V01 34104 operador_de_armazenagem

913 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
913
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

V01 34104 operador_de_armazenagem

  1. 1. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 RREEFFEERREENNCCIIAALL DDEE FFOORRMMAAÇÇÃÃOO Área de Formação 341. Comércio Itinerário de Formação 34104. Logística e Armazenagem Designação: Operador/a de Armazenagem Saída Profissional Nível de Formação: 2 Modalidades de desenvolvimento Educação e Formação de Adultos – Tipologias de nível básico Formação Contínua Observações
  2. 2. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 2/57 Índice 1. Introdução 3 2. Perfil de Saída 4 3. Organização do Referencial de Formação 5 4. Metodologias de Formação 7 5. Desenvolvimento da Formação 8 5.1. Formação de Base – Unidades de Competência 8 5.2. Formação Tecnológica – Unidades de Formação de Curta Duração (UFCD) 11 6. Alternativa para a Organização da Formação – Unidades Capitalizáveis 35 6.1. Unidades de Formação Capitalizáveis 35 6.2. Matriz de Correspondência unidades capitalizáveis/unidades de formação de curta duração 55 7. Sugestão de Recursos Didácticos 56
  3. 3. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 3/57 1. INTRODUÇÃO O sector do comércio/distribuição compreende todas as operações compreendidas entre a produção de bens e serviços e o consumo dos mesmos. Estas operações são desenvolvidas de formas diversas em função, nomeadamente, da natureza da actividade (grosso e retalho), do tipo de produto e do segmento de mercado para o qual se pretendem posicionar. O tecido empresarial deste sector caracteriza-se, maioritariamente, pelo forte peso do comércio retalhista, quer ao nível do número de empresas, quer do pessoal ao serviço. A maior parte das empresas do sector, e sobretudo no comércio retalhista que é maioritário, são de pequena dimensão, com um reduzido número de profissionais ao serviço. Os recursos humanos apresentam, de modo geral, uma estrutura habilitacional e de qualificação débil. Cerca de um quarto dos trabalhadores por conta de outrem possui apenas escolaridade equivalente ao 1º ciclo do ensino básico. Apresenta ainda uma média etária relativamente baixa, assumindo este sector um papel de “porta de entrada” no mercado de trabalho, revelando taxas significativas de emprego jovem. Uma importante característica, e um forte traço aglutinador das várias actividades e subsectores em presença, é o ajustamento da oferta à procura. Do lado desta, a decisão da compra e das formas de comércio passa por um conjunto de motivações ligadas à localização, ao preço, ao tipo de produto, ao seu grau de variedade, ao serviço associado, à natureza da promoção e ao tipo de compra disponível. A este título, há a destacar que o perfil do consumidor tem vindo a sofrer grandes alterações, sendo cada vez mais um consumidor envelhecido, com maior nível educacional e cultural, mais informado e mais exigente. Esta mudança repercute-se quer no tipo de produtos e serviços procurados, quer no grau de qualidade e exigência requerido, o que resulta na redefinição das estratégias de produtos e de mercados. Por esta razão, a área do marketing tem assumido uma crescente importância no sector, pela necessidade de práticas de concepção, desenvolvimento e coordenação de actividades que visam adequar a empresa ao(s) mercado(s) específico(s), com vista o aumento das vendas. Para além da importância crescente do marketing, outros factores se apresentam como tendências evolutivas do sector, designadamente a importância crescente das áreas logística, da qualidade e da venda, bem como a importância da informática e dos sistemas de informação e comunicação como instrumentos indispensáveis a todas as actividades. Neste contexto, revela-se fundamental uma oferta de formação profissional específica que permita, em primeiro lugar, elevar os níveis de qualificação da mão-de-obra do sector. De uma forma generalizada, aos profissionais do comércio surgem exigências acrescidas ao nível das competências sociais e relacionais, de utilização das tecnologias de comunicação e informação e do domínio de línguas estrangeiras, designadamente dadas as estreitas e crescentes ligações entre as actividades comércio e turismo. Destaquem-se ainda as competências associadas à adopção de comportamentos adequados em matéria de ambiente, higiene e segurança no trabalho. (Fonte: IQF (2001) Comércio e Distribuição em Portugal. Lisboa: Instituto para a Inovação na Formação.)
  4. 4. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 4/57 2. PERFIL DE SAÍDA Descrição Geral O/A Operador/a de Armazenagem é o/a profissional que efectua as operações de recepção, codificação, armazenagem, movimentação, expedição e inventariação de mercadorias, tendo em vista a optimização do funcionamento do armazém. Actividades Principais • Efectuar as operações de entrada e expedição de mercadorias em armazém, de acordo com procedimentos técnicos, funcionais e de segurança definidos. • Efectuar a movimentação e acondicionamento das mercadorias no armazém assegurando a sua manutenção e conservação, de acordo procedimentos técnicos, funcionais e de segurança definidos. • Participar na elaboração de inventários, executando actividades de identificação e de controlo das mercadorias e dos materiais.
  5. 5. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 5/57 3. ORGANIZAÇÃO DO REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Educação e Formação de Adultos (EFA)1 NÍVEL B1 NÍVEL B2 NÍVEL B3 Cidadania e Empregabilidade (CE) A 25h B 25h C 25h D 25h A 25h B 25h C 25h D 25h A 25h B 25h C 25h D 25h Linguagem e Comunicação (LC) A 25h B 25h C 25h D 25h A 25h B 25h C 25h D 25h LEA 25h LEB 25h A 25h B 25h C 25h D 25h LEA 25h LEB 25h Matemática para a Vida (MV) A 25h B 25h C 25h D 25h A 25h B 25h C 25h D 25h A 25h B 25h C 25h D 25h FormaçãodeBase ÁREASDECOMPETÊNCIAS-CHAVE Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) A 25h B 25h C 25h D 25h A 25h B 25h C 25h D 25h A 25h B 25h C 25h D 25h Área de Carácter Transversal APRENDER COM AUTONOMIA 40 h Código UFCD Horas 0400 1 Operador de armazém - actividades e funções 25 0401 2 Noções básicas de informática 50 0402 3 Língua inglesa - armazém 50 0403 4 Relacionamento interpessoal 25 0404 5 Organização pessoal e gestão do tempo 25 0405 6 Novas tecnologias na actividade do armazém 50 0406 7 Layout do armazém 50 0407 8 Higiene e segurança no trabalho em armazém 50 0408 9 Documentação e legislação na operação em armazém 50 0409 10 Gestão das recepções de mercadoria 25 0410 11 Conferência da mercadoria 50 0411 12 Procedimentos administrativos na recepção da mercadoria 25 0412 13 Métodos de armazenagem 50 0413 14 Normas de armazenagem 25 0414 15 Gestão do espaço de picking 25 FormaçãoTecnológica2 25 1 Os cursos EFA implicam obrigatoriamente a passagem por um processo de Reconhecimento e Validação de Competências (RVC), associado a uma carga horária entre 25 e 40 horas. 2 A formação em Contexto Real de Trabalho (FCRT) pode estar integrada na Formação Tecnológica (sendo obrigatória para activos desempregados -120 horas).
  6. 6. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 6/57 Código UFCD (cont.) Horas 0415 16 Manutenção das mercadorias em armazém 50 0416 17 Balanços - inventários 50 0417 18 Sistemas de melhoria 50 0418 19 Actividade de picking & packing 50 0419 20 Gestão da expedição 50 Formação Tecnológica Código UFCD Complementares* Horas 0420 21 Operação/utilização de empilhadores 50 0421 22 Gestão de stocks - princípios e custos associados 50 0422 23 Sistemas de encomenda e controlo da gestão de stocks 50 Formação Tecnológica * As UFCD complementares não integram o itinerário de qualificação; constituem-se como unidades de aperfeiçoamento. Notas A formação tecnológica dos níveis B1 e B2 atribui uma certificação de formação profissional de nível 1. O acesso a esta saída profissional só é possível através da conclusão de um curso EFA B2+B3 ou B3. Os códigos assinalados a laranja correspondem a UFCD transferíveis entre saídas profissionais da mesma área de formação.
  7. 7. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 7/57 4. METODOLOGIAS DE FORMAÇÃO A organização da formação com base num modelo flexível, como o dos percursos formativos assentes em unidades capitalizáveis e unidades de formação de curta duração visa facilitar o acesso dos indivíduos a diferentes percursos de aprendizagem, bem como a mobilidade entre níveis de qualificação. Esta organização favorece o reingresso, em diferentes momentos, no ciclo de aprendizagem e a assunção por parte de cada cidadão de um papel mais activo e de relevo na edificação do seu percurso formativo, tornando-o mais compatível com as necessidades que em cada momento são exigidas por um mercado de trabalho em permanente mutação e, por esta via, mais favorável à elevação dos níveis de eficiência e de equidade dos sistemas de educação e formação. A flexibilização beneficia, assim, a construção de percursos formativos de composição e duração variáveis conducentes à obtenção de qualificações completas ou de construção progressiva, reconhecidas e certificadas. A nova responsabilidade que se exige a cada indivíduo na construção e gestão do seu próprio percurso impõe, também, novas atitudes e competências para que este exercício se faça de forma mais sustentada e autónoma. As práticas formativas devem, neste contexto, conduzir ao desenvolvimento de competências profissionais, mas também pessoais e sociais, designadamente, através de métodos participativos que posicionem os formandos no centro do processo de ensino-aprendizagem e fomentem a motivação para continuar a aprender ao longo da vida. Devem, neste âmbito, ser privilegiados os métodos activos, que reforcem o envolvimento dos formandos, a auto-reflexão sobre o seu processo de aprendizagem, a partir da partilha de pontos de vista e de experiências no grupo, e a co-responsabilização na avaliação do processo de aprendizagem. A dinamização de actividades didácticas baseadas em demonstrações directas ou indirectas, tarefas de pesquisa, exploração e tratamento de informação, resolução de problemas concretos e dinâmica de grupos afiguram-se, neste quadro, especialmente, aconselháveis. A selecção dos métodos, técnicas e recursos técnico-pedagógicos deve ser efectuada tendo em vista os objectivos de formação e as características do grupo em formação e de cada formando em particular. Devem, por isso, diversificar-se os métodos e técnicas pedagógicos, assim como os contextos de formação, com vista a uma maior adaptação a diferentes ritmos e estilos de aprendizagem individuais, bem como a uma melhor preparação para a complexidade dos contextos reais de trabalho. Esta diversificação de meios constitui um importante factor de sucesso nas aprendizagens. Revela-se, ainda, de crucial importância o reforço da articulação entre as diferentes componentes de formação, designadamente, através do tratamento das diversas matérias de forma interdisciplinar e da realização de trabalhos de projecto com carácter integrador, em particular nas formações de maior duração, que contribuam para o desenvolvimento e a consolidação de competências que habilitem o futuro profissional a agir consciente e eficazmente em situações concretas e com graus de complexidade diferenciados. Esta articulação exige que o trabalho da equipa formativa se faça de forma concertada, garantindo que as aprendizagens se processam de forma integrada. É também este contexto de trabalho em equipa que favorece a identificação de dificuldades de aprendizagem e das causas que as determinam e que permite que, em tempo, se adoptem estratégias de recuperação adequadas, que potenciem as condições para a obtenção de resultados positivos por parte dos formandos que apresentam estas dificuldades. A equipa formativa assume, assim, um papel fundamentalmente orientador e facilitador das aprendizagens, através de abordagens menos directivas, traduzido numa intervenção pedagógica diferenciada no apoio e no acompanhamento da progressão de cada formando e do grupo em que se integra.
