Poemas Diletantes
Sinopse: Poemas Diletantes é uma coletânea de poemas curtos e diretos. Poemas com
diversificadas metas e...
Dores arrebatadoras
Cortadas rápidas
Olhares duros
Jamais beijos
Raros abraços
Rosto rebelde
Sorrisos cínicos
Saudades nov...
Amindo, o amando e odiando
O amor indo e vindo.
Amindo.

Ato 5
Quem eu sou
Qual o meu nome
Qual o meu jeito
Quais são meus...
Cresceu contra vontade
Sentiu o peso
Não mais amava ou apreciava
Era duro

Apenas pensava em ir
Viver algo solitário
Apena...
Ato 8
Olhos azuis
Azuis escuros
Como uma manta
Macabro e sensual

Olhar para aqueles olhos
Era como ter sua intimidade exp...
Por dentro e por fora
Azuis e castanhos
Trocaria a beleza genuína pelo simples comum.

Ato 9
Eu queria
Estar lá
Daqui a tr...
Dedos habilidosos
Que já conheciam a textura
E uma leve hesitação

Cheiro de poema no ar
Era como a matemática
Logo tinha ...
E choro sofrendo
Quando acaba

E assim seguirei
Toda vez que eu tiver uma ideia
Até que não me seja mais permitido
Escreve...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Poemas Diletantes

408 visualizações

Publicada em

Poemas Diletante é uma coletânea de poemas curtos e diretos. Poemas com diversificadas metas e personalidades.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
408
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Poemas Diletantes

  1. 1. Poemas Diletantes Sinopse: Poemas Diletantes é uma coletânea de poemas curtos e diretos. Poemas com diversificadas metas e personalidades. Classificação: Poesia. Faixa Etária: Livre. Nota da Autora: Poemas Diletantes é uma coletânea de poemas curtos e diretos. Poemas com diversificadas metas e personalidades. Você apreciará diferentes poemas. Você se encontrará com os olhos amendoados, com a saudade arrebatadora, com o amor indo, e com a mudança. Espero que consiga sentir tudo o que eu senti quando eu escrevi cada estrofe. Dedico essas poesias a cada amante de versos existentes. Obrigada por me inspirarem. Ato 1 Olhos claros E também escuros Dizem tudo Falam nada Castanhos amendoados Completo Por cílios longos Sombras escuras Brilhantes Como a luz de um flash Duros e pesados Como uma muralha Olhos não mentem Olhos dizem Encontram tudo Escondem nada. Ato 2 Jeito doce Personalidade amável Rosto suave E sorriso tímido Abraços carinhosos Palavras profundas Olhar envergonhado
  2. 2. Dores arrebatadoras Cortadas rápidas Olhares duros Jamais beijos Raros abraços Rosto rebelde Sorrisos cínicos Saudades novas De jeitos antigos. Ato 3 Se eu te disse “Sinto sua falta” Existe um sentimento maior Algo que meu coração Não consegue sentir Que meus olhos Não conseguem mostrar Algo que minha boca Não consegue formar em palavras Uma coisa que eu não admito Nem para mim mesma Um amor quase utópico Lágrimas de saudade Um sentimento Que só pode ser sentido Por mim Uma saudade Um amor Que você nunca entenderá. Ato 4 Eu amindo Tu amindes Ele aminde Nós amindamos Vós amindeis Eles amindam Amindo, o neologismo Do amor Amindo, o vir e ir
  3. 3. Amindo, o amando e odiando O amor indo e vindo. Amindo. Ato 5 Quem eu sou Qual o meu nome Qual o meu jeito Quais são meus gostos Diga-me Que imagem eu passo Como as pessoas me veem Como eu sou lembrada Todo dia eu me descubro Descubro meus passos e compassos Meus jeitos e meus respeitos Descubro o meu nada. Ato 6 As pessoas diziam O mundo é cruel Ele não entendia Seu mundo era doce e jovial
  4. 4. Cresceu contra vontade Sentiu o peso Não mais amava ou apreciava Era duro Apenas pensava em ir Viver algo solitário Apenas ele E seus devaneios. Ato 7 Frágeis Como papel molhado Novos Como uma lua após sua transparência Sofrem com os pesos Seus corpos danificados Ainda recém-utilizados Marcando a parte perfeita Tão novos e tão frágeis Sofrendo com a dureza mundial Salve os Marcadores e Post-its Contra seu destino ardente.
  5. 5. Ato 8 Olhos azuis Azuis escuros Como uma manta Macabro e sensual Olhar para aqueles olhos Era como ter sua intimidade exposta Olhos profundos e afiados Gélidos e apaixonantes Com uma pitada de tudo Inteligência e ironia Sensualidade e suavizes Malícia e pensamentos impuros Mas eu prefiro outro Outro de olhos castanhos Castanhos de uma infância de achocolatados Simples e joviais Sempre inteligentes Engraçados e sérios Sarcásticos e infantis Apaixonantes pela simplicidade Olhos que me inundavam como cascata
  6. 6. Por dentro e por fora Azuis e castanhos Trocaria a beleza genuína pelo simples comum. Ato 9 Eu queria Estar lá Daqui a três anos Em São Paulo No meu apartamento Fumando meu cigarro Bebendo minha vodca E lendo antiguidades Aproveitando meu tempo Sendo eu Mostrando quem sou E compartilhando minha realidade. Ato 10 Papel Antigo Um pouco amassado Achado no fundo da gaveta Cheirando a mofo Lápis bem apontado
  7. 7. Dedos habilidosos Que já conheciam a textura E uma leve hesitação Cheiro de poema no ar Era como a matemática Logo tinha um resultado Um belo poema, de um velho escritor. Ato 11 Eu namoro Toda vez que imagino Eu namoro Toda vez que eu tenho uma ideia Eu enamoro Toda vez que crio um ser Eu enamoro Toda vez que crio uma história Eu me apaixono Por casa personagem meu Eu me apaixono Por cada história que conto Eu me encanto No começo
  8. 8. E choro sofrendo Quando acaba E assim seguirei Toda vez que eu tiver uma ideia Até que não me seja mais permitido Escrever e escrever. Ato 12 Estou sempre escrevendo Sempre pensando Sempre imaginando Sempre produzindo Quando não tenho nada para fazer Eu escrevo Quando eu tenho tudo a fazer Eu escrevo Escrevo o tempo todo Porque escrever é a minha arte Escrever é a minha necessidade Escrever é a minha essência.

×