MST - reforma agrária popular: social e ecológico
RELAÇÕES HUMANAS
E COOPERAÇÃO
Formação 9 – 10 julho, 2015 em Coceargs
ww...
DESAFIO DA COPAVI FEV. 2015DESAFIO DA COPAVI FEV. 2015
Risco econômico, perigo de perder a continuidade
... há vários fato...
FORÇA DA COPAVI FEV. 2015FORÇA DA COPAVI FEV. 2015
Coletividade
Histórico, aprendizado
Unidade política e social
Preocupaç...
SOBRE O DESAFIO - COPAVISOBRE O DESAFIO - COPAVI
- Copavi tem uma organização igualitária,
socialista, mas a estrutura da ...
TRANSFORMAÇÃO DO DESAFIO AOS
PROBLEMAS – COPAVI 1(2)
TRANSFORMAÇÃO DO DESAFIO AOS
PROBLEMAS – COPAVI 1(2)
Problema Rotina ...
TRANSFORMAÇÃO DO DESAFIO AOS
PROBLEMAS – COPAVI 2(2)
TRANSFORMAÇÃO DO DESAFIO AOS
PROBLEMAS – COPAVI 2(2)
Problema Rotina ...
NOSSA ROTINA PARA LIDAR COM OS
PROBLEMAS É REPRESSIVA
NOSSA ROTINA PARA LIDAR COM OS
PROBLEMAS É REPRESSIVA
- Angustia, me...
CONSIDERAÇÕES INICÍAISCONSIDERAÇÕES INICÍAIS
- O mal não pode ser curado por outro mal
(por ex. medo, castigo). O mal pode...
UMA SINTÉSE DA
CONDUTA NÃO-REPRESSIVA
UMA SINTÉSE DA
CONDUTA NÃO-REPRESSIVA
- Não dê poder para os problemas.
- Procure te...
PRINCIPIOS DURANTE A ATIVIDADE
RELAÇÕES HUMANAS E COOPERAÇÃO
PRINCIPIOS DURANTE A ATIVIDADE
RELAÇÕES HUMANAS E COOPERAÇÃO
...
Pensamentos básicos:
SER HUMANO E COLETIVO
Pessoas descontentes ouPessoas descontentes ou
zangadas morrem cedo!zangadas morrem cedo!
CADA SER HUMANO QUER SER
ACEITO, RESPEITADO E AMADO:
- nos seus sentimentos
- na sua ação
- na toda sua essencia
CADA SER ...
TEMOS TOTAL LIBERDADE DE SENTIR E
PENSAR MAS LIBERDADE LIMITADA PARA
AGIR.
TEMOS TOTAL LIBERDADE DE SENTIR E
PENSAR MAS LI...
..
PANO DE FUNDO
• TEMOS TOTAL LIBERDADE
DE SENTIR MAS LIBERDADE
LIMITADA PARA AGIR.
• TUDO QUE VEJO NO OUTRO
EXISTE EM MI...
RIQUEZAS HUMANAS –
talentos e capacidades
essenciais
EMPECILHOS – atitudes
que impedem as riquezas e
possibilidades
Capaci...
FORMAÇÃO DA PERSONALIDADEFORMAÇÃO DA PERSONALIDADE
Personalidade, entendida como hábitos de
comportar (agir), pensar, sent...
CARLOS TENTA OFENDER MARIACARLOS TENTA OFENDER MARIA
• Carlos tenta ofender Maria. Quem está
cometendo erro?
• O erro é so...
CARLOS SE OFENDE!CARLOS SE OFENDE!
• Quando Carlos tenta ofender o
outro, ele está sentindo raiva/medo
e pensando negativa...
COMO LIDAR COM CARLOS?
- regras, bronca, castigo ou
conscientização?
COMO LIDAR COM CARLOS?
- regras, bronca, castigo ou
c...
COMPARAÇÃO:
bola suja = palavras sujas
• Carlos joga a bola suja para Maria.
• Maria percebe que a bola está suja e
não a ...
ESTRATEGIA DE LIDAR COM O DESAFIO - COPAVIESTRATEGIA DE LIDAR COM O DESAFIO - COPAVI
- Fomentar e fortalecer as praticas d...
MÉTODO CONSCIENTIA
relações humanas e cooperação
MÉTODO CONSCIENTIA
relações humanas e cooperação
FERRAMENTAS PARA INDIVID...
DESENVOLVIMENTO DO MÉTODO CONSCIENTIADESENVOLVIMENTO DO MÉTODO CONSCIENTIA
• Psicanálise individual e de grupo desde 1978
...
Censura, inveja…
DIALOGO DE REFORÇO E
MOTIVAÇÃO POSITIVA
Censura, inveja…
DIALOGO DE REFORÇO E
MOTIVAÇÃO POSITIVA
ATITUDE DE CENSURAATITUDE DE CENSURA
TÉCNICAS DE CENSURATÉCNICAS DE CENSURA
• muitas explicações e justificativas
• colocar culpa nos outros
• considerar–se co...
VITIMIZAÇÃOVITIMIZAÇÃO
• Todos somos vitimas de injustiças…
• Mas atitude de vitima causa sentimentos de
tristeza crónica,...
ERROU, FOI REPRIMIDO –
ASSIM CONSOLIDAMOS O FRACASSO!
-
VAMOS QUEBRAR O CIRCULO VICIOSO?
ERROU, FOI REPRIMIDO –
ASSIM CONS...
INVEJAINVEJA
IIn = não, veja vem de vern = não, veja vem de ver
iinveja = atitude de não querer vernveja = atitude de não ...
EXEMPLOS DE INVEJAEXEMPLOS DE INVEJA
•• alegria pela desgraça dos outros, ironiaalegria pela desgraça dos outros, ironia
•...
DIÁLOGO DE REFORÇODIÁLOGO DE REFORÇODIÁLOGO DE REFORÇODIÁLOGO DE REFORÇO
1 Conscientize-se de seu modo de sentir1 Conscien...
COMO REFORÇAR A CONSCIÊNCIA DO BEM?COMO REFORÇAR A CONSCIÊNCIA DO BEM?
• O coletivo treina a respeitar o sentir do outro.
...
COBRANÇA CONSTRUTIVACOBRANÇA CONSTRUTIVA
• o que foi planejado para o período que
passou
• o que faltou a ser realizado em...
MOTIVAÇÃO POSITIVA
- individuo/coletivo
MOTIVAÇÃO POSITIVA
- individuo/coletivo
TODO SER HUMANO PROCURA NA SUA AÇÃO
ALGO D...
SENTIR, PENSAR , AGIR
PODER: EXIGIR, LIMITAR
- sente o seu sentir
CONSCIENTIZAR – SENTIRCONSCIENTIZAR – SENTIR
Conscientizar é captar, perceber, usar seus sentidos,
estar ligado, estar em ...
REPRIMIR = EXIGIR OU LIMITARREPRIMIR = EXIGIR OU LIMITAR
• Para exigir/limitar tem que ter poder.
• Você sente exigência c...
EXEMPLO DE UMA REAÇÃO AS
EXIGÊNCIAS
EXEMPLO DE UMA REAÇÃO AS
EXIGÊNCIAS
Uma orientadora escolar na sua sessão de
terapia:
...
TER PODER É TER PODER PARA EXIGIR E
LIMITAR = REPRIMIR
TER PODER É TER PODER PARA EXIGIR E
LIMITAR = REPRIMIR
Há dois níve...
