SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 1
Baixar para ler offline
Temáticas Abordadas - Entre Nós
Temáticas “Entre Nós” no REPOSITÓRIOABeRTO
REPOSITÓRIOAbERTO
O Programa “Entre Nós” é um acervo documental
constituído por 1383 programas de televisão resul-
tante de um protocolo entre a Universidade Aberta e
a RTP.
Foi transmitido 2001 a 2007 de segunda a sexta feira
e levou ao pequeno ecrã nomes das artes, das letras,
do teatro e da ciência, para além de divulgar o patri-
mónio histórico-cultural e natural de Portugal.
Pelo modo como se destacou nas temáticas seleccio-
nadas e na abordagem efectuada, este trabalho me-
receu em 2003 e 2004, 2005 e 2006 o galardão
máximo do “Movimento de Arte Contemporânea”.
A análise dos dados da colecção confirma que esta
se identifica com o perfil da “missão” da Universidade
Aberta.
Criado no âmbito do projecto RCAAP - Repositório
Científico de Acesso Aberto de Portugal, o REPOSI-
TÓRIOAbERTO é um dos repositórios alojados no
Serviço de Alojamento de Repositórios Institucionais
– SARI que o projecto disponibiliza.
A sua grande especificidade reside nos documentos
audiovisuais.
Sendo o repositório institucional de uma universida-
de, pretende constituir-se como um dos instrumen-
tos com o qual esta pode contar para levar a cabo os
seus objectivos.
Neste contexto, reveste-se da máxima importância
que fazendo uso dos instrumentos digitais existen-
tes, se recuperem materiais de reconhecida qualida-
de e actualidade e se disponibilizem em acesso aberto.
Ao efectuar esta abordagem serão cumpridos dois
objectivos:
memória institucional da Universidade;
Garantir a difusão e o acesso ao conhecimento
criado na instituição.
A especificidade da Universidade Aberta como uma
universidade virtual, bem como a especificidade da
missão que abraçou, leva a que não deva através dos
instrumentos que produz, desconsiderar a natural
existência e interesses de grupos de utilizadores, não
necessariamente ligados ao mundo universitário ou da
investigação e providenciar serviços específicos, passí-
veis de melhor responder às suas necessidades.
No Portugal de hoje o conceito de nação tem por base
uma visão alargada, cujas fronteiras não são coinci-
dentes com as fronteiras físicas do Estado e abran-
gem as Comunidades Portuguesas espalhadas pelo
mundo.
Seguindo ritmos distintos no decorrer da história, os
portugueses, colonos ou emigrantes, deram origem
à formação de diversas comunidades de portugue-
ses residentes no estrangeiro.
Os utilizadores são preferencialmente aqueles que
preenchem o espaço da lusofonia. Os falantes da
língua, seja ela materna, oficial, ou estrangeira e as
comunidades minoritárias que se reclamam do por-
tuguês, da correspondente cultura, ou de uma ances-
tralidade, conhecida ou simplesmente provável com
Portugal.
O conceito de lusofonia envolve uma vertente
linguística em sentido estrito, a língua portuguesa, e
uma vertente cultural mais vasta, ambas dispersas
pelo mundo.
A língua portuguesa é um instrumento que tem sido
utilizado pela Universidade Aberta para afirmar a sua
presença e a sua capacidade estratégica de interven-
ção à escala internacional.
A simples existência do espaço da língua portuguesa
justifica, só por si, qualquer acção que dê conteúdo
efectivo a uma comunidade dita lusófona. Citando
Carlos Reis, actual Reitor da Universidade Aberta, os
apregoados 230 milhões de falantes dos países que
têm o português como idioma oficial, poucos serão
se não cultivarmos procedimentos que dêem força
coesiva a uma tão vasta como desigual comunidade.
Com esta proposta pretende-se cativar não só os
normais utilizadores de um repositório universitário,
mas cultivar procedimentos que permitam fazer
chegar o conhecimento produzido na nossa institui-
ção aos cerca de 230 milhões de falantes que têm o
português como idioma oficial, bem como aos
muitos outros que por todo o mundo demonstram
interesse na língua e na cultura que se faz em portu-
guês.
É a estes utilizadores da língua e da cultura portu-
guesa, (muitos deles também alunos da Universidade
Aberta) que pretendemos através do REPOSITÓRIO-
AbERTO, fazer chegar o “Entre Nós”.
Digitalização dos programas (actualmente em formato
”fita”) para formato(s) de preservação.
nos formatos FLV e MPEG 4 de modo corres-
ponder às necessidades e especificidades
requeridas pelas diversas plataformas e sites
de alojamento.
-
sitório.
Para garantir a recuperação da informação e a unida-
de da colecção, propõe-se:
dc.subject introdução do descri-
tor: “Entre Nós”.
No campo dc.description, introdução da
identificação do programa relacionando-o
com a colecção a que pertence: "Entre Nós".
Uma produção vídeo da Universidade
Aberta para a RTP”.
DC.CONTRIBUTOR.EDITOR
DC.CONTRIBUTOR.OTHER
DC.CONTRIBUTOR.OTHER
DC.DATE.ACCESSIONED
DC.DATE.AVAILABLE
DC.DATE.ISSUED
DC.IDENTIFIER.URI
DC.DESCRIPTION
DC.FORMAT.EXTENT
DC.FORMAT.MIMETYPE
DC.L.ANGUAGE.lSO
DC.RIGHTS
DC.SUBJECT
DC.SUBJECT
DC.SUBJECT
DC.SUBJECT
DC.TITLE
DC.TYPE
APARECE NAS COLECÇÕES:
Campo DC
O REPOSITÓRIOAbERTO: recuperar, preservar
e difundir o“acervo esquecido”
C
M
Y
CM
MY
CY
CMY
K

