n.º 2/2008 de 10 de Janeiro
  • 2. Normativos da ADD Decreto-Lei n.º 15/2007 de 19 Janeiro (Estatuto da Carreira Docente) Decreto Regulamentar n.º 2/2008 de 10 Janeiro (Sistema de Avaliação do Pessoal Docente)
  • 3. Princípios Orientadores da ADD ( 1 de 2) Art. 3.º do Dec.-Reg. N.º 2/2008 ADD desenvolve -se de acordo com os princípios consagrados no artigo 39.º da Lei de Bases do Sistema Educativo e no respeito pelos princípios e objectivos que enformam o sistema integrado de avaliação de desempenho da Administração Pública. ADD visa a melhoria dos resultados escolares dos alunos e da qualidade das aprendizagens e proporcionar orientações para o desenvolvimento pessoal e profissional no quadro de um sistema de reconhecimento do mérito e da excelência, constituindo ainda seus objectivos os fixados no n.º 3 do artigo 40.º do ECD.
  • 4. Princípios Orientadores da ADD (2 de 2) A aplicação do sistema de avaliação de desempenho regulado no ECD e no presente decreto regulamentar deve ainda permitir: Identificar o potencial de evolução e desenvolvimento profissional do docente; Diagnosticar as respectivas necessidades de formação, devendo estas ser consideradas no plano de formação anual de cada agrupamento de escolas ou escola não agrupada, sem prejuízo do direito a auto-formação
  • 5. Objectivos da ADD (art.40.º ECD) Contribuir para a melhoria da prática pedagógica. Contribuir para a valorização e aperfeiçoamento individual. Inventariar necessidades de formação. Facultar indicadores de gestão de pessoal. Detectar factores que influenciam o rendimento profissional. Distinguir os melhores profissionais. Promover a cooperação . Propor-se à melhoria dos resultados escolares. Promover a qualidade dos serviços.
  • 6. Relevância (art. 41.º ECD) Progressão na carreira; Conversão da nomeação provisória em nomeação definitiva no termo do período probatório; Renovação do contrato; Atribuição do prémio de desempenho.
  • 7. Âmbito e Periodicidade da ADD (1 de 4) (art.º 42.º do ECD) Docentes integrados na carreira No final de cada período de 2 anos lectivos, desde que tenham prestado serviço docente efectivo pelo menos durante metade do período de avaliação. Docentes em período probatório No final desse período e reporta-se à actividade desenvolvida no seu decurso. Docentes contratados No final do período de vigência do contrato e antes da sua eventual renovação, desde que tenham prestado pelo menos 6 meses de serviço consecutivo na mesma escola .
  • 8.
  • 9. Âmbito e Periodicidade da ADD (3 de 4) Docentes em regime de licença sem vencimento; Docentes em exercício de funções de ensino português no estrangeiro ; Docentes que exerçam cargos ou funções cujo seu estatuto salvaguarde o direito de progressão na carreira de origem e não tenham funções docentes distribuídas; Optam por uma das seguintes situações: Pela menção qualitativa que lhe foi atribuída na última avaliação de desempenho; OU Pela primeira avaliação de desempenho após regresso ao serviço docente efectivo.
  • 10. Âmbito e Periodicidade da ADD (4 de 4) Docentes sem actividade lectiva: São avaliados pelo Órgão de Gestão em função do serviço que lhes foi distribuído. Docentes Coordenadores de Departamento São avaliados p elo Presidente do Conselho Executivo, ou um membro da Direcção Executiva por ele designado e por um inspector com formação científica na área do departamento do avaliado, o qual é designado pelo Inspector -Geral da Educação.
  • 11. Tipologias de Instrumentos de Registo Normalizado Fichas de registos: Fichas de auto avaliação e análise introspectiva; Grelhas de observação; Grelhas de análise documental; Dossier Pedagógico; Dossier do Docente/de Turma; Cadernos de registo do Docente; Portefólios; Relatórios; Inquéritos e Entrevistas; Defesa de currículo ; Apresentação do projecto escolar.
