SlideShare uma empresa Scribd logo
Introdução a Engenharia de Software
Professor MSc Cloves Rocha
■ Depois desta aula você terá uma visão sobre o
que é a engenharia de software, os seus
objetivos e conceitos básicos.
■ Capítulo 1 (Introdução) do livro Engenharia
Software 9ª Edição (de Ian Sommerville)
■ Estudo ou aplicação de abordagens sistemáticas,
econômicas e quantificáveis para o desenvolvimento,
operação e manutenção de software de qualidade;
■ Engenheiros de software devem adotar uma abordagem
sistemática e organizada para seu trabalho e usar
ferramentas e técnicas/métodos apropriados
dependendo do problema a ser solucionado, das
restrições de desenvolvimento e dos recursos
disponíveis.
■ Programas de computador e documentação
associada;
■ Produtos de software podem ser desenvolvidos
para um cliente particular ou podem ser
desenvolvidos para um mercado geral.
Objetivos da Engenharia de
Software
■ Controle sobre o desenvolvimento de software
dentro de custos, prazos e níveis de qualidade
desejados;
■ Produtividade no desenvolvimento, operação e
manutenção de software;
■ Qualidade versus Produtividade;
■ Permitir que profissionais tenham controle sobre
o desenvolvimento de software dentro de custos,
prazos e níveis de qualidade desejados.
Características da Engenharia
de Software
■ A Engenharia de Software se refere a software
(sistemas) desenvolvidos por grupos ao invés
de indivíduos;
■ usa princípios de engenharia ao invés de
arte, e...
■ inclui tanto aspectos técnicos quanto não
técnicos.
O que é um software de
qualidade?
■ O software que satisfaz os requisitos solicitados pelo
usuário. Deve ser fácil de manter, ter boa performance,
ser confiável e fácil de usar.
■ Alguns atributos de qualidade:
◆ Manutenibilidade
☞ O software deve evoluir para atender os requisitos que
mudam.
◆ Eficiência
☞ O software não deve desperdiçar os recursos do sistema.
◆ Usabilidade
☞ O software deve ser fácil de usar pelos usuários para os
quais ele foi projetado.
Qualidade de Software
(um exemplo para o Varejo)
■ Correto
◆ A loja não pode deixar de cobrar por produtos
comprados pelo consumidor.
■ Robusto e altamente disponível
◆ A loja não pode parar de vender.
■ Eficiente
◆ O consumidor não pode esperar.
◆ A empresa quer investir pouco em recursos
computacionais (CPU, memória, rede).
■ Amigável e fácil de usar
◆ A empresa quer investir pouco em treinamento.
■ Altamente extensível e adaptável
◆ A empresa tem sempre novos requisitos (para ontem!);
◆ A empresa quer o software customizado do seu jeito
(interface, teclado, idioma, moeda, etc.).
■ Reusável
◆ Várias empresas precisam usar partes de um mesmo
sistema.
Qualidade de Software
(um exemplo para o Varejo)
■ Aberto, compatível, de fácil integração com outros
sistemas:
◆ A empresa já tem controle de estoque, fidelização, etc.
■ Portável e independente de plataforma (hw e sw):
◆ A empresa opta por uma determinada plataforma.
■ Baixo custo de instalação e atualização:
◆ A empresa tem um grande número de PDVs.
Qualidade de Software
(um exemplo para o Varejo)
Produtividade
■ Custo de desenvolvimento reduzido:
◆ A empresa consumidora quer investir pouco em
software.
◆ A empresa produtora tem que oferecer “software
barato”.
■ Tempo de desenvolvimento reduzido:
◆ Suporte rápido às necessidades do mercado.
“Software Barato”
Nem tanto resultado de baixos custos de
desenvolvimento, mas principalmente da
distribuição dos custos entre vários clientes.
Reuso, extensibilidade e adaptabilidade são
essenciais para viabilizar tal distribuição.
Importância da Engenharia
de Software
■ Qualidade de software e produtividade
garantem:
◆ Disponibilidade de serviços essenciais;
◆ Segurança de pessoas;
◆ Competitividade das empresas:
☞ Produtores;
☞ Consumidores.
Mas, na realidade, temos a
Crise de Software...