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

BAL - Biblioteca Académica de Lisboa no Pavilhão de Portugal
BAL - Biblioteca Académica de Lisboa no Pavilhão de PortugalBAL - Biblioteca Académica de Lisboa no Pavilhão de Portugal
BAL - Biblioteca Académica de Lisboa no Pavilhão de PortugalJoão Pedro Ruivo
 
Programa Em Dia Com A HistóRia
Programa Em Dia Com A HistóRiaPrograma Em Dia Com A HistóRia
Programa Em Dia Com A HistóRiaguesta9deb6
 
Praça da Batalha - Artur Filipe dos Santos - História do Porto
Praça da Batalha - Artur Filipe dos Santos - História do PortoPraça da Batalha - Artur Filipe dos Santos - História do Porto
Praça da Batalha - Artur Filipe dos Santos - História do PortoArtur Filipe dos Santos
 
A Sé do Porto - Artur Filipe dos Santos - História do Porto
A Sé do Porto - Artur Filipe dos Santos - História do PortoA Sé do Porto - Artur Filipe dos Santos - História do Porto
A Sé do Porto - Artur Filipe dos Santos - História do PortoArtur Filipe dos Santos
 
A Gaita de Fole - Artur Filipe dos Santos - Património Cultural
A Gaita de Fole - Artur Filipe dos Santos - Património CulturalA Gaita de Fole - Artur Filipe dos Santos - Património Cultural
A Gaita de Fole - Artur Filipe dos Santos - Património CulturalArtur Filipe dos Santos
 
História do porto palacete conde silva monteiro - artur filipe dos santos
História do porto   palacete conde silva monteiro - artur filipe dos santosHistória do porto   palacete conde silva monteiro - artur filipe dos santos
História do porto palacete conde silva monteiro - artur filipe dos santosArtur Filipe dos Santos
 
Artur Filipe dos Santos - Castelo de S. Jorge Lisboa - Património Cultural
Artur Filipe dos Santos - Castelo de S. Jorge Lisboa - Património CulturalArtur Filipe dos Santos - Castelo de S. Jorge Lisboa - Património Cultural
Artur Filipe dos Santos - Castelo de S. Jorge Lisboa - Património CulturalArtur Filipe dos Santos
 
Aula de História do porto S. João do Porto - Artur filipe dos santos - Univer...
Aula de História do porto S. João do Porto - Artur filipe dos santos - Univer...Aula de História do porto S. João do Porto - Artur filipe dos santos - Univer...
Aula de História do porto S. João do Porto - Artur filipe dos santos - Univer...Universidade Sénior Contemporânea do Porto
 

