Puberdade precoce

4.845 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.845
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
134
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Puberdade precoce

  1. 1. Faculdade de Medicina de Petrópolis Disciplina de Tocoginecologia Prof. Dr. Claudio S Batista 2012
  2. 2. menarca puberdade menacme menopausapré adolescência adolescência menacme climatério 8–11 12 – 18 19 – 39 40 – 64 anos
  3. 3. Puberdade Normal Critérios estabelecidos na década de 40Reynolds EL, Wine JV. Individual difference in physical changes associated with adolescence in girls. Am J Dis Child 1948;75:329-50. revisados na década de 60 estabeleceram o limite de normalidade para o início puberal em 8 anos para as meninas e em 9 anos para os meninos. Marshall WA, Tanner JM. Variations in the pattern of pubertal changes in girls. Arch Dis Child 1969;44:291-303. De Sanctis V, et al. Etiology of central precocious puberty in males: the results of the Italian study group for physiopathology of puberty. J Pediatr Endocrinol Metab 2000;13:687-93. 3/nº
  4. 4. Puberdade Normal Período de transição entre a infância e idade adulta caracterizada:  maturação gonadal;  aparecimento dos caracteres sexuais secundários;  aquisição das funções reprodutivas;  Modificações físicas e psicológicas. Início entre 8 e 13 anos 4
  5. 5. Puberdade Normal Fisiologia Inicia – se com • secreção pulsátil do hormônio hipotalâmico (GnRH) na circulação porto-hipofisária, que vai atuar na hipófise anterior, estimulando a síntese de LH e FSH. LH – LHR (ovários) -> estimula produção de andrógenos que são aromatizados em estrógenos por ação do FSH nas células da granulosa. 5
  6. 6. Fisiologia da Puberdade Normal 6
  7. 7. Puberdade Normal Sinais Aceleração da velocidade de crescimento antecede a telarca. Telarca  desenvolvimento das mamas  dependente dos estrogenios de origem ovariana Pubarca  aparecimento dos pêlos pubianos e axilares  decorrente da ação de androgênios adrenais. Menarca  Primeira menstruação.  Marcador tardio da puberdade feminina. 7/35
  8. 8. Critérios de Tanner mamas M1 - mama infantil, com elevação somente da papila; M2 - broto mamário; aumento inicial da glândula mamária, com elevação da aréola e papila, aumento do diâmetro da aréola, e modificação de sua textura; M3 - maior aumento da mama e da aréola, mas sem separação dos contornos; 8
  9. 9. Critérios de Tanner mamas M4 - maior crescimento da mama e da aréola, com formação de uma segunda saliência acima do contorno da mama; M5 - mamas com aspecto adulto; e contorno areolar novamente incorporado ao contorno da mama 9
  10. 10. Critérios de Tanner pelos pubianos P1 - ausência de pelos pubianos ou leve penugem semelhante à observada na parede abdominal; P2 - pelos longos e finos, levemente pigmentados, lisos ou pouco encaracolados, principalmente ao longo dos grandes lábios; P3 - maior quantidade de pelos, mais grossos, escuros e encaracolados, espalhando-se esparsamente pela sínfise púbica; 10
  11. 11. Critérios de Tanner pelos pubianos P4 - pelos do tipo adulto, cobrindo mais densamente a região púbica, mas ainda sem atingir a face interna das coxas; P5 - pilosidade pubiana igual a do adulto, em quantidade e distribuição, invadindo a face interna das coxas; P6 - extensão dos pelos para cima da região púbica. 11
  12. 12. 12
  13. 13. Puberdade precoce Aparecimento de caracteres sexuais secundários antes dos 8 anos de idade cronológica na menina ou antes dos 9 anos no meninoDe Sanctis V, Corrias A, Riozzo V, Bertelloni S, Urso L, Galluzzi F, et al. Etiology of central precocious puberty in males: the results of the Italian study group for physiopathology of puberty. J Pediatr Endocrinol Metab .2000;13:687-93. 13/nº
  14. 14. Classificação Puberdade precoce verdadeira – (constitucional completa, isossexual, central ou dependente do GnRH.)Resulta da ativação precoce do eixo hipotálamo-hipófise- ovário, levando ao desenvolvimento puberal precoce, porém com padrão semelhante ao da puberdade fisiológica 1414º
