Zoologia dos Invertebrados

1.059 visualizações

Publicada em

Aula de biologia sobre o Reino Animal, Zoologia dos Invertebrados. Prof Carlos Priante. Turma preparatorio ENEM 2015. Escola Fatorial.

Publicada em: Educação
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.059
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
76
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • xuada
  • Zoologia dos Invertebrados

    1. 1. ZOOLOGIA Invertebrados Prof Carlos Priante Aula 11 REINO ANIMALIA
    2. 2. FILO PORÍFEROS • Características gerais: animais filtradores, sem tecidos verdadeiros , ou seja, sem qualquer órgão ou sistema; • Hábitat: ambientes aquáticos, sendo a maioria das espécies marinhas.
    3. 3. • Estrutura corporal: -Poros : pequenas aberturas por onde entra a água trazendo nutrientes. -Atrio ou Espongiocele ( cavidade interna por onde circula a água ) -Ósculo : abertura superior por onde a água sai. • Esqueleto : formado por espículas ( estruturas pontiagudas que podem ser calcárias ou silicosas) ou por uma rede proteica de Espongina. • Tipos principais de células: - Coanócitos : dotadas de um colarinho e um flagelo, realizam a digestão intracelular. - Amebócitos : presentes no meso-hilo (camada intermediária ), locomovendo-se por pseudópodos, transportam os produtos da digestão intracelular, formam espículas e gametas.
    4. 4. Anatomia e Fisiologia: -Sist. Digestivo: ausente (o alimento é fagocitado pelos coanócitos); a digestão é intracelular. -Sist. Cardiovascular: ausente (ocorre por difusão das substâncias). - Sist. Respiratório: ausente (trocas gasosas diretamente entre as celulas e o ambiente, ou seja, por difusão). - Sist. Excretor: ausente (excreções lançadas diretamente no ambiente pelas celulas, sendo por difusão). -Sist. Nervoso: ausente -Reprodução: assexuada, por fragmentação, brotamento (podendo formar colônias), ou sexuada, com desenvolvimento indireto (larva anfiblástula).
    5. 5. Gemulação é uma reprodução assexuada tipica de poríferos dulcícolas Brotamento ( rep. assexuada ) Rep. Sexuada
    6. 6. TIPOS DE PORÍFEROS
    7. 7. FILO CNIDÁRIOS • Características gerais: animal com forma de pólipo (sésseis) ou de medusa (livre natantes), diblásticos e com celulas urticantes (cnidoblastos ou cnidócitos); simetria radial; SÃO OS PRIMEIROS ANIMAIS A APRESETAREM UMA CAVIDADE DIGESTIVA ( Cavidade gastrovascular). • Hábitat: ambientes aquáticos, sendo a maioria das espécies marinhas.
    8. 8. • Classes : - Hydrozoa : predomina a forma pólipo. Ex.: Hidra, Caravela- Portuguesa -Scyphozoa : formas pólipo e medusa ( predominante). Ex.: Água-viva -Anthozoa : predomina forma pólipo. Ex.: Corais, Anêmonas. -Cubozoa : predomina a forma medusa. Ex.: Vespas-do-mar. • Exemplos: Physalia pelagica (caravela-portuguesa), Aurelia aurita (grande medusa marinha), Hydra viridis (pequeno pólipo de água doce), recifes coralíneos.
    9. 9. Caravela Água-viva Anêmona Hidra Vespa-do-mar
    10. 10. Anatomia e Fisiologia: - Sist. Digestório: incompleto (não existe ânus); digestão extra e intracelular. - Sist. Cardiovascular: ausente (alimento distribuído diretamente na cavidade gastrovascular). - Sist. Respiratório: ausente (trocas gasosas diretamente entre as celulas e o ambiente). - Sist. Excretor: ausente (excreções lançadas diretamente no ambiente pelas celulas). - Sist. Nervoso: presente (do tipo difuso por todo o corpo). Reprodução: em alguns pólipos há reprodução assexuada por brotamento; algumas espécies têm ciclos de vida com alternância de gerações sexuada (medusas) e assexuada (pólipos), processo também denominado Metagênese, com formação da larva Plânula, sendo desenvolvimento indireto. Porém, existem espécies, como a Hidra, que apresenta desenvolvimento direto.
    11. 11. Reprodução Sexuada por Metagênese Rep. Assexuada por Brotamento
    12. 12. FILO PLATELMINTOS • Características gerais: vermes de corpo achatado, triblásticos, acelomados e com simetria bilateral; são protostômios. • Hábitat: de vida livre, terrestres ou aquáticos, de água doce ou salgada; e parasitas. • Classes: - Turbellaria : Dugesia tigrina (planária); - Trematoda : Schistosoma mansoni (causador da esquistossomose); - Cestoda :Taenia solium (causador da teníase e da cisticercose) e Taenia saginata (causador da teníase).
