Gestao de Projectos Doc1

714 visualizações

Publicada em

Documento de Gestão de Projectos, parte 1 de 2.
Mais informações:

www.cltservices.net
+351.936.000.079

Publicada em: Negócios
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
714
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gestao de Projectos Doc1

  1. 1. JOÃO PAULO PINTO ©, JANEIRO DE 2015 LEI DE PARKINSON “Work expands to fill the time available” DOCUMENTO1DE2
  2. 2. 2 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT ESCL ARECIMENTO INICIAL  Gerir projectos não é o mesmo que gerir operações;  O âmbito é diferente;  As metodologias e as ferramentas são diferentes;  Este curso (20 horas) é dirigido a todos os que pretendem adquirir conhecimentos sólidos no domínio da elaboração e gestão de projectos;  Entenda-se o planeamento, a programação e o controlo como funções centrais da gestão.
  3. 3. 3 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT UM PROJECTO É . . . “um empreendimento limitado no tempo, para produzir um resultado específico (ex. bem, serviço ou efeito), constituído por um conjunto de actividades interrelacionadas, de carácter não repetitivo, com duração, uso e consumo de recursos.” Objectivos:  Concretização (ie, concretização de uma ideia);  Prazo (ie, num prazo pretendido);  Custo (ie, com um custo optimizado). aka “ÂMBITO DO PROJECTO”  https://www.youtube.com/watch?v=ztmaTF_Qs9A
  4. 4. 4 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT OBJECTIVOS DA GESTÃO DE PROJECTOS  Satisfazer prazos, custos e Qualidade;  Prevenir a duplicação de esforços;  Optimizar a utilização de recursos;  Prevenir a sobreposição de tarefas;  Garantir o controlo dos trabalhos (projecto). OBSTÁCULOS TÍPICOS  Conflitos de prioridades;  Alterações nos objectivos e/ou requisitos;  Recursos Insuficientes ou falhas no planeamento.
  5. 5. 5 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT COMPLEXIDADE DOS PROJECTOS Sistemas informais Planeamento formal Planeamento apoiado por sistemas informáticos SIMPLES COMPLEXOS Linhas de orientação da Gestão de Projectos para ver mais tarde: https://www.youtube.com/watch?v=1_op0pqwI3Q
  6. 6. 7 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT O ÂMBITO DO PROJECTO  Os três objectivos do Projecto são interactivos, dado que a variação de qualquer um deles induz a variação de pelo menos um dos outros;  Só há êxito na gestão de um Projecto se forem atingidos os seus três objectivos;  O objectivo de concretização (objectivo prioritário) é conseguido, a menos de um fracasso do Projecto;  Os objectivos de custo e de prazo podem não ser satisfeitos, em particular o de prazo, que é o que mais facilmente escapa ao controlo;  Assim, o objectivo do prazo (segundo mais importante) deve ser objecto de seguimento apertado.
  7. 7. Comente o cartoon que se segue… O que terá acontecido? Falha a definição do projecto? Na sua gestão? Na comunicação? Alguma vez lhes terá acontecido isto?
  8. 8. 9 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT DIMENSÕES DO PROJECTO DOCUMENTAÇÃO DE SUPORTE Qualidade Especificações Custo Orçamento Tempo Programa DEFINIÇÃO DO DESEMPENHO
  9. 9. 10 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT DIMENSÕES DE UM PROJECTO  HUMANA - a execução do Projecto prevê a intervenção pessoas com interesses diversos (ex. Representantes do Cliente, o Gestor do Projecto, os membros da Equipa do Projecto, alguns provenientes de diferentes departamentos, especialistas, Empreiteiros e subcontratados e pessoal administrativo);  TÉCNICA - para a execução do Projecto concorrem conhecimentos, processos e tecnologias diversas;  GESTÃO - tendo como referência o Gestor do Projecto, a gestão, nos diversos níveis da estrutura, assegura a utilização eficiente e eficaz dos recursos envolvidos e contribui, decisivamente, para o alcance dos objectivos do Projecto.