■ 25% dos projetos são cancelados;
■ o tempo de desenvolvimento é bem maior do
que o estimado;
■ 75% dos sistemas não funcionam como
planejado;
■ a manutenção e reutilização são difíceis e
custosas;
■ os problemas são proporcionais à
complexidade dos sistemas.
Causas da Crise de Software
■ Essências
◆ Complexidade dos sistemas;
◆ Dificuldade de formalização.
■ Acidentes
◆ Má qualidade dos métodos, linguagens,
ferramentas, processos, e modelos de ciclo de
vida;
◆ Falta de qualificação técnica.
■ Elementos
◆ Modelos do ciclo de
vida do software;
◆ Linguagens;
◆ Métodos;
◆ Ferramentas;
◆ Processos.
■ Atividades
◆ Modelagem do negócio;
◆ Elicitação de requisitos;
◆ Análise e Projeto;
◆ Implementação;
◆ Testes;
◆ Distribuição;
◆ Planejamento;
◆ Gerenciamento;
◆ Gerência de Configuração
e Mudanças;
◆ Manutenção.
■ Artefatos
◆ Plano de Negócios;
◆ Plano de Projeto;
◆ Plano de Riscos;
◆ Documento de Requisitos;
◆ Mapeamentos A&P;
◆ Documento de Caso de
Uso;
◆ Documento de Arquitetura;
◆ Classes;
◆ Documento de Testes;
◆ Documento de Validação;
◆ Manual do Sistema.
■ Atividades
◆ Modelagem do negócio;
◆ Elicitação de requisitos;
◆ Análise e Projeto;
◆ Implementação;
◆ Testes;
◆ Distribuição;
◆ Planejamento;
◆ Gerenciamento;
◆ Gerência de Configuração e
Mudanças;
◆ Manutenção.
■ Uma representação abstrata e simplificada
do processo de desenvolvimento software,
tipicamente mostrando as principais
atividades e dados usados na produção e
manutenção de software
Linguagem
■ Notação com sintaxe e semântica bem
definidas:
◆ com representação gráfica ou textual.
■ Usada para descrever os artefatos gerados
durante o desenvolvimento de software
■ Exemplos: UML, Java, PHP, C# e Python.
Método
■ Descrição sistemática de como deve-se
realizar uma determinada atividade ou tarefa;
■ A descrição é normalmente feita através de
padrões e guias;
■ Exemplos: Método para descoberta das
classes de análise no RUP.
Ferramenta CASE
– ( Computer-Aided Software Engineering )
Engenharia de Software Auxiliada por Computador
■ Provê suporte computacional a um
determinado método ou linguagem;
■ Ambiente de desenvolvimento: conjunto de
ferramentas integradas (CASE);
■ Exemplos: Rational Rose, JBuilder,
Plataforma Eclipse, PhpStorm, Software
BizAgi, Aplicação Redmine, Sistema
Subversion, Framework JUnit, Ferramenta
Sonar.
Processo
■ Conjunto de atividades:
◆ bem definidas;
◆ com responsáveis;
◆ com artefatos de entrada e saída;
◆ com dependências entre as mesmas e ordem
de execução;
◆ com modelo de ciclo de vida.
Processo de software
■ Um conjunto de atividades cujo objetivo é o
desenvolvimento ou a evolução do software;
■ Conjunto coerente de atividades para
especificação, projeto, implementação e teste
de sistemas de software.
Metodologia
■ Conjunto de métodos + processo
Pontos principais
■ Engenharia de software é uma disciplina de engenharia
que está envolvida com todos os aspectos da produção
de software;
■ Produtos de software consistem de programas
desenvolvidos e documentação associada. Alguns
atributos de qualidade do produto são
manutenibilidade, eficiência e usabilidade;
■ O processo de software consiste nas atividades que
são envolvidas no desenvolvimento de produtos de
software.
Pontos principais
■ Métodos são formas organizadas de produzir software.
Eles incluem sugestões para o processo a ser seguido,
as notações a serem usadas, regras que governam as
descrições do sistema que são produzidas e diretrizes
de projeto;
■ Ferramentas CASE são sistemas de software que são
projetados para suportar as atividades rotineiras no
processo de software, como edição de diagramas de
projeto e verificação de consistência dos diagramas.
Tarefa #01:
• Planejamento inicial;
• TIMES?
Obrigado! Thank you!
Dúvidas???
<?php
print("ACESSO AO MATERIAL");
<?php
print("http://slideshare.net/ClovesRocha");

