Método Clínico para os Cuidados Farmacêuticos

15.267 visualizações

Publicada em

Conteúdo de Graduação em Farmácia - UFPR - 2013.

Publicada em: Saúde e medicina
3 comentários
46 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Olá Cassyano! Sou aluna do 8º P. graduação de Farmácia... Li seu estudo: Método Clínico de Atenção Farmacêutica, e me ajudou muito, pricipalmente no estágio extra curricular que faço em um hospital privado.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Muito bom, mas melhor seria se pudéssemos fazer o download para estudar.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Muito boa. Felicidades.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
15.267
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.232
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
3
Gostaram
46
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Método Clínico para os Cuidados Farmacêuticos

  1. 1. O MÉTODO CLÍNICODE ATENÇÃOFARMACÊUTICACassyano J CorrerFarmacêutico , Ph.D., M.Sc.Doutor em Medicina InternaDepartamento de FarmáciaUniversidade Federal do Paranácassyano@ufpr.br
  2. 2. Conteúdo Conceitos Etapas do Método Clínico Coleta de dados do paciente Identificação de problemas Plano de cuidado Seguimento
  3. 3. CONSULTA FARMACÊUTICA Ato demandado pelopaciente ou pela equipe desaúde no qual ofarmacêutico buscaprevenir e resolverproblemas ligados à saúdee à farmacoterapia em umprocesso de colaboração einteração direta com opaciente.
  4. 4. Semiologia farmacêutica Semiologia ou propedêuticaé a parte das ciências dasaúde relacionada aoestudo dos sintomas esinais das doenças queafetam o ser humano Semiologia Farmacêuticaconsiste na aplicação dastécnicas e conhecimentossobre a investigação desinais e sintomas para aprática farmacêutica
  5. 5.  Sintomas se referem ao que o pacientesente e são descritos por ele a fim deesclarecer a natureza da doença. Exemplosde sintomas incluem dor, náusea, diarréiaou respiração curta. Sinais se referem aos achados doexaminador. Os sinais podem serobservados e quantificados, como porexemplo, febre, hipertensão arterial,hiperglicemia ou alterações na pele.
  6. 6. O MÉTODO CLÍNICO DEATENÇÃO FARMACÊUTICA O processo de atençãofarmacêutica ao pacienteobedece a uma seqüência depassos conhecida comométodo clínico.
  7. 7. Fase 1 Coleta de dadosOrganização do conjunto de dados do pacienteincluindo história clínica, exame físico e resultadoslaboratoriaisFase 2Identificação deproblemasFormulação de uma lista completa dos problemas dopaciente identificados pelo médicoFase 3 PlanoDesenvolvimento de planos de ação para cadaproblema identificadoFase 4 SeguimentoAcompanhar o progresso das ações realizadas e aevolução dos problemas abordadosQuatro fases da ação médica, segundo Weed et al. (1971)O método clínico clássico
  8. 8. Os farmacêuticos são especialistas emmedicamentos...• Promover seu uso racional• Garantir sua máxima efetividade esegurança da farmacoterapia
  9. 9. Farmacoterapia Ideal:11Segurança- A farmacoterapia não produz novos problemas de saúde- A farmacoterapia não agrava problemas de saúde pré-existentesEfetividade- O paciente apresenta a resposta esperada à medicação- O regime posológico está adequado ao alcance das metas terapêuticasAdesão Terapêutica- O paciente compreende e é capaz de cumprir o regime posológico- O paciente concorda e adere ao tratamento numa postura ativaNecessidade- O paciente utiliza todos os medicamentos que necessita- O paciente não utiliza nenhum medicamento desnecessárioBaseado nos estudos de Cipolle, Strand, Morley e Fernández-Llimós et al.