Mais procurados (8)

BAL - Biblioteca Académica de Lisboa no Pavilhão de Portugal
BAL - Biblioteca Académica de Lisboa no Pavilhão de PortugalBAL - Biblioteca Académica de Lisboa no Pavilhão de Portugal
BAL - Biblioteca Académica de Lisboa no Pavilhão de Portugal
 
Programa Em Dia Com A HistóRia
Programa Em Dia Com A HistóRiaPrograma Em Dia Com A HistóRia
Programa Em Dia Com A HistóRia
 
Praça da Batalha - Artur Filipe dos Santos - História do Porto
Praça da Batalha - Artur Filipe dos Santos - História do PortoPraça da Batalha - Artur Filipe dos Santos - História do Porto
Praça da Batalha - Artur Filipe dos Santos - História do Porto
 
A Sé do Porto - Artur Filipe dos Santos - História do Porto
A Sé do Porto - Artur Filipe dos Santos - História do PortoA Sé do Porto - Artur Filipe dos Santos - História do Porto
A Sé do Porto - Artur Filipe dos Santos - História do Porto
 
A Gaita de Fole - Artur Filipe dos Santos - Património Cultural
A Gaita de Fole - Artur Filipe dos Santos - Património CulturalA Gaita de Fole - Artur Filipe dos Santos - Património Cultural
A Gaita de Fole - Artur Filipe dos Santos - Património Cultural
 
História do porto palacete conde silva monteiro - artur filipe dos santos
História do porto   palacete conde silva monteiro - artur filipe dos santosHistória do porto   palacete conde silva monteiro - artur filipe dos santos
História do porto palacete conde silva monteiro - artur filipe dos santos
 
Artur Filipe dos Santos - Castelo de S. Jorge Lisboa - Património Cultural
Artur Filipe dos Santos - Castelo de S. Jorge Lisboa - Património CulturalArtur Filipe dos Santos - Castelo de S. Jorge Lisboa - Património Cultural
Artur Filipe dos Santos - Castelo de S. Jorge Lisboa - Património Cultural
 
Aula de História do porto S. João do Porto - Artur filipe dos santos - Univer...
Aula de História do porto S. João do Porto - Artur filipe dos santos - Univer...Aula de História do porto S. João do Porto - Artur filipe dos santos - Univer...
Aula de História do porto S. João do Porto - Artur filipe dos santos - Univer...
 

Semelhante a Entre Nós programa TV preservado REPOSITÓRIOAbERTO

RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS PARA LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS NAS LICENCIAT...
RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS PARA LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS NAS LICENCIAT...RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS PARA LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS NAS LICENCIAT...
RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS PARA LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS NAS LICENCIAT...Joyce Fettermann
 
(12) 11.00 Edleise Mendes (Louvre II, 25.04)
(12) 11.00 Edleise Mendes (Louvre II, 25.04)(12) 11.00 Edleise Mendes (Louvre II, 25.04)
(12) 11.00 Edleise Mendes (Louvre II, 25.04)CAEI
 
Abordagens publicas aos arquivos privados no contexto da arquivistica portuguesa
Abordagens publicas aos arquivos privados no contexto da arquivistica portuguesaAbordagens publicas aos arquivos privados no contexto da arquivistica portuguesa
Abordagens publicas aos arquivos privados no contexto da arquivistica portuguesaPedro Abreu Peixoto
 
madalena_arroja_Comissao_Nacional_IILP_Portugal.ppsx
madalena_arroja_Comissao_Nacional_IILP_Portugal.ppsxmadalena_arroja_Comissao_Nacional_IILP_Portugal.ppsx
madalena_arroja_Comissao_Nacional_IILP_Portugal.ppsxdiliniceemilia123
 
História do porto filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesa...
História do porto   filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesa...História do porto   filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesa...
História do porto filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesa...Artur Filipe dos Santos
 
História do porto filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesa
História do porto   filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesaHistória do porto   filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesa
História do porto filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesaArtur Filipe dos Santos
 
