Tânia Fischer - Desafios no Campo da Administração Pública

123 visualizações

Publicada em

Tânia Fischer - Desafios no Campo da Administração Pública

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
123
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
0
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tânia Fischer - Desafios no Campo da Administração Pública

  1. 1. Tânia Fischer 2017 Rio de Janeiro
  2. 2. Ensino e Aprendizagem em Administração Pública em Tempos de Incerteza: Educação Profissional em Pós-graduação como Estratégia de Desenvolvimento Territorial Tânia Fischer Rio de Janeiro, 2017 DESAFIOS NO CAMPO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
  3. 3. POR QUE? O QUE? QUEM? COMO? PARA QUEM? EDUCAÇÃO PROFISSIONAL *Desenho inspirado em Xilogravura de José Lourenço, ‘Dança das Borboletas’
  4. 4. Por que ?
  5. 5. Da Distopia à Utopia contemporânea: o presente como referência e destino Ano 2017... ESPAÇO E TEMPORALIDADE O Presente é integrativo do passado e do futuro do tangível e do intangível do legado e da construção da identidade “fuzzy” O Presente é uma utopia experimental O Presente é uma construção sincrônica de saberes e práticas GABOR SONKOLY, 2013 PROCESSO, FORMA E FUNÇÃO FISCHER, 2017
  6. 6. 2017 – Cenários de Mutações Transição de Formas de Poder e Soberania Transição de Formas de Produção Transição de Estilos de Vida Transição de Valores Nova Geografia, nova economia, novos desenhos societários Novos sentidos do trabalho e das ocupações Afirmação da cultura e identidades A tecnologia como recurso de humanização O primado das redes, a sociedade de organizações Resgate ético, valores essenciais A gestão do presente e do futuro Riscos e Catástrofes Recursos e outros potenciais Um cenário de crise?
  7. 7. 2017 – Cenários de Mutações GESTÃO DE TERRITÓRIOS COM VISTA AO DESENVOLVIMENTO O QUE MUDOU ? Fischer, 2017
  8. 8. A gestão da sociedade e dos territórios mutantes Formação de profissionais como estratégia de desenvolvimento nas escalas nacional, regional e local Desafio brasileiro
  9. 9. Gestão Contemporânea “A gestão é um ato relacional que se estabelece entre pessoas, em espaços e tempos relativamente delimitados, objetivando realizações e expressando interesses de indivíduos, grupos e coletividades.” FISCHER, 2017
  10. 10. “Talvez seja na educação profissional tecnológica que os vínculos entre educação, território e desenvolvimento se tornem mais evidentes e os efeitos de sua articulação, mais notáveis .” PDE
  11. 11. Para quem?
  12. 12. 1. Gerir territórios multiescalares e hiperconectados em cenário de crise; 2. Múltiplos perfis de formação: Da Geração BB à Geração Millenium; 3. Novos espaços de formação profissional: Sistemas de educação profissional em âmbito planetário, multiescalares, transdisciplinares e hiper(inter)ativos; 4. Tecnologias de gestão territorial como instrumento de convergência; 5. Desenhos formativos híbridos e multiculturais: interiorização e internacionalização; Educação Profissional e os Desafios do Desenvolvimento Territorial Brasileiro Que cidadãos, líderes, que profissionais? Orientação à gestão de processos de desenvolvimento criativo de territórios, potencializando regiões e localidades por meio da educação profissional FISCHER, 2017
  13. 13. FORMAÇÃO INSERÇÕES PROFISSIONAIS NOVAS PROFISSIONALIDADES EDUCAÇÃO BÁSICA EDUCAÇÃO SUPERIOR • Que designs curriculares? • Que funções para os itinerários formativos? FISCHER, 2017 EDUCAÇÃO PROFISSIONAL - Inovação Tecnologia - Integração Socioprodutiva Educação Profissional e os Desafios do Desenvolvimento
  14. 14. somos Quem ?
  15. 15. Estrutura da Educação Brasileira
