SlideShare uma empresa Scribd logo

Sistemas de Informações Geográficas

1 de 27
Dr. Carlos Germano F. Costa
Doutor em Desenvolvimento e Meio Ambiente – Especialista em Gestão de Riscos de Desastres
The Inter-American Institute for Cooperation on Agriculture (IICA) – Brazil
UEMS
Dourados,MS, Brasil
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL
ÁREA DE CONHECIMENTO: GESTÃO AMBIENTAL / ENGENHARIA AMBIENTAL / ENGENHARIA
SANITÁRIA / ENGENHARIA AGRONÔMICA / QUÍMICA / ENGENHARIA QUÍMIC
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
GEOGRÁFICA USADOS NA
GESTÃO AMBIENTAL
Introdução
Objetivos de aprendizagem: Ao final deste módulo,
você terá:
• Conhecimento sobre conceitos relativos a Sistemas
de Informação Geográfica usados na gestão
ambiental;
•Compreensão dos conceitos básicos de Imagens de
Satélites.
•Compreensão dos conceitos básicos de
Georeferrenciamento.
•Compreensão das Aplicações e Usos do Sistema de
Informações geográficas na Gestão Ambiental.
•Noções de Geotecnologias.
•Cadastro Ambiental Rural (SICAR).
Roteiro da apresentação
Sistemas de Informações Geográficas
I - Introdução
• Sistemas de Informação Geográfica (SIG) é sistema
baseado na interação software, hardware, pessoas e
informações espaciais.
• O SIG propicia:
– criar, editar, pesquisar, analisar e apresentar as
informações em um mapa ou no computador.
• Sistema – uma operação que ilimitada que vincula a
informação à sua localização geográfica, por meio de
hardware,redes software, dados e procedimentos
operacionais.
• Informação – atributos ou características (dados)
podem ser usados para melhor descrever uma
localização espacial.
• Geográfica – Localização Espacial - 80% dos dados do
governo EUA estão associados a algum localização
espacial.
• ... Não é simplesmente um software! ... Não é usado
somente para fazer mapas!
• Mais de 7.000 universidades ensinam SIG no mundo
(Angela Lee ESRI Education Program)
I - Introdução
• As possibilidades são
ilimitadas…
– Estudo de Impacto
Ambiental.
– Gestão de Recursos.
– Planejamento do uso do
solo.
– Saneamento Básico e
rede de distribuição de
águas.
– Rotas de Transporte.
– mais ...
• Os dados no SIG possuem
referência espacial (geográfica)
– Descreve uma feição
sobre a superfície
terrestre usando por
exemplo:
• sistema de
referência .
• seu endereço.
• seu município.
• nome da rua.
• bacia hidrográfica.
• O SIG armazena informações
sobre a superfície terrestre em
uma coleção de camadas
(layers). Essas se ligam a um
banco de dados descritivos e se
relacionam umas com as outras
por meio de sua localização
espacial
– Estradas .
– Uso da Terra.
– População.
– Serviços.
– Escolas e Hospitais.
– Nascentes.
– Saneamento.
Aquisição de imagens
IMAGENS DE SATÉLITES
Anúncio

Recomendados

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula Sensoriamento Remoto
Aula Sensoriamento RemotoAula Sensoriamento Remoto
Aula Sensoriamento Remotocarlieden
 
Introdução ao Geoprocessamento
Introdução ao GeoprocessamentoIntrodução ao Geoprocessamento
Introdução ao Geoprocessamentoholler
 
Normalized Difference Vegetation Index (NDVI)
Normalized Difference Vegetation Index (NDVI)Normalized Difference Vegetation Index (NDVI)
Normalized Difference Vegetation Index (NDVI)Susan Aragon
 
Agricultura de precisao modulo 2
Agricultura de precisao modulo 2Agricultura de precisao modulo 2
Agricultura de precisao modulo 2Karlla Costa
 
Introducão ao arcgis
Introducão ao arcgisIntroducão ao arcgis
Introducão ao arcgisgfcoutobrito
 