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de UsuárioAula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de UsuárioAndré Constantino da Silva
 
Sistemas operacionais
Sistemas operacionaisSistemas operacionais
Sistemas operacionaisvini_campos
 
O Processo de Desenvolvimento de Software
O Processo de Desenvolvimento de SoftwareO Processo de Desenvolvimento de Software
O Processo de Desenvolvimento de SoftwareCamilo de Melo
 
Engenharia de Software - Conceitos e Modelos de Desenvolvimento
Engenharia de Software - Conceitos e Modelos de Desenvolvimento Engenharia de Software - Conceitos e Modelos de Desenvolvimento
Engenharia de Software - Conceitos e Modelos de Desenvolvimento Sérgio Souza Costa
 
Projeto e Desenvolvimento de Software
Projeto e Desenvolvimento de SoftwareProjeto e Desenvolvimento de Software
Projeto e Desenvolvimento de SoftwareAragon Vieira
 
Engenharia de Requisitos
Engenharia de RequisitosEngenharia de Requisitos
Engenharia de RequisitosCloves da Rocha
 
Lista de Exerícios - Manutenção e Redes de Computadores IFNMG - Campus Januária
Lista de Exerícios - Manutenção e Redes de Computadores IFNMG - Campus JanuáriaLista de Exerícios - Manutenção e Redes de Computadores IFNMG - Campus Januária
Lista de Exerícios - Manutenção e Redes de Computadores IFNMG - Campus JanuáriaSuzana Viana Mota
 
Testes de Software
Testes de SoftwareTestes de Software
Testes de SoftwareCapgemini
 
Organizacao e estrutura de Computadores
Organizacao e estrutura de ComputadoresOrganizacao e estrutura de Computadores
Organizacao e estrutura de ComputadoresSuzana Viana Mota
 
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 01
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 01Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 01
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 01thomasdacosta
 
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e práticaProcessos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e práticaRalph Rassweiler
 
Software Livre (Conceitos, contextualização histórica, licenças, sistemas ope...
Software Livre (Conceitos, contextualização histórica, licenças, sistemas ope...Software Livre (Conceitos, contextualização histórica, licenças, sistemas ope...
Software Livre (Conceitos, contextualização histórica, licenças, sistemas ope...Sérgio Souza Costa
 
Arquitetura de Software
Arquitetura de SoftwareArquitetura de Software
Arquitetura de SoftwareAricelio Souza
 
Sistema operacional introdução
Sistema operacional introduçãoSistema operacional introdução
Sistema operacional introduçãoCleber Ramos
 
Introdução à Programação
Introdução à ProgramaçãoIntrodução à Programação
Introdução à ProgramaçãoMario Sergio
 

Mais procurados (20)

Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de UsuárioAula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
 
Aula 2 - Processos de Software
Aula 2 - Processos de SoftwareAula 2 - Processos de Software
Aula 2 - Processos de Software
 
Sistemas operacionais
Sistemas operacionaisSistemas operacionais
Sistemas operacionais
 
O Processo de Desenvolvimento de Software
O Processo de Desenvolvimento de SoftwareO Processo de Desenvolvimento de Software
O Processo de Desenvolvimento de Software
 
Engenharia de Software - Conceitos e Modelos de Desenvolvimento
Engenharia de Software - Conceitos e Modelos de Desenvolvimento Engenharia de Software - Conceitos e Modelos de Desenvolvimento
Engenharia de Software - Conceitos e Modelos de Desenvolvimento
 
Projeto e Desenvolvimento de Software
Projeto e Desenvolvimento de SoftwareProjeto e Desenvolvimento de Software
Projeto e Desenvolvimento de Software
 
Aula 2 - Modelos de processos
Aula 2 -  Modelos de processosAula 2 -  Modelos de processos
Aula 2 - Modelos de processos
 
Engenharia de Requisitos
Engenharia de RequisitosEngenharia de Requisitos
Engenharia de Requisitos
 
Lista de Exerícios - Manutenção e Redes de Computadores IFNMG - Campus Januária
Lista de Exerícios - Manutenção e Redes de Computadores IFNMG - Campus JanuáriaLista de Exerícios - Manutenção e Redes de Computadores IFNMG - Campus Januária
Lista de Exerícios - Manutenção e Redes de Computadores IFNMG - Campus Januária
 
Testes de Software
Testes de SoftwareTestes de Software
Testes de Software
 
Organizacao e estrutura de Computadores
Organizacao e estrutura de ComputadoresOrganizacao e estrutura de Computadores
Organizacao e estrutura de Computadores
 
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 01
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 01Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 01
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 01
 
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e práticaProcessos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
 
Software Livre (Conceitos, contextualização histórica, licenças, sistemas ope...
Software Livre (Conceitos, contextualização histórica, licenças, sistemas ope...Software Livre (Conceitos, contextualização histórica, licenças, sistemas ope...
Software Livre (Conceitos, contextualização histórica, licenças, sistemas ope...
 
Sistemas Operacionais e Mercado de Trabalho
Sistemas Operacionais e Mercado de TrabalhoSistemas Operacionais e Mercado de Trabalho
Sistemas Operacionais e Mercado de Trabalho
 
Arquitetura de Software
Arquitetura de SoftwareArquitetura de Software
Arquitetura de Software
 
Sistema operacional introdução
Sistema operacional introduçãoSistema operacional introdução
Sistema operacional introdução
 
Introdução à Programação
Introdução à ProgramaçãoIntrodução à Programação
Introdução à Programação
 
Aula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias ÁgeisAula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias Ágeis
 
Arquitetura de Software
Arquitetura de SoftwareArquitetura de Software
Arquitetura de Software
 