  10. 10. 11 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT FUNÇÕES CRÍTICAS DA GESTÃO DE PROJECTOS PLANEAMENTO:  Definição de objectivos;  Identificação das actividades a realizar e definição da sua sequência;  Selecção de recursos e sua atribuição às actividades;  Definição e organização da Equipa do Projecto;  Estabelecimento do plano de controlo;  Identificação antecipada de riscos potenciais e preparação de medidas preventivas e de alternativas;  A revisão e a actualização permanente dos programas.
  11. 11. 12 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT PROGRAMAÇÃO:  Da duração de cada actividade;  Do programa (ie, o schedule) das actividades;  Do programa de utilização dos recursos; CONTROLO:  A avaliação do cumprimento dos programas, de realização das actividades e da utilização dos recursos;  A verificação do cumprimento das especificações;
  12. 12. 13 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT O CICLO DE VIDA DE UM PROJECTO
  13. 13. 14 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT 1. Entusiasmo 2. Desilusão 3. Panico 4. Procura do culpado 5. Punir o inocente 6. Promoção dos não participantes
  14. 14. 15 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT OS STAKEHOLDERS DE UM PROJECTO  O Gestor do Projecto – o responsável último pela gestão do Projecto:  A gestão das relações do Projecto com as restantes partes interessadas;  A gestão de expectativas e interesses associados ao Projecto;  O Cliente;  A Equipa do Projecto: os membros da equipa que têm responsabilidades directas na gestão e na execução das actividades do Projecto;  A Organização Promotora: a empresa ou organização que acolhe estrutura organizacional do Projecto;  A(s) Entidade(s) Financiadora(s) do Projecto;
  15. 15. 16 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT  Os Opinion Makers: indivíduos ou grupos com peso na formação de opinião de qualquer das partes interessadas, ou dos membros destas;  Fornecedores do Projecto, principais e subcontratados;  Investidores, actuais e potenciais;  Os Órgãos de Comunicação Social;  Órgãos de governo e instituições oficiais, a nível local, regional, nacional e europeu;  Organizações não-governamentais;  Grupos de cidadãos e outros grupos de pressão;  A Sociedade em geral.
  16. 16. Project title Date Stakeholders Stakeholder's characteristics Stakeholder's expected Value How value is measured? What metrics? João Paulo Pinto, 2015 © OTHER S T A K E H O L D E R ' S M A T R I X CUSTOMER PROJECT MANAGER PROJECT TEAM SUPPLYERS ORGANIZATION or ENTERPRISE SOCIETY
  17. 17. 18 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT REQUISITOS PARA O SUCESSO DE UM PROJECTO  Definição clara dos objectivos do Projecto; Os objectivos devem ser coerentes com os objectivos globais da organização, como condição para terem o seu apoio incondicional, a todos os níveis;  Existência de um responsável único pela gestão, o Gestor do Projecto, com autonomia e autoridade bem definidas;  Existência de uma equipa afecta ao Projecto, que congregue o número de elementos necessários, dotados das capacidades adequadas para a realização das diversas actividades;  Conhecimento e utilização sistemática das técnicas de planeamento, de programação e de controlo.
  18. 18. 20 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT VALIDE OS OBJECTIVOS DO SEU PROJECTO
  19. 19. 21 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT PROCEDIMENTO GERAL A SEGUIR  Determinar os objectivos e as condições;  Especificar o gestor e a equipa de projecto;  Planear as actividades;  Executar as actividades do projecto;  Monitorizar e controlar;  Encerrar o projecto;  Registar as “lessons learn”. Ex. revisão geral, alteração de layout, grandes reparações.Considerar a competência, influência e o envolvimento. Registe o conhecimento! Não repita sempre os mesmos erros!
  20. 20. 22 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT FUNÇÕES E PERFIL DO GESTOR DE PROJECTO  Gestão do âmbito do Projecto:  A definição dos três objectivos (C, P e C) e, se necessário, a sua alteração em função das circunstâncias decorrentes da execução do Projecto;  A identificação das actividades e a sua atribuição aos membros da equipa;  A direcção e coordenação de todos os recursos afectos ao Projecto;  Gestão dos recursos humanos:  Atribuição clara de tarefas;  Definição inequívoca das dependências, hierárquicas e funcionais;  Manutenção do espírito de equipa;  Moderação de conflitos;  Motivação permanente.