Curso Superior de Tecnologia em Geoprocessamento - IFPI
Curso Superior de Tecnologia em Geoprocessamento - IFPICurso Superior de Tecnologia em Geoprocessamento - IFPI
Curso Superior de Tecnologia em Geoprocessamento - IFPIDaniel Veras
 
Aula06 geo pg_fotogrametria
Aula06 geo pg_fotogrametriaAula06 geo pg_fotogrametria
Aula06 geo pg_fotogrametriarailano
 
QGIS 2.4: Sistemas de Referência de Coordenadas (SRC)
QGIS 2.4: Sistemas de Referência de Coordenadas (SRC)QGIS 2.4: Sistemas de Referência de Coordenadas (SRC)
QGIS 2.4: Sistemas de Referência de Coordenadas (SRC)Jorge Santos
 
Histórico sobre o início da agricultura
Histórico sobre o início da agriculturaHistórico sobre o início da agricultura
Histórico sobre o início da agriculturaAlex Samuel Rodrigues
 
Introdução geral à topografia
Introdução geral à topografiaIntrodução geral à topografia
Introdução geral à topografiaPessoal
 

Mais procurados (20)

Geoprocessamento
Geoprocessamento Geoprocessamento
Geoprocessamento
 
Manejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do SoloManejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do Solo
 
Aula Sensoriamento Remoto
Aula Sensoriamento RemotoAula Sensoriamento Remoto
Aula Sensoriamento Remoto
 
Introdução ao Geoprocessamento
Introdução ao GeoprocessamentoIntrodução ao Geoprocessamento
Introdução ao Geoprocessamento
 
Aula 1 e 2 topografia
Aula 1 e 2   topografiaAula 1 e 2   topografia
Aula 1 e 2 topografia
 
Manejo e conservação dos solos
Manejo e conservação dos solosManejo e conservação dos solos
Manejo e conservação dos solos
 
Elementos da cartografia
Elementos da cartografiaElementos da cartografia
Elementos da cartografia
 
Normalized Difference Vegetation Index (NDVI)
Normalized Difference Vegetation Index (NDVI)Normalized Difference Vegetation Index (NDVI)
Normalized Difference Vegetation Index (NDVI)
 
Agricultura de precisao modulo 2
Agricultura de precisao modulo 2Agricultura de precisao modulo 2
Agricultura de precisao modulo 2
 
Geodésia
GeodésiaGeodésia
Geodésia
 
Geoprocessamento
Geoprocessamento Geoprocessamento
Geoprocessamento
 
Introducão ao arcgis
Introducão ao arcgisIntroducão ao arcgis
Introducão ao arcgis
 
Geoprocessamento
GeoprocessamentoGeoprocessamento
Geoprocessamento
 
Curso Superior de Tecnologia em Geoprocessamento - IFPI
Curso Superior de Tecnologia em Geoprocessamento - IFPICurso Superior de Tecnologia em Geoprocessamento - IFPI
Curso Superior de Tecnologia em Geoprocessamento - IFPI
 
Aula06 geo pg_fotogrametria
Aula06 geo pg_fotogrametriaAula06 geo pg_fotogrametria
Aula06 geo pg_fotogrametria
 
QGIS 2.4: Sistemas de Referência de Coordenadas (SRC)
QGIS 2.4: Sistemas de Referência de Coordenadas (SRC)QGIS 2.4: Sistemas de Referência de Coordenadas (SRC)
QGIS 2.4: Sistemas de Referência de Coordenadas (SRC)
 
Erosão
ErosãoErosão
Erosão
 
Escalas: Conceitos e Aplicações
Escalas: Conceitos e AplicaçõesEscalas: Conceitos e Aplicações
Escalas: Conceitos e Aplicações
 
Histórico sobre o início da agricultura
Histórico sobre o início da agriculturaHistórico sobre o início da agricultura
Histórico sobre o início da agricultura
 
Introdução geral à topografia
Introdução geral à topografiaIntrodução geral à topografia
Introdução geral à topografia
 