  • 12. Calendarização ADD – exemplo (1 de 2) ACÇÃO PROCEDIMENTOS Até ao final de Outubro – Entrega da proposta de objectivos individuais por parte do avaliado Reunião com os avaliadores Até ao final de Novembro – Fixação de objectivos individuais Reunião com os avaliadores Meses de Junho e Julho - Preenchimento da ficha de auto-avaliação dos docentes contratados e docentes em condições de progredir na carreira Entrega ao seu Coordenador e no CE Meses de Junho e Julho - Preenchimento das fichas de avaliação pelos avaliadores Preencher as Fichas de Avaliação
  • 13. Calendarização ADD – exemplo (2 de 2) ACÇÃO PROCEDIMENTOS Mês de Julho - Conferência e validação das propostas de avaliação com menção qualitativa de EX, MB ou Insuficiente / Análise e validação das propostas de avaliação com menção qualitativa de Ex e MB, pela Comissão de Coordenação da Avaliação Reunião da Comissão de Coordenação da Avaliação do Desempenho Mês de Julho – Realização da entrevista individual dos avaliadores com o avaliado Calendarização a efectuar pelos avaliadores Mês de Julho – Realização da reunião conjunta dos avaliadores para a atribuição da avaliação final Reunião para a avaliação final
  • 14. Dimensões dos Objectivos Individuais (Artigo 9.º Dec. Reg. n.º 2/2008) a) Melhoria dos resultados escolares; b) Redução do abandono escolar; c) Apoio à aprendizagem dos alunos; d) Participação nas estruturas de orientação educativa e dos órgãos de gestão; e) Relação com a comunidade; f) Formação continua adequada (2/3 na área disciplinar de leccionação); g) Participação e dinamização: P.A.A.; P.C.T. ; actividades extracurriculares e outros projectos.
  • 15. A Questão dos Resultados Escolares Importância do docente na melhoria dos resultados; Dependente do esforço dos discentes; Auto-avaliação como oportunidade de demonstrar o seu contributo.
  • 16. Fases do Processo de ADD (1 de 4) 1. Definição das metas e dos objectivos a atingir no P. E. e no P.A.A. (Direcção Executiva). 2. Definição dos Indicadores de Medida - progresso dos resultados escolares esperados ; redução das taxas de abandono escolar. (Direcção Executiva) 3. Elaboração e aprovação dos instrumentos de registos normalizados de toda a informação relevante (Conselho Pedagógico). 4 . Elaboração e aprovação da metodologia e dos documentos a adoptar para a apresentação dos objectivos individuais (Conselho Pedagógico)
  • 17. Fases do Processo de ADD (2 de 4) 5. Constituição da Comissão de Coordenação da Avaliação de Desempenho (Conselho Pedagógico). 6. Adequação do Regulamento Interno a esta legislação (Conselho Pedagógico e Conselho Geral). 7. Preenchimento da proposta de Objectivos Individuais (Docente Avaliado) 8. Recolha de informação relevante através dos instrumentos de registo (Docente Avaliado e Avaliadores)
  • 18. Fases do Processo de ADD (3 de 4) 9. Preenchimento das fichas de avaliação (Coordenador de Departamento e Director Executivo) 10. Preenchimento da ficha de auto-avaliação (Docente Avaliado) 11. Conferência e validação das propostas de classificação com menções de Excelente, Muito Bom e Insuficiente (Comissão de Coordenação da Avaliação do Desempenho) 12. Entrevista individual ao Docente Avaliado.
  • 19. Fases do processo de ADD (4 de 4) 13. Reunião para atribuição da classificação final. (Avaliadores) 14. Comunicação da classificação final ao avaliado. (Avaliadores) 15. Reclamação no prazo de 10 dias úteis. (Docente Avaliado) 16. Decisão da reclamação no prazo de 15 dias úteis. (Comissão de Coordenação da Avaliação do Desempenho) 17. Recurso Administrativo no prazo de 10 dias úteis. (Docente Avaliado) 18. Decisão do Recurso no prazo de 10 dias úteis. (Director Regional de Educação)
  • 20. Avaliadores (art. 45.º do E.C.D. n.º1 e art. 17.º D.R. n.º 2/2008) Coordenador de departamento Preparação e organização das Actividades lectivas Realização das actividades lectivas Processo de avaliação das aprendizagens Relação Pedagógica com os alunos
  • 21. Avaliadores (art. 45.º do E.C.D. n.º 2 e art.18.º D.R. n.º2/2008) Participação na vida da escola Progresso dos resultados escolares Presidente do Conselho Executivo Assiduidade Serviço distribuído Acções de Formação Exercício de cargos Dinamização de projectos de investigação
  • 22. Avaliadores (art. 43.º do E.C.D. n.º 5 e 6 e art. 13.º do 2/2008) Regimento Interno Directivas Comissão de Coordenação da Avaliação do Desempenho Propõe reformulações do processo Valida (Ex; Mt.Bome e o Insuf.
