SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
NOÇÕES DE CUIDADOS E SOCORROS DE
URGÊNCIA
Desmaios
“Madalena desmaiada” - por Artemisia Gentileschi - 1663
Prof: Cleanto Santos Vieira
NOÇÕES DE CUIDADOS E SOCORROS DE
URGÊNCIA
 Desmaio:
 É provocado por falta de oxigênio ou
açúcar no cérebro, a que o organismo
reage de forma automática, com perda de
consciência e queda do corpo. Tem
diversas causas: excesso de calor, fadiga,
falta de alimentos, etc, e é caracterizada
por palidez, suores frios, falta de forças e
pulso fraco.
NOÇÕES DE CUIDADOS E SOCORROS DE URGÊNCIA
O que fazer?
Se nos apercebermos de que a pessoa
está prestes a desmaiar devemos:
•Sentá-la e colocar-lhe a cabeça entre as
pernas, ou deitá-la e levantar-lhe as
pernas
•Molhar-lhe a testa com água fria
•Desapertar-lhe as roupas
•Não deixar a pessoa nervosa com a
situação
NOÇÕES DE CUIDADOS E SOCORROS DE URGÊNCIA
Se a pessoa já estiver desmaiada
•Abrir as vias aéreas levantando o queixo com os dedos
calmamente.
•Com a ajuda de outra pessoa, levante as pernas.
•Desapertar-lhe as roupas.
•Mantê-la confortavelmente aquecida.
•Logo que recupere os sentidos, levante-a calmamente para
que não sinta tontura e após dar-lhe de beber bebidas
açucaradas.
•Consultar o médico posteriormente.
•Caso não recupere os sentidos, fazer uma papa com muito
açúcar e pouca água e coloca-la debaixo da língua da vitima. O
açúcar deve ser “empapado em água” (não dissolvido, mas sim
misturado apenas com algumas gotas de água);(Acionar de
imediato os meios de emergência médica)
NOÇÕES DE CUIDADOS E SOCORROS DE URGÊNCIA
 O que não fazer
 Dar-lhe de beber enquanto a vitima não
recuperar os sentidos, pois pode
sufocar/afogar-se com os líquidos.
NOÇÕES DE CUIDADOS E SOCORROS DE URGÊNCIA
 Caso o desmaio for superior a 2
minutos dirigir-se a um Hospital
 Em caso de dúvida administrar sempre
açúcar em papa debaixo da língua,
pois se estiver em hipoglicemia
estaremos a contribuir para a melhoria
do estado da vítima, e se estiver em
hiperglicemia, pouco irá fazer subir os
níveis. Além do mais é sempre
preferível níveis altos do que muito
baixos.
 Usar e abusar do açúcar à menor
suspeita, pois tomado em exagero de
vez em quando não prejudica,
enquanto a falta ou o atraso ataca o
cérebro e pode levar ao coma e à
morte.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Acidentes por animais peçonhentos
Acidentes por animais peçonhentosAcidentes por animais peçonhentos
Acidentes por animais peçonhentos
Nathy Oliveira
 
2- Biossegurança, Avaliação da cena, Avaliação primária e Avaliação do paciente
2- Biossegurança, Avaliação da cena, Avaliação primária e Avaliação do paciente2- Biossegurança, Avaliação da cena, Avaliação primária e Avaliação do paciente
2- Biossegurança, Avaliação da cena, Avaliação primária e Avaliação do paciente
ElioenaiAlmeida1
 
Abordagem da vitima de trauma
Abordagem da vitima de traumaAbordagem da vitima de trauma
Abordagem da vitima de trauma
Nilton Goulart
 

Mais procurados (20)

Primeiros Socorros Modulo IV
Primeiros Socorros Modulo IVPrimeiros Socorros Modulo IV
Primeiros Socorros Modulo IV
 
Hemorragias
HemorragiasHemorragias
Hemorragias
 
Intoxicação exógena
Intoxicação exógenaIntoxicação exógena
Intoxicação exógena
 
Oxigenoterapia
Oxigenoterapia Oxigenoterapia
Oxigenoterapia
 
Urgência e emergência
Urgência e emergênciaUrgência e emergência
Urgência e emergência
 
Aula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergênciaAula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergência
 