• No trabalho: 1 submissão do empregado ao
empregadora, 2 conduta profissional é não ter
emoções, somente o racional
• Nas...
• No serviço de saúde: eliminar os sintomas
como angustia, medo, pânico, depressão e
raiva com medicamentos.
• Na competiç...
• Aprendemos estudar/trabalhar para ganhar
boas notas, bom salário, prêmios
(exigências). Não estamos ligados com o
sentir...
• Conscientizar-se sobre os dois níveis do
poder: pratico e psicológico.
• Se submeter conscientemente ao pratico se
não t...
• TEMOS TOTAL LIBERDADE DE SENTIR
MAS LIBERDADE LIMITADA PARA AGIR.
• TUDO QUE VEJO NO OUTRO EXISTE EM
MIM TAMBÉM DE ALGUM...
COMO É O SEU MODO DE SENTIR?COMO É O SEU MODO DE SENTIR?
• Quando criança, você costumava sentir alegria,
amor, entusiasmo...
SENTE O SEU MODO DE SENTIRSENTE O SEU MODO DE SENTIR
• Quando você se vê no espelho, quais
sentimentos você percebe no seu...
CONSCIENTIZAÇÃO DOS SENTIMENTOSCONSCIENTIZAÇÃO DOS SENTIMENTOS
Senti-
mento
Bem
forte
Bastante Pouco Nada
Alegria
Curiosi-...
COMO LIDAR COM EMOÇÕES NEGATIVASCOMO LIDAR COM EMOÇÕES NEGATIVASCOMO LIDAR COM EMOÇÕES NEGATIVASCOMO LIDAR COM EMOÇÕES NEG...
ALGUNS ASPECTOS SOBRE RELAÇÕES
HUMANAS
- espelho interno
- como compreender trauma
- como não ficar ofendido
ESPELHO INTERNO COM CENSURAESPELHO INTERNO COM CENSURA
EUEU
Eu penso que ela vê emEu penso que ela vê em
mim:mim:
•• eu me...
CENSURA CAUSA TRAUMACENSURA CAUSA TRAUMA
• A pessoa tem uma experiência ruim. Ela não
quer isto com muita rigidez. Ela rep...
EXEMPLOS DE
EXPERIENCIAS RUINS
EXEMPLOS DE
EXPERIENCIAS RUINS
• Se tornar objeto de agressão, violência.
• Se tornar objet...
COMO NÃO FICAR OFENDIDO?COMO NÃO FICAR OFENDIDO?
• Perceber que para mim é proibido de
ficar ofendido. Por isso fico facil...
COMO NÃO FICAR OFENDIDO – continuação
• Se ainda continuo me ofendendo,
significa que tenho habito de me
desvalorizar, de ...
LIDERANÇA:
antagonismo nos coletivos
• Todo coletivo pode ser dividido em dois subgrupos: os
mais passivos e os mais ativos.
• Os ativos tomam poder para “o ba...
OPRESSOR E OPRIMIDO: sobre o pacto entre o
coordenador e o coordenado
OPRESSOR E OPRIMIDO: sobre o pacto entre o
coordenad...
LIDER SOLITARIO
- humildade e força
LIDER SOLITARIO
- humildade e força
QUALIDADES:
• Bom senso, justo
• Democratico
• Rec...
COMO LIDAR COM
OS CONFLITOS
NUM COLETIVO PARA PREVENIR
CONFLITOS, É NECESSÁRIO:
• desenvolver regras claras, como:
– Estatuto Social, Contrato Social ...
O conflito não é somente algo
negativo, mas possui aspectos positivos
Rompe a rotina.
Desafia a acomodação de idéias e pos...
COMO VOCÊ SENTE UM CONFLITO?
• uma possibilidade de conhecer outros
pontos de vista, poder checar próprias
informações, co...
PRINCÍPIOS PARA QUEM ESTÁ NO
CONFLITO
• Conscientize-se das emoções suas e
do outro
• Pesquisa dos fatos
• Escuta ativa
• ...
PRINCÍPIOS PARA AGIR COMO
MEDIADOR
• Levar as partes a aceitar o conflito.
• Estudar o ponto de vista de cada lado
separad...
COMO LIDAR COM STRESSCOMO LIDAR COM STRESS
•• Compreende a realidade.Compreende a realidade.
•• Modifica o que puder.Modifica o que puder.
•• AAjusta a qualidade do ...
SISTEMA DO PODER CAUSA STRESSSISTEMA DO PODER CAUSA STRESS
Característica da
sociedade
Consequências Sentir do povo
Ganânc...
STRESS SÁO OU NEUROTICO?STRESS SÁO OU NEUROTICO?
• Toda situação requer um certo nível
de stress, o stress ideal.
• Stress...
COMO LIDAR COM STRESS 1(2)COMO LIDAR COM STRESS 1(2)
• Sintomas de stress são como alarmes. O
sistema de alarme está funci...
RIQUEZAS HUMANAS –
talentos e capacidades
essenciais
EMPECILHOS – atitudes
que impedem as riquezas e
possibilidades
Capaci...
COMO LIDAR COM STRESS 2(2)COMO LIDAR COM STRESS 2(2)
• Aceite seus empecilhos, não tente elimina-los,
mas mantenha-os na s...
• Todos “vestem a camisa da luta”;
comprometimento na base de sentir.
• Criar um clima de cooperação e boas relações
– pen...
MÉTODO CONSCIENTIA
relações humanas e cooperação
MÉTODO CONSCIENTIA
relações humanas e cooperação
FERRAMENTAS PARA INDIVID...
• www.conscientia.sewww.conscientia.se
• info@conscientia.seinfo@conscientia.se
• www.conscientia.sewww.conscientia.se
• i...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cooperação e relações humanas

1.601 visualizações

Publicada em

Conscientia Instituto de Psicanálise e Consultoria trabalha para o desenvolvimento da qualidade de vida no campo psico-soma-social. O propósito é integrar e aplicar a abordagem psicanalítica e os métodos cognitivos numa metodologia para o desenvolvimento humano e terapêutico englobando o nível social e individual. A palavra conscientia é latina para consciência.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.601
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
75
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • v
  • v
  • v
  • v
  • v
  • Nao focar a atencao no problema. Desarticular, desfazer o problema nao no nivel de sintoma, mas noseus raizes. Nao querer eliminar o problema mas, desfazer as causas dele. Comer as beiradas.
    Em vez de controle, o contato..
    Reforce a saude para que ela trata, cura a doenca.
    Voce está frustrado, trate de sua frustracao.
  • v
  • v
  • Seu pai era bravo, vc ficou com medo disto, vc nao relutou aceitar consc disto, vc deu poder para bravo
    Em vez de ver q pai e bravo, aceitar esta percepcao...
  • v
  • Cooperação e relações humanas

    1. 1. MST - reforma agrária popular: social e ecológico RELAÇÕES HUMANAS E COOPERAÇÃO Formação 9 – 10 julho, 2015 em Coceargs www.mst.org.br, www.conscientia.se MST - reforma agrária popular: social e ecológico RELAÇÕES HUMANAS E COOPERAÇÃO Formação 9 – 10 julho, 2015 em Coceargs www.mst.org.br, www.conscientia.se
    2. 2. DESAFIO DA COPAVI FEV. 2015DESAFIO DA COPAVI FEV. 2015 Risco econômico, perigo de perder a continuidade ... há vários fatores - alguns dos problemas: - Desmotivação, falta de disposição e dedicação - Coordenador não tem poder. - Empregados trabalham melhor que associados. - Associados tem vícios de dono e de empregado. - Conflito de gerações – os adultos não entendem os jovens e vice versa. - Acomodação – chegamos ao um patamar de vida bom, não temos uma visão para melhorar. Perda de motivação de luta social e ecológica - Abuso de álcool, droga...