  21. 21. 23 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT  Gestão da Comunicação, com as partes interessadas no Projecto:  Com o “cliente”:  Na definição e revisão dos objectivos do Projecto;  Com informação do andamento do Projecto;  Com as entidades intervenientes externas à equipa, fornecedores, empreiteiros e subempreiteiros;  Com a Gestão de topo da Organização, para uma informação permanente e plena assunção de responsabilidades;
  22. 22. 24 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT  Com a equipa:  No exercício da autoridade e responsabilidade de que se encontra investido;  Nas funções de líder, dinamizador e motivador, com o objectivo de manter a identificação de todos com os objectivos do Projecto, a sintonia e a harmonia dentro da equipa;  Gestão das actividades, pelo acompanhamento e intervenção directa nas fases de planeamento, programação e controlo do Projecto;  Gestão da qualidade, de forma a garantir:  Cumprimento das especificações;  Cumprimento dos prazos;  Gestão eficiente dos recursos.
  23. 23. 25 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT 10 CARACTERÍSTICAS DE UM BOM GESTOR DE PROJECTOS Fomenta as boas relações entre todos; Inspira os membros da sua equipa; Antecipa as necessidades; Mantém-se focalizado; Antecipa os problemas; Minimiza as reuniões; Delega firmemente; Segue os planos; Focaliza-se nas soluções; Não se queixa…  https://www.youtube.com/watch?v=5Hi3t2bMN7A
  24. 24. 26 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT ESTABLECER AS REGRAS DA EQUIPA  Determinar as orientações das reuniões de trabalho Frequência, agenda, tópicos, etc.  Especificar o envolvimento de cada membro  Definir as regras e o comportamento da equipa Permitir divergências, dar feedback, ouvir  Manter uma lista de questões (problemas a resolver) Monitorizar para tomar decisões atempadamente  Manter um espírito de melhoria contínua Capturar ideias para futuras revisões
  25. 25. 27 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT O DESENVOLVIMENTO DE UM PROJECTO da ideia inicial à conclusão… PART TWO
  26. 26. De acordo com o PMI, estas são as principais etapas de um projecto. Processos iniciais Processos planeamento Processos d’Execução Monitorização e controlo Processos encerramento GESTÃO INTEGRADA DE PROJECTOS
  27. 27. Adaptado de PMBOK 5th Edition – a desenvolver com detalhe nos slides que se seguem…
  28. 28.  https://www.youtube.com/watch?v=7c8xP1gRIWs
  29. 29. 31 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT DEVELOP PROJECT CHARTER Inputs: Statement of work, Business case; Agreements, Environmental factors; Organizational process assets. Tools & Techniques: Expert judgment & Facilitation techniques. Outputs: Project charter.  DEVELOP PROJECT MGT PLAN Inputs: Project charter, outputs from other processes, Environmental factors; Organizational process assets. Tools & Techniques: Expert judgment & Facilitation techniques. Outputs: Project Management Plan.  DIRECT & MANAGE PROJECT WORK Inputs: Project charter, outputs from other processes, Environmental factors; Organizational process assets. Tools & Techniques: Expert judgment & Facilitation techniques. Outputs: Project Management Plan.  PROJECT INTEGRATION MANAGEMENT OVERVIEW MONITOR & CONTROL PRJ WORK Inputs: PM Plan, Schedule forecasts, Validated changes; Wrk performanc Inf Environ. facts; Organiz process assets. Tools & Techniques: Expert judgment; Analytical techniques. PM inform systm. Meetings. Outputs: Change requests; Wrk performance reports; PM plan updates and documents update.  PERFORM INTEGRATED CHNG CTRL Inputs: PM Plan, Wrk performanc Reports; Change requests; Environ. facts; Organiz process assets. Tools & Techniques: Expert judgment; Meetings; Change Control Tools. Outputs: Approved change requests; Change log; PM plan updates and project documents update.  CLOSE PROJECT OR PHASE Inputs: PM Plan, Accepted deliverables; Organizational process assets. Tools & Techniques: Expert judgment; Analytical techniques. Meetings. Outputs: Final product/service or result transition. Organizational process assests update. 
