SlideShare uma empresa Scribd logo
RELEVO CONTINENTALColégio Salesiano Itajaí
Professora: Conceição Fontolan
1 A
Brenno Borba Sedrez, 8
Guilherme Calile, 16
Felipe Dalmolin, 14
O que é um relevo?
O relevo corresponde ao
conjunto de formação
apresentadas pela litosfera.
Essas formas são definidas pela
estrutura geológica combinada
com as ações da dinâmica
interna e externa da Terra.
Como os relevos são formados?
Os relevos sofrem processos de
erosão que podem ser internos
(endógenos), e externos (exógenos).
Os fatores internos são responsáveis
pela elevação ou rebaixamento da
superfície da crosta terrestre, os fatores
externos, por sua vez, causam
modificações nessa superfície. Internos:
tectonismo, vulcanismo e abalos
sísmicos; Externos: intemperismo, águas
correntes, vento, mar, gelo, seres vivos,
entre outros.
TIPOS DE RELEVO
CONTINENTAL
PLANALTOS
Os planaltos, também chamados de platôs, são
áreas de altitudes variadas e limitadas, em um de
seus lados, por superfície rebaixada. Os planaltos
são originários das erosões provocadas por água
ou vento. Os cumes dos planaltos são ligeiramente
nivelados.
Exemplo: Planalto Central no Brasil, localizado
em território dos estados de Goiás, Minas Gerais,
Tocantins, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.
PLANÍCIES
É uma área geográfica caracterizada
por superfície relativamente plana
(pouca ou nenhuma variação de
altitude). São encontradas, na maioria
das vezes, em regiões de baixas
altitudes. As planícies são formadas por
rochas sedimentares. Nestas áreas,
ocorre o acúmulo de sedimentos.
Exemplos: Planície Litorânea, Planície
Amazônica e Planície do Pantanal.
DIFERENÇA ENTRE PLANALTOS E PLANÍCIES
Ambos são aplainados. O que marca
a diferença é a altitude e o grau do
trabalho erosivo.
Os planaltos têm altitude superior a
200 metros. E, os processos erosivos
(chuva, rio, vento, etc.) são muito
intensos. Havendo erosão, o material
retirado se depositará, por transporte,
nas camadas mais baixas do relevo, em
planícies ou depressões.
As planícies têm altitude inferior a 200
metros. Os processos de deposição de
sedimentos dos lugares mais altos são
mais intensos que o de erosão.
DEPRESSÃO
As depressões são regiões
geográficas mais baixas do que as áreas
em sua volta. Quando esta região situa-
se numa altitude abaixo do nível do
mar, ela é chamada de depressão
absoluta. Quando são apenas mais
baixas do que as áreas ao redor, são
chamadas de depressões relativas. As
crateras de vulcões desativados são
consideradas depressões. É comum a
formação de lagos nas depressões.
Exemplo: Depressão Sul Amazônica
DEPRESSÃO ABSOLUTA
São aquelas que, além de apresentarem terrenos mais
baixos que as áreas vizinhas, possuem altitude abaixo do nível
do mar. Um fato interessante é que não existem depressões
absolutas no Brasil.
O Mar Morto por
exemplo, é uma
depressão absoluta.
MONTANHAS
As montanhas são formações geográficas originadas
do choque (encontro) entre placas tectônicas. Quando
ocorre este choque na crosta terrestre, o solo das
regiões que sofrem o impacto acaba se elevando na
superfície, formando assim as montanhas. Estas são
conhecidas como montanhas de dobramentos. Grande
parte deste tipo de montanhas formou-se na era
geológica do Terciário. Existem também, embora
menos comum, as montanhas formadas por vulcões.
As altitudes das montanhas são superiores as das
regiões vizinhas. Quando ocorre um conjunto de
montanhas, chamamos de cordilheira.
Exemplos: Aconcágua (Argentina), Pico da Neblina
(Brasil), Logan (Canadá), Kilimanjaro (Tanzânia), Monte
Everest (Nepal, China), Monte K2 (Paquistão, China),
Monte Blanco (França, Itália).
RELEVO NO BRASIL
Além dos tipos de relevos
citados anteriormente, o Brasil
apresenta alguns relevos
diferenciados como serras,
chapadas e patamares
SERRA
As serras constituem
relevos acidentados,
geralmente em forma de
cristas (partes altas,
seguidas por saliências) e
topos aguçados ou em
bordas elevadas de
planaltos. A Serra do Mar
e a Serra da Mantiqueira
são bons exemplos.
CHAPADA
As chapadas estão
situadas em altitudes
medianas a elevadas.
São exemplos no Brasil
a Chapada Diamantina,
as chapadas dos
Guimarães e dos
Parecis.
PATAMAR
Por fim, os patamares são formas
planas ou onduladas que constituem
superfícies intermediárias ou
degraus entre áreas de relevo mais
elevado e áreas mais baixas. São
encontrados na Região Nordeste
entre as depressões sertanejas e a
Serra da Borborema e na bacia
sedimentar do Paraná, formando
degraus entre níveis diferenciados
de planaltos.
RELEVO EUROPEU
No continente europeu prevalecem as
planícies. Elas estão presentes em quase todo
leste e centro europeu. A que ocupa maior área
no continente é a Planície Russa, que se estende