  10. 10. 12P1SeleçãoP2AdministraçãoP3BiofarmacêuticoP4FarmacocinéticoP5FarmacodinâmicoP6ResultadosTerapêuticosHIPOGLICEMIA HIPERTENSÃO DIARRÉIAINSULINA NPHMANHÃ - NOITEENALAPRIL / HCTZCELECOXIBCARBAMAZEPINA200MG 2X DIAokInteraçãoMed-MedHiper-sensibilidade?ok ok okok okMedicamentocontaminadoAdministraçãoIncorretaok okCorrer & Otuki, 2011
  11. 11. Etapas dométodoclínico
  12. 12. O método clínico da atenção farmacêuticaHá várias metodologias para atençãofarmacêutica disponíveis na literatura.Entre as mais citadas no Brasil estão:• Método Dáder• Pharmacotherapy WorkUp• Therapeutic Outcomes Monitoring (TOM)
  13. 13. Processo de Atenção FarmacêuticaRealizar oseguimentoindividual dopacienteColetar eorganizar dadosdo pacienteIdentificarproblemasrelacionados àfarmacoterapiaElaborar umplano decuidado emconjunto com opaciente1234
  14. 14. Processo de Atenção Farmacêutica• Dados Específicos doPaciente• História clínica• Históriade MedicaçãoRealizar oseguimentoindividual dopacienteColetar eorganizar dadosdo pacienteIdentificarproblemasrelacionados àfarmacoterapiaElaborar umplano decuidado emconjunto com opaciente1234
  15. 15. Processo de Atenção Farmacêutica• Revisão daFarmacoterapia• Identificação dosProblemas presentes epotenciais• Dados Específicos doPaciente• História clínica• Históriade MedicaçãoRealizar oseguimentoindividual dopacienteColetar eorganizar dadosdo pacienteIdentificarproblemasrelacionados àfarmacoterapiaElaborar umplano decuidado emconjunto com opaciente1234
  16. 16. Processo de Atenção Farmacêutica• Definir MetasTerapêuticas• Intervenções• Agendamento deRetorno e Seguimento• Revisão daFarmacoterapia• Identificação dosProblemas presentes epotenciais• Dados Específicos doPaciente• História clínica• Históriade MedicaçãoRealizar oseguimentoindividual dopacienteColetar eorganizar dadosdo pacienteIdentificarproblemasrelacionados àfarmacoterapiaElaborar umplano decuidado emconjunto com opaciente1234
  17. 17. Processo de Atenção Farmacêutica• Revisão daFarmacoterapia• Identificação dosProblemas presentes epotenciais• Definir MetasTerapêuticas• Intervenções• Agendamento deRetorno e Seguimento• Dados Específicos doPaciente• História clínica• Históriade Medicação• Resultados e Progressodo Paciente• Alcance das MetasTerapêuticas• NovosProblemas Realizar oseguimentoindividual dopacienteColetar eorganizar dadosdo pacienteIdentificarproblemasrelacionados àfarmacoterapiaElaborar umplano decuidado emconjunto com opaciente1234
  18. 18. COLETAR EORGANIZAR DADOSDO PACIENTE
  19. 19. Entrevista ClínicaPerfil do Paciente História de Medicação História Clínica•Idade, sexo•Peso, Altura•IMC, circunferênciaabdominal•Escolaridade, profissão,ocupação•Cuidador, se houver•Condição social (acesso amedicamentos eassistência)•Medicamentos prescritos•Medicamentos semprescrição•Medicação pregressa•Experiência com osmedicamentos•História de alergias•História de reaçõesadversas•Queixa principal•História da doença atual•História médica pregressa•História social•História familiar•Revisão por sistemasColetar eorganizardados dopaciente
  20. 20. História Clínica Motivo da Consulta / Queixa Principal (QP) História da Doença Atual (HDA) História Médica Pregressa (HMP) História Familiar (HF) História Social (HS) Revisão por Sistemas (RS)Coletar eorganizardados dopaciente
  21. 21. Motivo da Consulta Apresentação breve de porque o paciente estáprocurando assistência Normalmente, consiste em um ou dois sintomasprimários, com uma duração determinada, que éexpresso pelo paciente em suas próprias palavras "dor de garganta há 2 dias" "intestino preso"Coletar eorganizardados dopaciente
  22. 22. História da Doença Atual1. Tempo: Início, duração e freqüência dos sintomas.2. Localização: Área precisa dos sintomas.3. Qualidade ou característica: uso de termos descritivos específicossobre o sintoma (ex. dor aguda, catarro com presença de sangue).4. Quantidade ou severidade: leve, moderada ou grave.5. Ambiente: O que o paciente estava fazendo quando os sintomasocorreram.6. Fatores que agravam e aliviam: Fatores que fazem com que ossintomas melhorem ou que fiquem piores (Ex. pirose que pioraapós a refeição).7. Sintomas associados: Outros sintomas que ocorrem com ossintomas primários.Coletar eorganizardados dopaciente