  16. 16. FORMAÇÃO INTEGRADA EM GESTÃO SOCIAL DO DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL: Educação de Base, Extensão, Especialização, Graduação Tecnológica, Mestrado e Doutorado DPGS? Doutorado Profissional em Gestão Social
  17. 17. DESENHO DO LABOR/PDGS
  18. 18. Como?
  19. 19. Mestrado e Doutorado Profissional Anos 60 Anos 90 Anos 2000/2020 Parecer Sucupira Institucionalização dos MPs e DPs Portaria n. 389, de 23 de março de 2017
  20. 20. A Educação Profissional em Pós-graduação I. Itinerários formativos orientado pela prática e para a prática profissional; II. Formação orientada por competências apoiada no conhecimento científico- tecnológico; III. Orientados ao desenvolvimento local, regional e nacional; contribuindo para a formação de profissionais efetivamente qualificados; IV. Propiciam migração intra e interinstitucionais, podendo o estudante se mover entre as instituições, regiões e países, abrindo espaço para a cooperação nacional e internacional;
  21. 21. V. Práticas acadêmicas orientadas à inovação nos desenhos curriculares e nas estratégias pedagógicas, com hibridização no desenho curricular em espaços acadêmicos ou espaços profissionais V. Com valores e métricas diferenciadas expressas nas QUALIS/CAPES, em permanente construção; VI. Já reconhecidos como locus de poder acadêmico: coordenações e comissões com representações dos mundos do trabalho; VII. Com espaço de interlocução: FOPROF, SBPC, FAPS; VIII. Com apoios financeiros possíveis. FISCHER, 2017 A Educação Profissional em Pós-graduação
  22. 22. Que perspectivas?
  23. 23.  Investir na elaboração de designs curriculares nas modalidades de cursos profissionais de ensino de pós- graduação o que pressupõe: •Reposicionar o mestrado profissional; •Investir em propostas de doutorado para profissionais; •Criar itinerários formativos para professores; •Apoiar a consolidação de métricas, valores e processos de avaliação; •Analisar o aproveitamento de competência do mundo do trabalho; •Aprender com a experiência internacional de ensino profissional; •Construir modelos de EP nacionais, com aderência e identidade. Reimaginar a Pós-Graduação: Construindo um Sistema de Formação Profissional para o Presente e o Futuro ESTRATÉGIAS:
  24. 24. Questões para discussões 1. Autonomia e Diversidade Como manter a diversidade e garantir a autonomia? 2. Impactos da Formação Profissional em Pós-Graduação Que estratégias desenvolver para garantir impactos efetivos dos programas? 3. Estratégia de Cooperação Quais são as possibilidades de cooperação, além de co-orientação, residências cruzadas de estudantes, disciplinas complementares em formato presencial/digital e outras? 4. Métricas e Valores O que se pode propor como valores e métricas para a avaliação dos doutorados profissionais? EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EM PÓS-GRADUAÇÃO Fischer, 2017
  25. 25. 5. Vigências e Práticas O que propomos como residências, estágios e outras formas de prática, considerando as boas experiências de alguns programas e instrumentos regulatórios como a Lei de Inovação? 6. Corpo Docente O que propomos como composição de corpo docente considerando a necessária inclusão de profissionais com experiência? E no comitês de avaliação da CAPES? 7. Trabalhos de Conclusão O que propomos como trabalhos de conclusão? Que formatos para as teses? Que outros produtos de natureza científico- tecnológica e técnica são desejáveis? QUESTÕES PARA DISCUSSÕES Fischer, 2017
  26. 26. “A ideia do desenvolvimento está no centro da visão do mundo que prevalece em nossa época. Nela se fundamenta o processo de invenção cultural que permite ver o homem como um agente transformador do mundo.” Celso Furtado
  27. 27. MUITO OBRIGADA! Labor.ufba.br taniafischer@ciags.org.br (71) 3331.2949

×