Manobra Heimlich
Manobra HeimlichManobra Heimlich
Manobra Heimlich
 
Engasgamento
EngasgamentoEngasgamento
Engasgamento
 
Imobilização
ImobilizaçãoImobilização
Imobilização
 
Parada Cardiorrespiratória
Parada CardiorrespiratóriaParada Cardiorrespiratória
Parada Cardiorrespiratória
 
PRIMEIROS SOCORROS CHOQUE ELETRICO
PRIMEIROS SOCORROS  CHOQUE ELETRICOPRIMEIROS SOCORROS  CHOQUE ELETRICO
PRIMEIROS SOCORROS CHOQUE ELETRICO
 
Primeiros Socorros Modulo III
Primeiros Socorros Modulo IIIPrimeiros Socorros Modulo III
Primeiros Socorros Modulo III
 
Acidentes por animais peçonhentos
Acidentes por animais peçonhentosAcidentes por animais peçonhentos
Acidentes por animais peçonhentos
 
Sinais vitais
Sinais vitaisSinais vitais
Sinais vitais
 
2- Biossegurança, Avaliação da cena, Avaliação primária e Avaliação do paciente
2- Biossegurança, Avaliação da cena, Avaliação primária e Avaliação do paciente2- Biossegurança, Avaliação da cena, Avaliação primária e Avaliação do paciente
2- Biossegurança, Avaliação da cena, Avaliação primária e Avaliação do paciente
 
Aula sinais vitais
Aula sinais vitaisAula sinais vitais
Aula sinais vitais
 
Abordagem da vitima de trauma
Abordagem da vitima de traumaAbordagem da vitima de trauma
Abordagem da vitima de trauma
 
Atendimento pré hospitalar aula 01 iesm
Atendimento pré hospitalar aula 01 iesmAtendimento pré hospitalar aula 01 iesm
Atendimento pré hospitalar aula 01 iesm
 
Assistência ao Paciente Grande Queimado
Assistência ao Paciente Grande QueimadoAssistência ao Paciente Grande Queimado
Assistência ao Paciente Grande Queimado
 
GRUPO 15 - Convulsões e Desmaios.pptx
GRUPO 15 - Convulsões e Desmaios.pptxGRUPO 15 - Convulsões e Desmaios.pptx
GRUPO 15 - Convulsões e Desmaios.pptx
 

Semelhante a Primeiros Socorros - Desmaios noções de cuidados e socorros de urgência

Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
Thais Regina
 
Desidratação no Idoso
Desidratação no IdosoDesidratação no Idoso
Desidratação no Idoso
Amanda Thomé
 
Beba áGua Com EstôMago Vazio
Beba áGua Com EstôMago VazioBeba áGua Com EstôMago Vazio
Beba áGua Com EstôMago Vazio
Gersmael
 
Benefícios da água para a saúde
Benefícios da água para a saúdeBenefícios da água para a saúde
Benefícios da água para a saúde
Amadeu Wolff
 
Cura pela agua
Cura pela aguaCura pela agua
Cura pela agua
gtadeu
 
áGua pura2
áGua pura2áGua pura2
áGua pura2
Asdmr-Ma
 
Aprende A Ajudar! 2 P (Ppt03) Ss
Aprende A Ajudar! 2 P (Ppt03) SsAprende A Ajudar! 2 P (Ppt03) Ss
Aprende A Ajudar! 2 P (Ppt03) Ss
guest8ce8d0
 

Semelhante a Primeiros Socorros - Desmaios noções de cuidados e socorros de urgência (20)

Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
 
Desidratação no Idoso
Desidratação no IdosoDesidratação no Idoso
Desidratação no Idoso
 
PRIMEIROS SOCORROS EM CRIANÇAS
PRIMEIROS SOCORROS EM CRIANÇASPRIMEIROS SOCORROS EM CRIANÇAS
PRIMEIROS SOCORROS EM CRIANÇAS
 
Água
ÁguaÁgua
Água
 
Emergencias clinicas
Emergencias clinicasEmergencias clinicas
Emergencias clinicas
 
Milagres da-agua-na-saude
Milagres da-agua-na-saudeMilagres da-agua-na-saude
Milagres da-agua-na-saude
 
000 milagres da-água
000 milagres da-água000 milagres da-água
000 milagres da-água
 