    3. 3. FORÇA DA COPAVI FEV. 2015FORÇA DA COPAVI FEV. 2015 Coletividade Histórico, aprendizado Unidade política e social Preocupação com o social e o ecológico; futuro da humanidade Participação num movimento maior - MST
    4. 4. SOBRE O DESAFIO - COPAVISOBRE O DESAFIO - COPAVI - Copavi tem uma organização igualitária, socialista, mas a estrutura da vida psicológica dos associados funciona de acordo com o capitalismo – uma contradição severa. - Há um antagonismo entre os coordenadores e coordenados – um conflito que corroi a motivação. - Somos todos reprimidos, somos todos repressores. - Poder de repressão foca no modo de sentir: insegurança, medo, inferioridade, culpa, vergonha, amargura, e descontentamento e raiva. - Poder significa direito para punir ou premiar – principio dos cachorros de Pavlov.
    5. 5. TRANSFORMAÇÃO DO DESAFIO AOS PROBLEMAS – COPAVI 1(2) TRANSFORMAÇÃO DO DESAFIO AOS PROBLEMAS – COPAVI 1(2) Problema Rotina de lidar Sentimentos envolvidos Desmotivação, descontentamento Conscientizar sobre a importância da união e esforço Angustia, medo, frustração, incapacidade Inveja, intrigas, fofocas Criticar, querer mudar o outro Descontentamento, medo, frustração Falta de valorização humana Elogiar, dar vantagens Insegurança, incapacidade Intolerância, agressividade Criticar, isolar, punir Medo, raiva, incapacidade Setorização, falta de união, conflitos Conscientizar sobre a importância da união Medo, descontentamento, raiva
    6. 6. TRANSFORMAÇÃO DO DESAFIO AOS PROBLEMAS – COPAVI 2(2) TRANSFORMAÇÃO DO DESAFIO AOS PROBLEMAS – COPAVI 2(2) Problema Rotina de lidar Sentimentos envolvidos Poucos se manifestam, medo domina Tentar incentivar para participar Insegurança, incapacidade Ninguém quer (alguém quer muito) ser coordenador Lamentar, dar vantagens Angustia, incapacidade, desespero “Eu sou melhor que outros” - auto- suficiência Criticar ou calar Irritação, incapacidade, raiva Abuso de álcool Criticar ou ficar quieto Angustia, vergonha, culpa, desespero Medo de ser feliz, ter sucesso Falar, lamentar Angustia, incapacidade Alienação e falta de idealismo Criticar, reclamar Angustia, incapa- cidade, desmotivação
    7. 7. NOSSA ROTINA PARA LIDAR COM OS PROBLEMAS É REPRESSIVA NOSSA ROTINA PARA LIDAR COM OS PROBLEMAS É REPRESSIVA - Angustia, medo, irritação, raiva, vergonha e desespero impedem nós usar nossas capacidades. - Em vez de estudar a problemática nós reagimos querendo ter o poder para eliminá-la. - Aprendemos desde criança usar o poder (puni- ção ou premiação) para resolver os problemas. Acreditamos no poder e não na sanidade. - Focamos no erro desprezando a riqueza humana - Nossa rotina vem das estruturas de poder. - Esta rotina torna problemas crônicos.
    8. 8. CONSIDERAÇÕES INICÍAISCONSIDERAÇÕES INICÍAIS - O mal não pode ser curado por outro mal (por ex. medo, castigo). O mal pode ser curado somente com o bem (impedindo a má ação e conscientizando o agressor). - Os sentimentos de humildade, força e amor são fundamentais para saber lidar com problemas. - Não lutar contra mas a favor de algo bom (RA, cooperação, igualdade, justiça, ecologia...) – não achar inimigos mas lutar pela uma causa bonita.
    9. 9. UMA SINTÉSE DA CONDUTA NÃO-REPRESSIVA UMA SINTÉSE DA CONDUTA NÃO-REPRESSIVA - Não dê poder para os problemas. - Procure ter contato – reconhece sentimentos. - Reforce o que é bom. - Trate seu próprio stress. - Não dê poder para os problemas. - Procure ter contato – reconhece sentimentos. - Reforce o que é bom. - Trate seu próprio stress.
    10. 10. PRINCIPIOS DURANTE A ATIVIDADE RELAÇÕES HUMANAS E COOPERAÇÃO PRINCIPIOS DURANTE A ATIVIDADE RELAÇÕES HUMANAS E COOPERAÇÃO • Conhecimento intelectual é secundário, a prioridade é olhar para dentro; sentir o próprio interior. • Nada de pressa, nada de “tem que”; exigências são entraves no processo de sentir, conhecer o próprio interior. • Confidencialidade – não se fala sobre as pessoas o que se ficou sabendo delas durante a atividade. • “Como a gente se abre?”
    11. 11. Pensamentos básicos: SER HUMANO E COLETIVO
    12. 12. Pessoas descontentes ouPessoas descontentes ou zangadas morrem cedo!zangadas morrem cedo!
    13. 13. CADA SER HUMANO QUER SER ACEITO, RESPEITADO E AMADO: - nos seus sentimentos - na sua ação - na toda sua essencia CADA SER HUMANO QUER SER ACEITO, RESPEITADO E AMADO: - nos seus sentimentos - na sua ação - na toda sua essencia PARA UMA PESSOA COM ALEGRIA/TRISTEZA/CULPA/RAIVA É MAIS IMPORTANTE DE SER VISTA E RESPEITADA NO SEU SENTIR DE QUE QUALQUER OUTRA COISA.
    14. 14. TEMOS TOTAL LIBERDADE DE SENTIR E PENSAR MAS LIBERDADE LIMITADA PARA AGIR. TEMOS TOTAL LIBERDADE DE SENTIR E PENSAR MAS LIBERDADE LIMITADA PARA AGIR. - Responsabilidade requer liberdade. Liberdade causa responsabilidade. Elas são a mesma coisa. - Mas a responsabilidade se associa com exigência. Por isso reagimos com oposição. - E a liberdade se associa com livre de responsabilidades - total confusão. - Pare de usar palavra responsabilidade. No lugar dela use sempre a palavra liberdade. - Responsabilidade requer liberdade. Liberdade causa responsabilidade. Elas são a mesma coisa. - Mas a responsabilidade se associa com exigência. Por isso reagimos com oposição. - E a liberdade se associa com livre de responsabilidades - total confusão. - Pare de usar palavra responsabilidade. No lugar dela use sempre a palavra liberdade.
    15. 15. .. PANO DE FUNDO • TEMOS TOTAL LIBERDADE DE SENTIR MAS LIBERDADE LIMITADA PARA AGIR. • TUDO QUE VEJO NO OUTRO EXISTE EM MIM TAMBÉM DE ALGUMA MANEIRA. • AQUILOAQUILO QUE FAÇO COMFAÇO COM OUTRO, FAÇO DENTRO DEOUTRO, FAÇO DENTRO DE MIM COMIGO MESMOMIM COMIGO MESMO.. • O SER HUMANO É A SUAO SER HUMANO É A SUA CONSCIÊNCIA.CONSCIÊNCIA. • O MAL PODE SER CURADOO MAL PODE SER CURADO SOMENTE PELO BEM.SOMENTE PELO BEM. • IGUALDADE RESULTA EM RESPONSABILIDADE COLETIVA.
