Os três ursos

1.174 visualizações

Publicada em

História infantil... interessante poder trabalhar alguns conteúdos matemáticos através de histórias simples (tamanhos e quantidades)

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.174
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
40
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
84
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os três ursos

  1. 1. OS TRÊS URSINHOS
  2. 2. Era uma vez três ursos que moravam juntos numa linda casinha, no meio da floresta.
  3. 3. O primeiro era um urso pequenino. O segundo era um urso médio, e o terceiro, um urso muito grande. O primeiro tinha uma voz fininha. O segundo tinha uma voz média e o terceiro, uma voz muito grossa.
  4. 4. Cada um deles tinha um prato, um prato para a sopa. O urso pequeno tinha um prato pequenino, o urso médio, um prato médio e o urso grande, um prato grande.
  5. 5. Cada um deles tinha também uma cama e uma cadeira. A cama e a cadeira do ursinho eram pequeninas, a cama e a cadeira do urso médio eram médias e a cama e a cadeira do urso grande eram grandes.
  6. 6. Uma bela manhã, os três amigos foram passear pela floresta, deixando a papa a arrefecer nos três pratos sobre a mesa. E, enquanto passeavam, uma menina chamada Caracóis de Ouro apareceu em frente da casita. Era a primeira vez que ela via uma casa tão engraçada.
  7. 7. Cheia de curiosidade, espreitou pela janela e, depois, pelo buraco da fechadura…
  8. 8. Não vendo ninguém, Caracóis de Ouro empurrou a porta e entrou. Encontrou a papa de mel, muito apetitosa, a arrefecer sobre a mesa.
  9. 9. Caracóis de Ouro estava cheia de fome e resolveu comer um pouco daquela papa apetitosa. Provou primeiro a papa do urso grande, mas estava muito quente. Provou a papa do urso médio, mas estava muito fria. Pegou, então, no prato do urso pequeno e provou a papa. A sopa do urso pequeno estava morninha.. Caracóis de Ouro achou-a tão boa que comeu a papa toda sem deixar nada.
  10. 10. Em seguida, Caracóis de Ouro sentou-se na cadeira do urso grande, mas achou-a dura de mais.
  11. 11. Sentou-se, então, noutra cadeira, a cadeira do urso médio, mas achou-a mole demais.
  12. 12. Finalmente, sentou-se na terceira cadeira, a cadeira do urso pequenino, e a esta não a achou nem muito dura nem muito mole, mas exactamente como convinha. Quis baloiçar-se um pouco nela…
  13. 13. Mas o pé da cadeira partiu-se e eis Caracóis de Oiro de costas no chão e pernas para o ar! Levantou-se, subiu a escada e entrou no quarto de cima, onde estavam as camas dos três ursos.
  14. 14. Levantou-se e dirigiu-se para o quarto. Começou por se deitar na cama do urso grande, mas era muito alta para ela. Deitou-se depois na cama média, mas era ainda grande demais. Deitou-se, por fim, na cama pequenina e esta era precisamente à sua medida. Caracóis de Oiro enfiou-se por baixo da manta e adormeceu profundamente.
  15. 15. Entretanto, os três ursos voltaram para casa. Caracóis de Oiro deixara a colher no prato do urso grande. - Alguém mexeu na minha papa, disse o urso grande, com a sua voz grossa. - Alguém mexeu na minha papa, disse o urso médio, com a sua voz média. - Alguém mexeu na minha papa e comeu-a toda, exclamou o urso Pequenino com a sua voz fininha e com vontade de chorar…
  16. 16. Que é que os ursos viram então? A almofada da cadeira grande não estava no lugar. - Alguém se sentou na minha cadeira, disse o urso maior, com a sua voz grossa. - Alguém se sentou na minha cadeira, disse o urso médio, com a sua voz média. - Hi, hi, hi! Alguém se sentou na minha cadeira e partiu-lhe uma perna, chorou o urso mais pequenino, com a sua voz fininha.
  17. 17. Então os ursos subiram para o seu quarto. A almofada do urso grande estava aos pés da cama. - Alguém se deitou na minha cama, disse o urso grande, com a sua voz grossa. - Alguém se deitou na minha cama, disse o urso médio, com a sua voz média. O urso pequenino olhou, também, para a sua cama: a almofada estava no seu lugar mas sobre ela qualquer coisa brilhava. Eram… os cabelos de Caracóis de Ouro.
  18. 18. Mesmo a dormir, Caracóis de Oiro bem ouviu a voz grossa do urso grande, mas pensou que era o ruído de um trovão. Bem ouviu, a seguir, a voz média do urso médio, mas pensou que era o barulho do vento. Finalmente, a vozita do urso pequenino era tão aguda que a acordou. Sentou-se a esfregar os olhos e viu os ursos mesmo à sua frente.
  19. 19. Cheia de medo, saltou da cama e correu para a janela. A janela estava totalmente aberta, porque os ursos nunca a fechavam quando, de manhã, saíam do quarto. Como não era muito alta, Caracóis de Ouro pode saltá-la. Escapando-se muito ligeira, voltou para junto da mamã.

×