sabe                      estrelas?                            Guião “Como se sabe de que são feitas as estrelas?”Este dia...
Por análise dos espectros apresentados, pode-se concluir que, para um dado elemento, o padrão dasriscas (de absorção ou em...
No diapositivo final constam:-a resposta à pergunta inicialmente colocada.-o conhecimento que os alunos deverão reter no c...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Como se sabe de que são feitas as estrelas

893 visualizações

Publicada em

Guião do material Como Se Sabe De Que São Feitas As Estrelas, material da Casa das Ciências, disponível para download em:
http://www.casadasciencias.org/index.php?option=com_docman&task=doc_details&gid=34213252&Itemid=23

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
893
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
132
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como se sabe de que são feitas as estrelas

  1. 1. sabe estrelas? Guião “Como se sabe de que são feitas as estrelas?”Este diapositivo coloca a situação-problema que introduz o estudo dos espectros.É possível conhecer o Universo através da radiação electromagnética. A radiação electromagnéticacom que estamos mais familiarizados é a radiação visível, mas não é a única existente. O espectroelectromagnético é composto por radiação de maior e menor energia que a radiação visível.É possível obter o espectro visível com a ajuda de um prisma, através da dispersão da luz branca. Nesteconjunto de diapositivos, o que estará em foco será a interacção da matéria com a radiação visível,através de espectros.Os espectros podem ser classificados como contínuos, ou descontínuos, de absorção ou de emissão.Um espectro visível contínuo, em que estão presentes todos os comprimentos de onda de radiaçãoelectromagnética, é emitido por um corpo denso e quente. No diapositivo só consta o espectrocontinuo de emissão.Os espectros descontínuos de absorção têm riscas escuras correspondentes a certos comprimentos deonda de radiação electromagnética que foi absorvida. Este espectro é originado quando a luzatravessa um gás relativamente frio e pouco denso.Os espectros descontínuos de emissão são constituídos por um padrão de riscas luminosascorrespondentes a alguns comprimentos de onda de radiação electromagnética que foi emitida. Esteespectro surge quando um gás pouco denso é aquecido ou excitado por luz ou por corrente eléctrica.As riscas escuras e as riscas luminosas nos espectros descontínuos chamam-se riscas espectrais.2010 Carla Isabel Ribeiro 1/3
  2. 2. Por análise dos espectros apresentados, pode-se concluir que, para um dado elemento, o padrão dasriscas (de absorção ou emissão) apresentado é o mesmo e que cada elemento produz um padrão deriscas espectrais característico, diferente dos outros elementos. Assim, e através dos espectros, épossível identificar e distinguir elementos químicos.Todos os espectros apresentados no diapositivo são esquemas simplificados de espectros reais.No Universo, diferentes objectos estão na origem dos vários espectros abordados.O interior quente e denso de uma estrela emite, através da sua superfície, um espectro contínuo deemissão. Ao atravessar zonas de material relativamente mais frio e menos denso, como a própriasuperfície e zonas mais baixas da atmosfera da estrela, certos comprimentos de onda do espectrocontínuo emitido são absorvidos, fenómeno que origina as riscas escuras do espectro de absorção. Épor esta razão que o espectro da luz das estrelas não é contínuo. As nebulosas de emissão, compostaspor gases pouco densos que são excitados por acção de radiação de estrelas próximas, emitem sóalguns comprimentos de onda de radiação electromagnética que constituem o espectro descontínuode emissão.Imagens (de cima para baixo): Fotosfera solar (superfície do Sol) e algumas manchas solares. Imagem tirada pelo Hinodes SolarOptical Telescope da cromosfera (componente da atmosfera do Sol). Imagem tirada pelo Hubble Space Telescope da Nebulosado Anel, ou M57.Por comparação do espectro de uma estrela com os espectros de elementos conhecidos (obtidos emlaboratório), pode-se determinar a presença desses elementos na estrela.O espectro da estrela esquematizado é hipotético e não existe.Um espectro de uma estrela é complexo. Na imagem (real) pode-se observar as riscas do espectrodescontínuo de absorção do Sol no visível, ou riscas de Fraunhofer. Este espectro «lê-se», no sentidodecrescente de comprimento de onda, da direita para a esquerda e de cima para baixo,.2010 Carla Isabel Ribeiro 2/3
  3. 3. No diapositivo final constam:-a resposta à pergunta inicialmente colocada.-o conhecimento que os alunos deverão reter no contexto da disciplina de Física e Química A.2010 Carla Isabel Ribeiro 3/3

×