por quase todo leste europeu. Na área central
está localizada a Planície Germano-Polonesa.
Há também, entre as planícies e as cadeias
montanhosas, os planaltos. Podemos destacar o
Maciço Central Francês e o Planalto Central Russo.
Na Europa Ocidental, o relevo montanhoso
(formações de dobramentos modernos) é mais
presente. Neste sentido, podemos citar as
principais cadeias montanhosas: Cadeias das Ilhas
Britânicas e Montes Escandinavos (ao norte);
Alpes, Pirineus, Balcãs e Cárpatos (ao sul); Montes
Urais (nordeste), Cordilheira Penibética (sul da
Espanha) e Cadeia do Cáucaso (sudeste).
MONTES URAIS(Divide a Europa da Ásia)
RELEVO DA ÁSIA
Dois grandes conjuntos de cordilheiras
podem ser destacados: o primeiro
compreende as montanhas do Cáucaso, os
montes Zagros, o Hindu Kush, o Kolima e o
Himalaia. A outra linha de cordilheira é
formada pelos montes Urais e pelas
montanhas de Nova Zembla.
Ao sul, existem planaltos e planícies
importantes, como os planaltos da Arábia, do
Irã e do Deccan; e as planícies da
Mesopotâmia e os vales do Indo e do Mekong.
A região central é ocupada pelos planaltos
do Tibete e da Mongólia, as estepes do
Casaquistão e do Quirguistão, o deserto de
Gobi e as planícies do norte da China.
Ao norte, a região é composta pela planície
siberiana e pelo planalto de Kolima.
RELEVO DA ÁFRICA
No continente africano
prevalece a existência de
planaltos de altitudes baixas e
médias. Nas regiões litorâneas,
encontramos as planícies
costeiras. As principais cadeias
montanhosas que se destacam
no continente africano são:
Cadeia do Atlas (na região
noroeste) e Cadeia do Cabo (na
região sul).
RELEVO DA OCEANIA
O relevo da Oceania é
predominantemente plano, com
altitude média de 210 metros. Ao
oeste das montanhas está a Bacia
Central , uma planície de estepes e
savana. Ainda mais ao oeste se
encontram o Grande Deserto
Gibson e o Grande deserto Vitória ,
onde se erguem os montes
Musgrave e MacDonnell. No
sudoeste fica a planície de
Nullarbor.
CURIOSIDADES
Top 10 montanhas mais altas do mundo:
Monte Everest - 8.850 metros (Nepal e Tibete)
K2 - 8.611 metros (Paquistão)
Kanchenjunga - 8.586 metros (Nepal)
Lhotse - 8.545 metros (Nepal)
Makalu - 8.463 metros (Nepal)
Cho Oyu - 8.201 metros (Nepal)
Dhaulagiri - 8.167 metros (Nepal)
Manaslu - 8.156 metros (Nepal)
Annapurna - 8.091 metros
Hidden Peak - 8.068 metros (Paquistão)
Situado na região central do continente asiático, o planalto mais
extenso do mundo é o Tibetano, que possui 1,85 milhão de km².
CURIOSIDADES
REPORTAGENS
• http://www20.opovo.com.br/app/opovo/opiniao/2017/01/02/notici
asjornalopiniao,3677392/o-himalaia-cresce-a-cada-ano.shtml
• http://noticias.r7.com/cidades/noticias/chuva-matou-mais-no-rio-de-
janeiro-por-causa-do-relevo-dizem-especialistas-20100409.html
• https://www.terra.com.br/noticias/climatempo/relevo-de-mariana-
mudou-com-o-
dasastre,ef26ce0efbd5941dd80923469461dd3fhjodh760.html
VÍDEO
https://m.youtube.com/watch?v=XUipo0kP_K8
10 min 20 seg
QUESTÕES DE VESTIBULAR
1. (UDESC) O relevo corresponde às formas do terreno que foram moldadas pelos agentes internos e
externos sobre a crosta terrestre. Cada forma de relevo corresponde a um estado da atuação desses agentes. Analise as proposições referentes ao
relevo.
I. Planalto é um compartimento do relevo com superfície irregular e altitude superior a 300 metros, onde predominam processos erosivos.
II. Planície é uma parte do relevo com superfície plana e altitude igual ou inferior a 100 metros, onde predominam os acúmulos recentes de
sedimentos.
III. Depressão é uma fração do relevo mais plano que o planalto, onde predominam processos erosivos, com suave inclinação e altitude entre 100 e
500 metros.
IV. No Brasil predominam planaltos e depressões.
V. Talude é a parte do relevo submarino, onde há o encontro da crosta continental com a crosta oceânica, formando desníveis de profundidade
variável que chegam a atingir 3 mil metros.
Assinale a alternativa correta.
a. ( ) Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras.
b. ( ) Somente as afirmativas I, II e V são verdadeiras.
c. ( ) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras.
d. ( ) Somente a afirmativa V é verdadeira.
e. ( ) Todas as afirmativas são verdadeiras.
2. (UEPB)
No cartograma, as áreas escuras representam importantes cadeias montanhosas do mundo. Identifique-as,
enumerando a seqüência de parênteses abaixo, de 1 a 5, conforme a correspondência correta:
( ) Cadeia do Himalaia, onde se encontra o pico Everest, “o topo do mundo”, com seus 8.848m.
( ) Alpes, dobramentos modernos que dominam em todo o território suíço.
( ) Montanhas Rochosas, cadeia montanhosa que é uma importante reserva de recursos minerais chegando até o