Universidade Lusófona do Porto - Perspetivas de Futuro
Universidade Lusófona do Porto - Perspetivas de FuturoUniversidade Lusófona do Porto - Perspetivas de Futuro
Universidade Lusófona do Porto - Perspetivas de FuturoRicardo Almeida
 
O PORTUGUÊS NO BRASIL COMO LÍNGUA TRANSNACIONAL
O PORTUGUÊS NO BRASIL COMO LÍNGUA TRANSNACIONALO PORTUGUÊS NO BRASIL COMO LÍNGUA TRANSNACIONAL
O PORTUGUÊS NO BRASIL COMO LÍNGUA TRANSNACIONALFabiana Amado
 
Burgos. apresentação.docx
Burgos. apresentação.docxBurgos. apresentação.docx
Burgos. apresentação.docxNuno Marçal
 
Quintas do Douro: História, Património e Desenvolvimento
Quintas do Douro: História, Património e DesenvolvimentoQuintas do Douro: História, Património e Desenvolvimento
Quintas do Douro: História, Património e DesenvolvimentoPedro Abreu Peixoto
 
Curriculum Vitae de Artur Filipe dos Santos
Curriculum Vitae de Artur Filipe dos SantosCurriculum Vitae de Artur Filipe dos Santos
Curriculum Vitae de Artur Filipe dos SantosArtur Filipe dos Santos
 

Semelhante a Entre Nós programa TV preservado REPOSITÓRIOAbERTO (20)

RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS PARA LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS NAS LICENCIAT...
RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS PARA LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS NAS LICENCIAT...RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS PARA LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS NAS LICENCIAT...
RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS PARA LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS NAS LICENCIAT...
 
(12) 11.00 Edleise Mendes (Louvre II, 25.04)
(12) 11.00 Edleise Mendes (Louvre II, 25.04)(12) 11.00 Edleise Mendes (Louvre II, 25.04)
(12) 11.00 Edleise Mendes (Louvre II, 25.04)
 
Flup n1 (1)
Flup n1 (1)Flup n1 (1)
Flup n1 (1)
 
Abordagens publicas aos arquivos privados no contexto da arquivistica portuguesa
Abordagens publicas aos arquivos privados no contexto da arquivistica portuguesaAbordagens publicas aos arquivos privados no contexto da arquivistica portuguesa
Abordagens publicas aos arquivos privados no contexto da arquivistica portuguesa
 
madalena_arroja_Comissao_Nacional_IILP_Portugal.ppsx
madalena_arroja_Comissao_Nacional_IILP_Portugal.ppsxmadalena_arroja_Comissao_Nacional_IILP_Portugal.ppsx
madalena_arroja_Comissao_Nacional_IILP_Portugal.ppsx
 
História do porto filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesa...
História do porto   filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesa...História do porto   filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesa...
História do porto filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesa...
 
História do porto filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesa...
História do porto   filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesa...História do porto   filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesa...
História do porto filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesa...
 
História do porto filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesa
História do porto   filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesaHistória do porto   filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesa
História do porto filmes antigos da cidade do porto - cinemateca portuguesa
 
Galanet ple
Galanet pleGalanet ple
Galanet ple
 
descritivo Fundação
descritivo Fundaçãodescritivo Fundação
descritivo Fundação
 
Universidade Lusófona do Porto - Perspetivas de Futuro
Universidade Lusófona do Porto - Perspetivas de FuturoUniversidade Lusófona do Porto - Perspetivas de Futuro
Universidade Lusófona do Porto - Perspetivas de Futuro
 
O PORTUGUÊS NO BRASIL COMO LÍNGUA TRANSNACIONAL
O PORTUGUÊS NO BRASIL COMO LÍNGUA TRANSNACIONALO PORTUGUÊS NO BRASIL COMO LÍNGUA TRANSNACIONAL
O PORTUGUÊS NO BRASIL COMO LÍNGUA TRANSNACIONAL
 
Burgos. apresentação.docx
Burgos. apresentação.docxBurgos. apresentação.docx
Burgos. apresentação.docx
 
