Linguagem informal

580 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
580
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
30
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Linguagem informal

  1. 1.  A linguagem coloquial, informal ou popular é uma linguagem utilizada no cotidiano em que não exige a atenção total da gramática, de modo que haja mais fluidez na comunicação oral. Na linguagem informal, usam-se muitas gírias e palavras que na linguagem formal não estão registradas ou tem outro significado
  2. 2.  Deu ruim. Deu errado, não funcionou.  Baralhão. Situação em que tudo é possível, um grande baralho.  Divar. Fazer a diva.  Sensualizar. Fazer a sensual.  Sem filtro. Uma alusão ao uso recorrente dos filtros do aplicativo Instagram.  Só que não/só que sim. Oriundas das redes sociais, as expressões não significam nada, mas reforçam a ironia das conversas.  Não tenho roupa. Gíria gay que significa “não estou preparado para tal situação”.  Trolar. Sacanear, zombar. Do inglês to troll, muito usada para falar de memes da internet.  Tá pago. Está resolvido.  Se pá. Talvez.  Sarna. Gíria muito usada nas comunidades da Zona Sul: se o moleque está produzido, montado, com acessórios e cabelo em dia, está “sarna”.  Lelesque. Uma variação de “moleque”, “leque” e “lesque”, o “lelesque” é aquele surfista ou skatista que vive na praia, toma açaí e só fala gírias. O garoto carioca clássico.  Milgrau. Tá calor demais? Tá “milgrau”.

×