Semelhante a Aula - Introdução a Engenharia de Software

aula projeto e des sistemas 22 03 2021.pptx
aula projeto e des sistemas 22 03 2021.pptxaula projeto e des sistemas 22 03 2021.pptx
aula projeto e des sistemas 22 03 2021.pptxMarcondesTiburcio
 
Aula 1 introdução à engenharia de software1 (1)
Aula 1   introdução à engenharia de software1 (1)Aula 1   introdução à engenharia de software1 (1)
Aula 1 introdução à engenharia de software1 (1)Tiago Vizoto
 
Fundamentos Engenharia de Software.pptx
Fundamentos Engenharia de Software.pptxFundamentos Engenharia de Software.pptx
Fundamentos Engenharia de Software.pptxRoberto Nunes
 
02 Introdução à engenharia de software - conceitos fundamentais
02 Introdução à engenharia de software - conceitos fundamentais02 Introdução à engenharia de software - conceitos fundamentais
02 Introdução à engenharia de software - conceitos fundamentaisWaldemar Roberti
 
Áreas de Conhecimento da Engenharia de Software
Áreas de Conhecimento da Engenharia de SoftwareÁreas de Conhecimento da Engenharia de Software
Áreas de Conhecimento da Engenharia de SoftwareElaine Cecília Gatto
 
2 engenharia de software
2   engenharia de software2   engenharia de software
2 engenharia de softwareFelipe Bugov
 
Fases do desenvolvimento de software baseado no código de ética.
Fases do desenvolvimento de software baseado no código de ética.Fases do desenvolvimento de software baseado no código de ética.
Fases do desenvolvimento de software baseado no código de ética.Ronildo Oliveira
 
A Carreira de Desenvolvedor: do Jr ao Sênior
A Carreira de Desenvolvedor: do Jr ao SêniorA Carreira de Desenvolvedor: do Jr ao Sênior
A Carreira de Desenvolvedor: do Jr ao SêniorMarcos Pereira
 
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdfPedro Alcantara
 
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane Fidelix
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane FidelixApresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane Fidelix
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane FidelixCris Fidelix
 
Modelos de Processo de Software Parte 4
Modelos de Processo de Software Parte 4Modelos de Processo de Software Parte 4
Modelos de Processo de Software Parte 4Elaine Cecília Gatto
 

Semelhante a Aula - Introdução a Engenharia de Software (20)

aula projeto e des sistemas 22 03 2021.pptx
aula projeto e des sistemas 22 03 2021.pptxaula projeto e des sistemas 22 03 2021.pptx
aula projeto e des sistemas 22 03 2021.pptx
 
Aula 1 introdução à engenharia de software1 (1)
Aula 1   introdução à engenharia de software1 (1)Aula 1   introdução à engenharia de software1 (1)
Aula 1 introdução à engenharia de software1 (1)
 
Apresentação RUP
Apresentação RUPApresentação RUP
Apresentação RUP
 
152191 11993
152191 11993152191 11993
152191 11993
 
Aula1 dia 22 02 2022.pdf
Aula1  dia 22 02 2022.pdfAula1  dia 22 02 2022.pdf
Aula1 dia 22 02 2022.pdf
 
Fundamentos Engenharia de Software.pptx
Fundamentos Engenharia de Software.pptxFundamentos Engenharia de Software.pptx
Fundamentos Engenharia de Software.pptx
 
Crise de software2
Crise de software2Crise de software2
Crise de software2
 
Engenharia de Software Aula 1 - Intro
Engenharia de Software Aula 1 - IntroEngenharia de Software Aula 1 - Intro
Engenharia de Software Aula 1 - Intro
 
02 Introdução à engenharia de software - conceitos fundamentais
02 Introdução à engenharia de software - conceitos fundamentais02 Introdução à engenharia de software - conceitos fundamentais
02 Introdução à engenharia de software - conceitos fundamentais
 
Áreas de Conhecimento da Engenharia de Software
Áreas de Conhecimento da Engenharia de SoftwareÁreas de Conhecimento da Engenharia de Software
Áreas de Conhecimento da Engenharia de Software
 
ES - 01
ES - 01ES - 01
ES - 01
 
2 engenharia de software
2   engenharia de software2   engenharia de software
2 engenharia de software
 
Aula1.pdf
Aula1.pdfAula1.pdf
Aula1.pdf
 
Fases do desenvolvimento de software baseado no código de ética.
Fases do desenvolvimento de software baseado no código de ética.Fases do desenvolvimento de software baseado no código de ética.
Fases do desenvolvimento de software baseado no código de ética.
 
