O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
ABORDAGEM CIRÚRGICA DAS LESÕES PRÉ-NEOPLÁSICAS                EDO CÂNCER DO COLO UTERINO       CLAUDIO SERGIO BATISTA     ...
... O CÂNCER DE COLO DO ÚTERO         É DOENÇA PREVENÍVEL...                              2
Lesões pré-malignas    Displasia Leve -SIL Baixo Grau – NIC I    Expectante / Cauterização / Exérese da Lesão          Con...
Displasia Moderada – NIC II  Paciente com prole                               Paciente com prole não       definida       ...
Displasia Acentuada – Ca “IN SITU” (NIC III – SIL Alto Grau)                         Paciente com prole definida          ...
Displasia Acentuada – Ca “IN SITU” (NIC III – SIL Alto Grau)                             Paciente sem prole definida      ...
Diagnóstico do Câncerde Colo Uterino       Citologia       Colposcopia       Biópsia       Conização                      ...
Estadiamento ClínicoFIGO – Montreal, 1994                        8
Estadiamento   Exame clínico completo:          Exame Pélvico;          Exame Retal;            Se necessário sob anestes...
ESTÁDIO I - Limitado ao colo uterino.Estádio Ia: Carcinoma micro- invasor do colo uterino,diagnosticado somente pela micro...
ESTÁDIO Ia2 – Lesões detectadas microscopicamente quepodem ser medidas. O limite superior da medida não podemostrar invasã...
Estádio I b – Lesões maiores que as dimensões do estádio Ia2                                                        12
ESTÁDIO II - Carcinoma invade além do colo, mas nãoinvade 1/3 inferior da vagina nem parede pélvica.Estádio II a – Envolvi...
Estádio II b – Extensão ao paramétrio junto ao útero                                                                      ...
ESTÁDIO III - Carcinoma estende-se até 1/3 inferior davagina e / ou parede pélvica e / ou causa hidronefrose ou rimnão fun...
Estádio III b – extensão parametrial até parede pélvica ouobstrução ureteral na urografia excretora.                      ...
Estádio IV - Tumor invade mucosa de reto e /ou bexiga e /ou estende-se além da pelve verdadeira.Estádio IV a – o tumor est...
Estádio IV b – extensão a órgãos distantes – metátases                                                         18
19
Tratamento             20
????+      21
Tratamento Cirúgico        Guideline da FIGO – 2000                                    22
Guideline da FIGO – 2000   Estádio IA1     Conização ou...     Histerectomia simples (sem invasão do      espaço linfov...
Guideline da FIGO – 2000Estádio IIB, III e IVA        Radioterapia externa e intracavitária.        Quimiorradiação     ...
25
26
Prognóstico              27
Sobrevida em 5 anos                          ESTADIAMENTO12010080604020 0      IA1   IA2   IB     IB1   IB2   IIA   IIB   ...
“Preventionis better than         cure...    ...Nothing Truer.”              Prof. Surendra Nath Panda,2002               ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Abordagem das lesões pré malignas e do câncer de colo do útero

