Protocolo de APH
INSTRUÇÃO TÉCNICA OPERACIONAL
Nº 23
Belo Horizonte 2013
INSTRUÇÃO TÉCNICA OPERACIONAL
Nº 23
Educador:
Marcos Vinicio de Lima,
2º Sargento Bombeiro
Professor de Didática da Academ...
MÓDULO 600
Procedimentos Gerais
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAIS
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISMódulo 600 ...
1. CRITÉRIO DE EMPREGO DO PROTOCOLO
a. Este procedimento deve ser adotado
quando houve contato com substancias corpóreas
d...
2. PARA TODOS OS TIPOS DE PACIENTES
Use luvas de procedimento com
talco em todos chamados em que houver
contato com sangue...
2. PARA TODOS OS TIPOS DE PACIENTES
Lavesuas mãos freqüentemente durante
a Prontidão de Incêndio e
sempre após cada chamad...
Utilize água e sabão neutro durante 15
segundos antes de secar.
Antes de lavar, retire relógios, anéis e
qualquer adorno d...
Ensaboe as mãos friccionando todas as
faces (palma, dorso, interdigitais,
articulações e unhas).
Enxágüe as mãos totalment...
Use sempre óculos contra
respingo de fluidos corporais
provenientes de hemorragias
arteriais ou qualquer outro
ferimento. ...
Use máscara com válvula de sentido único ou máscara com
reservatório quando precisar realizar ventilação no
paciente.
k. R...
3. CONDUTA PARA PREVENÇÃO DE
EXPOSIÇÃO À DOENÇAS RESPIRATÓRIAS
As precauções respiratórias são
indicadas para o atendiment...
Para esses pacientes e para os
suspeitos utilize máscara N95 (ou nível
melhor), óculos de proteção e capote
de proteção.
S...
Limpe e realize a
desinfecção, conforme protocolo
próprio, de todos os materiais e
equipamentos utilizados na
ocorrência q...
4. DESCARTES APROPRIADOS
Substitua peças de fardamento
contaminadas colocando-os em saco
branco, para posterior lavagem em...
Todo lixo dos sacos brancos
devem ser recolhidos por
caminhões da coleta de lixo
hospitalar, para ser
descontaminado antes...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
MÓDULO 600
Procedimentos Gerais
P 602 – TRIAGEM PRÉ-...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
Processo utilizado em situações em
que o número de v...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
1. DIMENSIONAMENTO DA CENA
a. Providencie o IFC;
b. ...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
i. Dê um comando de voz para todas as
vítimas presen...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
1. Verifique se respira:
a. Se a vítima NÃO respira:...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
3. Se criança, antes de atribuir a
classificação, ve...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
b. Se a vítima respira:
1. Se tiver movimentos respi...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
a. A perfusão capilar
i. Se a perfusão capilar é mai...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
MÉTODO START
PRIORIDADE PARÂMETROS
VITAIS
ENCONTRADO...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
MÉTODO START
PRIORIDADE PARÂMETROS
VITAIS
ENCONTRADO...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
MÉTODO START
PRIORIDADE PARÂMETROS
VITAIS
ENCONTRADO...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
MÉTODO START
PRIORIDADE PARÂMETROS
VITAIS
ENCONTRADO...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
MÓDULO 600
Procedimentos Gerais
P 603 – OXIMETRIA DE...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
1. CONCEITO
a. Oximetria de Pulso é um procedimento ...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
2. ORIENTAÇÕES PARA O USO DO
OXÍMETRO
a. Deverá ser ...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
c. Utilize sensores de tamanho e tipos
adequados
d. ...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
g. Não utilizar debaixo de lâmpada
dicróica da UR ou...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
j. Para os pacientes com hipotermia,
estado de choqu...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
k. Dedos calejados, queimados, uso em
dias frios e ú...
P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
3. A INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS
P 604 –
ADMINISTRAÇÃO DE
OXIGÊNIO
P 604 – Administração de Oxigênio
Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar
Módulo 600 – P...