A Carreira de Desenvolvedor: do Jr ao Sênior
A Carreira de Desenvolvedor: do Jr ao SêniorA Carreira de Desenvolvedor: do Jr ao Sênior
A Carreira de Desenvolvedor: do Jr ao Sênior
 
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
 
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane Fidelix
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane FidelixApresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane Fidelix
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane Fidelix
 
Modelos de Processo de Software Parte 4
Modelos de Processo de Software Parte 4Modelos de Processo de Software Parte 4
Modelos de Processo de Software Parte 4
 
Macro Arquitetura de Software
Macro Arquitetura de SoftwareMacro Arquitetura de Software
Macro Arquitetura de Software
 
Aula 6 - Qualidade de Software
Aula 6 - Qualidade de SoftwareAula 6 - Qualidade de Software
Aula 6 - Qualidade de Software
 

Mais de Cloves da Rocha

Mineração de Dados Um Estudo de Caso Real.pdf
Mineração de Dados Um Estudo de Caso Real.pdfMineração de Dados Um Estudo de Caso Real.pdf
Mineração de Dados Um Estudo de Caso Real.pdfCloves da Rocha
 
Live: Inteligência Artificial (IA) para pequenas e médias empresas
Live: Inteligência Artificial (IA) para pequenas e médias empresasLive: Inteligência Artificial (IA) para pequenas e médias empresas
Live: Inteligência Artificial (IA) para pequenas e médias empresasCloves da Rocha
 
Introdução a Machine Learning na Prática
Introdução a Machine Learning na PráticaIntrodução a Machine Learning na Prática
Introdução a Machine Learning na PráticaCloves da Rocha
 
II JEDI 2019 - OUP e OPS
II JEDI 2019 - OUP e OPS II JEDI 2019 - OUP e OPS
II JEDI 2019 - OUP e OPS Cloves da Rocha
 
Café.COM - OUP | Observatório de Projetos de Software (OPS) com ênfase em da...
Café.COM - OUP | Observatório de Projetos de Software (OPS)  com ênfase em da...Café.COM - OUP | Observatório de Projetos de Software (OPS)  com ênfase em da...
Café.COM - OUP | Observatório de Projetos de Software (OPS) com ênfase em da...Cloves da Rocha
 
Introdução à Engenharia de Testes de Software
Introdução à Engenharia de Testes de SoftwareIntrodução à Engenharia de Testes de Software
Introdução à Engenharia de Testes de SoftwareCloves da Rocha
 
Observatório de Projetos de Software com ênfase em dados abertos
Observatório de Projetos de Software com ênfase em dados abertosObservatório de Projetos de Software com ênfase em dados abertos
Observatório de Projetos de Software com ênfase em dados abertosCloves da Rocha
 
Gestão de Riscos em Processos de Negócios
Gestão de Riscos em Processos de NegóciosGestão de Riscos em Processos de Negócios
Gestão de Riscos em Processos de NegóciosCloves da Rocha
 
Utilização de Ferramenta Para Monitoração de Desempenho Baseada em Métodos Ág...
Utilização de Ferramenta Para Monitoração de Desempenho Baseada em Métodos Ág...Utilização de Ferramenta Para Monitoração de Desempenho Baseada em Métodos Ág...
Utilização de Ferramenta Para Monitoração de Desempenho Baseada em Métodos Ág...Cloves da Rocha
 
Aula 04 - Estudo de Caso Atacadão
Aula 04 - Estudo de Caso AtacadãoAula 04 - Estudo de Caso Atacadão
Aula 04 - Estudo de Caso AtacadãoCloves da Rocha
 
Café com André Menelau
Café com André MenelauCafé com André Menelau
Café com André MenelauCloves da Rocha
 
APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR - By Prof. Cloves Rocha
APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR - By Prof. Cloves RochaAPRESENTAÇÃO DO PROFESSOR - By Prof. Cloves Rocha
APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR - By Prof. Cloves RochaCloves da Rocha
 
Principais Certificações em TIC - ITIL
Principais Certificações em TIC - ITILPrincipais Certificações em TIC - ITIL
Principais Certificações em TIC - ITILCloves da Rocha
 
Principais Certificações em TIC
Principais Certificações em TIC Principais Certificações em TIC
Principais Certificações em TIC Cloves da Rocha
 
I Café ETE PORTO DIGITAL | EDUCAÇÃO PARA O SÉCULO 21
I Café ETE PORTO DIGITAL | EDUCAÇÃO PARA O SÉCULO 21I Café ETE PORTO DIGITAL | EDUCAÇÃO PARA O SÉCULO 21
I Café ETE PORTO DIGITAL | EDUCAÇÃO PARA O SÉCULO 21Cloves da Rocha
 
XII Café e CODE - Provocações do Mestre
XII Café e CODE - Provocações do MestreXII Café e CODE - Provocações do Mestre
XII Café e CODE - Provocações do MestreCloves da Rocha
 
Padrões de Projeto de Software Orientado a Objetos
Padrões de Projeto de Software Orientado a ObjetosPadrões de Projeto de Software Orientado a Objetos
Padrões de Projeto de Software Orientado a ObjetosCloves da Rocha
 
