 
Padre António Vieira
(Sermão pronunciado em São Luís do Maranhão, a 13 de Junho de 1654)
. Retoma dos argumentos utilizados.
. Apelo aos ouvintes para que respeitem,
venerem e louvem a Deus.
. Louvor a Deus.
“Com esta última advertência vos despido, ou me despido de vós,
meus Peixes. E para que vades consolados do Sermão, que nã...
PERORAÇÃO utilização de um desfecho forte para impressionar os ouvintes.
O orador retoma os pregadores de que falava no co...
Comparação com certas almas que chegam a
Deus mortas porque estão em pecado mortal
“Oh quantas almas chegam
aquele Altar m...
“Louvai a Deus, porque vos criou em
tanto número. Louvai a Deus, que vos
distinguiu em tantas espécies; louvai a
Deus, que...
O céu 'strela o azul e tem grandeza.
Este, que teve a fama e à glória tem,
Imperador da língua portuguesa,
Foi-nos um céu ...
Disciplina de Português
Profª: Helena Maria Coutinho
Sermão Cap VI
Sermão Cap VI
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sermão Cap VI

219 visualizações

Publicada em

Sermão de Santo António aos peixes. 11o

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sermão Cap VI

  1. 1.   Padre António Vieira (Sermão pronunciado em São Luís do Maranhão, a 13 de Junho de 1654)
  2. 2. . Retoma dos argumentos utilizados. . Apelo aos ouvintes para que respeitem, venerem e louvem a Deus. . Louvor a Deus.
  3. 3. “Com esta última advertência vos despido, ou me despido de vós, meus Peixes. E para que vades consolados do Sermão, que não sei quando ouvireis outro, quero-vos aliviar de uma desconsolação mui antiga, com que todos ficastes desde o tempo em que se publicou o Levítico” Livro da Bíblia, cuja finalidade é regular o culto entre os hebreus. O nome vem-lhe do facto de ter si do a tribo de Levi a escolhida para o serviço litúrgico. O primeiro livro do Levítico pode considerar- se um ritual dos sacrifícios.
  4. 4. PERORAÇÃO utilização de um desfecho forte para impressionar os ouvintes. O orador retoma os pregadores de que falava no conceito predicável, servindo-se dele próprio como exemplo alegando que não estava a cumprir a sua função. Alega também que ele (homens) e os peixes, nunca vão chegar ao sacrifício final Os peixes já vão mortos; Os homens vão mortos de espírito; Padre António Vieira diz que a irracionalidade, a inconsciência e o instinto dos peixes, são melhores do que a racionalidade, o livre arbítrio, a consciência, o entendimento e a vontade do homem.
  5. 5. Comparação com certas almas que chegam a Deus mortas porque estão em pecado mortal “Oh quantas almas chegam aquele Altar mortas” “A vossa bruteza é melhor que a minha razão e o vosso instinto melhor que o meu alvedrio.” Comparação Peixes/Padre António Vieira : elogia os peixes e louva a Deus “eu falo , mas vós (…) eu lembro- me , mas vós (…)eu discorro , mas vós ” O predomínio da adversativa “mas” é aqui usados para acentuar bem o contraste entre Vieira e os peixes. As gradações intensificam o sentido. As repetições põem em realce o paralelismo entre o orador e os peixes Manifesta o desejo de não ter nascido homem “Ah quase estou por dizer que me fora melhor ser como vós."
  6. 6. “Louvai a Deus, porque vos criou em tanto número. Louvai a Deus, que vos distinguiu em tantas espécies; louvai a Deus, que vos vestiu de tanta variedade e formosura; louvai a Deus, que vos habilitou de todos os instrumentos necessários para a vida” Repetição da expressão Louvai a Deus que acentua a finalidade do Sermão : o louvor a Deus que todos devem prestar. “(…) e assim como no princípio vos deu sua benção , vo-la dê também agora. Ámen. Como não sois capazes de Glória, nem de Graça, não acaba o vosso Sermão em Graça e Glória.” Quiasmo: Sugere a transposição dos peixes para os homens: já que os peixes não são capazes de nenhuma dessas virtudes, sejam-no os homens.
  7. 7. O céu 'strela o azul e tem grandeza. Este, que teve a fama e à glória tem, Imperador da língua portuguesa, Foi-nos um céu também. No imenso espaço seu de meditar, Constelado de forma e de visão, Surge, prenúncio claro do luar, El-Rei D. Sebastião. Mas não, não é luar: é luz do etéreo. É um dia; e, no céu amplo de desejo, A madrugada irreal do Quinto Império Doira as margens do Tejo. Mensagem, Fernando Pessoa
  8. 8. Disciplina de Português Profª: Helena Maria Coutinho

×