Semelhante a Sistemas de Informações Geográficas

Resgate Cambui/Planejamento da arborização urbana como fazer e ferramentas di...
Resgate Cambui/Planejamento da arborização urbana como fazer e ferramentas di...Resgate Cambui/Planejamento da arborização urbana como fazer e ferramentas di...
Resgate Cambui/Planejamento da arborização urbana como fazer e ferramentas di...resgate cambui ong
 
Matosinhos Valoriza - solos paisagem
Matosinhos Valoriza - solos paisagemMatosinhos Valoriza - solos paisagem
Matosinhos Valoriza - solos paisagemPaulo Cabral
 
MODELAGEM DA OSCILAÇÃO DO NÍVEL FREÁTICO PARA MENSURAR O VOLUME EXPLORÁVEL DA...
MODELAGEM DA OSCILAÇÃO DO NÍVEL FREÁTICO PARA MENSURAR O VOLUME EXPLORÁVEL DA...MODELAGEM DA OSCILAÇÃO DO NÍVEL FREÁTICO PARA MENSURAR O VOLUME EXPLORÁVEL DA...
MODELAGEM DA OSCILAÇÃO DO NÍVEL FREÁTICO PARA MENSURAR O VOLUME EXPLORÁVEL DA...Gabriella Ribeiro
 
Quantificação da arborização urbana em campinas
Quantificação da arborização urbana em campinasQuantificação da arborização urbana em campinas
Quantificação da arborização urbana em campinasResgate Cambuí
 
Interfaces de modelos ambientais e sistemas de informação geográfica para a g...
Interfaces de modelos ambientais e sistemas de informação geográfica para a g...Interfaces de modelos ambientais e sistemas de informação geográfica para a g...
Interfaces de modelos ambientais e sistemas de informação geográfica para a g...spadotto
 
4. ecologia da paisagem e bacia hidrográfica
4. ecologia da paisagem e bacia hidrográfica4. ecologia da paisagem e bacia hidrográfica
4. ecologia da paisagem e bacia hidrográficaVirna Salgado Barra
 
Interfaces de modelos ambientais e sistemas de informação geográfica para a g...
Interfaces de modelos ambientais e sistemas de informação geográfica para a g...Interfaces de modelos ambientais e sistemas de informação geográfica para a g...
Interfaces de modelos ambientais e sistemas de informação geográfica para a g...Claudio Spadotto, Ph.D.
 
Resgate Cambui/Inventário e diagnóstico da arborização urbana
Resgate Cambui/Inventário e diagnóstico da arborização urbana Resgate Cambui/Inventário e diagnóstico da arborização urbana
Resgate Cambui/Inventário e diagnóstico da arborização urbana resgate cambui ong
 
Informações e dados ambientais
Informações e dados ambientaisInformações e dados ambientais
Informações e dados ambientaisAlex Santiago Nina
 
Metodologia automatizada para seleção de áreas para disposição de resíduos só...
Metodologia automatizada para seleção de áreas para disposição de resíduos só...Metodologia automatizada para seleção de áreas para disposição de resíduos só...
Metodologia automatizada para seleção de áreas para disposição de resíduos só...Maria José Brollo
 
Francisco Rasia - PPGTE - projeto de dissertação
Francisco Rasia - PPGTE - projeto de dissertaçãoFrancisco Rasia - PPGTE - projeto de dissertação
Francisco Rasia - PPGTE - projeto de dissertaçãochicorasia
 
Georisk seminário final_alonso
Georisk seminário final_alonsoGeorisk seminário final_alonso
Georisk seminário final_alonsoBruno Caldas
 
500 perguntas geotecnologia EMBRAPA
500 perguntas geotecnologia EMBRAPA500 perguntas geotecnologia EMBRAPA
500 perguntas geotecnologia EMBRAPAadeavelar
 
GEOPROCESSAMENTO DE DADOS: Construindo mapas temáticos com auxilio de GPS par...
GEOPROCESSAMENTO DE DADOS: Construindo mapas temáticos com auxilio de GPS par...GEOPROCESSAMENTO DE DADOS: Construindo mapas temáticos com auxilio de GPS par...
GEOPROCESSAMENTO DE DADOS: Construindo mapas temáticos com auxilio de GPS par...thaizasfc
 