XI Café e CODE - Provocações do Mestre
XI Café e CODE - Provocações do MestreXI Café e CODE - Provocações do Mestre
XI Café e CODE - Provocações do MestreCloves da Rocha
 
Introdução à Qualidade de Software
Introdução à Qualidade de SoftwareIntrodução à Qualidade de Software
Introdução à Qualidade de SoftwareCloves da Rocha
 

Mais de Cloves da Rocha (20)

Mineração de Dados Um Estudo de Caso Real.pdf
Mineração de Dados Um Estudo de Caso Real.pdfMineração de Dados Um Estudo de Caso Real.pdf
Mineração de Dados Um Estudo de Caso Real.pdf
 
Live: Inteligência Artificial (IA) para pequenas e médias empresas
Live: Inteligência Artificial (IA) para pequenas e médias empresasLive: Inteligência Artificial (IA) para pequenas e médias empresas
Live: Inteligência Artificial (IA) para pequenas e médias empresas
 
Introdução a Machine Learning na Prática
Introdução a Machine Learning na PráticaIntrodução a Machine Learning na Prática
Introdução a Machine Learning na Prática
 
II JEDI 2019 - OUP e OPS
II JEDI 2019 - OUP e OPS II JEDI 2019 - OUP e OPS
II JEDI 2019 - OUP e OPS
 
Café.COM - OUP | Observatório de Projetos de Software (OPS) com ênfase em da...
Café.COM - OUP | Observatório de Projetos de Software (OPS)  com ênfase em da...Café.COM - OUP | Observatório de Projetos de Software (OPS)  com ênfase em da...
Café.COM - OUP | Observatório de Projetos de Software (OPS) com ênfase em da...
 
Introdução à Engenharia de Testes de Software
Introdução à Engenharia de Testes de SoftwareIntrodução à Engenharia de Testes de Software
Introdução à Engenharia de Testes de Software
 
Observatório de Projetos de Software com ênfase em dados abertos
Observatório de Projetos de Software com ênfase em dados abertosObservatório de Projetos de Software com ênfase em dados abertos
Observatório de Projetos de Software com ênfase em dados abertos
 
Gestão de Riscos em Processos de Negócios
Gestão de Riscos em Processos de NegóciosGestão de Riscos em Processos de Negócios
Gestão de Riscos em Processos de Negócios
 
Palestra GEOMARKETING
Palestra GEOMARKETINGPalestra GEOMARKETING
Palestra GEOMARKETING
 
Utilização de Ferramenta Para Monitoração de Desempenho Baseada em Métodos Ág...
Utilização de Ferramenta Para Monitoração de Desempenho Baseada em Métodos Ág...Utilização de Ferramenta Para Monitoração de Desempenho Baseada em Métodos Ág...
Utilização de Ferramenta Para Monitoração de Desempenho Baseada em Métodos Ág...
 
Aula 04 - Estudo de Caso Atacadão
Aula 04 - Estudo de Caso AtacadãoAula 04 - Estudo de Caso Atacadão
Aula 04 - Estudo de Caso Atacadão
 
Café com André Menelau
Café com André MenelauCafé com André Menelau
Café com André Menelau
 
APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR - By Prof. Cloves Rocha
APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR - By Prof. Cloves RochaAPRESENTAÇÃO DO PROFESSOR - By Prof. Cloves Rocha
APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR - By Prof. Cloves Rocha
 
Principais Certificações em TIC - ITIL
Principais Certificações em TIC - ITILPrincipais Certificações em TIC - ITIL
Principais Certificações em TIC - ITIL
 
Principais Certificações em TIC
Principais Certificações em TIC Principais Certificações em TIC
Principais Certificações em TIC
 
I Café ETE PORTO DIGITAL | EDUCAÇÃO PARA O SÉCULO 21
I Café ETE PORTO DIGITAL | EDUCAÇÃO PARA O SÉCULO 21I Café ETE PORTO DIGITAL | EDUCAÇÃO PARA O SÉCULO 21
I Café ETE PORTO DIGITAL | EDUCAÇÃO PARA O SÉCULO 21
 
XII Café e CODE - Provocações do Mestre
XII Café e CODE - Provocações do MestreXII Café e CODE - Provocações do Mestre
XII Café e CODE - Provocações do Mestre
 
Padrões de Projeto de Software Orientado a Objetos
Padrões de Projeto de Software Orientado a ObjetosPadrões de Projeto de Software Orientado a Objetos
Padrões de Projeto de Software Orientado a Objetos
 
XI Café e CODE - Provocações do Mestre
XI Café e CODE - Provocações do MestreXI Café e CODE - Provocações do Mestre
XI Café e CODE - Provocações do Mestre
 
Introdução à Qualidade de Software
Introdução à Qualidade de SoftwareIntrodução à Qualidade de Software
Introdução à Qualidade de Software
 

