SlideShare uma empresa Scribd logo

Auriculoterapia inspeção do pavilhão auricular

1 de 22
Baixar para ler offline
Inspeção do Pavilhão Auricular
Profº Ms. Sc. Carlos S.
Pernambuco
CREF 1 1627 G/RJ
Técnicas utilizadas na inspeção
• Inspeção visual
• Exploração elétrica
• Exploração tátil
Cuidado para Inspeção
• Para otimização da observação deve-se
evitar:
• Lavar, coçar, esfregar p/ limpeza
• Objetivo: manter a área brilho, cor e
formas dentro do padrão
• Deve-se utilizar: luz natural
(preferencialmente), evitar o toque
• Deve-se utilizar instrumentos no auxílio da
inspeção: ganchos, lupas lanternas
O que observar?
• Verificar lesões
• Acne
• Pigmentação,
• Frieira
• Cicatriz
• Pápulas brancas
• Mudança morfológicas
• Alterações de cor
• Comparação entre os
lados
• Nível de sensibilidade
• Cor
• Brilho
• Idade
• Influência do clima
Nível de sensibilidade
• Utiliza-se instrumentos com pontas com calibre
equivalente a um palito de fósforo
• A sensibilidade estará relacionada com a área
reflexa do zang fu
• O toque deve ser suave, não despertando a dor
• A velocidade deve ser lenta, para dar tempo ao
paciente perceber e identificar.
• Pressão uniforme equilibrando a intensidade
evitando-se o falso positivo
Manchas/áreas sensíveis
• Uma área pode estar com alteração de cor
conhecida como mancha
• Pode estar com alteração de sensibilidade
de forma aguda, insuportável, apresentar
processos inflamatórios, distensão,
adormecimento e queimação
• Quando a dor é falsa a reação é curta e
suportável

Recomendados

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Apostila de zen shiatsu
Apostila de zen shiatsuApostila de zen shiatsu
Apostila de zen shiatsu
 
Reflexologia
ReflexologiaReflexologia
Reflexologia
 
Conceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTC
Conceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTCConceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTC
Conceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTC
 
Acupuntura sistêmica(aula)
Acupuntura sistêmica(aula)Acupuntura sistêmica(aula)
Acupuntura sistêmica(aula)
 
Massagem Auricular
Massagem AuricularMassagem Auricular
Massagem Auricular
 
Medicina chinesa - fundamentos
Medicina chinesa - fundamentosMedicina chinesa - fundamentos
Medicina chinesa - fundamentos
 
Diagnóstico em MTC
Diagnóstico em MTCDiagnóstico em MTC
Diagnóstico em MTC
 
Medicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
Medicina Tradicional Chinesa e a BiomedicinaMedicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
Medicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
 
Shiatsu I
Shiatsu IShiatsu I
Shiatsu I
 
07p reflexologia
07p   reflexologia07p   reflexologia
07p reflexologia
 
Apostila+de+auriculoacupuntura+chinesablzdeaco
Apostila+de+auriculoacupuntura+chinesablzdeacoApostila+de+auriculoacupuntura+chinesablzdeaco
Apostila+de+auriculoacupuntura+chinesablzdeaco
 
Técnicas em MTC
Técnicas em MTCTécnicas em MTC
Técnicas em MTC
 
Reflexogia podal podologia
Reflexogia podal    podologiaReflexogia podal    podologia
Reflexogia podal podologia
 
Curso reflexologia
Curso reflexologiaCurso reflexologia
Curso reflexologia
 
Combinação de pontos auriculares na estética
Combinação de pontos auriculares na estéticaCombinação de pontos auriculares na estética
Combinação de pontos auriculares na estética
 
Jihva Parishka - Diagnóstico pela Língua
Jihva Parishka - Diagnóstico pela LínguaJihva Parishka - Diagnóstico pela Língua
Jihva Parishka - Diagnóstico pela Língua
 
62058962 54663295-bambuterapia
62058962 54663295-bambuterapia62058962 54663295-bambuterapia
62058962 54663295-bambuterapia
 
Radiestesia
RadiestesiaRadiestesia
Radiestesia
 
Auriculopuntura
AuriculopunturaAuriculopuntura
Auriculopuntura
 
Anac livro
Anac livroAnac livro
Anac livro
 

Destaque

Auriculoterapia inspeção do pavilhão auricular
Auriculoterapia   inspeção do pavilhão auricularAuriculoterapia   inspeção do pavilhão auricular
Auriculoterapia inspeção do pavilhão auricularCarlos Pernambuco
 
