No Egito antigo, bem antes de Cristo onde as poltronas eram tidas como um símbolo de
nobreza e poder. Naquele tempo, somen...
CADEIRAS E POLTRONAS QUE MARCARAM A HISTÓRIA DO DESIGN
Cadeira Wassily – Marcel Breuer, 1925. Apesar de haver uma crença p...
Cadeira Barcelona – Mies van der Rohe e Lilly Reich, 1929. Projetada originalmente para
receber a realeza espanhola no Pav...
Cadeira “Red and Blue” – Gerrit Rietveld, 1917. Essa peça é um ícone não só do design,
mas também da arte. Ela representa ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pesquisa Poltrona

374 visualizações

Publicada em

Historia da poltrona e lista das poltronas mais conhecidas.

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
374
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pesquisa Poltrona

  1. 1. No Egito antigo, bem antes de Cristo onde as poltronas eram tidas como um símbolo de nobreza e poder. Naquele tempo, somente os faraós podiam aproveitar de toda a imponência dessas peças, que eram revestidas de ouro e pedras preciosas. Já na sociedade romana, as poltronas eram utilizadas em salas de refeições. Somente homens podiam utilizar-se dessa mobília, e como objeto exclusivo de seu dono, era proibido que outra pessoa se sentasse além dele. De lá pra cá o mundo mudou muito e as poltronas acompanharam a evolução da humanidade, mas um quesito importante vem sendo aprimorado ao longo dos tempos quando o assunto é poltrona: o conforto e beleza. Na sala Poltronas são indispensáveis nas salas de estar. Elas completam os sofás, quebrando o padrão do ambiente e trazendo mais charme. É um complemento excelente, que confere estilo e personalidade a um cômodo. Mas é preciso ter cuidado ao combinar os móveis. Se o espaço é pequeno, recrutar uma poltrona giratória pode ser uma boa opção. Conforto para o papai Um tipo que se tornou muito comum é a chamada “poltrona do papai”. Mais robustas, sempre muito confortáveis, estas peças são reclináveis e algumas têm até sistema de massagem. No quarto As poltronas são tão versáteis que têm espaço até nos quartos, e valem para todas as idades. Para o quarto de bebê, uma poltrona de amamentação é fundamental para o conforto e tranquilidade da mamãe num momento tão importante. Já para os adolescentes o ideal é um modelo moderno e colorido, que tenham rodinhas para que possam “transitar” pelo quarto. Independente da idade, poltronas são ótimas para relaxar, e podem ser companheiras muito agradáveis na hora de uma boa leitura. No trabalho Muitos profissionais são adeptos da poltrona em seus locais de trabalho, mas talvez os que mais se utilizam desse mobiliário sejam os psicólogos que precisam ficar horas a fio sentados ouvindo as questões de seus pacientes. Nesses casos, ter uma mesa de apoio é fundamental. Coringa da decoração Não é só o bem-estar trazido pelas poltronas que contam pontos a favor. Uma simples mudança de tecido pode renovar todo o ambiente. Hoje em dia existe uma infinidade de estampas para auxiliar nessa tarefa.
  2. 2. CADEIRAS E POLTRONAS QUE MARCARAM A HISTÓRIA DO DESIGN Cadeira Wassily – Marcel Breuer, 1925. Apesar de haver uma crença popular nesse sentido, essa cadeira não foi projetada para o pintor abstrato Wassily Kandinsky. Com seu design racional e construtivo, essa peça é, no entanto, um símbolo da escola Bauhaus, onde o pintor era professor na mesma época em que Breuer era o chefe da marcenaria. A história mais aceita seria de que o artista viu o móvel e admirou seu projeto, então Breuer fabricou uma dupla dessas cadeiras para os aposentos pessoais de Kandinsky, o que fez com que a peça ficasse conhecida como “Wassily” décadas mais tarde, quando foi relançada pela fabricante italiana Gavina, que