Trabalho turma do ifma tecido muscular

367 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
367
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho turma do ifma tecido muscular

  1. 1. TECIDO MUSCULAR
  2. 2. Miócitos longos, multinucleados (núcleos periféricos). Miofilamentos organizam-se em estrias longitudinais e transversais. Contração rápida e voluntária Miócitos estriados com um ou dois núcleos centrais. Células alongadas, irregularmente ramificadas, que se unem por estruturas especiais: discos intercalares. Contração involuntária, vigorosa e rítmica. Miócitos alongados, mononucleados e sem estrias transversais. Contração involuntária e lenta. Tecido Estriado Esquelético Tecido Estriado Cardíaco Tecido Liso
  3. 3. • Fusiformes • Dispostas adjacentes umas às outras em camadas • Núcleo único central • Microscopia eletrônica: microfilamentos e vesículas de pinocitose CÉLULAS MUSCULARES LISAS
  4. 4. MÚSCULO ESTRIADO • Dois tipos: ESQUELÉTICO e CARDÍACO • Mais semelhanças do que diferenças
  5. 5. MÚSCULO ESTRIADO ESQUELÉTICO • Músculo “voluntário”: geralmente sob controle consciente – Interações com tecido nervoso são absolutamente necessárias Músculo mais abundante Responde apenas a estímulos nervosos Estriações transversais • bem evidentes (cortes • longitudinais) • Células muito grandes • Vasos sanguíneos entre elas
  6. 6. MÚSCULO ESTRIADO CARDÍACO • Encontrado no coração • Estruturalmente similar ao esquelético – Células são menores – Estruturas especializadas para comunicação • Histologia um pouco diferente • Responsivo a estímulos diferentes – Contração é uma propriedade inerente – Não é necessária estimulação neural direta • Não há Junção Neuromuscular
  7. 7. • Fibras anastomosadas • Células menores • – Núcleo único e central • Muitos capilares • Músculo cardíaco não pode incorrer em débito de oxigênio • Estriações menos visíveis • Estrutura única do músculo cardíaco: • DISCO INTERCALAR • Característica diagnóstica do músculo cardíaco
  8. 8. DE Z A Z: O SARCÔMERO • Unidade contrátil básica dos músculos estriados • Cada fibra muscular possui milhões deles em • séries • Sarcômeros contraem cerca de 0.4 μm cada • Sarcômeros são formados por microfilamentos de actina e miosina
  9. 9. • Contração é um fenômeno • TUDO OU NADA • – TODOS os sarcômeros em uma • fibra se contraem ou nenhum o • faz • – Nem todas as fibras musculares • de um mesmo músculo • anatômico se contraem ao • mesmo tempo • – Força gerada é proporcional ao • número de fibras musculares • em contração • – Perda de fibras = diminuição da • força
  10. 10. • Estriado esquelético • Miócitos longos, multinucleados (núcleos periféricos). • Miofilamentos organizam-se em estrias longitudinais e transversais. • Contração rápida e voluntária • Estriado cardíaco • Miócitos estriados com um ou dois núcleos centrais. • Células alongadas, irregularmente ramificadas, que se unem por estruturas especiais: discos intercalares. • Contração involuntária, vigorosa e rítmica. • Liso • • Miócitos alongados, mononucleados e sem estrias transversais. • Contração involuntária e lenta.
  11. 11. • No citoplasma da fibra muscular esquelética há muitas miofibrilas contráteis, constituídas por filamentos compostos por dois tipos principais de proteínas – a actina e a miosina. Filamentos de actina e miosina dispostos regularmente originam um padrão bem definido de estrias (faixas) transversais alternadas, claras e escuras. Essa estrutura existe somente nas fibras que constituem os músculos esqueléticos, os quais são por isso chamados músculos estriados. • Em torno do conjunto de miofibrilas de uma fibra muscular esquelética situa-se o retículo sarcoplasmático (retículo endoplasmático liso), especializado no armazenamento de íons cálcio. •
  12. 12. • As miofibrilas são constituídas por unidades que se repetem ao longo de seu comprimento, denominadas sarcômeros. A distribuição dos filamentos de actina e miosina varia ao longo do sarcômero. As faixas mais extremas e mais claras do sarcômero, chamadas banda I, contêm apenas filamentos de actina. Dentro da banda I existe uma linha que se cora mais intensamente, denominada linha Z, que corresponde a várias uniões entre dois filamentos de actina. A faixa central, mais escura, é chamada banda A, cujas extremidades são formadas por filamentos de actina e miosina sobrepostos. Dentro da banda A existe uma região mediana mais clara – a banda H – que contém apenas miosina. Um sarcômero compreende o segmento entre duas linhas Z consecutivas e é a unidade contrátil da fibra muscular, pois é a menor porção da fibra muscular com capacidade de contração e distensão.
  13. 13. Contração: ocorre pelo deslizamento dos filamentos de actina sobre os de miosina o sarcômero diminui devido à aproximação das duas linhas Z, e a zona H chega a desaparecer.
  14. 14. • A contração do músculo esquelético é voluntária e ocorre pelo deslizamento dos filamentos de actina sobre os de miosina. Nas pontas dos filamentos de miosina existem pequenas projeções, capazes de formar ligações com certos sítios dos filamentos de actina, quando o músculo é estimulado. Essas projeções de miosina puxam os filamentos de actina, forçando-os a deslizar sobre os filamentos de miosina. Isso leva ao encurtamento das miofibrilas e à contração muscular. Durante a contração muscular, o sarcômero diminui devido à aproximação das duas linhas Z, e a zona H chega a desaparecer.

×