4 Altares da Educação Adventista
Os grandes objectivos da Educação Adventista são:
•
•

Restaurar no homem a imagem do seu...
2º Altar: Altar da Abnegação
O que significa Abnegação?
Renúncia da própria vontade, desapego do interesse próprio, genero...
permissividade expressa: a ausência do “não” e a reverência às vontades da criança.
Estes dois factores são a chave para a...
Todos temos uma parte a desempenhar na obra de Deus. E tal responsabilidade deve ser
cumprida com esmero e amor pela causa...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

4 altares da educação adventista

264 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
264
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

4 altares da educação adventista

  1. 1. 4 Altares da Educação Adventista Os grandes objectivos da Educação Adventista são: • • Restaurar no homem a imagem do seu autor. Promover o desenvolvimento do corpo, espírito e alma para que o propósito divino se cumpra. O que é um altar? É um lugar de sacrifício, o que se coloca no alto, em 1º plano. Esta palavra está presente nos relatos bíblicos por 401 vezes principalmente no Pentateuco e nos livros históricos. Construído em diversos materiais desde: terra, pedra, madeira, bronze ou ouro, sempre foi visto como um utensílio importante na adoração. 1º Altar: Altar da obediência versus altar da desobediência Onde encontramos o 1º altar descrito na Bíblia? Génesis capítulo 4 com Caim e Abel 2 irmãos com a mesma educação mas com grandes diferenças de carácter. Ambos sabiam, qual o sistema de ofertas que Deus ordenara: “sem derramamento de sangue não há remissão de pecado”. Génesis 4: 3-5 Em Patriarcas e Profetas é dito o seguinte sobre o assunto: “Os dois irmãos de modo semelhante erigiram os seus altares, e cada qual trouxe uma oferta. Porém Caim prestou uma obediência parcial, ao obedecer em construir o altar, obedecer em trazer um sacrifício mas rejeitar a necessidade de um redentor. Ambos são altares, ambos têm a finalidade de apresentar sacrifício, porém somente um deles não mede esforços para abnegar-se da sua própria vontade” No Livro Orientação da criança o E. P. salienta: “Às crianças deve ensinar-se que suas faculdades lhes foram dadas para honra e glória de Deus. Para tal fim, devem aprender a lição da obediência. Mediante esforço moderado e persistente deve estabelecer-se este hábito.” 1
  2. 2. 2º Altar: Altar da Abnegação O que significa Abnegação? Renúncia da própria vontade, desapego do interesse próprio, generosidade com sacrifício, altruísmo e isenção. Génesis 12:8 Depois da dispersão de Babel, a idolatria tornou-se novamente quase universal; porém o Senhor escolheu Abraão. Fiel entre os infiéis, incontaminado pela apostasia prevalecente, com perseverança apegou-se ao culto do único e verdadeiro Deus, que lhe deu conhecimento da salvação que realizaria por meio de Cristo. A Abraão foi feita a promessa de uma posteridade numerosa e de grandeza nacional. Contudo, deveria haver uma prova para a fé. Veio a msg de Deus: “Sai da tua terra e da tua parentela e da casa de teu pai para a terra que eu te mostrarei” – Gen 12:1 Abraão obedeceu e saiu sem saber para onde ia. No caminho, obedecendo ao chamado divino parou num lugar chamado Betel que significa: Casa de Deus, construiu um altar e ofereceu sacrifício ao Senhor pelas vitórias alcançadas até ali. Este era o altar da abnegação! Mas sabemos que a abnegação é algo que está fora de moda. Actualmente o comportamento egoísta é o motor que move o mundo da economia, e dos mercados… Isso permite cada vez mais, que os nossos jovens cultivem falhas de carácter ligadas ao egocentrismo: ironia, dissimulação, falsidade, irreverência. Quanto a isso encontrei algo bastante curioso que nos obriga a reflectir sobre a educação que estamos a dar aos nossos filhos desde o berço. Entre outros aspectos o artigo