ACESSO ABERTO E O AUTO-ARQUIVAMENTO DA INFORMAÇÃO
CIENTÍFICA: discussões no âmbito da Iniciação Científica e suas possívei...
Introdução
• Objetivo Geral:
Compreender os Repositórios Institucionais
(RI), nos seus diversos aspectos com vistas à
anál...
Contextualizando
• Comunicação Científica
• Crise dos periódicos na década de 90
• Surgimento dos Repositórios
Institucion...
Resultados e discussões
• Lynch (2003) conceitua Repositório Institucional
como um conjunto de serviços que a
universidade...
Considerações finais
• Repositórios Institucionais
IES
• Iniciação Científica
• Benefícios destes elos
• Ponto chave para ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

ACESSO ABERTO E O AUTO-ARQUIVAMENTO DA INFORMAÇÃO CIENTÍFICA AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DA “POLÍTICA MANDATÓRIA” NO REPOSITÓRIO (Estudo de caso)

300 visualizações

Publicada em

Poster apresentado CONFOA 2013 (06 a 09 de outubro de 2013 - Sao Paulo, SP, Brasil) - Juliana Rabelo do Carmo, Douglas Anselmo de Oliveira, Hagllaupy de Barros Ribeiro, Gleibson Jose da Silva

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

ACESSO ABERTO E O AUTO-ARQUIVAMENTO DA INFORMAÇÃO CIENTÍFICA AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DA “POLÍTICA MANDATÓRIA” NO REPOSITÓRIO (Estudo de caso)

  1. 1. ACESSO ABERTO E O AUTO-ARQUIVAMENTO DA INFORMAÇÃO CIENTÍFICA: discussões no âmbito da Iniciação Científica e suas possíveis contribuições através da disponibilização de suas produções nos Repositórios Institucionais Juliana Rabelo do Carmo – juliana.rabello@yahoo.com.br – Universidade Federal do Maranhão (UFMA) Douglas Anselmo de Oliveira – coringa.anselmo@gmail.com – Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Hagllaupy de Barros Ribeiro – hdb.ribeiro@gmail.com – Universidade Federal de Pernambuco (UFPE Gleibson José da Silva – gleibson.jose@gmail.com – Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) São Luís, Maranhão, Brasil Recife, Pernambuco, Brasil
  2. 2. Introdução • Objetivo Geral: Compreender os Repositórios Institucionais (RI), nos seus diversos aspectos com vistas à análise da sua aplicação, visando integrar a participação dos Programas de Iniciação Científica com suas produções científicas disponíveis nos RI de Instituições de Ensino Superior (IES). • Objeto de pesquisa: participação dos programas de Iniciação Científica das IES brasileiras.
  3. 3. Contextualizando • Comunicação Científica • Crise dos periódicos na década de 90 • Surgimento dos Repositórios Institucionais • Objetivos dos Ris: armazenar e divulgar a produção científica por meio da política de Acesso Aberto
  4. 4. Resultados e discussões • Lynch (2003) conceitua Repositório Institucional como um conjunto de serviços que a universidade oferece aos membros de sua comunidade para a gestão e disseminação de materiais digitais criados pela universidade e membros de sua comunidade. • Panorama nacional de comunicação científica (AMARAL; SHINTAKY, 2012): 2.032 periódicos científicos 1.137 impressos 895 online
  5. 5. Considerações finais • Repositórios Institucionais IES • Iniciação Científica • Benefícios destes elos • Ponto chave para a questão da maior abrangência dos Ris brasileiros: criação de Políticas Institucionais de Informação (PIRES; MIRANDA, 2012).

×