Resumos português

2.735 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.735
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resumos português

  1. 1. Sinais de pontuaçãoPonto final–representa uma pausa forte e aparece a concluir uma frase dotipo declarativo ou do tipo imperativo.Vírgula- representa uma pausa menor e separa quer elementos de umafrase quer frases.Ponto e vírgula- obriga a uma pausa intermédia entre o ponto final e avírgula; aparece com menos frequência que os anteriores e surgesobretudo em períodos longos, separando frases da mesma natureza.Travessão- utiliza-se com maior frequência para reproduzir, em discursodireto, a fala de alguém.Aspas- usam-se no princípio e no fim de uma citação; usam-se ainda paradar à palavra um segundo sentido ou para destacar palavras, quer pelasua expressividade, quer porque fogem à norma.Parênteses- servem para inserir, na frase, uma indicação útil, umesclarecimento, um aparte; servem ainda, nas peças de teatro, para incluirindicações cénicas.Ponto de interrogação –termina habitualmente uma frase do tipointerrogativo.Reticências –significam que uma ideia ou uma frase foi interrompida.(Utilizam-se para exprimir hesitações, pensamentos inacabados, sentidosque se querem deixar no ar sem os dizer; para mostrar que o emissor foiinterrompido.Dois pontos – correspondem a uma pausa breve e servem, sobretudo,para iniciar o discurso direto; usam-se também para introduzir umaenumeração.Ponto de exclamação- termina frequentemente frases do tipoexclamativo, podendo concluir também frases do tipo imperativo (usa-separa exprimir sentimentos e estados de espírito vários); usa-se ainda,depois das interjeições como Ai!, Ui!, Oxalá!, Oh! que exprimem tambémdor, espanto, desejo, alegria…
  2. 2. Tipos de sujeitoO sujeito é uma função sintáctica desempenhada habitualmente por umgrupo nominal.Ex. Os meus sapatos castanhos estão apertados.O sujeito pode ser substituído pelo pronome pessoal com função desujeito, ou, em alguns casos, pelas formas isto, isso, aquilo do pronomedemonstrativo.Ex. Eu e a Manuela escorregámos na lama. Ela magoou-se.Sujeito simplesÉ constituído por um grupo nominal, um pronome, ou mesmo umaoração.Por exemplo: O João venceu o campeonato.Sujeito compostoÉ constituído por mais do que um grupo nominal, um pronome ou umaoração.Por exemplo: Nós vamos a uma visita de estudo. O João e a Rute fizeramum trabalho de estudo fabuloso.Sujeito nulo subentendidoO sujeito não está explícito, mas é facilmente identificável pelo contexto.Por exemplo: A Dora é estudiosa e por isso tem bons resultados.Sujeito nulo indeterminadoNão é possível saber quem é o sujeito.Por exemplo: “ Dizia-se que ele era agressivo”.Sujeito nulo expletivo
  3. 3. Não há sujeito porque as formas verbais se referem a fenómenos danatureza. O mesmo acontece se utiliza o verbo a ver com o sentido deexistir.Por exemplo: “ Trovejou esta noite ”. “ Nevou na serra da Estrela”. 1. O Marcos comprou um Ferrari. Sujeito simples. 2. Há bolas de Berlim no bar. Sujeito nulo expletivo. 3. O Marcos e o Miguel foram à natação. Sujeito composto. 4. Vende-se carros usados. Sujeito nulo indeterminado. 5. Eles foram ao bar. Sujeito simples. 6. Vamos ao continente. Sujeito nulo subentendido. 7. Choveu toda a noite. Sujeito nulo expletivo. 8. Estudámos para o teste. Sujeito nulo indeterminado. 9. Pedrito chegou ao palácio. Sujeito simples. 10. As vozes diziam ameaças. Sujeito simples. 11. Pedro e Pedrito fizeram um juramento. Sujeito composto. 12. Cortou um dedo para salvar o irmão. Sujeito subentendido. 13. Há feiticeiras na floresta. Sujeito nulo expletivo. 14. Fala-se do juramento dos irmãos. Sujeito nulo indeterminado. 15. Foram felizes para sempre. Sujeito subentendido. 16.Aluga-se caravanas. Sujeito nulo indeterminado. Características do conto popular O conto prende-se, pois, com o povo e com a população mais rural, menos “ letrada”, 1. Narrativa curta e encadeada 2. A estrutura, basicamente, desenvolvia-se em cinco momentos; A apresentação da situação; O acontecimento perturbador; Os acontecimentos e peripécias passadas pelo herói; O desaparecimento do motivo perturbador; A conclusão 3. As personagens principais são, de um modo geral, anónimas e em número reduzido, envolvendo classes sociais diferentes,
  4. 4. constituídas muitas vezes por três elementos: a heroína, o herói e o elemento representativo do mal (fada, bruxa ou velha).4. O espaço e o tempo são indefinidos e indeterminados.5. O encantamento e a simologia dos nomes e dos números impõem- se no evoluir das histórias, sendo constante a referência ao número três.6. A presença do maravilhoso: dragões, fadas, feiticeiras, bruxas entre outros elementos.7. A moralidade que muitas vezes pode ser expressa em provérbio. Nela assistimos sempre ao triunfo do bem sobre o mal.8. Função lúdica e didáctica, ou seja os contos podem divertir e ensinar, simultaneamente. Destinava-se sobretudo, a passar uma mensagem moralizada, mas também a divertir e entreter o núcleo familiar, os amigos e vizinhos. As lendas Como sabes, as lendas fazem parte da chamada literatura oral e tradicional. O seu autor é o povo, que as transmitiu oralmente de geração em geração, e só mais tarde é que alguns autores as passaram para a forma de escrita. Características das lendas1. Ao contrário do conto tradicional, a lenda baseia-se em factos reais que são depois transformados pela imaginação. Há pois, umamistura de realidade e de fantasia.2. A maior parte das lendas enquadra-se num espaço e num tempo determinado.3. As personagens também são reduzidas, mas, na maior parte das vezes, estão identificadas pelo nome. Relações de som e de grafia Homónimas Preguei-lhe uma partida.
  5. 5. Estou a ver uma partida de futebol. Assisti à partida do avião.As palavras assinaladas são homónimas porque:Se escrevem da mesma maneira (têm grafia igual).Se lêem da mesma maneira (têm pronuncia igual).Têm significados diferentesHomófonas O amigo deu-lhe um conselho. Vira no concelho de Ourique.As palavras assinaladas são homófonas porque:Se lêem da mesma maneira.Se escrevem de maneira diferente.Têm significados diferentes.HomógrafasSei de cor essa história.Gosto dessa cor.As palavras assinaladas são homógrafas porque:Se escrevem da mesma maneira.Se lêem de maneira diferente.Têm significados diferentes.Parónimas
  6. 6. Crer é sinónimo de acreditar.Querer é sinónimo de desejar.As palavras assinaladas são parónimas porque: Se escrevem de forma semelhante. Se lêem de forma semelhante.Tipos de frase 1. Em pedra se há-de tornar. Frase do tipo declarativo. 2. Tirarás a chave da boca do leão. Frase do tipo imperativo. 3. O Pedro cortou o dedo? Frase do tipo interrogativa. 4. Que cobra tão grande! Frase do tipo exclamativo.

×