    16. 16. RIQUEZAS HUMANAS – talentos e capacidades essenciais EMPECILHOS – atitudes que impedem as riquezas e possibilidades Capacidade de percepção Capacidade de lembrar Intuição Amor, alegria... Responsabilidade, coragem Criatividade Avaliação, bom senso Senso ético, honestidade Senso de beleza Autodisciplina Capacidade de aprendizagem Talentos Capacidades físicas 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 Hábitos emocionais negativos por ser rejeitado ou oprimido; insegurança, medo, vergonha, raiva - submissão ao poder Censura; usar poder para reprimir consciência Querer mudar pessoas, a realidade e a si mesma (mania de grandeza e perfeccionismo) – querer poder Inveja – querer poder para destruir Egocentrismo – se achar como centro de poder 1 2 3 4 5 SAÚDE/EQUILÍBRIO DOENÇA/NEUROSE RIQUEZAS HUMANAS E EMPECILHOS
    17. 17. FORMAÇÃO DA PERSONALIDADEFORMAÇÃO DA PERSONALIDADE Personalidade, entendida como hábitos de comportar (agir), pensar, sentir (e lidar com energias metafísicas), se forma com: • Sociedade, estruturas do poder • Os pais, pessoas próximas • Genética • Vontade (liberdade, responsabilidade – um mistério) Quanto que o ser humano tem culpa pelo seu comportamento, 20%, 80%? Formação do caráter (ética, firmeza, coragem, amor) seria desenvolver em riquezas humanas.
    18. 18. CARLOS TENTA OFENDER MARIACARLOS TENTA OFENDER MARIA • Carlos tenta ofender Maria. Quem está cometendo erro? • O erro é somente do Carlos. Nós nunca temos o direito de ofender o outro. • Maria se sente ofendida. Erro de quem? • De Maria. Carlos não tem poder de mandar nas emoções da Maria. • Será que é sábio de se sentir ofendido? Não • Maria está aberta ás energias negativas do Carlos, inclusive por não aceitar a consciência da maldade dele (e dela mesma).
    19. 19. CARLOS SE OFENDE!CARLOS SE OFENDE! • Quando Carlos tenta ofender o outro, ele está sentindo raiva/medo e pensando negativamente. • Ele faz mal para ele mesmo (na vida psíquica dele). • Fazendo assim ele se auto-agride. AQUILO QUE FAÇO PARA O OUTRO,AQUILO QUE FAÇO PARA O OUTRO, FAÇO DENTRO DE MIM COMIGO MESMOFAÇO DENTRO DE MIM COMIGO MESMO AQUILO QUE FAÇO PARA O OUTRO,AQUILO QUE FAÇO PARA O OUTRO, FAÇO DENTRO DE MIM COMIGO MESMOFAÇO DENTRO DE MIM COMIGO MESMO
    20. 20. COMO LIDAR COM CARLOS? - regras, bronca, castigo ou conscientização? COMO LIDAR COM CARLOS? - regras, bronca, castigo ou conscientização? Maria reage falando: ”Carlos, creio que você está se ofendendo.” No coletivo onde foi introduzida a responsabilidade coletiva, os outros reagem falando: - ”Carlos, você está se desprezando.” - ”Eu também acho que você se agride.” - ”O que você está sentindo?” Conscientização em vez de repressão.
    21. 21. COMPARAÇÃO: bola suja = palavras sujas • Carlos joga a bola suja para Maria. • Maria percebe que a bola está suja e não a pega. • A bola cai no chão sem efeito. • .... • Mas se Maria não aceita consciência de que a bola está suja, ela pega a bola, e se suja.
    22. 22. ESTRATEGIA DE LIDAR COM O DESAFIO - COPAVIESTRATEGIA DE LIDAR COM O DESAFIO - COPAVI - Fomentar e fortalecer as praticas de participação e de democracia especialmente com os jovens, mulheres e outros excluídos e desvalorizados. - Lidar com o antagonismo entre os coordenadores e os coordenados. - Lidar com vícios de dono e de empregado. - Desaprender as praticas de repressão costumeira. E CUIDAR DAS RELAÇÕES HUMANAS: - Perceber a importância de sentir – valorização humana. - Perceber que nós somos espelhos internos entre nós. - Perceber que eu faço com outro estou fazendo dentro de mim comigo mesmo. - Reforçar a consciência das riquezas humanas e ter compreensão dos empecilhos.
    23. 23. MÉTODO CONSCIENTIA relações humanas e cooperação MÉTODO CONSCIENTIA relações humanas e cooperação FERRAMENTAS PARA INDIVIDUO/COLETIVO Autoconhecimento – riquezas, empecilhos, relações FERRAMENTAS PARA INDIVIDUO/COLETIVO Autoconhecimento – riquezas, empecilhos, relações PENSAMENTOS BÁSICOSPENSAMENTOS BÁSICOS • Responsabilidade = liberdade - Respeitar sentimentosResponsabilidade = liberdade - Respeitar sentimentos • Tudo que vejo no outro existe também em mimTudo que vejo no outro existe também em mim • Aquilo que faço com outro, faço comigo mesmoAquilo que faço com outro, faço comigo mesmo • O ser humano é a sua consciênciaO ser humano é a sua consciência • O mal pode ser curado somente pelo bemO mal pode ser curado somente pelo bem • Igualdade requer democracia participativaIgualdade requer democracia participativa PENSAMENTOS BÁSICOSPENSAMENTOS BÁSICOS • Responsabilidade = liberdade - Respeitar sentimentosResponsabilidade = liberdade - Respeitar sentimentos • Tudo que vejo no outro existe também em mimTudo que vejo no outro existe também em mim • Aquilo que faço com outro, faço comigo mesmoAquilo que faço com outro, faço comigo mesmo • O ser humano é a sua consciênciaO ser humano é a sua consciência • O mal pode ser curado somente pelo bemO mal pode ser curado somente pelo bem • Igualdade requer democracia participativaIgualdade requer democracia participativa
    24. 24. DESENVOLVIMENTO DO MÉTODO CONSCIENTIADESENVOLVIMENTO DO MÉTODO CONSCIENTIA • Psicanálise individual e de grupo desde 1978 • Produtividade pela consciência do erro 1982 • Empresas onde o trabalhador é o dono 1983 • Estudo e treinamento em USA 1984-86 • Trabalho terapeutico na Suécia e Finlândia 1987-97 • MST – Copavi, Paranacity 1999, ...outras CPAs etc • Associação Nacional de Empresas de Autogestão -ANTEAG 2001-2003 (Manual de Autogestão) • MST/Programa de Acompanhamento das Empresas Sociais – PAES 2003 – 2008 (MAE) • MST/CPAs, Iterra, Educar, Ceagro, escolas publicas nos assentamentos (varias apostilas) • Trabalho paralelo na Finlândia e Suécia desde 1998 onde saio o livro sobre o método em 2013 e 2015
    25. 25. Censura, inveja… DIALOGO DE REFORÇO E MOTIVAÇÃO POSITIVA Censura, inveja… DIALOGO DE REFORÇO E MOTIVAÇÃO POSITIVA
    26. 26. ATITUDE DE CENSURAATITUDE DE CENSURA
    27. 27. TÉCNICAS DE CENSURATÉCNICAS DE CENSURA • muitas explicações e justificativas • colocar culpa nos outros • considerar–se como vítima dos outros • atitude de moralismo • atitude de omissão, indiferença • foco no erro, crítica continua, habito de reclamar e remoer • uso de drogas, excesso de comida, remédios, troca-troca de relações... • alienação, fuga às fantasias • psicosomatização: dor de cabeça, tensão muscular, gastrite, resfriados repetitivos, stress, câncer, doenças circulatórias e do coração,...