P 604 – ADMINISTRAÇÃO DE OXIGÊNIO
1. CONSIDERAÇÕES GERAIS
a. Benefício do O2 no APH.
i. Oxigenação dos tecidos hipóxicos;
...
b. Equipamentos disponíveis para
ventilação/administração de O2.
i. Para pacientes respirando (conscientes
ou não) utilize...
b. Equipamentos disponíveis para
ventilação/administração de O2.
i. Para pacientes respirando (conscientes
ou não) utilize...
1. Válvula de inalação por demanda com máscara Tru-Fit
ou ventilação de fluxo com pressão positiva (Válvula de
Demanda - V...
c. Segurança ao manusear oxigênio puro.
i. Oxigênio não é inflamável, mas é
comburente;
ii. Não permita o uso de qualquer ...
iii. Não permita a presença de brasas,
chamas, faíscas ou que se FUME próximo ao
O2 e aos equipamentos;
iv. O local onde s...
vi. Nunca deixe o cilindro de O2 solto e não
permita que caia ou role;
vii. Não deixe o cilindro exposto a
temperaturas ma...
2. INDICAÇÃO PARA
ADMINISTRAÇÃO DE O2
a. Sinais e sintomas mais comuns com
indicativo para uso de O2:
Protocolo de Atendim...
i. Todo paciente com quadro sugestivo de
insuficiência respiratória aguda por patologia
clínica ou traumática;
ii. Emergên...
vii. DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica);
viii. AVC (Acidente Vascular Cerebral) / AVE
(acidente vascular encefálico...
3. CONDUTA GERAL
a. Assegure-se que o local seja seguro,
adequado, ventilado e ausente de perigo
b. Abra as vias aéreas. R...
c. Insira a cânula orofaríngea
selecionando o tamanho adequado, se
ECG ≤ 8, sem reflexo de vômito
d. Utilize o protocolo d...
f. Constate se todo o equipamento está
montado e pronto para utilização
g. Verifique se a mangueira de pressão
intermediár...
i. Verifique a pressão do cilindro e garanta
que não existem vazamentos no sistema
j. Se utilizando máscara de não reinala...
k. Se utilizando a BVM com bolsa
reservatória aguarde que o reservatório de
O2 infle primeiro antes de utilizar no
pacient...
m. Se utilizando uma máscara oronasal
(pocket mask) para ressuscitação com
entrada de O2 certifique-se que está
havendo pa...
o. Com cateter nasal utilize somente se o
mesmo se encontrava lacrado e ajuste
adequadamente ao paciente
p. Observe a expa...
r. Continue verificando o correto
funcionamento do sistema de O2 evitando
vazamentos, o mau funcionamento do
equipamento, ...
t. Caso o paciente não tolere o fornecimento
de O2, troque o tipo de equipamento,
diminuindo a concentração e continue o
f...
Uma leitura da SpO2 entre 96% a 100%
geralmente indica oxigenação adequada.
Uma leitura da SpO2 entre 91% a 95% sugere
hip...
As restrições quanto a oxigenoterapia
devem ser consideradas apenas para o
neonato, devido ao risco de retinopatias.
Quant...
4. CONDUTA EM PACIENTE RESPIRANDO
a. Com cateter nasal: Utilize de 1 a 6 lpm (24
a 44%) na maioria dos casos clínicos com
...
Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar
P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
c. Emergências...
Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar
P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
5. USO DE O2 E...
Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar
P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
6. TABELA DE U...
Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar
P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
6. TABELA DE U...
Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar
P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
Salvo orientaç...
Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar
P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
Não forneça O2...
Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar
P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
P 605
ASPIRAÇÃ...
P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
P 605 - ASPIRAÇÃO DE VIAS AÉREAS
1. DIMENSIONAMENTO DA...
P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
b. Potenciais efeitos adversos /
complicações do uso.
...
Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar
Continua transporte
P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos G...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

ITO 23 - P 604 procedimentos gerais

414 visualizações

Publicada em

Instrução Técnica Operacional 23

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
414
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ITO 23 - P 604 procedimentos gerais

  1. 1. Protocolo de APH INSTRUÇÃO TÉCNICA OPERACIONAL Nº 23 Belo Horizonte 2013
  2. 2. INSTRUÇÃO TÉCNICA OPERACIONAL Nº 23 Educador: Marcos Vinicio de Lima, 2º Sargento Bombeiro Professor de Didática da Academia de Bombeiros Militar de Minas Gerais Professor do Curso preparatório PREPARAR
  3. 3. MÓDULO 600 Procedimentos Gerais P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAIS P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISMódulo 600 – Procedimentos Gerais
  4. 4. 1. CRITÉRIO DE EMPREGO DO PROTOCOLO a. Este procedimento deve ser adotado quando houve contato com substancias corpóreas do paciente e/ou quando for realizar limpeza/desinfecção de áreas ou equipamentos contendo sangue e outros fluidos corpóreos. b. A cada paciente atendido, o socorrista pode entrar em contato com diversos microrganismos patogênicos sem saber, portanto biossegurança é para todo atendimento. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISMódulo 600 – Procedimentos Gerais
  5. 5. 2. PARA TODOS OS TIPOS DE PACIENTES Use luvas de procedimento com talco em todos chamados em que houver contato com sangue ou qualquer outro fluido corporal (drenagem, urina, vômito, fezes, diarréia, saliva, muco nasal e secreção genital) ou quando precisar tocar objetos que entraram em contato com esses. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISMódulo 600 – Procedimentos Gerais
  6. 6. 2. PARA TODOS OS TIPOS DE PACIENTES Lavesuas mãos freqüentemente durante a Prontidão de Incêndio e sempre após cada chamado. Lave as mãos mesmo se tiver utilizado luvas durante o atendimento e se possível reidrate a pele com creme de escolha pessoal. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISMódulo 600 – Procedimentos Gerais
  7. 7. Utilize água e sabão neutro durante 15 segundos antes de secar. Antes de lavar, retire relógios, anéis e qualquer adorno das mãos e braços. Molhe completamente as mãos e pulsos e dispense sabão em ambas. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISMódulo 600 – Procedimentos Gerais
  8. 8. Ensaboe as mãos friccionando todas as faces (palma, dorso, interdigitais, articulações e unhas). Enxágüe as mãos totalmente no sentido das extremidades para o centro. Pegue o papel toalha, feche a torneira sem tocá-la e enxugue ambas as mãos. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISMódulo 600 – Procedimentos Gerais
  9. 9. Use sempre óculos contra respingo de fluidos corporais provenientes de hemorragias arteriais ou qualquer outro ferimento. Caso ocorra o contato entre os fluidos do paciente e a pele do socorrista, tão logo seja possível, lave a região com água e sabão. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISMódulo 600 – Procedimentos Gerais
  10. 10. Use máscara com válvula de sentido único ou máscara com reservatório quando precisar realizar ventilação no paciente. k. Reporte imediatamente qualquer acidente entre pele não integra ou mucosa do socorrista e o sangue ou fluidos da vítima para Comandante de Bombeiros da Unidade – CBU. Um serviço médico deve ser procurado o mais breve possível a fim de iniciar tratamento profilático anti-HIV e/ou avaliação. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISMódulo 600 – Procedimentos Gerais
  11. 11. 3. CONDUTA PARA PREVENÇÃO DE EXPOSIÇÃO À DOENÇAS RESPIRATÓRIAS As precauções respiratórias são indicadas para o atendimento de pacientes conhecidamente portadores de patologias de transmissão respiratória, por exemplo: Tuberculose, H1N1, gripe, SARS entre outras. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISMódulo 600 – Procedimentos Gerais
  12. 12. Para esses pacientes e para os suspeitos utilize máscara N95 (ou nível melhor), óculos de proteção e capote de proteção. Se a condição respiratório do paciente permitir coloque a máscara nele. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISMódulo 600 – Procedimentos Gerais
  13. 13. Limpe e realize a desinfecção, conforme protocolo próprio, de todos os materiais e equipamentos utilizados na ocorrência que sejam reutilizados e descarte em saco branco os descartáveis. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISMódulo 600 – Procedimentos Gerais
  14. 14. 4. DESCARTES APROPRIADOS Substitua peças de fardamento contaminadas colocando-os em saco branco, para posterior lavagem em casa separados, conforme Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviço de Saúde – PGRSS de sua .Unidade P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISMódulo 600 – Procedimentos Gerais
  15. 15. Todo lixo dos sacos brancos devem ser recolhidos por caminhões da coleta de lixo hospitalar, para ser descontaminado antes de ir para o aterro sanitário P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISMódulo 600 – Procedimentos Gerais
  16. 16. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR MÓDULO 600 Procedimentos Gerais P 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
  17. 17. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR Processo utilizado em situações em que o número de vítimas ultrapassa a capacidade de resposta das equipes de socorro. Segue os algoritmos de triagem dos métodos Start e JumpStart. !