  • 23. Fases do Processo de ADD no Desenvolvimento Individual ( art.15.º D.R. n.º2/2008) 1.ª Preenchimento da Ficha de auto-avaliação; 2.ª Preenchimento das fichas de avaliação pelos avaliadores; 3.ª Conferência e validação das propostas pela Comissão de Coordenação de Avaliação; 4.ª Entrevista individual dos avaliadores com o avaliado; 5.ª Reunião conjunta dos avaliadores.
  • 24. Sistema de Classificação (Artigo 21.º Dec. Reg. n.º 2/2008) A avaliação de cada uma das componentes de classificação e respectivos subgrupos é feita nos termos do disposto no artigo 46.º do ECD . O resultado da avaliação do docente corresponde à classificação média das pontuações finais obtidas em cada uma das fichas de avaliação, e é expresso nas seguintes menções qualitativas: Excelente – corresponde a avaliação final de 9 a 10 valores; Muito Bom – de 8 a 8,9 valores; Bom - de 6,5 a 7,9 valores; Regular - de 5 a 6,4 valores; Insuficiente - de 1 a 4,9 valores;
  • 25. Os Docentes que exercem a função de avaliadores têm uma hora semanal por cada quatro docentes a avaliar. As horas para avaliação de outros docentes, de acordo com o parágrafo anterior, estão incluídas na seguinte tabela: Exercício das Funções de Avaliador de Outros Docentes (2.º, 3.º Ciclos e Secundário) (1 de 4) Componente Lectiva (artigos 77.º e 79.º do ECD) Tempos Lectivos (90 minutos) Tempo para actividades de apoio educativo e de enriquecimento e complemento curricular (90 minutos) 1 2 3 22 Horas 11 1 20 Horas 10 1 18 Horas 9 1 16 Horas 8 0,5 14 Horas 7 0,5
  • 26. Exercício das Funções de Avaliador de Outros Docentes (2.º, 3.º Ciclos e Secundário) (2 de 4) O desempenho de funções de Avaliador pode dar lugar à redução efectiva da componente lectiva, se se encontrarem esgotadas as número de horas de redução ao abrigo do Artº 79º do ECD e da Componente Não Lectiva a nível de estabelecimento de que o Docente disponha .
  • 27. Os Docentes que exercem a função de avaliadores têm uma hora semanal por cada quatro docentes a avaliar. O número de horas da Componente Não Lectiva de Estabelecimento do avaliador é utilizado prioritariamente na Avaliação de Desempenho . Sempre que o número de horas da Componente Não Lectiva de Estabelecimento do avaliador fique esgotado pelo número de docentes a avaliar, aplicam-se as seguintes regras: Sempre que o Docente Avaliador tenha mais do que sete (7) Docentes a avaliar pode optar por ficar sem grupo ou turma atribuída; Caso opte por ficar sem grupo ou turma, aplica-se o seguinte: Só pode delegar as suas competências de avaliador noutro Professor Titular do Departamento se o número de Docentes a avaliar for superior a 21. É o Docente avaliador que decide o número de Docentes a avaliar, nada impede que ele possa avaliar mais de 21 Docentes . Exercício das Funções de Avaliador de Outros Docentes (Pré-escolar e 1.º Ciclo) (3 de 4)
  • 28. Exercício das Funções de Avaliador de Outros Docentes (Pré-escolar e 1.º Ciclo) (4 de 4) Os docentes na situação anterior, isto é, que fiquem sem grupo ou turma atribuída, exercem as horas correspondentes à Componente Lectiva não utilizada, nas funções de avaliação de desempenho, da seguinte forma: Na Coordenação das Actividades da Componente de Apoio à Família da Educação Pré-Escolar e no Apoio Educativo e Apoio ao Estudo aos alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico, no caso do Pessoal Docente da Educação Pré-Escolar; No Apoio Educativo e apoio ao estudo aos alunos, no caso do Pessoal Docente do 1º Ciclo do Ensino Básico. Ao Pessoal Docente da Educação Pré-Escolar do 1º Ciclo do Ensino Básico que exerça as funções de avaliador e tenha grupo ou turma atribuída, não devem ser distribuídas as actividades de Apoio ao Estudo, referidas no n.º 11 do Despacho nº14460/2008, de 26 de Maio. Finalmente, apela-se à leitura do Decreto Regulamentar n.º11/2008 ,de 23 de Maio , que define o regime transitório de avaliação de desempenho do pessoal docente e respectivos efeitos durante o 1.º ciclo de avaliação, que se conclui no final do ano civil de 2009.