  23. 23. História Médica Pregressa Descrição breve dos problemas e ocorrênciasmédicas passadas mais relevantes,relacionadas ou não aos problemas atuais dopaciente. Pode incluir hospitalizações, procedimentoscirúrgicos, acidentes, injúrias, história obstétrica(mulheres), entre outrasColetar eorganizardados dopaciente
  24. 24. História Familiar Descrição breve da presença ou ausência dedoenças em parentes de primeiro grau do paciente(pais, irmãos e filhos). Os dados incluem parentes falecidos e vivos,causa da morte, idade da morte e problemasmédicos principais de familiares vivos.Coletar eorganizardados dopaciente
  25. 25. História Social Álcool Tabaco Drogas ilícitas Alimentação Atividade física Meio social do pacienteColetar eorganizardados dopaciente
  26. 26. Revisão Por Sistemas Adaptada à Atenção Farmacêutica Sinais Vitais Parâmetros Bioquímicos Exames Laboratoriais Sinais ou Sintomas investigados por sistemas ouórgãos que possam indicar problemas com uso demedicamentosColetar eorganizardados dopaciente
  27. 27. 29 Caspa / seborréia: Ouvido / audição: Olhos / visão: Nariz / Rinite: Boca/ garganta / voz: Mãos / unhas: Pés/ unhas: Problemas de pele: Dor muscular: Dor de cabeça: Dor em articulações: Dor nas costas/coluna: Coração / dor no peito: Pulmão / falta de ar: Queimação / azia: Dor de estômago: Má digestão/ empacho: Constipação: Diarréia: Prob. Hepático / biliar: Edema: Alteração Renal: Urina (ardor, dificuldade): Incontinência: Tontura / vertigem: Tremor: Depressão: Ansiedade/nervosismo: Perda de memória: Insônia /perda de sono: Vacinação (calendário): Vitaminas e minerais: Sintomas menopausa: Vaginose / prurido: Perda de libido: Impotência:Revisão Por SistemasColetar eorganizardados dopaciente
  28. 28. História de Medicação Medicamento em uso atual Plantas Medicinais Medicamentos de uso pregresso Alergias Reações Adversas a Medicamentos Experiência de Medicação do Paciente Concordância e Adesão TerapêuticaColetar eorganizardados dopaciente
  29. 29. Farmacoterapia AtualIndicação ouProblema de SaúdeDataInícioPSMedicamentoConcentração / DoseDataInícioMed.S/NCafé Almoço Lanche Jantar h.d.A D A D A D A D -Relacão doproblemas desaúde dopacienteTempo deduração doproblemaNome domedicamentoe dosagemTempo de iníciodo uso domedicamentoHorário deuso de cadamedicamentoconformerelato dopacienteColetar eorganizardados dopaciente
  30. 30. 32Farmacoterapia AtualMEDICAMENTO 7h30Café12h30Almoço16h00Lanche19h00Jantar00h00H.D.S/NA D A D A D A DCaptopril 25mg 2 2 2Hidroclorotiazida 25mg 1AAS 100mg 2Glibenclamida 5mg 1 1Metformina 850mg 1 1Sinvastatina 20mg 1Coletar eorganizardados dopaciente
  31. 31. Adesão Terapêutica Intencional versus não-intencional Complexidade da Farmacoterapia Número de medicamentos Número de doses e horários Instruções adicionais Concordar para AderirColetar eorganizardados dopaciente
  32. 32. IDENTIFICARPROBLEMASRELACIONADOS ÀFARMACOTERAPIA
  33. 33. Identificar problemas relacionadosà farmacoterapia O “Coração” e a “Alma” do MétodoClínico Principal diferença entre os métodosexistentes
  34. 34. Problemas Relacionados àFarmacoterapia“Um problema de saúde,relacionado ou suspeito deestar relacionado àfarmacoterapia, que interfereou pode interferir nosresultados terapêuticos e naqualidade de vida do usuário”http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/PropostaConsensoAtenfar.pdf
  35. 35. 38Indicação- Problema deSaúde- Fator de RiscoMedicamento- Fármaco- FormaFarmacêuticaRegimeTerapêutico- Dose, via,freqüência, duraçãoPadrão de Adesãodo pacienteUso CorretoBiofarmacêuticaFarmacocinéticaFarmacodinâmicaResultadoTerapêutico- Efetividade- Segurança
  36. 36. Meta Terapêutica ExemplosCura de uma doença Pneumonia bacterianaAmigdalite estreptocócicaRedução ou eliminação de sinais e/ou sintomas DepressãoResfriado comumRedução ou interrupção da progressão da doença HipertensãoDiabetesPrevenção da doença OsteoporoseInfarto agudo do miocárdioNormalização de exames laboratoriais Anemia ferroprivaHipocalemiaAuxiliar no processo diagnóstico Exames oftalmológicosContraste radiológicoComo avaliar a efetividade dafarmacoterapia?Adaptado de: Cipolle RJ, Strand LM, Morley PC. Pharmaceutical Care Practice. The cliniciansguide. 2th Ed. New York: McGraw-Hill, 2004. 394p.