Georreferenciamento de Bases Cartográficas
Georreferenciamento de Bases CartográficasGeorreferenciamento de Bases Cartográficas
Georreferenciamento de Bases CartográficasVitor Vieira Vasconcelos
 

Semelhante a Sistemas de Informações Geográficas (20)

Resgate Cambui/Planejamento da arborização urbana como fazer e ferramentas di...
Resgate Cambui/Planejamento da arborização urbana como fazer e ferramentas di...Resgate Cambui/Planejamento da arborização urbana como fazer e ferramentas di...
Resgate Cambui/Planejamento da arborização urbana como fazer e ferramentas di...
 
Geoprocessamento
GeoprocessamentoGeoprocessamento
Geoprocessamento
 
Antropossolos em Picinguaba (Ubatuba, SP)
Antropossolos em Picinguaba (Ubatuba, SP)Antropossolos em Picinguaba (Ubatuba, SP)
Antropossolos em Picinguaba (Ubatuba, SP)
 
Matosinhos Valoriza - solos paisagem
Matosinhos Valoriza - solos paisagemMatosinhos Valoriza - solos paisagem
Matosinhos Valoriza - solos paisagem
 
MODELAGEM DA OSCILAÇÃO DO NÍVEL FREÁTICO PARA MENSURAR O VOLUME EXPLORÁVEL DA...
MODELAGEM DA OSCILAÇÃO DO NÍVEL FREÁTICO PARA MENSURAR O VOLUME EXPLORÁVEL DA...MODELAGEM DA OSCILAÇÃO DO NÍVEL FREÁTICO PARA MENSURAR O VOLUME EXPLORÁVEL DA...
MODELAGEM DA OSCILAÇÃO DO NÍVEL FREÁTICO PARA MENSURAR O VOLUME EXPLORÁVEL DA...
 
Quantificação da arborização urbana em campinas
Quantificação da arborização urbana em campinasQuantificação da arborização urbana em campinas
Quantificação da arborização urbana em campinas
 
Aula 3 - Márcia Nascimento
Aula 3 - Márcia NascimentoAula 3 - Márcia Nascimento
Aula 3 - Márcia Nascimento
 
Interfaces de modelos ambientais e sistemas de informação geográfica para a g...
Interfaces de modelos ambientais e sistemas de informação geográfica para a g...Interfaces de modelos ambientais e sistemas de informação geográfica para a g...
Interfaces de modelos ambientais e sistemas de informação geográfica para a g...
 
4. ecologia da paisagem e bacia hidrográfica
4. ecologia da paisagem e bacia hidrográfica4. ecologia da paisagem e bacia hidrográfica
4. ecologia da paisagem e bacia hidrográfica
 
Monografia geoprocessamento
Monografia geoprocessamentoMonografia geoprocessamento
Monografia geoprocessamento
 
Interfaces de modelos ambientais e sistemas de informação geográfica para a g...
Interfaces de modelos ambientais e sistemas de informação geográfica para a g...Interfaces de modelos ambientais e sistemas de informação geográfica para a g...
Interfaces de modelos ambientais e sistemas de informação geográfica para a g...
 
Resgate Cambui/Inventário e diagnóstico da arborização urbana
Resgate Cambui/Inventário e diagnóstico da arborização urbana Resgate Cambui/Inventário e diagnóstico da arborização urbana
Resgate Cambui/Inventário e diagnóstico da arborização urbana
 
Informações e dados ambientais
Informações e dados ambientaisInformações e dados ambientais
Informações e dados ambientais
 
Metodologia automatizada para seleção de áreas para disposição de resíduos só...
Metodologia automatizada para seleção de áreas para disposição de resíduos só...Metodologia automatizada para seleção de áreas para disposição de resíduos só...
Metodologia automatizada para seleção de áreas para disposição de resíduos só...
 