Tratamento de Fibromialgia com Cristais Radiônicos
Tratamento de Fibromialgia com Cristais RadiônicosTratamento de Fibromialgia com Cristais Radiônicos
Tratamento de Fibromialgia com Cristais RadiônicosAndreia Moreira
 
Acupuntura auricular
Acupuntura auricularAcupuntura auricular
Acupuntura auricularEdinho Araujo
 
Curso de auriculoterapia k1
Curso de auriculoterapia k1Curso de auriculoterapia k1
Curso de auriculoterapia k1kojji
 
Ficha clínica de auriculoterapia
Ficha clínica de auriculoterapiaFicha clínica de auriculoterapia
Ficha clínica de auriculoterapialuis goldenberg
 
Noções Básicas de Acupuntura
Noções Básicas de AcupunturaNoções Básicas de Acupuntura
Noções Básicas de AcupunturaFatima Dinis
 
50677825 ficha-de-anamnese-em-auriculoterapia
50677825 ficha-de-anamnese-em-auriculoterapia50677825 ficha-de-anamnese-em-auriculoterapia
50677825 ficha-de-anamnese-em-auriculoterapiaDaniele Santana
 
Mapa auric 2a 20150416 0001(0)
Mapa auric 2a 20150416 0001(0)Mapa auric 2a 20150416 0001(0)
Mapa auric 2a 20150416 0001(0)Dra Daliana Silva
 

Destaque (20)

AURICULOTERAPIA APLICADA
AURICULOTERAPIA APLICADAAURICULOTERAPIA APLICADA
AURICULOTERAPIA APLICADA
 
Auriculoterapia 001
Auriculoterapia   001Auriculoterapia   001
Auriculoterapia 001
 
Auriculoterapia
AuriculoterapiaAuriculoterapia
Auriculoterapia
 
Auriculoterapia inspeção do pavilhão auricular
Auriculoterapia   inspeção do pavilhão auricularAuriculoterapia   inspeção do pavilhão auricular
Auriculoterapia inspeção do pavilhão auricular
 
Auriculoterapia
AuriculoterapiaAuriculoterapia
Auriculoterapia
 
Acupuntura
AcupunturaAcupuntura
Acupuntura
 
Tratamento de Fibromialgia com Cristais Radiônicos
Tratamento de Fibromialgia com Cristais RadiônicosTratamento de Fibromialgia com Cristais Radiônicos
Tratamento de Fibromialgia com Cristais Radiônicos
 
Prescrição para tratamento auriculo
Prescrição para tratamento   auriculoPrescrição para tratamento   auriculo
Prescrição para tratamento auriculo
 
Auriculoterapia lar 08 - c
Auriculoterapia lar   08 - cAuriculoterapia lar   08 - c
Auriculoterapia lar 08 - c
 
Acupuntura auricular
Acupuntura auricularAcupuntura auricular
Acupuntura auricular
 
Curso de auriculoterapia k1
Curso de auriculoterapia k1Curso de auriculoterapia k1
Curso de auriculoterapia k1
 
AAP2
AAP2AAP2
AAP2
 
Auriculoterapia lar 06
Auriculoterapia lar   06Auriculoterapia lar   06
Auriculoterapia lar 06
 
Técnicas hipoalgesia por ap profa marcia valeria
Técnicas hipoalgesia por ap   profa marcia valeriaTécnicas hipoalgesia por ap   profa marcia valeria
Técnicas hipoalgesia por ap profa marcia valeria
 
Curso de auriculo introduo 01
  Curso de auriculo introduo 01  Curso de auriculo introduo 01
Curso de auriculo introduo 01
 
Ficha clínica de auriculoterapia
Ficha clínica de auriculoterapiaFicha clínica de auriculoterapia
Ficha clínica de auriculoterapia
 
85523174 auriculoterapia
85523174 auriculoterapia85523174 auriculoterapia
85523174 auriculoterapia
 
Noções Básicas de Acupuntura
Noções Básicas de AcupunturaNoções Básicas de Acupuntura
Noções Básicas de Acupuntura
 
50677825 ficha-de-anamnese-em-auriculoterapia
50677825 ficha-de-anamnese-em-auriculoterapia50677825 ficha-de-anamnese-em-auriculoterapia
50677825 ficha-de-anamnese-em-auriculoterapia
 
Mapa auric 2a 20150416 0001(0)
Mapa auric 2a 20150416 0001(0)Mapa auric 2a 20150416 0001(0)
Mapa auric 2a 20150416 0001(0)
 