    13. 13. Anatomia e Fisiologia: •Sist. Digestório: incompleto (não existe ânus); digestão extra e intracelular, e intestino muito ramificado. Exceção: Cestódeos ( Tênias) não possuem sistema digestório ( alimento são absorvidos pela superfície corpórea) •Sist. Cardiovascular: ausente (alimento distribuído pelo intestino ramificado a todas as células do corpo, compensando a ausência do sist. cardiovascular). •Sist. Respiratório: ausente (trocas gasosas diretamente entre as celulas. e o ambiente por difusão); espécies aeróbias e anaeróbias. •Sist. Excretor: presente (protonefridios com células.-flama ou solenócitos); poros excretores presentes. •Sist. Nervoso: presente (do tipo ganglionar com um par de gânglios cerebrais de onde partem cordões nervosos); são os primeiros animais com uma cefalização e centralização do sistema nervoso. •Sist. Sensorial: presente , com órgãos especializados na captação de estímulos luminosos ( OCELOS), mecânicos e químicos.
    14. 14. Sistema nervoso ganglionar centralizado Intestino ramificado compensando a ausência do sistema cardiovascular
    15. 15. EXCREÇÃO NOS PLATELMINTOS
    16. 16. Reprodução: •Em algumas planárias pode haver reprodução assexuada por fragmentação; as planárias são monóicas, sem auto fecundação e com desenvolvimento direto; • As tênias (classe Cestoda) também são monóicas mas se reproduzem sexuadamente por auto fecundação e com desenvolvimento indireto, ou seja, com fase larval (cisticerco); • O esquitossomo (classe Trematoda) é dióico, com dimorfismo sexual ( macho diferente da fêmea ) e também apresenta estágio larval ( miracídio e cercária ).
    17. 17. PARASITOSES CAUSADAS POR PLATELMINTOS Teníase: • Agente etiológico – Taenia solium e T. saginata (classe Cestoda). • H.D. : seres humanos (parede intestinal); / H.I. : suínos (Taenia solium) e bovinos (Taenia saginata). • Forma de contaminação – ingestão de larvas cisticercos presentes na carne mal cozida. • Profilaxia – não ingerir carnes mal-cozidas, hábitos higiênicos e saneamento básico.
    18. 18. Taenia solium Taenia saginata
    19. 19. 1-Ao se alimentar de carnes cruas ou mal passadas, o homem pode ingerir cisticercos (lasvas de tênia). 2-No intestino, a larva se liberta, fixa o escólex, cresce e origina a tênia adulta. Proglotes maduras, contendo testículos e ovários, reproduzem-se entre si e originam proglotes grávidas, cheias de ovos. Proglotes grávidas despremdem-se unidas em grupos de 2 a 6 e são liberados durante ou após as evacuações. 3-No solo, rompem-se e liberam ovos. Cada ovo é esférico, mede cerca de 30 mm de diâmetro, possui 6 pequenos ganchos e é conhecido como oncosfera. Espalha-se pelo meio e podem ser ingeridos pelo hospedeiro intermediário. 4-No intestino do animal, os ovos penetram no revestimento intestinal e cae no sangue. Atingem principalmente a musculatura sublingual, diafragma, sistema nervoso e coração. 5-Cada ovo se transforma em uma larva, uma tênia em miniatura, chamada cisticerco, cujo tamanho lembra o de um pequeno grão de canjica. Essa larva contém escólex e um curto pescoço, tudo envolto por uma vesícula protetora. 6-Por autoinfestação, ovos passam para a corrente sangüínea e desenvolvem-se em cisticercos (larvas) em tecidos humanos, causando uma doenças - a cisticercose que pode ser fatal.
    20. 20. Cisticercose: •Agente etiológico – larva cisticerco da Taenia solium. •Forma de contaminação – ingestão de ovos presentes em alimentos como verduras e frutos. •Profilaxia – hábitos higiênicos como lavar as mãos antes das refeições. •Obs.: Ao ingerir os ovos da Tênia, o homem passa a ser o H.I. desse verme; é uma doença rara porém muito mais perigosa que a teníase pois os cisticercos passam pela corrente sangüínea e se alojam em órgãos nobres como cérebro e coração.