Alaska.
( ) Cadeia do Atlas, que provoca maior incidência de chuvas na região do Magreb, tornando estas terras úmidas e
férteis.
( ) Cordilheira dos Andes, formação geológica recente que se estende da Venezuela ao sul do Chile, numa extensão
de 7.500km, com altitudes que ultrapassam os 7.000m.
Assinale a sequência correta:
a) 5 3 4 2 1
b) 4 5 2 3 1
c) 4 3 5 2 1
d) 3 5 4 1 2
e) 4 2 5 1 3
3. (UFAL) No mapa a seguir, a seta está indicando um
importante compartimento regional de relevo do Brasil. Nesse
compartimento, dominam:
a) amplos dobramentos.
b) serras cristalinas.
c) chapadas.
d) escarpas de falhas cristalinas.
e) maciços residuais.
4. (UEPB) A figura e seus conhecimentos sobre o tema levam à reflexão de que:
I - Em áreas de grande expansão urbana, os problemas erosivos tornam-se uma ameaça à população que vive em
habitações urbanas informais, ou seja, improvisadas e inacabadas.
II - Em muitas cidades brasileiras sua expansão avança para terrenos topograficamente mais inclinados e
geologicamente instáveis. É o caso de obras efetuadas nas vertentes dos morros, ou seja, em áreas extremamente
suscetíveis à erosão pluvial.
III - Na ocupação urbana nas áreas de risco, as consequências são desastrosas principalmente para a população de
baixa renda. O material que escorrega com o deslize de terras provoca o assoreamento dos rios, córregos e bueiros,
contribuindo para as enchentes urbanas, catástrofes irreparáveis presentes em muitas cidades brasileiras, como o
caso de Angra dos Reis e recentemente nos estados de Pernambuco e Alagoas.
Está(ão) correta(s):
a) Apenas a proposição I
b) Apenas as proposições I e II
c) Apenas as proposições II e III
d) Apenas as proposições I e III
e) Todas as proposições
5. (UECE) Aos processos de desagregação física ou
decomposição química das rochas e ao desgaste e remoção dos
solos e das formações superficiais da terra, dá-se as
denominações respectivas de
a) intemperismo e erosão.
b) erosão e regolito.
c) pedogênese e intemperismo.
d) tectonismo e erosão.
GABARITO
1. E
2. B
3. C
4. E
5. A
Fontes
• http://super.abril.com.br/saude/como-se-escala-o-everest/
• http://geoconceicao.blogspot.com.br/2011/10/relevo-continental-e-submarino.html
• http://aparenciadoespaco.blogspot.com.br/2013/04/america
• http://aulasonlinedehistoria.blogspot.com.br/2015/09/agentes-externos-formadores-do-relevo.html
• http://meioambiente.culturamix.com/natureza/agentes-formadores-do-relevo
• http://m.suapesquisa.com/pesquisa/formas_de_relevo.htm
• http://m.alunosonline.uol.com.br/geografia/planaltos.html
• https://sites.google.com/a/agvv.edu.pt/geo-dinamica/conteudos-temas/8o-ano/relevo-1/formas-relevo/planaltos
• https://m.youtube.com/watch?v=VkfhrH87m5
• https://sites.google.com/a/agvv.edu.pt/geo-dinamica/conteudos-temas/8o-ano/relevo-1/formas-relevo/planicies
• http://www.geografia.seed.pr.gov.br/modules/galeria/detalhe.php?foto=1518&evento=7
• http://blogdonelio.com.br/bela-de-longe-montanha-por-que-tao-dura-escalada/
• https://sites.google.com/a/agvv.edu.pt/geo-dinamica/conteudos-temas/8o-ano/relevo-1/formas-relevo/montanhas
• http://geografalando.blogspot.com.br/2013/04/relevo-classificacao-do-relevo_28.html
• http://www.ebc.com.br/infantil/voce-sabia/2015/04/quais-os-principais-tipos-de-relevo-no-brasil
• https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Serra_do_Mar
• https://www.feriasbrasil.com.br/mt/chapadadosguimaraes/
• http://geoconceicao.blogspot.com.br/2011/12/formacao-do-relevo-brasileiro-decorre.html
• http://m.suapesquisa.com/pesquisa/montanhas_mais_altas.htm
• https://br.depositphotos.com/3180126/stock-photo-yaks-grazing-in-tibetan-highlands.html
• http://www.ludicaluz.com/portfolio-item/tibetanplateau/
• http://m.suapesquisa.com/geografia/geografia_fisica_europa.htm
• https://pt.slideshare.net/mobile/raquel_geo/relevo-europeu
• http://noitesinistra.blogspot.com.br/2014/06/nano-espirais-descobertos-nos-montes.html#.WX_Qc1Rv-hA
• https://educacao.uol.com.br/disciplinas/geografia/asia-1-relevo-clima-hidrografia-e-populacao.htm
• http://unidadesderelevo.blogspot.com.br/2010/11/relevo-da-asia.html
• http://m.suapesquisa.com/geografia/geografia_fisica_africa.htm
• http://vesemedadezsergio.blogspot.com.br/2009/06/relevo_09.html
• http://oceania10.blogspot.com.br/2009/06/o-relevo-da-oceania-e-predominantemente.html
• https://www.emaze.com/@AWIICCWW/Oceania
• http://geoconceicao.blogspot.com.br/2011/12/exercicios-de-vestibulares-de-geografia.html
• https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Depressão_(geografia)
• https://www.emaze.com/@AZCZOFFL/Untitled
• https://brainly.com.br/tarefa/654282
• http://geografia-ensinareaprender.blogspot.com.br/2012/05/as-formas-de-relevo.html