  8. 8. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 8/57 5. DESENVOLVIMENTO DA FORMAÇÃO 5.1. Formação de Base - Unidades de Competência LC Linguagem e Comunicação B1 Interpretar e produzir enunciados orais de carácter lúdico e informativo-funcional. Interpretar textos simples, de interesse para a vida quotidiana. Produzir textos com finalidades informativo-funcionais. Interpretar e produzir as principais linguagens não verbais utilizadas no quotidiano. B2 Interpretar e produzir enunciados orais adequados a diferentes contextos. Interpretar textos de carácter informativo e reflexivo. Produzir textos de acordo com técnicas e finalidades específicas. Interpretar e produzir linguagem não verbal adequada a finalidades variadas. B2 (LE) Compreender e usar expressões familiares e/ou quotidianas. Compreender frases isoladas e expressões frequentes relacionadas com áreas de prioridade imediata. Comunicar em tarefas simples e em rotinas que exigem apenas uma troca de informações simples e directa sobre assuntos que lhe são familiares. B3 Interpretar e produzir enunciados orais adequados a diferentes contextos, fundamentando opiniões. Interpretar textos de carácter informativo-reflexivo, argumentativo e literário. Produzir textos informativos, reflexivos e persuasivos. Interpretar e produzir linguagem não verbal adequada a contextos diversificados, de carácter restrito ou universal. B3 (LE) Compreender, quando a linguagem é clara e estandardizada, assuntos familiares e de seu interesse. Produzir um discurso simples e coerente sobre assuntos familiares e de seu interesse. Compreender as ideias principais de textos relativamente complexos sobre assuntos concretos. Descrever experiências e expor brevemente razões e justificações para uma opinião ou um projecto
  9. 9. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 9/57 TIC Tecnologias de Informação e Comunicação B1 Operar, em segurança, equipamento tecnológico, usado no quotidiano. Realizar operações básicas no computador. Utilizar as funções básicas de um programa de processamento de texto. Usar a Internet para obter e transmitir informação. B2 Operar, em segurança, equipamento tecnológico diverso. Realizar, em segurança, operações várias no computador. Utilizar um programa de processamento de texto. Usar a Internet para obter e transmitir informação. B3 Operar, em segurança, equipamento tecnológico, designadamente o computador. Utilizar uma aplicação de folhas de cálculo. Utilizar um programa de processamento de texto e de apresentação de informação. Usar a Internet para obter, transmitir e publicar informação. MV Matemática para a Vida B1 Interpretar, organizar, analisar e comunicar informação utilizando processos e procedimentos matemáticos. Usar a matemática para analisar e resolver problemas e situações problemáticas. Compreender e usar conexões matemáticas em contextos de vida. Raciocinar matematicamente de forma indutiva e de forma dedutiva. B2 Interpretar, organizar, analisar e comunicar informação utilizando processos e procedimentos matemáticos. Usar a matemática para analisar e resolver problemas e situações problemáticas. Compreender e usar conexões matemáticas em contextos de vida. Raciocinar matematicamente de forma indutiva e de forma dedutiva. B3 Interpretar, organizar, analisar e comunicar informação utilizando processos e procedimentos matemáticos. Usar a matemática para analisar e resolver problemas e situações problemáticas. Compreender e usar conexões matemáticas em contextos de vida. Raciocinar matematicamente de forma indutiva e de forma dedutiva.
  10. 10. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 10/57 CE Cidadania e Empregabilidade B1 Organização política dos estados democráticos. Organização económica dos estados democráticos. Educação/formação, profissão e trabalho/emprego. Ambiente e saúde. B2 Organização política dos estados democráticos. Organização económica dos estados democráticos. Educação/formação, profissão e trabalho/emprego. Ambiente e saúde. B3 Organização política dos estados democráticos. Organização económica dos estados democráticos. Educação/formação, profissão e trabalho/emprego. Ambiente e saúde.
  11. 11. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 11/57 5.2. Formação Tecnológica – Unidades de Formação de Curta Duração (UFCD) UFCD 1 Operador de armazém - actividades e funções Carga horária 25 horas Objectivo(s) Reconhecer o enquadramento funcional do operador de armazém. Enumerar as actividades do operador de armazém. Definir a postura requerida ao operador de armazém. Conteúdos Noções de logística e armazenagem • As diferentes funções na empresa • Enquadramento da logística na cadeia de recepção, produção, distribuição e consumo • Logística e armazenagem Actividades do operador de armazém • Manutenção do armazém • Gestão do espaço e acondicionamento • Operações de carga e de descarga das mercadorias • Controlo dos fluxos de mercadoria • Actividades de balanço (inventário) • Tecnologias de informação e comunicação no âmbito da actividade • Materiais e equipamentos - manuseamento e arrumação • Gestão e organização do armazém Funções do operador de armazém • Operador de empilhador − Descarga de mercadorias − Transporte dos produtos até ao local onde vão ser armazenados − Apoio às tarefas de manuseamento de mercadorias, utilizando meios mecânicos (empilhadores) • Operador de arrumação de mercadoria handler − Recepção e verificação da mercadoria − Arrumação da mercadoria − Registo da mercadoria (entradas e saídas) no sistema − Carregamento da mercadoria para expedição • Operador de recolha de mercadoria - picker − Recolha da mercadoria de acordo com as instruções − Etiquetagem e embalamento logístico da mercadoria (caixas, paletes, cintagem, etc.) • Chefe de equipa − Supervisão das actividades de armazenamento − Controlo do cumprimento das normas de segurança e qualidade − Resolução de problemas operacionais Postura do operador de armazém • Responsável e profissional • Pluridisciplinar (flexível) e com elevado espírito de trabalho em equipa • Activo e pró-activo (nomeadamente em questões de segurança) • Abertura à mudança • Postura ética correcta
  12. 12. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 12/57 UFCD 2 Noções básicas de informática Carga horária 50 horas Objectivo(s) Utilizar ferramentas informáticas, na óptica do utilizador, para a construção de pequenas bases de dados e para comunicar. Conteúdos Noções básicas de informática • Principais ferramentas Informáticas na óptica do utilizador − Processamento de texto e correio electrónico − Pesquisa e comunicação através da Internet − Bases de dados − Folhas de cálculo • Aplicação prática - folha de cálculo − Aplicações elementares da folha de cálculo − Tabelas com células interrelacionadas − Cálculos − Pequenas bases de dados • Aplicação prática - Base de dados − Campo de acção de uma folha de cálculo em base de dados − Definição de campos e construção de tabelas − Interacção entre diferentes tabelas e a construção da base de dados − Cálculos − Importação de dados de outros programas e aplicações • Comparação entre a utilidade da base de dados e da folha de cálculo, do ponto de vista do operador de armazém UFCD 3 Língua inglesa - armazém Carga horária 50 horas Objectivo(s) Aplicar vocabulário específico da língua inglesa nas operações de armazém. Conteúdos Língua inglesa - armazém • Principais conceitos e termos − Na embalagem − No transporte − Na recepção e manuseamento de mercadorias • Principais utilizações associadas às operações de armazém − Documentos de transporte − Etiquetas e designações − Documentos de acompanhamento de mercadorias
  13. 13. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 13/57 UFCD 4 Relacionamento interpessoal Carga horária 25 horas Objectivo(s) Reconhecer e descrever a importância das relações interpessoais para o desempenho do operador de armazém. Aplicar técnicas de comunicação escrita e oral no âmbito do desenvolvimento da actividade. Conteúdos Relacionamento interpessoal • Principais interlocutores do operador de armazém − Internos Marketing Vendas Produção Finanças Investigação & Desenvolvimento − Externos Clientes Fornecedores Transportadores • Factores pessoais − Auto estima e afiliação − Motivação − Realização pessoal e profissional • Factores organizacionais − Criação de ambientes propícios à colaboração e entreajuda − Capacidade de influenciar decisões e melhorias nos processos internos − Capacidade de melhorar o desempenho da empresa e dos fornecedores, através de um melhor entendimento dos objectivos e necessidades de cada interlocutor • Factores relacionais − Rigor / objectividade − Eficácia e assertividade − Empatia e disponibilidade − Capacidade partilhar, cooperar e acompanhar − Recolher contributos das entidades envolvidas − Capacidade de resolução de conflitos e de situações geradoras de ansiedade Comunicação escrita e oral • Conteúdos e língua • Linguagem corporal • Estilos de linguagem Ajustar a linguagem ao objectivo da informação Clara selecção e identificação dos destinatários Escolha do formato a utilizar Formas de arquivo
  14. 14. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 14/57 UFCD 5 Organização pessoal e gestão do tempo Carga horária 25 horas Objectivo(s) Aplicar as técnicas de organização pessoal e gestão do tempo com vista a optimizar o planeamento das actividades e o cumprimento dos objectivos Conteúdos Organização pessoal e gestão do tempo Técnicas para inventariação das actividades desenvolvidas Técnicas para análise das actividades desenvolvidas e sua priorização Identificação do potencial de melhoria de cada uma das actividades Regras básicas de organização pessoal Regras fundamentais da gestão do tempo Desenvolvimento de planos de acção de melhoria de desempenho utilizando as regras básicas de gestão do tempo e de organização pessoal UFCD 6 Novas tecnologias na actividade do armazém Carga horária 50 horas Objectivo(s) Identificar as potencialidades tecnológicas para operar no armazém. Conteúdos Novas tecnologias na actividade do armazém • Objectivos das tecnologias • Sistemas informáticos para o registo de mercadorias − Introdução de mercadorias no sistema − Controlo de stocks, − Localização das mercadorias no armazém • Sistemas Informáticos para a recepção de mercadorias − Scanners − Registo manual das entradas − Programação de recepções • Manuseamento e armazenagem − Localização aleatória das mercadorias − Sistemas de manuseamento de mercadoria • Recolha da mercadoria − Percursos de picking − Sistemas automáticos de recolha de mercadorias Embalamento − Sistemas de etiquetagem − Embalamento de mercadorias (equipamento e processos) Expedição da mercadoria − Processos para a expedição de mercadoria − Equipamento de expedição − Sistemas automáticos de expedição de mercadorias
  15. 15. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 15/57 UFCD 7 Layout do armazém Carga horária 50 horas Objectivo(s) Descrever a organização do espaço do armazém, maximizando a sua funcionalidade e minimizando os custos e tempos das operações logísticas. Conteúdos Layout do armazém • Disposição do espaço no armazém − Zona de recepção − Zonas de armazenagem de mercadorias − Produtos sem exigências especiais − Produtos com exigências especiais − Armazéns fiscais − Áreas de circulação de pessoal e de equipamentos − Zona de embalamento, de preparação de encomendas e de expedição • Localização dos produtos − Colocação aleatória − Colocação por secções / tipo de produto − Colocação por dimensão dos produtos − Colocação pela rotação dos produtos