    21. 21. Esquistossomose: •Agente etiológico – Schistosoma mansoni (classe Trematoda). •H.D. seres humanos (vasos sanguíneo do fígado e intestino – Sistema Porta-Hepático). •H.I. caramujo do gênero Biomphalaria . •Forma de contaminação – penetração ativa das larvas cercárias através da pele. •Formas larvais – miracídios (penetram ativamente nos caramujos) e cercárias (penetram ativamente nos humanos). •Profilaxia – saneamento básico, não nadar em águas infestadas por caramujos, hábitos higiênicos como não defecar ao ar livre, ferver a água a ser bebida, entre outros.
    22. 22. OVOS DE ESQUISTOSSOMO CERCÁRIA BARRIGA D` ÁGUA OU ASCITE
    23. 23. FILO NEMATODA • Características gerais: animal de corpo fino e tubular, triblásticos, pseudocelomados e bilaterais; são protostômios. • Hábitat: animais de vida livre, terrestres ou aquáticos, de água doce ou salgada e espécies parasitas de animais e plantas. • Exemplos: Ascaris lumbricoides (lombriga), Ancylostoma duodenale e Necator americanus, Enterobius vermicularis ( Oxiuro) , Wuchereria bancrofti (Filária).
    24. 24. Anatomia e Fisiologia: -Sist. Digestório: completo; digestão extra e intracelular. - Sist. Cardiovascular: ausente (alimento distribuído pelo fluido da cavidade do pseudoceloma). - Sist. Respiratório: ausente (troca gasosa ocorre por difusão entre células e o ambiente). - Sist. Excretor: presente (par de células alongadas que atuam como canais excretores que se unem na região anterior, formando o aspecto da letra H – Sistema em H). - Sist. Nervoso: presente (um anel nervoso em torno da faringe com cordões nervosos longitudinais – Anel periesofágico ou perifaringeano). Reprodução: • Sexuada; Espécies monóicas e dióicas; Desenvolvimento indireto .
    25. 25. SISTEMA EM “H”
    26. 26. PARASITOSES CAUSADAS POR NEMATÓDEOS Ascaridíase: • Agente etiológico – Ascaris lumbricoides (Lombriga). • Verme monoxeno (um só hospedeiro para terminar o ciclo). • Forma de contaminação – ingestão de ovos presentes em alimentos e água. • Formas larvais – larvas rabditóides. • Profilaxia – saneamento básico, medidas higiênicas como lavar as mãos antes das refeições, lavar bem os alimentos e ingerir somente água potável ou filtrada.
    27. 27. Ciclo evolutivo do Ascaris lumbricoides
    28. 28. Ancilostomose: •Agentes etiológicos: Ancylostoma duodenale e Necator americanus •Verme monoxeno. •Forma de contaminação: penetração ativa das larvas através da pele. •Profilaxia: saneamento básico, não defecar ao ar livre e utilização de calçados. •Obs.: também conhecida como amarelão, devido á anemia causada por lesões na mucosa intestinal. Também é chamada Doença do Jeca-Tatu ( personagem criado por Monteiro Lobato) Ancylostoma duodenale
    29. 29. Larva migrans: •Agente etiológico : Ancylostoma braziliensis e Ancylostoma caninum (parasitas intestinais de cães e gatos). •Forma de contaminação – penetração ativa das larvas através da pele. •Profilaxia – tratamento de cães e gatos parasitados, evitar presença desses animais em áreas frequentadas por seres humanos e uso de calçados. •Obs.: esses parasitas só conseguem completar seus ciclos quando atingem seus hospedeiros próprios; nos seres humanos, as larvas não passam para a fase adulta e ficam migrando pela pele; também conhecida como dermatite ou bicho-geográfico.
    30. 30. Rastros semelhantes ao desenho de um mapa, estes localizados predominantemente nos pés, nádegas, costas e mãos – regiões do corpo que mais entram em contato com o solo.
    31. 31. Enterobiose: •Agente etiológico – Enterobius vermicularis. •Verme monoxeno. •Forma de contaminação – ingestão de ovos contaminando a água e alimentos, além de auto-contaminação. •Profilaxia – medidas higiênicas como lavar as mãos antes das refeições, lavar bem os alimentos, ingerir somente água potável ou filtrada, não coçar o ânus e trocar as roupas de cama diariamente nas casas que tenha alguém parasitado. •Obs.: também conhecida como oxiurose.