Boletim 3
Boletim 3Boletim 3
Boletim 3
 
Quintas do Douro: História, Património e Desenvolvimento
Quintas do Douro: História, Património e DesenvolvimentoQuintas do Douro: História, Património e Desenvolvimento
Quintas do Douro: História, Património e Desenvolvimento
 
Confoa mesa aa e a cooperação luso brasileira
Confoa   mesa aa e a cooperação luso brasileiraConfoa   mesa aa e a cooperação luso brasileira
Confoa mesa aa e a cooperação luso brasileira
 
Seminário Internacional 2016 - Educação: Opções e Práticas
Seminário Internacional 2016 - Educação: Opções e PráticasSeminário Internacional 2016 - Educação: Opções e Práticas
Seminário Internacional 2016 - Educação: Opções e Práticas
 
JL- Entrevista - Sampaio da Nóvoa
JL- Entrevista - Sampaio da NóvoaJL- Entrevista - Sampaio da Nóvoa
JL- Entrevista - Sampaio da Nóvoa
 
Curriculum Vitae de Artur Filipe dos Santos
Curriculum Vitae de Artur Filipe dos SantosCurriculum Vitae de Artur Filipe dos Santos
Curriculum Vitae de Artur Filipe dos Santos
 
Culturaport
CulturaportCulturaport
Culturaport
 

Mais de Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta

Café com Ciência – divulgação das publicações técnico-científicas em acesso a...
Café com Ciência – divulgação das publicações técnico-científicas em acesso a...Café com Ciência – divulgação das publicações técnico-científicas em acesso a...
Café com Ciência – divulgação das publicações técnico-científicas em acesso a...Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 

Mais de Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta (20)

Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...
Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...
Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...
 
Pré-Workshop: Formação em Edição Eletrónica
Pré-Workshop: Formação em Edição EletrónicaPré-Workshop: Formação em Edição Eletrónica
Pré-Workshop: Formação em Edição Eletrónica
 
Análise relacional entre princípios FAIR de gestão de dados de pesquisa e nor...
Análise relacional entre princípios FAIR de gestão de dados de pesquisa e nor...Análise relacional entre princípios FAIR de gestão de dados de pesquisa e nor...
Análise relacional entre princípios FAIR de gestão de dados de pesquisa e nor...
 
10 anos RCAAP - ConfOA
10 anos RCAAP - ConfOA10 anos RCAAP - ConfOA
10 anos RCAAP - ConfOA
 
Programa de formação modular sobre Ciência Aberta
Programa de formação modular sobre Ciência AbertaPrograma de formação modular sobre Ciência Aberta
Programa de formação modular sobre Ciência Aberta
 
Análise da Produção Científica Brasileira em Periódicos de Acesso Aberto
Análise da Produção Científica Brasileira em Periódicos de Acesso AbertoAnálise da Produção Científica Brasileira em Periódicos de Acesso Aberto
Análise da Produção Científica Brasileira em Periódicos de Acesso Aberto
 
Acesso aberto como ferramenta para o empoderamento do paciente
Acesso aberto como ferramenta para o empoderamento do pacienteAcesso aberto como ferramenta para o empoderamento do paciente
Acesso aberto como ferramenta para o empoderamento do paciente
 
Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...
Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...
Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...
 
Ciência aberta e revisão por pares aberta: aspectos e desafios da participaçã...
Ciência aberta e revisão por pares aberta: aspectos e desafios da participaçã...Ciência aberta e revisão por pares aberta: aspectos e desafios da participaçã...
Ciência aberta e revisão por pares aberta: aspectos e desafios da participaçã...
 
Melhorando a citabilidade de programas de computador para pesquisa com o Cita...
Melhorando a citabilidade de programas de computador para pesquisa com o Cita...Melhorando a citabilidade de programas de computador para pesquisa com o Cita...
Melhorando a citabilidade de programas de computador para pesquisa com o Cita...
 
Técnicas de Search Engine Optimization (SEO) aplicadas no site da Biblioteca ...
Técnicas de Search Engine Optimization (SEO) aplicadas no site da Biblioteca ...Técnicas de Search Engine Optimization (SEO) aplicadas no site da Biblioteca ...
Técnicas de Search Engine Optimization (SEO) aplicadas no site da Biblioteca ...
 