Semelhante a Auriculoterapia inspeção do pavilhão auricular

Exame Físico
Exame FísicoExame Físico
Exame Físicolacmuam
 
Exame+fís..
Exame+fís..Exame+fís..
Exame+fís..lacmuam
 
Apresentação exame físico cabeça
Apresentação exame físico cabeçaApresentação exame físico cabeça
Apresentação exame físico cabeçaGuilherme Decanini
 
1-INTRODUÇÃO AO EXAME FÍSICO.pdf
1-INTRODUÇÃO AO EXAME FÍSICO.pdf1-INTRODUÇÃO AO EXAME FÍSICO.pdf
1-INTRODUÇÃO AO EXAME FÍSICO.pdfThatyMicaelly
 
Curso de especialista em acupuntura
Curso de especialista em acupunturaCurso de especialista em acupuntura
Curso de especialista em acupunturaLoyanne Reis
 
Corrente interferencial
Corrente interferencial Corrente interferencial
Corrente interferencial FUAD HAZIME
 
Analgesia e Sedação na UTI
Analgesia e Sedação na UTIAnalgesia e Sedação na UTI
Analgesia e Sedação na UTINatália Oliveira
 
Introducao-a-Fisiopatologia-da-dor.pdf
Introducao-a-Fisiopatologia-da-dor.pdfIntroducao-a-Fisiopatologia-da-dor.pdf
Introducao-a-Fisiopatologia-da-dor.pdfconceioFerreira45
 
Hot Sotnes - Pedras quentes
Hot Sotnes - Pedras quentesHot Sotnes - Pedras quentes
Hot Sotnes - Pedras quentesIsis Maia Castro
 
Tecnicas em mtc acupuntura
Tecnicas em mtc acupunturaTecnicas em mtc acupuntura
Tecnicas em mtc acupunturaMiguel Angelo
 
Oficina de Noções Básicas da Medicina Tradicional Chinesa/Acupuntura
Oficina de Noções Básicas da Medicina Tradicional Chinesa/AcupunturaOficina de Noções Básicas da Medicina Tradicional Chinesa/Acupuntura
Oficina de Noções Básicas da Medicina Tradicional Chinesa/AcupunturaFrankly Eudes
 
FUNÇAO DOS PONTOS AURICULARES _converted_by_abcdpdf.docx
FUNÇAO DOS PONTOS AURICULARES _converted_by_abcdpdf.docxFUNÇAO DOS PONTOS AURICULARES _converted_by_abcdpdf.docx
FUNÇAO DOS PONTOS AURICULARES _converted_by_abcdpdf.docxHenriqueJorge15
 
Avaliacao musculoesqueletica da coluna cervical
Avaliacao musculoesqueletica da coluna cervicalAvaliacao musculoesqueletica da coluna cervical
Avaliacao musculoesqueletica da coluna cervicalNatha Fisioterapia
 

Semelhante a Auriculoterapia inspeção do pavilhão auricular (20)

Exame Físico
Exame FísicoExame Físico
Exame Físico
 
Exame+fís..
Exame+fís..Exame+fís..
Exame+fís..
 
Auriculoterapia lar 04
Auriculoterapia lar   04Auriculoterapia lar   04
Auriculoterapia lar 04
 
Acupuntura em odontologia
Acupuntura em odontologiaAcupuntura em odontologia
Acupuntura em odontologia
 
Apresentação exame físico cabeça
Apresentação exame físico cabeçaApresentação exame físico cabeça
Apresentação exame físico cabeça
 
1-INTRODUÇÃO AO EXAME FÍSICO.pdf
1-INTRODUÇÃO AO EXAME FÍSICO.pdf1-INTRODUÇÃO AO EXAME FÍSICO.pdf
1-INTRODUÇÃO AO EXAME FÍSICO.pdf
 
Curso de especialista em acupuntura
Curso de especialista em acupunturaCurso de especialista em acupuntura
Curso de especialista em acupuntura
 
Corrente interferencial
Corrente interferencial Corrente interferencial
Corrente interferencial
 
Analgesia e Sedação na UTI
Analgesia e Sedação na UTIAnalgesia e Sedação na UTI
Analgesia e Sedação na UTI
 
Introducao-a-Fisiopatologia-da-dor.pdf
Introducao-a-Fisiopatologia-da-dor.pdfIntroducao-a-Fisiopatologia-da-dor.pdf
Introducao-a-Fisiopatologia-da-dor.pdf
 
Hot Sotnes - Pedras quentes
Hot Sotnes - Pedras quentesHot Sotnes - Pedras quentes
Hot Sotnes - Pedras quentes
 