Atlas de icapui
Atlas de icapuiAtlas de icapui
Atlas de icapui
 
Francisco Rasia - PPGTE - projeto de dissertação
Francisco Rasia - PPGTE - projeto de dissertaçãoFrancisco Rasia - PPGTE - projeto de dissertação
Francisco Rasia - PPGTE - projeto de dissertação
 
Georisk seminário final_alonso
Georisk seminário final_alonsoGeorisk seminário final_alonso
Georisk seminário final_alonso
 
500 perguntas geotecnologia EMBRAPA
500 perguntas geotecnologia EMBRAPA500 perguntas geotecnologia EMBRAPA
500 perguntas geotecnologia EMBRAPA
 
GEOPROCESSAMENTO DE DADOS: Construindo mapas temáticos com auxilio de GPS par...
GEOPROCESSAMENTO DE DADOS: Construindo mapas temáticos com auxilio de GPS par...GEOPROCESSAMENTO DE DADOS: Construindo mapas temáticos com auxilio de GPS par...
GEOPROCESSAMENTO DE DADOS: Construindo mapas temáticos com auxilio de GPS par...
 
Georreferenciamento de Bases Cartográficas
Georreferenciamento de Bases CartográficasGeorreferenciamento de Bases Cartográficas
Georreferenciamento de Bases Cartográficas
 

Mais de UN Joint Office of UNDP, UNFPA and UNICEF (Environment Energy and Disaster Prevention Unit)

Mais de UN Joint Office of UNDP, UNFPA and UNICEF (Environment Energy and Disaster Prevention Unit) (20)

Arquiteturas 5G
Arquiteturas 5GArquiteturas 5G
Arquiteturas 5G
 
5G Architectures
5G Architectures5G Architectures
5G Architectures
 
Estratégia Nacional de Redução de Riscos de Desastres de Cabo Verde
Estratégia Nacional de Redução de Riscos de Desastres de Cabo VerdeEstratégia Nacional de Redução de Riscos de Desastres de Cabo Verde
Estratégia Nacional de Redução de Riscos de Desastres de Cabo Verde
 
Praia´s Disaster Risk Reduction Plan UNISDR
Praia´s Disaster Risk Reduction Plan UNISDRPraia´s Disaster Risk Reduction Plan UNISDR
Praia´s Disaster Risk Reduction Plan UNISDR
 
Reducao de Riscos Inclusiva - The Post 2015 Agenda
Reducao de Riscos Inclusiva - The Post 2015 AgendaReducao de Riscos Inclusiva - The Post 2015 Agenda
Reducao de Riscos Inclusiva - The Post 2015 Agenda
 
Proposal 3 development_calendar_drr_mainstreaming
Proposal 3 development_calendar_drr_mainstreamingProposal 3 development_calendar_drr_mainstreaming
Proposal 3 development_calendar_drr_mainstreaming
 
Field Visit - Preparedness and Resilient RECOVER Project
Field Visit - Preparedness and Resilient RECOVER ProjectField Visit - Preparedness and Resilient RECOVER Project
Field Visit - Preparedness and Resilient RECOVER Project
 
Workshop Preparedness and Resilient Recovery
Workshop Preparedness and Resilient RecoveryWorkshop Preparedness and Resilient Recovery
Workshop Preparedness and Resilient Recovery
 
LIÇÕES APRENDIDAS DOS PROCESSOS DE RECUPERAÇÃO PÓS-DESASTRE EM CABO VERDE
LIÇÕES APRENDIDAS DOS PROCESSOS DE RECUPERAÇÃO PÓS-DESASTRE EM CABO VERDELIÇÕES APRENDIDAS DOS PROCESSOS DE RECUPERAÇÃO PÓS-DESASTRE EM CABO VERDE
LIÇÕES APRENDIDAS DOS PROCESSOS DE RECUPERAÇÃO PÓS-DESASTRE EM CABO VERDE
 
Workshop metodologia da avaliação das necessidades pós desastre
Workshop metodologia da avaliação das necessidades pós desastreWorkshop metodologia da avaliação das necessidades pós desastre
Workshop metodologia da avaliação das necessidades pós desastre
 