Café com Ciência – divulgação das publicações técnico-científicas em acesso a...
Café com Ciência – divulgação das publicações técnico-científicas em acesso a...Café com Ciência – divulgação das publicações técnico-científicas em acesso a...
Café com Ciência – divulgação das publicações técnico-científicas em acesso a...
 
Serviço Nacional de Registo de Identificadores DOI
Serviço Nacional de Registo de Identificadores DOIServiço Nacional de Registo de Identificadores DOI
Serviço Nacional de Registo de Identificadores DOI
 
Recursos educacionais abertos na Universidade Aberta. A rede como estratégia ...
Recursos educacionais abertos na Universidade Aberta. A rede como estratégia ...Recursos educacionais abertos na Universidade Aberta. A rede como estratégia ...
Recursos educacionais abertos na Universidade Aberta. A rede como estratégia ...
 
Infraestrutura OpenAIRE: desenvolvimentos para o fortalecimento da Ciência Ab...
Infraestrutura OpenAIRE: desenvolvimentos para o fortalecimento da Ciência Ab...Infraestrutura OpenAIRE: desenvolvimentos para o fortalecimento da Ciência Ab...
Infraestrutura OpenAIRE: desenvolvimentos para o fortalecimento da Ciência Ab...
 
Preservação digital, gestão de dados de pesquisa e biodversidade
Preservação digital, gestão de dados de pesquisa e biodversidadePreservação digital, gestão de dados de pesquisa e biodversidade
Preservação digital, gestão de dados de pesquisa e biodversidade
 
Dados governamentais na perspectiva da Ciência Aberta: potencialidades e desa...
Dados governamentais na perspectiva da Ciência Aberta: potencialidades e desa...Dados governamentais na perspectiva da Ciência Aberta: potencialidades e desa...
Dados governamentais na perspectiva da Ciência Aberta: potencialidades e desa...
 
Do acesso à informação aos Dados Parlamentares Abertos em Portugal
Do acesso à informação aos Dados Parlamentares Abertos em PortugalDo acesso à informação aos Dados Parlamentares Abertos em Portugal
Do acesso à informação aos Dados Parlamentares Abertos em Portugal
 
Transparência e Dados Abertos do Recife: Uma Estratégia Bem Sucedida de Publi...
Transparência e Dados Abertos do Recife: Uma Estratégia Bem Sucedida de Publi...Transparência e Dados Abertos do Recife: Uma Estratégia Bem Sucedida de Publi...
Transparência e Dados Abertos do Recife: Uma Estratégia Bem Sucedida de Publi...
 
Revistas científicas brasileiras de acesso aberto: qualidade do ponto de vist...
Revistas científicas brasileiras de acesso aberto: qualidade do ponto de vist...Revistas científicas brasileiras de acesso aberto: qualidade do ponto de vist...
Revistas científicas brasileiras de acesso aberto: qualidade do ponto de vist...
 