  30. 30. 32 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT DEFINIR O PROJECT CHARTER …  A partir deste ponto vamos ter como referência um dos principais projectos na vida de cada um…  Vamos planear o “nosso casamento”. Trata-se de algo tão importante na nossa vida porque:  __________  __________  __________  Este exemplo servirá de referência para a explicação do procedimento de “Gestão Integrada de Projectos”;  Comece com o fim em mente…  Vamos então começar pelo project charter… 1
  31. 31. Para ver mais tarde: https://www.youtube.com/watch?v=qkuUBcmmBpk
  32. 32. Pretende-se que desenhe um template em MS-Word ou MS-Excel para o Project Charter (PC); A figura ao lado dá algumas sugestões dos “campos” que podem constituir o nosso PC; Comece antes por pôr as ideias “no papel” recorrendo a um mindmap do projecto “Casamento” TPC – desenhar o template para o PC da empresa ou do seu departamento. O objectivo é numa só folha A4 resumir toda a visão que se tem do projecto… Ver coggle.it
  33. 33. 35 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT DESENVOLVER O PLANO DA GESTÃO DE PROJECTOS       DEVELOP PM PLAN  DEVELOP PRJT CHARTER  Direct & manage project work  Possíveis outputs desta fase: • Plano de comunicações; • Plano de gestão de RH; • Plano de gestão de procurement; • Plano de melhorias de processos; • Plano de gestão da qualidade; • Plano de gestão de recursos; • Plano de gestão de riscos • Plano de custos • Plano de actualizações, entre outros… Factores externos Outputs de outros processos 2
  34. 34. 36 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT GESTÃO DO TEMPO  https://www.youtube.com/watch?v=Do8iykQKMfU
  35. 35. 37 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT SEQUENCIAR AS ACTIVIDADES
  36. 36. 38 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT ACTIVIDADE A ACTIVIDADE B Finish to Start (FS) ACTIVIDADE A ACTIVIDADE B Start to Start (SS) ACTIVIDADE A ACTIVIDADE B Finish to Finish (FF) ACTIVIDADE A ACTIVIDADE B Start to Finish (SF)
  37. 37. 39 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT VOLTANDO AO GRANDE PROJECTO… Trabalho em grupo:  Após a realização do Project Charter do Casamento, e baseado neste vamos passar ao Planeamento do Projecto…  Principais outputs esperados: 1. Plano de comunicações; 2. Plano de gestão de RH; 3. Plano de gestão da qualidade; 4. Plano de gestão de recursos; 5. Plano de gestão de riscos 6. Plano de custos 7. Plano de actualizações, entre outros…
  38. 38. REMINDERS DE ÚLTIMA HORA…  Não esquecer aquela “tia” em cadeira de rodas (as instalações sanitárias podem receber pessoas com deficiência?, e as mesas do salão?);  E aquele primo da França (Charlie Hebdo) que casou com uma Sra de etnia cigana quantos filhos têm?, E quantos vêm?  E as dietas? Quantos são e que tipo de dietas?  Playground para os miúdos? Quantas crianças? Que dimensões? Quem fornece? É necessário algum(a) babysitter e palhaços?  Souvenir para os convidados? Quem trata? E onde? Valores € limite?  Púlpito para o vereador do PDR da freguesia de Curral de Moinas falar?  Os primos do Canadá vêm? E quem os acompanha? Quando decidem? Quem os vai buscar ao aeroporto e ficam em casa de quem?  Que mais estaremos a esquecer?
  39. 39. E AINDA NOS FALTA:  Estimar Recursos materiais e humanos (directos e indirectos) necessários para cada actividade;  Roles and goals de cada elemento da equipa de projecto – pretende-se desenhar um template geral;  Estimar Custos – definir como o fazer, apresentar proposta em MS- Excel;  De todas as actividades planeadas, quais as críticas em termos de tempo, custo, dificuldade técnica e logística?  Estimar Riscos: • Análise what-if ; • Aplicar a metodologia FMEA ao nosso grande projecto!