  15. 15. Classificação Pseudopuberdade sexual – (incompleta, periférica, iso ou heterossexual ou independente do GnRH)Resulta do estímulo por esteróides sexuais não associado à produção de gonadotrofinas hipofisárias 1515º
  16. 16. Etiologia da Puberdade Precoce Central (Modificado de Olshan) Idiopática Tumores do Sistema Nervoso Central Astrocitomas, Ependimomas, Glioma de nervo óptico ou de hipotálamo, Germinomas, Craniofaringeomas. Damiani D. Diagnóstico Laboratorial da Puberdade Precoce. Arq Bras Endocrinol Metab, 2002; 46(1):85-90
  17. 17. Etiologia da Puberdade Precoce Central (Modificado de Olshan (continuação))Outros Distúrbios do Sistema Nervoso Central Hamartoma hipotalâmico do túber cinereum Encefalite Abscesso Cerebral Granuloma tuberculoso Sarcoidose Infecção congênita (Toxoplasmose, Rubéola) Trauma de crânio Lesões vasculares Irradiação craniana Neurofibromatose tipo I (freqüentemente associada a glioma óptico) Damiani D. Diagnóstico Laboratorial da Puberdade Precoce. Arq Bras Endocrinol Metab, 2002; 46(1):85-90
  18. 18. Puberdade precoce diagnóstico É clínico !!!!!!!Baseado em: dados populacionais que nos permitem estabelecer limites de normalidade.Dados necessariamente imprecisos já que se trata de fenômeno biológico e não matemático 18
  19. 19. Puberdade precoce diagnóstico Avaliação dos caracteres sexuais secundários • telarca • pubarca comparando-os aos critérios de Tanner 19
  20. 20. Puberdade precoce diagnóstico Estadiamento de: pelos, mamas, avaliação da genitália externa (clitóris), sinais de androgenização, de acordo com os critérios de Tanner. Estabelecer curvas de crescimento, se possível com dados obtidos pelo pediatra 2020º
  21. 21. Puberdade precoce diagnóstico Exames complementaresCitologia vaginal, com índice de Frost Radiografia de punho esquerdo (idade óssea). TSH  se idade óssea retardada. Ultrassonografia pélvica e adrenal. 22/nº
  22. 22. Puberdade precoce diagnósticoAvaliação hormonal básica: PP isossexual LH e FSH PP Heterossexual • testosterona, • androstenediona, • DHEA-S, • 170H-progesterona 23/nº
  23. 23. Puberdade precoce diagnóstico TC de crânio e sela túrcica nos casos de suspeita de puberdade precoce verdadeira. Estudo do esqueleto (nos casos suspeitos da S. McCune Albright). Teste do GnRH: ministração de 100 mg GnRH / EV.Puberdade precoce verdadeira aumento predominante do LH em relação ao FSH aumento de 200% ou mais em relação aos valores basais, ou incremento absoluto maior que 15 mUI/ml (radioimunoensaio), ou maior que 6,9 mUI/ml (imunofluorimétrico) 24/nº
  24. 24. Puberdade precoce tratamento considerar: • idade, • Velocidade de crescimento, • idade óssea avançada e • aspectos psicossociais. 2525º
  25. 25. Puberdade precoce tratamento considerar  Tratamento etiológico sempre que possível.  Diagnóstico e tratamento das doenças sistêmicas  Interromper o processo de desenvolvimento da PP.  Diminuir os sinais de precocidade  Garantir estatura final máxima  Diminuir o impacto emocional, social e reprodutivo . 2626º
  26. 26. Puberdade precoce tratamento  O que usar?  Acetato de medroxiprogesterona (AMP) 50mg IM/ mês ou  10 mg VO / dia Acetato de ciproterona 50 mg VO / dia • • na puberdade heterossexual. 2727º
  27. 27. Puberdade precoce tratamento Até quando ? Até que ocorra a fusão das epífises ósseas, ou Até a paciente atingir a idade adequada para a puberdade. 2828º
  28. 28. Puberdade precoce tratamento Apoio psicoterapêutico qualquer que seja a causa, direcionado à paciente e à família é imprescindível. A questão da prematuridade reprodutiva deve ser cuidadosamente observada, e a menina e os familiares devem ser orientados quanto a esta possibilidade. O abuso sexual é mais freqüente nessas pacientes 2929º
  29. 29. Puberdade precoce tratamento 30/nº

×