Entre Nós programa TV preservado REPOSITÓRIOAbERTO

  • 1. Temáticas Abordadas - Entre Nós Temáticas “Entre Nós” no REPOSITÓRIOABeRTO REPOSITÓRIOAbERTO O Programa “Entre Nós” é um acervo documental constituído por 1383 programas de televisão resul- tante de um protocolo entre a Universidade Aberta e a RTP. Foi transmitido 2001 a 2007 de segunda a sexta feira e levou ao pequeno ecrã nomes das artes, das letras, do teatro e da ciência, para além de divulgar o patri- mónio histórico-cultural e natural de Portugal. Pelo modo como se destacou nas temáticas seleccio- nadas e na abordagem efectuada, este trabalho me- receu em 2003 e 2004, 2005 e 2006 o galardão máximo do “Movimento de Arte Contemporânea”. A análise dos dados da colecção confirma que esta se identifica com o perfil da “missão” da Universidade Aberta. Criado no âmbito do projecto RCAAP - Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal, o REPOSI- TÓRIOAbERTO é um dos repositórios alojados no Serviço de Alojamento de Repositórios Institucionais – SARI que o projecto disponibiliza. A sua grande especificidade reside nos documentos audiovisuais. Sendo o repositório institucional de uma universida- de, pretende constituir-se como um dos instrumen- tos com o qual esta pode contar para levar a cabo os seus objectivos. Neste contexto, reveste-se da máxima importância que fazendo uso dos instrumentos digitais existen- tes, se recuperem materiais de reconhecida qualida- de e actualidade e se disponibilizem em acesso aberto. Ao efectuar esta abordagem serão cumpridos dois objectivos: memória institucional da Universidade; Garantir a difusão e o acesso ao conhecimento criado na instituição. A especificidade da Universidade Aberta como uma universidade virtual, bem como a especificidade da missão que abraçou, leva a que não deva através dos instrumentos que produz, desconsiderar a natural existência e interesses de grupos de utilizadores, não necessariamente ligados ao mundo universitário ou da investigação e providenciar serviços específicos, passí- veis de melhor responder às suas necessidades. No Portugal de hoje o conceito de nação tem por base uma visão alargada, cujas fronteiras não são coinci- dentes com as fronteiras físicas do Estado e abran- gem as Comunidades Portuguesas espalhadas pelo mundo. Seguindo ritmos distintos no decorrer da história, os portugueses, colonos ou emigrantes, deram origem à formação de diversas comunidades de portugue- ses residentes no estrangeiro. Os utilizadores são preferencialmente aqueles que preenchem o espaço da lusofonia. Os falantes da língua, seja ela materna, oficial, ou estrangeira e as comunidades minoritárias que se reclamam do por- tuguês, da correspondente cultura, ou de uma ances- tralidade, conhecida ou simplesmente provável com Portugal. O conceito de lusofonia envolve uma vertente linguística em sentido estrito, a língua portuguesa, e uma vertente cultural mais vasta, ambas dispersas pelo mundo. A língua portuguesa é um instrumento que tem sido utilizado pela Universidade Aberta para afirmar a sua presença e a sua capacidade estratégica de interven- ção à escala internacional. A simples existência do espaço da língua portuguesa justifica, só por si, qualquer acção que dê conteúdo efectivo a uma comunidade dita lusófona. Citando Carlos Reis, actual Reitor da Universidade Aberta, os apregoados 230 milhões de falantes dos países que têm o português como idioma oficial, poucos serão se não cultivarmos procedimentos que dêem força coesiva a uma tão vasta como desigual comunidade. Com esta proposta pretende-se cativar não só os normais utilizadores de um repositório universitário, mas cultivar procedimentos que permitam fazer chegar o conhecimento produzido na nossa institui- ção aos cerca de 230 milhões de falantes que têm o português como idioma oficial, bem como aos muitos outros que por todo o mundo demonstram interesse na língua e na cultura que se faz em portu- guês. É a estes utilizadores da língua e da cultura portu- guesa, (muitos deles também alunos da Universidade Aberta) que pretendemos através do REPOSITÓRIO- AbERTO, fazer chegar o “Entre Nós”. Digitalização dos programas (actualmente em formato ”fita”) para formato(s) de preservação. nos formatos FLV e MPEG 4 de modo corres- ponder às necessidades e especificidades requeridas pelas diversas plataformas e sites de alojamento. - sitório. Para garantir a recuperação da informação e a unida- de da colecção, propõe-se: dc.subject introdução do descri- tor: “Entre Nós”. No campo dc.description, introdução da identificação do programa relacionando-o com a colecção a que pertence: "Entre Nós". Uma produção vídeo da Universidade Aberta para a RTP”. DC.CONTRIBUTOR.EDITOR DC.CONTRIBUTOR.OTHER DC.CONTRIBUTOR.OTHER DC.DATE.ACCESSIONED DC.DATE.AVAILABLE DC.DATE.ISSUED DC.IDENTIFIER.URI DC.DESCRIPTION DC.FORMAT.EXTENT DC.FORMAT.MIMETYPE DC.L.ANGUAGE.lSO DC.RIGHTS DC.SUBJECT DC.SUBJECT DC.SUBJECT DC.SUBJECT DC.TITLE DC.TYPE APARECE NAS COLECÇÕES: Campo DC O REPOSITÓRIOAbERTO: recuperar, preservar e difundir o“acervo esquecido” C M Y CM MY CY CMY K