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
João José Ferreira Tojal
 
A Regionalização da América
A Regionalização da AméricaA Regionalização da América
A Regionalização da América
Cadernizando
 
Geografia continente africano
Geografia   continente africanoGeografia   continente africano
Geografia continente africano
André Luiz Marques
 
África
ÁfricaÁfrica
Formação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevoFormação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevo
Prof. Francesco Torres
 
Regionalização da américa
Regionalização da américaRegionalização da américa
Regionalização da américa
Gustavo Silva de Souza
 
A regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasilA regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasil
Professor
 
Brasil territorio e fronteiras 7º ano
Brasil territorio e fronteiras   7º anoBrasil territorio e fronteiras   7º ano
Brasil territorio e fronteiras 7º ano
Professor
 
Os continentes
Os continentesOs continentes
Os continentes
Gustavo Silva de Souza
 
Populaçao mundial
Populaçao mundialPopulaçao mundial
Populaçao mundial
Prof.Paulo/geografia
 
Caps. 7 e 8 - ÁFrica: aspectos naturais, econômicos e sociais
Caps. 7 e 8 - ÁFrica: aspectos naturais, econômicos e sociaisCaps. 7 e 8 - ÁFrica: aspectos naturais, econômicos e sociais
Caps. 7 e 8 - ÁFrica: aspectos naturais, econômicos e sociais
profacacio
 
Localização geográfica do brasil
Localização geográfica do brasilLocalização geográfica do brasil
Localização geográfica do brasil
guiodrumond
 
Região Nordeste
Região NordesteRegião Nordeste
Região Nordeste
Prof. Francesco Torres
 
Geografia continente europeu
Geografia   continente europeuGeografia   continente europeu
Geografia continente europeu
André Luiz Marques
 
América anglo saxônica
América anglo saxônicaAmérica anglo saxônica
América anglo saxônica
Professor
 
O Território Brasileiro
O Território BrasileiroO Território Brasileiro
O Território Brasileiro
André Luiz Marques
 
Geografia da América do Sul
Geografia da América do SulGeografia da América do Sul
Geografia da América do Sul
Patrícia Éderson Dias
 
Aula 3 - fluxos migratórios
Aula 3 -  fluxos migratóriosAula 3 -  fluxos migratórios
Aula 3 - fluxos migratórios
Isabela Espíndola
 
áGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e maresáGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e mares
Fatima Freitas
 
Projeçoes cartograficas
Projeçoes cartograficasProjeçoes cartograficas
Projeçoes cartograficas
Prof.Paulo/geografia
 

Mais procurados (20)

Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
A Regionalização da América
A Regionalização da AméricaA Regionalização da América
A Regionalização da América
 
Geografia continente africano
Geografia   continente africanoGeografia   continente africano
Geografia continente africano
 
África
ÁfricaÁfrica
África
 
Formação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevoFormação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevo
 
Regionalização da américa
Regionalização da américaRegionalização da américa
Regionalização da américa
 
A regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasilA regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasil
 
Brasil territorio e fronteiras 7º ano
Brasil territorio e fronteiras   7º anoBrasil territorio e fronteiras   7º ano
Brasil territorio e fronteiras 7º ano
 
Os continentes
Os continentesOs continentes
Os continentes
 
Populaçao mundial
Populaçao mundialPopulaçao mundial
Populaçao mundial
 
Caps. 7 e 8 - ÁFrica: aspectos naturais, econômicos e sociais
Caps. 7 e 8 - ÁFrica: aspectos naturais, econômicos e sociaisCaps. 7 e 8 - ÁFrica: aspectos naturais, econômicos e sociais
Caps. 7 e 8 - ÁFrica: aspectos naturais, econômicos e sociais
 
Localização geográfica do brasil
Localização geográfica do brasilLocalização geográfica do brasil
Localização geográfica do brasil
 
Região Nordeste
Região NordesteRegião Nordeste
Região Nordeste
 
Geografia continente europeu
Geografia   continente europeuGeografia   continente europeu
Geografia continente europeu
 
América anglo saxônica
América anglo saxônicaAmérica anglo saxônica
América anglo saxônica
 
O Território Brasileiro
O Território BrasileiroO Território Brasileiro
O Território Brasileiro
 
Geografia da América do Sul
Geografia da América do SulGeografia da América do Sul
Geografia da América do Sul
 
Aula 3 - fluxos migratórios
Aula 3 -  fluxos migratóriosAula 3 -  fluxos migratórios
Aula 3 - fluxos migratórios
 
áGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e maresáGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e mares
 
Projeçoes cartograficas
Projeçoes cartograficasProjeçoes cartograficas
Projeçoes cartograficas
 

Destaque

DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
Conceição Fontolan
 
Formas de relevo
Formas de relevoFormas de relevo
Formas de relevo
91355
 
Tipos de Clima
Tipos de ClimaTipos de Clima
Tipos de Clima
Dora Amarante
 
Fatores climaticos-e-tipos-de-clima
Fatores climaticos-e-tipos-de-climaFatores climaticos-e-tipos-de-clima
Fatores climaticos-e-tipos-de-clima
julio2012souto
 
Tipos De Clima
Tipos De ClimaTipos De Clima
Tipos De Clima
João Morais
 
Dinâmica do litoral
Dinâmica do litoralDinâmica do litoral
Dinâmica do litoral
Mayjö .
 
Climas
ClimasClimas
Climas
sandrafaela
 
Relevo
RelevoRelevo
Relevo
lidia76
 

Destaque (8)

DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
 
Formas de relevo
Formas de relevoFormas de relevo
Formas de relevo
 
Tipos de Clima
Tipos de ClimaTipos de Clima
Tipos de Clima
 
Fatores climaticos-e-tipos-de-clima
Fatores climaticos-e-tipos-de-climaFatores climaticos-e-tipos-de-clima
Fatores climaticos-e-tipos-de-clima
 
Tipos De Clima
Tipos De ClimaTipos De Clima
Tipos De Clima
 
Dinâmica do litoral
Dinâmica do litoralDinâmica do litoral
Dinâmica do litoral
 
Climas
ClimasClimas
Climas
 
Relevo
RelevoRelevo
Relevo
 

Semelhante a RELEVO CONTINENTAL

Fisiologia do fundo Marinho
Fisiologia do fundo MarinhoFisiologia do fundo Marinho
Fisiologia do fundo Marinho
NiltonNhantumbo
 
Modulo 04 O planeta Terra - Relevo
Modulo 04   O planeta Terra - RelevoModulo 04   O planeta Terra - Relevo
Modulo 04 O planeta Terra - Relevo
Claudio Henrique Ramos Sales
 
RELEVO OCEÂNICO
RELEVO OCEÂNICORELEVO OCEÂNICO
RELEVO OCEÂNICO
Conceição Fontolan
 
Aterra,Umplanetaaproteger (2003)
Aterra,Umplanetaaproteger (2003)Aterra,Umplanetaaproteger (2003)
Aterra,Umplanetaaproteger (2003)
Ana Reis
 
