Angélica Sanchez Assistente Social Cuidado Integral à Pessoa Idosa CIPI/unATI/UERJ Avaliação Geriátrica Ampla em ambiente ...
Envelhecer neste país é um problema? <ul><li>Transição demográfica </li></ul><ul><ul><li>Aumento da população idosa </li><...
A saúde pública no Brasil é um problema? <ul><li>SUS – uma conquista!???!!! </li></ul><ul><ul><li>Quase 20 anos e o que se...
Como enfrentar os desafios? <ul><li>Carga dupla de doenças </li></ul><ul><li>Risco de deficiência </li></ul><ul><li>Provis...
Como enfrentar os desafios? <ul><li>Reforma na Política de Saúde </li></ul>Planejamento Pacto de Gestão Pacto pela vida Po...
Modelo de Proposta <ul><li>Rastreamento de défices funcionais </li></ul><ul><li>Identificação de indicadores de fragilidad...
Cuidado Integral à Pessoa Idosa <ul><li>Local </li></ul><ul><ul><li>Ambulatório - PPC </li></ul></ul><ul><li>Finalidade </...
Pensando o Processo de Trabalho <ul><li>PNI </li></ul><ul><li>Ausência  de Modelos </li></ul><ul><li>Problemas </li></ul><...
Política Nacional do Idoso <ul><li>Cap VI  inciso II </li></ul><ul><ul><li>Garantir assistência à saúde, nos diversos níve...
Art. 15 Estatuto do Idoso <ul><li>É assegurada a atenção integral à saúde do idoso, por intermédio do SUS </li></ul><ul><l...
Ausência de Modelos <ul><ul><li>Produz estrangulamento na porta de entrada </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Demanda reprimid...
Problemas <ul><ul><li>Ausência de planejamento de ações </li></ul></ul><ul><ul><li>Carência de profissionais habilitados <...
Pensando o Processo de Trabalho <ul><li>Que idoso vamos atender? </li></ul>
PPC - CIPI As possibilidades de planejar o processo de trabalho
A Porta de Entrada - PPC <ul><li>Objetivo </li></ul><ul><ul><li>Respeitar a PNI </li></ul></ul><ul><li>Método </li></ul><u...
A Porta de Entrada - CIPI <ul><li>Demanda referenciada </li></ul><ul><li>Elegibilidade </li></ul><ul><ul><li>Protocolos de...
Quem se beneficia dessa estrutura ? <ul><li>Dependente </li></ul><ul><li>Perda de Autonomia </li></ul><ul><li>Problemas co...
Rede de Suporte Social <ul><li>Rede formal </li></ul><ul><ul><li>Instituições de saúde </li></ul></ul><ul><ul><li>Institui...
Construindo o Processo de Trabalho <ul><li>Estrutura </li></ul><ul><ul><li>Romper com a prática tradicional </li></ul></ul...
A abordagem Prática interdisciplinar
Operacionalização <ul><li>Participação de toda equipe </li></ul>Porta de entrada Plano de cuidados
Operacionalização - Mecanismos <ul><li>Método de trabalho </li></ul><ul><ul><li>Equipe multiprofissional </li></ul></ul><u...
Fluxo de atendimento Agenda TFI CGS Conduta Interno Externo
Triagem Funcional do Idoso - TFI <ul><li>Porta de entrada- CIPI  </li></ul><ul><li>Qual a finalidade? </li></ul><ul><ul><l...
Triagem Funcional do Idoso - TFI <ul><li>Para que? </li></ul><ul><li>Identificar  </li></ul><ul><ul><li>Patologias </li></...
Triagem Funcional do Idoso - TFI <ul><li>Como é realizada? </li></ul><ul><li>Equipe multidisciplinar </li></ul><ul><ul><li...
Consulta Geriátrica Simplificada - CGS <ul><li>Objetivos </li></ul><ul><li>Avaliar os itens pelos quais o usuário foi enca...