    28. 28. VITIMIZAÇÃOVITIMIZAÇÃO • Todos somos vitimas de injustiças… • Mas atitude de vitima causa sentimentos de tristeza crónica, incapacidade e desespero. • “Eu não posso fazer nada além que faço” - não existe liberdade nem responsabilidade. “Mas sinto sentimento de culpa.” • Porque eu caio nesse armadilha? • - não quero consciência das minhas riquezas e nem dos problemas (inveja) • - sinto exigência rígida para resolve-lo • - uso o problema para me torturar (e outros)
    29. 29. ERROU, FOI REPRIMIDO – ASSIM CONSOLIDAMOS O FRACASSO! - VAMOS QUEBRAR O CIRCULO VICIOSO? ERROU, FOI REPRIMIDO – ASSIM CONSOLIDAMOS O FRACASSO! - VAMOS QUEBRAR O CIRCULO VICIOSO? • Quando nos cometemos um erro, recebemos punição de outros e de nos mesmos. Isto reduz a confiança e a motivação de acertar. • Em vez disto deveríamos ser reforçados pelo outro justo quando cometemos o erro. • Como? Aceitando o erro com naturalidade, usando o erro como possivel aprendizado e reforçando a consciência do bem (riquezas humanas…).
    30. 30. INVEJAINVEJA IIn = não, veja vem de vern = não, veja vem de ver iinveja = atitude de não querer vernveja = atitude de não querer ver INVEJAINVEJA IIn = não, veja vem de vern = não, veja vem de ver iinveja = atitude de não querer vernveja = atitude de não querer ver O QUE NÃO QUEREMOS VER?O QUE NÃO QUEREMOS VER? •• o bom, o beloo bom, o belo •• progresso, possibilidadesprogresso, possibilidades •• amor, felicidadeamor, felicidade NÃO QUERER VER = QUERER IMPEDIRNÃO QUERER VER = QUERER IMPEDIR •• em você mesmoem você mesmo •• nos outros, na realidade, na vidanos outros, na realidade, na vida
    31. 31. EXEMPLOS DE INVEJAEXEMPLOS DE INVEJA •• alegria pela desgraça dos outros, ironiaalegria pela desgraça dos outros, ironia •• indiferença geral, descontentamento crônicoindiferença geral, descontentamento crônico •• fofoca, intrigafofoca, intriga •• negatividade, brecar, exagerar problemasnegatividade, brecar, exagerar problemas •• preguiça, passividadepreguiça, passividade •• se preocupar sem resultados práticos, remoerse preocupar sem resultados práticos, remoer •• dificuldade de escolher ou tomar decisõesdificuldade de escolher ou tomar decisões •• necessidade de controlarnecessidade de controlar •• obsessão pelo poderobsessão pelo poder •• dificuldade de delegar, dar informaçãodificuldade de delegar, dar informação •• destrutividade, agressividadedestrutividade, agressividade
    32. 32. DIÁLOGO DE REFORÇODIÁLOGO DE REFORÇODIÁLOGO DE REFORÇODIÁLOGO DE REFORÇO 1 Conscientize-se de seu modo de sentir1 Conscientize-se de seu modo de sentir (angustia, irritação, raiva..), você é(angustia, irritação, raiva..), você é responsável pelo seu modo de sentir.responsável pelo seu modo de sentir. 2 Observe, fale e conscientize a pessoa2 Observe, fale e conscientize a pessoa sobre o modo dela de sentir com máximasobre o modo dela de sentir com máxima aceitação e respeito.aceitação e respeito. 3 Reforce a consciência sobre as3 Reforce a consciência sobre as riquezasriquezas humanashumanas nela. Só continue ao passo 4 senela. Só continue ao passo 4 se for necessário.for necessário. 4 Mostre como ela está agindo contra as4 Mostre como ela está agindo contra as riquezas humanasriquezas humanas nela.nela.
    33. 33. COMO REFORÇAR A CONSCIÊNCIA DO BEM?COMO REFORÇAR A CONSCIÊNCIA DO BEM? • O coletivo treina a respeitar o sentir do outro. • O coletivo treina um habito para reforçar a consciência sobre riquezas humanas (não elogiar). • Lembrar que o ”pior” precisa de mais reforço (amor), o ”melhor” menos. • Concentrar poder na sanidade, não em problemas. • Em vez de criticar e exigir - inspirar, estimular. • Criar um ambiente de igualdade e solidariedade – desenvolver espírito de democracia direta. • Situações a versas: competição, avaliação, critica, comparações…
    34. 34. COBRANÇA CONSTRUTIVACOBRANÇA CONSTRUTIVA • o que foi planejado para o período que passou • o que faltou a ser realizado em relação ao planejado • o que impediu ou dificultou a realização do planejado e como lidar com estas dificuldades • fazer o re-planejamento do que deve ser feito no próximo período
    35. 35. MOTIVAÇÃO POSITIVA - individuo/coletivo MOTIVAÇÃO POSITIVA - individuo/coletivo TODO SER HUMANO PROCURA NA SUA AÇÃO ALGO DE BOM DO SEU PONTO DE VISTA. AO INVÉS DE REPRIMIR É MELHOR CONSCIENTI- ZÁ-LO SOBRE OS BONS MOTIVOS: • Conscientizá-la sobre os benefícios que o hábito de ação atual dele/do coletivo está fornecendo. • Descrever a mudança desejada, o hábito ideal de ação. • Conscientizá-lo sobre os benefícios que o hábito ideal de agir possa trazer. • Comparar os benefícios da ação atual e ideal. • A pessoa/o coletivo escolhe a manter a ação atual ou mudar treinando os hábitos de ação ideal.
    36. 36. SENTIR, PENSAR , AGIR PODER: EXIGIR, LIMITAR - sente o seu sentir
    37. 37. CONSCIENTIZAR – SENTIRCONSCIENTIZAR – SENTIR Conscientizar é captar, perceber, usar seus sentidos, estar ligado, estar em contato, aceitar consciência sobre algo. O sentir é sempre ligado com o conscientizar. Se você não está querendo este algo, sua reação pode envolver uma conduta de censura: • Tentativa de negar o algo (repressão) o que implica em reprimir sua consciência (censura). • Como você é a sua consciência, você reprime a si mesmo. • Sintomas: ansiedade, medo, irritação, culpa, raiva... • Este modo de sentir pode tornar um hábito de sentir, um vicio, uma dependência.
    38. 38. REPRIMIR = EXIGIR OU LIMITARREPRIMIR = EXIGIR OU LIMITAR • Para exigir/limitar tem que ter poder. • Você sente exigência com alegria ou medo/raiva? • A exigência dura causa forte oposição. • Se você tiver muitos ”tem que”, você se opõe a sim mesmo. ”Tem que” impede alegria e amor. • Desejos, expectativas se tornam exigências. • Pai/mãe exigente = filha/o exigente? • Exigência limita liberdade; responsabilidade, amor, consciência, ser humano • Os poderosos (pai, mãe, professor, empregador..) usam sem pensar enganosamente a palavra responsabilidade em vez da palavra exigência.