  16. 16. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 16/57 UFCD 8 Higiene e segurança no trabalho em armazém Carga horária 50 horas Objectivo(s) Reconhecer a relevância da prevenção de acidentes de trabalho para os trabalhadores, as organizações e sociedade e identificar o equipamento de protecção individual. Operar os transportes e proceder ao armazenamento de cargas fazendo uso das regras de segurança e higiene no trabalho. Realizar o manuseamento de substâncias perigosas, fazendo uso das regras de segurança e higiene no trabalho. Conteúdos Prevenção de acidentes de trabalho em armazém • Evolução histórica • Causas e consequências dos acidentes de trabalho • A prevenção dos acidentes de trabalho • Equipamento de protecção individual em armazém − Protecção da cabeça − Protecção dos olhos, ouvidos e da face − Protecção das mãos e braços − Protecção dos pés e pernas − Protecção contra quedas Regras de segurança e higiene no trabalho em armazém • Movimentação manual de cargas − Risco de lesão da coluna vertebral − Postura e movimentos perigosos na coluna − Utilização de aparelhos auxiliares • Transporte mecânico de cargas − Máquinas de elevação − Movimentação dos aparelhos − Práticas e regras de operação − Inspecção, manutenção e prevenção no trabalho • Armazenagem − Regras e procedimentos de segurança Manuseamento de substâncias perigosas • Classificação e características de substâncias perigosas − Explosivas − Comburentes − Inflamáveis − Tóxicas − Corrosivas − Irritantes − Sensibilizantes − Perigosas para o ambiente − Cancerígenas − Mutagénicas − Tóxicas para a reprodução • Intervenção em caso de incêndio − Substâncias explosivas − Substâncias oxidantes − Nitratos
  17. 17. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 17/57 UFCD 8 Higiene e segurança no trabalho em armazém Carga horária 50 horas Conteúdos (Continuação) Manuseamento de substâncias perigosas − Combustíveis sólidos, líquidos e gasosos − Substâncias tóxicas − Pesticidas − Outras substâncias perigosas • Sinalização e rotulagem de segurança − Sinalização − Rotulagem • Armazenagem de substâncias perigosas − Locais fechados e vigiados − Locais abertos − Locais abertos e secos − Locais fechados e ventilados
  18. 18. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 18/57 UFCD 9 Documentação e legislação na operação em armazém Carga horária 50 horas Objectivo(s) Identificar a documentação e legislação necessária e relevante para a operação em armazém. Descrever as principais normas legais inerentes ao funcionamento do armazém. Conteúdos Documentação de suporte à operação no armazém • Documentação pessoal do operador − Documentação de identificação − Certificados de aptidão funcional relevantes − Documentação de saúde • Documentação a afixar no armazém − Mapa de pessoal − Mapa de férias − Mapa de horário de trabalhos • Documentação à disposição dos operadores − Manuais de procedimentos − Livros de instruções dos equipamentos − Ordens de serviço − Comunicações internas − Métodos de circulação da informação • Documentação a preencher pelos operadores − Registos diversos de mercadorias − Livros de manutenção dos equipamentos Normas legais para a operação em armazém • Principais normas de Direito de Trabalho − Direitos e obrigações do trabalhador − Direitos e obrigações do empregador • Normas legais para o acondicionamento e manuseamento da mercadoria − Locais de armazenamento − Temperaturas − Normas de segurança − Normas de manuseamento das diversas mercadorias • Documentação obrigatória na circulação da mercadoria − Guias de remessa − Certificados de origem − Certificados veterinários − Outros certificados oficiais
  19. 19. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 19/57 UFCD 10 Gestão das recepções de mercadorias Carga horária 25 horas Objectivo(s) Descrever as noções básicas de gestão de inventário. Planear as recepções de mercadoria, procedendo à avaliação do processo. Conteúdos Noções básicas de gestão de inventário • Objectivos e condicionantes da gestão de inventário • Determinantes do nível óptimo de stocks • Breve descrição dos principais sistemas de encomenda Planeamento e avaliação da recepção de mercadorias Desenvolvimento de um plano de recepções − Horários de recepção − Janelas de entrega − Turnos de pessoal − Coordenação com as restantes funções de armazenagem Organização das recepções − Por ordem de chegada − Pela indicação da nota de encomenda − Por nível de necessidade das mercadorias − Pelas especificidades das mercadorias a recepcionar Preparação operacional da recepção − Equipamento necessário para a recepção Avaliação do processo − Nível de serviço conseguido − Pontualidade dos fornecedores − Tempo de paralisação do Sistemas − Atrasos nas recepções de mercadoria
  20. 20. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 20/57 UFCD 11 Conferência da mercadoria Carga horária 50 horas Objectivo(s) Controlar a mercadoria recepcionada, analisando a sua conformidade face à nota de encomenda e aos critérios de qualidade e de segurança definidos. Conteúdos Conferência da mercadoria Verificação do acondicionamento da carga recepcionada − Tipo de veículos aceite para o transporte das mercadorias − Acondicionamento da carga Procedimentos de carga, descarga e conferência de mercadorias − Marcação da recepção e atribuição do local, hora e tempo de descarga (cais) − À chegada, o veículo deve estacionar em segurança junto do cais de descarga − O selo de segurança deve ser inspeccionado e quebrado na presença do motorista − Conferência da mercadoria (quantidades, rotulagem, conservação, validade, tradução, certificados oficiais, etc.) − Entrada da encomenda no sistema informático − Armazenagem da mercadoria Devolução de mercadoria − Causa da não-aceitação − Data de validade − Estado da embalagem − Condições de transporte − Incumprimento dos prazos de entrega − Incumprimento das quantidades/qualidades acordadas − Desconformidade face ao tipo de embalagem e/ou à ficha logística e às condições comerciais acordadas − Nota de devolução − Reporte da devolução − Reporte da devolução
  21. 21. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 21/57 UFCD 12 Procedimentos administrativos na recepção da mercadoria Carga horária 25 horas Objectivo(s) Descrever os sistemas de informação internos Identificar a documentação e descrever o circuito da informação no relacionamento com clientes e fornecedores Descrever as regras vigentes e procedimentos associados à armazenagem e transporte de produtos Conteúdos Sistemas de informação internos no processo de recepção • Procedimentos administrativos − Definição e justificação − Necessidade de registo e de controlo Versus necessidade de simplicidade e de flexibilização − Informação necessária para os sistemas de previsão e de informação (gestão de stocks e planeamento de actividades) − Sistemas facilitadores de circulação de informação - a informática e o EDI − Ficha logística de produto - definição, objectivos e principais componentes • Requisitos da documentação − Documentos necessários para a recepção e conferência da mercadoria − Documentos necessários para o tratamento administrativo da mercadoria − Documentos necessários para a armazenagem da mercadoria − Documentação necessária para a expedição da mercadoria − Outra documentação necessária Documentação e circuito da informação • Documentação associada à encomenda − Nota de encomenda − Factura pró-forma − Agendamento das recepções − Guia da mercadoria − Documento de recepção de mercadoria • Circuito da informação − Identificação da necessidade de informação de cada interveniente do processo logístico − Definição do melhor circuito para a obtenção dessa informação Regras e procedimentos para a armazenagem e transporte Regras para a armazenagem de produtos − Registos − Facturação e os impostos − Tratamento de produtos especiais e substâncias perigosas − Armazéns fiscais − Certificações veterinárias e outras Regras para o transporte de produtos − Transporte de mercadorias perigosas − Transporte em território nacional − Transporte internacional
  22. 22. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 22/57 UFCD 13 Métodos de armazenagem Carga horária 50 horas Objectivo(s) Descrever as especificidades da armazenagem e da circulação de diferentes tipos de mercadorias e a forma de circulação da mercadoria Conteúdos Métodos de armazenagem Especificidades de armazenagem − Temperaturas controladas − Volumetria − Embalagem − Sensibilidade (ex. luz, manuseamento) − Perecibilidade − Perigosidade − Valor − Especificidades fiscais e legais (drogas, medicamentos) Circulação da mercadoria − Definição do local de armazenagem da mercadoria − Itinerário da mercadoria e equipamento de transporte e de manuseamento − Codificação da mercadoria UFCD 14 Normas de armazenagem Carga horária 25 horas Objectivo(s) Descrever as normas de suporte à armazenagem de produtos especiais. Conteúdos Normas de armazenagem • Vestuário dos operadores • Controlo de condições e validades • Documentação • Sistemas de segurança e de protecção
  23. 23. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 23/57 UFCD 15 Gestão do espaço de picking Carga horária 25 horas Objectivo(s) Descrever o papel do picking, analisando os recursos necessários e atribuindo espaço de picking a cada produto. Conteúdos Gestão do espaço de picking • Funções dos lugares de picking − Facilitação das tarefas de recolha de mercadoria − Menor manuseamento das mercadorias (diminuição da quebra) − Maior rapidez e produtividade em todo o processo − Facilidade em localizar a mercadoria (visualmente e/ou através de sistemas informatizados) • Estanteria de picking manual − Racks − Gavetas − Armários − Prateleiras (com ou sem fluxo gravitacional) • Estanteria automatizada para picking − Sistemas computorizados e automatizados de picking − Estanteria – Carrossel (horizontal e vertical) − Estanteria associada a tapete rolante • Localização dos lugares de picking − Critérios de atribuição de lugares de picking, por categoria de produtos, rotação, prazos de validade, por imposições técnicas e legais − Definição do número de locais de picking de cada referência, em função da sua rotação e dos percursos de picking dos operadores − Localização dos produtos e utilização de sistemas informatizados • Abastecimento dos lugares de picking − Metodologias automatizadas e manuais para detecção das necessidades de abastecimento do picking − Atribuição da responsabilidade da função ou calendarização das actividades
  24. 24. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 24/57 UFCD 16 Manutenção das mercadorias em armazém Carga horária 50 horas Objectivo(s) Enumerar as técnicas e actividades mais adequadas para a conservação dos diferentes tipos de mercadoria. Identificar possíveis origens de quebra e executar tarefas tendentes à sua diminuição. Conteúdos Sistemas de controlo da conservação de stocks • Necessidades de controlo e de acompanhamento − Datas de validade − Condições da embalagem − Hierarquização dos fluxos de saída (em função do lote) • Mecanismos de controlo − Sistemas informáticos − Verificação manual sistemática (atribuição desta responsabilidade e concentração das mercadorias com maiores necessidades de controlo) Quebras - causas e prevenção Origem das quebras − Quebras com causas extraordinárias . Incêndios e danos por água . Derrocadas, falhas estruturais, tempestades . Roubos e vandalismo − Quebras com causas operacionais . Validade dos produtos ultrapassada . Quedas acidentais de mercadorias . Mau acondicionamento (embalagem) . Controlo das datas de validade dos produtos . Deficiente registo da localização da mercadoria . Furtos e erros na expedição de mercadorias . Devoluções de clientes Procedimentos para a diminuição das quebras − Relacionamento com os fornecedores . Melhor conhecimento do produto e das suas especificidades . Melhor conhecimento da procura . Adequação das unidades logísticas e das embalagens . Adequação das formas de entrega − Formação e sensibilização das equipas . Formação na tarefa . Formação na atitude − Controlos ao pessoal e às operações com stocks . Controlo aleatório de roubos . Controlo das actividades de manuseamento em stocks, de forma a avaliar o desempenho e a diminuir os erros e os acidentes