Último

Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfrarakey779
 
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessDesastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessRodrigoGonzlez461291
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaJunho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaComando Resgatai
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]ESCRIBA DE CRISTO
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxmairaviani
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdfedjailmax
 
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados NacionaisAmérica Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados NacionaisValéria Shoujofan
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfEvangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfPastor Robson Colaço
 
hereditariedade é variabilidade genetic
hereditariedade é variabilidade  genetichereditariedade é variabilidade  genetic
hereditariedade é variabilidade geneticMrMartnoficial
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxSolangeWaltre
 
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkkO QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkkLisaneWerlang
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 

Último (20)

Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessDesastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaJunho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados NacionaisAmérica Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfEvangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
 
hereditariedade é variabilidade genetic
hereditariedade é variabilidade  genetichereditariedade é variabilidade  genetic
hereditariedade é variabilidade genetic
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkkO QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 

Aula - Introdução a Engenharia de Software

  • 1. Introdução a Engenharia de Software Professor MSc Cloves Rocha
  • 2.
  • 3. ■ Depois desta aula você terá uma visão sobre o que é a engenharia de software, os seus objetivos e conceitos básicos.
  • 4. ■ Capítulo 1 (Introdução) do livro Engenharia Software 9ª Edição (de Ian Sommerville)
  • 5. ■ Estudo ou aplicação de abordagens sistemáticas, econômicas e quantificáveis para o desenvolvimento, operação e manutenção de software de qualidade; ■ Engenheiros de software devem adotar uma abordagem sistemática e organizada para seu trabalho e usar ferramentas e técnicas/métodos apropriados dependendo do problema a ser solucionado, das restrições de desenvolvimento e dos recursos disponíveis.
  • 6. ■ Programas de computador e documentação associada; ■ Produtos de software podem ser desenvolvidos para um cliente particular ou podem ser desenvolvidos para um mercado geral.
  • 7. Objetivos da Engenharia de Software ■ Controle sobre o desenvolvimento de software dentro de custos, prazos e níveis de qualidade desejados; ■ Produtividade no desenvolvimento, operação e manutenção de software; ■ Qualidade versus Produtividade; ■ Permitir que profissionais tenham controle sobre o desenvolvimento de software dentro de custos, prazos e níveis de qualidade desejados.
  • 8. Características da Engenharia de Software ■ A Engenharia de Software se refere a software (sistemas) desenvolvidos por grupos ao invés de indivíduos; ■ usa princípios de engenharia ao invés de arte, e... ■ inclui tanto aspectos técnicos quanto não técnicos.
  • 9. O que é um software de qualidade? ■ O software que satisfaz os requisitos solicitados pelo usuário. Deve ser fácil de manter, ter boa performance, ser confiável e fácil de usar. ■ Alguns atributos de qualidade: ◆ Manutenibilidade ☞ O software deve evoluir para atender os requisitos que mudam. ◆ Eficiência ☞ O software não deve desperdiçar os recursos do sistema. ◆ Usabilidade ☞ O software deve ser fácil de usar pelos usuários para os quais ele foi projetado.
  • 10. Qualidade de Software (um exemplo para o Varejo) ■ Correto ◆ A loja não pode deixar de cobrar por produtos comprados pelo consumidor. ■ Robusto e altamente disponível ◆ A loja não pode parar de vender. ■ Eficiente ◆ O consumidor não pode esperar. ◆ A empresa quer investir pouco em recursos computacionais (CPU, memória, rede).
  • 11. ■ Amigável e fácil de usar ◆ A empresa quer investir pouco em treinamento. ■ Altamente extensível e adaptável ◆ A empresa tem sempre novos requisitos (para ontem!); ◆ A empresa quer o software customizado do seu jeito (interface, teclado, idioma, moeda, etc.). ■ Reusável ◆ Várias empresas precisam usar partes de um mesmo sistema. Qualidade de Software (um exemplo para o Varejo)
  • 12. ■ Aberto, compatível, de fácil integração com outros sistemas: ◆ A empresa já tem controle de estoque, fidelização, etc. ■ Portável e independente de plataforma (hw e sw): ◆ A empresa opta por uma determinada plataforma. ■ Baixo custo de instalação e atualização: ◆ A empresa tem um grande número de PDVs. Qualidade de Software (um exemplo para o Varejo)