  40. 40. Product, service or process Description Date Issued by: Op Description Failure mode Effect Cause Occurence Severity Detection NPR Contra-medidas a implementar Occurence Severity Detection NPR 1 0 0 2 0 0 3 0 0 4 0 0 5 0 0 6 0 0 7 0 0 8 0 0 9 0 0 10 0 0 11 0 0 12 0 0 13 0 0 14 0 0 15 0 0 16 0 0 Use a scale from 1 to 10 Use a scale from 1 to 10 João Paulo Pinto © 2015 FAILURE MODE AND EFFECT ANALYSIS Your Company Name here Project identificationTeam members Copies to:
  41. 41. 43 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT DESENVOLVER O PROGRAMA (project schedule) Inputs:  Lista de actividades;  Atributos das actividades;  Rede ou diagrama do projecto;  Recursos e requisitos das actividades;  Estimativa da duração das actividades;  Atribuição de recursos às actividades.
  42. 42. 44 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT GERIR OS TRABALHOS DO PROJECTO Direct & manage Project work  Develop Project Mgt Plan  Monitor & Control  Factores externos Outputs de outros processos Performe integrated change control  • Controlo de custos • Controlo de actividades • Controlo de scope • Controlo de Qualidade… alteração de pedidos aprovação da alteração de pedidos actualização do plano do projecto 3
  43. 43. 45 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT DESENVOLVEROSCHEDULE Este exemplo apresenta o modelo de apresentação convencional de projectos. Projecto iniciado no dia 01.
  44. 44. 46 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT DESENVOLVEROSCHEDULE ACTIVIDADES ANTES DO NIVELAMENTO DE RECURSOS ACTIVIDADES DEPOIS DO NIVELAMENTO DE RECURSOS
  45. 45. 47 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT MONITORIZAR E CONTROLAR OS TRABALHOS DO PROJECTO Monitor & control project work  Develop Project Mgt Plan  Performe integrated change control  alteração de pedidos aprovação da alteração de pedidos actualização do plano do projecto • Manage project team • Manage communications • Control risks • Control procurements Project documents updates • Enterprise/organization • Work performance information work performance reports work performance information Process assets Environmental factors 4
  46. 46. 48 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT MONITORIZAR E CONTROLAR  Monitorizar o progresso dos trabalhos • Comparar a realidade com o plano; • Tomar acções correctivas na presença de desvios significativos;  Manter reuniões de Projecto • Rever questões, acompanhar • Actualizar sempre que necessário; • Reportar / Informar.  Gerir as alterações • A alteração será uma boa ideia? • Modificar (redireccionar) o projecto.
  47. 47. 49 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT O QUE PODE CORRER MAL?  Definição pouco clara de objectivos;  Falta de suporte e envolvimento da gestão;  Conhecimentos e experiências insuficientes;  Falhas na comunicação;  Tomadas de decisão sem tempo e uma correcta análise dos dados/situação;  Estimativa incorrecta de tempos e recursos (materiais e financeiros);  Demasiadas alterações resultantes de um planeamento pouco preciso. Considere de novo a análise FMEA como forma de antecipar falhas e atenuar riscos
  48. 48. 50 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT A CURVA DAS PREOCUPAÇÕES TEMPO Início do projecto Deadline NÍVELDEPREOCUPAÇÃO “problemas”
  49. 49. 51 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT TÉCNICAS DE COMPRESSÃO DO SCHEDULE CRASHING – técnica usada para reduzir a duração do programa (schedule) adicionando recursos (e aumentando os custos ). Exemplos: autorizar horas extraordinárias, contratando mais pessoas/recursos ou atribuindo prémios pela redução de tempos de execução).  Esta técnica aplica-se apenas nas actividades do caminho crítico onde a adição de recursos poderá levar à redução do tempo total do projecto;  Nem sempre é alternativa (além dos custos, pode representar mais riscos…); FAST TRACKING – técnica de compressão do programa na qual as actividades ou fases são realizadas em paralelo (ou pelo menos parte delas).  Exemplo: construção das fundações de um edifício ainda antes da conclusão de todo o projecto arquitectónico.  Esta técnica pode resultar em reworks e aumento de riscos.