  25. 25. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 25/57 UFCD 16 Manutenção das mercadorias em armazém Carga horária 50 horas Conteúdos (Continuação) Quebras - causas e prevenção − Implementação de sistemas de avaliação e de melhoria . Clara e correcta definição de objectivos de quebra e de metodologias para os atingir . Monitorização constante dos resultados e implementação de medidas correctivas − Implementação de sistemas de segurança . Delimitação de zonas de circulação e criação de locais de acesso restrito . Implementação de mecanismos automáticos de controlo de acessos (cartões, código, etc.) − Arrumação das mercadorias e métodos de previsão . Diminuição das operações de manuseamento das mercadorias . Localização das mercadorias e a sua correcta arrumação . Correcta atribuição de espaço de picking − Manuseamento e o embalamento da mercadoria . Definição do percurso de picking . Utilização de veículos de transporte adequados . Cuidado acondicionamento da mercadoria (por exemplo a colocação de caixas sobrepostas sobre a palete, pesos) . Acondicionamento da carga (ex. dentro de caixas ou utilizando cintagem plástica − Sistemas de segurança . Sistemas de detecção de roubos . Sistemas de detecção e de ataque aos incêndios . Sistemas de alarme . Manutenção periódica e melhoria constante de todos estes sistemas . Formação, as sinalizações e os planos de emergência
  26. 26. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 26/57 UFCD 17 Balanço - inventário Carga horária 50 horas Objectivo(s) Identificar os diferentes sistemas de inventário e critérios valorimétricos. Enumerar os objectivos e periodicidade do balanço. Descrever as actividades necessárias à organização e execução de um processo de inventário. Conteúdos Sistemas de valorização das mercadorias • Critérios valorimétricos − FIFO (First in, First out) − LIFO (Last in, First out) − CMP (Custo médio ponderado) • Registos de entradas e saídas de mercadorias − Sistemas de inventário permanente − Sistemas de inventário intermitente Objectivos e periodicidade do balanço • Objectivos do balanço − Determinar o nível de quebra − Métodos de abastecimento − Determinar o nível de quebra − Acertar o nível de stocks de cada referência − Dissuadir os comportamentos que contribuem para a quebra − Definir politica de diminuição do nível de quebra • Periodicidade do balanço − Balanços periódicos − Balanços pontuais − Balanços sistemáticos Gestão do processo de inventário • Planificação do processo − Calendarizarão antecipada das acções de inventário ao longo do período (ano), com a identificação dos elementos que participarão em cada acção de inventário − Organização previa do evento - arrumação das mercadorias, eliminação de monos e obstáculos à contagem, preparação dos equipamentos de contagem, formação, divisão de tarefas e zonas − Identificação das mercadorias e locais a não contar (mercadoria não recepcionada até aquela data, encomendas preparadas) − Preparação do material de contagem (etiquetas, scanners, listagens, etc.) • Controlo das contagens − Necessidade da existência de controlo das contagens, com pessoas próprias − O controlo deve ser feito por amostragem − O controlo deve servir para diminuir erros e responsabilizar os operadores − O controlo deve ser feito imediatamente após ter terminado a operação de inventário • Reconciliação de stocks − Fase fundamental do processo de inventário, permite detectar os erros e as suas origens − Permite identificar desvios e medidas correctivas − Permite uma rigorosa manutenção informática dos stocks
  27. 27. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 27/57 UFCD 18 Sistemas de melhoria Carga horária 50 horas Objectivo(s) Descrever os sistemas de avaliação individual e colectiva, identificando os instrumentos de avaliação mais adequados. Enumerar fontes de melhoria individual e colectiva tendo em vista a optimização dos processos e operações. Conteúdos Sistemas e instrumentos de avaliação • Importância da medição de resultados − Avaliar o desempenho − Construir referenciais − Conceber planos de melhoria e estabelecer objectivos • Selecção dos indicadores a avaliar (indicadores de performance) − Indicadores de performance relevantes − Indicadores de performance medíveis, relevantes e de fácil leitura − Indicadores ajustados aos portos de trabalho e às responsabilidades de cada operador • Regras para o desenvolvimento de instrumentos de avaliação e de melhoria − Implementar um sistema simples para que possa ser claramente entendido por todos − Evitar fazer alterações frequentes nos indicadores − Antecipar as alterações e variantes que serão implementadas nos produtos e nas organizações • Principais indicadores de performance de um operador de armazém − Nível de serviço - Tempos − Nível de serviço - Recursos utilizados − Nível de serviço - Erros cometidos − Nível de serviço - Quebras − Comparação entre os níveis de serviço reais e os objectivos − Comparação entre a performance individual, do grupo e de cada colega • Tableaux de board − Documento dinâmico e flexível − Documento de fácil leitura − Permite uma análise rápida do desempenho do operador Potencial de melhoria de processos e operações Determinação do potencial de melhoria dos processos ou operações − Identificação dos processos − Identificação das melhorias a implementar − Selecção das parcerias Desenvolvimento do processo − Criação de uma equipa de trabalho − Definição clara de objectivos e atribuição de responsabilidades − Acompanhamento sistemático do processo e avaliação de resultados − Detecção de novas oportunidades de melhoria
  28. 28. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 28/57 UFCD 19 Actividades de picking & packing Carga horária 50 horas Objectivo(s) Descrever e comparar os principais métodos de picking. Identificar os equipamentos, os riscos pessoais e os aspectos a evitar no manuseamento da mercadoria. Descrever as funções da embalagem logística e identificar os materiais de embalamento mais adequados a cada tipo de produto. Conteúdos Principais métodos de picking • Picking − Conceito e objectivos − Factores críticos de sucesso nas operações de picking... • Picking discreto − Conceito − Vantagens e inconvenientes • Picking por zona − Conceito − Vantagens e inconvenientes • Picking por lote − Conceito − Vantagens e inconvenientes • Combinação de diferentes métodos − Procurar as melhores combinações de “métodos puros” para se encontrar a melhor solução para o desafio colocado Manuseamento da mercadoria • Equipamento a utilizar nas operações de picking − Equipamento de transporte da mercadoria − Equipamento de protecção individual • Riscos pessoais associados às operações de picking − Acidentes e lesões pessoais − Problemas de postura • Aspectos a evitar − Redução da quebra − Diminuição dos erros − Protecção individual Acondicionamento e embalamento • Objectivos da embalagem − Agregação e desagregação da mercadoria − Protecção e acondicionamento da mercadoria − Diminuição da quebra − Melhoria do manuseamento e do transporte − Melhoria da produtividade − Melhoria do serviço − Melhoria da segurança − Instrumento de comunicação • Materiais / elementos de embalamento − Caixas − Material de embrulho − Elementos de protecção − Material anti-humidade − Sistemas anti-deslizamento − Máquinas de embalagem − Paletizadoras
  29. 29. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 29/57 UFCD 20 Gestão da expedição Carga horária 50 horas Objectivo(s) Enumerar as principais operações a efectuar no carregamento, acondicionamento e expedição de mercadorias e em função das suas especificidades identificar as normas e o tipo de transporte. Conteúdos Gestão da expedição • Operações a efectuar − Verificação da conformidade entre a nota de encomenda e a mercadoria preparada para a expedição − Verificação e correcção dos erros − Verificação do estado da mercadoria − Verificação do acondicionamento da mercadoria − Preparação da guia de remessa e da factura • Carregamento da mercadoria em função dos destinos − Cargas monodestino − Cargas multidestino • Principais aspectos a ter em consideração na arrumação da mercadoria − Rota e escalas do transporte − Peso das mercadorias − Volume das mercadorias − Fragilidade das mercadorias − Perigosidade das mercadorias − Perecibilidade das mercadorias − Tipo de embalagem de transporte − Exigências técnicas e legais das diferentes mercadorias − Equilíbrio de peso no veículo • Selecção do melhor meio de transporte para a mercadoria − Caixa − Contentor − Veículo rodoviário − Outros • Especificidades técnicas impostas aos veículos − Temperaturas − Peso e volume − Estanquecidade − Rapidez
  30. 30. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 30/57 UFCD 21 Operação/utilização de empilhadores Carga horária 50 horas Objectivo(s) Caracterizar os diferentes tipos de máquinas de elevação e de transporte Descrever as operações de manutenção e utilização do empilhador, em segurança Identificar as regras de condução e circulação do equipamento Conteúdos Tipos de empilhadores • Empilhadores elevadores − Empilhadores convencionais térmicos − Empilhadores convencionais eléctricos − Empilhadores retrácteis − Empilhadores bilaterais e trilaterais − Empilhadores telescópicos − Porta contentores e grandes cargas • Veículos guiados automaticamente • Stackers • Porta Paletes Técnicas de manutenção e de utilização do empilhador • Empilhadores elevadores • Carga e manutenção das Baterias • Limpeza e manutenção periódica do equipamento • Estacionamento do empilhador (em segurança) • Ergonomia e posição de condução • Estabilidade do equipamento • Capacidade nominal de carga • Regras de Higiene e Segurança • Requisitos de certificação profissional para operar estes equipamentos • Normas de ordem e limpeza relevantes para a operação com empilhadores Normas de condução em segurança • Recomendações de segurança • Atribuição e responsabilidades ao operador • Riscos específicos de circulação