CGS <ul><li>O que se espera? </li></ul>RESOLUTIVIDADE
Avaliação Geriátrica Ampla - AGA <ul><li>Quem necessita? </li></ul>Idosos com indicadores de  fragilidade
AGA <ul><li>O que é? </li></ul><ul><ul><li>Avaliação multidisciplinar </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Dimensionar e explica...
A equipe Mínima Especificando os papéis
Avaliação social
Finalidade <ul><li>Condições sociais  </li></ul><ul><ul><li>restabelecimento da saúde </li></ul></ul><ul><li>Olhar diferen...
Fatores observáveis <ul><li>Inadequação dos arranjos sociais e recursos </li></ul><ul><ul><li>riscos para viver em comunid...
Metodologia <ul><li>Avaliação Social no Protocolo de AGA </li></ul><ul><ul><li>Entrevista semi-estruturada </li></ul></ul>...
Avaliação de enfermagem
Finalidade <ul><li>Esclarecer sobre o processo de envelhecimento </li></ul><ul><li>Orientar quanto ao aprimoramento dos cu...
Fatores observáveis <ul><li>Problemas de saúde </li></ul><ul><li>Cuidados gerais </li></ul><ul><li>Aspectos do cuidado que...
Metodologia <ul><li>Anamnese </li></ul><ul><ul><li>Queixa principal </li></ul></ul><ul><ul><li>História da doença atual </...
Avaliação médica
Finalidade <ul><li>Intervir nas questões que promovam  e recuperem a saúde dos idosos;  </li></ul><ul><li>Identificar prob...
Fatores observáveis <ul><li>Distúrbios cognitivos, neurológicos e funcionais </li></ul><ul><li>Problemas osteoarticulares,...
Metodologia <ul><li>Anamnese </li></ul><ul><li>Exame físico </li></ul><ul><li>Testes neurológicos </li></ul>
Vivência Interdisciplinar <ul><li>Mecanismos </li></ul><ul><ul><li>Prontuário </li></ul></ul><ul><ul><li>Interconsulta </l...
O Prontuário <ul><li>Utilização comum por toda equipe </li></ul><ul><li>Estrutura que permita recuperação de dados </li></...
O Prontuário utilizado no CIPI <ul><ul><li>Ficha cadastral </li></ul></ul><ul><ul><li>Impresso de triagem funcional </li><...
O Prontuário utilizado no CIPI <ul><li>Impressos de avaliação funcional: </li></ul><ul><ul><li>Escala de Avaliação das  AB...
A Interconsulta <ul><li>Inquirição pontual </li></ul><ul><li>Objetivo </li></ul><ul><ul><li>Solucionar problemas relevante...
As reuniões de serviço <ul><li>Método participativo </li></ul><ul><ul><li>Discussão do cotidiano do serviço </li></ul></ul...
As Discussões de Caso Clínico <ul><li>Após avaliação da equipe mínima: </li></ul><ul><ul><li>Discussão em reunião </li></u...
Tomada de Decisões <ul><li>Planejamento de intervenções </li></ul><ul><ul><li>Diagnóstico </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>e...
Plano de Cuidados <ul><li>Avaliação da saúde e habilidades funcionais </li></ul><ul><ul><li>Tomada de decisões </li></ul><...
Plano de Cuidados <ul><li>Avaliação </li></ul><ul><ul><li>Processo contínuo e sistemático </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>c...
Objetivos <ul><li>Identificar necessidades e diagnóstico </li></ul><ul><li>Determinar prioridade p/ o cuidado </li></ul><u...
Para que serve? <ul><li>Validar as informações coletadas </li></ul><ul><li>Monitorar o estado de saúde </li></ul><ul><li>A...
Importância <ul><li>Diagnóstico e tratamento da doença </li></ul><ul><li>Gerenciamento do prognóstico </li></ul><ul><li>Pr...
Recomendações para o plano de cuidados de pacientes idosos <ul><li>Consistência sistemática  </li></ul><ul><li>Instrumento...