fala da ecologia do espírito ou seja a mente limpa de tudo o que o mundo deseja influenciar, e pergunta: Quem é realmente a maior autoridade na estrutura familiar? Tomando-se por autoridade aquele que provê a manutenção da família, supõe-se que ambos, marido e mulher dividam entre si esse papel de governar a educação dos filhos. No entanto, cada vez mais as crianças expressam valores e anseios contrários aos da educação recebida em casa e na escola porquê? Porque existe em casa uma autoridade de peso que concorre com os pais: a TV e mediante a importância que lhe é atribuída esta muitas vezes passa a ser a maior autoridade dentro de casa. Em 2003 foi realizado um estudo bastante curioso que demonstrava que as mensagens e anúncios comerciais influenciavam 80% as compras da família de acordo com os apelos das crianças. E mais curioso ainda é entender a psicologia por detrás destes anúncios e o motivo porque são tão bem aceites pelas crianças: A sua aderência deve-se ao facto da 2
  3. 3. permissividade expressa: a ausência do “não” e a reverência às vontades da criança. Estes dois factores são a chave para a sua aceitação por oposição à autoridade paterna que contraria e educa ou procura educar correctamente. Alheio aos comportamentos desviantes que podem ocorrer, o marketing tem por objectivo implantar o quanto antes na criança a necessidade de consumir. Se não estivermos atentos os nossos bebés desde cedo adquirem os hábitos do mundo, cabe-nos a nós zelar por eles e sermos cada vez mais exigentes quanto ao tipo de recreação que lhes oferecemos. 3º altar: Altar da Gratidão Génesis 35:3 No livro Orientação da Criança, mais uma vez lemos a advertência: “Fossem as crianças educadas e preparadas na vida do lar para serem gratas ao doador de todas as coisas boas e veríamos em nossas famílias um elemento da graça celeste. Ver-se-ia alegria na vida do lar e, saindo desses lares levaria o jovem consigo um espírito de respeito e reverência para com a escola e a igreja”. Em Betel Jacó sonhou com uma escada angelical. Foi aqui que ele recebeu misericordiosas promessas de Deus. Em, Betel Jacó fez um voto de que o Senhor seria o seu único deus. Sabemos que esteve muito tempo fugido, evitava os homens com receio de ser denunciado ao seu irmão. Mas Deus não o abandonou e revelou-lhe aquilo que ele necessitava naquele momento: um salvador. Jacó lutou com o Senhor. Essa luta deulhe coragem e determinação para enfrentar todos os problemas passados e ainda os que o inquietavam nesse momento. Conhecemos o desfeixe da história: o encontro com o irmão superou todas as expectativas. O irmão abraçou-o e Jacó ficou tão grato a Deus que construiu um altar de Gratidão. 4º Altar: Altar do Sacrifício Quando falamos deste altar qual a situação que nos ocorre? Gen. 22:2 Abraão não hesitou um instante, o adolescente não replicou, obdecendo fielmente ao pai. Abraão levantando o braço, ia desferir o golfe fatal sobre a vítmia, quando o anjo do senhor o chamou pelo nome e providenciou um animal para o sacrifício. A palavra Akedah, do hebraico significa sacrifício. Porém não se resume a uma simples oferenda. Define-se como fazer parte do sacrifício, assumir responsabilidade por tal, comprometer-se com a vítima e desempenhar um papel peculiar na obra sacrifical. 3
  4. 4. Todos temos uma parte a desempenhar na obra de Deus. E tal responsabilidade deve ser cumprida com esmero e amor pela causa. Não é uma mera incumbência mas somos participantes directo no grande conflito. Deus não faz por nós aquilo que nós podemos fazer. Deixou isto muito claro quando pediu a Abraaõ o seu único filho em sacrifício e deixa-o claro ainda quando se trata das decisões diárias que devemos tomar. O altar de Abraão deve ser diariamente construído na nossa vida, e dentro do processo dessa construção faz-se necessário o papel da educação adventista. 4

×