  31. 31. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 31/57 UFCD 22 Gestão de stocks - princípios e custos associados Carga horária 50 horas Objectivo(s) Enumerar os principais aspectos relacionados com a gestão de stocks. Identificar e analisar os diferentes custos associados aos stocks e armazenamento. Conteúdos Princípios da gestão de stocks • Definição e objectivos de gestão de Inventário − Possibilidade de satisfação das necessidades dos clientes − Garantia do correcto abastecimento de todos os intervenientes, evitando excessos / insuficiência de produto − Minimização dos custos logísticos • Tipo de matérias a armazenar − Matérias-primas − Componentes e produtos em vias de fabrico − Consumíveis − Produtos finais • Determinantes do nível óptimo de stock − Níveis de procura e previsão de encomendas Procura independente (aleatória) Procura dependente (associada à produção de um bem principal) − A política de inventário da empresa − Nível de serviço pretendido • Condicionantes específicas dos produtos − Perecibilidade − Sazonalidade − Condições de conservação • Condicionantes específicas de armazenagem − Necessidade de espaço de armazenagem − Condições de armazenagem − Requisitos legais de armazenagem − Perigosidade das matérias • Condições do mercado − Concorrência e intensidade competitiva − Consumidores − Ciclo económico e condições da procura − Condicionantes legais e políticas − Condições do mercado • Política de marketing da empresa − Ciclo de vida do produto − Cobertura do mercado − Calendário e agressividade promocional Condições de entrega − Quantidades de encomenda − Custos de encomenda − Descontos de quantidade − Negócios pontuais
  32. 32. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 32/57 UFCD 22 Gestão de stocks - princípios e custos associados Carga horária 50 horas Conteúdos (Continuação) Custos associados aos stocks • Custos operacionais associados à stockagem da mercadoria − Custo da colocação da encomenda − Custo da recepção e do manuseamento da encomenda − Custos de posse da mercadoria − Custo da expedição da mercadoria • Custos de oportunidade fase a outras opções • Noção de custo operacional e de custo “afundado” • Descontos/promoções − Descontos em quantidade − Descontos em valor − Descontos cruzados • Sobrestockagem − Vantagens e inconvenientes da sobrestockagem − Condições promocionais excepcionais − Previsão de ruptura a montante − Aumento do preço de tabela do fornecedor − Embalagem especial − Produto em fim de vida (apenas em casos excepcionais, como as colheitas de vinho)
  33. 33. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 33/57 UFCD 23 Sistemas de encomenda e controlo da gestão de stocks Carga horária 50 horas Objectivo(s) Caracterizar os diferentes sistemas de encomenda, identificando o mais adequado para cada organização. Descrever os conceitos e os procedimentos operacionais na avaliação e controlo das existências. Identificar os principais indicadores de avaliação da gestão de stocks. Conteúdos Sistemas de encomenda • Modelos de reposição de mercadorias − Modelos de reposição instantânea − Modelos de reposição não instantânea − Descontos de quantidade − Modelos de nível de encomenda − Política de revisão cíclica • Sistemas hierárquicos de reposição de stocks − Material requirement planning (MRP) − Logistics requirement planning (LRP) − Just in time (JIT) • Sistemas de apoio à tomada de decisão − Sistemas de informação − Sistemas de previsão − A análise ABC • Avaliação e melhoria do sistema de encomendas − Necessidade do stock de segurança − Níveis de serviço dos fornecedores − Avaliação dos fornecedores Avaliação e controlo das existências • Critérios valorimétricos das mercadorias − FIFO (First in, First out) − LIFO (Last in, First out) − CMP (Custo médio ponderado) • Registos de entradas e saídas de mercadoria − Sistemas de inventário permanente − Sistemas de inventário intermitente
  34. 34. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 34/57 UFCD 23 Sistemas de encomenda e controlo da gestão de stocks Carga horária 50 horas Conteúdos (Continuação) • Objectivos do “balanço” − Determinar o nível de quebra registado durante um determinado período de tempo − “Acertar” os stocks de cada referência − Dissuadir os funcionários de contribuírem para a quebra − Definir política de diminuição do nível de quebra • Periodicidade do “balanço” − Balanços anuais, semestrais, trimestrais, mensais − Balanços pontuais − Balanços sistemáticos, feitos a categorias de produtos específicas, ou de forma aleatória a produtos diferentes Indicadores de avaliação • Níveis de serviço − Nível de serviço dos fornecedores em valor e quantidade − Nível de serviço a clientes em valor e quantidade • Nível de stocks em armazém − “Dias de stock” geral e por produto − Peso relativo do stock médio (em valor) relativamente às vendas do ano • Tempos de entrega − Tempos de entrega dos fornecedores − Tempos de entrega aos clientes
  35. 35. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 35/57 6. ALTERNATIVA PARA A ORGANIZAÇÃO DA FORMAÇÃO – UNIDADES CAPITALIZÁVEIS 6.1. Unidades de Formação Capitalizáveis Logística e armazenagem - organização do armazém 360 horas 1.1 Enquadramento da actividade 165 1.2 Novas tecnologias na actividade do armazém 45 1.3 Layout do armazém 60 1.4 Higiene e segurança no trabalho em armazém 45 1.5 Documentação e legislação na operação em armazém 45 1. Recepção e armazenagem da mercadoria 195 horas 2.1 Gestão da recepção da mercadoria 30 2.2 Conferência da mercadoria 60 2.3 Procedimentos administrativos na recepção da mercadoria 30 2.4 Armazenagem da mercadoria 75 2. Operações de suporte e de manutenção 180 horas 3.1 Manutenção de stocks 90 3.2 Balanço (Inventário) 45 3.3 Sistemas de melhoria 45 3. Operações de preparação de mercadoria e expedição de encomendas 120 horas 4.1 Actividade de picking & packing 60 4.2 Gestão da expedição 60 4. Unidades Complementares Operação/utilização de empilhadores 45 horas 5.1 Tipos de empilhadores 15 5.2 Técnicas de manutenção e de utilização do empilhador 15 5.3 Normas de condução em segurança 15 5. Gestão de stocks 90 horas 6.1 Princípios de gestão de stocks 15 6.2 Custos associados aos stocks 30 6.3 Sistemas de encomenda 30 6.4 Sistemas de controlo da gestão de stocks 15 6.
  36. 36. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 36/57 Unidade de Formação 1. Logística e armazenagem - organização do armazém Itinerário Logística e Armazenagem Saída Profissional Operador/a de Armazenagem Objectivos Identificar as diferentes funções do operador de armazém e o contributo pessoal para o melhoramento dos processos. Aplicar vocabulário específico da língua inglesa nas operações de armazém. Utilizar ferramentas informáticas, na óptica do utilizador, para a construção de pequenas bases de dados e para comunicar. Identificar o layout do armazém. Descrever as regras de funcionamento do armazém e normas legais, nomeadamente relativas a documentação de suporte à actividade e higiene e segurança no trabalho. Utilizar as técnicas facilitadoras da comunicação potenciadoras de um melhor relacionamento interpessoal. Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 1.1. 165 horas Enquadramento da Actividade Reconhecer o enquadramento funcional do operador de armazém Noções de logística e armazenagem As diferentes funções na empresa Enquadramento da logística na cadeia de recepção, produção, distribuição e consumo Logística e armazenagem Enumerar as actividades do operador de armazém Actividades do operador de armazém Manutenção do armazém Gestão do espaço e acondicionamento Operações de carga e de descarga das mercadorias, Controlo dos fluxos de mercadoria Actividades de balanço (inventário) Tecnologias de informação e comunicação no âmbito da actividade Materiais e equipamentos - manuseamento e arrumação Gestão e organização do armazém Enumerar as funções dos operadores de armazém Funções do operador de armazém Operador de empilhador − Descarga de mercadorias − Transporte dos produtos até ao local onde vão ser armazenados − Apoio às tarefas de manuseamento de mercadorias, utilizando meios mecânicos (empilhadores) Operador de arrumação de mercadoria "handler" − Recepção e verificação da mercadoria − Arrumação da mercadoria − Registo da mercadoria (entradas e saídas) no sistema − Carregamento da mercadoria para expedição Operador de recolha de mercadoria - picker − Recolha da mercadoria de acordo com as instruções − Etiquetagem e embalamento logístico da mercadoria (caixas, paletes, cintagem, etc.) Chefe de equipa − Supervisão das actividades de armazenamento − Controlo do cumprimento das normas de segurança e qualidade − Resolução de problemas operacionais
  37. 37. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 37/57 Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 1.1. Enquadramento da actividade Definir a postura requerida ao operador de armazém Postura do operador de armazém Responsável e profissional Pluridisciplinar (flexível) e com elevado espírito de trabalho em equipa Activo e pró-activo (nomeadamente em questões de segurança) Abertura à mudança Postura ética correcta Utilizar ferramentas informáticas, na óptica do utilizador, para a construção de pequenas bases de dados e para comunicar Noções básicas de informática Principais ferramentas Informáticas na óptica do utilizador − Processamento de texto e correio electrónico − Pesquisa e comunicação através da Internet − Bases de dados − Folhas de cálculo Aplicação prática - folha de cálculo − Aplicações elementares da folha de cálculo − Tabelas com células interrelacionadas − Cálculos − Pequenas bases de dados Aplicação prática - Base de dados − Campo de acção de uma folha de cálculo em base de dados − Definição de campos e construção de tabelas − Interacção entre diferentes tabelas e a construção da base de dados − Cálculos − Importação de dados de outros programas e aplicações − Comparação entre a utilidade da base de dados e da folha de cálculo, do ponto de vista do operador de armazém Aplicar vocabulário específico da língua inglesa nas operações de armazém Língua inglesa - armazém Principais conceitos e termos − Na embalagem − No transporte − Na recepção e manuseamento de mercadorias Principais utilizações associadas às operações de armazém − Documentos de transporte − Etiquetas e designações − Documentos de acompanhamento de mercadorias Reconhecer e descrever a importância das relações interpessoais para o desempenho do operador de armazém Relacionamento interpessoal Principais interlocutores do operador de armazém − Internos Marketing Vendas Produção Finanças Investigação & Desenvolvimento − Externos Clientes Fornecedores Transportadores Factores pessoais − Auto estima e afiliação − Motivação − Realização pessoal e profissional Factores organizacionais − Criação de ambientes propícios à colaboração e entreajuda
  38. 38. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 38/57 Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 1.1. Enquadramento da actividade Reconhecer e descrever a importância das relações interpessoais para o desempenho do operador de armazém Relacionamento interpessoal − Capacidade de influenciar decisões e melhorias nos processos internos − Capacidade de melhorar o desempenho da empresa e dos fornecedores, através de um melhor entendimento dos objectivos e necessidades de cada interlocutor Factores relacionais − Rigor / objectividade − Eficácia e assertividade − Empatia e disponibilidade − Capacidade partilhar, cooperar e acompanhar − Recolher contributos das entidades envolvidas − Capacidade de resolução de conflitos e de situações geradoras de ansiedade Aplicar técnicas de comunicação escrita e oral no âmbito do desenvolvimento da actividade Comunicação escrita e oral Conteúdos e língua Linguagem corporal Estilos de linguagem Ajustar a linguagem ao objectivo da informação Clara selecção e identificação dos destinatários Escolha do formato a utilizar Formas de arquivo Aplicar as técnicas de organização pessoal e gestão do tempo com vista a optimizar o planeamento das actividades e o cumprimento dos objectivos Organização pessoal e gestão do tempo Técnicas para inventariação das actividades desenvolvidas Técnicas para análise das actividades desenvolvidas e sua priorização Identificação do potencial de melhoria de cada uma das actividades Regras básicas de organização pessoal Regras fundamentais da gestão do tempo Desenvolvimento de planos de acção de melhoria de desempenho utilizando as regras básicas de gestão do tempo e de organização pessoal 1.2. 45 horas Novas tecnologias na actividade do armazém Reconhecer e enumerar os objectivos das novas tecnologia na actividade do operador de armazém Novas tecnologias na actividade do armazém Objectivos das tecnologias Sistemas informáticos para o registo de mercadorias − Introdução de mercadorias no sistema − Controlo de stocks − Localização das mercadorias no armazém Sistemas Informáticos para a recepção de mercadorias − Scanners − Registo manual das entradas − Programação de recepções Manuseamento e armazenagem − Localização aleatória das mercadorias − Sistemas de manuseamento de mercadoria Recolha da mercadoria − Percursos de picking − Sistemas automáticos de recolha de mercadorias Embalamento − Sistemas de etiquetagem − Embalamento de mercadorias (equipamento e processos)