  37. 37. Resultados TerapêuticosParametros fisiológicos ebiológicosQuadro sintomáticoQuadro funcionalPercepção geral da saúdeQualidade de vidarelacionada à saúdeSatisfação com o cuidadoExames laboratoriais emedidoresAvaliação doprofissionalResultados reportadospelo paciente
  38. 38. Como avaliar a segurança dafarmacoterapia?
  39. 39. Relação com a dose(benefício:dano)TempoSuscetibilidadePacienteMedicamentoReação AdversaExtrínsecaIntrínsecaResultadoDanoDrug Saf 2010; 33(1)Métodos:DoTSEIDOS
  40. 40. Como avaliar a adesão terapêutica? Relato do paciente Dificuldades para tomar os medicamentos Na última semana, quantas vezes esqueceu oudeixou de tomar o medicamento? Questionários Contagem de comprimidos Histórico de compra do medicamento Falha na resposta terapêutica esperada
  41. 41. Quantos problemas relacionados àfarmacoterapia existem?Classificações Há classificações focadas em isolar desfechosclínicos, como a do Consenso de Granada, E outras que não se preocupam em misturarcausas e efeitos, como as classificações deStrand et al. e do PCNE. Não há uma proposta brasileira para o tema.
  42. 42. Problema Situação ClínicaFarmacoterapia necessáriaHá necessidade de iniciarfarmacoterapia no pacienteFarmacoterapia desnecessáriaO paciente utiliza farmacoterapia quenão é necessáriaInefetividade da FarmacoterapiaA farmacoterapia não alcança a metaterapêutica propostaInsegurança da FarmacoterapiaO medicamento causa um novoproblema de saúde no paciente ouagrava um problema pré-existenteBaixa Adesão do Paciente àFarmacoterapiaO paciente não adere apropriadamenteà farmacoterapia de forma voluntária ouinvoluntária
  43. 43. ELABORAR UMPLANO DE CUIDADOEM CONJUNTO COMO PACIENTE
  44. 44. O objetivo do plano de cuidado:Determinar em conjunto com opaciente como manejaradequadamente seus problemasde saúde utilizando afarmacoterapia e tudo que deveser feito para que o plano sejacumprido.
  45. 45. • Metas Terapêuticas• Intervenções Farmacêuticas• Prazo para retornoEste será composto de três partes:
  46. 46. Relação Farmacêutico - Paciente49Conhecimento,habilidades,atitudesprofissionais eprocedimentosclínicos a fim dealcançar objetivosterapêuticosAtitudes,expectativas,medos,conhecimento,crenças, situaçãode vida,comportamentocom relação àsaúde emedicamentosImagem: http://files.myopera.com/yevgeny/blog/MUR.jpegModelo de decisõescompartilhadascentrado no paciente.
  47. 47. 1. Modificação naquantidade de medicamento1.1 Modificar a dose do medicamento1.2 Modificar a freqüência de administração ou a duração dotratamento1.3 Modificar os horários de uso do medicamento2. Modificação da estratégiafarmacológica2.1 Iniciar um novo medicamento2.2 Suspender um medicamento2.3 Substituir um medicamento3. Educação do paciente3.1 Reduzir a não aderência não-intencional do paciente(educar no uso do medicamento)3.2 Reduzir a não aderência voluntária do paciente (trabalharatitudes e comportamento do paciente)3.3 Educar sobre medidas não-farmacológicasTipos de intervenções farmacêuticasrealizadas na atenção farmacêuticaFonte: Sabater D, Fernández-Llimós F, Parras M, Faus MJ. Tipos de intervenciones farmacéuticas en seguimientofarmacoterapéutico. Seguimiento Farmacoterapéutico 2005; 3(2): 90-97.