Construindo um Plano de Cuidados para idosos <ul><li>Problemas </li></ul><ul><ul><li>Impacto na saúde e qualidade de vida ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

AngéLica Sanchez Aga Multidisciplinar Aula VersãO Do Editor 16 02 2008

3.579 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.579
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
98
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

AngéLica Sanchez Aga Multidisciplinar Aula VersãO Do Editor 16 02 2008

  1. 1. Angélica Sanchez Assistente Social Cuidado Integral à Pessoa Idosa CIPI/unATI/UERJ Avaliação Geriátrica Ampla em ambiente multidisciplinar
  2. 2. Envelhecer neste país é um problema? <ul><li>Transição demográfica </li></ul><ul><ul><li>Aumento da população idosa </li></ul></ul><ul><li>Transição epidemiológica </li></ul><ul><ul><li>Mudança nos padrões de morbidade e co-morbidades </li></ul></ul><ul><ul><li>Estrato etário heterogêneo </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>20% - problemas funcionais </li></ul></ul></ul>
  3. 3. A saúde pública no Brasil é um problema? <ul><li>SUS – uma conquista!???!!! </li></ul><ul><ul><li>Quase 20 anos e o que se observa???? </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Necessidade de muitos debates e reflexões </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Carência de ações programáticas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Viés - Princípios de universalidade, equidade e integralidade </li></ul></ul></ul><ul><li>E a população idosa ????? </li></ul><ul><ul><li>Desafio </li></ul></ul>
  4. 4. Como enfrentar os desafios? <ul><li>Carga dupla de doenças </li></ul><ul><li>Risco de deficiência </li></ul><ul><li>Provisão de cuidado </li></ul><ul><li>Feminização do envelhecimento </li></ul><ul><li>Ética e iniqüidades </li></ul><ul><li>A economia do país </li></ul><ul><li>A criação de um novo paradigma </li></ul>
  5. 5. Como enfrentar os desafios? <ul><li>Reforma na Política de Saúde </li></ul>Planejamento Pacto de Gestão Pacto pela vida Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa
  6. 6. Modelo de Proposta <ul><li>Rastreamento de défices funcionais </li></ul><ul><li>Identificação de indicadores de fragilidade </li></ul><ul><li>Avaliação Geriátrica Ampla </li></ul><ul><li>Reabilitação </li></ul>
  7. 7. Cuidado Integral à Pessoa Idosa <ul><li>Local </li></ul><ul><ul><li>Ambulatório - PPC </li></ul></ul><ul><li>Finalidade </li></ul><ul><ul><li>Ensino </li></ul></ul><ul><ul><li>Pesquisa </li></ul></ul><ul><ul><li>Assistência </li></ul></ul><ul><li>Recursos Humanos </li></ul><ul><ul><li>Equipe multidisciplinar </li></ul></ul>
  8. 8. Pensando o Processo de Trabalho <ul><li>PNI </li></ul><ul><li>Ausência de Modelos </li></ul><ul><li>Problemas </li></ul><ul><li>Como equacionar tais problemas  </li></ul>
  9. 9. Política Nacional do Idoso <ul><li>Cap VI inciso II </li></ul><ul><ul><li>Garantir assistência à saúde, nos diversos níveis de atenção </li></ul></ul><ul><ul><li>Prevenir, promover, proteger e recuperar a saúde do idoso, mediante programas e medidas profiláticas;  </li></ul></ul><ul><ul><li>Criar serviços alternativos de saúde </li></ul></ul>
  10. 10. Art. 15 Estatuto do Idoso <ul><li>É assegurada a atenção integral à saúde do idoso, por intermédio do SUS </li></ul><ul><li>Garantia de acesso universal e e igualitário </li></ul><ul><li>Recuperação da saúde, incluindo a atenção especial às doenças que afetam preferencialmente os idosos. </li></ul><ul><li>§ 1° A prevenção e a manutenção da saúde do idoso serão efetivadas por meio de: </li></ul><ul><li>II – atendimento geriátrico e gerontológico em ambulatórios </li></ul>