Anestesia sedacao
Anestesia   sedacaoAnestesia   sedacao
Anestesia sedacao
 
Tecnicas em mtc acupuntura
Tecnicas em mtc acupunturaTecnicas em mtc acupuntura
Tecnicas em mtc acupuntura
 
Oficina de Noções Básicas da Medicina Tradicional Chinesa/Acupuntura
Oficina de Noções Básicas da Medicina Tradicional Chinesa/AcupunturaOficina de Noções Básicas da Medicina Tradicional Chinesa/Acupuntura
Oficina de Noções Básicas da Medicina Tradicional Chinesa/Acupuntura
 
Reflexologia
ReflexologiaReflexologia
Reflexologia
 
Anestesia sedacao
Anestesia   sedacaoAnestesia   sedacao
Anestesia sedacao
 
Sistema Sensorial- Anatomia
Sistema Sensorial- AnatomiaSistema Sensorial- Anatomia
Sistema Sensorial- Anatomia
 
Vera_pe_diabetico
Vera_pe_diabeticoVera_pe_diabetico
Vera_pe_diabetico
 
FUNÇAO DOS PONTOS AURICULARES _converted_by_abcdpdf.docx
FUNÇAO DOS PONTOS AURICULARES _converted_by_abcdpdf.docxFUNÇAO DOS PONTOS AURICULARES _converted_by_abcdpdf.docx
FUNÇAO DOS PONTOS AURICULARES _converted_by_abcdpdf.docx
 
Avaliacao musculoesqueletica da coluna cervical
Avaliacao musculoesqueletica da coluna cervicalAvaliacao musculoesqueletica da coluna cervical
Avaliacao musculoesqueletica da coluna cervical
 