    39. 39. EXEMPLO DE UMA REAÇÃO AS EXIGÊNCIAS EXEMPLO DE UMA REAÇÃO AS EXIGÊNCIAS Uma orientadora escolar na sua sessão de terapia: ”Exigências provocam medo e raiva, tem que conseguir, não pode errar – isto aumenta a sensação de solidão, egocentrismo. Exigência se sente como algo condenador, punição, maldade, paralisante…” Não é possível forçar conscientização, ela funciona só na liberdade.
    40. 40. TER PODER É TER PODER PARA EXIGIR E LIMITAR = REPRIMIR TER PODER É TER PODER PARA EXIGIR E LIMITAR = REPRIMIR Há dois níveis de poder: - Poder pratico = dominar a ação do outro - Poder psicológico = poder sobre o sentir, o que é a essência do poder Para eu ter poder (psicológico) sobre você, você deve se sentir inferior: medo, insegurança, culpa, vergonha, raiva... Estruturas do poder tem dois objetivos: (1) o povo deve sentir medo, inferioridade, culpa, vergonha, e (2) ninguem não deveria sentir assim = dupla repressão.
    41. 41. • No trabalho: 1 submissão do empregado ao empregadora, 2 conduta profissional é não ter emoções, somente o racional • Nas escolas: 1 submissão do educando ao educador, 2 não deve haver sentimentos de descontentamento, indiferença, irritação, raiva, paixões… • Nas famílias: não chore/não fique com medo/pare com essa birra/porque tanta raiva. Deboche quando o jovem se sente apaixonado. Se o jovem sente tristeza os pais logo vão fazer de tudo para ele não sentir tristeza ou agem com indiferença. • No trabalho: 1 submissão do empregado ao empregadora, 2 conduta profissional é não ter emoções, somente o racional • Nas escolas: 1 submissão do educando ao educador, 2 não deve haver sentimentos de descontentamento, indiferença, irritação, raiva, paixões… • Nas famílias: não chore/não fique com medo/pare com essa birra/porque tanta raiva. Deboche quando o jovem se sente apaixonado. Se o jovem sente tristeza os pais logo vão fazer de tudo para ele não sentir tristeza ou agem com indiferença.
    42. 42. • No serviço de saúde: eliminar os sintomas como angustia, medo, pânico, depressão e raiva com medicamentos. • Na competição económica não é possível sentir pena ou solidariedade por outro. • Ciência positivista não considera o sentir. • Vivemos com medo de: se manifestar, ser rejeitado, prova, desemprego, crime, policia, impostos, autoridade, latifundiário, banco, solidão, morte... • No serviço de saúde: eliminar os sintomas como angustia, medo, pânico, depressão e raiva com medicamentos. • Na competição económica não é possível sentir pena ou solidariedade por outro. • Ciência positivista não considera o sentir. • Vivemos com medo de: se manifestar, ser rejeitado, prova, desemprego, crime, policia, impostos, autoridade, latifundiário, banco, solidão, morte...
    43. 43. • Aprendemos estudar/trabalhar para ganhar boas notas, bom salário, prêmios (exigências). Não estamos ligados com o sentir na ação (trabalho, estudo, conversa...), estamos concentrados nos resultados, fora da realidade do momento. Perdemos o contato com a alegria de estudar/trabalhar. • O poder é sempre contra o povo ter ética e sentir amor e coragem (sentimento). • Aprendemos estudar/trabalhar para ganhar boas notas, bom salário, prêmios (exigências). Não estamos ligados com o sentir na ação (trabalho, estudo, conversa...), estamos concentrados nos resultados, fora da realidade do momento. Perdemos o contato com a alegria de estudar/trabalhar. • O poder é sempre contra o povo ter ética e sentir amor e coragem (sentimento).
    44. 44. • Conscientizar-se sobre os dois níveis do poder: pratico e psicológico. • Se submeter conscientemente ao pratico se não tiver outra opção. • Colocar no coletivo a forte prioridade na conscientização, em vez de repressão. • (Repressão, limites, exigências, somente como uma medida paliativa temporária em situações de perigo.)
    45. 45. • TEMOS TOTAL LIBERDADE DE SENTIR MAS LIBERDADE LIMITADA PARA AGIR. • TUDO QUE VEJO NO OUTRO EXISTE EM MIM TAMBÉM DE ALGUMA MANEIRA. • AQUILOAQUILO QUE FAÇO COM OUTRO, FAÇOFAÇO COM OUTRO, FAÇO DENTRO DE MIM COMIGO MESMODENTRO DE MIM COMIGO MESMO.. • O SER HUMANO É A SUA CONSCIÊNCIA.O SER HUMANO É A SUA CONSCIÊNCIA. • O MAL PODE SER CURADO SOMENTEO MAL PODE SER CURADO SOMENTE PELO BEM.PELO BEM.
    46. 46. COMO É O SEU MODO DE SENTIR?COMO É O SEU MODO DE SENTIR? • Quando criança, você costumava sentir alegria, amor, entusiasmo, angustia, tristeza, descontentamento, medo, vergonha, culpa, raiva, ódio ou...? • Seus pais falaram sobre seus/próprios sentimentos de modo aberto e respeitoso? • Não sentimos a liberdade pelo nosso modo de sentir, em vez disto nos sentimos como vitimas dos próprios sentimentos. Os hábitos de sentir se tornam numa dependência. Não é fácil de se livrar da dependência. Mas no fundo você tem liberdade pelo seu sentir.
    47. 47. SENTE O SEU MODO DE SENTIRSENTE O SEU MODO DE SENTIR • Quando você se vê no espelho, quais sentimentos você percebe no seu rosto? • Reserve uns minutos. Tome uma posição firme. Feche os olhos. Sinta as partes do seu corpo, ele é um reflexo do seu sentir. • Vire olhar para o seu interior, sinta conscientemente os seus sentimentos. • Você se permite sentir o que está sentindo? • Se não, você está se reprimindo. • Treine um habito de ter tempo para sentir o que está sentindo.
    48. 48. CONSCIENTIZAÇÃO DOS SENTIMENTOSCONSCIENTIZAÇÃO DOS SENTIMENTOS Senti- mento Bem forte Bastante Pouco Nada Alegria Curiosi- dade Medo Raiva
    49. 49. COMO LIDAR COM EMOÇÕES NEGATIVASCOMO LIDAR COM EMOÇÕES NEGATIVASCOMO LIDAR COM EMOÇÕES NEGATIVASCOMO LIDAR COM EMOÇÕES NEGATIVAS • Raiva e medo não são proibidos. QualquerRaiva e medo não são proibidos. Qualquer censura à eles causa uma reação contraria.censura à eles causa uma reação contraria. • Energias negativas contagiam facilmente.Energias negativas contagiam facilmente. Pare, observe, respeite. Ganhe tempo, contePare, observe, respeite. Ganhe tempo, conte até dez. Em vez de controle, procureaté dez. Em vez de controle, procure contato.contato. • Aceite, respeite e fale sobre o sentir doAceite, respeite e fale sobre o sentir do outro para ele se respeitar. (Evite porques.)outro para ele se respeitar. (Evite porques.) • Evite argumentação, não entre em defesa.Evite argumentação, não entre em defesa. • Lembrando, seu sentir, sua raiva é da suaLembrando, seu sentir, sua raiva é da sua liberdade.liberdade.