  11. 11. Ausência de Modelos <ul><ul><li>Produz estrangulamento na porta de entrada </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Demanda reprimida </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Utilização de serviços de atenção terciários </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Ausência de protocolos </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Má utilização dos recursos </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Assistência inadequada </li></ul></ul>
  12. 12. Problemas <ul><ul><li>Ausência de planejamento de ações </li></ul></ul><ul><ul><li>Carência de profissionais habilitados </li></ul></ul><ul><ul><li>Ausência de protocolos </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>classificação de prioridades </li></ul></ul></ul>Modelos individualizados
  13. 13. Pensando o Processo de Trabalho <ul><li>Que idoso vamos atender? </li></ul>
  14. 14. PPC - CIPI As possibilidades de planejar o processo de trabalho
  15. 15. A Porta de Entrada - PPC <ul><li>Objetivo </li></ul><ul><ul><li>Respeitar a PNI </li></ul></ul><ul><li>Método </li></ul><ul><ul><li>Senhas </li></ul></ul><ul><li>Estrutura Organizacional </li></ul><ul><ul><li>Fila única </li></ul></ul><ul><ul><li>Prioridade </li></ul></ul><ul><li>Critérios de Elegibilidade ? </li></ul>
  16. 16. A Porta de Entrada - CIPI <ul><li>Demanda referenciada </li></ul><ul><li>Elegibilidade </li></ul><ul><ul><li>Protocolos de avaliação </li></ul></ul><ul><li>Objetivo </li></ul><ul><ul><li>Prestar assistência ao idoso que melhor se beneficia de uma estrutura multidisciplinar </li></ul></ul>
  17. 17. Quem se beneficia dessa estrutura ? <ul><li>Dependente </li></ul><ul><li>Perda de Autonomia </li></ul><ul><li>Problemas cognitivos </li></ul><ul><li>Problemas sociais </li></ul><ul><li>Problemas familiares </li></ul><ul><li>Risco de Institucionalização </li></ul>Idoso fragilizado Interação com a rede de suporte social
  18. 18. Rede de Suporte Social <ul><li>Rede formal </li></ul><ul><ul><li>Instituições de saúde </li></ul></ul><ul><ul><li>Instituições assistenciais </li></ul></ul><ul><ul><li>Políticas de assistência </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Benefícios </li></ul></ul></ul><ul><li>Rede Informal </li></ul><ul><ul><li>Família </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Maior provedora de suporte </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Melhores condições de destinar suporte </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Comunidade </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Instituições religiosas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Amigos </li></ul></ul></ul>
  19. 19. Construindo o Processo de Trabalho <ul><li>Estrutura </li></ul><ul><ul><li>Romper com a prática tradicional </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Decisão centra no médico </li></ul></ul></ul><ul><li>Método de solução de problemas </li></ul><ul><ul><li>Olhar de diversos profissionais </li></ul></ul><ul><li>Fragmentação do saber </li></ul><ul><ul><li>Quase inexistente </li></ul></ul><ul><li>Decisões </li></ul><ul><ul><li>Consensuais </li></ul></ul>
  20. 20. A abordagem Prática interdisciplinar
  21. 21. Operacionalização <ul><li>Participação de toda equipe </li></ul>Porta de entrada Plano de cuidados
  22. 22. Operacionalização - Mecanismos <ul><li>Método de trabalho </li></ul><ul><ul><li>Equipe multiprofissional </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Treinamento profissional </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>estagiários, bolsistas, pós-graduandos </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Atividades sócio-educativas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>sala de espera </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Atividades científicas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>congressos e publicações </li></ul></ul></ul></ul>