  18. 18. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
  19. 19. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR
  20. 20. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR 1. DIMENSIONAMENTO DA CENA a. Providencie o IFC; b. Mantenha a cena segura; c. Descubra a NDD (Clínico) ou o MDL (Trauma); d. Determine o número total de vítimas; e. Solicite recursos adicionais; f. Acione o plano de catástrofe, se houver necessidade; g. Inicie a triagem;
  21. 21. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR i. Dê um comando de voz para todas as vítimas presentes para que aquelas que consigam andar saiam da zona quente e se dirijam a um local seguro, definido pela Gu BM; ii. Avalie individualmente cada vítima que permanecer no local, da seguinte forma:
  22. 22. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR 1. Verifique se respira: a. Se a vítima NÃO respira: 1. Para adulto ou criança, reposicione vias aéreas 2. Se adulto retomou a respiração, classifique-o como VERMELHA. Se não retomou, classifique-o como PRETA
  23. 23. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR 3. Se criança, antes de atribuir a classificação, verifique o pulso carotídeo 4. Se não tem pulso, classifique-a como PRETA 5. Se tem pulso, execute 5 respirações de resgate, conforme JumpStart 6. Se não respirou, classifique-a como PRETA; se respirou, como VERMELHA
  24. 24. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR b. Se a vítima respira: 1. Se tiver movimentos respiratórios igual ou maior que 30 IRPM (Adulto) ou menor que 15 e maior 45 IRPM (Criança), classifique-a como VERMELHA 2. Se tiver movimentos respiratórios menor que 30 IRPM (Adulto) e entre 15-45 IRPM (Criança), verifique:
  25. 25. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR a. A perfusão capilar i. Se a perfusão capilar é maior que 2 segundos, classifique-a como VERMELHA ii. Se a perfusão capilar é menor que 2 segundos, verifique se cumpre ordem simples (orientada) (a) Se cumpre, classifiquea como AMARELA (b) Se não cumpre (confusa), classifique-a como VERMELHA
  26. 26. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR MÉTODO START PRIORIDADE PARÂMETROS VITAIS ENCONTRADOS QUADROS SUGESTIVOS AÇÕES PRIORIDADE 1 (VERMELHA) - Respiração presente, maior que 30 MRPM, no adulto, ou < 15 e > 45 MRPM na Criança. - Perfusão capilar > 2 seg; - Não obedece a comandos simples. Lesões tratáveis, com risco imediato de vida; dificuldade respiratória, hemorragia não controlável, diminuição do nível de consciência, sinais de choque, queimaduras graves. Vítimas em estado crítico. Tratamento e transporte imediato.
  27. 27. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR MÉTODO START PRIORIDADE PARÂMETROS VITAIS ENCONTRADOS QUADROS SUGESTIVOS AÇÕES PRIORIDADE 2 (AMARELA) - Respiração presente, menor que 30 MRPM; - Perfusão capilar < 2 seg; - Obedece a comandos simples. Lesões graves, sem risco imediato de vida; queimaduras sem problemas de vias aéreas, fraturas ósseas sem choque ou hemorragia. Segunda prioridade. Permitem adiar atenção, podem aguardar o transporte.