  • 13. Produtividade ■ Custo de desenvolvimento reduzido: ◆ A empresa consumidora quer investir pouco em software. ◆ A empresa produtora tem que oferecer “software barato”. ■ Tempo de desenvolvimento reduzido: ◆ Suporte rápido às necessidades do mercado.
  • 14. “Software Barato” Nem tanto resultado de baixos custos de desenvolvimento, mas principalmente da distribuição dos custos entre vários clientes. Reuso, extensibilidade e adaptabilidade são essenciais para viabilizar tal distribuição.
  • 15. Importância da Engenharia de Software ■ Qualidade de software e produtividade garantem: ◆ Disponibilidade de serviços essenciais; ◆ Segurança de pessoas; ◆ Competitividade das empresas: ☞ Produtores; ☞ Consumidores.
  • 16. Mas, na realidade, temos a Crise de Software... ■ 25% dos projetos são cancelados; ■ o tempo de desenvolvimento é bem maior do que o estimado; ■ 75% dos sistemas não funcionam como planejado; ■ a manutenção e reutilização são difíceis e custosas; ■ os problemas são proporcionais à complexidade dos sistemas.
  • 17. Causas da Crise de Software ■ Essências ◆ Complexidade dos sistemas; ◆ Dificuldade de formalização. ■ Acidentes ◆ Má qualidade dos métodos, linguagens, ferramentas, processos, e modelos de ciclo de vida; ◆ Falta de qualificação técnica.
  • 18. ■ Elementos ◆ Modelos do ciclo de vida do software; ◆ Linguagens; ◆ Métodos; ◆ Ferramentas; ◆ Processos. ■ Atividades ◆ Modelagem do negócio; ◆ Elicitação de requisitos; ◆ Análise e Projeto; ◆ Implementação; ◆ Testes; ◆ Distribuição; ◆ Planejamento; ◆ Gerenciamento; ◆ Gerência de Configuração e Mudanças; ◆ Manutenção.
  • 19. ■ Artefatos ◆ Plano de Negócios; ◆ Plano de Projeto; ◆ Plano de Riscos; ◆ Documento de Requisitos; ◆ Mapeamentos A&P; ◆ Documento de Caso de Uso; ◆ Documento de Arquitetura; ◆ Classes; ◆ Documento de Testes; ◆ Documento de Validação; ◆ Manual do Sistema. ■ Atividades ◆ Modelagem do negócio; ◆ Elicitação de requisitos; ◆ Análise e Projeto; ◆ Implementação; ◆ Testes; ◆ Distribuição; ◆ Planejamento; ◆ Gerenciamento; ◆ Gerência de Configuração e Mudanças; ◆ Manutenção.
  • 20. ■ Uma representação abstrata e simplificada do processo de desenvolvimento software, tipicamente mostrando as principais atividades e dados usados na produção e manutenção de software
  • 21. Linguagem ■ Notação com sintaxe e semântica bem definidas: ◆ com representação gráfica ou textual. ■ Usada para descrever os artefatos gerados durante o desenvolvimento de software ■ Exemplos: UML, Java, PHP, C# e Python.
  • 22. Método ■ Descrição sistemática de como deve-se realizar uma determinada atividade ou tarefa; ■ A descrição é normalmente feita através de padrões e guias; ■ Exemplos: Método para descoberta das classes de análise no RUP.
  • 23. Ferramenta CASE – ( Computer-Aided Software Engineering ) Engenharia de Software Auxiliada por Computador ■ Provê suporte computacional a um determinado método ou linguagem; ■ Ambiente de desenvolvimento: conjunto de ferramentas integradas (CASE); ■ Exemplos: Rational Rose, JBuilder, Plataforma Eclipse, PhpStorm, Software BizAgi, Aplicação Redmine, Sistema Subversion, Framework JUnit, Ferramenta Sonar.
  • 24. Processo ■ Conjunto de atividades: ◆ bem definidas; ◆ com responsáveis; ◆ com artefatos de entrada e saída; ◆ com dependências entre as mesmas e ordem de execução; ◆ com modelo de ciclo de vida.
  • 25. Processo de software ■ Um conjunto de atividades cujo objetivo é o desenvolvimento ou a evolução do software; ■ Conjunto coerente de atividades para especificação, projeto, implementação e teste de sistemas de software.
  • 26. Metodologia ■ Conjunto de métodos + processo
  • 27. Pontos principais ■ Engenharia de software é uma disciplina de engenharia que está envolvida com todos os aspectos da produção de software; ■ Produtos de software consistem de programas desenvolvidos e documentação associada. Alguns atributos de qualidade do produto são manutenibilidade, eficiência e usabilidade; ■ O processo de software consiste nas atividades que são envolvidas no desenvolvimento de produtos de software.
  • 28. Pontos principais ■ Métodos são formas organizadas de produzir software. Eles incluem sugestões para o processo a ser seguido, as notações a serem usadas, regras que governam as descrições do sistema que são produzidas e diretrizes de projeto; ■ Ferramentas CASE são sistemas de software que são projetados para suportar as atividades rotineiras no processo de software, como edição de diagramas de projeto e verificação de consistência dos diagramas.
  • 29. Tarefa #01: • Planejamento inicial; • TIMES?
  • 30. Obrigado! Thank you! Dúvidas??? <?php print("ACESSO AO MATERIAL"); <?php print("http://slideshare.net/ClovesRocha");