    32. 32. Filariose: •Agente etiológico – Wuchereria bancrofti. •Verme heteroxeno (H.D. são os seres humanos e H.I. são os mosquitos do gênero Culex). •Forma de contaminação – picada dos mosquitos fêmeas do gênero Culex, que transmite as larvas do parasita que entram na corrente sangüínea, promovem obstrução dos vasos linfáticos, levando ao aumento desproporcional de membros, como pernas, mamas, bolsa escrotal. •Profilaxia – combate ao mosquito vetor protegendo as casas com telas, uso de repelentes, combate às larvas, entre outros. •Obs.: também conhecida como Elefantíase.
    33. 33. FILO ANELÍDEOS • Características gerais: animal de corpo metamerizado (segmentado), triblástico, celomado e bilateral, são protostômios. • Hábitat: animais de vida livre, terrestres ou aquáticos, de água doce ou salgada. • Exemplos: minhoca (Oligoqueta terrestre), Nereis virens (Poliqueta marinho) e sanguessuga (Hirudíneo de água doce).
    34. 34. Anatomia e Fisiologia: Sist. Digestório: completo (intestino com regiões diferenciadas – faringe, papo, moela, etc); digestão extracelular. Presença de Tiflossole no intestino ( aumenta a superfície de absorção no intestino). Sist. Cardiovascular: presente, fechado (presença de vasos pulsáteis – corações laterais); pigmentos respiratórios presentes. Sist. Respiratório: ausente (trocas gasosas ocorrem pela superfície corporal, ou seja, cutânea) ou branquial. Sist. Excretor: presente (1 par de nefrídios em cada anel que divide o corpo, retirando excretas do sangue e do celoma); amônia é o principal composto excretado. Sist. Nervoso: presente (composto por uma cadeia nervosa ventral, com um par de gânglios por segmento; gânglios cerebróides bem desenvolvidos).
    35. 35. Reprodução: sexuada, com espécies monóicas (minhocas) e dióicas (certos poliquetas marinhos); o desenvolvimento pode ser direto ou indireto ( larva Trocófora). Presença de fecundação cruzada ( troca de espermatozóides entre dois anelídeos). Ex.: Minhocas
    36. 36. FILO ARTRÓPODES • Características gerais: animal de patas articuladas e exoesqueleto quitinoso, com o corpo metamerizado, triblásticos, celomados e bilaterais; são protostômios. • Exoesqueleto sofre mudas ( Ecdises ) durante a fase de crescimento, sendo controladas pelo hormônio Ecdisona.
    37. 37. Classificação • Subfilo Hexapoda: Classe Insecta • Subfilo Cheliceriformes: Classe Arachnida (aranhas, escorpiões, carrapatos, ácaros) • Subfilo Crustacea (Lagosta, camarão, siri, Tatuzinho-de- jardim) • Subfilo Miriapodos: Classes Diplopoda (Piolho-de-cobra) e Chilopoda ( Lacraia)
    38. 38. Insetos Crustáceos Aracnídeos Diplopodos Quilopodos
    39. 39. Anatomia e Fisiologia: •Sist. Digestório: completo (tubo digestivo com regiões diferenciadas e glândulas acessórias), digestão extracelular; peças bucais para manipular e triturar o alimento (maxilas, mandíbulas ,maxilípedes, etc). •Sist. Circulatório: presente, aberto; sangue (hemolinfa) com ou sem pigmentos. •Sist.Respiratório: branquial (crustáceos), traqueal (insetos, aracnídeos, diplópodos e quilópodos) e filotraqueal (aracnídeos). Respiração Traqueal
    40. 40. •Sist. Excretor: glândulas verdes ou antenais (crustáceos), túbulos de Malpighi (insetos ,aracnídeos, quilópodos e diplópodos) e glândulas coxais (aracnídeos).
    41. 41. OBS: Nos Insetos, Diplópodos e Quilópodos o sangue não possui pigmentos respiratórios. Portanto, a oxigenação dos tecidos NÃO DEPENDE DA CIRCULAÇÃO . •Sist. Nervoso: composto por gânglios cerebrais e por uma cadeia nervosa ventral, com cadeias de gânglios dispostas em sequência. •Sist. Sensorial: olhos (simples ou compostos com omatídeos), órgãos de equilíbrio, sensores táteis e químicos.
    42. 42. REPRODUÇÃO • Sexuada; espécies dióicas, fecundação externa ou interna; desenvolvimesto direto ou indireto, com metamorfose gradual ou completa. Desenvolvimento quanto à metamorfose nos insetos: - AMETÁBOLOS : sem metamorfose. OVO FORMA JOVEM ( muito semelhante ao adulto) IMAGO ( adulto) Ex.: Traça-de-livro. - HEMIMETÁBOLOS : com metamorfose incompleta. OVO NINFA ( semelhante ao adulto ) IMAGO Ex.: Cupins, gafanhotos, cigarra, barata. - HOLOMETÁBOLOS : com metamorfose completa. OVO LARVA PUPA ( CRISÁLIDA ) IMAGO Ex.: Borboletas, moscas, pulgas.