  28. 28. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR MÉTODO START PRIORIDADE PARÂMETROS VITAIS ENCONTRADOS QUADROS SUGESTIVOS AÇÕES PRIORIDADE 3 (VERDE) - Paciente que pode andar pelo cenário da ocorrência – paciente deambulando. Lesões de partes moles mínimas, sem risco de vida ou incapacitação. Lesões menores. Não requerem atenção imediata.
  29. 29. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR MÉTODO START PRIORIDADE PARÂMETROS VITAIS ENCONTRADOS QUADROS SUGESTIVOS AÇÕES SEM PRIORIDADE (PRIORIDADE 4) (PRETA) - Paciente que não respira após abertura das vias aéreas. Pacientes mortos ou apresentando lesões irreversíveis. XXX
  30. 30. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR MÓDULO 600 Procedimentos Gerais P 603 – OXIMETRIA DE PULSO
  31. 31. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR 1. CONCEITO a. Oximetria de Pulso é um procedimento não- invasivo para determinar o valor de saturação de oxigênio (SpO2) e a freq. de pulso periférico b. Provê aos socorristas um alarme precoce da diminuição da oxigenação porque fornece medida contínua da oxigenação c. O oxímetro de pulso pode ser utilizado em ambientes clínicos, domiciliares, ambientes hospitalares, pré-hospitalares, durante transporte terrestre e aéreo
  32. 32. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR 2. ORIENTAÇÕES PARA O USO DO OXÍMETRO a. Deverá ser utilizado longe de fonte de calor, fora da luz solar direta e em local onde não haja umidade excessiva b. Deverá ser colocado o probe (sensor) do oxímetro no dedo (de preferência o indicador) ou no lóbulo da orelha
  33. 33. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR c. Utilize sensores de tamanho e tipos adequados d. Não utilize em presença de agentes anestésicos inflamáveis e. Não utilize na presença de equipamento de ressonância f. Não utilize concomitante a descarga elétrica de um desfibrilador externo automático
  34. 34. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR g. Não utilizar debaixo de lâmpada dicróica da UR ou sob luz forte h. O aparelho pode ser afetado na presença de fontes eletromagnéticas e de rádio-frequência i. Evite quedas e choques mecânicos
  35. 35. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR j. Para os pacientes com hipotermia, estado de choque, usando de drogas vasoativas, anemia falciforme, intoxicação por monóxido de carbono, esmalte de unha negro ou metálico, se mexendo e com calafrios, o oxímetro pode não ter acurácia
  36. 36. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR k. Dedos calejados, queimados, uso em dias frios e úmidos poderá causar leituras errôneas l. Em paciente traumatizados graves, a oximetria de pulso pode não ser confiável por causa da perfusão periférica ruim
  37. 37. P 601 – ISOLAMENTO DE FLUIDOS CORPORAISP 602 – TRIAGEM PRÉ-HOSPITALAR 3. A INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS
  38. 38. P 604 – ADMINISTRAÇÃO DE OXIGÊNIO P 604 – Administração de Oxigênio Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  39. 39. P 604 – ADMINISTRAÇÃO DE OXIGÊNIO 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS a. Benefício do O2 no APH. i. Oxigenação dos tecidos hipóxicos; ii. Redução dos edemas dos tecidos; iii. Facilita a respiração; iv. Alivia sintomas; v. Reduz os riscos dos sintomas residuais, melhorando o prognóstico pós-atendimento. P 604 – Administração de Oxigênio Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  40. 40. b. Equipamentos disponíveis para ventilação/administração de O2. i. Para pacientes respirando (conscientes ou não) utilize na ordem: 1. Válvula de inalação por demanda com máscara Tru-Fit ou ventilação de fluxo com pressão positiva (Válvula de Demanda - VD ou MTV-100) ou similares Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  41. 41. b. Equipamentos disponíveis para ventilação/administração de O2. i. Para pacientes respirando (conscientes ou não) utilize na ordem: Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  42. 42. 1. Válvula de inalação por demanda com máscara Tru-Fit ou ventilação de fluxo com pressão positiva (Válvula de Demanda - VD ou MTV-100) ou similares 1. Válvula de inalação por demanda com máscara Tru-Fit ou ventilação de fluxo com pressão positiva (Válvula de Demanda - VD ou MTV-100) ou similares 2. Máscara de não reinalação com bolsa reservatória 3. Cateter nasal ii. Para pacientes que não estão respirando: 1. BVM (bolsa válvula máscara) 2. Máscara oronasal para ressuscitação (pocket-mask) Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  43. 43. c. Segurança ao manusear oxigênio puro. i. Oxigênio não é inflamável, mas é comburente; ii. Não permita o uso de qualquer tipo de óleo, lubrificante ou graxa em qualquer cilindro ou equipamento que esteja em contato com O2; Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  44. 