  50. 50. 52 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT CONTROLO DAS ALTERAÇÕES DO DESEMPENHO Performe integrated change control  Develop Project Mgt Plan  Direct and manage project work  Change requests actualização do plano do projecto • Control quality • Control procurement • Manage stakeholder engagement Project documents updates • Enterprise/organization • Validate/control scope • Control Schedule • Control costs • Control quality • Control risks • Manage project team • Manage stakeholder engagement, … Work performance reports and change requests Change requests Monitor & control project work  Aproved change requests 5
  51. 51. 53 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT ENCERRAMENTO DO PROJECTO OU DE FASE Encerramento do projecto ou de fase  Develop Project Mgt Plan  CLIENTE VALIDATE SCOPE Accepted deliverables Produto/serviço, resultado ou transição Enterprise Organization Organizational process assets Organizational process assets updates 6
  52. 52. 54 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT DESAFIOS FINAIS  Pretende-se que elabore para a sua empresa/departamento ou realidade duas checklists que ajude o Gestor de Projecto a:  Verificar se todas as “peças do Projecto” estão presentes (ex. orçamento, plano de comunicações, template para comunicação);  Verificar se o planeamento considerou todos os aspectos importantes (ex. detalhes técnicos, parecer jurídico, etc.).  Pretende-se que construa em MS-Excel o Project Scorecard para avaliar o desempenho do projecto de acordo com as seguintes perspectivas:  Objectivos do projecto (concretização, tempo e custo);  Dimensões do projecto (humana, técnica e de gestão);  Outras sugeridas pelos formandos.
  53. 53. PROJECT TITLE Sponsor Date Project manager Observations No What When Who Objective or Target 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 Team members: Notes: JOAOPAULOPINTO© 2015 P R O J E C T C H E C K L I S T Your Company Name here PLANNING HORIZON (up to 10 hours/days/weeks or months) 12/01/2015
  54. 54. PROJECT SCORECARD Data actual João Paulo Pinto © 2015 January 07 Designação e código do Projecto Código Peso Target Atual Desvio Execução Unidade OBJECTIVO: CONCRETIZAÇÃO OS 0 0,00% #DIV/0! 0,00% #DIV/0! 0,00% #DIV/0! OBJECTIVO: PRAZO OP 0 0,00 #DIV/0! 0,00 #DIV/0! 0,00 #DIV/0! OBJECTIVO: CUSTO OC 0 0,00 #DIV/0! 0,00 #DIV/0! 0,00 #DIV/0! DIMENSÃO HUMANA DH 0 0,00 100,00% 0,00 #DIV/0! 0,00% #DIV/0! DIMENSÃO TÉCNICA DT 0 0,00 100,00% 0,00 #DIV/0! 0,00% #DIV/0! DIMENSÃO DE GESTÃO DG 0 0,00 100,00% 0,00 #DIV/0! 0,00% #DIV/0! João Paulo Pinto © 2014 June 20 OPP (overall project performance) Sugestão: Elaborar um radar chart com seis ramos… 12/01/2015 João Paulo Pinto, 2015 ©
  55. 55. 57 de 60 João Paulo Pinto © 2015 PROJECT MANAGEMENT AFINAL NÃO, AINDA NOS FALTA FAZER O BALANÇO…  O que correu bem? E o que poderia ter corrido melhor?  Lições aprendidas?  Se começamos agora o que faríamos de diferente?  Que conhecimentos e experiências é importante guardar para próximos projectos?  A quem comunicar isto?  E de que forma comunicar, partilhar e guardar o conhecimento?  https://www.youtube.com/watch?v=9LSnINglkQA
  56. 56. Project Code Date Leader Observations JOAOPAULOPINTO© 2015 A3. A F T E R A C T I O N R E P O R T PROJECT'S SUMMARY ANALYSIS OF CRITICAL TASKS 12/01/2015 Company Name here ANALYSIS OF RESULTS AND LESSONS LEARNT RECOMENDATIONS
  57. 57. Agora sim está tudo em ordem… 1 2 3 4 5 6 MUITO OBRIGADO PELA ATENÇÃO
  58. 58. OBRIGADO PELA ATENÇÃO João Paulo Pinto, PhD MSc(Eng) Telf. 936.000.070 jpintus@gmail.com pt.linkedin.com/in/jpopinto/

×