Relevo mundial
Relevo mundialRelevo mundial
Relevo mundial
Paula Tomaz
 
83118531 t-apoio-relevo-serras
83118531 t-apoio-relevo-serras83118531 t-apoio-relevo-serras
83118531 t-apoio-relevo-serras
lauraneves
 
Pdf geografia
Pdf geografiaPdf geografia
Pdf geografia
EMSNEWS
 
Apostila Geografia
Apostila GeografiaApostila Geografia
Apostila Geografia
Maurício Vieira
 
O Meio Natural - O Relevo (Geografia 7º ano)
O Meio Natural - O Relevo (Geografia 7º ano)O Meio Natural - O Relevo (Geografia 7º ano)
O Meio Natural - O Relevo (Geografia 7º ano)
Carlos F. M. Costa
 
Formação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevoFormação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevo
Prof. Francesco Torres
 
Estrutura física da terra
Estrutura física da terraEstrutura física da terra
Estrutura física da terra
jrcruzoficial
 
Relevo2
Relevo2Relevo2
O relevo e erosão (a)
O relevo e erosão (a)O relevo e erosão (a)
O relevo e erosão (a)
Pocarolas
 
Cap9,10,11
Cap9,10,11Cap9,10,11
Cap9,10,11
Christie Freitas
 
Aterra,Umplanetaaproteger1
Aterra,Umplanetaaproteger1Aterra,Umplanetaaproteger1
Aterra,Umplanetaaproteger1
Ana Reis
 
RELEVO - Aula de geografia do 2 ano remoto
RELEVO - Aula de geografia do 2 ano  remotoRELEVO - Aula de geografia do 2 ano  remoto
RELEVO - Aula de geografia do 2 ano remoto
sw4kfysgx7
 
Relevo continental e submarino
Relevo continental e submarinoRelevo continental e submarino
Relevo continental e submarino
profleofonseca
 
Relevo Brasileiro 2
Relevo Brasileiro 2Relevo Brasileiro 2
Relevo Brasileiro 2
Paulo Sindeaux
 
Genese cap 09 revoluções do globo terrestre
Genese cap 09 revoluções do globo terrestreGenese cap 09 revoluções do globo terrestre
Genese cap 09 revoluções do globo terrestre
Fernando A. O. Pinto
 
Geomorfologia
GeomorfologiaGeomorfologia
Geomorfologia
Colégio Aprov
 

Semelhante a RELEVO CONTINENTAL (20)

Fisiologia do fundo Marinho
Fisiologia do fundo MarinhoFisiologia do fundo Marinho
Fisiologia do fundo Marinho
 
Modulo 04 O planeta Terra - Relevo
Modulo 04   O planeta Terra - RelevoModulo 04   O planeta Terra - Relevo
Modulo 04 O planeta Terra - Relevo
 
RELEVO OCEÂNICO
RELEVO OCEÂNICORELEVO OCEÂNICO
RELEVO OCEÂNICO
 
Aterra,Umplanetaaproteger (2003)
Aterra,Umplanetaaproteger (2003)Aterra,Umplanetaaproteger (2003)
Aterra,Umplanetaaproteger (2003)
 
Relevo mundial
Relevo mundialRelevo mundial
Relevo mundial
 
83118531 t-apoio-relevo-serras
83118531 t-apoio-relevo-serras83118531 t-apoio-relevo-serras
83118531 t-apoio-relevo-serras
 
Pdf geografia
Pdf geografiaPdf geografia
Pdf geografia
 
Apostila Geografia
Apostila GeografiaApostila Geografia
Apostila Geografia
 
O Meio Natural - O Relevo (Geografia 7º ano)
O Meio Natural - O Relevo (Geografia 7º ano)O Meio Natural - O Relevo (Geografia 7º ano)
O Meio Natural - O Relevo (Geografia 7º ano)
 
Formação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevoFormação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevo
 
Estrutura física da terra
Estrutura física da terraEstrutura física da terra
Estrutura física da terra
 
Relevo2
Relevo2Relevo2
Relevo2
 
O relevo e erosão (a)
O relevo e erosão (a)O relevo e erosão (a)
O relevo e erosão (a)
 
Cap9,10,11
Cap9,10,11Cap9,10,11
Cap9,10,11
 
Aterra,Umplanetaaproteger1
Aterra,Umplanetaaproteger1Aterra,Umplanetaaproteger1
Aterra,Umplanetaaproteger1
 
RELEVO - Aula de geografia do 2 ano remoto
RELEVO - Aula de geografia do 2 ano  remotoRELEVO - Aula de geografia do 2 ano  remoto
RELEVO - Aula de geografia do 2 ano remoto
 
Relevo continental e submarino
Relevo continental e submarinoRelevo continental e submarino
Relevo continental e submarino
 
Relevo Brasileiro 2
Relevo Brasileiro 2Relevo Brasileiro 2
Relevo Brasileiro 2
 
Genese cap 09 revoluções do globo terrestre
Genese cap 09 revoluções do globo terrestreGenese cap 09 revoluções do globo terrestre
Genese cap 09 revoluções do globo terrestre
 
Geomorfologia
GeomorfologiaGeomorfologia
Geomorfologia
 

Mais de Conceição Fontolan

ÁFRICA
ÁFRICAÁFRICA
ÁSIA ORIENTAL
ÁSIA ORIENTALÁSIA ORIENTAL
ÁSIA ORIENTAL
Conceição Fontolan
 
AMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINAAMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINA
Conceição Fontolan
 
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTEÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
Conceição Fontolan
 
PAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTESPAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTES
Conceição Fontolan
 
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEAFLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
Conceição Fontolan
 
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHASVEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
Conceição Fontolan
 
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANASFLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
Conceição Fontolan
 