    50. 50. ALGUNS ASPECTOS SOBRE RELAÇÕES HUMANAS - espelho interno - como compreender trauma - como não ficar ofendido
    51. 51. ESPELHO INTERNO COM CENSURAESPELHO INTERNO COM CENSURA EUEU Eu penso que ela vê emEu penso que ela vê em mim:mim: •• eu me distancio doseu me distancio dos outrosoutros •• sou megalômanosou megalômano •• tenho conduta detenho conduta de autonegaçãoautonegação •• eu me abro para aeu me abro para a agressividade dos outrosagressividade dos outros •• ela não gosta que souela não gosta que sou fraco e inseguro em vezfraco e inseguro em vez de sincero e abertode sincero e aberto MINHA SUPERIORMINHA SUPERIOR Eu vejo nela:Eu vejo nela: •• atitude de fuga, censuraatitude de fuga, censura •• complexo de inferioridadecomplexo de inferioridade •• ela não acredita nelaela não acredita nela mesma e esconde isto atrásmesma e esconde isto atrás de sua agressividadede sua agressividade •• no fundo, ela é insegurano fundo, ela é insegura
    52. 52. CENSURA CAUSA TRAUMACENSURA CAUSA TRAUMA • A pessoa tem uma experiência ruim. Ela não quer isto com muita rigidez. Ela reprime a sua con-sciência, a si mesma. Isto é a causa da trauma. • Ela sente que não existe – ela se sente injustiçada e reage com defesa/ataque. • Ela procura sentir sua existência através da reação dos outros: – Aceitação/admiração: sendo boazinha, perfeita, bem sucedida, poderosa… – Atenção continua: no centro de atenções – Culpa/pena: com sua depressão, atitude de vítima – Medo/raiva/ódio/nojo: com agir agressivo, vestir sujo, linguajar vulgar...
    53. 53. EXEMPLOS DE EXPERIENCIAS RUINS EXEMPLOS DE EXPERIENCIAS RUINS • Se tornar objeto de agressão, violência. • Se tornar objeto de opressão e/ou rejeição, indiferença. • Ter pais super-protetores – repressão pelo controle de imagináveis perigos – poder. Isto reprime o ser dele. • Ter pais idealisadores, receber muitos elogios - poder. Isto aumenta expectativas, exigências e reprime o ser dele.
    54. 54. COMO NÃO FICAR OFENDIDO?COMO NÃO FICAR OFENDIDO? • Perceber que para mim é proibido de ficar ofendido. Por isso fico facilmente ofendido. Não querer alterar isso mas conscientiza-se sobre isto. • Quem é responsável pelo meu modo de sentir? Eu! - O outro não tem poder de controle sobre meus sentimentos. • Lembrar: Quem ataca o outro ataca primeiramente a si mesmo na sua maneira de sentir e pensar, e na sua atividade fisiológica.
    55. 55. COMO NÃO FICAR OFENDIDO – continuação • Se ainda continuo me ofendendo, significa que tenho habito de me desvalorizar, de me agredir com a minha maneira de sentir e pensar. • O outro desperta a consciência da minha auto-agressão. E eu reajo tentando reprimir esta consciência, negando assim a mim mesmo. Quero fazer isto conscientemente? • Este principio se aplica com medo, raiva, tristeza, tensão, amargura...
    56. 56. LIDERANÇA: antagonismo nos coletivos
    57. 57. • Todo coletivo pode ser dividido em dois subgrupos: os mais passivos e os mais ativos. • Os ativos tomam poder para “o barco não afundar”. Eles coordenam atividades. • Os passivos fazem trabalho monótono, duro... • Os ativos acham que estão carregando os passivos nas costas, ficam descontentes, irritados e desmotivados. • Os passivos se sentem explorados, injustiçados, desmotivados e agem com oposição. • O trabalho dos ativos é mais rico que dos passivos. Os passivos têm o trabalho mais restrito. • Os ativos dependem dos passivos e vice-versa, eles formam um pacto doentio.
    58. 58. OPRESSOR E OPRIMIDO: sobre o pacto entre o coordenador e o coordenado OPRESSOR E OPRIMIDO: sobre o pacto entre o coordenador e o coordenado SENTIMENTOS DO OPRIMIDO: - se sente injustiçado, indignado, revoltado - aí vem insatisfação, vergonha, medo, ódio… - o que resulta em desmotivação, descontenta- mento crónico, oposição (depressão, agressividade) SENTIMENTOS DO OPRESSOR: - os mesmos do oprimido Opressor e oprimido formam um pacto sendo que todo tipo de sentimento é censurado na sociedade em geral.
    59. 59. LIDER SOLITARIO - humildade e força LIDER SOLITARIO - humildade e força QUALIDADES: • Bom senso, justo • Democratico • Reconhece boas ações, incentiva outros • Metas, sabe delegar • Sabe ouvir • Não dé poder aos problemas • Reconhece proprias falhas • Resolução dos problemas • Humilde, amoroso PROBLEMAS COMUNS: • Não ouve, prepotente • Parcial, personalista • Desorgnizado • Incompreensivel • Abuso de poder • Falta de comunicação • Ignorante • Corrupto
    60. 60. COMO LIDAR COM OS CONFLITOS
    61. 61. NUM COLETIVO PARA PREVENIR CONFLITOS, É NECESSÁRIO: • desenvolver regras claras, como: – Estatuto Social, Contrato Social Interno CSI/Regimento interno – Manual de Organização, que descreve o organograma, as responsabilidades,os procedimentos, os sistemas, as regras e as recomendações. • conscientizar sobre os objetivos, os princípios e as regras da organização • desenvolver uma compreensão sobre o ser humano e suas relações (pensamentos básicos)
    62. 62. O conflito não é somente algo negativo, mas possui aspectos positivos Rompe a rotina. Desafia a acomodação de idéias e posições. Fortifica coisas unificadoras. Desvenda problemas escondidos. Mobiliza energia latente do sistema. Ajuda percepção e estimula raciocínio. É um fonte importante de autoconhecimento para ambas as partes, sendo que a conduta psicológica é similar nos dois lados.
    63. 63. COMO VOCÊ SENTE UM CONFLITO? • uma possibilidade de conhecer outros pontos de vista, poder checar próprias informações, conhecer a outra pessoa melhor • uma ameaça (atitude de rigidez), o que o leva a reações de defesa e ataque, emoções de medo, angustia e/ou raiva
    64. 64. PRINCÍPIOS PARA QUEM ESTÁ NO CONFLITO • Conscientize-se das emoções suas e do outro • Pesquisa dos fatos • Escuta ativa • Avaliação das consequências práticas • Preparação de propostas • Negociação • Se necessário abre um confronto direto.
    65. 65. PRINCÍPIOS PARA AGIR COMO MEDIADOR • Levar as partes a aceitar o conflito. • Estudar o ponto de vista de cada lado separadamente numa conversa individual. • Levar cada uma das partes (separadamente) a olharem para si mesmas. • Desenvolver a negociação. • Organizar uma reunião formalizada com os envolvidos presidida pelo mediador. Estabeleça os objetivos e as regras da reunião. • Procurar levar os dois para um compromisso de ações práticas a serem tomadas e de regras a serem seguidas.
