Sumidouro ou Padre Viegas?
Parte 1
Ao sermos questionados sobre onde moramos às vezes nos perguntamos: falo
que sou de Sum...
Coelho Seabra, o médico e músico Dr. Lucindo dos Passos Filhos, além do
desembargador e senador Manuel Ignácio de Melo e S...
navegação a vapor. Borba Gato possivelmente esteve em outra localidade, também de
nome Sumidouro.
Permito-me sugerir que p...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sumidouro ou padre viegas

1.024 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.024
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
223
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sumidouro ou padre viegas

  1. 1. Sumidouro ou Padre Viegas? Parte 1 Ao sermos questionados sobre onde moramos às vezes nos perguntamos: falo que sou de Sumidouro ou de Padre Viegas? Bem, para os moradores mais antigos, é um orgulho dizer que mora em Sumidouro. Para os moradores mais novos e até mesmo alguns visitantes e curiosos, Padre Viegas é o mais usado até mesmo porque este é o nome oficial do distrito. Interessante é que, grande parte das pessoas não conheceu e não conhecem o Sumidouro. E às vezes nem mesmo o Padre Viegas. Ou ainda porque Sumidouro mudou de nome para Padre Viegas. Sumidouro foi o primeiro nome do arraial, descoberto em 1705, provavelmente, pelo bandeirante Antônio Lopes Chaves, que às margens do córrego do Crasto, construiu sua residência junto com sua esposa. Trouxe empregados de confiança e escravos. Junto com ele também vieram outros bandeirantes, mas supõe-se que ele tenha sido o mais rico de todos. O nome Sumidouro foi escolhido devido à qualidade do metal encontrado com muita facilidade na região. Voltando ao antigo Sumidouro, posso afirmar que foi um dos mais promissores centros de exploração mineral em Minas Gerais. Graças à sua economia forte no início do século XVIII, Sumidouro chegou a atrair muitas pessoas. Chegamos a ter por aqui, uma população de aproximadamente 7.000 pessoas nesse período. Essa quantidade de pessoas pode ser imaginada também pelo tamanho e imponência da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, o que traduz também a forte influência religiosa no arraial, já que o templo foi construído no segundo quarto do século XVIII. Sumidouro era tão promissor que tivemos por aqui o Cólégio Osório, fundado por Manuel da Cunha Osório, sendo a primeira instituição de ensino formal que se tem notícia no estado de Minas Gerais. Ou seja, o Sumidouro teve uma importância muito grande na história da educação mineira. E neste colégio, estudou o Padre José Joaquim Viegas de Menezes, o Padre Viegas. O Padre Viegas é considerado o precursor da imprensa impressa. Fundou três jornais importantes em Ouro Preto no século XVIII e XIX: “O Compilador Mineiro”, o “Abelha do Itaculumy” e “O Universal”. Mas ele não foi a única personalidade que estudou no colégio Osório. O professor e jornalista Waldemar de Moura Santos, em seu artigo “O Fabuloso Sumidouro”, cita Vicente
  2. 2. Coelho Seabra, o médico e músico Dr. Lucindo dos Passos Filhos, além do desembargador e senador Manuel Ignácio de Melo e Souza, entre outras personalidades que estudaram por aqui. Outra personalidade importante do antigo Sumidouro é o inconfidente Cláudio Manuel da Costa, nascido nas redondezas do arraial. A partir de 1948, o distrito passa ser oficialmente denominado como Padre Viegas, em homenagem a tal personalidade. Sumidouro já havia entrado em estado de estagnação econômica, pois desde o final do século XIX, a exploração mineral estava em decadência e o arraial também já havia perdido o status de freguesia, para Pinheiros Altos. A elevação a distrito de Mariana com o nome de Padre Viegas, foi uma tentativa de alavancar a economia do arraial. Com o passar do tempo, as referências de personalidades do Sumidouro também foram ficando perdidas e esquecidas no tempo. Muitos moradores Sumidourenses morreram, ficando perdidas muitas informações e histórias. Posso citar algumas perdas e faltas de referências: perdemos a referência do Colégio Osório, que caiu; estamos gradativamente perdendo os outros casarões, remanescentes do período; perdemos também referências de personalidades e alguns costumes. Não temos nenhuma referência de ruas ou monumentos locais dedicados a Manuel da Cunha Osório, fundador do Colégio Osório, ou de seus filhos padres e professores, como é o caso do Padre Francisco da Cunha Osório vigário no Sumidouro e diretor da instituição; não temos referências do Padre Francisco Fernandes Fialho, um dos vigários locais que muito auxiliou na manutenção do templo; ou ainda referências ao inconfidente Cláudio Manuel da Costa, que muito nos orgulha e nos inspira com sua história de inquietude e luta; ou a algumas das personalidades importantes que, assim como o Padre Viegas, passaram pelo Sumidouro. Temos hoje, como referência, somente a Igreja, o casarão da família Balbi, alguns muros de pedra, as manifestações culturais e religiosas, (inclusive muitas já se perderam) e, é claro, a nostalgia na fala dos antigos moradores que ainda estão vivos. Ao fazer estudos em alguns documentos, também fiz descobertas importantes. Uma delas é que, há contradições sobre a passagem de Borba Gato pelo arraial. Não se pode afirmar, com certeza sobre sua possível passagem por aqui. O casarão que, supostamente abrigou Borba Gato, foi casa de campo do Marquês de Barbacena, Felisberto Caldeira de Oliveira Horta, um importante político brasileiro e pioneiro na
  3. 3. navegação a vapor. Borba Gato possivelmente esteve em outra localidade, também de nome Sumidouro. Permito-me sugerir que precisamos revisitar sempre nossa história com alguns referenciais que façam parte do dia a dia da comunidade. Mas também convido a uma reflexão: quando realmente Padre Viegas deixou de ser Sumidouro? Talvez nunca deixou e nunca deixará. Será que o Padre Viegas pode voltar a ser Sumidouro? Talvez não seja uma boa escolha. Certo é que Sumidouro é parte da história e da formação do Padre José Joaquim Viegas e apesar da relevante personalidade e genialidade do Padre, o Sumidouro ainda é maior que Padre Viegas. E Padre Viegas é uma feliz e oportuna referência ao Sumidouro. Mas nós, Sumidourenses ou Padrevieguenses temos que nos orgulhar do nosso cantinho e da nossa história, independente de Sumidouro ou Padre Viegas. Temos que lembrar e valorizar sempre o Sumidouro, para não correr o risco de perdê-lo no tempo. E temos que reconhecer também com justiça tantos outros que construíram e constroem Padre Viegas, ou seja, eu e você. Aliás, você, prefere dizer que é de Sumidouro ou é de Padre Viegas? Júnior Eduardo Nonato Sumidourense Padrevieguense, Professor, Maestro e Produtor Musical, em Agosto de 2013

×