Integração de Governança de Risco de Desastres em Programas de Governo
Integração de Governança de Risco de Desastres em Programas de GovernoIntegração de Governança de Risco de Desastres em Programas de Governo
Integração de Governança de Risco de Desastres em Programas de Governo
 
Mobilização de recursos
Mobilização de recursosMobilização de recursos
Mobilização de recursos
 
Desastres naturais conceitos basicos
Desastres naturais conceitos basicosDesastres naturais conceitos basicos
Desastres naturais conceitos basicos
 
Redução de RISCO DE DESASTRES, governança & MAINSTREAMING
Redução de RISCO DE DESASTRES, governança & MAINSTREAMING Redução de RISCO DE DESASTRES, governança & MAINSTREAMING
Redução de RISCO DE DESASTRES, governança & MAINSTREAMING
 
Career Trends Transferring Skills
Career Trends Transferring SkillsCareer Trends Transferring Skills
Career Trends Transferring Skills
 
Riesgo, Innovación y Desarrollo en un Clima Cambiante: El Papel de las Políti...
Riesgo, Innovación y Desarrollo en un Clima Cambiante: El Papel de las Políti...Riesgo, Innovación y Desarrollo en un Clima Cambiante: El Papel de las Políti...
Riesgo, Innovación y Desarrollo en un Clima Cambiante: El Papel de las Políti...
 
Challenging Instruments and Capacities to Engage in Sustainable Development
Challenging Instruments and Capacities to Engage in Sustainable DevelopmentChallenging Instruments and Capacities to Engage in Sustainable Development
Challenging Instruments and Capacities to Engage in Sustainable Development
 
Monitor de Sequías Monitor de Secas Drought Monitor
Monitor de Sequías Monitor de Secas Drought MonitorMonitor de Sequías Monitor de Secas Drought Monitor
Monitor de Sequías Monitor de Secas Drought Monitor
 
Fairness and Equity Implications for New Governance Mechanisms
Fairness and Equity Implications for New Governance MechanismsFairness and Equity Implications for New Governance Mechanisms
Fairness and Equity Implications for New Governance Mechanisms
 
2016 berlin-conference-programme
2016 berlin-conference-programme2016 berlin-conference-programme
2016 berlin-conference-programme
 

Último

004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdfJanielleCristina1
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.azulassessoriaacadem3
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfRuannSolza
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...excellenceeducaciona
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...apoioacademicoead
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxJean Carlos Nunes Paixão
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...azulassessoriaacadem3
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;azulassessoriaacadem3
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docxGABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 