18.189 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

Abordagem das lesões pré malignas e do câncer de colo do útero

  1. 1. ABORDAGEM CIRÚRGICA DAS LESÕES PRÉ-NEOPLÁSICAS EDO CÂNCER DO COLO UTERINO CLAUDIO SERGIO BATISTA 1 MAIO – 2006
  2. 2. ... O CÂNCER DE COLO DO ÚTERO É DOENÇA PREVENÍVEL... 2
  3. 3. Lesões pré-malignas Displasia Leve -SIL Baixo Grau – NIC I Expectante / Cauterização / Exérese da Lesão Controle Citológico – 3 / 6 meses 3 http://www.ufes.br/~dgo/protoc.htm - 21-04-06
  4. 4. Displasia Moderada – NIC II Paciente com prole Paciente com prole não definida definida Cauterização Conização CAF Controle citológico 3 / 6 meses Citologia Classe III Citologia Classe II Nova propedêutica Controle 3 / 6 meses NIC II ou NIC IIIReconização ou Histerectomia Total 4 http://www.ufes.br/~dgo/protoc.htm - 21-04-06
  5. 5. Displasia Acentuada – Ca “IN SITU” (NIC III – SIL Alto Grau) Paciente com prole definida Conização NIC II NIC III Ca Microinvasor Ca InvasorMargens Margens Livres Comprometidas HTA com Werthein Meigs Manguito Vaginal Radioterapia Controle HTA3 / 6 meses Reconização 5 http://www.ufes.br/~dgo/protoc.htm - 21-04-06
  6. 6. Displasia Acentuada – Ca “IN SITU” (NIC III – SIL Alto Grau) Paciente sem prole definida Exérese da lesão com CAF Cauterização profunda sob visão colposcópica Controle 3 / 6 meses Classe II Classe III Controle conização 3 / 6 meses NIC II NICIII Ca Microinvasor Ca Invasor Margens Livres Margens Comprometidas Controle HTA com Werthein Meigs3 / 6 meses HTA Manguito Vaginal Radioterapia 6 Reconização
  7. 7. Diagnóstico do Câncerde Colo Uterino Citologia Colposcopia Biópsia Conização 7
  8. 8. Estadiamento ClínicoFIGO – Montreal, 1994 8
  9. 9. Estadiamento Exame clínico completo: Exame Pélvico; Exame Retal; Se necessário sob anestesia Ultra-sonografia pélvica; Raio-X de tórax; Cistoscopia; Reto-sigmoidoscopia. 9
  10. 10. ESTÁDIO I - Limitado ao colo uterino.Estádio Ia: Carcinoma micro- invasor do colo uterino,diagnosticado somente pela microscopia.Ia1 - Invasão estromal mínima, confirmada pela microscopia. 10
  11. 11. ESTÁDIO Ia2 – Lesões detectadas microscopicamente quepodem ser medidas. O limite superior da medida não podemostrar invasão maior que 5 mm tomada da base do epitélioglandular, escamoso ou metaplásico, de onde é originado, e asegunda dimensão, a horizontal, não pode exceder a 7 mm 11
  12. 12. Estádio I b – Lesões maiores que as dimensões do estádio Ia2 12
  13. 13. ESTÁDIO II - Carcinoma invade além do colo, mas nãoinvade 1/3 inferior da vagina nem parede pélvica.Estádio II a – Envolvimento não evidente de paramétrio.Extensão aos 2/3 superiores da vagina                                                    13
  14. 14. Estádio II b – Extensão ao paramétrio junto ao útero           14
  15. 15. ESTÁDIO III - Carcinoma estende-se até 1/3 inferior davagina e / ou parede pélvica e / ou causa hidronefrose ou rimnão funcionante.Estádio III a - não há extensão à parede pélvica. Extensãoaté 1/3 inferior da vagina. 15
  16. 16. Estádio III b – extensão parametrial até parede pélvica ouobstrução ureteral na urografia excretora. 16
  17. 17. Estádio IV - Tumor invade mucosa de reto e /ou bexiga e /ou estende-se além da pelve verdadeira.Estádio IV a – o tumor estende-se aos órgãos adjacentes,envolvendo reto e/ou bexiga.                                                    17
  18. 18. Estádio IV b – extensão a órgãos distantes – metátases 18
  19. 19. 19
  20. 20. Tratamento 20
  21. 21. ????+ 21
  22. 22. Tratamento Cirúgico  Guideline da FIGO – 2000 22
  23. 23. Guideline da FIGO – 2000 Estádio IA1  Conização ou...  Histerectomia simples (sem invasão do espaço linfovascular). Estádio IA 2, IB, IIA  Histerectomia radical, com linfadenectomia pélvica bilateral ou...  Radioterapia externa e intracavitária. Traquelectomia radical com parametrectomia e linfadenectomia pélvica  alternativa para mulheres com tumores pequenos e que desejam preservar a fertilidade. 23
  24. 24. Guideline da FIGO – 2000Estádio IIB, III e IVA  Radioterapia externa e intracavitária.  Quimiorradiação  com cisplatina mostrou resultados melhores que os da radioterapia isolada em tumores localmente avançados. Estádio IVB  Radioterapia pélvica e quimioterapia paliativas. 24
  25. 25. 25
  26. 26. 26
  27. 27. Prognóstico 27
  28. 28. Sobrevida em 5 anos ESTADIAMENTO12010080604020 0 IA1 IA2 IB IB1 IB2 IIA IIB IIIA IIIB IVA IVB 28 Figo - Annual Report - 2003
  29. 29. “Preventionis better than cure... ...Nothing Truer.” Prof. Surendra Nath Panda,2002 29

×