  39. 39. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 39/57 Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 1.2. Novas tecnologias na actividade do armazém Reconhecer e enumerar os objectivos das novas tecnologia na actividade do operador de armazém Novas tecnologias na actividade do armazém Expedição da mercadoria − Processos para a expedição de mercadoria − Equipamento de expedição − Sistemas automáticos de expedição de mercadorias 1.3. 60 horas Layout do armazém Planificar e construir o layout do armazém identificando o equipamento mais adequado Planeamento e construção do layout do armazém Zona de recepção de mercadorias Zona de expedição de mercadorias Zona de embalamento e preparação de mercadorias Zona de armazenagem e de picking − Divisão por rotação de produtos − Divisão pela volumetria dos produtos − Divisão pela família de produtos − Divisão pelas características técnicas dos produtos − Divisão por imposições legais − Divisão por lotes e por clientes Zonas de circulação de pessoas e de mercadorias Zona de apoio (arrumação, manutenção) Arrumação dos produtos em função da divisão e equipamento existentes Atribuição de locais de picking Registo da mercadoria e determinação do local onde deve ser arrumada Separação das diferentes zonas de armazém Layout dos equipamentos − Tipos de estanterias − Material de circulação e arrumação de mercadoria − Equipamento de circulação − Equipamento de segurança 1.4. 45 horas Higiene e segurança no trabalho em armazém Reconhecer a relevância da prevenção de acidentes de trabalho para os trabalhadores, as organizações e sociedade e identificar o equipamento de protecção individual Prevenção de acidentes de trabalho em armazém Evolução histórica Causas e consequências dos acidentes de trabalho A prevenção dos acidentes de trabalho Equipamento de protecção individual em armazém − Protecção da cabeça − Protecção dos olhos, ouvidos e da face − Protecção das mãos e braços − Protecção dos pés e pernas − Protecção contra quedas Operar os transportes e proceder ao armazenamento de cargas fazendo uso das regras de segurança e higiene no trabalho Regras de segurança e higiene no trabalho em armazém Movimentação manual de cargas − Risco de lesão da coluna vertebral − Postura e movimentos perigosos na coluna − Utilização de aparelhos auxiliares Transporte mecânico de cargas − Máquinas de elevação − Movimentação dos aparelhos − Práticas e regras de operação − Inspecção, manutenção e prevenção no trabalho Armazenagem − Regras e procedimentos de segurança
  40. 40. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 40/57 Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 1.4. Higiene e segurança no trabalho em armazém Realizar o manuseamento de substâncias perigosas, fazendo uso das regras de segurança e higiene no trabalho Manuseamento de substâncias perigosas Classificação e características de substâncias perigosas − Explosivas − Comburentes − Inflamáveis − Tóxicas − Corrosivas − Irritantes − Sensibilizantes − Perigosas para o ambiente − Cancerígenas − Mutagénicas − Tóxicas para a reprodução Intervenção em caso de incêndio − Substâncias explosivas − Substâncias oxidantes − Nitratos − Combustíveis sólidos, líquidos e gasosos − Substâncias tóxicas − Pesticidas − Outras substâncias perigosas Sinalização e rotulagem de segurança − Sinalização − Rotulagem Armazenagem de substâncias perigosas − Locais fechados e vigiados − Locais abertos − Locais abertos e secos − Locais fechados e ventilados 1.5. 45 horas Documentação e legislação na operação em armazém Identificar a documentação necessária e relevante para a operação em armazém Documentação de suporte à operação no armazém Documentação pessoal do operador − Documentação de identificação − Certificados de aptidão funcional relevantes − Documentação de saúde Documentação a afixar no armazém − Mapa de pessoal − Mapa de férias − Mapa de horário de trabalhos Documentação à disposição dos operadores − Manuais de procedimentos − Livros de instruções dos equipamentos − Ordens de serviço − Comunicações internas − Métodos de circulação da informação Documentação a preencher pelos operadores − Registos diversos de mercadorias − Livros de manutenção dos equipamentos
  41. 41. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 41/57 Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 1.5. Documentação e legislação na operação em armazém Descrever as principais normas legais inerentes ao funcionamento do armazém Normas legais para a operação em armazém Principais normas de Direito de Trabalho − Direitos e obrigações do trabalhador − Direitos e obrigações do empregador Normas legais para o acondicionamento e manuseamento da mercadoria − Locais de armazenamento − Temperaturas − Normas de segurança − Normas de manuseamento das diversas mercadorias Documentação obrigatória na circulação da mercadoria − Guias de remessa − Certificados de origem − Certificados veterinários − Outros certificados oficiais (para o transporte de bebidas alcoólicas, matérias perigosas, etc.)
  42. 42. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 42/57 Unidade de Formação 2. Recepção e armazenagem da mercadoria Itinerário Logística e Armazenagem Saída Profissional Operador/a de Armazenagem Objectivos Efectuar operações de recepção, optimizando o planeamento das actividades e a organização do espaço. Controlar a actividade de recepção de mercadoria através da análise da sua conformidade face à nota de encomenda e aos critérios de qualidade e de segurança definidos. Aplicar os procedimentos administrativos inerentes à função de recepção e armazenamento de mercadorias. Enumerar as normas e procedimentos das operações de carga, descarga e manuseamento de mercadorias. Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 2.1. 30 horas Gestão da recepção da mercadoria Descrever as noções básicas de gestão de inventário Noções básicas de gestão de inventário Objectivos e condicionantes da gestão de inventário Determinantes do nível óptimo de stocks Breve descrição dos principais sistemas de encomenda Planear as recepções de mercadoria, procedendo à avaliação do processo Planeamento e avaliação da recepção de mercadorias Desenvolvimento de um plano de recepções − Horários de recepção − Janelas de entrega − Turnos de pessoal − Coordenação com as restantes funções de armazenagem Organização das recepções − Por ordem de chegada − Pela indicação da nota de encomenda − Por nível de necessidade das mercadorias − Pelas especificidades das mercadorias a recepcionar Preparação operacional da recepção − Equipamento necessário para a recepção Avaliação do processo − Nível de serviço conseguido − Pontualidade dos fornecedores − Tempo de paralisação do Sistemas − Atrasos nas recepções de mercadoria 2.2 60 horas Conferência da mercadoria Controlar a mercadoria recepcionada, analisando a sua conformidade face à nota de encomenda e aos critérios de qualidade e segurança definidos Conferência da mercadoria Verificação do acondicionamento da carga recepcionada − Tipo de veículos aceite para o transporte das mercadorias − Acondicionamento da carga Procedimentos de carga, descarga e conferência de mercadorias − Marcação da recepção e atribuição do local, hora e tempo de descarga (cais) − À chegada, o veículo deve estacionar em segurança junto do cais de descarga − O selo de segurança deve ser inspeccionado e quebrado na presença do motorista − Conferência da mercadoria (quantidades, rotulagem, conservação, validade, tradução, certificados oficiais, etc.) − Entrada da encomenda no sistema informático − Armazenagem da mercadoria
  43. 43. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 43/57 Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 2.2 Conferência da mercadoria Controlar a mercadoria recepcionada, analisando a sua conformidade face à nota de encomenda e aos critérios de qualidade e segurança definidos Devolução de mercadoria − Causa da não-aceitação − Data de validade − Estado da embalagem − Condições de transporte − Incumprimento dos prazos de entrega − Incumprimento das quantidades / qualidades acordadas − Desconformidade face ao tipo de embalagem e/ou à ficha logística e às condições comerciais acordadas − Nota de devolução − Reporte da devolução 2.3 30 horas Procedimentos administrativos na recepção da mercadoria Descrever os sistemas de informação internos Sistemas de informação internos no processo de recepção Procedimentos administrativos − Definição e justificação − Necessidade de registo e de controlo Versus necessidade de simplicidade e de flexibilização − Informação necessária para os sistemas de previsão e de informação (gestão de stocks e planeamento de actividades) − Sistemas facilitadores de circulação de informação - a informática e o EDI − Ficha logística de produto - Definição, objectivos e principais componentes Requisitos da documentação − Documentos necessários para a recepção e conferência da mercadoria − Documentos necessários para o tratamento administrativo da mercadoria − Documentos necessários para a armazenagem da mercadoria − Documentação necessária para a expedição da mercadoria − Outra documentação necessária Identificar a documentação e descrever o circuito da informação no relacionamento com clientes e fornecedores Documentação e circuito da informação Documentação associada à encomenda − Nota de encomenda − Factura pró-forma − Agendamento das recepções − Guia da mercadoria − Documento de recepção de mercadoria Circuito da informação − Identificação da necessidade de informação de cada interveniente do processo logístico − Definição do melhor circuito para a obtenção dessa informação Descrever as regras e procedimentos associados à armazenagem e transporte de produtos Regras e procedimentos para a armazenagem e transporte Regras para a armazenagem de produtos − Registos − Facturação e os impostos − Tratamento de produtos especiais e substâncias perigosas − Armazéns fiscais − Certificações veterinárias e outras Regras para o transporte de produtos − Transporte de mercadorias perigosas − Transporte em território nacional − Transporte internacional
  44. 44. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 44/57 Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 2.4 75 horas Armazenagem da mercadoria Descrever as especificidades da armazenagem e da circulação de diferentes tipos de mercadorias Métodos de armazenagem Especificidades de armazenagem − Temperaturas controladas − Volumetria − Embalagem − Sensibilidade (ex. Luz, manuseamento) − Perecibilidade − Perigosidade − Valor − Especificidades fiscais e legais (drogas, medicamentos) Circulação da mercadoria − Definição do local de armazenagem da mercadoria − Itinerário da mercadoria e equipamento de transporte e de manuseamento − Codificação da mercadoria Descrever as normas de suporte à armazenagem de produtos especiais Normas de armazenagem Vestuário dos operadores Controlo de condições e validades Documentação Sistemas de segurança e de protecção