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
Conceição Fontolan
 
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAISSAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
Conceição Fontolan
 
FLORESTAS TROPICAIS
FLORESTAS TROPICAISFLORESTAS TROPICAIS
FLORESTAS TROPICAIS
Conceição Fontolan
 
RELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTALRELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTAL
Conceição Fontolan
 
INDICADORES SOCIAIS
INDICADORES SOCIAISINDICADORES SOCIAIS
INDICADORES SOCIAIS
Conceição Fontolan
 
SUDESTE ASIÁTICO
SUDESTE ASIÁTICOSUDESTE ASIÁTICO
SUDESTE ASIÁTICO
Conceição Fontolan
 
CONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANOCONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANO
Conceição Fontolan
 
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTEÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
Conceição Fontolan
 
CONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANOCONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANO
Conceição Fontolan
 
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHASVEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
Conceição Fontolan
 
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
Conceição Fontolan
 
CANADÁ
CANADÁCANADÁ

Mais de Conceição Fontolan (20)

ÁFRICA
ÁFRICAÁFRICA
ÁFRICA
 
ÁSIA ORIENTAL
ÁSIA ORIENTALÁSIA ORIENTAL
ÁSIA ORIENTAL
 
AMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINAAMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINA
 
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTEÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
 
PAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTESPAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTES
 
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEAFLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
 
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHASVEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
 
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANASFLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
 
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
 
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAISSAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
 
FLORESTAS TROPICAIS
FLORESTAS TROPICAISFLORESTAS TROPICAIS
FLORESTAS TROPICAIS
 
RELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTALRELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTAL
 
INDICADORES SOCIAIS
INDICADORES SOCIAISINDICADORES SOCIAIS
INDICADORES SOCIAIS
 
SUDESTE ASIÁTICO
SUDESTE ASIÁTICOSUDESTE ASIÁTICO
SUDESTE ASIÁTICO
 
CONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANOCONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANO
 
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTEÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
 
CONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANOCONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANO
 
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHASVEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
 
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
 
CANADÁ
CANADÁCANADÁ
CANADÁ
 

Último

Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
PatriciaZanoli
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 

Último (20)

Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 

RELEVO CONTINENTAL

  • 1. RELEVO CONTINENTALColégio Salesiano Itajaí Professora: Conceição Fontolan 1 A Brenno Borba Sedrez, 8 Guilherme Calile, 16 Felipe Dalmolin, 14
  • 2. O que é um relevo? O relevo corresponde ao conjunto de formação apresentadas pela litosfera. Essas formas são definidas pela estrutura geológica combinada com as ações da dinâmica interna e externa da Terra.
  • 3. Como os relevos são formados? Os relevos sofrem processos de erosão que podem ser internos (endógenos), e externos (exógenos). Os fatores internos são responsáveis pela elevação ou rebaixamento da superfície da crosta terrestre, os fatores externos, por sua vez, causam modificações nessa superfície. Internos: tectonismo, vulcanismo e abalos sísmicos; Externos: intemperismo, águas correntes, vento, mar, gelo, seres vivos, entre outros.
  • 5. PLANALTOS Os planaltos, também chamados de platôs, são áreas de altitudes variadas e limitadas, em um de seus lados, por superfície rebaixada. Os planaltos são originários das erosões provocadas por água ou vento. Os cumes dos planaltos são ligeiramente nivelados. Exemplo: Planalto Central no Brasil, localizado em território dos estados de Goiás, Minas Gerais, Tocantins, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.
  • 6.
  • 7. PLANÍCIES É uma área geográfica caracterizada por superfície relativamente plana (pouca ou nenhuma variação de altitude). São encontradas, na maioria das vezes, em regiões de baixas altitudes. As planícies são formadas por rochas sedimentares. Nestas áreas, ocorre o acúmulo de sedimentos. Exemplos: Planície Litorânea, Planície Amazônica e Planície do Pantanal.
  • 8. DIFERENÇA ENTRE PLANALTOS E PLANÍCIES Ambos são aplainados. O que marca a diferença é a altitude e o grau do trabalho erosivo. Os planaltos têm altitude superior a 200 metros. E, os processos erosivos (chuva, rio, vento, etc.) são muito intensos. Havendo erosão, o material retirado se depositará, por transporte, nas camadas mais baixas do relevo, em planícies ou depressões. As planícies têm altitude inferior a 200 metros. Os processos de deposição de sedimentos dos lugares mais altos são mais intensos que o de erosão.
  • 9.
  • 10. DEPRESSÃO As depressões são regiões geográficas mais baixas do que as áreas em sua volta. Quando esta região situa- se numa altitude abaixo do nível do mar, ela é chamada de depressão absoluta. Quando são apenas mais baixas do que as áreas ao redor, são chamadas de depressões relativas. As crateras de vulcões desativados são consideradas depressões. É comum a formação de lagos nas depressões. Exemplo: Depressão Sul Amazônica
  • 11. DEPRESSÃO ABSOLUTA São aquelas que, além de apresentarem terrenos mais baixos que as áreas vizinhas, possuem altitude abaixo do nível do mar. Um fato interessante é que não existem depressões absolutas no Brasil. O Mar Morto por exemplo, é uma depressão absoluta.
  • 12. MONTANHAS As montanhas são formações geográficas originadas do choque (encontro) entre placas tectônicas. Quando ocorre este choque na crosta terrestre, o solo das regiões que sofrem o impacto acaba se elevando na superfície, formando assim as montanhas. Estas são conhecidas como montanhas de dobramentos. Grande parte deste tipo de montanhas formou-se na era geológica do Terciário. Existem também, embora menos comum, as montanhas formadas por vulcões. As altitudes das montanhas são superiores as das regiões vizinhas. Quando ocorre um conjunto de montanhas, chamamos de cordilheira. Exemplos: Aconcágua (Argentina), Pico da Neblina (Brasil), Logan (Canadá), Kilimanjaro (Tanzânia), Monte Everest (Nepal, China), Monte K2 (Paquistão, China), Monte Blanco (França, Itália).
  • 13.
  • 14. RELEVO NO BRASIL Além dos tipos de relevos citados anteriormente, o Brasil apresenta alguns relevos diferenciados como serras, chapadas e patamares
  • 15. SERRA As serras constituem relevos acidentados, geralmente em forma de cristas (partes altas, seguidas por saliências) e topos aguçados ou em bordas elevadas de planaltos. A Serra do Mar e a Serra da Mantiqueira são bons exemplos.
  • 16. CHAPADA As chapadas estão situadas em altitudes medianas a elevadas. São exemplos no Brasil a Chapada Diamantina, as chapadas dos Guimarães e dos Parecis.
  • 17. PATAMAR Por fim, os patamares são formas planas ou onduladas que constituem superfícies intermediárias ou degraus entre áreas de relevo mais elevado e áreas mais baixas. São encontrados na Região Nordeste entre as depressões sertanejas e a Serra da Borborema e na bacia sedimentar do Paraná, formando degraus entre níveis diferenciados de planaltos.
  • 18. RELEVO EUROPEU No continente europeu prevalecem as planícies. Elas estão presentes em quase todo leste e centro europeu. A que ocupa maior área no continente é a Planície Russa, que se estende por quase todo leste europeu. Na área central está localizada a Planície Germano-Polonesa. Há também, entre as planícies e as cadeias montanhosas, os planaltos. Podemos destacar o Maciço Central Francês e o Planalto Central Russo. Na Europa Ocidental, o relevo montanhoso (formações de dobramentos modernos) é mais presente. Neste sentido, podemos citar as principais cadeias montanhosas: Cadeias das Ilhas Britânicas e Montes Escandinavos (ao norte); Alpes, Pirineus, Balcãs e Cárpatos (ao sul); Montes Urais (nordeste), Cordilheira Penibética (sul da Espanha) e Cadeia do Cáucaso (sudeste).
  • 19. MONTES URAIS(Divide a Europa da Ásia)
  • 20. RELEVO DA ÁSIA Dois grandes conjuntos de cordilheiras podem ser destacados: o primeiro compreende as montanhas do Cáucaso, os montes Zagros, o Hindu Kush, o Kolima e o Himalaia. A outra linha de cordilheira é formada pelos montes Urais e pelas montanhas de Nova Zembla. Ao sul, existem planaltos e planícies importantes, como os planaltos da Arábia, do Irã e do Deccan; e as planícies da Mesopotâmia e os vales do Indo e do Mekong. A região central é ocupada pelos planaltos do Tibete e da Mongólia, as estepes do Casaquistão e do Quirguistão, o deserto de Gobi e as planícies do norte da China. Ao norte, a região é composta pela planície siberiana e pelo planalto de Kolima.
  • 21. RELEVO DA ÁFRICA No continente africano prevalece a existência de planaltos de altitudes baixas e médias. Nas regiões litorâneas, encontramos as planícies costeiras. As principais cadeias montanhosas que se destacam no continente africano são: Cadeia do Atlas (na região noroeste) e Cadeia do Cabo (na região sul).
  • 22. RELEVO DA OCEANIA O relevo da Oceania é predominantemente plano, com altitude média de 210 metros. Ao oeste das montanhas está a Bacia Central , uma planície de estepes e savana. Ainda mais ao oeste se encontram o Grande Deserto Gibson e o Grande deserto Vitória , onde se erguem os montes Musgrave e MacDonnell. No sudoeste fica a planície de Nullarbor.