  23. 23. Fluxo de atendimento Agenda TFI CGS Conduta Interno Externo
  24. 24. Triagem Funcional do Idoso - TFI <ul><li>Porta de entrada- CIPI </li></ul><ul><li>Qual a finalidade? </li></ul><ul><ul><li>Avaliar a demanda </li></ul></ul><ul><ul><li>Traçar o perfil do idoso </li></ul></ul><ul><li>O que se espera? </li></ul><ul><ul><li>Identificar situações geradoras de dependência e perda de autonomia </li></ul></ul><ul><li>Como o idoso chega ao serviço? </li></ul><ul><ul><li>Demanda referenciada - agendamento </li></ul></ul>
  25. 25. Triagem Funcional do Idoso - TFI <ul><li>Para que? </li></ul><ul><li>Identificar </li></ul><ul><ul><li>Patologias </li></ul></ul><ul><ul><li>Síndromes geriátricas </li></ul></ul><ul><ul><li>Défices funcionais </li></ul></ul>
  26. 26. Triagem Funcional do Idoso - TFI <ul><li>Como é realizada? </li></ul><ul><li>Equipe multidisciplinar </li></ul><ul><ul><li>treinada </li></ul></ul><ul><ul><li>ações padronizadas </li></ul></ul><ul><li>Instrumentos utilizados </li></ul><ul><ul><li>Entrevista estruturada </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>coleta de dados - usuário e/ou acompanhante </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Avaliação funcional breve </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>usuário </li></ul></ul></ul>
  27. 27. Consulta Geriátrica Simplificada - CGS <ul><li>Objetivos </li></ul><ul><li>Avaliar os itens pelos quais o usuário foi encaminhado </li></ul><ul><li>Estabelecer condutas </li></ul><ul><ul><li>Encaminhamento </li></ul></ul><ul><ul><li>interno </li></ul></ul><ul><ul><li>externo </li></ul></ul>Melhor avaliação Acompanhamento Novas condutas
  28. 28. CGS <ul><li>O que se espera? </li></ul>RESOLUTIVIDADE
  29. 29. Avaliação Geriátrica Ampla - AGA <ul><li>Quem necessita? </li></ul>Idosos com indicadores de fragilidade
  30. 30. AGA <ul><li>O que é? </li></ul><ul><ul><li>Avaliação multidisciplinar </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Dimensionar e explicar os múltiplos problemas do idoso </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Implementar um plano de cuidados </li></ul></ul></ul></ul><ul><li>Como é realizada? </li></ul><ul><ul><li>Equipe mínima - avaliação preliminar </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>assistente social, enfermeiro e médico </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>diagnóstico clínico, funcional, cognitivo e impressões sociais </li></ul></ul></ul></ul>
  31. 31. A equipe Mínima Especificando os papéis
  32. 32. Avaliação social
  33. 33. Finalidade <ul><li>Condições sociais </li></ul><ul><ul><li>restabelecimento da saúde </li></ul></ul><ul><li>Olhar diferenciado na coleta de dados </li></ul><ul><ul><li>escuta sobre a dinâmica familiar </li></ul></ul><ul><li>Maior eficiência na elaboração Plano de cuidados </li></ul><ul><ul><li>bem-estar do usuário / efeito do cuidado </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>determina os efeitos positivos ou negativos </li></ul></ul></ul>
  34. 34. Fatores observáveis <ul><li>Inadequação dos arranjos sociais e recursos </li></ul><ul><ul><li>riscos para viver em comunidade </li></ul></ul><ul><ul><li>proporção dos arranjos </li></ul></ul><ul><ul><li>isolamento social </li></ul></ul><ul><li>Situação social que impeça o restabelecimento </li></ul><ul><ul><li>maus-tratos / negligência </li></ul></ul><ul><ul><li>sobrecarga do cuidador </li></ul></ul><ul><li>Preferências individuais e valores </li></ul>
  35. 35. Metodologia <ul><li>Avaliação Social no Protocolo de AGA </li></ul><ul><ul><li>Entrevista semi-estruturada </li></ul></ul><ul><ul><li>Rede Social </li></ul></ul><ul><ul><li>Suporte Social </li></ul></ul><ul><ul><li>Bem-estar subjetivo </li></ul></ul><ul><ul><li>Recursos sociais </li></ul></ul><ul><ul><li>Situações de Risco Social </li></ul></ul><ul><ul><li>Carga do Cuidador </li></ul></ul>