Doencas curáveis com água
Doencas curáveis com águaDoencas curáveis com água
Doencas curáveis com água
 
Dr1folheto saude
Dr1folheto saudeDr1folheto saude
Dr1folheto saude
 
Hidratação monstraaaa
Hidratação monstraaaaHidratação monstraaaa
Hidratação monstraaaa
 
Como desintoxicar o pulmao
Como desintoxicar o pulmaoComo desintoxicar o pulmao
Como desintoxicar o pulmao
 
Como desintoxicar o pulmao
Como desintoxicar o pulmaoComo desintoxicar o pulmao
Como desintoxicar o pulmao
 
Beba áGua Com EstôMago Vazio
Beba áGua Com EstôMago VazioBeba áGua Com EstôMago Vazio
Beba áGua Com EstôMago Vazio
 
Mal súbito
Mal súbitoMal súbito
Mal súbito
 
Benefícios da água para a saúde
Benefícios da água para a saúdeBenefícios da água para a saúde
Benefícios da água para a saúde
 
Cura pela agua
Cura pela aguaCura pela agua
Cura pela agua
 
Saude.agua
Saude.aguaSaude.agua
Saude.agua
 
emergencia-clinica editado.ppt
emergencia-clinica editado.pptemergencia-clinica editado.ppt
emergencia-clinica editado.ppt
 
áGua pura2
áGua pura2áGua pura2
áGua pura2
 
Aprende A Ajudar! 2 P (Ppt03) Ss
Aprende A Ajudar! 2 P (Ppt03) SsAprende A Ajudar! 2 P (Ppt03) Ss
Aprende A Ajudar! 2 P (Ppt03) Ss
 

Mais de Cleanto Santos Vieira

Mais de Cleanto Santos Vieira (20)

Hidroterapia - crio tapping - Aula 8
Hidroterapia - crio tapping - Aula 8Hidroterapia - crio tapping - Aula 8
Hidroterapia - crio tapping - Aula 8
 
Termoterapia ondas curtas e microondas - cap 7
Termoterapia   ondas curtas e microondas - cap 7Termoterapia   ondas curtas e microondas - cap 7
Termoterapia ondas curtas e microondas - cap 7
 
Termoterapia ultra-som - capítulo 14
Termoterapia   ultra-som - capítulo 14Termoterapia   ultra-som - capítulo 14
Termoterapia ultra-som - capítulo 14
 
Fototerapia - ultra violeta - capitulo 16
Fototerapia - ultra violeta - capitulo 16Fototerapia - ultra violeta - capitulo 16
Fototerapia - ultra violeta - capitulo 16
 
Fototerapia - infravermelho - cap 13
 Fototerapia - infravermelho - cap 13 Fototerapia - infravermelho - cap 13
Fototerapia - infravermelho - cap 13
 
Fototerapia - laser - capítulo 15
 Fototerapia - laser - capítulo 15 Fototerapia - laser - capítulo 15
Fototerapia - laser - capítulo 15
 
Hidroterapia - banhos de contraste - Aula 12
Hidroterapia - banhos de contraste - Aula 12 Hidroterapia - banhos de contraste - Aula 12
Hidroterapia - banhos de contraste - Aula 12
 
Hidroterapia - turbilhões - Aula 11
Hidroterapia - turbilhões - Aula 11Hidroterapia - turbilhões - Aula 11
Hidroterapia - turbilhões - Aula 11
 
Hidroterapia - crioalongamento - Aula 10
Hidroterapia - crioalongamento - Aula 10Hidroterapia - crioalongamento - Aula 10
Hidroterapia - crioalongamento - Aula 10
 
Hidroterapia - imersão no gelo - Aula 9
Hidroterapia - imersão no gelo - Aula 9Hidroterapia - imersão no gelo - Aula 9
Hidroterapia - imersão no gelo - Aula 9
 
Hidroterapia introdução - aula 1
Hidroterapia   introdução - aula 1Hidroterapia   introdução - aula 1
Hidroterapia introdução - aula 1
 
Eletroterapia - corrente aussie - capitulo 8 aula 18
Eletroterapia - corrente aussie - capitulo 8 aula 18Eletroterapia - corrente aussie - capitulo 8 aula 18
Eletroterapia - corrente aussie - capitulo 8 aula 18
 
Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17
Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17
Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17
 
Neurofisiologia - sinapses - aula 3 capitulo 2
Neurofisiologia - sinapses - aula 3 capitulo 2 Neurofisiologia - sinapses - aula 3 capitulo 2
Neurofisiologia - sinapses - aula 3 capitulo 2
 
Sistema Nervoso - fisiopatologia do neurônio motor superior e periférico - A...
Sistema Nervoso -  fisiopatologia do neurônio motor superior e periférico - A...Sistema Nervoso -  fisiopatologia do neurônio motor superior e periférico - A...
Sistema Nervoso - fisiopatologia do neurônio motor superior e periférico - A...
 
Primeiros Socorros - Atendimento de emergência a politraumatizados
Primeiros Socorros - Atendimento de emergência a politraumatizadosPrimeiros Socorros - Atendimento de emergência a politraumatizados
Primeiros Socorros - Atendimento de emergência a politraumatizados
 
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leitoPrimeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
 
Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...
Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...
Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...
 
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismo
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismoPrimeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismo
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismo
 
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos himenopteros
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos himenopterosPrimeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos himenopteros
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos himenopteros
 

Último

Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
paulo222341
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
HELLEN CRISTINA
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
HELLEN CRISTINA
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
HELLEN CRISTINA
 

Último (8)

Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 

Primeiros Socorros - Desmaios noções de cuidados e socorros de urgência

  • 1. NOÇÕES DE CUIDADOS E SOCORROS DE URGÊNCIA Desmaios “Madalena desmaiada” - por Artemisia Gentileschi - 1663 Prof: Cleanto Santos Vieira
  • 2. NOÇÕES DE CUIDADOS E SOCORROS DE URGÊNCIA  Desmaio:  É provocado por falta de oxigênio ou açúcar no cérebro, a que o organismo reage de forma automática, com perda de consciência e queda do corpo. Tem diversas causas: excesso de calor, fadiga, falta de alimentos, etc, e é caracterizada por palidez, suores frios, falta de forças e pulso fraco.
  • 3. NOÇÕES DE CUIDADOS E SOCORROS DE URGÊNCIA O que fazer? Se nos apercebermos de que a pessoa está prestes a desmaiar devemos: •Sentá-la e colocar-lhe a cabeça entre as pernas, ou deitá-la e levantar-lhe as pernas •Molhar-lhe a testa com água fria •Desapertar-lhe as roupas •Não deixar a pessoa nervosa com a situação
  • 4. NOÇÕES DE CUIDADOS E SOCORROS DE URGÊNCIA Se a pessoa já estiver desmaiada •Abrir as vias aéreas levantando o queixo com os dedos calmamente. •Com a ajuda de outra pessoa, levante as pernas. •Desapertar-lhe as roupas. •Mantê-la confortavelmente aquecida. •Logo que recupere os sentidos, levante-a calmamente para que não sinta tontura e após dar-lhe de beber bebidas açucaradas. •Consultar o médico posteriormente. •Caso não recupere os sentidos, fazer uma papa com muito açúcar e pouca água e coloca-la debaixo da língua da vitima. O açúcar deve ser “empapado em água” (não dissolvido, mas sim misturado apenas com algumas gotas de água);(Acionar de imediato os meios de emergência médica)
  • 5. NOÇÕES DE CUIDADOS E SOCORROS DE URGÊNCIA  O que não fazer  Dar-lhe de beber enquanto a vitima não recuperar os sentidos, pois pode sufocar/afogar-se com os líquidos.
  • 6. NOÇÕES DE CUIDADOS E SOCORROS DE URGÊNCIA  Caso o desmaio for superior a 2 minutos dirigir-se a um Hospital  Em caso de dúvida administrar sempre açúcar em papa debaixo da língua, pois se estiver em hipoglicemia estaremos a contribuir para a melhoria do estado da vítima, e se estiver em hiperglicemia, pouco irá fazer subir os níveis. Além do mais é sempre preferível níveis altos do que muito baixos.  Usar e abusar do açúcar à menor suspeita, pois tomado em exagero de vez em quando não prejudica, enquanto a falta ou o atraso ataca o cérebro e pode levar ao coma e à morte.