  45. 45. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 45/57 Unidade de Formação 3. Operações de suporte e de manutenção Itinerário Logística e Armazenagem Saída Profissional Operador/a de Armazenagem Objectivos Realizar com eficiência as operações de picking. Manter o nível óptimo de stocks, através de um correcto acompanhamento e manuseamento das mercadorias. Organizar e operacionalizar controlos periódicos do inventário (contagem das existências). Reconhecer a importância dos contributos individuais e colectivos para a melhoria contínua dos processos e operações. Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 3.1. 90 horas Manutenção de stocks Descrever o papel do picking, analisando os recursos necessários e atribuindo espaço de picking a cada produto Gestão do espaço de picking Funções dos lugares de picking − Facilitação das tarefas de recolha de mercadoria − Menor manuseamento das mercadorias (diminuição da quebra) − Maior rapidez e produtividade em todo o processo − Facilidade em localizar a mercadoria (visualmente e/ou através de sistemas informatizados) Estanteria de picking manual − Racks − Gavetas − Armários − Prateleiras (com ou sem fluxo gravitacional) Estanteria automatizada para picking − Sistemas computorizados e automatizados de picking − Estanteria – Carrossel (horizontal e vertical) − Estanteria associada a tapete rolante Localização dos lugares de picking − Critérios de atribuição de lugares de picking, por categoria de produtos, rotação, prazos de validade, por imposições técnicas e legais − Definição do número de locais de picking de cada referência, em função da sua rotação e dos percursos de picking dos operadores − Localização dos produtos e utilização de sistemas informatizados Abastecimento dos lugares de picking − Metodologias automatizadas e manuais para detecção das necessidades de abastecimento do picking − Atribuição da responsabilidade da função ou calendarização das actividades Enumerar as técnicas e actividades mais adequadas para a conservação dos diferentes tipos de mercadoria Sistemas de controlo da conservação da mercadoria Necessidades de controlo e de acompanhamento − Datas de validade − Condições da embalagem − Hierarquização dos fluxos de saída (em função do lote) Mecanismos de controlo − Sistemas informáticos − Verificação manual sistemática (atribuição desta responsabilidade e concentração das mercadorias com maiores necessidades de controlo)
  46. 46. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 46/57 Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 3.1. Manutenção de stocks Identificar possíveis origens de quebra e executar tarefas tendentes à sua diminuição Quebras - causas e prevenção Origem das quebras − Quebras com causas extraordinárias . Incêndios e danos por água . Derrocadas, falhas estruturais, tempestades . Roubos e vandalismo − Quebras com causas operacionais . Validade dos produtos ultrapassada . Quedas acidentais de mercadorias . Mau acondicionamento (embalagem) . Controlo das datas de validade dos produtos . Deficiente registo da localização da mercadoria . Furtos e erros na expedição de mercadorias . Devoluções de clientes . Procedimentos para a diminuição das quebras − Relacionamento com os fornecedores . Melhor conhecimento do produto e das suas especificidades . Melhor conhecimento da procura . Adequação das unidades logísticas e das embalagens . Adequação das formas de entrega − Formação e sensibilização das equipas . Formação na tarefa . Formação na atitude − Controlos ao pessoal e às operações com stocks . Controlo aleatório de roubos . Controlo das actividades de manuseamento em stocks, de forma a avaliar o desempenho e a diminuir os erros e os acidentes − Implementação de sistemas de avaliação e de melhoria . Clara e correcta definição de objectivos de quebra e de metodologias para os atingir . Monitorização constante dos resultados e implementação de medidas correctivas − Implementação de sistemas de segurança . Delimitação de zonas de circulação e criação de locais de acesso restrito . Implementação de mecanismos automáticos de controlo de acessos (cartões, código, etc.) − Arrumação das mercadorias e métodos de previsão . Diminuição das operações de manuseamento das mercadorias . Localização das mercadorias e a sua correcta arrumação . Correcta atribuição de espaço de picking − Manuseamento e o embalamento da mercadoria . Definição do percurso de picking . Utilização de veículos de transporte adequados . Cuidado acondicionamento da mercadoria (por exemplo a colocação de caixas sobrepostas sobre a palete, pesos) . Acondicionamento da carga (ex. dentro de caixas ou utilizando cintagem plástica − Sistemas de segurança . Sistemas de detecção de roubos . Sistemas de detecção e de ataque aos incêndios . Sistemas de alarme . Manutenção periódica e melhoria constante de todos estes sistemas . Formação, as sinalizações e os planos de emergência
  47. 47. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 47/57 Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 3.2 45 horas Balanço - inventário Identificar os diferentes sistemas de inventário e critérios valorimétricos Sistemas de valorização das mercadorias Critérios Valorimétricos − FIFO (First in, First out) − LIFO (Last in, First out) − CMP (Custo médio ponderado) Registos de entradas e saídas de mercadorias − Sistemas de inventário permanente − Sistemas de inventário intermitente Enumerar os objectivos e periodicidade do balanço Objectivos e periodicidade do balanço Objectivos do balanço − Determinar o nível de quebra − Métodos de abastecimento − Determinar o nível de quebra − Acertar o nível de stocks de cada referência − Dissuadir os comportamentos que contribuem para a quebra − Definir politica de diminuição do nível de quebra Periodicidade do balanço − Balanços periódicos − Balanços pontuais − Balanços sistemáticos Descrever as actividades necessárias à organização e execução de um processo de inventário Gestão do processo de inventário Planificação do processo − Calendarizarão antecipada das acções de inventário ao longo do período (ano), com a identificação dos elementos que participarão em cada acção de inventário − Organização prévia do evento - arrumação das mercadorias, eliminação de monos e obstáculos à contagem, preparação dos equipamentos de contagem, formação, divisão de tarefas e zonas − Identificação das mercadorias e locais a não contar (mercadoria não recepcionada até aquela data, encomendas preparadas) − Preparação do material de contagem (etiquetas, scanners, listagens, etc.) Controlo das contagens − Necessidade da existência de controlo das contagens, com pessoas próprias − O controlo deve ser feito por amostragem − O controlo deve servir para diminuir erros e responsabilizar os operadores − O controlo deve ser feito imediatamente após ter terminado a operação de inventário Reconciliação de stocks − Fase fundamental do processo de inventário, permite detectar os erros e as suas origens − Permite identificar desvios e medidas correctivas − Permite uma rigorosa manutenção informática dos stocks
  48. 48. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 48/57 Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 3.3 45 horas Sistemas de melhoria Descrever os sistemas de avaliação individual e colectiva, identificando os instrumentos de avaliação mais adequados Sistemas e instrumentos de avaliação Importância da medição de resultados − Avaliar o desempenho − Construir referenciais − Conceber planos de melhoria e estabelecer objectivos Selecção dos indicadores a avaliar (indicadores de performance) − Indicadores de performance relevantes − Indicadores de performance medíveis, relevantes e de fácil leitura − Indicadores ajustados aos portos de trabalho e às responsabilidades de cada operador Regras para o desenvolvimento de instrumentos de avaliação e de melhoria − Implementar um sistema simples para que possa ser claramente entendido por todos − Evitar fazer alterações frequentes nos indicadores − Antecipar as alterações e variantes que serão implementadas nos produtos e nas organizações Principais indicadores de performance de um operador de armazém − Nível de serviço - tempos − Nível de serviço - recursos utilizados − Nível de serviço - erros cometidos − Nível de serviço - quebras − Comparação entre os níveis de serviço reais e os objectivos − Comparação entre a performance individual, do grupo e de cada colega Tableaux de board − Documento dinâmico e flexível − Documento de fácil leitura − Permite uma análise rápida do desempenho do operador Enumerar fontes de melhoria individual e colectiva tendo em vista a optimização dos processos e operações Potencial de melhoria de processos e operações Determinação do potencial de melhoria dos processos ou operações − Identificação dos processos − Identificação das melhorias a implementar − Selecção das parcerias Desenvolvimento do processo − Criação de uma equipa de trabalho − Definição clara de objectivos e atribuição de responsabilidades − Acompanhamento sistemático do processo e avaliação de resultados − Detecção de novas oportunidades de melhoria
  49. 49. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 49/57 Unidade de Formação 4. Operações de preparação de mercadoria e expedição de encomendas Itinerário Logística e Armazenagem Saída Profissional Operador/a de Armazenagem Objectivos Identificar os métodos que permitem optimizar a produtividade e a eficiência das operações de picking. Aplicar as técnicas de gestão da expedição que proporcionem uma operação mais rápida, com a mercadoria correctamente embalada e acondicionada. Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 4.1. 60 horas Actividade de picking e packing Descrever e comparar os principais métodos de picking Principais métodos de picking Picking − Conceito e objectivos − Factores críticos de sucesso nas operações de picking... Picking discreto − Conceito − Vantagens e inconvenientes Picking por zona − Conceito − Vantagens e inconvenientes Picking por lote − Conceito − Vantagens e inconvenientes Combinação de diferentes métodos − Procurar as melhores combinações de “métodos puros” para se encontrar a melhor solução para o desafio colocado Identificar os equipamentos, os riscos pessoais e os aspectos a evitar no manuseamento da mercadoria Manuseamento da mercadoria Equipamento a utilizar nas operações de picking − Equipamento de transporte da mercadoria − Equipamento de protecção individual Riscos pessoais associados às operações de picking − Acidentes e lesões pessoais − Problemas de postura Aspectos a evitar − Redução da quebra − Diminuição dos erros − Protecção individual Descrever as funções da embalagem logística e identificar os materiais de embalamento mais adequados a cada tipo de produto Acondicionamento e embalamento Objectivos da embalagem − Agregação e desagregação da mercadoria − Protecção e acondicionamento da mercadoria − Diminuição da quebra − Melhoria do manuseamento e do transporte − Melhoria da produtividade − Melhoria do serviço − Melhoria da segurança − Instrumento de comunicação Materiais / elementos de embalamento − Caixas − Material de embrulho − Elementos de protecção − Material anti-humidade − Sistemas anti-deslizamento − Máquinas de embalagem − Paletizadoras