  36. 36. Avaliação de enfermagem
  37. 37. Finalidade <ul><li>Esclarecer sobre o processo de envelhecimento </li></ul><ul><li>Orientar quanto ao aprimoramento dos cuidados individuais </li></ul><ul><li>Orientar sobre exames, diagnóstico e tratamento </li></ul><ul><li>Buscar o máximo de adesão </li></ul>
  38. 38. Fatores observáveis <ul><li>Problemas de saúde </li></ul><ul><li>Cuidados gerais </li></ul><ul><li>Aspectos do cuidado que interferem na qualidade de vida </li></ul><ul><li>Participação da família nas ações de autocuidado </li></ul><ul><li>Envolvimento da família no processo terapêutico </li></ul>
  39. 39. Metodologia <ul><li>Anamnese </li></ul><ul><ul><li>Queixa principal </li></ul></ul><ul><ul><li>História da doença atual </li></ul></ul><ul><ul><li>História Patológica Pregressa </li></ul></ul><ul><ul><li>Medicações em uso </li></ul></ul><ul><ul><li>Revisão de sistemas </li></ul></ul><ul><ul><li>História fisiológica </li></ul></ul><ul><ul><li>História Familiar </li></ul></ul><ul><ul><li>História Social </li></ul></ul><ul><ul><li>Exame físico </li></ul></ul>
  40. 40. Avaliação médica
  41. 41. Finalidade <ul><li>Intervir nas questões que promovam e recuperem a saúde dos idosos; </li></ul><ul><li>Identificar problemas e adotar medidas terapêuticas </li></ul>
  42. 42. Fatores observáveis <ul><li>Distúrbios cognitivos, neurológicos e funcionais </li></ul><ul><li>Problemas osteoarticulares, cardiovasculares, respiratórios </li></ul><ul><li>Problemas gastro-intestinais, metabólicos, distúrbios nutricionais, controle dos sistemas de eliminação </li></ul><ul><li>Patologias infecciosas, problemas oncológicos </li></ul><ul><li>Outros problemas próprios da clínica do idoso </li></ul>
  43. 43. Metodologia <ul><li>Anamnese </li></ul><ul><li>Exame físico </li></ul><ul><li>Testes neurológicos </li></ul>
  44. 44. Vivência Interdisciplinar <ul><li>Mecanismos </li></ul><ul><ul><li>Prontuário </li></ul></ul><ul><ul><li>Interconsulta </li></ul></ul><ul><ul><li>Discussão de caso </li></ul></ul><ul><ul><li>Reuniões de equipe </li></ul></ul><ul><ul><li>Implementação de Plano de Cuidados </li></ul></ul>
  45. 45. O Prontuário <ul><li>Utilização comum por toda equipe </li></ul><ul><li>Estrutura que permita recuperação de dados </li></ul><ul><ul><li>uso clínico, treinamento e pesquisa </li></ul></ul><ul><li>Instrumental de avaliação </li></ul>
  46. 46. O Prontuário utilizado no CIPI <ul><ul><li>Ficha cadastral </li></ul></ul><ul><ul><li>Impresso de triagem funcional </li></ul></ul><ul><ul><li>Lista de Problemas </li></ul></ul><ul><ul><li>Observação Clínica Inicial Multidisciplinar </li></ul></ul><ul><ul><li>Impressos específicos de avaliação de outras categorias profissionais </li></ul></ul><ul><ul><li>Folha evolução </li></ul></ul><ul><ul><li>Folha de registro de exames complementares </li></ul></ul>
  47. 47. O Prontuário utilizado no CIPI <ul><li>Impressos de avaliação funcional: </li></ul><ul><ul><li>Escala de Avaliação das ABVD’s - Katz </li></ul></ul><ul><ul><li>Escala de Avaliação das AIVD’s - Lawton </li></ul></ul><ul><ul><li>Escala de Depressão Geriátrica - Yessavage </li></ul></ul><ul><ul><li>Mini Exame do Estado Mental - Folstein </li></ul></ul><ul><ul><li>CAMCOG - Roth e col. </li></ul></ul><ul><ul><li>Escala para avaliar equilíbrio e marcha - Tinetti </li></ul></ul><ul><ul><li>Mini Avaliação Nutricional - Zeelas </li></ul></ul><ul><ul><li>Avaliação de sobrecarga do cuidador - Zarit </li></ul></ul><ul><ul><li>IQCODE - Jorm </li></ul></ul>
  48. 48. A Interconsulta <ul><li>Inquirição pontual </li></ul><ul><li>Objetivo </li></ul><ul><ul><li>Solucionar problemas relevantes para o andamento do tratamento. </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Opinião de outra categoria profissional </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Avaliação pontual </li></ul></ul></ul>