  • 23. CURIOSIDADES Top 10 montanhas mais altas do mundo: Monte Everest - 8.850 metros (Nepal e Tibete) K2 - 8.611 metros (Paquistão) Kanchenjunga - 8.586 metros (Nepal) Lhotse - 8.545 metros (Nepal) Makalu - 8.463 metros (Nepal) Cho Oyu - 8.201 metros (Nepal) Dhaulagiri - 8.167 metros (Nepal) Manaslu - 8.156 metros (Nepal) Annapurna - 8.091 metros Hidden Peak - 8.068 metros (Paquistão)
  • 24. Situado na região central do continente asiático, o planalto mais extenso do mundo é o Tibetano, que possui 1,85 milhão de km². CURIOSIDADES
  • 28. 1. (UDESC) O relevo corresponde às formas do terreno que foram moldadas pelos agentes internos e externos sobre a crosta terrestre. Cada forma de relevo corresponde a um estado da atuação desses agentes. Analise as proposições referentes ao relevo. I. Planalto é um compartimento do relevo com superfície irregular e altitude superior a 300 metros, onde predominam processos erosivos. II. Planície é uma parte do relevo com superfície plana e altitude igual ou inferior a 100 metros, onde predominam os acúmulos recentes de sedimentos. III. Depressão é uma fração do relevo mais plano que o planalto, onde predominam processos erosivos, com suave inclinação e altitude entre 100 e 500 metros. IV. No Brasil predominam planaltos e depressões. V. Talude é a parte do relevo submarino, onde há o encontro da crosta continental com a crosta oceânica, formando desníveis de profundidade variável que chegam a atingir 3 mil metros. Assinale a alternativa correta. a. ( ) Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras. b. ( ) Somente as afirmativas I, II e V são verdadeiras. c. ( ) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras. d. ( ) Somente a afirmativa V é verdadeira. e. ( ) Todas as afirmativas são verdadeiras.
  • 29. 2. (UEPB) No cartograma, as áreas escuras representam importantes cadeias montanhosas do mundo. Identifique-as, enumerando a seqüência de parênteses abaixo, de 1 a 5, conforme a correspondência correta: ( ) Cadeia do Himalaia, onde se encontra o pico Everest, “o topo do mundo”, com seus 8.848m. ( ) Alpes, dobramentos modernos que dominam em todo o território suíço. ( ) Montanhas Rochosas, cadeia montanhosa que é uma importante reserva de recursos minerais chegando até o Alaska. ( ) Cadeia do Atlas, que provoca maior incidência de chuvas na região do Magreb, tornando estas terras úmidas e férteis. ( ) Cordilheira dos Andes, formação geológica recente que se estende da Venezuela ao sul do Chile, numa extensão de 7.500km, com altitudes que ultrapassam os 7.000m. Assinale a sequência correta: a) 5 3 4 2 1 b) 4 5 2 3 1 c) 4 3 5 2 1 d) 3 5 4 1 2 e) 4 2 5 1 3
  • 30. 3. (UFAL) No mapa a seguir, a seta está indicando um importante compartimento regional de relevo do Brasil. Nesse compartimento, dominam: a) amplos dobramentos. b) serras cristalinas. c) chapadas. d) escarpas de falhas cristalinas. e) maciços residuais.
  • 31. 4. (UEPB) A figura e seus conhecimentos sobre o tema levam à reflexão de que: I - Em áreas de grande expansão urbana, os problemas erosivos tornam-se uma ameaça à população que vive em habitações urbanas informais, ou seja, improvisadas e inacabadas. II - Em muitas cidades brasileiras sua expansão avança para terrenos topograficamente mais inclinados e geologicamente instáveis. É o caso de obras efetuadas nas vertentes dos morros, ou seja, em áreas extremamente suscetíveis à erosão pluvial. III - Na ocupação urbana nas áreas de risco, as consequências são desastrosas principalmente para a população de baixa renda. O material que escorrega com o deslize de terras provoca o assoreamento dos rios, córregos e bueiros, contribuindo para as enchentes urbanas, catástrofes irreparáveis presentes em muitas cidades brasileiras, como o caso de Angra dos Reis e recentemente nos estados de Pernambuco e Alagoas. Está(ão) correta(s): a) Apenas a proposição I b) Apenas as proposições I e II c) Apenas as proposições II e III d) Apenas as proposições I e III e) Todas as proposições
  • 32. 5. (UECE) Aos processos de desagregação física ou decomposição química das rochas e ao desgaste e remoção dos solos e das formações superficiais da terra, dá-se as denominações respectivas de a) intemperismo e erosão. b) erosão e regolito. c) pedogênese e intemperismo. d) tectonismo e erosão.
  • 33. GABARITO 1. E 2. B 3. C 4. E 5. A
  • 34. Fontes • http://super.abril.com.br/saude/como-se-escala-o-everest/ • http://geoconceicao.blogspot.com.br/2011/10/relevo-continental-e-submarino.html • http://aparenciadoespaco.blogspot.com.br/2013/04/america • http://aulasonlinedehistoria.blogspot.com.br/2015/09/agentes-externos-formadores-do-relevo.html • http://meioambiente.culturamix.com/natureza/agentes-formadores-do-relevo • http://m.suapesquisa.com/pesquisa/formas_de_relevo.htm • http://m.alunosonline.uol.com.br/geografia/planaltos.html • https://sites.google.com/a/agvv.edu.pt/geo-dinamica/conteudos-temas/8o-ano/relevo-1/formas-relevo/planaltos • https://m.youtube.com/watch?v=VkfhrH87m5 • https://sites.google.com/a/agvv.edu.pt/geo-dinamica/conteudos-temas/8o-ano/relevo-1/formas-relevo/planicies • http://www.geografia.seed.pr.gov.br/modules/galeria/detalhe.php?foto=1518&evento=7 • http://blogdonelio.com.br/bela-de-longe-montanha-por-que-tao-dura-escalada/ • https://sites.google.com/a/agvv.edu.pt/geo-dinamica/conteudos-temas/8o-ano/relevo-1/formas-relevo/montanhas • http://geografalando.blogspot.com.br/2013/04/relevo-classificacao-do-relevo_28.html • http://www.ebc.com.br/infantil/voce-sabia/2015/04/quais-os-principais-tipos-de-relevo-no-brasil • https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Serra_do_Mar
  • 35. • https://www.feriasbrasil.com.br/mt/chapadadosguimaraes/ • http://geoconceicao.blogspot.com.br/2011/12/formacao-do-relevo-brasileiro-decorre.html • http://m.suapesquisa.com/pesquisa/montanhas_mais_altas.htm • https://br.depositphotos.com/3180126/stock-photo-yaks-grazing-in-tibetan-highlands.html • http://www.ludicaluz.com/portfolio-item/tibetanplateau/ • http://m.suapesquisa.com/geografia/geografia_fisica_europa.htm • https://pt.slideshare.net/mobile/raquel_geo/relevo-europeu • http://noitesinistra.blogspot.com.br/2014/06/nano-espirais-descobertos-nos-montes.html#.WX_Qc1Rv-hA • https://educacao.uol.com.br/disciplinas/geografia/asia-1-relevo-clima-hidrografia-e-populacao.htm • http://unidadesderelevo.blogspot.com.br/2010/11/relevo-da-asia.html • http://m.suapesquisa.com/geografia/geografia_fisica_africa.htm • http://vesemedadezsergio.blogspot.com.br/2009/06/relevo_09.html • http://oceania10.blogspot.com.br/2009/06/o-relevo-da-oceania-e-predominantemente.html • https://www.emaze.com/@AWIICCWW/Oceania • http://geoconceicao.blogspot.com.br/2011/12/exercicios-de-vestibulares-de-geografia.html • https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Depressão_(geografia) • https://www.emaze.com/@AZCZOFFL/Untitled • https://brainly.com.br/tarefa/654282 • http://geografia-ensinareaprender.blogspot.com.br/2012/05/as-formas-de-relevo.html