Auriculoterapia inspeção do pavilhão auricular

  • 1. Inspeção do Pavilhão Auricular Profº Ms. Sc. Carlos S. Pernambuco CREF 1 1627 G/RJ
  • 2. Técnicas utilizadas na inspeção • Inspeção visual • Exploração elétrica • Exploração tátil
  • 3. Cuidado para Inspeção • Para otimização da observação deve-se evitar: • Lavar, coçar, esfregar p/ limpeza • Objetivo: manter a área brilho, cor e formas dentro do padrão • Deve-se utilizar: luz natural (preferencialmente), evitar o toque • Deve-se utilizar instrumentos no auxílio da inspeção: ganchos, lupas lanternas
  • 4. O que observar? • Verificar lesões • Acne • Pigmentação, • Frieira • Cicatriz • Pápulas brancas • Mudança morfológicas • Alterações de cor • Comparação entre os lados • Nível de sensibilidade • Cor • Brilho • Idade • Influência do clima
  • 5. Nível de sensibilidade • Utiliza-se instrumentos com pontas com calibre equivalente a um palito de fósforo • A sensibilidade estará relacionada com a área reflexa do zang fu • O toque deve ser suave, não despertando a dor • A velocidade deve ser lenta, para dar tempo ao paciente perceber e identificar. • Pressão uniforme equilibrando a intensidade evitando-se o falso positivo
  • 6. Manchas/áreas sensíveis • Uma área pode estar com alteração de cor conhecida como mancha • Pode estar com alteração de sensibilidade de forma aguda, insuportável, apresentar processos inflamatórios, distensão, adormecimento e queimação • Quando a dor é falsa a reação é curta e suportável
  • 7. Manchas/áreas sensíveis • As reações dos pacientes a dor “verdadeira” são: franzir as sobrancelhas, piscar os olhos, sensação de dor e grito. • Quando a área é grande pode influenciar outras áreas • Deve-se levar em consideração idade, sexo, ambiente onde passa a maior parte do tempo
  • 8. Manchas/áreas sensíveis • O lóbulo é mais macio, desta forma a sensibilidade é menor • As áreas de cartilagem, a pele fica mais exposta, logo a sensibilidade é maior • Em crianças e jovens a pele é mais macia e sensibilidade é menor • Em adultos e idosos o pavilhão tende a ser mais secos e mais rígidos e a sensibilidade maior
  • 9. Manipulação • Deve-se considerar: localização, ângulo de inserção, tempo e profundidade • A precisão do local é determinante para o sucesso do tratamento • A inclinação da inserção da agulha facilita o tratamento de acordo com a sintomatologia. • O tempo de aplicação deverá ser de 15 a 30 minutos para agulhas e até 7 dias agulhas permanentes, a partir daí o estímulo reduz a intensidade, devendo-se evitar dores desnecessárias. Caso o paciente apresentar desconforto em três dias deve-se retirar.
  • 10. Manipulação • Nas afecções crônicas • Tonificar • Superficial • Mais tempo • Agulhas mais finas • Nas afecções agudas deve-se • Sedar • Profundo • Menos tempo • Agulhas mais grossas Sensações de calor, frio, ardência e pressão. É possível também promover o giro da agulha Evitar transfixar a cartilagem
  • 11. Manipulação • Moxabustão • Usar chapéu de moxa ou material específico para moxa auricular • Até três estímulos para tonificar e • De quatro a cinco para sedação • Eletro acupuntura • Utilizar freqüência de até 20 Hz* para tonificação por 10 minutos* • E acima de 30Hz* para sedação por 15 minutos* • * freqüência e tempo variam de acordo com o aparelho utilizado
  • 12. Sensações • Calor – comum na maioria das aplicações mas particular em processos de deficiência • Adormecimento após a aplicação – comum em alterações de deficiências • Repuxamento/espasmos – característico em estímulos de vísceras e aquecedor médio e def. de Qi • Dor – local melhorando posteriormente, se persistir ou desconforto contínuo retirar as agulhas • Frio – comum em quadros que gerem calor (processos inflamatórios) • Formigamento – alterações do Wei Qi • Peso – relações com Umidade e def de Pi.
  • 13. Contra indicação • Mulheres com menos de 5 meses de gestação ou história de abortamentos espontâneos • Do 5º ao 9º não se pode estimular o s pontos: ovário, útero, endócrino, abdome, pelve. • Não usar muitos pontos nem fazer fortes estímulos em pacientes desnutridos, debilitados, com resistência baixa, hipotensos caso contrário pode levá-los a lipotimia. • Processos inflamatórios ou infecciosos no pavilhão auricular
  • 14. Princípios fisiológicos • Sistemas de Canais e Colaterais – ramificações que passam na área • Zang Fu – observações energéticas e correlações • Sistema neurovegetativo – terminações nervosas importantes que passam pelo pavilhão auricular • Biomoléculas – estímulos promovem a liberação de hormônios
  • 15. Fundamentações científicas • Estudo em coelhos onde se estimulou a polpa do dente e ao mesmo tempo o ponto Shen Men. • Verificou-se que ambos os impulsos nervosos chegavam ao tronco cerebral provocando uma possível repressão mútua entre o estímulo proveniente da polpa do dente e do Shen Men, em nível da substância reticular. • Este estudo tentou explicar o mecanismo de elevação do limiar de dor do ponto e repressão dolorosa bulbar, reforçando a função do ponto em acalmar e analgesia.
  • 16. Princípio de tratamento • Correlação entre pavilhão auricular e área correspondente
  • 17. Princípio de escolha de pontos • Zona correspondente – ponto reflexo • Cinco zang e • Seis fu – 5 elementos • Pontos do sistema nervoso – cérebro, tronco cerebral, tálamo, simpático • Pontos do sist. Endócrino – hipófise, tireóide, supra renal, pâncreas, ovários, próstata • Específicos
  • 18. Técnicas utilizadas no tratamento • Sangria • Uso de agulhas • Uso de sementes • Moxabustão auricular
  • 19. Agrupamento de pontos de acordo com a função (GARCIA, 2006) • Acalmam a dor • Vertigem • Convulsão • Tosse • Dispnéia • Prurido • Tinido • Vômito • Acidez • leucorréia • Grupo de ação antagônica • Órgãos dos sentidos • Antipirética • Fortalecedores • Tonificadores • Regulação • imunológica
  • 20. Funções de alguns pontos importantes • Shen Men – função analgésica • Simpático – função analgésica e dores viscerais, vaso dilatador, dispersa o calor • Ciático – desobstruir os canais colaterais, sedante, analgésico • Occipital – sedante, trata a tontura, limpa a visão, antipirética • Sub córtex – regulador da atividade cerebral e sistemas autônomos • Supra renal – promove o aumento de corticóides, glob. vermelhos e hemoglobina.
  • 21. Funções de alguns pontos importantes • Ping chuan – controla a dispnéia • San Jiao – transforma o Qi, transporta a essência, e metabolisa os líq. Orgânicos. • Endócrino – aumenta a secreção dos hormônios, corticóides, aumenta a resposta antialégica • Sangria no ápice da orelha – clareia o Qi, limpa a Shen e Acalma • Tálamo – reg. Atividade neurovegetiva, antipirético, dispersa o calor. • Hipófise – promove a secreção de hormônios desta forma, atuando na função de outras glândulas
  • 22. Obrigado pela atenção e Vamos à prática!!! karlos.pernambuco@hotmail.com