  48. 48. 51Resumo Clínico Formato SOAP Informações subjetivas relevantes Informações objetivas relevantes Interpretação e Avaliação das informaçõesem termos de Problemas da Farmacoterapiae outros problemas relevantes Elaboração de um plano de cuidado,incluindo as intervenções necessárias
  49. 49. Avaliação InicialLista de Problemasda FarmacoterapiaPlano de Cuidado
  50. 50. Contato com o Médico:1) Contato pessoal ou telefônico,2) Envio de carta escrita ao médico ou3) Orientação ao paciente para que conversecom o médico sobre a necessidade dealteração.
  51. 51. A carta ao médico...Apresentação:identificação do paciente, medicamentos envolvidos na situação e problemas desaúde sob tratamento.Motivo do encaminhamento:problemas da farmacoterapia identificados e manifestações clínicas quefundamentam a suspeita (sinais, sintomas, medidas clínicas). Utilizar linguagemtécnica e evitar proposições de diagnóstico ou prognóstico.Avaliação farmacêutica:relação entre os problemas encontrados e a farmacoterapia do paciente, incluindopossíveis causas. Proposta de solução do problema, incluindo alternativasterapêuticas e sugestões.Fechamento:despedida formal, reforçando a solicitação de avaliação do médico sobre o problema,colocando-se à disposição e reforçando a continuidade do cuidado que seráprestado.Data, carimbo e assinatura do farmacêutico.Fonte: Machuca M, Martínez Romero F, Faus MJ. Informe farmacéutico-médico según lametodologia Dáder para el seguimiento del tratamiento farmacológico. Pharm Care Esp 2000;2: 358-363.
  52. 52. 55Comunicação com outros profissionais:
  53. 53. Maria da SilvaEncaminho a Sra Maria da Silva para consulta médica.A mesma dirigiu-se à farmácia com queixa de dor deouvido e febre alta com 3 dias de duração.Foi administrado Paracetamol 750mg na farmáciaTemperatura 12.05.10 18h30 ---- 39° C até 37 °CCarimbo e assinatura dofarmacêutico 56
  54. 54. 57
  55. 55. O último passo na elaboração doplano de cuidado é definir o prazonecessário para que o pacientevolte à consulta farmacêutica.Este passo corresponde aoagendamento para as avaliações deseguimento do paciente.
  56. 56. REALIZAR OSEGUIMENTOINDIVIDUAL DOPACIENTE
  57. 57. Avaliação InicialLista de Problemasda FarmacoterapiaPlano de CuidadoEvolução doPaciente
  58. 58. O tempo passado entre a primeiraconsulta e as consultas de retorno deveráser suficiente para ocorrência demudanças nesses indicadores, mostrandoa evolução da farmacoterapia em termosde efetividade e segurança.Quando o paciente deve voltar?
  59. 59. Três atividades essenciais compõem oseguimento do paciente:1. avaliação dos resultadosterapêuticos e evolução clínica dopaciente,2. avaliação do alcance das metasterapêuticas3. identificação de novos problemas
  60. 60. Indicadores de efetividade da medicaçãoincluem normalmente sinais observáveis como: Freqüência cardíaca, temperaturacorporal, pressão arterial, Sintomas (dor, melancolia, cansaço,prurido) Exames clínicos e laboratoriais(glicemia, LDL-C, TSH,eletrocardiograma, densidadeóssea).
  61. 61. Indicadores de segurança da medicaçãoincluem: Sinais, sintomas Exames laboratoriais quepossam revelar a ocorrênciade reações adversas outoxicidade farmacológica.
  62. 62. O registro da evolução do paciente noprontuário pode ser feito de váriasformasModo mais comum:S – dados subjetivos do paciente,O – dados objetivos do paciente,A – avaliação farmacêutica,P – plano e condutas realizadas pelo farmacêutico.
  63. 63. 66Registro daEvolução
  64. 64. LEMBRE-SE DE LEVAR EMCONSIDERAÇÃO:•A qualidade de vida•Satisfação do paciente• Os custos do tratamento
  65. 65. Fim!Cassyano J CorrerDepartamento de FarmáciaUniversidade Federal do Paranácassyano@ufpr.br

×