Sistemas de Informações Geográficas

  • 1. Dr. Carlos Germano F. Costa Doutor em Desenvolvimento e Meio Ambiente – Especialista em Gestão de Riscos de Desastres The Inter-American Institute for Cooperation on Agriculture (IICA) – Brazil UEMS Dourados,MS, Brasil UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL ÁREA DE CONHECIMENTO: GESTÃO AMBIENTAL / ENGENHARIA AMBIENTAL / ENGENHARIA SANITÁRIA / ENGENHARIA AGRONÔMICA / QUÍMICA / ENGENHARIA QUÍMIC SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA USADOS NA GESTÃO AMBIENTAL
  • 2. Introdução Objetivos de aprendizagem: Ao final deste módulo, você terá: • Conhecimento sobre conceitos relativos a Sistemas de Informação Geográfica usados na gestão ambiental; •Compreensão dos conceitos básicos de Imagens de Satélites. •Compreensão dos conceitos básicos de Georeferrenciamento. •Compreensão das Aplicações e Usos do Sistema de Informações geográficas na Gestão Ambiental. •Noções de Geotecnologias. •Cadastro Ambiental Rural (SICAR). Roteiro da apresentação
  • 4. I - Introdução • Sistemas de Informação Geográfica (SIG) é sistema baseado na interação software, hardware, pessoas e informações espaciais. • O SIG propicia: – criar, editar, pesquisar, analisar e apresentar as informações em um mapa ou no computador. • Sistema – uma operação que ilimitada que vincula a informação à sua localização geográfica, por meio de hardware,redes software, dados e procedimentos operacionais. • Informação – atributos ou características (dados) podem ser usados para melhor descrever uma localização espacial. • Geográfica – Localização Espacial - 80% dos dados do governo EUA estão associados a algum localização espacial. • ... Não é simplesmente um software! ... Não é usado somente para fazer mapas! • Mais de 7.000 universidades ensinam SIG no mundo (Angela Lee ESRI Education Program)
  • 5. I - Introdução • As possibilidades são ilimitadas… – Estudo de Impacto Ambiental. – Gestão de Recursos. – Planejamento do uso do solo. – Saneamento Básico e rede de distribuição de águas. – Rotas de Transporte. – mais ... • Os dados no SIG possuem referência espacial (geográfica) – Descreve uma feição sobre a superfície terrestre usando por exemplo: • sistema de referência . • seu endereço. • seu município. • nome da rua. • bacia hidrográfica. • O SIG armazena informações sobre a superfície terrestre em uma coleção de camadas (layers). Essas se ligam a um banco de dados descritivos e se relacionam umas com as outras por meio de sua localização espacial – Estradas . – Uso da Terra. – População. – Serviços. – Escolas e Hospitais. – Nascentes. – Saneamento.
  • 7. IMAGENS DE SATÉLITE UTILIZADAS NA GESTÃO AMBIENTAL CADASTRO DO SICAR
  • 9. Exemplo do comportamento espectral de duas feições de uma imagem Rapideye: Floresta nativa e Floresta plantada.
  • 10. MOSAICOS DE IMAGENS DE SATÉLITES IDENTIFICAÇÃO DAS FEIÇÕES PERTINENTES EM IMAGENS DE SATÉLITE Antropização: Áreas Rurais
  • 11. Remanescente de vegetação nativa Corpos d’água
  • 13. NOÇÕES BÁSICAS DE GEORREFERENCIAENTO O que é projeção geográfica?
  • 14. Sistema de Coordenadas Geodésicas Sistema de Coordenadas Planas (UTM)
  • 15. Datum Principais instrumentos utilizados no georreferenciamento GPS (ou GNSS) Estação Total
  • 16. Escala cartográfica APLICAÇÕES DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS AO MÓDULO DO CAR O que é SIG? Representação de dados espaciais
  • 24. Exemplo dos vetores que podem ser utilizados no cadastro para identificar cada feição no imóvel rural.
  • 25. Entrada de dados vetoriais no SIG do modulo de cadastro do SICAR Importação de arquivo vetorial Inserção de vértice de polígono manualmente (Memorial descritivo)
  • 26. Delimitações das feições com base nas imagens de satélite georreferenciadas
  • 27. BIBLIOGRAFIA: • FISCHMANN, A. A.; ALMEIDA, M. I. R. de. Planejamento estratégico na prática. 2.ed. 20ª reimpressão. São Paulo: Atlas, 2011. • JENSEN, J. R. Sensoriamento remoto do ambiente. Parêntese, 2009.MANO, E. B. Meio ambiente, poluição e reciclagem. 2.ed. São Paulo: Blucher, 2010. • MAY, P. H. (org.) Economia do meio ambiente: teoria e prática. 2. ed. 4ª reimpressão. Rio de Janeiro:Elsevier, 2010. • MOURA, L. A. A. Economia ambiental: gestão de custos e investimentos. 2. ed. São Paulo: Juarez de Oliveira,2003. • PRIMAVESI. A. Manejo ecológico do solo. São Paulo: Nobel, 2004. • PRIMAVESI. A. Manejo ecológico do solo: a agricultura em regiões tropicais. São Paulo: Nobel, 2004. • ROBLES JR., A.; BONELLI, V. V. Gestão da qualidade e do meio ambiente: enfoque financeiro e patrimonial.6ª reimpressão. São Paulo: Atlas, 2011. • SANTOS, R. F. dos. Planejamento ambiental. Oficina de Textos, 2004. • SILVA, J. E. X. da , ZAIDAN, R. T. Geoprocessamento e análise ambiental: Aplicações. Bertrand Brasil, • 2007.