  50. 50. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 50/57 Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 4.2. 60 horas Gestão da expedição Enumerar as principais operações a efectuar no carregamento, acondicionamento e expedição de mercadorias e em função das suas especificidades identificar as normas e o tipo de transporte Gestão da expedição Operações a efectuar − Verificação da conformidade entre a nota de encomenda e a mercadoria preparada para a expedição − Verificação e correcção dos erros − Verificação do estado da mercadoria − Verificação do acondicionamento da mercadoria − Preparação da guia de remessa e da factura Carregamento da mercadoria em função dos destinos − Cargas monodestino − Cargas multidestino Principais aspectos a ter em consideração na arrumação da mercadoria − Rota e escalas do transporte − Peso das mercadorias − Volume das mercadorias − Fragilidade das mercadorias − Perigosidade das mercadorias − Perecibilidade das mercadorias − Tipo de embalagem de transporte − Exigências técnicas e legais das diferentes mercadorias − Equilíbrio de peso no veículo Selecção do melhor meio de transporte para a mercadoria − Caixa − Contentor − Veículo rodoviário − Outros Especificidades técnicas impostas aos veículos − Temperaturas − Peso e volume − Estanquecidade − Rapidez
  51. 51. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 51/57 Unidade de Formação 5. Operação/utilização de empilhadores (Unidade Complementar) Itinerário Logística e Armazenagem Saída Profissional Operador/a de Armazenagem Objectivos Identificar os diferentes tipos de empilhadores existentes. Descrever as tarefas de manutenção necessárias à operação do empilhador nas melhores condições de segurança e conservação. Manusear os principais tipos de empilhadores, cumprindo todas as regras de segurança e eficiência. Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 5.1. 15 horas Tipos de empilhadores Caracterizar os diferentes tipos de máquinas de elevação e de transporte Tipos de empilhadores Empilhadores elevadores − Empilhadores convencionais térmicos − Empilhadores convencionais eléctricos − Empilhadores retrácteis − Empilhadores bilaterais e trilaterais − Empilhadores telescópicos − Porta contentores e grandes cargas Veículos guiados automaticamente Stackers Porta Paletes 5.2. 15 horas Técnicas de manutenção e de utilização do empilhador Descrever as operações de manutenção e utilização do empilhador, em segurança Técnicas de manutenção e de utilização do empilhador Empilhadores elevadores Carga e manutenção das baterias Limpeza e manutenção periódica do equipamento Estacionamento do empilhador (em segurança) Ergonomia e posição de condução Estabilidade do equipamento Capacidade nominal de carga Regras de Higiene e Segurança Requisitos de certificação profissional para operar estes equipamentos Normas de ordem e limpeza relevantes para a operação com empilhadores 5.3. 15 horas Normas de condução em segurança Identificar as regras de condução e circulação do equipamento Normas de condução em segurança Recomendações de segurança Atribuição e responsabilidades ao operador Riscos específicos de circulação
  52. 52. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 52/57 Unidade de Formação 6. Gestão de stocks (Unidade Complementar) Itinerário Logística e Armazenagem Saída Profissional Operador/a de Armazenagem Objectivos Contextualizar a gestão de stocks nas organizações e no mercado em geral. Aplicar as técnicas de gestão de stocks, optimizando os níveis de serviço e os custos associados. Caracterizar os diferentes sistemas de encomenda existentes, identificando o mais adequado a cada organização. Descrever o sistema de avaliação e controlo de stocks, identificando possíveis acções de melhoria e medidas correctivas. Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 6.1. 15 horas Princípios da gestão de stocks Enumerar os principais aspectos relacionados com a gestão de stocks Princípios da gestão de stocks Definição e objectivos de gestão de Inventário − Possibilidade de satisfação das necessidades dos clientes − Garantia do correcto abastecimento de todos os intervenientes, evitando excessos / insuficiência de produto − Minimização dos custos logísticos Tipo de matérias a armazenar − Matérias-primas − Componentes e produtos em vias de fabrico − Consumíveis − Produtos finais Determinantes do nível óptimo de stock − Níveis de procura e previsão de encomendas Procura independente (aleatória) Procura dependente (associada à produção de um bem principal) − A política de inventário da empresa − Nível de serviço pretendido Condicionantes específicas dos produtos − Perecibilidade − Sazonalidade − Condições de conservação Condicionantes específicas de armazenagem − Necessidade de espaço de armazenagem − Condições de armazenagem − Requisitos legais de armazenagem − Perigosidade das matérias Condições do mercado − Concorrência e intensidade competitiva − Consumidores − Ciclo económico e condições da procura − Condicionantes legais e políticas − Condições do mercado Política de marketing da empresa − Ciclo de vida do produto − Cobertura do mercado − Calendário e agressividade promocional Condições de entrega − Quantidades de encomenda − Custos de encomenda − Descontos de quantidade − Negócios pontuais
  53. 53. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 53/57 Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 6.2. 30 horas Custos associados aos stocks Identificar e analisar os diferentes custos associados aos stocks e armazenamento Custos associados aos stocks Custos operacionais associados à stockagem da mercadoria − Custo da colocação da encomenda − Custo da recepção e do manuseamento da encomenda − Custos de posse da mercadoria − Custo da expedição da mercadoria Custos de oportunidade fase a outras opções Noção de custo operacional e de custo “afundado” Descontos/promoções − Descontos em quantidade − Descontos em valor − Descontos cruzados Sobrestockagem − Vantagens e inconvenientes da sobrestockagem − Condições promocionais excepcionais − Previsão de ruptura a montante − Aumento do preço de tabela do fornecedor − Embalagem especial − Produto em fim de vida (apenas em casos excepcionais, como as colheitas de vinho) 6.3. 30 horas Sistemas de encomenda Caracterizar os diferentes sistemas de encomenda, identificando o mais adequado para cada organização Sistemas de encomenda Modelos de reposição de mercadorias − Modelos de reposição instantânea − Modelos de reposição não instantânea − Descontos de quantidade − Modelos de nível de encomenda − Política de revisão cíclica Sistemas hierárquicos de reposição de stocks − Material requirement planning (MRP) − Logistics requirement planning (LRP) − Just in time (JIT) Sistemas de apoio à tomada de decisão − Sistemas de informação − Sistemas de previsão − A análise ABC Avaliação e melhoria do sistema de encomendas − Necessidade do stock de segurança − Níveis de serviço dos fornecedores − Avaliação dos fornecedores
  54. 54. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 54/57 Subunidades de Formação N.º / Duração Designação / Objectivos Específicos Conteúdos programáticos 6.4. 15 horas Sistemas de controlo da gestão de stocks Descrever os conceitos e os procedimentos operacionais na avaliação e controlo das existências Avaliação e controlo das existências Critérios valorimétricos das mercadorias − FIFO (First in, First out) − LIFO (Last in, First out) − CMP (Custo médio ponderado) Registos de entradas e saídas de mercadoria − Sistemas de inventário permanente − Sistemas de inventário intermitente Objectivos do “balanço” − Determinar o nível de quebra registado durante um determinado período de tempo − “Acertar” os stocks de cada referência − Dissuadir os funcionários de contribuírem para a quebra − Definir política de diminuição do nível de quebra Periodicidade do “balanço” − Balanços anuais, semestrais, trimestrais, mensais − Balanços pontuais − Balanços sistemáticos, feitos a categorias de produtos específicas, ou de forma aleatória a produtos diferentes Identificar os principais indicadores de avaliação da gestão de stocks Indicadores de avaliação Níveis de serviço − Nível de serviço dos fornecedores em valor e quantidade − Nível de serviço a clientes em valor e quantidade Nível de stocks em armazém − “Dias de stock” geral e por produto − Peso relativo do stock médio (em valor) relativamente às vendas do ano Tempos de entrega − Tempos de entrega dos fornecedores − Tempos de entrega aos clientes
  55. 55. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 55/57 6.2. Matriz de correspondência unidades capitalizáveis/unidades de formação de curta duração Unidades de Formação Capitalizáveis Unidades de Formação de Curta Duração N.º N.º 1 1 a 9 2 10 a 14 3 15 a 18 4 19 a 20 5 (Unidade Complementar) 21 6 (Unidade Complementar) 22 a 23
  56. 56. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 56/57 7. SUGESTÃO DE RECURSOS DIDÁCTICOS Código Comercial Código Civil Código do Trabalho Comércio e distribuição em Portugal – Lisboa, INOFOR, 2000 Fundamentals of Logistics Management - Douglas M. Lambert, James R. Stock, Lisa M. Ellram, Inwin McGraw- Hill,1998 Manual de higiene e segurança no trabalho - Alberto Sérgio Miguel, Porto editora, 1998 Psicologia das relações interpessoais I, II volumes – M. Fachada, Rumo, 2003 Programa de eficiência pessoal - Kerry Gleeson, Makron Books, 2001 The handbook of logistics and distribution management - Alan Rushton, John Oxcey, Phil Croucher, Institute of logistics and Transport, Konag Page, 2.ª edição, 2000 Comércio e distribuição em Portugal – Lisboa, INOFOR, 2000 Fundamentals of logistics management - Douglas M. Lambert, James R. Stock, Lisa M. Ellram, Inwin McGraw- Hill,1998 Gestão de stocks e aprovisionamento - O. Ribeiro, Edições CECOA, 2000 Pratical handbook of warehousing - Klenneth B. Ackermam, Chapman & Hall, 1997 Comércio e distribuição em Portugal – Lisboa, INOFOR, 2000 Fundamentals of logistics management - Douglas M. Lambert, James R. Stock, Lisa M. Ellram, Inwin McGraw- Hill,1998 Gestão de stocks e aprovisionamento - O. Ribeiro, Edições CECOA, 2000 Pratical handbook of warehousing - Klenneth B. Ackermam, Chapman & Hall, 1997 Comércio e distribuição em Portugal – Lisboa, INOFOR, 2000 Fundamentals of logistics management - Douglas M. Lambert, James R. Stock, Lisa M. Ellram, Inwin McGraw- Hill,1998 Logística - José Mexia, Crespo de Carvalho, Silabo gestão, 1999 The handbook of logistics and distribution management - Alan Rushton, John Oxcey, Phil Croucher, Institute of logistics and Transport. Konag Page, 2.ª edição, 2000
  57. 57. REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Saída Profissional: Operador/a de Armazenagem Nível 2 57/57 Comércio e distribuição em Portugal – Lisboa, INOFOR, 2000 Fundamentals of logistics management - Douglas M. Lambert, James R. Stock, Lisa M. Ellram, Inwin McGraw- Hill,1998 Investigação operacional - L. Valadares Tavares, Rui Carvalho Oliveira, Isabel Hall Themido, F. Nunes Correia, McGrawHill, 1996 The handbook of logistics and distribution management -Alan Rushton, John Oxcey, Phil Croucher, Institute of logistics and Transport. Konag Page, 2.ª edição, 2000 Comércio e distribuição em Portugal – Lisboa, INOFOR, 2000 Investigação operacional - L. Valadares Tavares, Rui Carvalho Oliveira, Isabel Hall Themido, F. Nunes Correia, McGrawHill, 1996 Merchandising - R. Bordone, Lisboa, EdiçÀЀ

×