  49. 49. As reuniões de serviço <ul><li>Método participativo </li></ul><ul><ul><li>Discussão do cotidiano do serviço </li></ul></ul><ul><ul><li>Elaboração de novos projetos </li></ul></ul><ul><ul><li>Alterações das propostas vigentes </li></ul></ul>
  50. 50. As Discussões de Caso Clínico <ul><li>Após avaliação da equipe mínima: </li></ul><ul><ul><li>Discussão em reunião </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Plano de Cuidado </li></ul></ul></ul><ul><li>Dinâmica participativa </li></ul><ul><li>Decisões consensuais </li></ul><ul><ul><li>Planejamento de intervenções adequado </li></ul></ul>
  51. 51. Tomada de Decisões <ul><li>Planejamento de intervenções </li></ul><ul><ul><li>Diagnóstico </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>equipe formula um conjuntos de instruções </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Parecer </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>profissionais da equipe </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>outros setores </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>rede de saúde </li></ul></ul></ul></ul></ul>Plano de cuidados
  52. 52. Plano de Cuidados <ul><li>Avaliação da saúde e habilidades funcionais </li></ul><ul><ul><li>Tomada de decisões </li></ul></ul><ul><ul><li>Informação  analisada / sintetizada </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>dirigir, definir e avaliar o cuidado </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Problemas e diagnóstico </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cuidado apropriado </li></ul></ul></ul>
  53. 53. Plano de Cuidados <ul><li>Avaliação </li></ul><ul><ul><li>Processo contínuo e sistemático </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>coleta, validação, análise e interpretação das informações </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Parte integral do PC </li></ul></ul><ul><ul><li>Eficiência  extensão, profundidade e acurácia </li></ul></ul>
  54. 54. Objetivos <ul><li>Identificar necessidades e diagnóstico </li></ul><ul><li>Determinar prioridade p/ o cuidado </li></ul><ul><li>Conhecer a gravidade do problema </li></ul><ul><li>Entender a importância para o indivíduo </li></ul><ul><li>Causar efeito na independência funcional </li></ul><ul><li>Identificar as ações e intervenções </li></ul>
  55. 55. Para que serve? <ul><li>Validar as informações coletadas </li></ul><ul><li>Monitorar o estado de saúde </li></ul><ul><li>Avaliar o progresso do paciente </li></ul>
  56. 56. Importância <ul><li>Diagnóstico e tratamento da doença </li></ul><ul><li>Gerenciamento do prognóstico </li></ul><ul><li>Prevenção de problemas </li></ul><ul><li>Continuidade do cuidado </li></ul><ul><ul><li>Ferramenta de comunicação entre equipe </li></ul></ul><ul><ul><li>Ajuda assegurar que todos estão em direção a mesma meta </li></ul></ul><ul><ul><li>Promove monitoramento e avaliação consistente </li></ul></ul>
  57. 57. Recomendações para o plano de cuidados de pacientes idosos <ul><li>Consistência sistemática </li></ul><ul><li>Instrumentos de rastreio </li></ul><ul><li>Método </li></ul><ul><li>Instrumentos padronizados </li></ul><ul><li>Dinâmico </li></ul><ul><li>Envolvimento interdisciplinar </li></ul>
  58. 58. Construindo um Plano de Cuidados para idosos <ul><li>Problemas </li></ul><ul><ul><li>Impacto na saúde e qualidade de vida </li></ul></ul><ul><li>Recursos disponíveis / necessários </li></ul><ul><li>Plano e ser executado </li></ul><ul><ul><li>O que fazer ? </li></ul></ul><ul><ul><li>Quem faz ? </li></ul></ul><ul><ul><li>Quando fazer? </li></ul></ul><ul><li>Resultados esperados </li></ul>

×