44. iii. Não permita a presença de brasas, chamas, faíscas ou que se FUME próximo ao O2 e aos equipamentos; iv. O local onde será utilizado o O2 deverá ser ventilado; v. Sempre mantenha a válvula fechada e o sistema purgado quando o O2 não estiver sendo utilizado; Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  45. 45. vi. Nunca deixe o cilindro de O2 solto e não permita que caia ou role; vii. Não deixe o cilindro exposto a temperaturas maiores que 52°C; viii. Assegure-se de que o cilindro de O2 a ser utilizado encontra-se dentro do prazo de validade do teste hidrostático. Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  46. 46. 2. INDICAÇÃO PARA ADMINISTRAÇÃO DE O2 a. Sinais e sintomas mais comuns com indicativo para uso de O2: Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  47. 47. i. Todo paciente com quadro sugestivo de insuficiência respiratória aguda por patologia clínica ou traumática; ii. Emergências diabéticas; iii. Crise convulsiva; iv. Alergias e choque anafilático; v. Estado de choque; vi. Hemorragias; Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  48. 48. vii. DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica); viii. AVC (Acidente Vascular Cerebral) / AVE (acidente vascular encefálico); ix. Queimaduras; x. Afogamento; xi. Envenenamento e intoxicações; xii. Emergências obstétricas; xiii. Aborto natural ou induzido. Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  49. 49. 3. CONDUTA GERAL a. Assegure-se que o local seja seguro, adequado, ventilado e ausente de perigo b. Abra as vias aéreas. Remova objetos, corpo estranho, secreções e/ou aspire se necessário Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  50. 50. c. Insira a cânula orofaríngea selecionando o tamanho adequado, se ECG ≤ 8, sem reflexo de vômito d. Utilize o protocolo de OVACE, PR e PCR, conforme Módulo 200, concomitante ao uso de O2 e. Não retarde o início da RCP para fornecimento de O2 Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  51. 51. f. Constate se todo o equipamento está montado e pronto para utilização g. Verifique se a mangueira de pressão intermediária está conectada a saída de fluxo contínuo e/ou regulador multifuncional e não permita que se dobre durante a utilização h. Abra (através do registro) o cilindro de O2 totalmente e volte ½ volta como medida de segurança Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  52. 52. i. Verifique a pressão do cilindro e garanta que não existem vazamentos no sistema j. Se utilizando máscara de não reinalação com bolsa reservatória, coloque um dedo dentro da máscara, fechando a válvula de não retorno até que a bolsa reservatória esteja inflada (faça isto antes de utilizar no paciente) Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  53. 53. k. Se utilizando a BVM com bolsa reservatória aguarde que o reservatório de O2 infle primeiro antes de utilizar no paciente l. Se utilizando a válvula de demanda ou o MTV-100 ouça a válvula abrir durante a inspiração certificando-se do seu correto funcionamento Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  54. 54. m. Se utilizando uma máscara oronasal (pocket mask) para ressuscitação com entrada de O2 certifique-se que está havendo passagem correta de O2 por dentro da máscara n. Observe a máscara que esteja utilizando (sempre transparente) embaçar durante a expiração e desembaçar durante a inspiração Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  55. 55. o. Com cateter nasal utilize somente se o mesmo se encontrava lacrado e ajuste adequadamente ao paciente p. Observe a expansão e retorno do tórax durante a administração de O2 q. Monitore e mantenha o conforto do paciente Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  56. 56. r. Continue verificando o correto funcionamento do sistema de O2 evitando vazamentos, o mau funcionamento do equipamento, falha em inflar e desinflar as bolsas e resposta do paciente quanto ao uso de O2 s. Se o paciente apresentar quadro de convulsão ou vômito interrompa temporariamente o fornecimento de O2, avalie vias aéreas, aspire se necessário e garanta a permeabilidade das vias aéreas e respiração Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  57. 57. t. Caso o paciente não tolere o fornecimento de O2, troque o tipo de equipamento, diminuindo a concentração e continue o fornecimento de O2. Se persistir a intolerância do paciente, utilize a técnica de tenda aumentando a concentração circulante ao redor da cabeça do paciente Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  58. 58. Uma leitura da SpO2 entre 96% a 100% geralmente indica oxigenação adequada. Uma leitura da SpO2 entre 91% a 95% sugere hipóxia leve. A SpO2 menor do que 91% sugere hipóxia significativa ou grave. Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais !
  59. 59. As restrições quanto a oxigenoterapia devem ser consideradas apenas para o neonato, devido ao risco de retinopatias. Quanto aos pacientes com DPOC, os benefícios do oxigênio ultrapassa os riscos, desde que a equipe mantenha monitorização contínua dos parâmetros dos sinais vitais do paciente. Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais !
  60. 60. 4. CONDUTA EM PACIENTE RESPIRANDO a. Com cateter nasal: Utilize de 1 a 6 lpm (24 a 44%) na maioria dos casos clínicos com SpO2 normal b. No caso de DPOC utilize baixa concentração de O2 com cateter nasal, 1 a 2 lpm. Persistindo a hipóxia/cianose aumente aos poucos Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais
  61. 61. Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais c. Emergências Clínicas com SpO2 normal pode-se utilizar válvula inaladora de demanda ou máscara de não reinalação com bolsa reservatória a 10 lpm (60% a 100%) d. Emergências Clínicas com SpO2 indicativo de hipóxia utilize válvula inaladora de demanda a 15 lpm ou máscara de não reinalação com bolsa reservatória a 15 lpm (80% a 100%) e. Emergências traumáticas utilize máscara de não reinalação com bolsa reservatória a 10 a 15 lpm (80% a 100%)
  62. 62. Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais 5. USO DE O2 EM PACIENTE IRRESPONSIVO (PR- PCR) a. BVM com O2 a 15 lpm (80% a 100%)
  63. 63. Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais 6. TABELA DE USO DE O2 SUPLEMENTAR
  64. 64. Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais 6. TABELA DE USO DE O2 SUPLEMENTAR
  65. 65. Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais Salvo orientação médica contrária, NÃO administre O2 umidificado devido ao risco de contaminação. A oxigenação não substitui a respirações de resgate. Controle constantemente o tempo de utilização disponível de oxigênio.
  66. 66. Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais Não forneça O2 a um NEONATO via cateter nasal ou máscara facial. Caso seja necessário, use a técnica de oferta de O2 em TENDA. Não utilize cateter nasal em crianças menores de 8 anos ao administrar O2. Utilize máscara facial de não reinalação. Não utilize O2 durante a aplicação do choque do DEA – risco de explosão
  67. 67. Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais P 605 ASPIRAÇÃO DE VIAS AÉREAS
  68. 68. P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais P 605 - ASPIRAÇÃO DE VIAS AÉREAS 1. DIMENSIONAMENTO DA CENA / AVALIAÇÃO INICIAL a. Indicações. i. Secreções traqueobrônquicas, vômito, saliva, sangue na boca e orofaringe, de difícil expectoração ou em pacientes com tosse ineficaz.
  69. 69. P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais b. Potenciais efeitos adversos / complicações do uso. i. Reflexo de vômito; ii. Hipóxia, se demorar além de 15 segundos; iii. Cessação das insuflações e oxigenação durante aspiração;
  70. 70. Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar Continua transporte P 604 – Administração de Oxigênio Módulo 600 – Procedimentos Gerais

×