    66. 66. COMO LIDAR COM STRESSCOMO LIDAR COM STRESS
    67. 67. •• Compreende a realidade.Compreende a realidade. •• Modifica o que puder.Modifica o que puder. •• AAjusta a qualidade do trabalho.justa a qualidade do trabalho. •• Planeja ao longo prazo.Planeja ao longo prazo. •• Pensa no contexto geral.Pensa no contexto geral. NÃO SE ESTRESSA ATOA.NÃO SE ESTRESSA ATOA. •• Compreende a realidade.Compreende a realidade. •• Modifica o que puder.Modifica o que puder. •• AAjusta a qualidade do trabalho.justa a qualidade do trabalho. •• Planeja ao longo prazo.Planeja ao longo prazo. •• Pensa no contexto geral.Pensa no contexto geral. NÃO SE ESTRESSA ATOA.NÃO SE ESTRESSA ATOA. •• Não aceita, fica na critica.Não aceita, fica na critica. •• Acusa, reclama, remoe.Acusa, reclama, remoe. •• Tem atitude de vítima.Tem atitude de vítima. •• Luta contra a consciência disso.Luta contra a consciência disso. •• Age com egocentrismo.Age com egocentrismo. SE ESTRESSA ATOA.SE ESTRESSA ATOA. •• Não aceita, fica na critica.Não aceita, fica na critica. •• Acusa, reclama, remoe.Acusa, reclama, remoe. •• Tem atitude de vítima.Tem atitude de vítima. •• Luta contra a consciência disso.Luta contra a consciência disso. •• Age com egocentrismo.Age com egocentrismo. SE ESTRESSA ATOA.SE ESTRESSA ATOA.
    68. 68. SISTEMA DO PODER CAUSA STRESSSISTEMA DO PODER CAUSA STRESS Característica da sociedade Consequências Sentir do povo Ganância e competição Especulação desenfreada, exigências crescem inacabávelmente Insegurança, medo, inveja, egoísmo - stress Conflito entre empregador e empregado Exploração do trabalho, grandes diferenças econômicas, revoltas Injustiça, insegurança, humilhação, ódio Crescimento ilimitado de produção e consumo Destruição da natureza Indiferença, alienação, negação do sentimento - stress
    69. 69. STRESS SÁO OU NEUROTICO?STRESS SÁO OU NEUROTICO? • Toda situação requer um certo nível de stress, o stress ideal. • Stress doentio surge quando queremos mais do que é sábio. Avaliamos a necessidade e recursos de modo exagerado ou subestimado. • Querer é como acelerador do stress. QUERER É SE STRESSAR.
    70. 70. COMO LIDAR COM STRESS 1(2)COMO LIDAR COM STRESS 1(2) • Sintomas de stress são como alarmes. O sistema de alarme está funcionando – que bom! • Pare! Planeje ter tempo. Sinta consciente- mente seus sintomas físicos e psíquicos. • Quais sintomas você sente no seu corpo e no seu modo de sentir? • Respeite seu corpo, ele é a sua ferramenta. • Converse sobre seu problema, peça ajuda – isto é amor. • Exigências de resolver problemas complexos, fazem os problemas se tornarem crónicos. • Conscientize-se sobre suas condutas de stress (empecilhos, vide tabela a seguir).
    71. 71. RIQUEZAS HUMANAS – talentos e capacidades essenciais EMPECILHOS – atitudes que impedem as riquezas e possibilidades Capacidade de percepção Capacidade de lembrar Intuição Amor, alegria... Responsabilidade, coragem Criatividade Avaliação, bom senso Senso ético, honestidade Senso de beleza Autodisciplina Capacidade de aprendizagem Talentos Capacidades físicas 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 Hábitos emocionais negativos por ser rejeitado ou oprimido; insegurança, medo, vergonha, raiva - submissão ao poder Censura; usar poder para reprimir consciência Querer mudar pessoas, a realidade e a si mesma (mania de grandeza e perfeccionismo) – querer poder Inveja – querer poder para destruir Egocentrismo – se achar como centro de poder 1 2 3 4 5 SAÚDE/EQUILÍBRIO DOENÇA/NEUROSE RIQUEZAS HUMANAS E EMPECILHOS
    72. 72. COMO LIDAR COM STRESS 2(2)COMO LIDAR COM STRESS 2(2) • Aceite seus empecilhos, não tente elimina-los, mas mantenha-os na sua memória ativada, e treine novos hábitos de ação. • Crie uma visão sobre a situação ideal (utopia), tenha seu foco nela. Evite ter um papel de bombeiro. E mantenha os pés no chão (humildade). • Prepare um plano de ação prático. Adapte-se naquilo que não pode ser mudado. Para formalizar a sua situação, prepare um relatório sobre as suas dificuldades para seus superiores. • O trabalho deve ser uma fonte de alegria.
    73. 73. • Todos “vestem a camisa da luta”; comprometimento na base de sentir. • Criar um clima de cooperação e boas relações – pensamentos básicos. • Formar uma equipe coesa de trabalho que puxa para frente, aceita erros, incentiva os mais necessitados – pensamentos básicos. • Criar um espírito de cumprir o combinado sem cobrança – motivação positiva. • Desenvolver solidariedade e produtividade – dialogo de reforço e motivação positiva. DESAFIOS DE ORGANIZAÇÕESDESAFIOS DE ORGANIZAÇÕES
    74. 74. MÉTODO CONSCIENTIA relações humanas e cooperação MÉTODO CONSCIENTIA relações humanas e cooperação FERRAMENTAS PARA INDIVIDUO/COLETIVO Autoconhecimento – riquezas, empecilhos, relações Dialogo de reforço – valorização humana/social Motivação positiva e cobrança construtiva Democracia participativa - solidariedade FERRAMENTAS PARA INDIVIDUO/COLETIVO Autoconhecimento – riquezas, empecilhos, relações Dialogo de reforço – valorização humana/social Motivação positiva e cobrança construtiva Democracia participativa - solidariedade PENSAMENTOS BÁSICOSPENSAMENTOS BÁSICOS • Responsabilidade = liberdade - Respeitar sentimentosResponsabilidade = liberdade - Respeitar sentimentos • Tudo que vejo no outro existe também em mimTudo que vejo no outro existe também em mim • Aquilo que faço com outro, faço comigo mesmoAquilo que faço com outro, faço comigo mesmo • O ser humano é a sua consciênciaO ser humano é a sua consciência • O mal pode ser curado somente pelo bemO mal pode ser curado somente pelo bem • Igualdade requer democracia participativaIgualdade requer democracia participativa PENSAMENTOS BÁSICOSPENSAMENTOS BÁSICOS • Responsabilidade = liberdade - Respeitar sentimentosResponsabilidade = liberdade - Respeitar sentimentos • Tudo que vejo no outro existe também em mimTudo que vejo no outro existe também em mim • Aquilo que faço com outro, faço comigo mesmoAquilo que faço com outro, faço comigo mesmo • O ser humano é a sua consciênciaO ser humano é a sua consciência • O mal pode ser curado somente pelo bemO mal pode ser curado somente pelo bem • Igualdade requer democracia participativaIgualdade requer democracia participativa
    75. 75. • www.conscientia.sewww.conscientia.se • info@conscientia.seinfo@conscientia.se • www.conscientia.sewww.conscientia.se • info@conscientia.seinfo@conscientia.se MST/Grupo de Estudo de RHCMST/Grupo de Estudo de RHC IInstituto CONSCIENTIAnstituto CONSCIENTIA mmst.org.br, conscientia.sest.org.br, conscientia.se info@conscientia.seinfo@conscientia.se Brasil, Suécia, FinlândiaBrasil, Suécia, Finlândia MST/Grupo de Estudo de RHCMST/Grupo de Estudo de RHC IInstituto CONSCIENTIAnstituto CONSCIENTIA mmst.org.br, conscientia.sest.org.br, conscientia.se info@conscientia.seinfo@conscientia.se Brasil, Suécia, FinlândiaBrasil, Suécia, Finlândia

    ×