    43. 43. AMETÁBOLO HEMIMETÁBOLO HOLOMETÁBOLO
    44. 44. APARELHO BUCAL DOS INSETOS - sugador => no caso da mosca e da borboleta; - picador-sugador => no caso dos mosquitos e dos piolhos; - mastigador ou triturador => no caso do gafanhoto, do grilo, da barata e dos besouros; - pungitivo => o caso das cigarras; e - lambedor-sugador => no caso das abelhas.
    45. 45. ADAPTAÇÕES DOS INSETOS AO MEIO TERRESTRE • Os insetos apresentam o corpo revestido por um exoesqueleto de quitina, que, além de fornecer proteção mecânica, evita o ressecamento do corpo. • A respiração aérea é traqueal, que permite que o ar penetre no corpo pelos espiráculos e alcance todos os tecidos do corpo através das traquéias, levando o oxigênio a todas as células. • Na grande maioria dos insetos, a fecundação é interna (o macho deposita os espermatozóides diretamente no corpo da fêmea). • Excreção de ácido úrico, pois tal substância é insolúvel em água. Portanto, quando o animal excreta ácido úrico, ele não irá eliminar água junto com a tal excreta nitrogenada .
    46. 46. FILO MOLUSCOS • Características gerais : animal de corpo mole, com ou sem concha, triblásticos, celomados e bilaterais; são protostômios. • Hábitat: animais de vida livre, terrestres ou aquáticos, de água doce ou salgada; algumas poucas espécies apresentam larvas e são parasitas de guelras de peixes. • Exemplos: mexilhão, lula, polvo, caracol de jardim.
    47. 47. Anatomia e Fisiologia: Sist. Digestivo: completo (intestinos com regiões diferenciadas e glândulas digestivas associadas); presença da rádula (exceto nos bivalves) e digestão predominantemente extracelular. Sist. Circulatório: presente, aberta ou lacunar (com coração e vasos sangüineos, nos quais circulam o fluido celômico – sangue); fechado nos cefalópodes. •Sist. Respiratório: presente (trocas gasosas ocorrem em órgãos especializados, as brânquias e pulmões); •Sist. Excretor: presente (excreção por meio de nefrídios). •Sist. Nervoso: presente (composto por três ou quatro pares de gânglios nervosos, ligados a nervos que atingem todo o corpo). Reprodução: Sexuada, existindo espécies monóicas e dióicas; existem espécies com desenvolvimento direto e espécies com desenvolvimento indireto.
    48. 48. FILO EQUINODERMAS • Características gerais : simetria radial quando adultos, celomados, com esqueleto interno e sem metameria (não são segmentados) são deuterostômios. • Hábitat: animais de vida livre, exclusivamente marinhos. • Exemplos: ouriço-do-mar, estrela-do-mar, bolacha-de-praia, entre outros.
    49. 49. • Anatomia e Fisiologia: • Sist. Digestivo: completo (com Lanterna de Aristóteles no ouriço-do- mar); digestão extracelular. • Sist. Circulatório: ausente ou muito reduzido (distribuição de substâncias pelo fluido celômico). • Sist. Respiratório: reduzido (branquial) ou ausente (trocas gasosas facilitadas pelo Sistema hidrovascular ou Ambulacrário). • Sist. Excretor: ausente (excreções liberadas diretamente na água). • Sist. Nervoso: presente (anel nervoso em torno da boca e nervos radiais). • Sist. Hidrovascular: exclusivo dos equinodermos, desempenha funções de locomoção, fixação e captura de alimentos, contribuindo também na respiração e excreção.
    50. 50. SISTEMA AMBULACRÁRIO
    51. 51. Reprodução: •Sexuada; •Espécies dióicas ; •Fecundação externa ; •Desenvolvimento indireto, com um ou mais tipos de larvas.
    52. 52. Estrela-do-mar Ouriço-do-mar Lírio-do-mar Pepino-do-mar Serpente-do-mar
    53. 53. Protozoário-Alga Molusco- Gastropoda Artrópode-Crustacea Porífero Cnidario-Scyphozoa Molusco-Cephalopode Equinodermo-Asteroidea 1 8 7 6 5 4 3 2 Vertebradocomtraje deastronautadebaixo d’agua CLASSIFICAÇÃO BIOLÓGICA- INVERTEBRADOS

    ×