apurou essa história. Eames Lounge Chair –Charles e Ray Eames, 1956. Feita de madeira compensada moldada e couro, essa peça desenhada para a Herman Miller levou anos para ser desenvolvida. Foi o primeiro móvel desenhado pelo casal Eames para o mercado high-end, pois eles costumavam desenvolver móveis que pudessem ser produzidos em massa e com preço acessível, sendo a Eames Lounge Chair uma exceção. Este item de luxo foi inspirado pelas tradicionais cadeiras de couro inglesas (“Club Chairs”). Segundo os autores, eles queriam reproduzir uma aparência calorosa e receptiva, como se fosse uma luva de baseball usada! De grande relevância histórica, e amplamente difundida no mercado do mundo inteiro, essa peça faz parte da coleção permanente do MoMa – Museu de Arte Moderna de Nova York. Cadeira Tulipa – Eero Saarinen, 1955. Desenhada para a empresa Knoll, de Nova York, essa linha de cadeiras foi imaginada para complementar a mesa de jantar da mesma coleção. Suas linhas curvas e suaves são uma marca do modernismo e naquela época o formato era considerado experimental para os materiais e tecnologias disponíveis. Enquanto inicialmente essa cadeira era considerada futurista, por suas curvas e material artificial, hoje ela se tornou um clássico do desenho industrial, por se tratar de um móvel feito com uma única peça, inteira de fibra de vidro.
  3. 3. Cadeira Barcelona – Mies van der Rohe e Lilly Reich, 1929. Projetada originalmente para receber a realeza espanhola no Pavilhão Alemão da Exposição Internacional de Barcelona em 1929, essa cadeira se tornou um ícone do design moderno, presente em milhares de casas e escritórios no mundo todo. O quadro havia sido inicialmente concebido para ser parafusado, mas foi redesenhado em 1950 utilizando o aço inoxidável, o que permitiu que fosse feito por uma só peça perfeita de metal, dando uma aparência mais suave. Cadeira Egg – Arne Jacobsen, 1958. Essa peça de traços marcantes e extremamente confortável foi originalmente projetada para o hotel Radisson SAS em Copenhague, na Dinamarca, a cadeira Egg é editada até hoje pela tradicional fabricante escandinava Fritz Hansen. O desenho leva o estilo típico de Jacobsen, com materiais de primeira qualidade. Acredita-se que a peça tem inspiração na cadeira “Womb”, do também escandinavo Eero Saarinen. LC2 – Le Corbusier, 1928. Introduzida durante o Salon d’autumne em Paris, a série de móveis assinada pelo arquiteto Le Corbusier teve participação de sua equipe de designers, que contava com nomes como Charlotte Perriand e Pierre Jeanneret. Os desenhos são resultado da necessidade de preencher seus projetos modernos com um mobiliário que seguisse a mesma linguagem. Segundo Le Corbusier definiu, esses móveis são pensados como extensões de nossos membros, adaptadas às nossas necessidades como um servo dócil, discreto e modesto. A constituição das cadeiras da série LC reforça esses dois principais objetivos: conforto e neutralidade.
  4. 4. Cadeira “Red and Blue” – Gerrit Rietveld, 1917. Essa peça é um ícone não só do design, mas também da arte. Ela representa uma das primeiras explorações em três dimensões do movimento de arte holandês De Stijl, do qual fez parte o famoso pintor Piet Mondrian. Enquanto protótipo, a cadeira originalmente foi pintada de preto, cinza e branco. Foi após uma sugestão do arquiteto Bart van der Leck, que pertencia ao mesmo grupo, que ela ganhou suas cores marcantes. Essa peça pertence ao acervo de diversos museus e é objeto de desejo para muitos arquitetos, designers e entusiastas, tanto por seu valor histórico quanto por sua construção simples. Referência: http://www.arkpad.com.br/blog/arquitetura-e-design/11-cadeiras-que-marcaram-historia-design/

×